“Quando Houver Uma Moça Virgem Prometida A Um Homem”

Laitman_049_01Torá, Deuteronômio, 22:23 – 22:24: Quando houver uma moça virgem prometida a um homem, e [outro] homem a encontrar na cidade, e se deitar com ela, então trareis ambos à porta daquela cidade, e os apedrejareis, até que morram; a moça, porquanto não gritou na cidade, e o homem, porquanto humilhou a mulher do seu próximo; assim tirarás o mal do meio de ti.

Este é um exemplo de como as ações de uma pessoa não correspondem à sua intenção e desejo. Eles não combinam, e, portanto, a correção só pode ser através da renúncia. Tais ações mortas não têm nenhuma continuação na espiritualidade, e, por conseguinte, esses desejos devem “morrer”. A morte geralmente ocorre por meio do apedrejamento porque os desejos caem no Lev HaEven (coração de pedra).

Pergunta: O que significa que a intenção decide se conectar com esse desejo.

Resposta: A pessoa acha que, trabalhando com este desejo, será capaz de se aproximar um pouco mais perto do Criador. Ela acha que pode realizar essa ação, mas, na verdade, não pode.

Por exemplo, ela recebe uma oportunidade para executar alguma ação e quer realizá-la para a doação, para um avanço posterior no amor pelo Criador, expandindo seu vaso espiritual, mas acontece que isso é errado.

Em nosso mundo, isso é expresso em imagens carnais, mas no mundo espiritual, tudo acontece de uma forma completamente diferente.

Está escrito, apedrejem a moça e o homem. Uma vez que ambos estão sob influência externa, a responsabilidade pela ocorrência do evento não é só dele, mas dela também, ou seja, o desejo que está entre outros desejos também deve se controlar.

Isto é sobre ZON do mundo de Atzilut, Zeir Anpin e Malchut que se conectam juntos e, portanto, tanto uma resistência como uma concordância são possíveis aqui. A cidade em que eles se conectam significa o mundo de Atzilut.

Há muitas sutilezas aqui. Primeiro, tudo acontece acima do Parsa que é representado pela muralha da cidade, em torno da cidade. Ele simboliza a influência da sociedade circundante, a qual pertencem este homem, seus pais e a própria moça. Assim, ela leva em consideração não uma correção pessoal, mas uma correção pública. Portanto, eles merecem uma punição mais severa.

Há várias condições assim na Torá, e isso é natural, porque se trata de corrigir as nossas intenções. Os desejos permanecem os mesmos.

Nosso único desejo é dividido em 613 partes. Cada um dos 613 desejos privados tem sua própria intenção egoísta que deve ser corrigida para uma altruísta, pelo bem dos outros e através dos outros para o Criador. Este, em princípio, é o nosso trabalho espiritual. A Torá está falando só sobre isso e nada mais.

Um homem simboliza a intenção, e uma mulher simboliza o desejo. A combinação correta das partes masculina e feminina com a ação correta para a doação conduz ao nascimento do próximo grau espiritual.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 05/10/16

Comente