Textos na Categoria 'Quora'

“Qual É A Diferença Entre As Leis Da Natureza, A Ética E A Moralidade?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Qual É A Diferença Entre As Leis Da Natureza, A Ética E A Moralidade?

As leis da natureza são leis imutáveis ​​de amor e doação, que harmonicamente conectam todas as partes da natureza e levam em consideração o benefício do todo.

Em contraste, a moral e a ética são códigos de conduta humana em um determinado momento. Por exemplo, se métodos mais rudes de comunicação eram considerados normas no passado, até mesmo ao ponto da crueldade, então, quanto mais nos desenvolvíamos, mais moderados e amigáveis ​​esses comportamentos se tornavam.

As leis da natureza são opostas à natureza humana, que é o desejo de desfrutar às custas dos outros e que está em constante crescimento. Quanto mais o ego humano cresce, mais nossa moral e ética mudam, a fim de nos permitirmos conviver mais convenientemente em diferentes estágios de nosso desenvolvimento. Porém, por mais que evoluamos em nossa moral e ética, sempre nos encontramos carente de alguma coisa, e cada vez mais problemas e crises abundam em nossas relações.

O desenvolvimento humano nos leva gradativamente à necessidade de alcançar o equilíbrio com as leis da natureza. Hoje, estamos mais maduros do que nunca para a descoberta das leis da natureza.

No entanto, como podemos dar esse salto de sermos governados pelo ego humano – tentando se adaptar e observar a moral e a ética para nos darmos da melhor forma possível – para nos tornarmos governados conscientemente pelas leis da natureza, onde nos conectamos harmoniosamente um com o outro e descobrimos as forças positivas que habitam na natureza dentro de nossas conexões harmoniosas?

Nós damos esse salto aprendendo e exercitando as leis da natureza em uma configuração social, ou seja, como nos conectarmos positivamente na sociedade para que haja um envelope de amor e cuidado em nossas relações. Ou seja, ao nos conectarmos como um todo na sociedade humana, combinamos a perfeição e a totalidade das leis da natureza e, então, passamos a experimentar um tipo totalmente novo de harmonia, felicidade, confiança e paz preenchendo nossas vidas.

Eu discuto esse tópico com mais profundidade no programa “Habilidades de Comunicação. Princípios morais e normas sociais”: Assista ao vídeo aqui » (em inglês) [54:02]

Foto de Toa Heftiba no Unsplash.

“Há Algum Benefício Positivo Na Preguiça E Procrastinação?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Há Algum Benefício Positivo Na Preguiça E Procrastinação?

Quanto mais evoluímos tecnológica e psicologicamente, mais nos conectamos ao redor do mundo e nos encontramos trabalhando cada vez mais.

As sociedades em todo o mundo hoje são completamente diferentes de como costumavam ser. No passado, passávamos a maior parte do tempo em casa, nas aldeias, participando de diversas atividades. Não trabalhávamos do amanhecer ao anoitecer, ou durante toda a noite, como muitos fazem hoje.

A atmosfera de trabalho incessante de hoje é uma reação em cadeia de desenvolvimentos industriais no século XIX, como a máquina a vapor. Quanto mais invenções fazemos, mais trabalhamos. É como se nos prendêssemos a uma carruagem e depois tivéssemos de nos arrastar.

No entanto, isso está incorreto.

Devemos, de fato, trabalhar menos. Estaríamos muito melhor se nos sentássemos perto de uma lareira, como nos velhos tempos, gastando nosso tempo fazendo as coisas, visitando amigos e parentes e participando mais de eventos sociais. Além disso, a maior parte do trabalho em que investimos tanto tempo e esforço hoje é completamente desnecessário e existe apenas para aumentar os lucros como um fim em si mesmo.

A preguiça é, portanto, muito benéfica.

A preguiça nos dá tempo e espaço para escrutinar nossos próximos movimentos muito escrupulosamente, para verificar se eles são realmente necessários ou não.

A preguiça, portanto, permite que atuemos mais de acordo com nossas necessidades, diminuindo nossas chances de nos encontrarmos andando em círculos por causa de “fazer algo com nossas vidas”, o que no final leva a resultados destrutivos.

Portanto, os sábios Cabalísticos dizem: “Sente-se em vez de ficar de pé e fique de pé em vez de andar” e “Sente-se e não faça nada – melhor”.

Em suma, o benefício da preguiça é que quanto menos nos movemos, menos problemas encontramos.

Eu discuto esse tópico mais adiante no episódio 754 de “Nova Vida”: Preguiça e Esforço. Assista ao vídeo aqui » (em inglês)

Foto de Julia Stepper no Unsplash.

“Como Posso Me Tornar Mais Espiritual?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Como Posso Me Tornar Mais Espiritual?

O Cabalista Yehuda Ashlag (Baal HaSulam) escreve em seu artigo “A Liberdade” que o único meio pelo qual podemos mudar nosso estado é escolhendo um ambiente adequado.

“Há liberdade para o desejo de escolher inicialmente esse ambiente, esses livros e esses guias que transmitem a ele bons conceitos. Se alguém não fizer isso, mas estiver disposto a entrar em qualquer ambiente que apareça para ele e ler qualquer livro que caia em suas mãos, ele está fadado a cair em um ambiente ruim ou perder seu tempo com livros sem valor, que são abundantes e mais fáceis de passar por aqui. Em consequência, ele será forçado a ter conceitos sujos que o fazem pecar e condenar. Ele certamente será punido, não por causa de seus maus pensamentos ou atos, nos quais ele não tem escolha, mas porque não escolheu estar em um bom ambiente, pois nisso há definitivamente uma escolha.

Portanto, aquele que se esforça para escolher continuamente um ambiente melhor é digno de elogio e recompensa. Mas aqui também não é por causa de seus bons pensamentos e ações, que vêm a ele sem sua escolha, mas por causa de seu esforço para adquirir um bom ambiente, que lhe traz esses bons pensamentos e ações”.

Se escolhermos continuamente uma influência ambiental mais poderosa que nos guie para a espiritualidade, nos tornaremos dignos de progresso espiritual.

Escolher e fortalecer um ambiente adequado para o progresso espiritual é fundamental para se tornar mais espiritual e não realizar o que geralmente consideramos como “boas ações”. Isso ocorre porque, em última análise, não controlamos nossos comportamentos. Em vez disso, nosso ambiente determina como pensamos e nos comportamos e, portanto, se nos colocarmos em um ambiente que nos guie espiritualmente e fortalecermos cada vez mais nossa conexão com esse ambiente, ele nos moverá nessa direção e nos tornamos mais espirituais.

Foto: Convenção Mundial de Cabalá em Ganei HaTa’arucha, Tel Aviv, Kabbalah.info

“Qual É Um Exemplo De Que A Natureza Pode Ser Tão Cruel?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Qual É Um Exemplo De Que A Natureza Pode Ser Tão Cruel?

Não existem tais exemplos, porque embora eu entenda como as pessoas podem perceber a natureza como sendo cruel, a natureza não é cruel de forma alguma.

A natureza é a qualidade de doação e amor absoluto, sem um fragmento de interesse próprio. Quando sentimos a natureza em nossa qualidade oposta de interesse próprio egoísta, experimentamos o lado oposto da natureza.

Quando eu era criança, minha mãe me irritava por tirar notas baixas na escola. Isso a deixava ansiosa e angustiada, mas embora eu a achasse cruel naqueles momentos, ela estava de fato agindo com amor e carinho em relação a mim, desejando que eu me desenvolvesse da melhor maneira possível.

A natureza é altruísmo total e a nossa qualidade é o egoísmo. Nós nos sentimos contrários à bondade e ao amor da natureza, na medida em que pensamos e agimos contrariamente à natureza. Essa é a fonte de todos os nossos sentimentos negativos e sofrimentos, e é por isso que nos percebemos como vivendo em um mundo ruim.

No entanto, a natureza não faz nada de mal. Ela mantém uma atitude benevolente constante e, devido à oposição da natureza humana à natureza em si, nós sentimos uma série de fenômenos da vida como ruins e maus. Não precisamos culpar a nós mesmos ou à natureza por isso, é simplesmente uma determinada situação em que nascemos.

No entanto, nos foi concedida uma qualidade egoísta a fim de sermos capazes de corrigi-la e nos tornar tão altruístas e completos quanto a natureza. Além disso, quanto mais evoluímos, mais nosso ego cresce e mais sentimos nossa oposição à natureza como aquela que causa cada vez mais sofrimento em nossas vidas. Esse desenvolvimento visa nos levar a um ponto em que desenvolvamos um desejo sincero de autotransformação: mudar nosso modus operandi egocêntrico e voltado para si mesmo em um que seja equilibrado com a natureza – altruísta, atencioso e amoroso. O processo de nos transformarmos para nos tornarmos mais parecidos com a natureza é chamado de “processo de correção”, e nós recebemos um método pelo qual podemos passar por essa correção com mais consciência e compreensão do que se fôssemos deixados por nossa própria conta.

Por enquanto, porém, não temos essa consciência e somos como a criança que não entende por que nossos pais estão gritando conosco.

Foto de Milada Vigerova no Unsplash

“Como Você Supera O Medo?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Como Você Supera O Medo?

Podemos superar o medo estabelecendo uma conexão positiva uns com os outros, acima de todos os fenômenos dos quais temos medo.

A conexão positiva é aquela em que o apoio mútuo, o incentivo, a bondade, a compreensão, o cuidado e o amor prevalecem sobre todas as diferenças, problemas e medos.

Assim, geraríamos uma atmosfera equilibrada e pacífica que tornaria todas as nossas interações positivas e gratificantes.

“Como Posso Aprender A Viver No Presente? O Que Significa Viver No Momento Presente? ” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Como Posso Aprender A Viver No Presente? O Que Significa Viver No Momento Presente?

Avaliar a cada momento, como podemos estar em um relacionamento mútuo com a natureza e como nos comunicar com ela de forma que entendamos como ela nos influencia e como devemos responder da melhor forma.

Fazer isso tornará nossa vida significativa e completa.

Entraremos em um relacionamento constante com nosso parceiro mais próximo – a natureza – e começaremos a sentir como nos fundimos com o mundo exterior no momento presente.

“O Que É Liberdade De Expressão E Quais São Os Limites Da Liberdade De Expressão?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: O Que É Liberdade De Expressão E Quais São Os Limites Da Liberdade De Expressão?

A liberdade de fala e a liberdade de expressão exigem definitivamente limites. O primeiro limite é que não devemos machucar ou ofender ninguém.

Não causar dano a outros deve funcionar como uma “constituição” embutida que, em primeiro lugar, determina os limites de nossa liberdade de expressão. É semelhante a como consideramos uma ofensa criminal invadir a casa de outra pessoa e causar danos à sua propriedade.

Suponha que eu tenha um vizinho cujo pai faleceu e eu comece a zombar do pai dele. Seria vergonhoso e desrespeitoso com meu vizinho, e eu despertaria o ódio fazendo isso. Como eu poderia me permitir fazer isso? É completamente irracional.

Se quisermos ferir e ofender os outros, são precisamente esses desejos que requerem correção. Sua correção inicialmente precisa de uma restrição de sua manifestação externa. Depois, precisamos chegar a um estado em que não temos nada contra ninguém no mundo além de nós mesmos, e podemos então ser verdadeiramente considerados livres. Em suma, podemos ser livres em todos os aspectos da vida, com a condição de que cada um de nós evite ferir o outro.

Em tal estado, podemos ter críticas, divergências e argumentos, mas precisaríamos aprender a não despertar ódio uns nos outros ao fazer isso. Portanto, precisaríamos nos envolver regularmente em um aprendizado que enriquece a conexão, para elevar nossa sensibilidade, empatia e inteligência interior de modo que nosso objetivo comum de viver em harmonia, paz e felicidade uns com os outros envolva todos os nossos pensamentos e aspirações.

Em suma, não podemos nos permitir machucar uns aos outros. Pelo contrário, temos que nos respeitar. Cada um de nós sente ideias, pessoas e objetos diferentes em diferentes níveis de importância de acordo com onde, para quem e como nascemos e crescemos. Uma pessoa considera algo muito importante e outra considera outra coisa muito importante. Porém, acima do que cada um de nós considera importante, devemos tentar ver o que todos nós temos em comum.

“Como As Falsificações Profundas Impactarão A Sociedade Nos Próximos Anos?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Como As Falsificações Profundas Impactarão A Sociedade Nos Próximos Anos?

O fato de haver tecnologia que pode mostrar as pessoas em vídeo dizendo e fazendo coisas que elas realmente não disseram ou fizeram, e que essa tecnologia entrará cada vez mais em nossas vidas nos próximos anos, deve diminuir nossa crença nas coisas que vemos online, e ainda mais, que em última análise, toda a realidade que percebemos, ou seja, por meio de nossos cinco sentidos, é enganosa.

O sentimento de desconfiança em tudo o que vemos e ouvimos servirá para aumentar nosso desejo pela verdade, e então seremos forçados a buscar diferentes fontes a fim de encontrar a verdade.

Uma busca sincera pela verdade acabará nos levando à necessidade de estabelecer diferentes formas de comunicação com as atuais, onde aprenderemos como nos conectar positivamente até nos unirmos acima de nossas divisões como uma sociedade humana com um único coração.

Em outras palavras, teremos que corrigir nossos corações, que são egoístas em sua essência, e inverter a forma como sentimos a realidade para uma forma que seja altruísta, ou seja, onde priorizamos o benefício dos outros ao invés do benefício próprio.

Quando alcançarmos um sentimento de preocupação e responsabilidade genuínas por outras pessoas, desejando sinceramente o melhor, abriremos um mundo onde não existem mentiras e enganos. Afinal, poderíamos mentir para alguém a quem realmente amamos?

Visando nos conectar positivamente, amar uns aos outros, nos alinhamos com a interconexão e interdependência profundamente semeadas na natureza. Em seguida, chegamos mais perto de sentir a força positiva habitando na natureza, dentro de nosso amor comum e cuidado mútuo. Essa sensação de amor que descobrimos na sociedade humana quando nos conectamos corretamente é a verdade última: é a qualidade da fonte da natureza e tem o poder de preencher completamente cada um de nós.

Assista a um vídeo onde eu discuto este tópico mais detalhadamente aqui:

“Por Que Os Braceletes De Cabalá São Usados Para Afastar O ‘Mau Olhado’?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Por Que Os Braceletes De Cabalá São Usados ​​Para Afastar O ‘Mau Olhado’?

A Cabalá autêntica ensina como sentir a qualidade de doação, que não está em nós, na qual o “outro mundo” se manifesta – sentido na qualidade de doação.

Ayin ra, o mau-olhado, é a inveja, a principal qualidade do egoísmo.

Uma ilusão popular sobre a Cabalá hoje em dia é que ela pode afastar o mau olhado com pulseiras. A sabedoria da Cabalá tem uma explicação de como lidar com o mau olhado, o que obviamente não requer pulseiras, mas primeiro exige uma compreensão do que é o mau olhado.

Então, o que é mau olhado de acordo com a Cabalá?

Para entender a definição Cabalística de mau olhado, precisamos entender como a Cabalá define a natureza humana – como um desejo egoísta de desfrutar às custas de outras pessoas e da natureza. Como está escrito no Talmude, o Criador disse: “Eu criei a inclinação ao mal [egoísmo] e criei para ela a Torá como uma especiaria” (Kiddushin 30b).

O mal é o que foi criado, que é o ego, um desejo que prioriza o benefício próprio ao invés de beneficiar os outros. Se vivermos pelo princípio de que quanto melhor estamos individualmente, e quanto melhor nos sentimos em comparação com outras pessoas, e ainda mais, quanto pior elas se sentem, melhor nos sentimos, então é considerado como viver de acordo com os ditames da “inclinação ao mal” egoísta. Toda a nossa natureza humana, que fundamenta todos os nossos desejos, pensamentos e ações, é, portanto, má. Essa é a razão do mundo mergulhar em crises crescentes à medida que nos desenvolvemos, não importa quão boas consideremos nossas intenções e ações.

A Cabalá, portanto, define “mau olhado” como nossas intenções egoístas em relação uns aos outros, onde vemos ou pensamos sobre os outros em termos do que podemos colher deles, e não em termos de como podemos beneficiá-los.

A sabedoria da Cabalá é um método para transformar nossa intenção egoísta inata em sua forma altruísta oposta, ou em outras palavras, de desejar beneficiar apenas a nós mesmos, para querer beneficiar os outros e a natureza. Realizar tal transformação de nossa natureza egoísta em sua forma de doação oposta é chamada de “correção” (Heb. Tikkun).

Estamos atualmente em uma era de transição muito significativa. Por um lado, experimentamos uma série de efeitos negativos do mau olhado, ou seja, da nossa natureza humana egoísta que busca explorar os outros e a natureza tanto quanto possível para benefício próprio. Por outro lado, o sofrimento que acumulamos ao tentar nos satisfazer individualmente às custas dos outros está gradualmente nos levando a um estado de desamparo e desespero. Quando alcançarmos tal estado, ficaremos mais maduros para passar pela transformação fatal de nossa natureza egoísta em seu oposto altruísta.

A sabedoria da Cabalá é um método que pode ajudar a acelerar essa transição, de modo que a experimentemos de maneira mais suave, com mais compreensão, consciência e, finalmente, com alegria.

“O Que É Uma Oração? ”(Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: O Que É Uma Oração?

Nós nascemos e crescemos em uma percepção e sensação autocentrada do mundo, que leva ao acúmulo de problemas em nossas vidas. Nosso encontro com todos os tipos de problemas é para nos dar o desejo de nos elevarmos acima de nossa percepção e sensação atuais e descobrir um novo mundo, um mundo de amor, cuidado e conexão positiva entre todos.

A transformação de nossa percepção e sensação egoísta inata para uma nova percepção altruísta é realizada por meio de um ato chamado “oração”.

O que é oração?

Oração não significa recitar palavras de um livro, não importa o quão sagrado o livro seja, nem significa pedir a um poder superior para mudar algo no mundo, ou para se beneficiar individualmente. Em vez disso, uma vez que toda a nossa percepção da realidade é egocêntrica, onde pretendemos obter satisfação dentro de nós mesmos a cada momento, a oração é um pedido sincero para transformar nossa abordagem egocêntrica da realidade e nos tornarmos benéficos para todos e tudo que nos rodeia.

Em outras palavras, a oração é um pedido de autotransformação, onde em vez de desejar egoisticamente absorver, receber e explorar os outros para ganho pessoal, como fazemos por padrão, desenvolvemos uma vontade genuína de pensar e desejar em uma direção oposta: para dar, doar e usar a nós mesmos para o benefício dos outros.

O resultado de uma oração honesta pela autotransformação do fundo de nossos corações é escrito pelos sábios no mandamento: “E amarás o teu amigo como a ti mesmo” (Levítico 19:18). Ou seja, nossa oração deve nos levar a um estado em que sentimos os outros como sentimos a nós mesmos, invertendo e corrigindo a intenção no nosso ego para uma de dar.

Portanto, oração significa alcançar um desejo verdadeiro de amar os outros como amamos a nós mesmos, bem como uma revelação de até que ponto realmente amamos a nós mesmos. Se nosso desejo for verdadeiro, do fundo de nossos corações, então seremos premiados com a ajuda de um poder superior que corrige nosso ego, concedendo-nos a capacidade de amar os outros na medida de nosso próprio amor-próprio.