Textos arquivados em ''

Breaking Israel News: “A História De Purim Realmente Explica A Solução Para A Divisão Social E O Antissemitismo”

O maior portal, Breaking Israel News, publicou meu novo artigo “A História De Purim Realmente Explica A Solução Para A Divisão Social E O Antissemitismo “

“A cidade de Shushan ficou perplexa” (Ester 3:15)

O conhecido verso do Livro de Ester na história de Purim não poderia ser mais apropriado para descrever a atmosfera de hoje de intensificar a divisão social e a polarização.

Alcançar soluções e encontrar harmonia na guerra entre esquerda e direita torna-se ainda mais complicado, pois cada lado se mantém mais severo em sua própria posição e destrói qualquer oportunidade de se abrir ao outro. À medida que a sociedade se torna mais polarizada, as tendências nazistas, fascistas, xenófobas e antissemitas despertam, juntamente com os temores das armas nucleares e da guerra.

No lado positivo, no entanto, estados de perplexidade e desorientação podem nos motivar a reavaliar os valores principais da nossa vida. A crescente fenda entre esquerda e direita é resultado do desenvolvimento de acordo com nossos instintos básicos, onde buscamos conforto, segurança e reafirmação como parte de nossas famílias e tribos mais próximas. A incerteza e a ansiedade que permeiam a sociedade moderna poderiam ser apenas o passo que precisamos para rever a maneira como estamos levando nossas vidas. Talvez possamos usar a crescente pressão para nos ajudar a buscar pontos comuns de acordo e cooperação, e começar a reconstruir nossas vidas de forma nova e consensual?

A história de Purim descreve o quase genocídio do povo judeu.

The Times Of Israel: “Nove Fatos Sobre Purim Que Permitirão Que Você Aborde A Mensagem Principal Do Feriado”

O The Times de Israel publicou o meu novo artigo “Nove Fatos Sobre Purim Que Permitirão Que Você Aborde A Mensagem Principal Do Feriado

  1. O Significado de Purim

Purim é conhecido como uma celebração emocionante e alegre que eclode em festividades após a salvação do povo judeu de sua morte iminente.

Mas qual é a principal mensagem e significado de Purim?

Que mesmo o maior bem, representado por Mordechai (Mardoqueu), é fraco e incompetente quando confrontado com o maior mal, representado por Hamã, e que o mal só pode ser superado pela unificação.

Os apelos de Mordechai, pela misericórdia do rei Assuero para com os judeus, à rainha Ester levaram a sua famosa declaração de que ela não pode ajudá-los se eles estiverem dispersos e desunidos. Então, Mordechai vai em uma missão para transmitir este chamado pela unidade ao povo judeu, e quando eles finalmente se unem, Ester consegue que Assuero tenha piedade deles.

  1. O Significado dos Trajes de Purim

Os trajes que as pessoas habitualmente usam para as festas de Purim significam a ocultação das forças que representam a história de Purim dentro de nós.

  1. O Significado do Rei Assuero

O rei Assuero representa Deus.

  1. O Significado da Rainha Ester

A rainha Ester significa o desejo que foi corrigido para se conectar com Deus. Essa é a razão pela qual ela emerge depois que o rei Assuero se divorcia da rainha Vashti por corromper os caminhos dela. Seu nome, que é “Ester” em hebraico, vem da palavra hebraica para ocultação, “Hastara“, pois sua identidade de judeu está escondida.

  1. O Significado da Meguila e do milagre de Purim

A identificação de Ester como judeu permanece oculta até ela precisar fazer movimentos para redimir os judeus de sua ameaça de destruição. Assim, “Meguila“, a palavra hebraica para “pergaminho” ou “livro”, como em “O Livro de Ester” (“Megilat Ester“), vem de “Gilui“, ou seja, a palavra hebraica para “revelação”. A história no Livro de Ester, assim, é pensada como um milagre oculto, para indicar o milagre da revelação do poder de Deus agindo por meio da ocultação.

  1. O Significado de Mordechai e Hamã

Como Mordechai é puramente benevolente, não tem vontade de governar ou controlar. Embora o povo estaria melhor e mais feliz sob Mordechai, este não tem o mesmo caminho que o malvado Hamã, com fome de poder.

A fim de motivar Mordechai a fazer mudanças para se tornar governante, o Rei Assuero precisa instituir uma grande ameaça não apenas a Mordechai, mas a povo dele, os judeus.

É onde entra Hamã. Hamã significa o oposto completo da misericórdia: a vontade implacável de governar, controlar e satisfazer seus próprios desejos egoístas, completamente desconsiderada dos outros.

  1. A Mensagem Central da História de Purim

Hamã levou a reivindicação ao rei Assuero de que os judeus deveriam ser mortos porque não estavam mantendo suas leis, ou seja, estavam desunidos. “Há um certo povo espalhado e disperso”. Esta foi a afirmação precisa porque as leis pelas quais os judeus se tornaram uma nação ao pé do Monte Sinai eram leis de unidade. Portanto, estar “espalhados e dispersos” significa que eles não conseguiram defender as leis que os tornaram uma nação para começar. Enquanto separados, os judeus eram considerados desnecessários, e é por isso que Hamã se esforça em erradicá-los.

Os judeus, por um lado, temiam por sua vida. Por outro lado, eles não conseguiam entender o que fizeram para merecer um veredito tão severo. Mordechai juntou os judeus, reunindo-os e anulando a reivindicação de Hamã, de que eles estavam espalhados e dispersos. Assim, ao se unirem, eles não violaram a lei do rei, e o veredito contra eles foi revertido.

Tal como acontece com todas as histórias da Torá, os personagens e a interação entre eles representam atributos e poderes que se desenrolam em nossos pensamentos, desejos, atitudes e relacionamentos. Eles estão tão presentes hoje como estavam há milhares de anos. Além disso, quanto mais nos desenvolvemos, mais esses poderes se intensificam. A vontade implacável de governar e controlar emerge em algumas pessoas mais do que em outras, até consumir completamente algumas, fazendo com que façam qualquer coisa para todos os tipos de posições de poder.

Portanto, a principal mensagem da história de Purim é de que a nossa unidade é a nossa salvação, e nossa negligência pela nossa unidade põe em perigo, prejudica e pode potencialmente nos aniquilar.

  1. O Significado Do Costume de Ficar Excessivamente Bêbado Em Purim

Após a nossa salvação através da nossa unidade, a alegria eclode, e é um mandamento beber até que não possamos discernir o certo do errado. Isso ocorre porque a nossa unidade difunde a unidade, até que cada pessoa e cada nação faça o “clique” correto uma com a outra. Por isso, nos tornamos uma “luz para as nações”, um farol de luz da unificação para toda a humanidade.

Ao se unir, não precisamos vigiar nossa retaguarda o tempo todo como fazemos agora. Além disso, não queremos desconfiar ou suspeitar de qualquer uma das intenções tortuosas ou malsucedidas, pois seríamos como uma única pessoa. A intoxicação significa o desfocar de linhas entre Hamã e Mordechai, uma vez que quando unidas, a tensão entre essas tendências se liberta em uma alegria eufórica.

  1. O Significado dos Bolsos de Hamã

Os bolsos de Hamã significam a correção dos desejos autodirigidos de Hamã de controlar e governar quando todo o povo se une. Os doces ​​simbolizam a alegria de se unir em desejos altruístas. É também por isso que damos presentes uns aos outros e aos pobres – para expressar nosso vínculo atualizado.

Purim é mais do que um feriado festivo. É uma lição sobre o que é mais importante na vida: que sempre devemos nos concentrar em como podemos melhorar nossa conexão uns com os outros, unir-nos acima de nossas diferenças e que, se não o fizermos, há muitos Hamãs malvados prontos para aproveitar a nossa desunião, à espera da oportunidade de construir a nossa queda. Usando esta lição, podemos criar lembretes para que nunca esqueçamos a nossa necessidade de se unir, e nos levantemos para o desafio de avançar de força em força em uma unificação cada vez maior acima de todas as forças que emergem para nos distrair.

Eu desejo a todos um Purim feliz e unido!

Lembre-se…

Laitman_020O feriado de Purim é o feriado mais feliz, o melhor momento para grandes misericórdias. Purim simboliza todo o nosso trabalho espiritual.

Todos os feriados estão relacionados com a correção da alma quebrada de Adam HaRishon, o primeiro homem, mas apenas Purim significa a conclusão desse processo, a última ação, chamada Gmar Tikkun, o fim da correção.

Então nos lembramos de todo o nosso desejo egoísta de receber prazer em todo o seu enorme alcance e entendemos que não podemos resistir a ele de forma alguma. Somos muito fracos. Mesmo o justo Mordechai (Mardoqueu) senta-se em uma rocha em frente ao portão do rei, um pobre velho que ninguém considera, enquanto Hamã governa todo o reino como braço direito do rei.

O Criador coroa de propósito o egoísmo para governar, como está escrito: “Eu criei a inclinação ao mal”. E o Faraó (egoísmo) é o rei do mundo em vários papéis e personagens. Somente quando a pessoa sente que sua própria existência está ameaçada ela desperta. Quem a ajuda a despertar? Hamã faz isso, dizendo: “Destruamos essa raiz que poderia despertar, o desejo de doar ou a intenção de doar, nas suas bases. Por que devemos mantê-la? Eu sou o rei!”

Quando chegarmos a essa altura do desejo de receber em que queremos controlar tudo com a intenção de receber, descobriremos que o desejo de receber é uma matéria imutável, mas que a intenção de receber é incorreta e que podemos controlar o desejo de receber com a intenção de doar. Embora a intenção de doar seja contra a natureza, muito fraca, contra nossa consciência, compreensão e própria natureza, e, além disso, o rei, ou seja, o Criador, não a apoia, no entanto, ela ainda existe. Como é possível lutar contra isso? A intenção de doar é muito fraca, tênue e delicada para enfrentar Assuero que apoia Hamã com o poder do mal.

Mas há uma parte do desejo de receber que se chama “os judeus” (Yehudi) porque esta parte possui a força potencial da unidade. Se uma ameaça grave aparecer sobre eles, eles se unirão. Embora essa unidade seja forçada a eles, provocada pelo medo de destruição, ela, no entanto, atrai para eles a Luz que Reforma, a força superior. A força superior é despertada no rei Assuero que inicialmente apoiou Hamã, mas depois da união dos judeus, ele apoia Mordechai plenamente e com muita alegria.

Tudo depende desse grupo, que é chamado em seu potencial, “os judeus” (a palavra hebraica para “judeu” [Yehudi] vem da palavra “unidos” [yihudi]). Então, quando eles se unem, primeiro de forma coercitiva, depois, de bom grado, têm uma grande força, primeiro para controlar o rei Assuero, e mais tarde destroem o poder de Hamã, toda a inclinação ao mal que poderia facilmente destruí-los.

Tudo isso foi feito pela sua união e atração de uma grande força, que os ajudou a se unir ainda mais, então, ao agir através do poder da unidade, eles subjugaram o poder da separação, o poder de Hamã.

Eles fazem isso em todos os graus e estados, porque esta é a correção, mas em Purim, ela se desenrola como um milagre. Purim é sobre um enorme desejo de receber, nas suas 32 partes, que são impossíveis de corrigir diretamente. É por isso que é considerado um milagre, porque podemos corrigir 288 partes do desejo de receber gradualmente em 125 graus, mas o coração de pedra se une a todas essas correções, mas não aparece. Somente na ação final, o coração de pedra surge e se corrige através de 288 partes, e as 32 partes também entram na correção de uma só vez. Então, a Luz do fim da correção surge.

Em Purim, podemos ver todo o processo de correção: o exílio, a libertação em todas as suas formas. É por isso que Purim começa com a leitura do capítulo “Lembre-se do que Amaleque fez com você”. A intenção em benefício próprio, chamada inclinação ao mal ou Amaleque, nos acompanha todo o tempo, e é precisamente por causa de Amaleque que chegamos ao Criador.

Se não fosse por essa inclinação ao mal, nunca teríamos despertado para a unidade, nunca teríamos revelado nossa separação do Criador e não teríamos alcançado equivalência de forma com Ele. É impossível alcançar a adesão sem a ajuda desta força do mal que está trabalhando na linha esquerda.

É por isso que devemos lembrar o que Amaleque nos fez. Em todos os estados, o Criador nos envia uma ajuda contra Ele, e esta é uma grande ajuda. Nós só precisamos saber como nos relacionar corretamente com essas forças da natureza.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 27/02/18, Escritos do Rabash, Artigo 21

Minha Página No Facebook: “Post De Purim Do Breaking Israel News”

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 01/03/18

Purim é tão significativo para os judeus hoje como era para os judeus na própria história. Além disso, ele tem uma imensa importância para a sociedade em geral. Um aspecto importante que precisa ser entendido sobre o significado de Purim para que possamos entender sua relevância moderna é em relação a Hamã: quem ou o que é Hamã em nossos tempos atuais? Isto é, quem ou o que está por trás do crescente distanciamento e polarização da sociedade?

A resposta imediata de acordo com nossos instintos primordiais é personificar a culpa, de que um presidente, ou um grupo de políticos, financiadores, executivos ou outros esquemas conspiratórios estão por trás dos nossos infortúnios. No entanto, além do valor nominal do apontar de dedo, o que está realmente por trás de toda a divisão social é a mentalidade divisória que Hamã representa: o desejo de buscar dinheiro, honra, controle e/ou poder, apesar de todos e de tudo. Essa mentalidade divisória nos desliga uns dos outros, separando-nos, prejudicando-nos e mascarnado o dano que fazemos uns aos outros.

A atmosfera social tumultuada de hoje é um chamado para que procuremos nossa voz comum como uma humanidade que compartilha valores e propósitos comuns. Se usarmos esse chamado para nos conectar um pouco acima dos nossos instintos primitivos, podemos criar uma sociedade muito mais pacífica e amigável para todos nós.

Sempre que o povo judeu correu o risco da ruína, nossa unidade nos salvou. Podemos usar a história de Purim como um lembrete eterno de que nossa unidade pode nos tirar das piores situações e, ao nos unirmos, estabelecemos um exemplo construtivo e positivo para o resto da humanidade.

Leia meu artigo no Breaking Israel News

Curso Gratuito De Cabalá Autêntica – Outono 2018 (Inscrições Encerradas)

Uma experiência com consequências para toda a vida

fornecida pela PRÓPRIA NATUREZA

Começa Domingo, 08 de abril de 2018

AGORA É O MOMENTO MAIS IMPORTANTE DA SUA VIDA… SE VOCÊ PERMITIR

Neste curso, você vai descobrir uma compreensão mais profunda da natureza, do mundo, e quem você realmente é, vai receber ferramentas para desenvolver uma nova abordagem para a vida, e experimentar uma perspectiva única que o ajudará a dar sentido aos eventos no mundo de hoje. Ao contrário de uma série de equívocos sobre a Cabalá que você normalmente ouve, isso está aberto para qualquer pessoa independentemente de quaisquer diferenças que aparentemente existam entre as pessoas (raça, idade, sexo, cultura, etc.) e você está livre para avançar no seu próprio ritmo, sem pressões ou obrigações.

INFORMAÇÃO E INSCRIÇÃO (Clique Aqui)