Textos com a Tag 'união'

A Força Para Manter A União

Dr. Michael LaitmanPergunta: O que é uma “união” (Brit) no trabalho espiritual? Como ela deveria ser, na direção de que esforços?

Resposta: A forja da união é a conexão e o acordo entre nós, de que vamos manter constantemente a unidade que temos alcançado e aplicar esforços conjuntos a fim de não perturbar a união.

De onde é que podemos extrair a força para apoiar isso? Somente de cima, e não de qualquer lugar ou de qualquer outra pessoa.

Você pode ouvir músicas Cabalísticas e ler livros de Cabalá, mas isso não vai ajudar. No entanto, o Criador vai carregar seu coração de tal forma que as aulas, reuniões e encontros vão ajudar; nada ajudará além de se dirigir ao Criador através de tudo isso.

A sobrecarga do coração acontece devido à adição do egoísmo, e agora você deve trazer a Luz a ele. Em seguida, este se tornará o seu próximo grau.

A Luz não está nem em você, nem naqueles que o cercam. Você só será capaz de extraí-la a si mesmo através do ambiente e, assim, subir. A sobrecarga do coração é dada para isto. Esta é uma condição da subida.

A partir deste momento, você precisa aceitar isso como uma lei: a linha de esquerda é um peso (carga) constante que afeta os sentimentos, coração, emoções, memória, e várias circunstâncias externas, que começa a piscar diante de seus olhos, quebrando em você.

Você precisa se ​​controlar o tempo todo, porque isso é o Criador que apresenta tudo para você, para que você peça que Ele lhe dê a força para superar Seus truques, como está escrito: “Venha ao Faraó, porque Eu endureci o seu coração”. Se nós temos um problema, este é Faraó (nosso egoísmo mútuo), e para lutar contra ele, nós precisamos do Criador.

Da Convenção em Novosibirsk 09/12/12, Lição 6

125 Velocidades De Transmissão

CongressHoje nós queremos criar uma união ainda maior entre nós. O período de preparação, que durou alguns anos, acabou. No passado nós não levaríamos esse desafio a sério. Hoje as condições externas do mundo, as condições internas em Israel, as condições internas no grupo e as condições internas em todos são, de certa forma, adequadas para “mudar para uma velocidade mais alta”. Chegou a hora.

Pergunta: Nós já começamos esta aceleração?

Resposta: Algumas pessoas ainda estão em “ponto morto”, enquanto outras estão avançando conosco. Cada um determina com que velocidade avança por si mesmo.

Pergunta: Pode uma pessoa medi-la?

Resposta: Ela não pode medi-la; no entanto, tudo está em suas mãos. Quanto ela está unida com o grupo, com o professor, com nossas ações comuns? Algumas pessoas ainda estão dormindo, enquanto outras colocam todos os seus esforços para entrar no processo, e no dia a dia sentem os “extras”. Tudo depende do grau de concordância com este processo contra o desejo da pessoa. Assim, não olhe para as brechas dentro de si mesmo, mas em vez disso, você deve agir.

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá 10/10/2012 – Talmud Eser Sefirot

A Necessidade De Unir

Dr. Michael LaitmanPergunta: Digamos que uma mulher, cujo marido ausente ainda esteja numa “farra”, conseguiu subir ao nível integral com a ajuda do grupo. Será que o seu problema será resolvido por si mesmo ou ela apenas o considerará a partir de uma perspectiva diferente?

Resposta: Você deve entender que o mundo é a forma como nós o atraímos em nossas mentes. Não podemos determinar objetivamente o que, de fato, é real e o que está realmente acontecendo. Tudo é subjetivo. Tudo se resume em como sentimos e imaginamos.

Assim que a mulher começa a entender que seu marido precisa de mais interação social e que ela está disposta e é capaz de lhe dar uma reposição de um nível mais elevado e melhor, seus problemas familiares, sociais e econômicos, deixarão de existir. Ele vai parar de torrar dinheiro com seus amigos num pub ou num estádio de futebol, já que vai ter uma nova atitude de alegria para com o mundo em que vive e sua família.

Mas nós temos que satisfazê-lo de alguma forma. Nós temos que mostrar o que temos a oferecer, ou seja, uma reposição.

Há décadas os governos mundiais vêm investindo em esportes coletivos, já que um enorme número de fãs se une em torno deles. Isso os distrai e dá uma chance de unir, de acordo com a sua afiliação, com várias equipas desportivas. Essa unidade tem uma natureza egoísta, uma vez que precisa de um oponente para se unir. Os governos percebem que devem distrair as pessoas, proporcionando-lhes uma válvula de escape e deixando-os sentir o calor de pertencer a vários grupos, clubes, etc.

No entanto, nós devemos gradualmente mostrar às pessoas que a conexão em torno de alguma coisa que é contra algo ou alguém é falha, destrói a sociedade. Nós vemos que não há espaço para amizade no esporte. A concorrência só leva a drogas, vendas e compra de jogadores. Não há nada, exceto astúcia financeira, “Dê-me outro par de bilhões, e eu vou fazer uma equipe para você que vai derrotar todos lá fora”. Esse cenário realmente não pode servir como base para aqueles que aspiram à unidade. Quem exatamente eu estou apoiando? Será que um casal de africanos ou sul-americanos comprados por dinheiro e trazidos para a minha equipe favorita devem defender minha cidade ou do meu país?

Os mesmos egoístas não querem olhar para tudo isso porque realmente não é o que eles querem ver em suas paixões.

Nós podemos elevar o nível de consciência das pessoas para onde elas não tolerarão tal atitude no esporte. Quando nos tornamos membro de um clube, a fim de nos unir com os outros, nós geramos um tipo sórdido de conexão. Nós vencemos nossos próximos, a fim de satisfazer de alguma forma a nossa adormecida mentalidade de rebanho que vem de tempos antigos, em vez de uma que nos leva à frente.

Portanto, deve haver uma explicação séria. Nós somos capazes de fornecer essa explicação com humor e sátira, mostrando como isso é construído, do futebol e cerveja a quaisquer grupos ou clubes desportivos, não importa se é uma equipe local ou nacional, da natureza primordial e subdesenvolvida do homem, de sua necessidade de se unir. Então, pouco a pouco, nós podemos levá-lo a outro nível.

Da Discussão sobre Formação Integral 01/03/12

Dissolver-se Na Taça Da União

Dr. Michael LaitmanDurante o workshop, imagine que você está na sua alma e que as 10 pessoas sentadas com você num círculo não são apenas pessoas, mas a conexão que cria o vaso de sua alma. Nós descobrimos essa conexão entre nós à medida que recebemos a matéria, o desejo, o vaso geral coletivo, onde a Luz é revelada.

O desejo e a Luz, em conjunto, nos dão a sensação do nível espiritual onde vamos sentir uma força especial que constrói e sustenta esse nível, o que significa o Criador, e que inclui todos os desejos e Luzes. Nós temos que imaginar tudo isso durante o workshop.

A alma é a nossa doação mútua. Você está sentado num círculo de 10 pessoas e tem que imaginar uma rede de doação mútua que conecta a todos. Cada um sente que se anula nela e que é incorporado no desejo geral. Não há eu, você, ou aquele que doa aos outros; todos doam a todos. Na medida em que cada um desaparece totalmente, e em vez de dez pessoas e o campo entre elas, há apenas o campo de conexão que permanece e as pessoas parecem desaparecer.

Este campo é chamado de “vaso” espiritual, a nossa atitude, o desejo de doar ao outro. Consequentemente, a Luz se veste neste desejo de doação mútua.

Este desejo de doação mútua é chamado de “alma”, e a Luz que o preenche é chamada de “Luz da alma”, sua vida, sua vitalidade, NRNHY. Não há outra realidade! É nesta realidade que você entra mais profundamente a cada vez e começa a sentir que este é o lugar onde toda a humanidade, todas as forças e todos os relacionamentos estão. Este é o lugar onde você descobre o Criador.

Você se torna ilimitado, porque antes você se anulou e entrou no campo que o conecta. Com isso você elimina todos os limites: não é por absorver uma quantidade ilimitada, mas por ser incorporado ilimitadamente nos outros, como se se perdesse neles.

Graças a isso você começa a sentir o vaso todo. Isso é chamado de desejo de doar, que realmente remodela você e lhe dá uma forma ilimitada.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 24/08/12, Escritos do Rabash

União Dentro do Uno

Dr. Michael LaitmanComentário: A primeira lição da Convenção da Carcóvia é chamada de “União Dentro do Uno”, isto é, uma lição sobre a felicidade da união, sobre o grupo que está unido por um objetivo, para se tornar semelhante ao Criador, sobre como podemos sentir isto agora e estar confiantes de que seremos bem sucedidos.

Resposta: O problema é que começamos a sentir todos nós existindo juntos numa única esfera externa da natureza. Essa esfera é chamada de Criador ou Natureza. Ela envolve a todos nós, e nós estamos sob suas leis.

Portanto, no final, se chegarmos a equivalência com esta esfera através de nossas qualidades vamos revelar nossa unidade, nossa união. Depois, será a união dentro do Uno.

Da Lição Virtual 12/08/12

O Workshop Deve Acender a Centelha Da Vida

Estamos todos conectados/ligados, pois não se pode ser impressionado sem os outros. Suponha que eu não ainda tenho duas Sefirot para completar as dez Sefirot, e estou totalmente fechado, sentindo absoluta escuridão. Se eu adicionar os atributos que eu preciso, tudo é, de repente, revelado e iluminado.

É suficiente incluir um item que está ausente no sistema para que comece imediatamente a operar, embora seja um de um milhar de itens idênticos. Se a impressão colectiva atingir o nível de ligação necessário, esta determina o nosso próximo nível, um novo mais elevado.

Num ponto muito elevado, um grande número de desejos deve ligar em maior mutualidade, numa grande impressão colectiva através da Luz. De que é feita essa impressão coletiva? Eles estão impressionados com a ligação entre eles, pela unidade e os benefícios que recebem dessa cooperação mútua. Todos dão a vida aos outros: a luz de Ruach.

Nenhum de nós tem essa luz, ela é criada como um resultado de nossa conexão. É o Criador (Boreh) que nós revelamos, é por isso que Lhe chamamos de “vem e vê” (“Bo-reh”).

A vida é criada pela ligação de células mortas. Se elas se conectam corretamente, de repente ganham vida. Há uma certa força a partir do interior que impele à vida, mas em si é invisível. Nós descobrimos essa força superior apenas se nós “viermos e vermos” o Criador entre nós.

Espero que durante os workshops comecem a descobrir esta impressão interior na ligação entre vocês. As palavras por si só têm pouco sentido, a chave está na ação da Luz que Reforma. A história por si só inspira para nos conectarmos, para pesquisarmos, não mais do que isso.

Queremos atingir a impressão pela conexão. Esta emoção é chamada Luz que irá fluir entre nós, nesta conexão correta, num círculo. Então este círculo vai se transformar num mecanismo que gera Luz, vida!

 

Nós, sendo assim tão diferentes uns dos outros, ligamo-nos num sistema, tal como um sistema eléctrico com um cabo, uma resistência, um íman, e uma bateria que gera a tensão em circuito. Se todas as partes não se conectarem umas com as outras, o sistema não funciona. Quando essa cadeia está ligada corretamente, começa a gerar a força da vida nela. Começamos a descobrir que existe vida: a Luz da NRNHY!

A Luz geral NRNHY é o Criador, “vem e vê”, a Sefira superior, Keter. Quando alcançamos vida, alcançamos a sua fonte, o elemento da vida chamado o Criador. Ele é revelado no sistema através da conexão correta entre nós.

Isto é o que eu espero dos Workshops e vamos conseguindo chegar lá gradualmente. Enquanto isso, tendemos a discutir diferentes coisas teóricas. Mas com a ajuda das passagens que eu leio, eu quero trazê-los para a impressão emocional. Às vezes peço uma questão teórica, mas em qualquer dos casos, espero que vocês se conectem. Este é o único resultado do workshop – até que ponto conseguimos nos conectar através do processo pelo qual passamos.

[84429]

A partir da 3 ª parte da Lição Diária da Cabala 7/30/12, TES

Os Mandamentos São Os Degraus Da União

Dr. Michael LaitmanPergunta: Qual é o significado da exigência indicada nos livros para acostumar-se a cumprir a Torá e Mitsvot (mandamentos), que em última análise vai nos ajudar a obter uma segunda natureza — o amor ao próximo?

Resposta: As ações de correção que eu quero implementar são chamadas de mandamentos. Em primeiro lugar, eu devo revelar dentro de mim o que preciso corrigir, como está escrito, “é impossível implementar um mandamento se, em primeiro lugar, a pessoa não o violou”, ou seja, que primeiro nós revelamos a falta, a inclinação ao mal dentro de nós, e depois vemos o que precisamos corrigir.

A correção do desejo de desfrutar em prol da doação é chamada de implementação do mandamento, porque este é o preceito do Criador. Mas realizar isto é possível por meio da Luz, a força que é chamada de Torá.

Ou seja, me foram dadas todas as condições para a revelação do meu princípio egoísta, trabalhando com os amigos e esclarecendo a minha relação com eles. E quando eu estou revelando meu ego, eu entendo o que precisa ser corrigido, já que este é o verdadeiro mal, porque ele me separa da força superior, do Criador.

Então eu uso a força do grupo. Se nós temos o desejo de nos unir para receber a força de correção, a Torá, então nós a recebemos desde cima e ela nos une. As etapas da nossa união são chamadas de mandamentos, que foram implementados. Isto é, eu estou implementando essas sucessivas partes dos preceitos do Criador, Sua vontade em relação a mim, e, no fim, chego ao fato de que meu desejo de desfrutar torna-se uma doação, e, de acordo com a equivalência das qualidades, a força de doação, o Criador, é revelado dentro dela. Tudo isso é realizado no local onde me encontro nesta terra e não em algum lugar nos céus como nos parece.

Da 1a parte da Lição Diária de Cabalá 01/07/12, “Matan Torah (A Entrega da Torá)”

O Objetivo: A União Integral!

Dr. Michael LaitmanPergunta: No que devemos nos concentrar agora? Onde devemos dirigir nossos esforços? Quero dizer, na divulgação ou no trabalho em grupo.

Resposta: No trabalho de grupo. Nós devemos dirigir nossos esforços para os workshops aos domingos.

Nos outros dias, deve haver pelo menos algumas classes. Eu vejo que há grupos que estudam seriamente. A lição, em geral, é organizada e dirigida para a união. De forma prática, todo o material do curso fala sobre isso. Mesmo no Estudo das Dez Sefirot, ele está falando sobre a unidade, sobre a conexão de almas entre si. Tudo o que é descrito lá é apenas sobre a conexão das almas num único sistema.

Além disso, nós começamos a criar cursos para formação de conferencistas do movimento “Garantia Mútua”, isto é, professores para os 99%. Eles se tornarão líderes e organizadores de workshops, mesas redondas, etc. Hoje, já há cerca de 300 pessoas prontas, e novas pessoas estão sendo adicionadas. Uma nova onda está chegando.

Em nosso país [Israel], nós chegamos a um ponto onde somos convidados como palestrantes e consultores permanentes de educação em escolas, locais de trabalho, prefeituras, e outros lugares.

Eu acho que dentro de poucos meses, vamos chegar a um ponto onde os especialistas, preparados por nós, serão capazes de começar a trabalhar em várias organizações. De qualquer forma, nós estamos nos aproximando de um estado tal quando nenhuma empresa pode funcionar se não for reestruturada internamente e as pessoas não estiverem conectadas corretamente entre si numa pequena comunidade integral. Nada vai funcionar sem isso!

De “Perguntas Sobre os Workshops” 27/05/12

Todos Juntos

Dr. Michael LaitmanPergunta: Com que idade uma criança pode participar de um workshop, juntamente com os adultos? Vale a pena criar círculos separados para as crianças?

Resposta: Homens, mulheres e crianças podem se sentar juntos num só espaço, mas cada um num círculo separado. As crianças não precisam fazer barulho e incomodar os outros. Vale a pena ter um instrutor com elas. E não importa se você discute as questões do workshop com as crianças ou os adultos. O instrutor não vai perder nada se ficar entre as crianças. Claro, os meninos e meninas precisam se sentar em círculos separados.

Com relação à idade, eu acho que isso depende da preparação da criança. Nós podemos colocar nossos filhos num círculo de discussão com a idade de 12 anos e talvez mais cedo com os instrutores. E dos 12 anos em diante, é possível já sentá-los sem um instrutor.

É desejável que os meninos estejam no mesmo espaço que os homens, vejam como a discussão avança e imitem os adultos. Para as mulheres, assim como os homens, serve o mesmo. Deve haver líderes de discussão para os círculos e instrutores para as meninas.

Da Lição Virtual 20/05/12, “Fundamentos da Cabalá”

Nem Um Minuto Sem União!

Dr. Michael LaitmanPergunta: Quanto tempo deve durar um workshop, porque chega um momento em que não há mais força.

Resposta: No último workshop, eu só senti o grupo central aquecido e próximo de um movimento geral de um princípio de trabalho em união após 50 minutos. Esta é a falta de preparação e da esperança de que eu vou criar alguma coisa.

Eu não consigo criar nada. Eu só sugiro um tema, cutuco e sintonizo todos como um instrumento musical, mas vocês têm que tocá-lo. No entanto, vocês não conseguem se ativar rapidamente e começar a jogar.

Para fazer isso, é necessário desconectar-se de si mesmo, unir-se, imaginar todos compactados num espaço apertado, e depois andar um pouco afastado, preencher o espaço vazio com amor, de modo a permanecer totalmente unidos e iniciar a discussão através desta união.

Aqui, não havia nenhuma união, nenhuma preparação para o workshop antes do início da discussão, embora nós tenhamos falado sobre isso há pouco tempo. No entanto, todos saíram para o intervalo, e o intervalo apagou tudo. Em geral, o público não estava pronto!

As pessoas devem ir para o workshop como para um evento especial. Elas devem entender como se preparar para ele e como ser incluídas nele. Elas têm que se preocupar a cada minuto, se ele está ocorrendo sem a união pela qual elas discutem e começam a sentir o que falam.

Da Lição Virtual 27/05/12, “Fundamentos da Cabalá”