Ajustar-se Ao Diapasão Superior

Dr. Michael LaitmanUm grupo de Cabalistas não é construído através de uma reunião casual de pessoas. Pelo contrário, é reunido do Alto. A natureza global constrói tudo, incluindo o grupo ao redor e dentro de nós.

Cabe a mim me relacionar com o grupo como uma comunidade de pessoas deste mundo que são reunidas seguindo a influência da força superior que cria condições únicas para nós, de modo que tentará se conectar entre nós através de uma rede de relações mais elevadas. Cabe a mim me relacionar com o grupo como uma oferta do Criador para me inserir numa sociedade superior, e jamais me esquecer disso.

Portanto, cabe a mim aceitar todos que vem ao grupo como um componente desejado, cultivando essa relação o tempo todo, afiando e considerando-a mais e mais.

Eu não tenho outra maneira de me comunicar com a força superior, exceto através do grupo. Se eu quiser falar com o nível superior, cabe a mim recorrer a um grupo como um modelo que se oferece para estar conectado comigo. Somente através dele eu posso explicar isso ao nível mais alto, o “Criador” que me criou, todos nós, o mundo inteiro.

Esta relação com um grupo é muito importante! É preciso entender que através dela, eu estou falando com o Criador. A partir daqui é nossa obrigação orar por muitos, voltar-se através de todos ao Criador, relacionar-se com os outros com amor. Para ser direcionado ao próximo nível, ao Criador, deve haver relações de igualdade entre nós, apesar de nossas diferenças.

Nós tentamos criar um único conjunto de nós mesmos em que os desejos pessoais, intenções, desejos e conexões não existem. Em vez disso, tudo é misturado numa única gota de tal forma que dentro dela, nós nos perdemos e adquirimos a inteligência do próximo nível, superior, seus desejos e pensamentos com os quais nos tornamos um todo único.

De acordo com a lei, “dez se transformam em um”. Em seguida, ela se divide novamente em dez (o ego cresce) e, novamente, está conectada em uma só, e é assim que ela está em todos os 125 níveis de nossa ascensão.

Isto significa que em cada nível uma matriz é dada a nós, e se nós trabalhamos com ela corretamente, nós nos comunicamos através dela com o Criador. Isto não é como o que nós fazemos quando estamos nos comunicando por telefone ou através do computador. Pelo contrário, nós subimos até este nível emocionalmente e somos incluídos numa conexão direta com o nível. Então, o Criador, ou seja, o nível seguinte, começa a viver dentro de nós.

A única diferença é que no nosso nível, em ocultação, se não sentimos o Criador, no próximo nível, sentimos a nós mesmos e ao Criador como um todo, incluindo o intelecto de todo o universo, uma reunião geral de comunicação, o programa da criação. Este estado é chamado de “adesão” ao Criador, e depois dele, existem 125 outros níveis em que a adesão com Ele cresce.

Cabe a nós perceber essa possibilidade que nos foi dada nesta encarnação da vida, de nos relacionarmos seriamente a um grupo e entrar em sintonia com a realização da nossa relação com os outros de forma permanente. Na verdade, todo o resto de nossas ações são muito menos úteis para a ascensão ao próximo nível do que o que podemos fazer num grupo.

Mesmo quando saímos para o público em geral, com várias atividades, nós só exigimos deles apenas que a necessidade de conexão cresça entre nós. A saída para a humanidade pode ser implantada através de várias mídias.

Todas estas são úteis, já que, em primeiro lugar, o que importa para mim é a comunicação direta, clara e correta com os amigos que são reunidos pela força superior, e cabe a mim trabalhar com eles contra a minha vontade. Se eu tivesse que decidir, eu não poderia escolhê-los. Eu não sei por que sou obrigado a atingir o nível superior, de modo que eles me dão um grupo no qual cabe a mim dirigir e organizar-me corretamente.

Junto com isso, cabe a mim entender que tudo o resto é absolutamente dirigido corretamente, e eu me torno uma única corda entre uma centena de cordas que estão sintonizadas com as outras. No entanto, em primeiro lugar, eu me sinto sintonizado da melhor maneira, e mesmo que um som terrível saia de mim, parece-me como algo agradável.

Como uma mãe que olha para seu filho e ele lhe parece ser o mais bonito e todo o mundo não vale nada comparado a ele, então eu também respeito a mim mesmo como o favorito. Tudo o resto me parece fora de sintonia, tanto assim que cabe a eles ajustar-se a mim.

No entanto, na realidade, a afinação deve ser precisamente o contrário. Cabe a mim aceitar a todos como um instrumento totalmente afinado ou uma coleção de características totalmente corrigidas. Eu sou o único que não está corrigido, e isso não é só num grupo, mas também em todo o mundo, em todo o universo. Eu sou o único que precisa de correção. Portanto, tudo foi criado para mim. Quando a pessoa se relaciona com o mundo desta forma, ela pode dizer: “O mundo foi criado para mim!”

Relacionamentos como estes num grupo nos coloca no estado certo. Eu agradeço ao poder superior que me leva a um grupo. Eu sou grato que ele me mostra como eu critico todos, os rejeito e odeio. Eu me relaciono razoavelmente com parte deles, porque preciso estar conectado com outras pessoas, receber delas, para que eu possa me sentir melhor.

Aos poucos, eu afino a corda um pouco mais e um pouco mais. Eu a levo ao som ideal em relação ao diapasão. O diapasão é o movimento geral do grupo onde o som mais alto já foi sentido parcialmente. Quando o movimento geral entra em harmonia, a essência superior é revelada nele.

Da Convenção em Sochi 14/07/14, Lição 3

Comente