Ação Coletiva Contra O Google

laitman_559Nas Notícias (NPR): “Pagando sistematicamente as mulheres menos do que os homens. Promovendo-as mais devagar. E negando-lhes oportunidades.

“Estas são as alegações em uma ação judicial contra o Google arquivada quinta-feira em San Francisco em nome de três ex-funcionárias.

“Elas estão buscando status de ação coletiva para processar em nome de todas as mulheres empregadas pelo Google na Califórnia nos últimos quatro anos. ‘O processo parece ser o primeiro a fazer reivindicações de ações sexuais coletivas contra o Google’, de acordo com a Reuters”.

Meu Comentário: Todos nós somos diferentes. Quando falamos de igualdade, apagamos a individualidade de uma pessoa.

Eu não sei que problema há aí. Eu não quero me envolver; problema deles. Mas se homens e mulheres fossem igualados, acho que seria um insulto para ambos os gêneros.

Tente fazer um elogio a uma mulher da mesma forma que faria um elogio a um homem: “Ei, você parece normal hoje…” Você pode imaginar dizer isso a uma mulher?

Uma mulher se sente bem quando você enfatiza suas virtudes únicas e não aquelas que também são inerentes aos homens, e nisso ela é como um homem. Você precisa admirar suas qualidades femininas.

Pergunta: Em outras palavras, ela é mãe, lar, ternura?

Resposta: Sim. Ela é tudo. Ela exige atenção e respeito porque essa é a natureza de uma mulher. Tudo vem do egoísmo masculino e feminino. Uma mulher, como desejo de receber, como Malchut, tem essa necessidade. Isso precisa ser respeitado e compreendido; vem até nós da natureza. Nós somos adultos crescidos, homens e mulheres, e precisamos entender a natureza corretamente e nos relacionar de acordo.

Pergunta: Em outras palavras, nós podemos tirar a seguinte conclusão: não há igualdade e ela não pode existir?

Resposta: Inicialmente a partir da natureza, a igualdade não pode existir. Se quisermos que exista, precisamos elevar as pessoas para um grau onde, de acordo com esses critérios, elas podem ser iguais.

Isto é o que a Cabalá trata; ela iguala todos. Se eu me conectar com amor a toda a humanidade, eu sou o mesmo que todos os outros.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman”, 10/08/17

Comente