O Que Pode Substituir O Dinheiro?

Dr. Michael LaitmanPergunta: Os jornais dizem que o terrorista que cometeu um crime horrível na Noruega era viciado em jogos de computador cruéis e shows sobre assassinos em série. Por que as pessoas não entendem um conceito tão pequeno e trivial, de que a mídia moderna está criando esses assassinos e colocando pensamentos psicopatas em suas cabeças? Afinal, isto é tão claro….

Resposta: O mundo é governado por pessoas que sabem como ganhar dinheiro. São elas que governam os tribunais, os sistemas de educação e formação, e os governos. E elas não planejam “fechar a loja”, uma vez que ganham dinheiro. É rentável para elas criarem jornais sensacionalistas e sensações que enganem as pessoas, escrever sobre os terroristas e bisbilhotar as vítimas de atos terroristas a fim de ganhar dinheiro com elas. É rentável para elas produzir e vender o máximo possível de armamento para manter focos de guerras e hostilidades. E é rentável para elas publicar notícias de “edição especial” sobre tragédias e catástrofes.

Elas não se importam com nada. Cada uma quer ganhar o que é seu. Uma produz e vende armas, e outra organiza escutas e reúne materiais para que possa vender todos os tipos de informações, mesmo que seja chocante e inaceitável para a divulgação pública.

Por trás de todas essas ocorrências está o lucro de alguém. As pessoas que recebem esse lucro estão no controle dos meios de comunicação de massa, do governo e do comércio, e, como resultado, nosso mundo aparece da forma que está.

Afinal, há uma enorme quantidade de pessoas no mundo que pensam exclusivamente no dinheiro. Elas não sentem mais nada. A questão aqui não é o cinismo, porque um cínico percebe que há algo maior aqui, mas observa isso de cima. Uma pessoa que tira proveito não observa nada. Ela simplesmente não tem consciência disso. Sua faixa de percepção é muito estreita, ela está totalmente mergulhada em uma atividade e nada mais existe para ela.

Portanto, essas pessoas são muito poderosas. Isso porque, em essência, elas têm apenas um desejo. Se elas precisam da cooperação do governo para lucrar, elas se infiltram no governo. Se elas precisam de um exército, elas se infiltram no exército. Se elas precisam da polícia, elas se infiltram na polícia. Se elas precisam do jornal central para escrever o que querem, elas compram o jornal. Nos bastidores, tudo pertence a elas.

Portanto, é rentável para essas pessoas ter um ambiente com uma sensibilidade atualizada e os prazeres que são ditados a ele. Precisamente essas pessoas formam a opinião pública, direcionando-a para a crueldade, drogas, prostituição, terrorismo, e assim por diante. Não é que os governos sejam fracos em comparação com elas, mas é que eles agem em conjunto.

A questão em jogo é o dinheiro, e dinheiro é poder. Veremos quão fraco o dinheiro se provará agora. Mas o que irá substituí-lo? Deve haver uma moeda, um valor, ou uma medida da contribuição  e sucesso de uma pessoa. O que você pode dar às pessoas em vez de “dinheiro vivo”, pelo qual elas medem tudo? É o equivalente e o critério de quaisquer esforços.

Assim, verifica-se que nós precisarmos de “dinheiro espiritual” – a medida de doação, de proximidade com o Criador. Isto é o que nós usaremos para medir as nossas contribuições e a nossa renda, enquanto todas as coisas materiais serão reduzidas às necessidades básicas.

A fim de fazer essa transição, o mundo deve virar de cabeça para baixo. Para aqueles que hoje sustentam a roda e estão à frente da sociedade, a coisa mais importante é produzir produtos para lucrar. E eles terão que cair do seu Olimpo, ou tornar-se corrigidos e aceitar a nova “moeda” como seu pagamento.

Da 5ª parte da Lição Diária de Cabalá 25/07/11,Arvut

3 Comentários

  1. Quando vc trabalha para alguem ou vende algo é mensurável pela lei de mercado quanto se deve pagar. Mas no caso do dinheiro espiritual quais leis regiriam este mercado? Essa correção para mudar de mercado egoista para mercado espiritual é um pacote de correções no sistema financeiro atual? Acredito que seria bastante cabível se assim for.

  2. Para os mais pobres as leis de mercado deveriam pagar ele pelo trabalho que ele faz para deixar de ser pobre e o valor do pagamento seria calculado pelo desvio padrao em relacao ao esforço medio dos outros pobres. Isso faria com que naturalmente todos deixassem de ser pobre.

  3. É possível mudar um programa de poderosos estabelecido pra favorecer uma elite dominante da sociedade planetária que vem se consolidando a milênios? Só um poder superior ao d’êles poderia mudar esse paradigma perverso. Se existe, seria ótimo assistir e participar de um modelo espiritual de negócios onde a distribuição de renda se desse como a transformação e produção de energia nos ecossistemas naturais, por exemplo. Existem outros modelos? Gostaria de saber e aplicar em minha fragmentária vida…

Comente