O Livro Guia Para a Bondade

Estamos em uma realidade desconhecida, e até hoje, enquanto existimos neste mundo, ainda não entendemos exatamente onde estamos, por qual programa nos desenvolvemos, e qual objetivo estamos seguindo. Nós não entendemos nada em nossa vida, e somos protegidos pela ocultação, nos consideramos espertos e inteligentes, como se tivéssemos o conhecimento, a nossa própria opinião e o livre arbítrio.

Mas quando um golpe e sofrimento nos pega de supresa entendemos que somos incapazes de qualquer coisa, que nós não entendemos nada, e não temos qualquer chance de nos comportarmos de forma inteligente. Especialmente agora, durante um momento de crise, vemos que não temos qualquer chance de nos relacionar com a realidade de forma correta, que estamos diante de problemas e nem sequer temos a menor capacidade de compreendê-los. Mesmo se, às vezes, entendemos algo um milímetro antes do tempo, isso não nos permite mudar o nosso estado ou a nos comportarmos de forma diferente. Mesmo se decidirmos que nós realmente precisamos mudar e começar a nos comportar de maneira diferente, não temos forças para mudar o nosso comportamento. Então, qual é o uso de tais decisões, se não podemos mudar a nós mesmos, a influência de um ao outro, e todo o mundo?

Mesmo quando vemos que apenas infligimos danos e desgraças sobre nós mesmos, que estamos de fato nos encaminhando a morte, ainda não somos capazes de nos parar. Que insignificância, que ignomínia! Nós simplesmente concluímos nossas vidas dentro da nossa vontade de desfrutar, que nos mata completamente, se não recebermos a Torá, os meios para corrigir o desejo egoísta de modo que a partir do ponto mais baixo possível, um momento antes da morte, poderíamos começar a nos elevar ao topo, ao nível do Criador, a maior a qualidade oposta, a vontade de doar.

Isto significa que a “Torá” é mais importante do que qualquer coisa. Sem ela não há nenhuma chance de conseguir qualquer coisa. Não podemos nos desenvolver através do sofrimento. A influência do sofrimento só faz a vontade de ter prazer se desenvolver mais ainda. Problemas criam buscas de todos os tipos de meios para se livrar deles, e, no fim, leva-nos a morte, a fim de evitar o sofrimento. Quando o desejo sente um sofrimento insuportável, devido à sua oposição absoluta à Luz, ele está disposto a anular-se completamente, qualquer coisa, mas o sofrimento.

Então a Torá é o único meio que nos leva à vida, correção e existência. É por isso que não há caminho de sofrimento, não há caminho sem a Torá. A Torá tem que ser revelada à humanidade para que as pessoas sejam capazes de usá-la. E elas têm que revelá-la na forma correta – como a Luz que Reforma. Mas se elas não usarem corretamente a Torá, significa que não percebem isso, significa que estão seguindo o caminho do sofrimento. Se usá-la corretamente, em seguida, as pesosas seguem o caminho da Torá, o caminho da Luz. E se elas estão no meio entre um e outro, avançam pelo “caminho da terra.”

Assim, o artigo de Baal HaSulam, “A Revelação da Misericórdia (MatanTorá)” é muito importante, pois ela nos diz sobre como podemos receber a Torá. Há uma entrega da Torá, do alto, e há uma recepção da Torá, embaixo. Todo o sofrimento vem a nós porque nós não usamos a Torá corretamente, a Luz que Reforma, que nos traz de volta à fonte de bondade. Tudo depende de nossos esforços para tornar-mos bons. Portanto isso signifca que não temos falta de nada além disso. Então, vamos saber como receber a Torá e chegar a bondade!

Da 4a. parte da Lição Diária de 19/6/2011,”MatanTorá (A Entrega da Torá)

Comente