A Lei Da Gestão Do Mundo, Parte 1

laitman_229Toda a nossa realidade é inteiramente sujeita à lei, e de acordo com a sabedoria da Cabalá, é controlada pela única lei da força superior chamada natureza. Nós também chamamos esse poder superior de Criador porque ele realmente criou o universo inteiro.

A natureza dessa força é de agir exclusivamente em benefício de suas criações; isto é, é absolutamente boa. Mas se não a vemos, isso é apenas porque não entendemos o Criador.

Os Cabalistas, isto é, pessoas que investigam a natureza superior, revelam seu completo bem. E mesmo investigadores comuns da natureza veem que, embora todos se devorem nela, tudo está sujeito a leis especiais e, em última instância, beneficia o desenvolvimento geral de todos os seres criados.

A ciência moderna revela que a natureza é global e integrada, e tudo nela está absolutamente interconectado. Nada pode sair do quadro desse sistema integral. Como em um corpo humano saudável, todas as suas células e sistemas trabalham em harmonia preparando-o para um objetivo maior que está acima da existência corporal comum. Nós encontramos essa lei em todas as formas da natureza e em todos os seus níveis.

Acontece que o conhecimento dessas leis é a chave para a nossa existência bem-sucedida. Afinal, se a matéria inanimada, as plantas e os animais agem de acordo com os instintos, isto é, sentem as ordens da natureza e as realizam inconscientemente, nos seres humanos, é muito mais complicado.

Nós não sabemos como agir. Nossos instintos não são suficientemente fortes para garantir o nosso comportamento correto enquanto somos guiados apenas por eles. E tudo isso é porque um ser humano é um ser social, e é daí que emergem todas as nossas dificuldades. Afinal, em tudo o que se relaciona com a ordem social, os instintos já não funcionam. Eles não são mais regulados pela natureza.

Os desejos de comida, sexo e família são mais ou menos compreensíveis e não nos causam problemas. Mas em tudo o que diz respeito à sociedade, isto é, ao desejo de riqueza, poder e conhecimento, ficamos muito confusos. Os instintos internos não nos dizem como agir corretamente neles.

Os desejos de comida, sexo e família pertencem ao nível animal e, portanto, nós podemos confiar neles em nossos instintos naturais, que também são inerentes como em todos os outros animais.

Mas, em relação aos desejos puramente humanos, nós temos que encontrar a direção correta para o nosso desenvolvimento; de outra forma, o dinheiro, o poder e o conhecimento se tornam a causa de todos os nossos problemas. É devido ao desenvolvimento profundo de nossa mente que nós inventamos as armas de nossa própria destruição.

Em toda a história dos séculos anteriores, o homem se desenvolveu instintivamente, como um animal. Nosso egoísmo sempre nos empurrou para frente e tudo era bastante simples. Afinal, o desenvolvimento passou de uma forma natural, passo a passo, de uma formação para outra: escravidão, feudalismo, capitalismo, à medida que o egoísmo crescia.

Mas hoje chegou o momento em que nosso ego terminou seu desenvolvimento e deixou de ser o motor da evolução. Ele parece admitir que alcançou seu topo e não há mais aonde ir. Portanto, tudo entra em processo de estagnação: ciência, produção, jovens que não desejam se casar e ter filhos. Existe uma fadiga geral porque, internamente, uma pessoa sente que não tem uma resposta à pergunta principal: “Por que vivo?”

Afinal, ao longo de todo o milênio passado, nós sabíamos para onde estávamos nos desenvolvendo e nosso egoísmo não exigia mais do que era possível. Ele tinha necessidades muito reais: uma boa família, uma profissão, filhos e dinheiro e nos desenvolvemos de acordo com esses requisitos. Mas hoje nosso desejo de desfrutar parou seu crescimento linear, e esse é o problema.

De fato, esse processo começou há quinhentos anos, no tempo do Ari: o desejo deixou de crescer e começou a “acabar”. Todas as partes do desejo relacionado à natureza inanimada, vegetativa e animada evoluíram para certo nível e deve começar a se unir na forma correta.

Isto é, agora precisamos nos conectar. Se nos conectarmos corretamente, alcançaremos a propriedade de doação, que é a propriedade do Criador e, portanto, revelaremos a força comum da natureza entre nós. Esse poder é revelado precisamente nas conexões corretamente corrigidas entre nós.

Da Convenção “O Futuro Começa Aqui” Na Europa, Dia 25/08/17, “As Leis da Gestão Do Mundo”, Lição 1

Comente