Textos com a Tag 'Crise'

“O 70º Aniversário Da OTAN Lembra Que Todos Os Problemas São Globais Agora” (Newsmax)

Meu artigo na Newsmax: “O 70º Da OTAN Lembra Que Todos Os Problemas São Globais Agora”.

Um novo ano está prestes a começar e uma garantia de segurança global não está surgindo no horizonte. Pelo contrário, o mundo está enfrentando uma amálgama sem precedentes de desafios em segurança cibernética, guerras, migrações maciças e crescentes potências nucleares e militares.

Um extravagante 70º aniversário da OTAN recentemente comemorado no Reino Unido pretendia mostrar unidade entre os quase 30 membros da nação para lidar com os problemas mais prementes de segurança global, mas como um septuagenário doente cuja saúde e equilíbrio são duvidosos, a aliança militar ocidental mostrou mais fraturas que coesão.

Devemos Perder A Esperança Na Visão De Um Mundo Mais Seguro?

Não podemos perder a esperança.

É o planeta em que vivemos, e qualquer crise e ameaça acabará nos afetando de uma maneira ou de outra. Assim, não podemos simplesmente ignorar o que está à nossa frente.

No entanto, não podemos esperar mudanças significativas de organizações internacionais que demonstraram possuir capacidade limitada ou falta de compromisso em agir em direção a uma solução abrangente.

A verdadeira solução para a paz e a estabilidade não está nas organizações.

Está nas pessoas, isto é, na mudança de nossa natureza humana – da preocupação pessoal para a preocupação mútua, do benefício próprio para o benefício dos outros, e da recepção autodirecionada para a conexão positiva com os outros.

Dessa forma, podemos imaginar um futuro harmonioso e seguro para a humanidade como um todo.

O Mundo Não É Um Playground

Em vez de um terreno comum, a atual arena internacional se assemelha a um campo de batalha.

O ambiente tenso na última cúpula da OTAN mostrou um choque de personalidades e reações incendiárias de líderes mundiais brincando de jogos de honra como crianças pequenas fazendo birras. No entanto, nenhuma solução para ameaças globais virá agindo-se como crianças em um playground.

É necessária uma abordagem mais séria e aprofundada.

Na declaração final da cúpula, os países representados na aliança, incluindo EUA, Canadá, França e Grã-Bretanha, entre outros, comprometeram-se a tomar “ações mais fortes” para combater o terrorismo globalmente e concordaram com o que chamaram de “desafios” colocados por China e Rússia. Mas quando se tratava de dinheiro, a discussão em curso sobre quem paga as contas para manter as operações da OTAN permaneceu inconclusiva.

Seu orçamento anual é de US$ 1,84 bilhão, segundo dados oficiais. Pouco mais de 22% do total é pago pelos EUA, o principal colaborador. Apenas 7 dos 29 membros estão cumprindo suas obrigações de gastos, motivo para discordâncias bruscas e sem solução entre o governo americano e outros aliados. Com o financiamento ainda em questão, a reunião foi rica em oportunidades fotográficas e pobre em conclusões práticas.

Uma Conexão Humana Positiva É O Único Investimento Que Vale A Pena

Bilhões podem ser gastos em defesa globalmente, mas serão desperdiçados até resolvermos nosso problema real: nossa atitude egoísta e egocêntrica em relação a todos e tudo ao nosso redor.

A humanidade evoluiu para uma rede humana globalmente interdependente e interconectada.

A nova realidade de um sistema global cada vez mais intrincado colide com nosso egoísmo passado e presente, causando tensão e conflitos em uma escala maior e mais complexa.

A crise multifacetada de hoje indica que precisamos de uma abordagem inclusiva e holística para resolver nossos inúmeros problemas. Em um mundo interconectado, não há problemas locais.

A necessidade de soluções que favoreçam a humanidade exigirá uma deliberação consistente entre representantes de todos os países como iguais. Veremos cada vez mais como é impossível para qualquer país superar uma crise por conta própria e que, em vez de promover interesses pessoais ou locais, todo problema deve ser tratado como um problema global.

Tratando Todos Os Problemas Como Um Problema Global

Ao abordar questões globais no espírito de nossa conexão, encontraremos o caminho certo para enfrentar nossos muitos problemas. À nossa frente está a escolha mais importante que a humanidade já enfrentou: nos adaptamos às condições que a evolução nos colocou de forma proativa, aumentando nossa compreensão e consciência, ou seremos forçados a nos adaptar por golpes e sofrimentos?

Não há necessidade de a humanidade reinventar a roda para encontrar paz e harmonia. Podemos usar o exemplo da natureza, que age de acordo com as leis integrais.

Todos os problemas e diferenças surgem entre nós, a fim de buscar sua complementaridade e equilíbrio, encontrando nosso ponto de conexão comum com eles: a intenção de beneficiar todo o sistema da humanidade e da natureza em que vivemos.

Da Competição Egoísta À Conexão Integral Positiva

Os desafios e ameaças globais apresentam oportunidades para mudar nossa direção atual, com base em atitudes e interesses egoístas, o que está levando a um beco sem saída. Precisamos perceber que a única maneira de sair deste navio que está afundando é conectar-se a um único organismo com nossas diferenças.

Como o corpo humano contém um conjunto diversificado de células e órgãos que desempenham funções diferentes em complementaridade mútua para sustentar sua saúde e funcionalidade, nós também, como um corpo comum da humanidade, precisamos desenvolver uma atitude dominante para beneficiar todo o sistema do qual fazemos parte.

No passado, nós progredimos por meio da competição egoísta. No entanto, agora entramos em um período de desenvolvimento em que a natureza mostra cada vez mais como nos trata como um único organismo.

Assim, não podemos mais aproveitar nossas vidas tentando lutar um com o outro, cada um por conta dos outros. Isso só leva a mais problemas e, finalmente, a mais sofrimento.

Pelo contrário, a maneira pela qual podemos progredir para uma maior felicidade, confiança e harmonia é conectando-se positivamente.

O princípio fundamental de viver harmoniosamente em nossa era é se relacionar com a humanidade como um único organismo. A razão pela qual a nossa natureza egoísta inata não nos permite ver a realidade interdependente e interconectada é que nós voluntariamente nos aplicamos a conectar positivamente acima de todas as nossas diferenças egoístas e, ao fazer isso, realizamos uma paz e alegria.

“A Mídia Prosperando Numa Sociedade Cada Vez Mais Egoísta” (Kabnet)

A KabNet publicou meu novo artigo: “A Mídia Prosperando Numa Sociedade Cada Vez Mais Egoísta

Dê um passo atrás para ver por um momento a sociedade humana em todo o mundo como um corpo humano. O que você veria? Veria o sistema imunológico funcionando mal e os órgãos que deveriam estar formando um corpo unificado e saudável se desintegrando.

Os problemas pessoais, sociais e globais estão em ascensão, desde depressão, estresse, solidão, vazio, ansiedade, xenofobia, abuso de drogas e suicídio, passando pela igualdade de renda, pobreza, mudança climática e desastres naturais. Apesar dos inúmeros esforços para lidar com esses problemas, há uma camada mais profunda envolvente para todos eles que exige atenção.

Qual é a camada mais profunda? Não é outro senão o ego humano, isto é, o amor próprio e a preocupação pessoal exagerados em todos os órgãos, provocando a degeneração de todo o organismo.

O ego humano passou por um surto recente de crescimento, atingindo níveis recordes: destacou-se de todas as normas anteriormente aceitas, livre da lei e da ordem, e atropela cruelmente estruturas estabelecidas.

Quem pode resistir ao ego quando ele infla seu peito orgulhosamente? Que lei irá bloqueá-lo? Que fator pode impedi-lo?

A Mídia numa Sociedade Egoísta

O ego tem um forte apoio: a mídia.

Hoje, a mídia, e a mídia social em particular, desfruta de influência e poder generalizados que nunca teve antes. A qualquer momento, a opinião pública pode ser desviada de uma maneira ou de outra. Com uma sacola cheia de dinheiro, você pode comprar espaços publicitários, publicações patrocinadas e outros meios de comunicação, sacudindo o que quiser na frente das pessoas.

O dinheiro pode comprar fama, e a fama pode dominar tudo. Dia após dia, um lava o outro, até que todos são gradualmente enfraquecidos e se rendem, e a consciência de todos os órgãos – a polícia e os advogados, os educadores e os juízes, os líderes e os cidadãos – todos caem diante da mídia. Dia após dia, a doença do corpo aumenta; o cuidado com outras pessoas diminui, o ódio por outras pessoas se torna maior e o câncer corroendo o corpo da sociedade humana prolifera em direção à morte do corpo.

Uma Direção Positiva para a Mídia Rumo ao Futuro

A mídia em todo o mundo precisa ser informativa e objetiva, não cativa nas mãos de pessoas e grupos com interesses de riqueza e poder. Ela deveria conhecer seus limites. A mídia tem o papel de nos unir e servir como um instrumento projetado para conectar todos os órgãos em um único corpo saudável.

Quão bom seria se todas as diferentes partes da sociedade se sentassem juntas – a esquerda e a direita, a religiosa e a secular, representativa de todos os diferentes grupos de interesse e os que estão à margem da sociedade – e todos trabalhassem juntos para um chefe: o benefício do público. Todas as suas decisões responderiam a isso e sozinhas. Toda opinião teria seu próprio espaço, nenhuma opinião seria subjugada e nenhuma voz seria silenciada. Eles se sentariam e discutiriam em um amplo fórum, discutiriam posições com especialistas, investigariam os dados, discutiriam e iriam compor até chegarem a uma decisão comum e a uma mensagem comum a ser disseminada.

Uma nova regra orientaria o trabalho deles: publicar notícias e conteúdo que contribuam para o bem-estar do público, que busque unir a sociedade humana. Ninguém teria o direito de debilitar outra opinião, mas apenas equilibrá-la com outras posições e guiar os vários pontos em direção à complementaridade mútua. Se a mídia não chegar a um acordo, nenhum anúncio público será feito. Por outro lado, somente quando a informação beneficiasse a todos ela seria divulgada. Esse pluralismo da mídia começaria o processo de curar a doença de uma sociedade fraturada.

Uma Direção Positiva para a Liderança Rumo ao Futuro

No entanto, não apenas a mídia deve agir em uníssono, mas também a liderança. Se todas as visões procurassem se complementar, abririam um caminho de ouro. Representantes de todos os diferentes setores do público sentariam em torno de uma mesa redonda e buscariam se tornar um modelo unificador para a sociedade atual. Tal liderança seria considerada uma verdadeira democracia: o governo do povo, o governo da maioria, o governo da representação eleita.

O estágio essencial e decisivo seria levar os participantes a se sentirem unificados e criar uma sinergia com as opiniões divergentes. Precisamente quando os opostos alcançam aceitação mútua, a sociedade alcança um novo estágio de desenvolvimento. Essa liderança é o que nosso mundo global e interconectado precisa hoje.

A introdução de uma regra justa e igualitária pode tomar decisões por todos com base no conhecimento de que beneficiariam todo o corpo. Em uma sociedade assim, não haveria necessidade de uma estrela que subisse hoje e caísse amanhã, mas seria suficiente ter um círculo de tantas opiniões diversas quanto possível. Seria o cérebro do corpo da sociedade, e todos o seguiriam de bom grado.

Com essa liderança, ninguém seria convidado a desistir de sua opinião particular. Permaneceria e seria enriquecido por outras ideias diversas e até opostas. A nova situação, que incluiria todas as contradições possíveis, daria origem a um novo desenvolvimento, dando a todos um lugar igual na sociedade. A contribuição única de todos estaria lá para todos verem. Esta é a maravilha da criação mútua.

Assim como todas as células, órgãos ou sistemas do corpo humano atuam sabiamente juntos para garantir o sustento e a saúde de todo o corpo, todas as opiniões se entrelaçam para finalmente beneficiar todo o corpo da sociedade humana.

Embora pareça uma fantasia utópica imaginar a liderança da mídia e da sociedade trabalhando em tal unificação, é apenas pelo fato de ainda não termos implementado nenhum método para conectar-se dessa maneira. O método que pode possibilitar essa conexão positiva repousa no método que Abraão trouxe ao mundo cerca de 3.800 anos atrás: a sabedoria da Cabalá. Apenas um pequeno esforço para analisar essa sabedoria com uma mente renovada, e logo se tornará evidente que existe um método capaz de conectar positivamente a sociedade humana, diagnosticando a causa principal de todos os problemas modernos e oferecendo um método para resolvê-los, trazendo assim uma existência harmoniosa para todos.

“O Que Os Judeus Podem Aprender Com O Tiroteio Na Sinagoga De San Diego?” (The Times Of Israel)

O The Times of Israel publicou meu novo artigo: “O Que Os Judeus Podem Aprender Com O Tiroteio Na Sinagoga De San Diego?

“Eu preferiria morrer ou passar o resto da minha vida na cadeia do que saber que não fiz nada para impedir este mal”, diz um manifesto publicado online pelo atirador que alvejou judeus em uma sinagoga na Califórnia nesta semana. Ao nos aproximarmos do Dia em Memória do Holocausto, em memória aos seis milhões de judeus que pereceram sob o regime nazista, o incidente sangrento é um lembrete brutal de que o ódio contra os judeus continua profundamente enraizado e longe de ser erradicado. E até que nós, judeus, cumpramos nossa função no mundo – de ser um canal para a força da unidade se espalhar -, podemos esperar mais ataques como este.

Alguém pode se perguntar por que o povo judeu ainda experimenta esse flagelo depois de uma longa história de perseguição. O que impulsiona as mentes maldosas dos inimigos dos judeus, como o jovem de 19 anos que matou um adorador judeu e feriu três outros no ataque? A sabedoria da Cabalá descreve o fenômeno do antissemitismo como uma lei da natureza que visa obrigar os judeus a se unirem.

O agressor era um estudante de enfermagem e um prodígio de piano aos quatro anos de idade, de uma família normal, “o cara da casa ao lado”, a última pessoa que alguém suspeitaria que cometesse tal ato. Ele escreveu as seguintes palavras: “Para minha família e amigos. Eu já posso ouvir suas vozes. ‘Como você poderia jogar sua vida fora? Você tinha tudo! Você tinha uma família amorosa. Você tinha ótimos amigos. Você tinha uma igreja’ … Eu entendo porque vocês perguntariam isso. Mas eu faço uma pergunta a vocês agora. Qual é o valor da minha vida em comparação com a totalidade da raça europeia?” A lógica exige entender por que as ameaças existenciais aos judeus vêm de todo tipo de pano de fundo e de forma tão aleatória.

De acordo com o Livro do Zohar, o livro principal da sabedoria da Cabalá – um livro que lida com os aspectos internos da Torá e seus segredos, um livro que explica a conduta do mundo em todas as suas camadas – a resposta é a seguinte:

“Israel é o coração de todo o mundo, e assim como os órgãos do corpo não podem existir no mundo, nem mesmo um momento sem o coração, todas as nações não podem existir no mundo sem Israel”.

Como o coração funciona para fornecer um fluxo vital de sangue aos órgãos do corpo, a função de Israel é fornecer um espírito de vida indispensável – uma força de conexão e abundância espiritual – para a humanidade. Em outras palavras: os judeus devem ser “uma luz para as nações”.

Enquanto nós, judeus, mantemos a unidade entre nós – a mesma harmonia que existe em todas as suas partes da natureza inanimada, vegetativa e viva -, estamos seguros de equilíbrio, calma e tranquilidade. Mas uma vez que abandonamos nossa interconexão benéfica, e cada um se torna entrincheirado em seu próprio mundinho, afundando em sua lama egoísta, o equilíbrio interno do sistema desestabiliza. Repercussões aparecem no mundo de forma negativa, como explosões de ódio contra os judeus.

Assim, quanto mais cedo nós judeus acordarmos para o fato de que os atos antissemitas em crescimento exponencial estão tentando nos dizer que estamos atrasados ​​em nossa função em relação ao mundo, e que, ao fazer isso, impedimos a força unificadora de alcançar a humanidade, mais cedo poderemos começar a investigar como podemos cumprir nosso papel, estabelecer laços positivos e experimentar uma realidade muito mais harmoniosa. É minha esperança que percebamos isso mais cedo ou mais tarde, o que poupará a nós e o mundo do sofrimento, além de atrair todo um novo tipo de satisfação para nossas vidas.

Os Ricos Choram

Laitman_421.01Nas Notícias (Bloomberg): “As pessoas mais ricas do mundo perderam US $ 511 bilhões em 2018”. “As pessoas mais ricas da Terra perderam US $ 511 bilhões este ano, depois que ganhos recordes no primeiro semestre foram eliminados por uma sucessão de vendas contundentes no mercado”.

Meu Comentário: O fato é que elas devem entender se têm uma oportunidade de impedir o progresso das pessoas. Quanto mais você oferece às pessoas novos brinquedos para a conexão humana, para sua satisfação, para qualquer informação, etc., mais elas se tornam exigentes e seletivas.

Elas não estão mais interessadas ​​no Facebook como ele é. Elas simplesmente não podem ver anúncios. As pessoas estão tão cansadas que nem sequer podem ser forçadas a ter os filhos.

Isto é, tudo o que os ricos fizeram nos últimos 20 anos está começando a diminuir cada vez mais. Apesar de toda a sua sofisticação, isso passa. O período de acumulação egoísta terá que apodrecer.

A humanidade ainda está se desenvolvendo. Portanto, eu vejo que a hora chegará, e muito rapidamente, quando esses dólares que eles acumularam não terão valor, e não haverá mais oportunidade de ganhar dinheiro.

Acho que as pessoas geralmente se esforçam para obter maior simplicidade. Elas vão querer sentar na grama, beber um pouco, fazer um lanche, ouvir música normal, o chilrear dos pássaros e o riso das crianças correndo por aí. Vão querer algo muito próximo e agradável ao coração, e não incomodar suas cabeças, cérebros, alma e sentimentos com algo muito artificial.

Eu espero que seja assim.

De KabTV, “Notícias com Michael Laitman” 25/12/18

Por Que Coca-Cola É Mais Acessível Que Água?

laitman_547.05Pergunta: Por que uma lata de Coca-Cola fria é mais acessível que um copo de água fresca?

Resposta: A coca-Cola está mais próxima, mais acessível e mais disponível para nós do que um copo de boa água pura porque alguém lucra com isso.

Mais uma vez, o egoísmo de uma pessoa, de uma empresa de manufatura, a empurra para tornar seu produto mais acessível a todos. Ela não pode ganhar tanto com um copo de água como com uma lata de Coca-Cola, então a Coca-Cola se promove a ganhar dinheiro com a gente.

No entanto, se por meio da consciência planetária, percebêssemos o que é útil para nós, usássemos apenas coisas boas para nós e desprezássemos o resto, se eliminássemos tudo o que não precisamos e usássemos apenas as coisas necessárias, então, é claro, durante a vida de uma geração, seríamos capazes de criar uma geração que ficaria desgostosa com a Coca-Cola e todos os tipos de alimentos não saudáveis, doces sem fim, etc.

Então, nós criaremos uma geração nova e saudável sem comida genética e sem tais venenos como Coca-Cola e tal.

Afinal, se o egoísmo desaparecer do mundo, ninguém se beneficiará de fazer comidas venenosas. Ninguém sentiria nenhum benefício disso. Pelo contrário, a sociedade deve condenar todas as empresas que agem dessa maneira. A sociedade deve cuidar para proteger todos os seus membros da distribuição de alimentos venenosos.

Porém, como não nos amamos, não nos importamos com a saúde um do outro. Como resultado, é claro, há aqueles que vendem venenos, anunciam venenos, e há aqueles que, sob a influência desse anúncio, começam a comprá-los, usá-los: eles tomam esse veneno.

Nosso egoísmo nos empurra para todas as coisas ruins. Até nos restringirmos, beberemos venenos e não alcançaremos uma vida saudável.

Da Mesa Redonda De Opiniões Independentes, Berlim 09/09/06

O Que Causa Os Desastres Ambientais?

laitman_765.1Pergunta: O que aconteceria se todos os chineses desejassem ter um carro?

Resposta: Nada vai mudar no mundo e na ecologia; até mesmo deixar que todos tenham um carro e mais de um. Que haja 7 ou 14 bilhões de carros particulares no mundo. Carros não são o que causam desastres ecológicos. Nossas relações corruptas são o que causam desastres ecológicos.

Precisamos entender o que é visível na natureza e em sua pesquisa; os desastres ambientais são causados ​​não pela tecnologia, pelos níveis inanimado, vegetativo e animado, mas pelo nível humano. Somente nós, no nível de nossas relações, causamos aflição em todos os outros níveis da natureza.

Todos esses desastres nas áreas de ecologia e saúde, depressão e dependência de drogas, divórcios e todos os outros problemas surgem da natureza, apenas para nos levar a entender a causa, que está em um nível superior. Sempre na natureza, um problema de um nível superior desce para níveis inferiores e ativa o sistema a partir daí.

Eu espero que na busca pela salvação desses males, que vemos como males em nosso nível egoísta, tenhamos que abandonar nosso egoísmo, entendendo que só podemos estar em equilíbrio com a natureza nos níveis inanimado, vegetativo e animado devido ao nosso nível humano, se nos tratarmos com amor e compreensão.

Então, vamos trazer unidade à natureza como um todo e alcançar um equilíbrio com a natureza geral.

Mesa Redonda de Opiniões Independentes, Berlim 09/09/06

The Times Of Israel: “O Massacre Na Sinagoga A Árvore Da Vida De Pittsburgh: Um Chamado À Unidade”

O The Times of Israel publicou meu novo artigo: “O Massacre Na Sinagoga A Árvore Da Vida De Pittsburgh: Um Chamado À Unidade

“É árvore de vida para os que dela tomam, e são bem-aventurados todos os que a retêm. Os seus caminhos são caminhos de delícias, e todas as suas veredas de paz” (Provérbios 3:18)

Enquanto as bandeiras dos EUA voam a meia-mastro por 3 dias após o terrível tiroteio na sinagoga Árvore da Vida em Pittsburgh – a morte de 11 pessoas e o ferimento de outras seis por um atirador querendo nada menos do que erradicar todos os judeus – é hora de se unir acima de nossas diferenças e inclinar nossas cabeças não apenas para as famílias e amigos das vítimas, mas para contemplar o porquê de tal crime de ódio antissemita ter acontecido, e o que podemos fazer para evitar futuros ataques.

Enquanto o ADL chamou o tiroteio “provavelmente o ataque mais mortal na comunidade judaica na história dos Estados Unidos”, crimes de ódio em geral foram registrados como sendo os mais altos em mais de uma década em 2017, com um aumento de 12% nos EUA. Além disso, os judeus representavam cerca de 54% desses crimes de ódio, apesar de serem apenas 2% da população dos EUA. Portanto, enquanto nos unimos e oramos pelas famílias e amigos das vítimas, precisamos entender que estamos reagindo a um sintoma de um problema que se intensifica.

A Árvore Da Vida É Para Os Que Dela Tomam…

A fim de resolver o problema em sua raiz e não esperar que disparos em massa e outras crises nos unam temporariamente, precisamos reconhecer a unidade do povo judeu como uma força capaz de resolver o antissemitismo. Quando o povo judeu se une acima de suas diferenças, o amor cobre o ódio, a paz cobre o conflito, a felicidade cobre todo o vazio do mundo e, como se milagrosamente, desde dentro, as pessoas sentem um novo tipo de realização em suas vidas. E quando as pessoas são satisfeitas, pensamentos de eliminar uma raça inteira param de aparecer em suas mentes. Como tudo isso funciona?

Como A Unidade Do Povo Judeu É A Solução Para O Antissemitismo?

Historicamente, os judeus são um testamento vivo de resiliência. Ao longo da história temos sido perseguidos pelos romanos, pela Inquisição Espanhola, pelo Império Russo do final do século XIX e início do século XX e, claro, por Hitler… e ainda assim sobrevivemos. Os desafios modernos também não nos destruirão a menos que nos sentemos passivamente e não utilizemos este evento em Pittsburgh como um alerta. Para responder ao chamado e garantir que tal massacre de judeus nunca mais aconteça, primeiro precisamos entender quem somos, por que estamos aqui e qual é o nosso papel e propósito neste planeta. Só então seremos capazes de compreender por que passamos por tantas tribulações e lutas, e só então poderemos descobrir como mudar para um curso positivo.

Os fundadores de nossa nação vieram de diferentes tribos em toda a Babilônia e no Oriente Próximo. A única coisa que os mantinha unidos era a crença de que o princípio de misericórdia e amor de Abraão pelos outros era o caminho certo para viver. Isso transcendia todos os outros valores e considerações e, assim, eles o seguiram.

Nós fomos estabelecidos como uma nação judaica no pé do Monte Sinai quando todos os nossos membros se comprometeram a se unir “como um homem com um coração”. Imediatamente depois, fomos ordenados a ser “uma luz para as nações”, a saber, espalhar a luz da unidade em todo o mundo. É isso que nos torna únicos. Desde que experimentamos o amor fraterno, temos a capacidade de nos unir novamente acima das diferenças e dar o exemplo a outras pessoas que precisam tão desesperadamente de tal orientação.

O Rav Kook resumiu o papel do povo judeu da seguinte forma:

“O propósito de Israel é unir o mundo em uma única família”.

Enquanto mantemos nossa unidade, prosperamos e permanecemos seguros. Quando a abandonamos, o mundo nos vê como uma influência negativa e manifestações antissemitas ressurgem com uma vingança, como evidenciado no ataque à sinagoga Árvore da Vida.

Quando nossos inimigos atacam, eles não perguntam a qual denominação nós pertencemos ou qual é nossa origem, ou se somos de direita ou de esquerda. Eles simplesmente nos atacam, convencidos de que os problemas do mundo serão resolvidos apagando os judeus da face da Terra. Essas forças primordiais do antissemitismo ressurgem constantemente de diferentes maneiras para nos obrigar a nos unir à medida que nos tornamos cada vez mais distantes da implementação do nosso papel de ser “uma luz para as nações”.

Como Podemos Inverter Isso

Em vez de exemplificar a unidade, irradiamos divisões para o resto do mundo. Em tal estado, o mundo sempre encontrará razões para nos odiar e se sentir justificado em tentar nos destruir. O ponto sobre o qual depende nossa prosperidade foi sucintamente expresso por Samuel David Luzzatto:

“O sucesso da nossa nação depende apenas do nosso amor fraterno, de nos conectarmos uns aos outros como membros de uma mesma família”.

É minha esperança que usemos a escolha que temos em nossas mãos para conduzir o mundo da escuridão para a luz, do caos para a união, elevando-nos acima de nossas diferenças. Não precisamos concordar em tudo, mas temos que conectar nossos corações acima de tudo que nos separa.

É dito em Shem MiShmuel:

“Quando Israel é ‘como um homem com um só coração’, eles são como uma muralha fortificada contra as forças do mal.

Unindo-nos, teremos o poder de nos enraizar firmemente como nação, percebendo uns aos outros e espalhando para os outros a felicidade, a simpatia e a paz contidas nas palavras: “É árvore de vida para os que dela tomam, e são bem-aventurados todos os que a retêm. Os seus caminhos são caminhos de delícias, e todas as suas veredas de paz” (Provérbios 3:18).

A Cultura Do Século XXI: Cães Que Substituem Crianças

laitman_571.08Nas Notícias (CNBC.com): “Por que as empresas estão oferecendo licenças ‘para passer’ a novos donos de animais de estimação”

“… Uma firma de marketing em Minnesota começou a oferecer licenças ‘para passear’ a todos os novos mamães e papais de animais de estimação.

“A política é parte de uma tendência crescente nas políticas de local de trabalho que aceitam animais de estimação e uma maneira de oferecer aos trabalhadores flexibilidade que de outra forma não teriam. …

“Várias empresas já oferecem escritórios que aceitam animais de estimação. Na sede da Amazon em Seattle, a empresa diz que mais de 6.000 cães compartilham o espaço de trabalho com os funcionários. Os cães desfrutam de um piso projetado para brincar com animais de estimação em um dos prédios da empresa, e a empresa até abriu um parque especial para cães que também está aberto à comunidade. …

“Na empresa de marketing de Minneapolis, Nina Hale, a licença de última hora permite que novos donos de animais trabalhem remotamente por uma semana após adotarem um animal de estimação. A política dá aos pais de animais de estimação a oportunidade de se relacionarem com seus amigos peludos enquanto se acostumam a novos ambientes. …

“Benefícios para animais de estimação como licença para animais de estimação, luto para animais de estimação e seguro saúde para animais estão crescendo em popularidade, diz Steven Feldman, diretor executivo do Human Animal Bond Research Institute (HABRI), à Society for Human Resources Management. É um ‘sinal de que você está vendo toda a família do funcionário’, acrescenta ele. É também uma maneira de atrair jovens trabalhadores, a maior geração de donos de animais de estimação”.

Comentário: Eles têm carrinhos de estimação, coloração de animais de estimação, terapia de cães, aromaterapia de cães, igreja de cães e piscinas para cães. Parece que estamos nos movendo para uma cultura onde os cães substituem as crianças.

Meu Comentário: Sim. No entanto, por outro lado, a humanidade não parou de sentir a necessidade de cuidar de alguém. Você se lembra do brinquedo Tamagotchi? Tinha que ser constantemente alimentado e cuidado.

Precisamos entender que a natureza humana exige apego. A pessoa ainda está ligada, inconscientemente, ao seu apartamento, aos cheiros, a tudo! Vejo isso como um enorme anseio interno, mas ainda não consciente, pela comunicação entre as pessoas, que, infelizmente, não recebe sua expressão normal, sua liberação.

Nós, portanto, substituímos as pessoas por animais. Na verdade, não é tão longe assim. As pessoas sentem que seu cachorro é seu amigo, e o cachorro sente um amigo e um mestre em seus donos, e nós somos mutuamente devotados um ao outro.

De forma prática, conhecemos pessoas que têm animais de estimação que comem do mesmo prato com eles. Elas não sentem diferença entre eles porque esse contato ocorre no nível animal. Não precisa de grandes expressões, conquistas, tensões e participação. Eu me abaixo ao nível do animal; eu estendo a mão para ele e ele responde de volta para mim, e ambos ficamos contentes.

Esperemos que este período passe, e certamente passará porque a humanidade está evoluindo e nós teremos que alcançar contato uns com os outros. Então todo aquele contato com os animais desaparecerá. Como qualquer outra parte da evolução e movimento em direção aos níveis mais baixos, acabará por morrer. Nós não teremos muito interesse em gatos, cães, papagaios, hamsters, etc.

Pergunta: Será que vamos ficar tão ansiosos um com o outro? Vamos descobrir e revelar isso?

Resposta: Nós entenderemos que ainda não temos comunicação. Telefones, comunicações virtuais, cães, apartamentos solitários, bancos vazios em parques públicos, e assim por diante – tudo desaparecerá porque estamos mudando, quer queiramos ou não. Deixe o tempo fazer o seu trabalho.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman”, 27/08/18

Como Os Países Subdesenvolvidos Devem Se Desenvolver?

laitman_963.4Pergunta: Como deve ocorrer o desenvolvimento dos países subdesenvolvidos? O que é uma abordagem melhor: microfinanças ou macrofinanças?

Resposta: Somente desenvolvendo a educação tradicional, que é inerente a todas as pessoas no mundo, para que a educação e a cultura correspondam à natureza da nação, estaremos efetivamente desenvolvendo cada nação.

Devemos entender que, em geral, existem 70 nações do mundo e todas são desiguais. Semelhante aos órgãos corporais, elas precisam se complementar. Portanto, se mostrarmos uma atitude igual e gentil para com todos, mas de acordo com a natureza de cada um, veremos que elas realmente podem dar uma contribuição notável para a humanidade.

Então conseguiremos extrair o máximo benefício de cada nação. Tudo isso depende de uma atitude benevolente e calorosa para com todos, para que a pessoa possa servir à humanidade precisamente na medida que corresponde a ela.

Devemos entender que toda a natureza é dividida entre países e nações de tal forma a levar a pessoa a um estado em que cada um complementa o outro. Como resultado, podemos realmente nos encontrar em um mundo igual e perfeito, onde cada um preenche o outro e alcança um mundo que é todo bom.

Teremos então o privilégio de ver que cada nação tem uma participação notável na humanidade. Além disso, somente porque elas se complementam, somos recompensados ​​com uma vida perfeita em toda a sociedade humana – com amor, perfeição, respeito e honra para todos.

Antes de mais nada, precisamos revelar que toda nação tem seu lugar, assim como os órgãos do corpo têm seus lugares. Precisamos disso, e até vermos que precisamos disso, não seremos capazes de avaliar e elevar isso à sua própria realização distinta.

Mesa Redonda de Opiniões Independentes. Berlim 09/09/06

Medium: “10 Anos Da Crise Financeira: E Agora?”

O Medium publicou meu novo artigo: “10 Anos Da Crise Financeira: E Agora?

Uma década depois da crise financeira global, uma nova pesquisa expõe como uma pequena elite impediu uma catástrofe mundial. Mas qual é o custo de manter nossos sistemas cada vez mais desequilibrados e orientados pelo lucro? Quais são as maiores forças de equilíbrio da natureza que enfrentamos?

Uma década atrás, o mundo estava à beira do colapso. Uma bolha financeira no mercado de hipotecas dos EUA quase explodiu o sistema econômico global. Um Armagedom financeiro foi impedido apenas por medidas sem precedentes tomadas pela administração dos EUA, e particularmente pelo Federal Reserve.

Em seu novo livro, “Crashed”, o historiador prof. Adam Tooze lança luz sobre os cantos ocultos da crise financeira de 2008. Tooze descobre a intricada rede financeira que se encontrava no centro da tempestade e como uma pequena elite decidiu injetar trilhões de dólares no sistema bancário americano e no resto do mundo. o mundo, sabendo muito bem que, de outra forma, a humanidade iria em uma espiral descendente para uma crise pior do que a Grande Depressão de 1929.

Desde a crise de 2008, os laços na rede da elite financeira só aumentaram em todo o mundo, e hoje esse grupo emprega continuamente malabarismos financeiros para governar a economia global. Como peões em um tabuleiro de xadrez, eles deliberadamente manipulam mercados, consumidores, taxas de juros, instituições financeiras e mídia, a fim de perpetuar o atual paradigma econômico e impedir que uma crise ao estilo de 2008 aconteça novamente.

Então, o que mudou na última década? O sistema econômico se sente mais seguro do que antes. Não porque o sistema se tornou mais estável ou igual, mas porque é mais controlado.

A Pirâmide Que Governa O Mundo

Análises como as de Tooze provam como a pirâmide que governa o mundo se tornou mais pontiaguda do que nunca. É uma pirâmide baseada unicamente em poder e dinheiro, de cima para baixo. Se a pirâmide do século anterior ainda tinha alguns lugares reservados para intelectuais, filósofos, cientistas e pluralismo ideológico, hoje eles são todos escravizados pelo poder do dinheiro e seus donos.

Os cientistas dependem do financiamento que orienta os objetivos de suas pesquisas; artistas e figuras culturais desfrutam dos holofotes tanto quanto seu show atende aos interesses dos magnatas que possuem os canais de mídia. Simplificando, o dinheiro corre o mundo e o capitalismo tornou-se um canibalismo, com uma elite limitada que fortaleceu o seu domínio no topo da cadeia alimentar.

A Mecânica da Crise Global

Mas o que está acontecendo abaixo da superfície é a inevitável intensificação do egoísmo humano. O ego humano é a energia natural que alimenta a fusão de riqueza e poder em uma força desenfreada. No entanto, isso é apenas um dos lados do processo.

O desenvolvimento da humanidade acontece em duas tendências paralelas e opostas. Juntamente com o ego em constante crescimento, existe um eixo muito menos perceptível de interdependência global que está gradualmente unindo todas as pessoas e os sistemas criados pelo homem na Terra.

Nós, seres humanos, estamos presos no eixo egoísta e sofremos de miopia global.

A natureza do desenvolvimento humano nos obriga a andar com duas pernas: uma perna progride ao longo do eixo egoísta necessário para nosso crescimento, e a outra perna progride em direção ao senso de conexão mútua entre todos nós. Assim como caminhamos em ambas as pernas, temos que combinar e equilibrar adequadamente o ego para canalizá-lo para um desenvolvimento saudável e positivo para todos.

Hoje estamos atrasados ​​em relação ao senso de conexão entre nós. O mundo está se tornando cada vez mais integral – e o humano não é. Como nos alcançamos? Aumentando a conscientização para a nossa situação, reconhecendo o sistema global interdependente em que vivemos e as leis da natureza que se aplicam a ele.

Lei de Equilíbrio da Natureza

A natureza – como um sistema integral que exige que todas as suas partes estejam em equilíbrio e conexão mútua – exigirá que mudemos. A economia global não é mais que um reflexo das relações entre todas as pessoas. Portanto, devemos primeiro equilibrar nossos relacionamentos, como partes de um único sistema que compartilham um destino comum. Quando começarmos a fazer isso, reorganizaremos todos os nossos sistemas feitos pelo homem, incluindo os econômicos e financeiros.

Se não aumentarmos nossa consciência e fizermos isso por livre escolha, as forças de equilíbrio da natureza nos forçarão a fazer isso de maneiras diferentes. Choques no ecossistema, desastres naturais ou esgotamento de energia barata são exemplos de cenários que exigirão uma mudança dolorosa na ordem socioeconômica.

Curiosamente, uma pesquisa anual do Gallup que entrevistou mais de 154.000 pessoas em 146 países mostra que “o clima global está mais sombrio desde a primeira pesquisa deste tipo em 2006”. No final, o século XXI nos encherá de frustração e desamparo que nos levará a questionar o significado da existência humana. Então, do fundo do nosso coração, surgirá uma demanda por um novo mundo.