Entrando No Mundo Das Emoções

Dr. Michael LaitmanPergunta: Devem os participantes do primeiro curso de educação integral saber sobre os limites distantes da evolução da consciência humana, sobre as novas relações mútuas ou sobre como as novas oportunidades são reveladas quando se deslocam na mesma direção?

Resposta: Eu não creio. Pra quê? No primeiro curso as pessoas aprendem sobre a história da evolução egoísta da humanidade, que o ego atingiu os seus limites e não há nada à frente. Ao que parece, a Natureza é integral, e a humanidade se tornou integral. Apenas os seres humanos não estão integralmente conectados entre si, e por isso sentem uma crise, um estado de vazio material tanto interno quanto externo. Então, nós temos que falar sobre a integralidade da natureza, que é um sistema fechado, sobre seus sistemas de prestação mútua, apoio mútuo, sobre o sistema analógico, etc. Devemos educar as pessoas sobre o que este sistema nos oferece.

Aqui nós os colocamos num workshop, no formato de mesa redonda ou simplesmente em círculo. Eles devem sentir que a força da união e conexão revelada entre nós cria algo que é totalmente novo, que lhes permite sentir, ousar, ser preenchidos, e o mais importante, entender e explorar o nosso mundo e tudo o mais diretamente através disso.

De repente, novas opções são reveladas, e eles começam a ver que há uma chance maior nisso, mas descobrem por si mesmos: “Por que precisamos disso?”. Então, isso não vai parecer improvável e inacreditável, ou mesmo místico e imaginário. O melhor é levá-los de forma consistente e com sabedoria para o ponto onde podem realmente sentir. Afinal, se uma pessoa é realmente apenas um órgão que quer satisfação, já que queremos simplesmente nos satisfazer, não importa com o que, então, de repente, começamos a sentir que há oportunidades aqui e não precisamos de mais nada.

Mais tarde, enquanto trabalha no grupo e ouve as palestras, a pessoa começa a entender onde ela está em seu estado atual. Então, é mais fácil para ela entender o seu estado anterior. Tudo que a humanidade passou torna-se muito simples, um curto período de desenvolvimento egoísta. Afinal, o que são 100, 200, 300 milhões de anos?

Da “Discussão sobre Formação Integral” 25/05/12

Comente