A Regra Principal Para A Leitura De Livros Cabalísticos

Pergunta: Como ler-se livros cabalísticos corretamente? No que queremos prestar especial atenção?

Resposta: Ao ler um livro cabalístico, uma pessoa deve entender que essa leitura deve revelar nela novos órgãos de percepção com que ela será capaz de sentir o que está escrito no livro. O livro começará a agir dentro dela e ela não será apenas impressionada, como num romance, mas começará a imaginar o mundo superior.

O mundo superior não existe de acordo com as leis da força egoísta, pelas quais vivemos em nosso mundo, mas de acordo com as leis inversas. Como está escrito: “Eu vi um mundo invertido.”Estas são as leis altruístas de amor e não as leis de ódio”.

Se uma pessoa quer sentir-se assim e ela acostuma-se a tal leitura, em seguida, começa a perceber uma história oposta completamente diferente, em que existem outras dimensões, circunstâncias e personagens. Assim, começa a revelar o mundo espiritual e as forças que atuam nele.

Nós devemos passar por duas etapas, a fim de descobrir um livro espiritual. Na primeira fase, devido à leitura (principalmente o Livro do Zohar e os escritos de Baal HaSulam e Escritos de Rabash), gradualmente nos aproximamos da revelação do livro dentro de nós, formando os órgãos sensoriais adequados para isso.

Assim como uma criança pequena não entende um livro adulto sobre aventuras ou amor e primeiro deve desenvolver-se até a idade certa, assim também na Cabalá, você precisa primeiro desenvolver propriedades internas dentro de si mesmo que são adequadas para reagir com o conteúdo do livro espiritual . Portanto, na primeira fase, precisamos cultivar e desenvolver os nossos órgãos de percepção.

A segunda etapa é quando começamos a revelar o que está escrito.

Pergunta: Será que isso significa que não é suficiente apenas abrir um livro e começar a lê-lo?

Resposta: É suficiente abrir um livro e começar a ler, mas com a intenção de desenvolver-se. Obviamente, nós não entendemos nada no livro ainda, mas nós o lemos, a fim de desenvolver-nos para alcançar o entendimento. Esta é a regra principal até agora.

Depois que uma pessoa melhora a si mesma e através do livro constitui sentimentos espirituais, desejos e definições dentro de si mesma, começará a sentir-se mais e mais. Da mesma forma, enquanto uma criança cresce, a criança entende-se e sente-se mais.

Há livros para cada idade na vida cotidiana e na Cabalá lemos o mesmo livro enquanto crescemos, cada vez penetrando mais fundo nele e cada vez revelando mais seu significado interior.

Baal HaSulam escreveu no artigo “Introdução ao Estudo das Dez Sefirot”,p.155: “Há um maravilhoso remédio inestimável para aqueles que se envolvem na sabedoria da Cabalá. Embora eles não entendam o que estão aprendendo, através do anseio e do grande desejo de entender o que estão aprendendo, despertam sobre si as Luzes que cercam suas almas.”

Isto significa que a cada pessoa de Israel é garantido alcançar, finalmente, todas as realizações maravilhosas que o Criador tinha contemplado no pensamento da criação, de encantar toda criatura. E aquele a quem não foi concedido nesta vida será concedido na próxima vida, etc., até que ele seja premiado, completando o pensamento do Criador, o que Ele havia planejado para ele.

Não há dúvidas de que atingiremos a revelação do mundo superior e todos nós entraremos nele. E àquele que não foi concedido nesta vida será concedido na próxima vida. Mas por que esperar se podemos fazê-lo agora?

Um livro cabalístico tem um poder especial que influencia o leitor e desenvolve nele novos desejos, conceitos, pensamentos e sentimentos. Então ele começa a compreender, sentir e ver com sua visão interior o que diz o livro.

[208817]

Da Lição Virtual “O Tempo da Cabalá,” 13/6/17

 

Comente