O Mundo Está Na Escuridão

Dr. Michael LaitmanNas notícias (do Rodon.org): “A decisão dos EUA de prosseguir com a terceira rodada de flexibilização quantitativa ameaça renovar a guerra cambial, com consequências dramáticas para o resto do mundo. O mercado de câmbio está em pânico. O mercado financeiro mundial espera guerras cambiais”.

“A zona euro é o elo fraco do sistema. Dificuldades sócio-políticas foram adicionadas aos problemas econômicos dos países da UE. Os gregos deram 70% do lucro, agora, o resto da Europa vai dar; os orçamentos dos países da UE sofrerão uma perda similar”.

“A economia dos EUA está muito doente; o setor privado está doente e precisa de ajuda. O FED corta taxas de juros para aumentar a liquidez do mercado, mas o setor privado não consegue responder por que tem problemas com a balança de pagamentos”.

“O dinheiro não vai ajudar a Europa. O mundo espera uma onda sem precedentes de crise. A Alemanha terá que levantar a questão de uma reforma radical da zona do euro, que deixará de existir em sua forma atual. Tendências de crise estão crescendo; uma crise sem precedentes vai eclodir no futuro próximo. Além disso, as medidas atuais só adiam o momento de sua ocorrência”.

“O ano de 2013: Adeus Europa; 2013 será o ano da tempestade para o mundo inteiro, quando as crises econômicas e geopolíticas vão convergir num único ponto. Depois de dois meses de calmaria, a crise voltou à economia global e se manifesta na falência do 3º trimestre”.

Meu comentário: Não há uma solução. Eu tenho repetido várias vezes: unidade e educação integral para as massas. O problema está na conexão egoísta dentro da humanidade, que é oposta à natureza altruísta. Os dois sistemas opostos causam a crise quando eles se aproximam. Com o crescimento do nosso egoísmo, sua globalidade e conexões crescentes, a crise vai nos sufocar mais. Ela poderia nos levar a uma terceira guerra mundial e talvez até uma quarta, até percebermos a necessidade de mudar as nossas relações de uma conexão de ódio para uma boa conexão, até o “Ama o teu próximo como a ti mesmo”. Não é mais fácil começar com a autoeducação?

Comente