Uma Revolução Ideológica

Do folheto “A Única Saída: Israel Hoje”

Recentemente, expressões como “povo escolhido”, “povo da ideia”, “povo espiritual”, provocou uma sensação de desconforto, de selvageria, restrições religiosas, e mais importante, uma sensação de não pertencer a todas essas frases.

A guerra contra o Hamas criou, de fato, uma revolução ideológica. Os meios de comunicação, especialmente as redes sociais, foram literalmente inundados com este tipo de expressões. Elas vêm de judeus e não-judeus. Quando foguetes alcançam qualquer lugar do país, a posição de um observador externo desaparece rapidamente.

Por um lado, há certa sensação de desesperança; por outro lado, ninguém fala e escreve que devemos deixar Israel e procurar um lugar mais seguro em outra parte do planeta.

Por quê? Porque todos nós vemos que o planeta não quer os judeus. Se anteriormente falávamos sobre antissemitismo em alguns países, hoje é difícil encontrar um país onde o antissemitismo não exista. Literalmente, todos os dias, onde o antissemitismo se manifestava antes, a sua atividade está aumentando, e onde ele não existia antes, ele começa a crescer rapidamente.

Essa completa onda anti-Israel, ou declarações antissemitas, nunca existiram, a não ser, é claro, se excluirmos a Alemanha nazista. Mesmo países como El Salvador, Peru e Argentina, juntaram-se ao caos geral e começaram a retirar seus embaixadores.

O mundo não se importa que nós fornecemos comida, energia e cuidados médicos para aqueles que estão constantemente bombardeando nossas cidades. O mundo está muito seriamente preocupado por que tantos terroristas são mortos e por que há tão poucas baixas entre aqueles que se opõem os terroristas.

Comente