Textos na Categoria 'Quora'

“Por Que Coisas Ruins Acontecem Na Minha Vida?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Por Que Coisas Ruins Acontecem Na Minha Vida?

Coisas ruins não acontecem realmente conosco, mas um certo tipo de revelação ocorre que temos que corrigir.

Quando essa revelação acontece, é sempre sentida de forma ruim ou negativa. Então, temos que superar esse estado negativo com nossas ações em direção a uma forma boa e positiva, ou seja, em direção a uma conexão positiva com os outros e a natureza.

Em outras palavras, percebemos eventos ruins e negativos se desenrolando em nossas vidas para realizar uma correção. “Correção” significa que devemos ter como objetivo construir conexões positivas com os outros, alcançando compreensão, decisões, consideração e atividade mútuas.

De forma mais ampla, a natureza humana é o desejo de desfrutar, e esse desejo passa por um processo de desenvolvimento desde seu estado inicial quebrado, que nos dá a percepção de separação dos outros e da natureza, até um estado em que nosso desejo adquire uma forma corrigida, onde ele gosta de amar, dar e estar positivamente conectado com os outros e a natureza.

A sabedoria da Cabalá explica a quebra inicial desse desejo na história sobre o pecado da Árvore do Conhecimento, também conhecida como a quebra da alma de Adam HaRishon (o “Primeiro Homem”). Todo o nosso desenvolvimento nos leva a um ponto em que precisaremos corrigir esse desejo egoísta e adquirir uma forma que seja semelhante à natureza – altruísta.

Quando entendemos o que está por trás de nosso processo de desenvolvimento e para onde estamos indo, podemos nos aplicar para nos movermos em direção ao nosso estado final de uma maneira muito mais agradável, consciente e indolor. Em suma, estamos caminhando para um estado de total interconexão e interdependência, que os textos Cabalísticos descrevem como um estado de “Ame seu próximo como a si mesmo”.

Quanto mais cedo pudermos concordar com tal objetivo e nos organizarmos na sociedade para realizar conexões positivas, mais cedo iremos mudar de um desenvolvimento onde vemos uma quantidade crescente de “coisas ruins” surgindo em nossas vidas, para um onde nos tornamos equilibrados com natureza.

Então, quando nos equilibrarmos com a forma que a natureza nos impele a alcançar, experimentaremos um nível totalmente novo de harmonia, felicidade, confiança e segurança, junto com a plena compreensão e sensação de quem e o que somos, e por que fomos colocados aqui nesta realidade.

Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

“Quais São As Implicações Do Primeiro Mandamento Da Bíblia, ‘Eu Sou O Senhor Teu Deus, Que Te Tirou Da Terra Do Egito, Da Casa Da Escravidão. Não Terás Outros Deuses Diante De Mim’?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Quais São As Implicações Do Primeiro Mandamento Da Bíblia, ‘Eu Sou O Senhor Teu Deus, Que Te Tirou Da Terra Do Egito, Da Casa Da Escravidão. Não Terás Outros Deuses Diante De Mim’?

Este é o mandamento mais fundamental. Isso significa que existe uma única força no mundo que está acima e além de tudo. Esta força nos desenvolve através dos níveis inanimado, vegetativo e animal da natureza, até o nível chamado “falante” ou “humano”, que em hebraico é “Adão”.

Adam (“humano”), que vem de “Adameh le Elyon” (“semelhante ao mais alto”), é aquele que entende e sente a conexão com a força abrangente da natureza, o Criador.

Apesar do progresso da humanidade na ciência, tecnologia e arte, a vasta maioria da humanidade existe no nível animado. O nível animado, isto é, nosso estado animal, define nossa consideração primária de benefício próprio em vez de beneficiar os outros e a natureza. Em outras palavras, é quando estamos encerrados em nossa natureza egoísta inata.

Podemos sair de nossa natureza egoísta, ou seja, “fora da terra do Egito, fora da casa da escravidão” e subir ao nível humano, onde aceitamos a influência da força superior na realidade, o Criador, ou como é escrito no mandamento: “Eu sou o Senhor teu Deus”

Baseado na palestra “Estados Espirituais: Os Dez Mandamentos” em 26 de dezembro de 2019. Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

“Quais São As Características Definidoras De Ser Judeu?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Quais São As Características Definidoras De Ser Judeu?

Qualquer um que concorda em se elevar acima da natureza humana egoísta para se conectar positivamente com outras pessoas – de acordo com a frase “Ame seu amigo como a si mesmo” – é considerado um judeu, que vem da palavra para “unidade” (“Yichud“) .

Não é uma questão de ter ancestralidade judaica no sentido físico e biológico, mas todos – toda a humanidade – finalmente terão que alcançar tal estado. Em outras palavras, todos chegarão a um estado de unificação acima do ego divisivo, como está escrito, que a Terra de Israel se espalhará por todo o mundo, o que significa que todas as pessoas no mundo viverão de acordo com o princípio, “Ame seu amigo como a si mesmo”.

Tenho certeza de que chegaremos a esse estado. As únicas questões são quando e como iremos ajudá-lo a acontecer.

Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

“Por Que As Marcas São Importantes?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Por Que As Marcas São Importantes?

As marcas ajudam a coordenar as pessoas em direção a um determinado propósito de acordo com uma determinada direção, movimento, ensino, metodologia, teoria ou prática. Elas ajudam a descrever e explicar tudo isso. Como criaturas sociais, temos necessidades de nos comunicar, ensinar, crescer e aproximar outras pessoas em certas direções. Podemos então progredir em direção a vários objetivos.

Como seres humanos, sempre nos propusemos objetivos, mas eles eram corpóreos. Em outras palavras, as metas para as quais progredimos estão todas no reino de nossos desejos corporais e realizações de comida, sexo, família, abrigo, dinheiro, honra, controle e conhecimento.

Em nossa era atual, o vazio de viver apenas para objetivos corporais vem à tona cada vez mais em nossas sensações, juntamente com o surgimento do desejo de descobrir o sentido e o propósito da vida. Além disso, hoje, à medida que a sabedoria da Cabalá se revela cada vez mais ao mundo, temos a capacidade de compreender o sentido da vida e apresentá-lo de maneira mais clara e tangível.

Da mesma forma, progredir em direção ao sentido e propósito da vida requer a participação daqueles que desejam descobri-lo por meio de aprendizado, conexão, brainstorming e compartilhamento. Portanto, precisamos de várias instituições e organizações sociais reunidas de acordo com diferentes tipos de pessoas e outros parâmetros para nos ajudar a progredir em direção ao sentido e propósito da vida.

Assim, acho que a humanidade terá muito a fazer neste sentido, pois é um aspecto integrante do desenvolvimento humano.

Baseado no programa “Expresso de Cabalá” com o Cabalista Dr. Michael Laitman e Israel Samsonikov em 12 de janeiro de 2021.
Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

“Por Que Choramos?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Por Que Choramos?

Chorar vem de concordar que estamos sem energia, que nosso destino não está em nossas mãos; que existe um “algo” superior em nossas vidas, sobre o qual nada podemos fazer; e que, em última análise, não temos ideia do que está acontecendo em nossas vidas.

Choramos porque nos sentimos fracos e desamparados. Ao fazer isso, também cedemos à força superior, uma força maior da natureza que existe na realidade.

Em nossa realidade corporal, chorar é a nossa forma de nos expressarmos quando queremos o que está fora do nosso alcance, ou quando sentimos um certo tipo de compaixão por outras pessoas, ou seja, nos imaginando no lugar de outras pessoas e tendo medo das mesmas ocorrências negativas ocorrendo conosco.

Na espiritualidade, o choro é a expressão da participação passiva em nossa correção espiritual, ou seja, a transformação de nossa intenção egoísta de receber em uma intenção de amar e doar. Ou seja, chorar é um sinal de que nós (como um Partzuf espiritual ou alma) estamos espiritualmente fracos, no estado chamado “Katnut” (“pequenez espiritual” ou “infância espiritual”), que é um pequeno estado espiritual onde temos uma pequena intenção de doar acima de nosso desejo de receber inato. Em outras palavras, em tal estado, nossa intenção é forte o suficiente para nos proteger de receber egoisticamente para benefício próprio, mas ainda não nos permite trabalhar diretamente com nosso ego a fim de amar e doar.

Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

“Como Podemos Encontrar Ou Tornar Nosso Destino Realidade?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Como Podemos Encontrar Ou Tornar Nosso Destino Realidade?

Cada um de nós realmente terá que examinar e escolher qual é o nosso verdadeiro destino. Qual é o nosso verdadeiro destino?

Acabaremos descobrindo que nosso verdadeiro destino não se encontra em nossas vidas estreitas aqui, ou seja, não é em alcançar qualquer tipo de realização ou profissão corporal. Hoje, estamos chegando a oito bilhões de pessoas no planeta, e não há necessidade de todo o foco nas profissões como tivemos no passado, onde as pessoas veem seu destino em se tornarem grandes artistas, cientistas, médicos, empresários e afins.

Há uma nova necessidade crescendo na humanidade, que exige lidar com o destino em um nível diferente.

O verdadeiro destino das pessoas neste mundo é conectar-se positivamente acima dos impulsos divisores do ego humano e descobrir um novo nível de vida nessa conexão. Em outras palavras, onde o ego humano exige satisfação às custas de outras pessoas e da natureza, nosso verdadeiro destino reside em nos elevar acima dessa tendência dada pela natureza e descobrir um novo mundo ilimitado pelos ditames e limites do ego.

O novo nível de vida que podemos descobrir em uma conexão positiva uns com os outros acima de nossos impulsos egoístas é uma vida espiritual. “Espiritual” significa uma vida acima de nossas limitações e condições corporais, acima dos limites de tempo, espaço e movimento. “Corporeidade” é definida pelas forças egoístas de recepção, e “espiritualidade” significa forças altruístas de dar e doar.

Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

“Quais São Os Princípios Da Educação?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Quais São Os Princípios Da Educação?

O principal princípio da educação é “Ame o seu próximo como a si mesmo”.

A compreensão desse princípio nos leva à plena realização do potencial humano e à criação de uma sociedade de pessoas felizes e confiantes que se sentem totalmente seguras umas com as outras.

Além disso, perceber um estado de amor comum, doação, cuidado e conexão positiva na sociedade humana nos leva a compreender completamente a nós mesmos, a natureza e as leis fundamentais que regem nossa existência neste mundo.

Isso nos leva ao equilíbrio com a natureza, porque a natureza é uma qualidade de amor e doação e, portanto, ao realizar atitudes e relações semelhantes entre si, cumprimos nosso papel na natureza e nos sentimos como um com a natureza.

Atualmente, nos sentimos separados da natureza. Cada um de nós se sente como um indivíduo com objetivos egoístas, interesses e preocupações pessoais, qualidades que se opõem à qualidade altruísta da natureza.

Portanto, ao implementar um método de conexão humana, que nos permite atingir um estado de amor e cuidado mútuos, entramos em equilíbrio crescente com a natureza e, assim, sentimos um feedback positivo da natureza: vamos descobrir quantos dos problemas que vivemos na realidade atual simplesmente desaparecerão, pois todos são baseados no pensamento e na ação em uma oposição egoísta à maneira altruísta como a natureza pensa e age.

Depois de estabelecer o princípio básico, que o objetivo da educação deve ser alcançar o equilíbrio com a natureza por meio de “Ame o seu próximo como a si mesmo”, uma vez que é a chave para nossos níveis finais de felicidade, confiança, segurança, compreensão, sensação e consciência, então existem alguns outros princípios de educação que ajudam a guiar nosso caminho até lá.

Um é a constância. Ou seja, a educação para alcançar um estado de amor comum e conexão positiva é para todas as pessoas, de todas as faixas etárias, desde jovens até idosos, e de todos os gêneros, raças e línguas. Não é algo que começa e termina em um determinado período, como nossos atuais sistemas de ensino primário, secundário e superior. Em vez disso, a educação não é apenas o que ocorre nas salas de aula, mas somos educados a partir das mensagens e exemplos que absorvemos em nossas sociedades. Devemos, portanto, consumir regularmente mídias em todos os formatos, ou seja, TV, rádio, Internet, dispositivos móveis e similares, bem como a participação ocasional em eventos, que nos fornecem um método para alcançar uma conexão positiva na sociedade.

Além disso, para que este tipo de educação se torne eficaz, o ideal é que nos inscrevamos em um sistema em que precisamos realizar e relatar vários exercícios regularmente. Os exercícios devem ter como objetivo aumentar nossa conexão positiva uns com os outros e desenvolver uma atitude mais genuinamente amorosa e cuidadosa com os outros, acima de nossas atitudes egoístas.

A implementação desses princípios educacionais na sociedade nos elevaria a um novo nível de consciência humana, onde experimentaríamos paz, amor, unidade e harmonia a partir do novo equilíbrio com a natureza que atingiríamos.

Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

“Você Tem Medo Da Morte? Por Que Ou Por Que Não?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Você Tem Medo Da Morte? Por Que Ou Por Que Não?

A morte do corpo animado não tem relevância para nossas verdadeiras vidas, que não começam nem terminam com sua existência.

Quando morremos, simplesmente começamos a nos sentir em outro estado. Portanto, não devemos temer nossas mortes. É muito mais benéfico se pensarmos em como continuar nossa existência.

A morte também está separada do medo da morte. A vontade de viver é eterna e absoluta. É a vontade de se conectar com a fonte da vida – a qualidade de amor, doação e conexão – e de existir em conexão com ela.

Nossa existência animada, que atualmente conhecemos e sentimos como nossas vidas, é um minúsculo estado de existência que nos foi concedido a fim de alcançar a sensação de níveis de existência muito maiores, mais expansivos e eternos.

Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

“O Que As Pessoas Egoístas Têm Por Trás De Seu Ego? O Que Elas Fazem Se Alguém Quebrar Seu Ego E Entrar Nelas?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora:O Que As Pessoas Egoístas Têm Por Trás De Seu Ego? O Que Elas Fazem Se Alguém Quebrar Seu Ego E Entrar Nelas?

Todas as pessoas são egoístas. O egoísmo é parte integrante da natureza humana. Ou seja, a natureza humana é o desejo de desfrutar, e o ego é a intenção de desfrutar às custas dos outros e da natureza.

Nosso desejo de desfrutar se divide em desejos individuais por comida, sexo e família, nos quais nosso desejo opera a fim de preservar a nós mesmos e à espécie humana; e desejos sociais por dinheiro, honra, controle e conhecimento, que são ativados por nossos desejos egoístas, onde queremos o que os outros têm. Nossos desejos sociais trazem todos os tipos de desenvolvimentos individuais, sociais e nacionais. Também temos um núcleo de desejo espiritual, que questiona o sentido e o propósito da vida e nos dá a sensação de que os desejos individuais e sociais não podem mais nos satisfazer. O aparecimento de cada nível sucessivo de desejo depende da extensão de nosso desenvolvimento.

É comum pensar que o ego é a causa de nossos problemas e crises, e que sem o ego, nossas vidas seriam muito mais pacíficas. No entanto, há uma razão muito boa para a existência do ego.

O ego é o que nos separa do reino animal. É o motor que está por trás de tudo o que fazemos. Embora realmente cause muitos danos, o ego nos tornou os seres mais poderosos e influentes do mundo. O problema com o ego é quando o aplicamos incorretamente. Ao contrário, quando usamos o ego de forma positiva, correta e benéfica, nossas vidas se tornam harmoniosas, equilibradas e pacíficas.

O que significa usar o ego de forma positiva, correta e benéfica?

Depende primeiro de descobrir como existimos em uma natureza interconectada e interdependente, que é um único sistema do qual somos suas partes. Quando nos sentimos como existindo em um único sistema, nos sentimos como pequenas partes de um sistema muito maior. Ao sentir a magnitude do maior sistema da natureza fora de nós mesmos, sentiríamos a necessidade de pensar e agir de forma a beneficiar esse sistema. Então, da mesma forma que células e órgãos tomam o que precisam para servir a todo o organismo do qual fazem parte, naturalmente começaríamos a desfrutar a vida por meio do cálculo de que desejamos beneficiar outras pessoas e a natureza por meio de nossa existência aqui.

Nossa sensação inata de vida é priorizar nosso benefício pessoal sobre os outros. Portanto, exigimos um novo tipo de educação – educação integral – que orienta nossa compreensão e sentimento da interconexão e interdependência da natureza. Essa é a chave para a criação de um mundo harmonioso de indivíduos felizes e confiantes, um mundo livre de todos os problemas causados ​​por permitir que nossos egos explorem, abusem e manipulem uns aos outros e à natureza sem hesitação.

Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

“Como As Altas Taxas De Divórcio Dos EUA Podem Ser Reduzidas?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Como As Altas Taxas De Divórcio Nos EUA Podem Ser Reduzidas?

Para reduzir a taxa de divórcio e garantir que os casais superem qualquer discussão, conflito e crise, precisamos revisar a maneira como somos educados e influenciados.

À medida que crescemos, precisamos aprender o que significa viver como membros de uma família feliz, como administrar nossa vida familiar de maneira ideal e como superar qualquer tipo de conflito que possa surgir.

O princípio-chave para administrar uma família com sucesso pode ser encontrado na história bíblica sobre a nossa criação: que um homem foi originalmente criado e depois dividido em dois. Como, então, dois seres separados podem se conectar como um? A resposta está na concessão mútua.

Cada parceiro deve saber que cada um pode realizar muito mais na vida se estiver positivamente conectado, e que uma vida solitária seria muito mais difícil.

Concessão envolve conceder nossos egos aos nossos cônjuges. Nossos egos são nossos desejos de se beneficiar pessoalmente às custas dos outros. Portanto, ao conceder nossos egos, passamos por correções desses egos e adquirimos uma forma positiva de amor, doação e conexão em seu lugar. Nossos egos se tornam impulsos que nos ajudam a nos conectar positivamente. Ou seja, quando reconhecemos nossos egos rejeitando a tendência de se conectar, precisamente nesses pontos podemos exercer nossas concessões e desenvolver qualidades mais elevadas de amor e doação em nossos impulsos egoístas.

Ao fazer isso, avançamos mais rápido e mais conscientemente para o propósito de nossa vida: nos tornarmos um ser humano no sentido mais amplo do termo, ou seja, onde “humano” (“Adão“) vem da frase “semelhante ao superior” (“Adameh le Elyon”) na Cabalá, ou em outras palavras, semelhança com o Criador – a qualidade de amor, doação e conexão que preenche toda a realidade fora de nós. Ao adquirir essa qualidade, entramos no estado de eternidade e perfeição.

Portanto, para que o casamento funcione, devemos aplicar um objetivo maior ao casamento: que ele sirva como uma espécie de laboratório para exercer nossas relações de amor, doação e conexão positiva acima de todos os argumentos, conflitos e crises que superfície.

Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.