Ataque!

947Ataque! E não pense que você só precisa atacar uma vez. O ataque é necessário para cada subida de grau a grau porque ela ocorre em um salto, em um ataque. E este não é um ataque a um inimigo externo, mas ao muro entre nós: ataque à conexão.

Cada vez que construirmos um novo Partzuf, teremos que superar um novo desejo que é revelado em nós de cima. Você deve aceitá-lo, concordar com ele, atá-lo assim como Abraão atou Isaque.

Ao passar de um estado para outro, sempre há espaço para atacar pela unidade, reaproximação, assistência mútua e garantia mútua. Quando chegamos a isso, temos a honra de subir ao próximo nível.

Este é um ataque para que possamos nos conectar com outras pessoas e, portanto, há apenas um inimigo contra nós: o nosso egoísmo. Quanto mais atacamos, mais forte e persistente ele se torna. Mas, ao mesmo tempo, aprendemos a arte de trabalhar com ele e lutar contra todas as forças que nos impedem de nos unir na dezena como um só coração.

Eu quero ser despertado, inspirado por meus amigos. Se eu despertar sozinho, não é a força certa, não é espiritualidade. A espiritualidade é apenas quando estamos todos juntos. Mesmo que o Criador de repente se revele a uma pessoa individualmente, isso não levará à realização e à conexão adequada e permanente com o Criador.

Cada etapa é como a batalha final na qual coloco tudo o que tenho, toda a minha mente e coração, mas o principal é se conectar com seus amigos e ir juntos. Pressionamos nosso egoísmo para construir um nível espiritual acima dele, uma representação de nossa conexão com o Criador.

No próximo nível, haverá outros obstáculos, outro ataque, outra vitória e revelação do Criador, assim como o jogo de uma criança difere do jogo de um adolescente ou das batalhas de um adulto.

Estamos em guerra com a rejeição interna, a relutância em conectar nossos corações e nos elevar acima de nosso egoísmo, para decidir que a conexão é mais importante do que a separação, e que o poder da unidade, o Criador, é mais importante do que toda a nossa realidade egoísta.

É necessário atacar as forças de separação que não nos permitem ver uma realidade, porque nós mesmos não estamos conectados como uma pessoa com um coração. Portanto, um ataque é necessário.

Você só pode se conectar por um ataque porque, quando nos aproximamos, a força da rejeição começa a agir. É semelhante às forças intra-atômicas, que em curtas distâncias mudam de conexão para rejeição. Da mesma forma começamos a sentir uma grande resistência antes da conexão final, e é por isso que o ataque é necessário aqui.

Nós podemos nos aproximar, nos abraçar, ficar juntos, mas não podemos realmente nos conectar. Isso requer a força superior para nos ajudar a superar a barreira potencial e alcançar a conexão. Há uma divisão entre nós e, para superá-la, é necessária uma grande quantidade de energia potencial que nos impulsionará para cima.

Não somos capazes de fazer isso sozinhos; não temos esse desejo. Mas ajudamos uns aos outros a alcançar o Criador, que nos ajudará a dar esse salto potencial sobre a lacuna que nos separa.

Essa lacuna se manifesta cada vez mais à medida que nos aproximamos e só é possível superá-la com a ajuda da força recebida de cima. Esta é a luz da correção, que não está em nós e não estava em Adam HaRishon. Ela vem apenas em resposta à oração levantada desde a destruição.

Com cada lição, com cada encontro, vamos gradualmente reunindo os desejos, um por um, até que tenhamos acumulado o suficiente para perceber que não somos capazes de romper o Machsom por nós mesmos. Afinal, é impossível pular a barreira potencial à nossa frente, isso só acontece se o Criador nos erguer.

Acontece que este é um ataque ao Criador. E a prontidão para isso é determinada pela extensão em que podemos nos unir em um coração e pedir apenas conexão. No estado de unidade, passamos pela barreira potencial, o Machsom, e descobrimos a força de doação, o Criador.

Da Lição Diária de Cabalá 23/02/20, “Ataque”

“Quais São As Implicações Do Primeiro Mandamento Da Bíblia, ‘Eu Sou O Senhor Teu Deus, Que Te Tirou Da Terra Do Egito, Da Casa Da Escravidão. Não Terás Outros Deuses Diante De Mim’?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Quais São As Implicações Do Primeiro Mandamento Da Bíblia, ‘Eu Sou O Senhor Teu Deus, Que Te Tirou Da Terra Do Egito, Da Casa Da Escravidão. Não Terás Outros Deuses Diante De Mim’?

Este é o mandamento mais fundamental. Isso significa que existe uma única força no mundo que está acima e além de tudo. Esta força nos desenvolve através dos níveis inanimado, vegetativo e animal da natureza, até o nível chamado “falante” ou “humano”, que em hebraico é “Adão”.

Adam (“humano”), que vem de “Adameh le Elyon” (“semelhante ao mais alto”), é aquele que entende e sente a conexão com a força abrangente da natureza, o Criador.

Apesar do progresso da humanidade na ciência, tecnologia e arte, a vasta maioria da humanidade existe no nível animado. O nível animado, isto é, nosso estado animal, define nossa consideração primária de benefício próprio em vez de beneficiar os outros e a natureza. Em outras palavras, é quando estamos encerrados em nossa natureza egoísta inata.

Podemos sair de nossa natureza egoísta, ou seja, “fora da terra do Egito, fora da casa da escravidão” e subir ao nível humano, onde aceitamos a influência da força superior na realidade, o Criador, ou como é escrito no mandamento: “Eu sou o Senhor teu Deus”

Baseado na palestra “Estados Espirituais: Os Dez Mandamentos” em 26 de dezembro de 2019. Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

“Como Podemos Parar O Abuso De Substâncias” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “Como Podemos Parar O Abuso De Substâncias

Quase cinquenta anos atrás, em 18 de junho de 1971, o então presidente Richard Nixon declarou que o consumo de drogas era o “inimigo público número um”. Mas meio século depois, podemos declarar que a guerra contra as drogas é uma causa perdida. As drogas são legais em quase todos os lugares e, em alguns lugares, até as drogas pesadas são permitidas por lei. O que antes era inescrupuloso agora é um dado adquirido.

Se, em algum momento, alguém quiser reduzir a dependência das drogas, há uma maneira fácil de fazer isso: aprender sobre o propósito da vida. A intuição das pessoas está correta, sua frustração justificada. A vida tem mais coisas do que os anos que passamos como uma forma de vida proteica. A vida é eterna, completa, e cada elemento nela está conectado a todos os outros elementos, e o homem estava destinado a revelar tudo e experimentar esta eternidade.

Não devemos nos surpreender com isso. A legalização das drogas, incluindo as drogas pesadas, é um processo contínuo há várias décadas. Foi a única solução em que as autoridades conseguiram pensar para o problema crescente da frustração das pessoas com a falta de sentido em suas vidas. Portanto, em vez dos cigarros, que não entorpecem a mente das pessoas, mas sim as ajudam a pensar, as autoridades decidiram nos entorpecer deslegitimando os cigarros e legalizando as drogas.

E enquanto estão nisso, as autoridades perceberam que poderiam fazer uma fortuna com isso, usando viciados como uma espécie de “público cativo”, se você quiser, para dar-lhes uma renda segura, e centenas de milhões de usuários recreativos para fazer lucros enormes. Como forma de conversa, as autoridades nos lembram que o uso de drogas é uma escolha nossa e voluntária.

Mas não é realmente nossa escolha. A humanidade usa drogas desde tempos imemoriais. A vida sempre foi difícil e as drogas sempre foram uma forma de fazer as coisas parecerem mais fáceis e nos dar um pouco de fuga das adversidades diárias.

O problema é que as dificuldades de hoje são menos existenciais e mais emocionais. A maioria das pessoas, pelo menos no mundo desenvolvido, pode se sustentar no nível físico. No entanto, elas não entendem por que precisam, qual é o propósito da vida? A maioria das pessoas não racionaliza ou verbaliza sua frustração, mas a pergunta básica que milhões de pessoas fazem é algo assim: “Então, tudo bem, posso me virar; tenho o suficiente para comer, um teto sobre minha cabeça, roupas para vestir e até algum dinheiro para gastar em entretenimento. Mas para que serve tudo isso? Afinal, por que passo o tempo de um dia para o outro? Qual será o resultado da minha vida? O tempo que passei nas redes sociais? As incontáveis ​​horas que passei jogando jogos online? Qual é o verdadeiro sentido da minha vida?” Incapaz de responder a esta pergunta, muitas pessoas recorrem a várias formas de escapismo, como esportes radicais, viagens frenéticas, trabalho compulsivo, violência e agressão contra si mesmas ou outras pessoas, e muitas vezes também ao abuso de substâncias, legais ou ilegais.

Nenhuma proibição funcionará quando se trata de abuso de substâncias, e nem penalidades ou guerra às drogas. Afinal, você não pode prender todos, é simplesmente muito caro. Pior ainda, as autoridades obtêm enormes lucros com o vício das pessoas, então não têm interesse em conter o consumo de drogas, pois isso prejudicaria seu lucrativo negócio.

Porém, se em algum momento alguém quiser reduzir a dependência das drogas das pessoas, há uma maneira fácil de fazer isso: aprender sobre o propósito da vida. A intuição das pessoas está correta, sua frustração justificada. A vida tem mais coisas do que os anos que passamos como uma forma de vida proteica. A vida é eterna, completa, e cada elemento nela está conectado a todos os outros elementos, e o homem estava destinado a revelar tudo e experimentar esta eternidade.

As células em nosso corpo não funcionam como seres autônomos, mas como elementos de um sistema maior que é o nosso corpo. Cada célula funciona da maneira que precisa e pelo tempo que precisa, mas a consciência de todo o corpo é o que determina como as células funcionam e por quanto tempo elas vivem. Nós também somos elementos do sistema mais amplo da natureza, ou realidade, e temos um certo papel a desempenhar e um certo período para desempenhá-lo. Se tivermos consciência de todo o corpo, do qual fazemos parte, não sentiremos nossa própria existência finita, mas a existência infinita de todo o corpo. Nosso propósito nesta vida é mudar nossa consciência da consciência autocontida de nossa existência física para a consciência expansiva de toda a realidade.

Se conseguirmos isso, não teremos problemas como frustração com a vida, depressão porque não conseguimos encontrar seu sentido, e todos os outros problemas relacionados à depressão desaparecerão por si mesmos. Na verdade, se começarmos a pensar como um corpo completo e não como células separadas, todos os nossos problemas desaparecerão, não apenas o abuso de substâncias, pois nos sentiremos como uma entidade e cooperaremos para criar as melhores condições possíveis para todos nós. Quando conseguirmos isso, vamos parar de lutar uns contra os outros, parar de nos fazer mal, parar de abusar uns dos outros e de toda a natureza, e deixaremos de usar drogas.

Como O Ego Crescente Nos Ajuda?

261Pergunta: Qual é o valor das decisões do homem se todas elas derivam do ego?

Resposta: Elas são necessárias para descobrir que você não pode obter a verdade do egoísmo. Mas você ainda avança graças ao ego. Por um lado, muitos sentimentos e experiências aparecem em nós que alcançamos com a ajuda do ego.

Por outro lado, começamos a perceber que não alcançaremos a verdade dessa forma. Precisamos ascender acima do egoísmo e então começaremos a pensar sobre o que significa fé acima da razão.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 15/12/19

Ame O Professor

766.4Pergunta: Como o professor e seus alunos são definidos no sistema espiritual? Como eles procuram se encontrar? Todos parecíamos ter algum tipo de chamado, um despertar.

Resposta: Depende da nossa conexão na alma comum, que se manifesta neste mundo.

A última vez que estive na Inglaterra, me encontrei com um professor espiritual sufi. Ele era um homem muito velho, nunca mais saía da cama. Mas o tempo todo um jovem, um inglês nativo, John, de 30 a 35 anos, estava ocupado com ele. Ele literalmente rastejou na frente do professor de joelhos, ajudou-o, cuidou dele.

Falei com esse sufi, que é muito famoso no mundo árabe, aliás. Ele mesmo é do Irã, mas saiu a tempo porque os sufis foram perseguidos lá.

Contei a ele sobre meu professor e que ele havia morrido recentemente. Quando perguntei se ele poderia ser meu professor, ele respondeu muito simplesmente: “Você sabe que deve me amar”. Uma resposta muito direta. Isso mesmo, é assim que eles escolhem. Ou seja, se você começar a amar o professor pelo que ouve, pelo que recebe dele, então você é um aluno, e ele é um professor, e se não, não.

Pergunta: Por nada mais? Afinal, muitas pessoas procuram uma espécie de patrono, uma espécie de figura paterna.

Resposta: Não, então isso não é espiritualidade.

Comentário: Quando alguém ouve suas aulas, fica maravilhado com grande alegria e deleite, um sentimento que preenche, inspira e conforta. Essa é a resposta certa? Não pode ser ordenada, está lá ou não.

Minha Resposta: Correto. Tudo depende da abertura da alma do aluno, que ouve o que o professor diz, e assim sua alma responde.

Pergunta: E se a pessoa não responder, mas ainda quiser realmente?

Resposta: Significa que ele responderá em breve.

De KabTV, “Professor-Aluno”, 02/07/19

Como Encontrar Uma Alma Gêmea

632.3Comentário: Uma sabedoria indiana diz: “Nem mãe, nem esposa, nem irmão, nem filhos podem ser tão confiáveis ​​quanto um amigo verdadeiro”.

Minha Resposta: Isso é óbvio. Como todos eles estão biologicamente relacionados a você, eles dependem de você e você deles. Se não fosse por essa dependência biológica, eles provavelmente não estariam perto de você.

E aquele que está perto de você sem ser seu parente, está perto de você mentalmente, você pode realmente contar mais a ele, explicar mais a ele, estar mais perto dele.

Um amigo é um nível completamente diferente. Vocês estão perto um do outro. Vocês já foram criados nesta única alma de Adão de tal forma que existe alguma conexão entre vocês. No entanto, vocês não são parentes. As conexões entre parentes só são boas no nível do nosso mundo. No entanto, uma conexão sensorial e espiritual só é possível com amigos.

Pergunta: Quem você chama de amigo verdadeiro?

Resposta: Aquele com quem você pode se conectar para revelar o Criador. Aqui, o Criador é a fonte de nossa conexão, então nos sentimos próximos uns dos outros e desenvolvemos essa conexão para revelar mais o Criador.

O Criador nos criou próximos uns dos outros porque Ele quer ser revelado em nós. Nós sentimos isso entre nós como uma espécie de proximidade espiritual, e por isso somos amigos, nos aproximamos para revelá-Lo ainda mais entre nós.

Pergunta: Então, Sua convocação vem primeiro?

Resposta: Claro. Tudo isso é o sistema de Adão, no qual estamos todos encerrados, amarrados. Tudo é planejado com antecedência. Só precisamos fazer um pequeno esforço por nós mesmos.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 22/10/20

Cohens, Levitas, Israel

557Zohar para Todos, VaYera: “Você deve multiplicar a nação, deve aumentar sua alegria” são os sacerdotes. “Eles se alegrarão na Tua presença como com a alegria da colheita” é Israel, a quem o Criador abençoa com a colheita do campo e eles dão o dízimo de tudo. “Como se alegram quando repartem o despojo” são os levitas, que recebem o dízimo do celeiro.

O Criador é a qualidade de doação e amor. Alcançar o amor ao próximo é o mandamento principal, a base de toda a Torá, de tudo o que precisamos fazer. Se alcançarmos essa qualidade, nos tornaremos semelhantes ao Criador. Este é o propósito do nosso desenvolvimento.

Por que existimos agora, aqui, neste mundo? Para que possamos criar uma condição em que a qualidade de doação e amor, chamada de Criador, seja revelada entre nós, retornando a este mundo até alcançarmos a qualidade de doar ao nosso próximo.

No caminho para adquirir essa qualidade, temos várias forças que podemos de alguma forma variar, controlar e finalmente formar em nós mesmos. Existem apenas duas forças: a linha direita é a força de doação, a força do Criador, que podemos atrair se quisermos corrigir a linha esquerda, a força do egoísmo que existe em nós. Essas duas forças opostas são representadas por Cohen (sacerdote) e Levi.

A terceira força, a linha média, nós criamos a nós mesmos combinando as forças direita e esquerda para formar a partir de nós mesmos semelhança com o Criador, que é chamada de “Israel” (“Yashar El“, “direto ao Criador”), ou seja, aquele que almeja a semelhança com o Criador. Essa é a nossa tarefa.

Portanto, é dito: pegue tudo que puder do Cohen, da linha direita que ilumina algum tipo de luz sobre você, e tire tudo que puder da linha esquerda, do seu egoísmo.

Com a ajuda da linha direita, precisamos explorar a linha esquerda. Para separar o dízimo disso, a parte que você não consegue corrigir, porque é o seu egoísmo e é muito grande. Portanto, você pode corrigir noventa por cento dele, mas não pode corrigir os dez por cento restantes.

Ou seja, a correção desta parte é que você simplesmente a separa sem trabalhar em si mesmo. Feche os olhos, arranque-a de você e pronto. Desta forma, ela se corrige. Você pode corrigir os outros noventa por cento na linha direita porque sua força pode lidar com noventa por cento da linha esquerda.

Quando você as combina corretamente entre si, conectando todas as suas qualidades egoístas à intenção a fim de doar com a linha direita, você constrói uma linha média, que é chamada de “Israel – direto ao Criador”, de forma semelhante ao Criador.

Pergunta: O que significa “Você deve multiplicar a nação”?

Resposta: Significa elevar-se com seu trabalho. Quando você constrói a linha média, você está sempre se elevando nela, como se estivesse em um elevador, em uma semelhança cada vez maior com o Criador.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 6

A Diferença Entre Torá Oral E Escrita

227Pergunta: Existe alguma diferença entre Torá oral e escrita em termos de influência sobre uma pessoa?

Resposta: Claro. A Torá oral é superior à Torá escrita porque é transmitida boca a boca, ou seja, através de telas comuns entre professor e aluno.

Pergunta: Mesmo se você quisesse, é impossível transmitir isso por escrito?

Resposta: Não. Ninguém entenderia. Estas não são palavras.

Pergunta: É por isso que a Torá diz que é proibido?

Resposta: O que a Torá chama de proibido significa impossível, impossível de transferir. Quando as pessoas foram para o exílio, começaram a escrever tudo porque era necessário salvar alguma coisa. Houve tal desejo e uma lei foi aprovada para permitir a gravação.

Pergunta: Por que não está claro o que está escrito no Talmude, na Mishná e no Livro do Zohar?

Resposta: Tudo está claro no Talmude e na Mishná. Tudo é explicado ali alegoricamente, na linguagem dos ramos.

Comentário: Mas para uma pessoa que não está em realização, isso é incompreensível.

Minha Resposta: Para uma pessoa que não está em realização espiritual ou que não entende nem mesmo aproximadamente o que é dito em todos esses livros, toda a Torá, tudo o que ela descobre é como um livro de biologia, zoologia, história ou algum tipo de conto de fadas.

Na verdade, a Torá é uma instrução para a correta inclusão mútua e unificação das pessoas, na qual o Criador ou vida se manifesta, o que, em princípio, é o mesmo. Como quando as células do corpo estão conectadas, a vida se manifesta nele, então, quando as pessoas se unem, a força vital se manifesta no nível seguinte.

Há pessoas que alcançaram isso e o descreveram em seus escritos. Portanto, tudo o que foi declarado por eles é chamado de Torá escrita.

Existem coisas que não podem ser descritas. Elas são reveladas apenas por meio do contato interno entre professor e aluno, denominado boca a boca (mi peh el peh). Esta é a Torá oral.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 03/06/19

Movimento Browniano

538Baal HaSulam, “Paz no Mundo”: Tudo na realidade, bom ou mau, e até mesmo o mais prejudicial do mundo, tem o direito de existir e não deve ser destruído e erradicado do mundo. Devemos apenas consertá-lo e reformá-lo porque qualquer observação da obra da criação é suficiente para nos ensinar sobre a grandeza e perfeição de seu Operador e Criador. 

Pergunta: Coisas terríveis aconteceram ao longo da história: assassinatos monstruosos, o genocídio de nações inteiras. Você pode explicar como os piores estados ajudam a humanidade a avançar em direção a um objetivo mais elevado?

Resposta: O fato é que consistimos em um desejo muito vívido de desfrutar. Queremos nos sentir bem. E quando nos sentimos mal, ele nos empurra para o próximo estado, ao que parece, melhor. Nele, sentimos que estamos saindo do passado por um tempo, mas ainda sentimos que é ruim. Ele também nos empurra para o próximo estado. E assim nos movemos constantemente.

Esse é o nosso destino, nossa história, nosso desenvolvimento e tudo o que acontece.

Como não nos movermos assim por acaso, ao longo do movimento browniano, deste “ruim” para outro “ruim”, um terceiro e assim por diante? Como podemos ver nosso caminho com antecedência, para que possamos passar do mal ao bem e do bem ao melhor?

Isso não acontece. Existem períodos melhores, períodos piores, mas, em princípio, nada radicalmente melhor acontece.

Portanto, temos um problema: o que está acontecendo conosco e com a natureza? Vemos como a natureza inteligente criou corpos físicos, mentes, qualidades, sentimentos e tudo mais, isto é, um enorme superorganismo no qual somos insetos pequenos, mas muito desagradáveis.

Pergunta:  Tudo isso é para percebermos o mal de nossa natureza egoísta?

Resposta: Não só. Obviamente, por meio dessa consciência podemos mudar a nós mesmos e, de acordo com isso, mudar toda a natureza. Afinal, por um lado, somos os seres mais egoístas deste mundo e, por outro lado, somos os mais ativos, fortes e poderosos.

Portanto, precisamos descobrir o que podemos fazer com nosso grande potencial e nosso grande egoísmo maligno.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 13/05/19

Meus Pensamentos No Twitter 27/02/21

Dr Michael Laitman Twitter

Todas as novas formas do #coronavirus estão incitando a humanidade em direção a uma nova ordem social, que Baal HaSulam descreveu no artigo “A Última Geração”. Cada um trabalha no grau necessário para a sociedade, aprendendo a prática da unidade universal e praticando a unidade universal. Seja pela consciência ou pelo sofrimento.

Do Twitter, 27/02/21