Página Diária 20.12.09

Páginas Diárias é uma coleção de extratos das aulas diárias do Rav Michael Laitman e Bnei Baruch traduzidas para o Português.

ANSEIO PELA SANTIDADE NA ESCURIDÃO

Quando eu leio O Livro do Zohar, eu preciso sentir que ele está falando sobre mim. Ele me fala de um jeito diferente e estranho sobre o que está ocorrendo dentro de mim, e somente dentro de mim. Eu tenho figado, pulmões, rins, baço, sistema digestivo, etc., e além desse sistema, dentro de mim, existe também o sentimento, e esse livro está falando somente sobre esse sentimento. Dentro desse sentimento existe desejos diferentes, qualidades, pensamentos, todos os tipos de impulsos. Eu devo me perguntar: Com exceção da carne que está dentro de mim, quem é a pessoa dentro de mim? E eu pego essa especie de faca, abro-me totalmente, e olho dentro.

E o que eu vejo? O que exatamente os autores do Zohar descrevem para nós. Vocês devem se esforçar para ver e identificar isso. Dentro dessa “pessoa” dentro de mim existem qualidades chamadas Esaú e Jacó, boi e asno, pássaros e árvores, Adam Ha Rishon, e a Arca de Noé. “Árvore”, significa um desejo único em mim, uma qualidade especial. A Arca é uma qualidade única na qual eu posso me ocultar, que pode me proteger.

Eu devo começar a trabalhar com nisso. O que eu ganho com isto? A verdade é que isto não vai lhes trazer nada. Ao se esforçar em identificar essas coisas, uma força chamada “A Luz que Reforma” vem até você, e é por ela que devemos ansiar. Digamos que você deixa a aula e diz a si mesmo: ‘Eu consegui! Eu senti que hoje eu entendi quem é Jacó, quem é Esaú, quem é Israel, etc”. E daí? Isso não significa nada. Na próxima vez você vai embora e dirá a si mesmo: “Eu não entendi nada, eu não consegui me concentrar, tudo está árido. Eu consegui me esforçar por alguns minutos durante toda a lição”. Precisamente esses poucos minutos é que serão o seu ganho.

Isto é o “ocultamento”. Somente aquele que investe, e respeita esses momentos, a sensação de dissabor, a falta de clareza, e deseja avançar sobre isso em direção à “doação” somente através desses ganhos.

Eu estou dizendo a vocês por experiencia própria ─ às vezes é necessário estudar o Zohar por duas ou três horas, sem se levantar, até quebrar essa não falta de receptividade, e entrar num estado em que você começa a trabalhar com essas forças.

Mas as correções que vocês fazem durante essas duas ou três horas, é a coisa mais importante. Não foi em vão que o Baal HaSulam escreve na “Introdução ao Talmud Eser Sefirot” (Introdução aos Estudo das Dez Sefirot), que exatamente nesses estados de ocultamento, estão os estados em que você pode trabalhar duro, e demonstrar que realmente deseja se aproximar da Divindade. Não há duvida que isso é completamente oposto a tudo que estamos acostumados neste mundo, onde julgamos tudo de acordo com nossos sentimentos egoístas.

Portanto, aquele que trabalha na escuridão, e sente que isso não faz sentido, precisa perceber que esses estados são muito benéficos para o avanço em direção à doação, de tal modo que com o tempo ele não desejará outro estado, mas sim entenderá que esse esforço grandioso é a recompensa. Estes momentos são dados para que você trabalhe arduamente sem receber nada que desperte o ego, suas tendências maldosas, o orgulho, o entendimento, a mente, e o sentimento ─ entretanto, você tem a opção de insistir um pouco e fazer grandes esforços ─ esses são os melhores estados. A capacidade de alcançar esse ponto de contato com a santidade na escuridão é uma recompensa. Em tais estados fica claro que você não será prejudicado pelo seu desejo de receber.

Portanto, nós devemos estar felizes nos estados que não têm sentido. Através deles a pessoa cresce. É óbvio que aqui o apoio do grupo é muito importante, a impressão e todo o entusiasmo, que inclui todos os nossos amigos ao redor do mundo. Quando você não recebe o apoio do Criador (mesmo que isso venha Dele), você pode ansiar pelo apoio do grupo ─ e essa é a melhor coisa. Aqui há espaço para a prece de muitos, para o esforço verdadeiro e correto.

COMO COMPREENDER O LIVRO DO ZOHAR

O sucesso no estudo do Livro do Zohar não depende da capacidade mental da pessoa em organizar tudo que ele descreve. Por exemplo, um dia você pode sair da lição muito contente em relação a tudo que sentiu e entendeu, e feliz por ter entendido o que está por trás dos nomes e palavras nesse livro. Mas, no dia seguinte, você sai da aula desapontado, pensando, “Eu não entendi nada! O material estava tão tedioso que eu nem consegui me concentrar. Eu me concentrei apenas por alguns minutos, dentro de uma hora e meia de aula.”

A verdade é que você não é capaz de avaliar a situação corretamente; o seu maior ganho veio exatamente daqueles poucos minutos que você foi capaz de se esforçar. Nós não sabemos nada sobre o Mundo Superior ou sobre nós mesmos, ou as condições para revelar isso. Tudo isso está oculto. Mesmo assim, se a pessoa dá tudo de si e se esforça, então, precisamente quando ela está nesse estado de não se sentir satisfeita ou interessada no estudo, quando nada “brilha” para ela, ainda sim ela deseja provar que quer alcançar o desejo de doar – esse é o melhor momento e o melhor estado.

Eu posso lhe dizer por experiencia própria que isso geralmente me consome muitas horas de trabalho nos textos do Zohar, até que eu começo a atravessar a barreira que me separa dele. Porém, sentir que aquela parede impenetrável entre nós começa a se dissolver é a maior alegria do mundo….

As correções feitas durante aquelas horas de “entorpecimento” são os esforços mais importantes que você pode fazer em seu caminho ao Criador! É precisamente em resposta a esses esforços que a Luz Superior vem até você, em vez de todas as outras coisas que vêm facilmente. Assim, esse trabalho duro, é o melhor estado possível.

Comente