Textos com a Tag 'Malchut'

Sinta A Diferença Entre Malchut E Bina

laitman_962.4O problema é alcançar o discernimento correto. Afinal, quem sabe o quanto sou objetivo? É dito que, “pois, um suborno cega os olhos dos sábios”, e não sei como isso me afetaria, se minha opinião é influenciada ou não. Inicialmente, tentamos avaliar as coisas por outros padrões, como quando comparamos nossos filhos com os dos outros ou nossas qualidades com as dos outros.

O egoísmo opera em todos os níveis, e é por isso que é tão difícil discernir a verdade e revelar objetivamente as falhas em si mesmo. Portanto, devemos pedir a habilidade de ver as coisas da forma mais objetiva possível, a fim de observar e avaliar não a partir de nossa própria perspectiva, não de Malchut, mas da altura de Bina. Na medida em que uma pessoa recebe uma porção da Luz, ela adquire a habilidade de distinguir sua própria opinião da opinião da Luz superior. Só então ela pode se tornar um verdadeiro especialista.

Mesmo se eu tento orar pela sociedade e não para mim mesmo, devo exigir a habilidade de permanecer um juiz objetivo de cima para que o Criador brilhe através de mim. Se não, minha opinião certamente permaneceria egoísta. Para que a oração seja sincera, tenho que me elevar acima do meu desejo de desfrutar, ver tudo a partir do grau de Bina e comparar isso com o que vi a partir do grau de Malchut. A revelação da diferença entre esses dois graus é chamada de “reconhecimento do mal”.

Se não tenho os dois graus, Bina e Malchut, e não sinto a diferença entre eles, eu não tenho o reconhecimento do mal. Eu não sei onde estou e possivelmente continuo vagando dentro do meu egoísmo. 1

Em breve, a experiência no trabalho espiritual, o trabalho do Criador, se tornará a profissão mais popular do mundo. É para isso que estamos nos preparando, e todo esse trabalho consiste em construir uma rede de conexões entre nós. Estamos prontos para dizer qualquer coisa com palavras, mas não temos poder sobre nossos corações, o que nos leva ao reconhecimento do mal.

Portanto, devemos nos esforçar como se o coração já tivesse sido corrigido, e o Criador terminará este trabalho para nós e corrigirá nossos corações. Nós só precisamos criar o lugar onde ele possa trabalhar. Se completarmos nossos preparativos, o Criador cumprirá a Sua parte final do negócio.

Somos obrigados a fazer tudo o que pudermos, em toda a medida, “até que a taça transborde”. No momento em que a taça transbordar com nossos esforços, o Criador irá interferir e terminar o trabalho: Ele mudará nossa natureza.2

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 14/11/18, Lição sobre o Tópico “A Garantia Mútua”
1 minuto 20:02
2 minuto 46:01

Entre Keter E Malchut

laitman_233Pergunta: Por que cada uma das primeiras nove Sefirot tem seu próprio nome, como por exemplo: Keter, Hochma, Bina, etc.?

Resposta: É assim que a Luz Superior é revelada. Keter é a característica de doação absoluta. Malchut é a característica de recepção absoluta.

A característica de Malchut é criada a partir da característica de Keter. Uma vez que a característica de Keter quer doar e dar tudo, suas características de doação passam de cima para baixo através de todos os tipos de emanações até darem origem ao desejo de receber e, portanto, Malchut quer receber tudo o que Keter quer doar e dar. Tudo o que Keter quer dar é expresso, revelado e implementado nas oito Sefirot entre Keter e Malchut.

As Sefirot Hochma, Bina, Hesed, Gevura, Tiferet, Netzah, HodYesod são características que conectam Keter à Malchut.

Uma vez que elas recebem influência da característica de Keter que desce por meio de todas esses Sefirot, a característica de Malchut começa a sentir sua existência e o desejo de Keter de lhe doar e dar. Como resultado, um estado chamado vergonha é descoberto em Malchut.

Sentir a diferença e a separação entre quem doa e o receptor é tão grande que Malchut deixa de receber de Keter. Este estado é chamado de Tzimtzum (Restrição).

Este é um estado que é inclusive descoberto em pessoas que se desenvolveram normalmente em nosso mundo.

Da Lição de Cabalá em Russo 17/03/17

O Potencial Do Nosso Cérebro

Pergunta: Dizem que nós usamos somente 2% do potencial do cérebro. Por que nos foram dados os outros 98%?

Resposta: Na minha opinião, mesmo isso é demais para o nosso mundo. Nós absolutamente não usamos o nosso cérebro e, sobretudo, a nossa consciência, porque não está dentro da cabeça, mas em torno de nós.

Minha consciência está incluída na alma comum, naquele grande desejo, Malchut, do mundo do Infinito, em que eu entro com meu ponto no coração, e esse desejo é todo meu. Reunindo todos os desejos na forma correta leva-me à consciência correta, para entender como este mecanismo enorme todo é lançado, e eu existo nele.

I devo ter vastos recursos, a fim de controlar todo o universo espiritual. Portanto, 98% do cérebro é o nosso potencial para o futuro.

[206990]

Da Lição de Cabalá em russo 15/1/17

Material relacionado:

Consciência: Além Do Tempo E Espaço
O Cérebro Como Coordenador Supremo
Eu Posso Usar 100% Do Meu Cérebro?

Raízes Espirituais De Objetos Corpóreos

Pergunta: Qual é a raiz espiritual de um objeto em nosso mundo? O oceano tem uma raiz espiritual? Onde está e o que é um oceano?

Resposta: No mundo espiritual, não há nenhuma questão de “onde?” O oceano é. Trata-se de certos atributos, muitas forças que estão interligadas.

A água simboliza o atributo de doação (Biná), em que diferentes animais (Malchut) aparecem. Isto significa que Malchut sobe para Biná e a cooperação mútua entre eles traz vida, obrigando Biná a transformar-se em Keter e receber Luz.

A luz espalha-se em Biná e executa certas ações nela, e, assim, a vida marinha é criada nos mares, em rios, etc. Tudo decorre de Biná e então gradualmente desce para Malchut, o que significa que todas as criaturas gradualmente saem da água, e na terra começam a multiplicarem-se, a espalharem-se, e a viverem nela.

Nós aprendemos sobre a cooperação mútua entre Biná e Malchut, como Tzimtzum Bet (segunda restrição).

A cooperação mútua das forças cria essa imagem do nosso mundo até que a pessoa chega a realização espiritual e, em seguida, olha para o mundo e vê quais forças estão por trás dos objetos terrestres, como elas gerenciam o mundo, e como certos atributos espirituais afetam as raízes superiores.

Pergunta: Por que existem montanhas, planícies e vales em nosso mundo? Qual é a sua raiz espiritual?

Resposta: De acordo com a sabedoria da Cabalá tudo decorre dos atributos de duas forças: Malchut e Biná ou a Luz de Hochma e a Luz de Hassadim, os atributos de recepção e doação. Os estados mútuos que são criados entre eles refletem e têm tais implicações sobre o nosso mundo.

Não há necessidade de qualquer outra coisa, apenas essas duas forças. Juntos, os atributos de doação e recebimento criam toda a variedade de atributos, os tipos de caracteres e os objetos em todos os níveis da natureza: inanimado, vegetal, animal e falante.

Não há nada na natureza, apenas essas duas forças opostas: um elétron e um pósitron, um mais e um menos.

[199992]

Da Lição de Cabalá em russo 14/8/16

Material relacionado:
Tudo Deriva Das Raízes Espirituais

O Mar Morto É A Personificação de Malchut

Malchut E Bina, Água Salgada E Água Doce

laitman_740_01Pergunta: Qual é a raiz espiritual dos recursos de água doce, como lagos e reservatórios de água, e como eles diferem da raiz espiritual da água salgada?

Resposta: O sal representa Malchut e a água representa Bina. A conexão entre Malchut e Bina, ou seja, a ascensão de Malchut a Bina ou a descida de Bina a Malchut, gera vida. Essa é a diferença entre a nossa vida e a vida superior.

A água salgada é Bina que recebeu os atributos especiais de Malchut. Há uma quantidade maior de água salgada na superfície da terra e muito pouca água doce. A maior parte da água doce é água dessalinizada que passa por filtros e é evaporada, etc. Existem também muitos sistemas diferentes que equilibram o atributo de Bina e o atributo de Malchut.

Comentário: Na geografia de Israel, há o lago de água doce, o Kineret (Mar da Galileia), e o Mar Morto de água salgada.

Resposta: Os dois lagos são totalmente opostos. O Kineret é alimentado por água que desce de cima, do Monte Hermon, do derretimento da neve e da água da chuva.

O Mar Morto é o ponto mais baixo do mundo, uma depressão no chão completamente coberta de sal. O mar eleva o sal na terra e mesmo a água doce que vem do mar da Galileia torna-se salgada. A fonte de água salgada no Mar Morto é diferente da fonte que preenche os mares e os oceanos. Essa é uma física muito especial dessa localização geográfica particular.

Da Lição de Cabalá em Russo 14/8/16

A Vela De Hanukkah, Um Símbolo Da Luz

Pergunta: Por que queimar velas é o símbolo de Hanukkah? Nós também acendemos velas em outros feriados, e acender velas é basicamente parte de muitas culturas.

Resposta: Uma vela é um símbolo da luz, um símbolo da força física e espiritual que nos enche e nos ajuda a sentir que estamos além dos limites deste mundo, no espaço ilimitado.

Esquecemos o nosso corpo e não sentimos que ele nos limita, é comose nós estivessemos flutuando no ar.

Pergunta: Por que é um costume adicionar uma vela cada dia de Hanukkah de modo que haja, em última análise, oito velas?

Resposta: Eu recebo uma nova Sefira a cada dia que passa, um novo nível espiritual de Malchut a Biná. Hanukkah não é o fim do nosso desenvolvimento ainda, mas apenas parte dele. Esta é a razão porque é chamado de “Hanukkah”, decorrente das palavras hebraicas “estacionar” e “aqui”.

É assim que atingimos parte do mundo espiritual, uma parte relativamente pequena disto, livre da interferência dos “gregos” dentro de nós e interligados. Então, há outra parte da correção de Hanukkah para Purim. Em Purim, alcançamos o fim completo da correção e ganhamos o controle de todo o mundo. [Leia mais →]

O Trovejante Vazio Da Malchut

O Zohar, “A Noite Da Noiva”, item 126: então aqueles que temiam o Criador falaram uns aos outros, e o Criador prestou atenção e ouviu, e um Livro Da Lembrança foi gravado diante d’Ele para aqueles que temem o Criador e honram o seu nome. “Estes serão os escolhidos para mim no dia em que Eu determinar…” (Malaquias, 03:16 – 03:17).

… O fato é que, no final de correção, quando o grande geral Zivug do Atik manifestar, grande Luz será revelada em todos os mundos, e nesta Luz todos voltarão ao Criador no amor absoluto.

Depois de todas as correções, a grande operação deve ocorrer que completa todas as ações particulares, tanto em quantidade como em tempo, que conectam tudo para a geral adesão com o Criador?

Questão: Quem são aqueles que “temem o Criador”?

Resposta: Aqueles que temem o Criador são as partes do desejo que passam por correções. Cada camada dentro do desejo de receber, incluindo o inanimado, o vegetal, o animal, e o falante, funciona de acordo com as suas leis e é encontrada dentro de um sistema de forças particulares.

O nível do falante deve estar ciente do poder mais alto que gere e anima tudo. O trabalho de uma pessoa é a aquisição de um desejo de quem o conduz, tomar consciência do Mestre, o que significa saber quem é que está fazendo tudo isso e como ele está fazendo isso. Como está escrito: “… porque todos me conhecerão, desde o menor deles até o maior deles …” (Jeremias 31:33). [Leia mais →]

Efeitos Das Raízes Superiores

O Livro do Zohar diz que há uma regra geral: semelhante as dez Sefirot superiores de fé, há dez Sefirot abaixo de “feitiçaria suja”. Todos os animais da face da terra pertencem a qualquer uma destas duas partes.

As Escrituras nos permitem consumir animais que pertencem a dez Sefirot de santidade e proíbe comer os animais que fazem parte das dez Sefirot de iniqüidade.

Naturalmente, nós não estamos falando de bruxaria neste mundo, desde que tudo o que é considerado bruxaria aqui é apenas um impacto psicológico sobre as pessoas e nada mais que isso. A proibição de consumir certos tipos de animais provém das raízes espirituais.

As raízes espirituais suportam ambos os lados, egoístas e altruístas. A parte egoísta é chamada impura ou prejudicial, ou seja, não é limpa da sujeira egoísta. Ao mesmo tempo, as propriedades inanimadas, vegetativas, animadas e falantes que são baseadas em doação e amor aos nossos vizinhos são chamadas puras e corrigidas e são adequadas para uso posterior. [Leia mais →]

Cabalistas Escrevem Apenas Sobre O Que Eles Já Corrígiram

O Livro do Zohar, “Aharei-Mot”, item 316: Quando eles fazem as coisas que estão erradas e deixam o caminho correto, a moral do correto, a Luz de Hassadim  e o esquerda domina o vaso da direita. Depois, há incestos e o Dinim são revelados em Bina e em Malchut, que é a revelação púbica. Ai dos vilões que transmitem isso no mundo, uma vez que não serão abençoados do Alto, já que os vilões abaixo pereceram. Como ele diz, e todos os vilões foram e minha alma abençoa o Senhor, aleluia.

Não há uma palavra no Zohar que não foi escrita a partir da linha média, onde a doação é acima da recepção, a linha direita está em cima da linha de esquerda. Aqui eles estão equilibrados: A linha da esquerda fornece a “matéria”, o desejo, e a linha da direita fornece a forma, a intenção.

Assim, mesmo que lemos na Torá sobre coisas terríveis, devemos entender que é sobre as formas de doação. Tudo em livros de Cabala é santo e até mesmo o faraó é santo.

Todos os vilões da Torá são esclarecidos na linha média e montam um “tópico” para ela. Um Cabalista pode revelar-los somente por meio da correção da linha do meio e só então que ele escreve sobre isso no livro. Assim, todas as palavras, todos os nomes na Torá são santos, e eles são expressões de doação.

Portanto, temos de nos relacionar com as palavras do Zohar como expressões de conexão e amor. Na verdade, não há diferença entre o que parece atraente e o que não funciona.

[90509]
Da 2 ª parte da Lição Diária da Cabala 16/10/12 , O Livro do Zohar

Uma Mãe Virá Correndo Quando Seu Filho Chorar

Pergunta: O que significa que eu tenho que endereçar todas as minhas perguntas ao Criador?

Resposta: Não estamos acostumados a recordar e pensar sobre a força superior. Não é porque não somos religiosos, as pessoas religiosas não pensam sobre o Criador no sentido a que me refiro. Ninguém pensa sobre Ele.

Pensar Nele significa perceber que só Ele faz tudo. Podemos falar sobre isso usando palavras do alto e lemos muito sobre isso nos livros, mas nada ajuda.

Nós, ou seja, toda a humanidade, todas as almas,todos os desejos, a rede geral, o sistema, Malchut, a Shechiná (Divindade) , existem dentro de uma força chamada Criador. Temos que descobrir que estamos dentro Dele. Este é o único problema que temos que resolver: a revelação do Criador para os seres criados, e é disso que a sabedoria da Cabalá trata.

A revelação do Criador para os seres criados pode ser feita através do caminho do sofrimento e dos grandes problemas quando em grande tristeza e desesperança, o ego encolhe e se restringe de modo a não sentir o sofrimento. Desiste do seu desejo de desfrutar e está pronto para tudo, mas só para não sofrer.

[Leia mais →]