Os Grandes Cabalistas E As Suas Obras

laitman_527_07A sabedoria da Cabalá foi descoberta pela primeira vez 5.776 anos atrás por um homem chamado Adão, que descreveu o que descobriu em seu livro O Anjo Raziel. Desde então, houve muitas gerações de Cabalistas e tudo o que eles fizeram até aos nossos dias está incorporado num sistema.

Os Cabalistas eram um tipo diferente de pessoa e cada um engajou-se nessa sabedoria a sua própria maneira: alguns numa determinada maneira especial de alcançar a sabedoria da Cabalá, outros a escreveram em determinados níveis, e a meta dos outros era atrair tantas pessoas quanto possível para a revelação deste sistema da Providência. Esses Cabalistas são particularmente importantes e queridos para nós, porque com a sua ajuda, podemos alcançar aquilo pelo qual estamos começando a nos esforçar.

Ao longo da história humana, a maioria dos Cabalistas escreveu num nível que hoje encontramos dificuldade de entender, mas o maior Cabalista que viveu no século XVI, o ARI, realmente conseguiu resumir e apresentar essa sabedoria.

Ele trouxe um grande tesouro de conhecimento ao sistema e nós temos recebido dele uma matriz pronta, na qual se baseia toda a sabedoria da Cabalá. Muitos antes dele tinham tentado fazer isso, mas não tiveram êxito.

Essa é a razão pela qual não há ninguém mais próximo em espírito para nós do que o ARI e tudo o que ele fez é muito importante para nós. Ele morreu numa idade muito jovem, 38 anos, e deixou seu legado para todos nós.

Quatrocentos anos depois do ARI, no início do século XX, outro grande Cabalista chamado Baal HaSulam apareceu. Nenhum dos Cabalistas que viveram antes dele conseguiu transmitir o método e os ensinamentos do ARI de uma forma mais popular e acessível como o ARI fez. Esta é a razão de nós usarmos os escritos do Baal HaSulam, que foram escritos numa linguagem moderna relativamente simples. Seus escritos são o pilar de nossos estudos.

Além disso, seu filho mais velho, o Rabash, meu professor, completou os escritos de seu pai adicionando os princípios de nosso trabalho interno. Baal HaSulam escreveu principalmente sobre o sistema do mundo superior e sua psicologia interna. E o meu professor explicou em seus artigos como podemos começar a sentir o mundo superior de forma prática, o que devemos fazer para realmente senti-lo e absorvê-lo dentro de nós, e como criar novos sentidos e, assim, avançar.

Se não tivéssemos os escritos do Rabash, poderíamos ler os escritos do Baal HaSulam e aproveitar a lógica de sua bela e harmoniosa descrição simples do mundo superior e o efeito deste sistema sobre nós, mas nós não saberíamos como alcançá-lo. Tudo isso é explicado nos escritos de meu professor.

Os Cabalistas descrevem o mundo superior e o nosso mundo, que é o nível mais inferior e menor que está separado do mundo espiritual, que trabalham em perfeita harmonia.

A única semelhança com esse sistema em nosso mundo é o corpo humano perfeitamente corrigido, onde o coração e a mente e todos os sistemas, como o circulatório, nervoso, linfático e outros sistemas, operam em harmonia, em uníssono.

Eles se apoiam, nada é supérfluo, e só o correto funcionamento mútuo cria a oportunidade de experimentar todo o sistema e estudá-lo.

Continua…

Da Convenção em Odessa, “No Círculo da Unidade”, Dia Um 16/10/15, Lição 1

Comente