A Diferença Entre A Abordagem Secular E Religiosa

Laitman_631_4Pergunta: Qual é a diferença entre a abordagem religiosa e secular da vida? Por exemplo, eu me considero uma pessoa secular, mas sempre tenho um conflito interno, e é difícil descobrir onde em mim a pessoa secular termina e começa a religiosa. A mesma divisão existe em toda a sociedade israelense.

De acordo com a última pesquisa: 50% dos israelenses são completamente seculares, 17% observam as tradições, mas não se consideram religiosos, 13% observam as tradições e se consideram religiosos, 12% são religiosos e 8% são ortodoxos religiosos.

Resposta: As pessoas seculares acreditam que o mundo é governado por leis da natureza e que não há mais nada a não ser o que vemos e descobrimos através da ciência. A abordagem secular da vida significa que o mundo deve ser tomado tal como ele é, de acordo com os próprios sentimentos, sem depender de quaisquer forças superiores, destino, vida após a morte. Quaisquer fenômenos não solucionados não são mais do que uma invenção da nossa imaginação e fantasia.

A abordagem secular é a abordagem real. Dentro dela há muitas variedades que definem a relação do homem consigo mesmo e a sociedade, mas elas não são ao nível da diferença entre a abordagem religiosa e secular.

A abordagem religiosa baseia-se na crença na força superior que criou o mundo e nos coloca em condições que temos que executar. Se nós cumprirmos todos os desejos da força superior, mereceremos o prêmio, se não os cumprirmos, seremos punidos.

Existem diferentes tipos de relações com a força superior, de atitudes em relação à recompensa e punição, a participação de uma pessoa nisso e sua liberdade de escolha. Mas a questão é que as pessoas religiosas levam em conta a existência da força superior, um projeto superior, um programa, o propósito da criação. Assim, o centro da criação não é mais o ser humano, mas a Força Superior, o Criador.

Como as pessoas acreditam que o Criador dispõe e organiza tudo em resposta ao seu comportamento, elas devem continuamente relacionar suas vidas à Força Superior. Ou seja, elas pensam que a pessoa é dependente não das leis da natureza cega, mas da vontade do Superior. Portanto, é necessário orar para o Alto, pedir, se envergonhar, arrepender-se por suas ações passadas.

Muitas religiões e crenças existiram e desapareceram ou continuam existindo hoje. A religião tem uma grande influência sobre o mundo e sobre a humanidade. Durante os últimos dois mil anos a humanidade evoluiu sob a influência da religião, primeiro surgiu o judaísmo, após a destruição do Segundo; depois veio o cristianismo e o islamismo.

Todas essas religiões estão lutando entre si, e existem relações muito complexas entre elas. Cada religião tem muitos movimentos: católicos, protestantes, cristianismo ortodoxo, xiitas e sunitas no Islã, e muitas correntes do judaísmo.

Cada sinagoga em Israel é de alguma forma diferente do resto. Sem mencionar o conflito entre o secular e o religioso que não são capazes de organizar suas vidas de modo a não interferir um com o outro, mas querem impor sua própria visão sobre os outros.

Eu não quero julgar quem está certo e quem está errado. Mas tal conflito só existe em Israel. Por exemplo, nos EUA ou na Europa não há conflito entre religiosos e seculares. Se você é um judeu, ninguém se importa se você vai à sinagoga aos sábados ou apenas nos principais feriados.

No exterior, os judeus sentem que pertencem a uma nação. Em Israel, há um conflito, porque a religião não é separada do Estado e está envolvida numa luta pelo poder. Assim, ela parece na área de interesse geral, onde os nossos desejos se chocam. Ao longo dos anos, esse conflito aumenta, porque todo mundo acredita que o lado oposto quer pegar um pedaço dele.

Este confronto na sociedade está ganhando força, levando a tal ódio e divisão, que nunca existiu entre o povo de Israel. E eu não acho que isso seja o resultado de uma abordagem diferente do mundo. É apenas uma luta pelo poder em nossas vidas: desejos de alguns de controlar os outros e o Estado para servir seus interesses, seja da comunidade secular ou religiosa.

A luta é pelo Estado, pelo poder, pelos cofres do Estado, usando-o para seu próprio benefício.

De KabTV “Uma Nova Vida” 21/05/15

Comente