Crise e a Resolução

Um artigo escrito para o Fórum do Espírito Mundial em Arosa, Suíça, Janeiro de 2006.


Conteúdo:
*A Crise
*Altruísmo é o princípio da vida
*Surgimento de um conflito
*O prazer eterno existe somente em desejos altruístas
*Um longo caminho e um curto para a resolução da crise
*Altruístas e egoístas na sociedade
*Plano para resolver a crise
*Criando uma nova civilização
*O time de resgate da Humanidade

Apêndice: Plano tático de curto e médio prazo
*Objetivos do plano
*Trabalho colaborativo
*Centro de informação
*Departamento de informação e explicação (em ordem de prioridades)
(I) Internet
(II) Comunicação de massa
*Publicações impressas
*Áudio
*Propaganda
*Colaboração com organizações similares
*Aproximando-se de instituições globais
*Possibilitar a criação de um centro de pesquisa internacional pelo altruísmo
*Proposta para pressionar corporações a se tornarem benevolentes
*Exemplos práticos de implementação dos conceitos acima
*Urgência

A Crise

A crise global da humanidade é óbvia. Depressão, drogas, desintegração das famílias, terrorismo, sistemas sociais não sustentáveis, a ameaça de uso de armas nucleares e catástrofes ecológicas são os seus sinais.  O novo livro do professor Ervin Laszlo, “O ponto do caos”, apresenta uma descrição compreensiva da crise.

O crescente risco do uso de armas nucleares, que pode acontecer, deixa clara a ameaça para a existência de toda a humanidade. Muitos cientistas acreditam que a humanidade não tem muito tempo para prever que a crise evolua ao ponto de uma guerra termonuclear ou uma catástrofe global ecológica.

Embora os sinais de uma crise sejam evidentes, como regra, sua existência e agravação são encobertas por governos, organizações sociais, cientistas, sociólogos e psicólogos. A razão pelo deliberado encobrimento da crise está no fato de que os que a dissimulam não vêem meios de corrigir o seu estado atual. Então, a “política avestruz” meramente agrava o problema e acelera a catástrofe que está por vir.

Um provérbio médico diz que “um diagnóstico preciso é metade da cura”. O encobrimento da nossa doença e subestimação da sua gravidade constitui uma direta ameaça para a vida.

Embora o problema principal da civilização seja vencer a crise global, bem como resolvê-la, é requerido primeiro que seja resolvido o grave desafio de explicar o estado atual da crise ao público. Se o público entender a razão da crise e aceitá-la, isso, por si, vai facilitar a sua resolução. Hoje, muitas pessoas ainda estão procurando por uma solução no progresso científico, tecnológico, cultural e social, esquecendo o fato que depender desses para o progresso é o que nos trouxe atualmente para o nosso péssimo estado atual.

Para prever agravamento maior da crise, é exigido:
1. Reconhecer a existência da crise
2. Revelar as suas causas
3. Entender a existência de uma alternativa e possibilidades de resolução
4. Desenvolver um plano para resolver a crise
5. Executar o plano

De forma lamentável, não somente a humanidade bem como a sociedade estão num estado crítico. Toda a natureza está chegando à catástrofe junto conosco. Então, para entender a origem da crise, devemos analisar os princípios da própria natureza.

Altruísmo é o Princípio da Vida

Altruísmo é definido como preocupação pelo bem estar do próximo. Pesquisas acerca do altruísmo revelam que ele não somente existe na natureza, mas também é a base para a existência de cada ser vivo.

Um objetivo vivente é algo que recebe do seu ambiente e concede a ele. Cada organismo vivo engloba uma combinação de células e órgãos que trabalham juntos e complementam um ao outro em perfeita harmonia. Nesse processo, eles são obrigados a conceder, influenciar e ajudar um ao outro. A lei das integrações das células e órgãos está de acordo com o princípio altruístico de “um por todos” e opera em todo organismo vivo.

Reciprocamente, a essência de toda a matéria constitui diferentes medidas de um desejo a ser preenchido com poder, vitalidade e prazer. A intensidade desse desejo cria os vários níveis da natureza: inanimado, vegetal, animal e humano. A intensidade do desejo, além disso, determina cada processo dentro desses níveis, constitui e forma cada fenômeno do mundo na nossa frente. Cada nível superior é uma manifestação de um grande desejo e contém todos os níveis prévios.

Ao obter a unidade da natureza através do princípio “um por todos”, nós começaremos a perceber a exclusividade do fenômeno humano e seu lugar no mundo. A peculiaridade dos humanos, comparada com o resto da natureza, está não somente no poder do caráter dos seus desejos, mas no fato que os desejos humanos estão continuamente mudando e evoluindo. Então, esses desejos são a força motivadora que impulsiona e desenvolve a civilização.

Com a exceção dos humanos, toda a natureza consome somente o que precisa para o seu sustento. Humanos desejam mais comida, mais sexo e mais conforto físico do que precisam para o seu sustento. Essa situação é especialmente verdadeira em desejos que são únicos dos humanos, pela (sem fim) procura pela riqueza, poder, honra, fama e conhecimento.

Desejos por coisas que são necessárias para a existência não são considerados egoístas, porém, naturais, já que eles vêm de acordo com os comandos da natureza. Esses desejos estão presentes no reino inanimado, vegetal, animal, bem como nos humanos. Somente os desejos humanos que excedem o que é necessário para a existência são egoístas.

Em adição ao fato de que o desejo humano cresce exponencialmente, eles incorporam prazer em humilhar os outros, ou ao ver os outros sofrerem. Esses desejos não nos são dados pela natureza, mas infundidos em nós através da educação e ambiente social.

Nosso contínuo envolvimento com esses desejos indica que nós não completamos a nossa evolução. Somente esses desejos podem ser considerados altruístas ou egoístas, de acordo com o propósito que os usamos. No presente, seu desenvolvimento proporciona progresso junto à uma crise abrangente.

Como mencionado acima, todas as forças da natureza além do ego humano estão em equilíbrio, formando um único sistema, e somente o homem perturba sua harmonia. Tudo na natureza é unido e aspira por equilíbrio dentro de si e com seu ambiente que o cerca.  A violação do equilíbrio conduz à desintegração do organismo, doença e a morte do organismo. A possibilidade de manter e restaurar o equilíbrio é uma condição necessária par a existência da vida.

Surgimento de um Conflito

De toda a natureza, somente os seres humanos se relacionam com os outros tendo intenções maliciosas. Nenhuma outra criatura machuca, degrada, explora outra, produz prazer da opressão das outras ou aproveita sua aflição. O uso egoísta dos desejos humanos, com a intenção de se auto elevar à custa dos outros, leva a um precário desequilíbrio com o mundo que nos cerca. O egoísmo humano é a única força destrutiva que existe; então, o mundo não poderá prosseguir até mudarmos nossa abordagem para com a sociedade.

Egoísmo de uma parte traz a morte ao todo. Se uma célula num organismo vivo começa a se relacionar de maneira egoísta em relação às outras, ela se torna cancerígena. Tal célula começa a consumir as próximas que a cercam, indiferente a elas ou às necessidades de todo o organismo, e então, por fim, extingue todo o corpo incluindo a si mesma. O mesmo se aplica ao egoísmo humano com respeito à natureza: enquanto se desenvolve para si mesmo, separado do resto da natureza e não como uma parte integral dela, ele leva tudo à morte, incluindo a si mesmo.

As células podem existir, se desenvolver e se multiplicar somente através da interação como um único todo. A lei da interação altruísta funciona em todo o ser, exceto nos humanos; a eles, é dado o livre arbítrio para perceber totalmente a necessidade do altruísmo e para voluntariamente manter essa abrangente lei da natureza.

A globalização e o desenvolvimento da sociedade humana nos impulsionou a vermos o mundo como um único todo, abrangido por opostos. Ao pesquisar o espaço que nos cerca, revelam-se as interconexões entre todas as suas partes, o desenvolvimento da sua causa e efeito e o propósito das suas ações. A perfeição do mundo está na unidade dos seus elementos; que será concretizada somente através da coexistência de todas as porções da natureza, enquanto cada lado trabalha para sustentar todo o sistema.

Como mencionado antes, exceto para os humanos, toda a natureza completa a sua pré- destinação. Então, é evidente que o problema da humanidade é equilibrar os desejos excessivos de cada pessoa com a natureza, para se tornar uma parte integral e agir como um único organismo. Posto de maneira diferente, a tarefa da humanidade é se tornar altruísta.

Prazer Eterno só Pode Existir nos Desejos Altruístas

O prazer é sentido somente no ponto de contato entre um desejo e sua realização. No momento que o prazer concretiza o desejo, a vontade desaparece, porque o desejo recebeu o que queria. Posteriormente, o prazer desaparece junto com a vontade.

Então, quanto maior o desejo, mais vazia a pessoa se tornará quando tentar realizá-lo. Esse vazio e inabilidade de realizar nossos desejos nos força a constantemente procurar por novas realizações, e a passar  nossas vidas inteiras nesse estado até que nos esgotemos à morte.

A solução para esse “truque” está na realização altruísta; nessa, o lugar que é preenchido é diferente do local do desejo, porque no altruísmo eu obtenho prazer ao agradar os outros. Pelo fato do prazer estar no outro, ele não neutraliza meu desejo; assim, quanto mais eu satisfizer os outros, mais posso ter prazer. Esse modus operandi é o princípio de receber o prazer eterno que todos nós queremos.

Um Longo Caminho e Um Curto para a Resolução da Crise

Uma pessoa pode avançar em direção ao entendimento que o egoísmo é a raiz do mal, através do caminho do sofrimento ou através de um caminho muito mais curto – o da correção. Além disso, o caminho do sofrimento não é um caminho, meramente o extensão de tempo necessária para a compreensão das horrorizantes conseqüências da teimosia e do  egoísmo.

Assim, tão logo uma suficiente quantidade de sofrimento tiver sido acumulada, uma pessoa entenderá que haverá mais lucro na correção do que no sofrimento, e se empenhará para mudar. Então, ao invés de seguir o caminho longo, haverá um caminho curto e fácil para a correção. Nós podemos adquirir conhecimento acerca da estrutura do mundo, sua casualidade e propósito, antes que nos encontremos com a aflição. Através desse conhecimento, nós aceleramos o entendimento que egoísmo é ruim, então, evitando a necessidade de perceber o mal no egoísmo sobre a pressão da aflição.

Embora pareça que nós somos livres para fazer o que desejarmos, na verdade, seguimos os mandamentos dos nossos genes e nos atemos à influência do ambiente social. Essas influências e mandamentos determinam todos os nossos valores, nos mostrando como é vantajoso ser poderoso e próspero. Nós trabalhamos duro em toda  nossa curta vida somente para receber o reconhecimento da sociedade de como, com êxito, mantemos seus valores. No fim do dia, nós mal vivemos para nós, mas nos esforçamos para receber aprovação aos olhos de nossos filhos, nossa família, nossos conhecidos e sociedade em geral.

Dessa forma, para corrigir, devemos mudar os valores sociais, os padrões que a sociedade define, e suas definições de sucesso. Então, se quisermos evitar sofrimento e destruição e a fim de chegar a uma nova civilização rapidamente e facilmente, temos que disseminar o conhecimento sobre a crise, sua causa e sua correção.

Altruístas e Egoístas na Sociedade

De acordo com cientistas, altruístas são aproximadamente 10% da humanidade. A porcentagem de altruístas na sociedade é constante. Essa porcentagem é geneticamente condicionada e existe sem restrição a fatores externos, como influência da família, educação e sociedade. Altruístas não desaparecem, pois o gene altruísta está oculto dentro de uma pessoa e não pode ser destruído.

Embora 90% das pessoas em qualquer sociedade sejam egoístas, a cultura, ciência, arte, religião, ética, a lei e a educação são baseadas totalmente nos conceitos altruístas nos 10% da sociedade. É assim porque o comportamento altruísta é vantajoso para todos. O altruísmo regra a educação: as escolas nos ensinam a sermos altruístas; somos ensinados a ser honestos, trabalhar duro, respeitar os outros, compartilhar o que temos com eles, ser amigos e a amar o próximo. Tudo isso acontece porque o altruísmo é benéfico à sociedade.

As leis de funcionalidade dos organismos vivos nos ensinam que a existência de um ser vivo depende do trabalho cooperativo de todas as suas partes. Os altruístas natos naturalmente se engajam em ações altruístas, mas para as egoístas, tais ações parecem totalmente impossíveis. Apesar de sua natural natureza egoísta, a consciência da lei dos organismos vivos leva à co-existência altruísta nas células em cada organismo.

Semelhantemente, a percepção dos benefícios do comportamento altruísta está presente numa sociedade humana egoísta. Ninguém no mundo diligentemente se opõe aos atos altruístas. Pelo contrário, todas as organizações e personalidades publicam seu envolvimento em ações altruístas e se orgulham delas. Ninguém, abertamente, se opõe à disseminação de ideais altruísticos no mundo. Então, evidentemente,  o sucesso em trazer à humanidade facilmente e rapidamente para a nova civilização, depende somente da unificação das organizações altruístas e a disseminação da mensagem.

Plano para a resolução da Crise

O objetivo das forças altruístas é formar valores altruístas na sociedade. O meio para mudar o nosso comportamento de egoísta para altruísta é mudar nossas prioridades e valorizar a hierarquia. Precisamos estar convencidos de que a doação para sociedade é muito mais importante e que vale mais à pena do que a recepção. Em outras palavras, cada pessoa deve vir a sentir uma realização maior em dar à sociedade, do que qualquer aquisição egoísta.

A opinião pública é o único meio para facilitar este objetivo porque a coisa mais importante para uma pessoa é a apreciação da sociedade. Os humanos são feitos de uma forma que receber a aprovação da sociedade é o propósito da vida.

Este elemento é tão intrínseco que todos negam que o propósito de cada ação é adquirir a apreciação da sociedade. A questão da nossa motivação para a ação nos tira de guarda. Podemos afirmar que somos motivados pela curiosidade ou até mesmo dinheiro, mas não admitimos o incentivo real – reconhecimento da sociedade!

Como mencionado acima, humanos são feitos de forma que o ambiente humano determina todas nossas predileções e valores. Somos totalmente e involuntariamente controlados pela opinião publica. É por isso que a sociedade pode infundir seus membros em qualquer modo de comportamento e qualquer valor, mesmo o mais abstrato. Um bom exemplo para o império da sociedade é o consumo diário moderno de mercadorias. Então, a sociedade sistematicamente se engaja na criação de valores artificiais e modas, estimulando assim um consumo adicional.

Para permitir a formação de valores na sociedade humana, sua parte altruísta deveria unir e influenciar a comunicação em massa, instituições educacionais e várias organizações do estado e sociedade.

O público deve receber conhecimento sobre o seguinte:
*A natureza do mundo e seu todo (integridade), propósito e programa;
*A natureza da crise;
*A causa da crise – a natureza egoísta da natureza;
*E a possibilidade vencê-la somente pelos meios de mudar a natureza humana.

O perigo de uma situação crítica requer que a humanidade – fora do receio de auto-destruição – exalte a razão fundamental do altruísmo usando a comunicação em massa e todos os meios possíveis (veja o apêndice para maiores detalhes). Uma formação contínua e com propósito da opinião pública, vai fornecer a cada pessoa um ambiente que vai forçá-las a doar para a sociedade.

A modificação das tarefas da sociedade requererá a mudança dos sistemas educacionais e planos, iniciando desde uma idade muito precoce. Além disso, requererá transformações fundamentais em todas as áreas de educação e cultura. Toda a mídia terá que aprovar e avaliar eventos de acordo com seu benefício à sociedade, de forma que crie um ambiente de educação para doação à sociedade. Usando cada meio de comunicação em massa, propaganda, persuasão e educação, a nova opinião pública deve abertamente e definitivamente denunciar ações egoístas e exaltar ações altruístas como razão fundamental.

Através da influência intencional da sociedade todos aspirarão receber somente o que é necessário da sociedade, para se sustentar, e não poupar esforços em exercer benefícios à sociedade para poder receber sua apreciação.

Primeiramente, todos trabalharão em benefício da sociedade sobre compulsão e influência ambiental. Mas o apoio e o reconhecimento de tais ações pela sociedade trarão uma satisfação tão completa, que as pessoas começarão a avaliar o ato de doação à sociedade como  princípio fundamental, exclusivo, mesmo sem recompensa do ambiente para cada ato de doação. Esse processo elevará o nível da consciência humana para o nível da nova civilização.

Já que a atividade das forças altruístas do mundo levará ao equilíbrio com a natureza, a humanidade receberá apoio da natureza na forma de redução abrangente dos sintomas da crise. A similaridade crescente com a natureza produzirá uma transformação positiva na ecologia e sociedade.

Criando uma Nova Civilização

A transição da humanidade da civilização egoísta para altruísta se desdobra em dois estágios:
*Unificação de todos os elementos altruístas no planeta;
*Inclusão de toda a humanidade nos seus postos

O time de Resgate da Humanidade

Um centro para a unificação dos elementos altruístas do mundo (organizações e indivíduos) deve ser estabelecido.

Altruístas compõem 10% da sociedade; 10% desses são muito motivados e preparados para ações imediatamente altruístas, enquanto 90% dos altruístas não estão tão motivados assim. Logo, a última parte ainda não está pronta para agir independentemente, mas vai ajudar calmamente na missão.

Nós pertencemos à parte ativa de 10% dos altruístas, que são 1% da humanidade. É, então, nosso dever organizar um plano de ação e iniciar sua ativa implementação. Tal comprometimento necessita que nós evitemos discussões tolas, abracemos o plano e comecemos a realizá-lo.

Esse pequeno grupo de 1% da humanidade é exatamente o grupo que pode desenvolver e propagar o método da correção. A história mostra que as idéias progressivas sempre se originam de grupos pequenos. Naturalmente, nosso centro deve constituir esse 1%.

A parte 90% egoísta da humanidade nunca poderá se unir, precisamente devido à sua força egoísta. Então, embora sejamos apenas (1%), quando unidos, nos tornaremos uma força poderosa.

Além disso, precisamos criar um centro de coordenação para unir todas as forças altruístas no mundo sobre um parlamento mundial altruísta, cuja base são os membros do WWC. Esse centro vai produzir material informativo objetivando unir 10% dos elementos altruístas do mundo.

Distribuir a idéia de uma “nova civilização” deve iniciar entre os 10% ativos altruístas (1% da humanidade). Já que os altruístas se importam com o bem estar da humanidade, eles são preparados pela natureza. Para tal fim nós devemos participar de todas as sociedades do mundo, e, por fim ,unir-mos  a elas  baseados no conceito da nova civilização.

Apêndice: Plano tático de pequeno e médio prazo

Objetivos do Plano

O propósito do plano é entender as decisões feitas na conferência WWC em Tóquio e que estão expressas na declaração de Tóquio. O “Novo plano de civilização” foi executado com o espírito da conferência de Tóquio em mente, e seu plano tático segue a mesma idéia.

Esse plano traz os objetivos ideológicos do projeto à ação, e propõe maneiras práticas para implementar e assimilar patrões de pensamentos altruísticos no público em geral do mundo. É nossa esperança que ao seguir as seguintes medidas, iniciaremos um processo que gradualmente produzirá a transformação desejada, reverterá a crise agravante e facilitará o estabelecimento da nova civilização.

Trabalho Colaborativo

Para gerar uma mudança construtiva no mundo, devemos organizar uma listagem de ítens (agenda) entre os membros do WWC onde os membros centrais colaborarão na troca de idéias e produção de materiais explicativos que conduzirão nossa mensagem.

Tais materiais devem objetivar públicos alvo diversos, como jovens, governos, organizações públicas, pessoas de educação secular, europeus, norte americanos, vários países asiáticos, etc. Embora o material conduza as mesmas mensagens básicas, cada audiência alvo receberá através de um canal apropriado uma “embalagem” que esteja compatível com sua linguagem, mentalidade e padrões de pensamento.

Centro de Informação

O WWC deve estabelecer um centro de informação que desenvolverá conteúdos para as várias audiências. O centro de informação vai servir como o “canal ideológico” da organização, direcionando conteúdo para vários departamentos de informação onde será “coberto” em vários formatos, uma seleção do que apresentaremos brevemente.

O desenvolvimento concentrado do conteúdo vai nos permitir economizar em custos de desenvolvimento. O mesmo conteúdo pode ser utilizado em diferentes produtos de acordo com as necessidades. Por exemplo, material que está sendo usado como filme será subseqüentemente convertido a formato de áudio, texto e será mostrado via internet. Finalmente, será compilado e produzido num livro. Desta forma, o processo de produção de material se torna mais efetivo em matéria de custo e eficiência.

Informação e Departamentos Explicativos (Em ordem de prioridades)

1. Internet
Atualmente, a internet é o local de encontro multinacional. Através da rede, podemos alcançar uma ampla, diversa e inteligente audiência, que é amplamente constituída por jovens (idade de 40 anos abaixo). Usuários da internet tendem a ser socialmente conscientes, envolvidos e têm grande influência social comparados aos não usuários da rede.

A rede oferece benefícios óbvios para nós:

*Disponibilidade imediata de informação; facilidade relativa na ampla disseminação de informação, e em várias linguagens; acesso a audiências multinacionais, visto que a maior parte do mundo está conectada à internet banda larga, com a exceção da Europa oriental e áreas subdesenvolvidas na Ásia e África; baixos custos.

Pelas razões acima, o departamento de internet deve liderar a disseminação da nossa mensagem. A idéia é criar sites-conteúdo em várias linguagens que serão atualizadas freqüentemente. Ênfase forte deve ser colocada na apresentação dos sites de forma atualizada.

* Ao lado dos sites com conteúdo, devemos desenvolver fóruns e conferências virtuais e fazer esforços extensivos para disseminá-los em sites de pesquisa, fóruns, chats e blogs apropriados.

* Outro projeto envolve organizar nosso próprio canal de televisão na internet – o canal da sabedoria. Diferente dos canais de televisão tradicionais, onde os custos de produção e horários são exorbitantes, um canal de transmissão via internet é econômico e fácil de manusear. Em tal canal, maior parte dos custos – que agora são acessíveis – serão voltados para a produção atual do conteúdo.

2. Comunicação de massa

* Produção docudrama em estilo do filme “Quem somos nós” (What The Bleep do We Know); com conteúdo apropriado.

*Produção de programas educacionais e documentários para canais como o Discovery, National Geographic, Arte; Uma série de programas que abordam vários tópicos apresentando membros do WWC. Cada capítulo pode focar um diferente aspecto para as nossas mensagens, apresentadas por um ou mais membros.

* Iniciar e documentar encontros entre membros do conselho da sabedoria e vários pensadores importantes e cientistas.

* Produzir filmes pop-científicos e clipes com indivíduos publicamente conhecidos que conduzirão nossas mensagens de forma contemporânea e atrativas.

* Pôr no ar um Canal de Satélite sobre Sabedoria ou Altruísmo com programas produzidos pelos membros da WWC ou que apóiam os objetivos da WWC.

3. Publicações Impressas

* Lançar livros contendo composições escolhidas pelos membros do conselho. Essa iniciativa deve ser executada brevemente.  É suficiente lançar dois ou três títulos que objetivem diferentes audiências. É também importante traduzi-los para as linguagens mais comumente faladas.

* Devemos tentar publicar composições e artigos em revistas predominantes. Devemos sincronizar nossas ações porque ter um bom número de escritores nos permite ter diversidade nos tipos de jornais dos quais podemos nos aproximar. Além disso, nós podemos nos aproximar de revistas com artigos escritos por vários escritores. Devemos traduzi-los para as linguagens dominantes e circulá-las entre as revistas famosas. Finalmente, devemos submeter artigos para os jornais mais famosos na mídia mundial.

* Preparação de livretos em várias línguas, contendo os conceitos essenciais dos membros dos conselhos e circulá-los pelo mundo.

* Um esforço a longo prazo para transmitir às revistas líderes (por exemplo, Times, Newsweek) a idéia de uma história bem elaborada. A última iniciativa pode levar tempo a ser concretizada.

4. Áudio

Gravar uma ou mais músicas “HIT” que conduzirão a mensagem. (É possível lançar esta idéia para Peter Gabriel e pedir a ele que escreva uma canção sobre a importância de doar à sociedade e denunciar o egoísmo, ou sobre a crise mundial e as maneiras de resolvê-la?)

Tal projeto poderia mover muitos corações e produzir consciência em pouco tempo, especialmente entre os jovens. Um bom exemplo é a canção de 1980 de Peter Gabriel que transformou Stephen Bantu Biko, um ativista não violento antiapartheid na África do Sul que morreu nas mãos da polícia Sul Africana, numa pessoa renomada. Cada um desses “hits” serão acompanhados por um clipe no qual nós podemos transmitir a nossa mensagem.

Se os projetos de música forem bem-sucedidos, e somente se o pessoal desejar participar, podemos solicitar a pessoas como Peter Gabriel, Bob Geldof e outras de perfil similar, para apoiar um grande evento musical, como o “Live Aid” e outros produzidos nos últimos 20 anos. O objetivo de tal evento será trazer atenção para nossa mensagem e torná-la um tópico significativo na agenda pública. A ressonância de tais eventos, especialmente se organizados simultaneamente em diferentes lugares no mundo, é extraordinária.

5. Propaganda

Declarar uma campanha global para fazer o altruísmo algo ‘in’, popular, moderno, ao contrário do egoísmo ‘out’. Devemos transmitir a nossa mensagem para celebridades de vários campos – estrelas de filmes e TV, artistas, estrelas do esporte e outras figuras conhecidas que influenciam a opinião pública global. Além disso, criar slogans repetidos e lemas que gradualmente “inundem” a opinião pública global com as mensagens que queremos espalhar. Essa campanha deve ser similar a campanhas para conter a AIDS, acidentes de estrada e iniciativas similares.

6. Colaboração com Organizações Similares

Aproximemo-nos de muitas organizações altruístas que estão preocupadas com a crise global e criaremos alianças com elas na base de uma plataforma predefinida, ou com uma base ampla comum suficiente (ver o “Novo plano de Civilização”). Devemos explicar o nosso programa e oferecer cooperação em tal base. Desta forma, podemos formar um apoio estendido para mensagens adequadas e aumentaremos o nosso público-alvo.

Assim que tal base ampla for alcançada, devemos estabelecer um protótipo de “futuro governo do mundo” que funcionará como um corpo ideológico, político que promove altruísmo na sociedade como princípio fundamental.

7. Abordar instituições globais

Abordar a UN, governos e instituições para pedir apoio acerca de sérios debates sobre o tópico altruísmo, no qual os membros do conselho falarão como experts no assunto acerca da crise global, e sugerirão soluções. Apesar da má vontade desses corpos em reconhecer a crise – o que pode dar responsabilidade a eles – a própria discussão nessas instituições estimulará publicações dos protocolos que podem criar ressonância sobre o mundo afora. Tal direção também pode ser uma possível opção para eventos sociais com objetivo de levantar fundos.

8. Possibilitar a criação de um centro de pesquisa internacional pelo altruísmo

O Instituto de pesquisa internacional pelo altruísmo e paz será um instituto multidisciplinar de pesquisa privado não lucrativo, dedicado a encontrar soluções científicas para a instabilidade mundial atual, e avançar a paz mundial através do desenvolvimento do altruísmo.

O objetivo do IRIA será promover a pesquisa e formar colaborações entre cientistas internacionais que são comprometidos com a pesquisa no desenvolvimento de uma sociedade internacional benevolente. O IRIA proverá vários serviços para ajudar e unir a comunidade científica envolvida na pesquisa do altruísmo. Esses serviços serão pró-bono e incluirão auxílio para formar colaborações de universidade, levantamento de fundos, permissão de escrita e organização de conferências.

O instituto será auto-financiado através da inclusão de comissão de todas as doações levantadas. Este instituto pode ser o ponto inicial de influência e acesso à política, governo e organizações internacionalmente influentes.

9. Proposta para pressionar corporações a se tornarem benevolentes

Estabelecer um sistema público de avaliação pra medir a filantropia anual das corporações, similar à avaliação financeira de Moody ou Dun & Bradstreet.

Objetivos:
(i) Nitidamente identificar quais corporações são as mais benevolentes.
(II) Pressionar outras corporações a elevar seu nível de benevolência ou ser “exposta” à opinião pública quando no lançamento da lista das corporações.

10. Exemplos práticos de Implementação dos Conceitos Acima

* Os membros do WWC estarão divididos em grupos de trabalhos. Cada grupo será responsável por um campo específico, por exemplo, Ciência e Ecologia, Economia, Historia e Filosofia.. Etc.

* Cada grupo vai coletar dados em relação ao altruísmo comportamental no seu campo, analisar e desenvolver um plano de trabalho para disseminar a informação como parte do conceito que cada parte do universo se comporta de forma altruísta, exceto o homem.

* Todos os grupos estarão subordinados a gerenciar uma comissão comandada pelo Prof. Laszlo. A comissão examinará os planos sugeridos pelos grupos de trabalho e decidirá quais serão executados e como.

* Dentro de cada grupo, cada pessoa será designada de responsabilidade para disseminação através de uma forma específica de mídia. Por exemplo, no grupo de trabalho sobre ciência e ecologia, uma pessoa será encarregada de fazer contato com canais de TV e promover filmes que mostram como os animais se comportam de maneira altruísta, como as células dos seus corpos produzem para seu “benefício pessoal” a favor do benefício de todo o organismo, e como o resultado disso é um organismo saudável no qual mesmo aquelas células que se auto-produziram,  são mais “felizes”.

Outra pessoa será encarregada  da publicação de pesquisas científicas e acadêmicas em jornais como Science & Nature, e jornais respeitáveis como o New York Times

Outra pessoa solicitará publicações online para postar pesquisas pertinentes e transferir (upload) o conteúdo apropriado no web site do WWC. O conteúdo deve demonstrar que o estado do nosso planeta vem piorando por nós humanos estarmos agindo de forma contrária à natureza, sendo essa a causa do nosso infortúnio.

* Junto com os grupos de trabalho, estabeleceremos uma rede de comunicação para estarmos em constante contato, relatando nosso progresso para a comissão e – mais importante – ajudar, apoiar e encorajar um ao outro no processo.

* Assim que o plano estiver engrenado, os encontros semi-anuais serão uma oportunidade para refinarmos nossa estratégia, melhorar nossa mensagem e aumentar a união entre todos nós.

Urgência

Para obter sucesso com todos os planos acima mencionados, ou em quaisquer outros que serão planejados no encontro WWC, devemos concordar em começar imediatamente. Devemos iniciar o estabelecimento de um centro logístico com a infra-estrutura para todos os departamentos.

O Bnei Baruch – Instituto de Educação e Pesquisa de Cabala tem satisfação em oferecer a infra-estrutura disponível – técnica e logística – para o WWC. Atualmente, há dezenas de centros e ramificações independentes mundo afora nas quais dezenas de milhares de pessoas participam. Há ainda uma infra-estrutura bem desenvolvida de internet e vasta experiência técnica e de  capacitação, que estão prontas para promover nosso objetivo comum de tornar possível uma civilização nova,  consciente e altruísta.

Comentários fechados.