“Os EUA Estão Muito Perto Da Falência Fiscal?”

Dr. Michael LaitmanOpinião (Steen Jakobsen, Executivo-Chefe de Investimentos do Saxo Bank): “Se o Congresso dos Estados Unidos e o presidente Obama não chegarem a um acordo antes do ano final de 2012, os EUA terão de enfrentar uma falência ‘fiscal’ em 1º de janeiro de 2013. A falência fiscal é a combinação de cortes de impostos, redução dos benefícios do desemprego, mais impostos sobre o rendimento pessoal e cortes obrigatórios de gastos que entrarão em vigor automaticamente. Esta é uma situação criada no ano passado, quando o Congresso falhou em encontrar um acordo de longo prazo ou uma solução para o déficit do orçamento dos EUA.

“O Presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, dentre todas as pessoas, tem sido fundamental em adiar a tão necessária reforma fiscal dos EUA, fornecendo dinheiro ilimitado à taxa de juros zero aos bancos e, indiretamente, aos governos, o que tornou possível adiar indefinidamente o último dia de liquidação para as reformas reais. Nós sabemos o quanto os políticos em todo o mundo odeiam quando têm de lidar com a realidade e não com promessas. A falência fiscal é real e talvez demasiado real para ser confortável. …

“O quarto trimestre normalmente é a parte mais forte da temporada, e toda a sabedoria convencional diz que o mercado é ainda melhor num ano de eleições, mas nunca antes houve uma falência fiscal do outro lado da eleição. A eleição é praticamente um negócio feito: é para Obama perder, em vez de Mitt Romney ganhar”.

Meu comentário: Sem dúvida, a escolha não é pré-determinada pelos eleitores, mas pelo nível de similaridade (ou melhor, de discrepância) entre a humanidade e a Natureza, o Criador. Porém, apesar desse entendimento, devemos nos comportar de acordo com a regra, “Se eu não fizer, quem fará por mim?”, e é por isso que temos de votar, é claro, em Romney, não importa o quanto sua vitória seja real, porque ele está mais próximo do método de correção do que Obama.

Comente