Textos com a Tag 'antissemitismo'

A Escolha Judaica: Unidade Ou Antissemitismo – Nascimento Em Agonia

Dr Michael LaitmanA solução não está na maior emancipação dos judeus, e nem na maior religiosidade, mas na ascensão espiritual de uma pessoa. As lições da história ensinam uma coisa: não importa o que façamos na estrutura deste mundo, o resultado será sempre desastroso e seremos atingidos por golpes até a destruição. A salvação é apenas elevar-se acima do nível deste mundo.

Não importa para onde nos voltamos no nível deste mundo: para o liberalismo, as religiões, a emancipação – nada ajudará. Não podemos permanecer no nível corporal; não podemos ficar presos nela. Só podemos subir a partir desta plataforma.

As pessoas não foram informadas ou ensinadas sobre isso; portanto, não querem e não conseguem, situação semelhante às dores do parto. A providência superior não leva em consideração a vida corporal de uma pessoa, mas apenas o desenvolvimento do desejo. Os desejos devem se desenvolver até chegarem ao nosso tempo, onde, finalmente, aparecerá um grupo que começará a implementar a solução.

Dentro do vaso geral da alma, os Reshimot estão acumulando todos os sofrimentos sofridos por milhões de pessoas que morreram durante o Holocausto, a Inquisição e as repressões stalinistas. Tudo isso é para o desejo de desfrutar acumular grande dor pelo fato de estar no egoísmo e deixar os genes espirituais (Reshimot) da doação começarem a funcionar.

Do ponto de vista da lógica humana, não há justificativa para isso. Afinal, quem organiza todos esses desastres? O Criador! Você pode levá-Lo a tribunal.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá de 09/01/20, “A Escolha Judaica: Unidade ou Antissemitismo”, Capítulo 6
Minuto 1:31:30

“O Que Faz Com Que Alguns Judeus Enfrentem A Pobreza Em Israel?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora:O Que Faz Com Que Alguns Judeus Enfrentem A Pobreza Em Israel?

Quando os cidadãos do país não fazem nenhum esforço para lutar por uma sensação calorosa e familiar, deixam desenvolver uma atmosfera de alta tensão que sufoca seus cidadãos de um dia para o outro. Tais relações dão origem a um país com grande riqueza e pobreza extrema.

A Causa da Pobreza: Não Se Sentir Membro De Uma Única Família

O Estado “país rico e cidadãos pobres” de Israel é maior do que apenas uma situação econômica e, portanto, não pode ser resolvido apenas no nível econômico. Requer a implementação de programas enriquecedores de conexão por meio de seus sistemas de educação e mídia, explicando regularmente como todos os cidadãos israelenses são membros de uma única família e que visa transmitir uma sensação de família entre todos.

Pode parecer uma ideia socialista, mas não é. Vimos esses exemplos na história e todos falharam. O motivo foi porque eles não levaram em consideração as leis da natureza.

As leis da natureza são leis integrais de interconectividade e interdependência. Elas nos guiam para mais e mais conexões e, em nossos tempos, as conexões que precisamos formar estão no nível de nossas atitudes mútuas: que desenvolvemos um sentimento em relação a estranhos como se fossem membros de nossa própria família. Ao alinhar nossas atitudes mútuas de acordo, garantimos a nós mesmos um futuro harmonioso.

Duas Etapas Para Resolver A Pobreza: Discordar Da Divisão E Promover A Conexão

O primeiro passo em direção a uma mudança de atitude de um para o outro é discordar da nossa separação atual. A divisão social é a principal causa da pobreza, e nossa discordância com essa situação abre espaço para um novo desejo aparecer: o desejo de mudar nossos relacionamentos, para que nos sintamos conectados como membros de uma única família.

Ao ativar e incentivar o desejo de que a conexão familiar se espalhe entre a sociedade por meios educacionais e promocionais, começaríamos a ver o desaparecimento de nosso afastamento emocional e, igualmente, de seus sintomas de pobreza.

A Explicação Cabalística De Por Que Há Um Fosso Crescente Entre Ricos E Pobres

De acordo com a sabedoria da Cabalá, o estado de desequilíbrio entre ricos e pobres ocorre devido a um desequilíbrio entre Ohr Hochma (luz da sabedoria) e Ohr Hassadim (luz da misericórdia), ou seja, quando há muita Ohr Hochma e apenas um pouco de Ohr Hassadim.

Quais são essas duas luzes em relação a esta situação atual? Ohr Hochma significa abundância e riqueza espiritual, enquanto Ohr Hassadim expressa o desejo de dar essa abundância e riqueza. Ohr Hassadim é uma condição que impede o desejo de continuar recebendo cada vez mais em benefício pessoal, desequilibrando nossos sistemas. Em outras palavras, Ohr Hassadim pode ser pensada como um dispositivo regulador que aquece o coração, que se torna continuamente mais frio em um invólucro do egoísmo sem esse condicionamento. Portanto, quando aplicamos Ohr Hassadim em nosso desejo instintivo de devorar tudo para o benefício próprio, construímos um novo sentido, uma ferramenta que nos dá a capacidade de receber Ohr Hochma de maneira equilibrada. Dessa forma, podemos ter um país onde todos os cidadãos experimentam abundância e riqueza espirituais. Sem esse órgão regulador, seguimos continuamente em uma direção egoísta e testemunhamos a situação de “país rico e cidadãos pobres” em que estamos hoje.

Além disso, sem a Ohr Hassadim reguladora, que visa dar a abundância a outros na sociedade, não apenas os cidadãos pobres se sentem como deficientes, mas também os ricos sentem uma falta constante. Mais riqueza nunca é percebida como riqueza suficiente e, assim, eles buscam continuamente como se realizar cada vez mais. É assim que a pressão de Ohr Hochma é sentida. Quando pretendemos receber apenas para o benefício próprio, os prazeres que recebemos acabam encontrando um espaço vazio dentro de nós, como um buraco negro que extingue qualquer prazer pretendido que absorvemos.

Portanto, se temos um pouco ou muito depende ou não de nossas atitudes.

A Abundância Chega A Todos Quando A Sociedade Se Torna Uma Única Família

Podemos organizar nossos relacionamentos para criar uma abundância que preenche o espaço entre nós. Quando nos abrimos para os outros, nos tornamos condutores dessa abundância, como engrenagens e nós em uma rede que passa sinais uns para os outros, e nossa vida se torna rica e diversificada.

Portanto, quanto mais a ideia de nossa necessidade de nos conectarmos como uma família única se espalhar entre a sociedade, tanto ricos quanto pobres, mais descobriremos que há muito para todos.

“O Que Pode Ser Feito Para Impedir O Que Parece Ser Os Crescentes Incidentes De Antissemitismo Nos Estados Unidos?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora:O Que Pode Ser Feito Para Impedir O Que Parece Ser Os Crescentes Incidentes De Antissemitismo Nos Estados Unidos?

A maneira de parar o antissemitismo nos Estados Unidos é a mesma de como parar o antissemitismo em qualquer lugar do mundo: aumentar a conscientização sobre a causa principal do antissemitismo, a fim de inverter o ódio em amor.

Fontes Cabalísticas explicam tanto a causa como a solução para o antissemitismo. Isso ocorre porque os Cabalistas percebem os processos de desenvolvimento que se desenrolam em nosso mundo e podem alertar as pessoas sobre ameaças iminentes, além de oferecer um remédio para impedir que essas ameaças se materializem.

Por exemplo, o Cabalista Rav Yehuda Ashlag (Baal HaSulam), o mais renomado do século XX, tentou convencer os judeus europeus na década de 1930 a deixar a Europa porque previu o desastre que se aproximava. Seguindo seu exemplo, além de prestar atenção ao recente aumento alarmante do antissemitismo em todo o mundo, também sinto a necessidade de comunicar a mensagem sobre a causa principal do antissemitismo e sua solução para judeus e não-judeus, e escrevo e falo extensivamente sobre o assunto, na esperança de que, no mínimo, uma futura tragédia em massa possa ser evitada.

Em relação aos Estados Unidos, dei palestras para comunidades judaicas nos Estados Unidos em vários intervalos nos últimos 20 anos. Durante os anos 2000, riram de mim quando mencionei que o antissemitismo se tornaria um problema crescente na América.

Na década de 2010, após o imenso crescimento exponencial do antissemitismo, tanto na quantidade de crimes e ameaças antissemitas, quanto no sentimento antissemita, expliquei como todos os sinais apontavam para o próximo holocausto emergente na América.

Na virada da década, depois de uma série de ataques antissemitas em Nova York e Nova Jersey em um período relativamente curto, os legisladores judeus começaram a reconhecer como um “pogrom lento” estava acontecendo em Nova York.

Até que um forte aumento repentino de ataques antissemitas em um raio relativamente próximo ocorreu, eu vi pouca resposta a essa mensagem do povo judeu. Está escrito sobre nós que somos um povo teimoso, ou seja, temos uma pele dura que dificulta a penetração dessa percepção em nossa percepção.

De qualquer forma, para impedir um futuro cenário distópico para o povo judeu nos Estados Unidos e em outros lugares, a mensagem é a mesma para todos os judeus: precisamos nos unir, de acordo com o princípio “ame seu amigo como a si mesmo”. A fim de se tornar “uma luz para as nações”, isto é, um canal que passa a força unificadora positiva que habita a natureza para o mundo. Se a mensagem não for aceita por meio de educação, explicação e promoção, surgirão golpes e sofrimentos antissemitas, “suavizando nossos pescoços”, aumentando indesejadamente nossa capacidade de absorver tal mensagem.

Esse é o estado que alcançamos pela primeira vez há 3.800 anos na antiga Babilônia, sob a orientação de Abraão, que nos deu o nome de “povo de Israel” (“Israel” das palavras “Yashar Kel“, que significa “direto a Deus”). [“Deus” é o mesmo que “Natureza” de acordo com a Cabalá, isto é, uma força positiva que conecta todos os elementos da realidade]). Além disso, de acordo com a mesma tendência unificadora, mais tarde fomos nomeados “judeus”, da palavra “unidade” (a palavra hebraica para “judeu” [Yehudi] vem da palavra “unido” [yihudi] [Yaarot Devash, Parte 2, Drush nº 2]).

Hoje, estamos alcançando novas proporções globais de antissemitismo que o mundo nunca viu, já que o mundo de hoje está mais integrado do que nunca antes. Devido ao antissemitismo emergir como um fenômeno natural em não-judeus, em direção a uma expectativa inconsciente de os judeus serem pioneiros em um processo em direção a uma conexão humana mais positiva, podemos esperar um futuro em que todos, exceto alguns judeus, serão antissemitas.

Portanto, nós judeus, em primeiro lugar, precisamos mostrar a todos como a unidade acima das crescentes divisões hostis da sociedade não é apenas uma possibilidade, mas que existe um método de conexão para guiar todos os nossos passos. Ao implementar esse método em nós mesmos, enviamos ondulações unificadoras positivas por toda a consciência da humanidade e atraímos uma atitude oposta ao antissemitismo sobre nós mesmos em troca. Em outras palavras, testemunhando um aumento da conexão positiva e subsequentes aumentos de felicidade, apoio e confiança na sociedade em geral, a atitude geral em relação a um povo judeu unificado se tornaria favorável e encorajadora.

No entanto, se o povo judeu continuar rejeitando, ignorando ou permanecer inconsciente da mensagem da necessidade de se unir, então, em vez de ver a unidade se formar na corrente principal da sociedade, podemos esperar que a unidade se forme cada vez mais nas margens da sociedade, ou seja, como nazistas e unidade fascista. Essa unidade é perigosa, pois se baseia na união em torno do ódio do outro e se torna a infraestrutura que pode levar à manifestação de eventos horríveis, como exemplificado pelo Holocausto.

Portanto, espero que os judeus em geral, e especialmente os americanos, comecem a perceber que a bola está em nossas mãos e que precisamos jogar bem: priorizar nossa unidade para difundir a unidade. Se fizermos isso, experimentaremos um melhor estado geral na América e no mundo. Contudo, se não entendermos o que a sabedoria da Cabalá está dizendo sobre esta questão premente, o estado se tornará muito pior.

Por Que Os Judeus Podem Trazer Unidade Para O Mundo? – Conversa Com Matt Beat

Quando você menciona “os judeus” em uma conversa, a reação de seu companheiro amável e amigável pode ser imprevisivelmente negativa. Há algo de secreto, ótimo e até misterioso no povo judeu. Por que atraímos emoções tão controversas?

Os judeus são o grupo originado cerca de 3.800 anos atrás por Abraão de 70 nações da antiga Mesopotâmia, o berço da civilização humana. Assim, como uma amostra representativa da população total, o povo judeu passa a ser o minimodelo do mundo.

Portanto, hoje, na situação de uma crise global, se os judeus cultivarem a unidade entre eles, ela se irradiará para todas as outras nações e levará todos a um novo estado positivo, feliz e elevado.

The Jew Function – Canal do YouTube dedicado a esta série

“Judeus Americanos E O Sonho Israelense – Como O Antissemitismo Acelerará Um Êxodo Americano De Judeus” (Breaking Israel News)

O maior portal de notícias Breaking Israel publicou meu novo artigo “Judeus Americanos E O Sonho Israelense – Como O Antissemitismo Acelerará Um Êxodo Americano Judaico”:

O futuro dos judeus americanos está em jogo. Em face da angústia e da adversidade devido ao aumento do antissemitismo virulento nos EUA, os judeus não podem enterrar a cabeça na areia e fingir, como sempre, que a vida é um negócio. A sensação de segurança nos EUA mudou e está entrando em colapso rapidamente. A opção de emigrar para Israel não pode mais ser negligenciada, não apenas como uma questão de sobrevivência, mas também como uma oportunidade para o renascimento da nação judaica.

59% dos americanos consideram o antissemitismo mais intenso do que há 15 anos, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Hudson. De fato, as estatísticas indicam que houve 234 incidentes antissemitas no ano passado, em comparação com 186 casos em 2018, com base em dados oficiais. Curiosamente, enquanto os ataques tendenciosos contra judeus aumentaram 26% na cidade de Nova York em apenas um ano, os crimes de ódio em geral estavam em um nível recorde de baixa. A realidade crua exerce pressões esmagadoras sobre as comunidades judaicas, principalmente nas maiores cidades dos EUA.

Assim, espera-se uma mudança nas tendências predominantes de imigração em um futuro próximo, principalmente nos EUA, já que a possibilidade de fazer Aliyah se torna uma opção cada vez mais atraente.

Um Novo Capítulo Para A Imigração Americana Judaica Em Israel

Um total de 3,3 milhões de imigrantes se mudaram para Israel desde o estabelecimento do Estado judeu em 1948 até 2018, segundo o Escritório Central de Estatísticas. De todos esses imigrantes, apenas 148.083 judeus emigraram dos Estados Unidos, segundo dados da Agência Judaica.

Ninguém espera que amanhã de manhã milhares de judeus americanos cheguem ao aeroporto Ben Gurion – pode levar uma década -, mas os pensamentos sobre a compra de um apartamento em Israel “por via das dúvidas” aumentam. Não há motivo para preocupação com imóveis, no entanto. Israel é um país aberto. Há espaço não apenas para os milhares de judeus que chegarão da América do Norte, mas para todos os judeus da diáspora e até para o futuro ressurgimento das dez tribos perdidas e seus muitos descendentes. Nenhum deles será levado de volta ao mar.

O Livro de Daniel chama a Terra de Israel de “terra dos cervos”. Além disso, como o Talmude explica: “Assim como a pele dos cervos tem a capacidade de envolver seu corpo, mas também diminui quando separada de sua carne, a Terra de Israel pode se expandir para abranger seus legítimos habitantes, mas diminui quando somos exilados dela”. Em outras palavras, se fizermos Aliyah e nos estabelecermos em Israel, haverá espaço para todos.

O que acontecerá nos EUA quando os judeus partirem? Ele vai implodir. Sem o espírito judaico que o preenche e produz seu sucesso e prosperidade, os Estados Unidos perderão seu status de superpotência. Foi o que aconteceu com a Espanha na Idade Média, na França e na Alemanha. Quando os judeus foram expulsos, esses países perderam a grandeza.

O Impacto De Uma Alyah Americana Maciça

A imigração maciça de judeus para Israel projetará um Estado de maior poder israelense aos olhos dos países árabes e os conterá até que a calma desça sobre o Oriente Médio. Claramente, o mundo está em um processo contínuo de maturação. Embora seja verdade que, por enquanto, tenhamos um amigo de confiança na América, mesmo que Trump seja reeleito, a mudança ainda está no horizonte. Imagine multidões de manifestantes odiosos, fartos do governo, convergindo na Pennsylvania Avenue até a Casa Branca sem restrições, batendo os pés até que o governo seja derrubado pela força. Ou talvez alguém que tenha visões antissemitas suba ao poder e a tendência de sentimentos anti-judeus e anti-israelenses aumente.

Nesse cenário, que não é de todo insondável, os judeus não poderão escapar com suas propriedades, certamente não com as indústrias e conglomerados que possam possuir. Na melhor das hipóteses, eles poderão fugir às pressas com apenas uma mala na mão. Sim, a história é obrigada a se repetir. Esse período nos EUA lembrará o período sombrio de oitenta anos atrás. Nem todos os detalhes serão os mesmos, mas as regras do jogo serão assustadoramente semelhantes.

É por isso que hoje, como então, temos que pensar em nosso bom futuro e acelerar a mudança de linhas incompatíveis de pensamento – de rejeitar “a terra dos cervos” ao amor pela pátria. Israel é o lar, o escudo e a fortaleza. Dentro do som estridente do antissemitismo, a voz da proteção Divina nos convida a nos abrigarmos sob o mesmo teto, mesmo que essa não seja a parada final.

Só podemos alcançar nosso destino final de tranquilidade quando alcançarmos a unidade completa na conexão de todas as correntes e opiniões, quando vivermos no “amor acima de todos os crimes” e diferenças. Só então o amargo antissemitismo terminará, bem como os problemas do longo exílio. Quando nos aproximamos por livre escolha para avançarmos em um futuro positivamente conectado, e não para escapar da perseguição, finalmente alcançaremos a redenção. Como o Cabalista e o primeiro rabino chefe de Israel pré-Estado, Rav Kook escreveu:

“Todos os pensamentos e ideias individuais que procedem em um Estado empobrecido e disperso – a atmosfera da terra de outras nações – devem formar um feixe, devem vestir-se em uma intenção geral relacionada à vida de toda a nação, sob a influência da terra de Israel” (Chevyon Oz).

De acordo com Rav Kook e a cadeia de grandes Cabalistas que o precederam, a Terra de Israel era vista como um novo marco espiritual e ali as pessoas que retornavam a Sião seriam obrigadas a realizar seu papel espiritual. Elas acreditavam que a Terra de Israel foi dada ao povo de Israel a fim de formar uma sociedade espiritual exemplar, um viveiro para o trabalho em que o desejo de realização interior é cultivado, muito além dos aspectos de preocupação territorial.

A reunião da diáspora na terra de Israel simboliza o início da realização da ideia espiritual sobre a qual o povo judeu foi fundado: um lugar para alcançar a unidade que transcende nossa estreita existência egoísta para construir um destino comum e florescente para todos.

Qual É A Raiz Do Ódio Contra Os Judeus? – Conversa Com Matt Beat

Ao longo dos séculos, o ódio contra os judeus não pôde ser explicado racionalmente. Alguns povos disseram que os judeus são muito desapegados do resto da sociedade, e outros disseram que envenenaram suas crenças, mas, na verdade, quanto mais os judeus tentavam assimilar e dispersar entre as nações, mais eram odiados. Por quê?

O ódio contra os judeus existe porque, de acordo com as leis da natureza, eles precisam levar o mundo ao estado completo e conectado, mas se recusam a realizar essa tarefa.

O povo judeu é o conjunto das 70 nações do mundo antigo. Assim, conscientemente ou não, eles representam todas as nações do mundo, e a relação entre elas define a relação entre os diferentes grupos étnicos.

O mundo de hoje pede encontrar a solução para a crise geral e de rápido crescimento. Essa solução está na natureza da conexão entre as pessoas, e os judeus são os que possuem a chave para isso. Assim que eles mantiverem a união entre eles de acordo com o princípio “ame o seu próximo como a si mesmo”, o mundo inteiro seguirá o exemplo deles, e o ódio se dissolverá e se transformará em apoio.

“The Jew Function” – Canal do YouTube dedicado a essa série

Como A Conexão Entre Judeus Beneficia A Humanidade – Conversa Com Richard S. Hirschhaut

Richard S. Hirschhaut, diretor do Comitê Judaico Americano (AJC) em Los Angeles, encontra o Cabalista Dr. Michael Laitman para discutir os benefícios decorrentes da unidade entre judeus.

Existe uma lei geral da natureza que atrai as pessoas para uma conexão cada vez mais ampla. Hoje, podemos observá-la na tendência global de total interdependência entre todos os domínios do engajamento humano. No entanto, também podemos ver que as relações entre as pessoas se tornaram muito difíceis e, ao contrário do grande sistema, pequenos elementos desse sistema têm um senso interno de independência pessoal.

Um problema menor, mas muito semelhante, apareceu 3.800 anos atrás na antiga Mesopotâmia. Foi uma profunda crise do relacionamento humano, conhecida como a Torre de Babel. No topo dessa crise, Abraão reuniu um grupo vindo dos representantes das nações da antiga Babilônia e os chamou de povo de Israel (“dirigido à força unificadora da natureza”). As especificidades desse grupo eram a capacidade de se conectar conscientemente acima das crescentes rejeições.

Desde a história, sabemos que os judeus se dispersaram e se exilaram, e agora eles se conectam apenas quando há uma pressão externa sobre eles manifestada no antissemitismo e no ódio. No entanto, se hoje, o povo judeu implementar o método de conexão que eles receberam de Abraão, os judeus e o mundo inteiro se beneficiarão com isso, e a humanidade terá a chance de sair da crise com alegria e felicidade

Qual É A Solução Para O Antissemitismo Nos EUA? – Conversa Com Richard S. Hirschhaut

Richard S. Hirschhaut, diretor do Comitê Judaico Americano (AJC) em Los Angeles, encontra o Cabalista Dr. Michael Laitman para discutir o fenômeno do antissemitismo nos EUA, e como estabelecer conexões positivas entre judeus ajudará a unir todas as pessoas.

Os EUA têm o clima mais favorável ao antissemitismo. Infelizmente, hoje, tornou-se uma infraestrutura social onde falar negativamente sobre judeus é normal.

Como podemos mudar a situação?

A solução está nas origens judaicas. Quem são os judeus? Eles são o conjunto de 70 nações que viviam na antiga Mesopotâmia, o berço da civilização. Unidos em uma entidade por Abraão e seus ensinamentos sobre equilibrar nossa inclinação egoísta, criando uma rede de conexões positivas entre as pessoas, eles se tornaram o primeiro e único exemplo da implementação prática desse método.

Hoje, o mundo inteiro é parte de um grande experimento global ao experimentar uma crise, e todos nós precisamos de um método de conexão revelado nos ensinamentos de Abraão para ser aplicado em larga escala. O povo judeu tem o manual para essa conexão. Assim, como um minimodelo do mundo antigo e moderno, o povo judeu precisa apresentar um exemplo de coesão e unidade. Quando fizerem isso, outros seguirão seus passos no caminho para uma vida boa e realizada.

Hoje, muitas comunidades nos EUA estão tentando fazer o possível para garantir a segurança, o bem-estar e o reconhecimento dos judeus entre os outros países. No entanto, nunca é suficiente, a menos que os judeus cumpram seu papel, e o antissemitismo se transforme em amor e apoio.

Como A Conexão Entre Judeus Pode Combater O Antissemitismo – Conversa Com Richard S. Hirschhaut

Richard S. Hirschhaut, diretor do Comitê Judaico Americano (AJC) em Los Angeles, encontra o Cabalista Dr. Michael Laitman para discutir como o estabelecimento de conexões positivas entre judeus ajudará a combater o antissemitismo.

Em nosso tempo, o mundo se torna cada vez mais interconectado globalmente. Assim, uma crise em um lugar do mundo tem o poder de influenciar todos os domínios do envolvimento humano. Como isso está relacionado com o surgimento do antissemitismo?

De acordo com a sabedoria da Cabalá, nossa realidade é moderada por duas forças: negativa (nosso egoísmo, egocentrismo) e positiva (integração, conexão). O ego humano existe naturalmente em constante crescimento, enquanto a integração depende da construção de conexões humanas positivas. Considerando a situação de hoje, a humanidade não tem a capacidade de se conectar acima das atitudes egoístas. O povo judeu, no entanto, tem a capacidade de implementar e passar isso a todos.

Isso nos remete à história do povo judeu e à raiz específica do antissemitismo. Os judeus se originaram na antiga Babilônia como um grupo unido em torno do princípio “o amor cobre todas as transgressões”. Isso significa que eles carregam o método de conexão interior, mesmo que não o tenham conhecido. O ódio contra o povo judeu aparece no ponto em que eles possuem um tipo de chave para a felicidade humana que não conseguem implementar em si mesmos e compartilhar com ninguém.

Portanto, se desejamos o fim do antissemitismo, o povo judeu deve exemplificar o caminho da conexão para todos e, ao fazer isso, a crise irá parar e um novo nível de conexão irradiará para o resto do mundo.

Uma Necessidade Urgente De Unidade – Conversa Com Richard S. Hirschhaut

Richard S. Hirschhaut, diretor do Comitê Judaico Americano (AJC) em Los Angeles, encontra o Cabalista Dr. Michael Laitman para discutir as raízes do ódio contra os judeus e como a unidade judaica pode transformá-lo em amor.

Sete em cada dez judeus nos EUA temem o antissemitismo. De acordo com a sabedoria da Cabalá, esta é uma tendência que só aumentará até que o povo judeu perceba uma necessidade urgente de se unir.

O que precisa acontecer para que o povo judeu sinta a urgência de se unir?

Existem duas maneiras: uma é através de ameaças externas e antissemitismo, que unem os judeus aumentando o sofrimento; e a segunda é um caminho de conscientização, onde o povo judeu pode construir conexões positivas acima da rejeição natural entre si.

Para seguir um caminho positivo e diminuir o antissemitismo, é necessário um amplo esforço educacional, que explique a natureza do ódio contra o povo judeu e, com esse entendimento, a maneira de transformá-lo em amor. Primeiro, os judeus precisam aprender quem eles são, ou seja, o que os torna judeus, qual é o seu papel e como eles têm um método para se unir acima das divisões e diferenças. Então, ao implementar esse método, eles poderão abrir o caminho para uma experiência harmoniosa de unidade e paz, tornando-se uma força imensamente positiva no mundo.