A Escuridão Brilhará Como A Luz

Dr. Michael LaitmanPergunta: O Criador é chamado de Bore (“venha e veja”). O que significa “venha e veja”? O que Ele quer que vejamos?

Resposta: Quando eu era estudante, eu também perguntei ao Rabash, “O que uma pessoa vê quando alcança o mundo espiritual?” Ele respondeu que se alguém tivesse que reunir todo o prazer que a humanidade tem experimentado ao longo da sua existência em um enorme prazer, este seria apenas um pequeno brilho — isto é, uma pequena faísca — em comparação com o prazer que existe no primeiro grau espiritual.

Imagine que você está se divertindo como toda a humanidade em todas as gerações! Isso seria um tipo de prazer que nós não seríamos capazes de sequer manter! Isto é porque, quando alcançamos o mundo espiritual, nosso desejo adquire uma intenção para doar e nós somos capazes de segurar o prazer que é um bilhão de vezes maior do que o prazer deste mundo.

De onde vem este prazer? A fim de transmitir minhas sensações, eu não fui capaz de encontrar uma palavra melhor do que “harmonia” ou “equilíbrio” ou “uma união de propriedades e processos opostos”. Isso nos dá a sensação de perfeição, o maior prazer.

Está escrito que “não há alegria maior do que a resolução das dúvidas”. Isto é exatamente o que sentimos. Todas as coisas que são consideradas opostas em nosso mundo começam a se conectar e se completar uma na outra no mundo espiritual, porque uma não pode existir sem a outra, como a escuridão e a luz.

Desta forma, o desejo de receber prazer e a Luz começam a se completar e trabalhar em conjunto através da tela.

Como está escrito, “até a escuridão não ocultará [nada] de Você, e a noite vai iluminar como dia; pois como é a escuridão assim é a luz”. Antes da entrada para o mundo espiritual, nós sentimos uma grande escuridão que, de repente, começa a brilhar como a luz, e esta é a primeira sensação mínima que vem de encontrá-la.

No entanto, aos poucos, vamos ver como todos os problemas e sofrimentos, falhas e erros, de repente começam a nos trazer satisfação e compreensão de sua necessidade e finalidade.

Trecho da palestra “Cabalá para a Nação”, 21/11/10

Comente