Textos na Categoria 'Política'

Por Que Israel Está Sendo Descartado?

Dr. Michael LaitmanNas Notícias (worldcrisis.ru): “Tanto quanto parece, o Sionismo tornou-se obsoleto e eu não acho que o mundo precise mais dele, como o estado-nação de Israel. A família Rothschild e semelhantes simplesmente usaram o Sionismo como uma ideologia de auto-enriquecimento, de modo que os Judeus eram apenas o material necessário para eles.

“Uma análise dos acontecimentos dos últimos anos mostra que eles já entregaram Israel, entregaram o Sionismo. O plano deles e sua mais importante tarefa é que Israel e milhões de outros Judeus sejam aniquilados. Desde o início do novo milénio, começaram boatos de que eles estavam ‘descartando’ Israel.

“Os Estados Unidos ainda nos apoiam porque seus interesses exigem a sua presença e influência permanente em nossa área. Desde que eles mantenham seus interesses, eles permaneceram em ambos os lados do conflito no Médio Oriente e não estão interessados ​​na sua solução. Mas hoje, as circunstâncias mudaram, os EUA se divertiram bastante e o apoio mundial aos Palestinos tem crescido, ao passo que o apoio a Israel diminuiu.

“Informações analisadas pela inteligência dos Estados Unidos: ‘Planejamento para um Oriente Médio sem Israel’, observaram que Israel não pode ficar contra o crescente poder Palestino, ao passo que o governo americano não tem os recursos militares e financeiros para continuar a apoiar Israel”.

Meu Comentário: Tudo depende apenas de nós, do povo de Israel. Afinal de contas, nós somos os únicos que estão determinando o estado do mundo! Por isso, é necessário ver toda a pressão externa sobre nós como uma pressão de cima para nos conectar e unir. Se nós pudermos implementar a unificação, ou pelo menos a inclinação e a tendência rumo a ela, então, diante dos olhos de todo o mundo, a situação em Israel e em todo o mundo vai ser alterada.

O Libelo De Sangue Das Nações Unidas

Dr. Michael LaitmanOpinião (Alexander Shoihet): “Um relatório da ONU diz que Israel cometeu crimes de guerra. Este é um libelo de sangue moderno contra Israel pelas Nações Unidas. Na verdade, todas as reuniões das Nações Unidas consistem de falsas acusações contra Israel ‘cometendo genocídio, apartheid e crimes contra a humanidade’”.

“O novo relatório da Comissão das Nações Unidas rejeita o direito de Israel à auto-defesa. Só no ano passado, esta sociedade de antissemitas chamada Organização das Nações Unidas, aceitou 20 resoluções condenando Israel, e nem mesmo uma contra outras nações do Oriente Médio. A ONU é uma organização mundial de ‘direitos humanos’ em que o Irã é um membro da comissão para a igualdade de direitos para as mulheres, Sudão supervisiona a preservação dos direitos humanos, a Síria está à frente do Comitê de Direitos Humanos, em que Cuba, Venezuela, Rússia e Arábia Saudita também são membros! Essa é as Nações Unidas”.

“Por que Israel é um membro do poço de cobra antissemita e nazista? Por que ele precisa ouvir toda essa abominação, justificar suas ações para se defender, e pagar mais um monte de dinheiro para este conjunto desprezível? Será que temos tão pouco respeito por nós mesmos que estamos ainda preparados para esperar a benevolência destes alunos e discípulos de Hitler e Goebbels?”.

Meu Comentário: A ONU se oferece como representante de todos os países do mundo que dizem abertamente na nossa cara que nós somos os culpados por todas as catástrofes humanas! E eles estão certos! Nossa Torá nos diz a mesma coisa; todos os desastres vieram ao mundo apenas como resultado das ações de Israel.

A sabedoria da Cabalá explica como, através da nossa unidade, temos que corrigir a nossa influência negativa e prejudicial para o mundo. A escolha do mundo futuro está apenas em nossas mãos, e assim as acusações contra nós são justificadas. As nações do mundo não têm a possibilidade de corrigir o mundo e expressam isso abertamente com suas acusações contra os judeus.

Cabe a nós explicar dentro das Nações Unidas, como todos nós vamos corrigir em conjunto o mundo através da aplicação da pressão sobre os Judeus e ajudando-os a fazê-lo. Desta forma, o ódio em relação aos Judeus vai forçá-los a se unir. Por isso, é possível dizer (de brincadeira) que as Nações Unidas merecem o Prêmio Nobel da Paz por “estabelecer a paz entre os Judeus!”.

Apenas Israel Salvará A Civilização Ocidental

Dr. Michael LaitmanOpinião (Dr Dan Schueftan, chefe do Centro de Pesquisa de Segurança Nacional – Universidade de Haifa): “Nós só devemos lidar com a gestão do conflito, o que significa envolver-se continuamente na melhoria de sua vida, mas isso é gestão e não uma tentativa de resolver o conflito. A raiz do problema exclusivo da sociedade israelense é o fato de que os árabes são uma minoria em nosso Estado, mas uma minoria que sente que é a maioria, porque é a maioria no Oriente Médio. Os judeus, por outro lado, são a maioria neste Estado, mas eles têm um forte sentimento de que são uma minoria.

“A situação global afeta os árabes e eles sentem que são parte do grande mundo árabe. Se a sociedade árabe mundial tenta resolver seus problemas estruturais e se volta para a barbárie, parte dos árabes israelenses também mostra o seu interesse por essas ideias. Na verdade, é este paradoxo da consciência dos árabes israelenses que leva ao conflito e os confrontos que não podem ser realmente resolvidos. Qualquer tentativa de resolver este conflito só piora a situação e ameaça a existência do Estado de Israel.

“O ponto é que Israel parece ser uma empresa colonial, mas as tentativas de mudá-la de acordo com os modelos ocidentais podem destruir suas bases. O acordo de paz de “dois Estados para dois povos”, na verdade, leva à criação de dois Estados: um ocidental e um que não é judeu, uma transformação gradual do estado de Israel num Estado árabe.

“Os árabes israelenses nunca se viram como israelenses e não querem se ver como tais, mas também não querem sair do ‘malvado’ Israel nem aderir ao ‘maravilhoso’ Estado palestino que algum dia será fundado. Eles querem viver em Israel, mas não o aceitam como seu Estado. Isso é típico do Oriente Médio. A sociedade árabe se deu conta de que não será capaz de chegar perto da sociedade ocidental em seu padrão de vida. Na verdade, se afasta ainda mais longe dela e não será melhor no futuro, na medida em que o processo de destruição no Oriente Médio continua.

“O que impede os países do Oriente Médio de recuperar o atraso com os Estados ocidentais é a intolerância e a relutância em aceitar os outros. Se uma pessoa trata a sua esposa como um objeto, você pode investir tanto dinheiro quanto quiser, mas essa nunca será uma sociedade ocidental, e a ciência e o estilo de vida ocidental nunca serão desenvolvidos. Somente aqueles que exibem atitudes extremas podem contar com o apoio das massas.

“Imigrantes árabes em países europeus e nos EUA em desenvolvem a sua própria imagem pessoal, preservando-se do que eles escaparam. Os americanos acreditam obstinadamente que os princípios democráticos serão aceitos pelos imigrantes árabes e o Médio Oriente; que tudo mudará para melhor e todo mundo viverá segundo os padrões ocidentais. Mas o gênio está saindo da garrafa destruindo tudo em torno dele e as coisas estão ficando cada vez pior. A única salvação do ocidente e dos EUA é uma mudança de atitude em relação ao problema árabe.

“De todos os países do mundo ocidental, a situação em Israel é a melhor porque nós entendemos esse problema. Se alguém pode salvar as civilizações ocidentais somos nós”.

Meu Comentário: A sabedoria da Cabalá vê este problema como dado a nós de Cima para que possamos nos desenvolver espiritualmente.

E, eu vejo a mesma solução: apenas Israel pode salvar a civilização ocidental.

Artigo De Notícias Financeiras Judaicas

Na segunda-feira à noite, 20 de julho, eu dei uma palestra no Centro Judaico Rigo Park, em Queens, Nova Iorque, sobre o que leva as pessoas a separar os judeus, e qual é a solução para o forte aumento do antissemitismo.

rav-dr-michael-laitman-jewish-business-news

Meu artigo sobre o assunto foi publicado no jornal Jewish Business News.

Em contraste com as reservas e sentimentos contraditórios que eu encontrei em palestras sobre o papel da nação israelense que dei nos EUA no passado, eu fiquei surpreso com a mudança que senti na plateia e sua disponibilidade para ouvir e aceitar a abordagem que apresentei.

Eu não levo o crédito por essa conquista, uma vez que primeiro devemos agradecer o antissemitismo por tornar a nação judaica pronta para ouvir sobre a missão única e fundamental que eles devem cumprir em unir toda a humanidade.

Há muito a ser feito, é claro, mas o primeiro passo para qualquer mudança começa com uma mudança na consciência, e eu acredito que a mudança na nossa consciência já está ocorrendo. Se esta palestra significa algo sobre o futuro dos judeus americanos, eu acho que é definitivamente um passo na direção certa.

Como Alcançar A Verdadeira Democracia

Dr. Michael LaitmanExperiência de Cingapura: A Ditadura Correta

Pergunta: Em março deste ano, Lee Kuan Yew, um dos fundadores do “milagre econômico de Cingapura”, morreu. Num local vazio na fronteira de uma Malásia pantanosa, com nada ao redor, exceto uma base militar inglesa, dentro de um curto período de 50 anos, a nação mais próspera do mundo foi estabelecida. Mas neste país, não há um grão de democracia no sentido em que a entendemos nas nações desenvolvidas. Como é que esta nação teve sucesso em fazer o que grandes nações como os Estados Unidos e Inglaterra fizeram, mantendo a liderança mais estrita e a ditadura da lei?

Resposta: Eu não percebo a democracia da mesma forma como ela existe em todos os lugares, ou que mereça ser chamada de democracia. Este não é o governo do povo, mas sua imitação: um punhado de pessoas assume o controle sobre todos os recursos econômicos, políticos, sociais e militares; elas dizem que há uma democracia, e que operam em nome do povo.

Enquanto estivermos sob a influência do egoísmo interno sem a força da natureza altruísta para equilibrá-lo, não poderá haver uma democracia. A democracia é construída em contraste, um contrapeso e um equilíbrio entre duas forças, que são positiva e negativa: o nosso ego e a força de doação e amor. Há a força do ódio e da rejeição, e o poder da atração e conexão, que devem ser equilibrados mutuamente. Se o ego é equilibrado por uma força positiva, então não pode ser mau. Inversamente, o amor e a doação sem o ego podem levar a um extremismo ainda pior do que o ego.

Em outras palavras, nós fomos criados num sistema que está num equilíbrio de mais e menos, entre os quais o que resta é apenas inflamar algum tipo de tensão que dá a orientação certa para todo o trabalho do sistema. E se a força positiva não existe ou é mínima e existe apenas no medo da aniquilação, então não temos as condições para uma democracia. Nós “caímos” do sistema onde as duas forças são reveladas. Portanto, quando existimos apenas num sistema egoísta, o mais adequado para nós é a ditadura correta.

Se um rei governa uma nação, ele cuida de sua nação, de seus súditos, não os aniquila, e eles consideram que ele é ótimo! Ele é o mestre! Mas, numa nação democrática, não há mestre. Nós deixamos uma eleição decidir quem opera o volante por dois, três ou quatro anos, e depois? De que modo a elite se importa com o que virá depois disso?! Eles não vão ser eleitos novamente, então precisam pegar tudo o que podem enquanto estão no controle.

Assim, a ditadura em Cingapura é um maravilhoso sistema de governo. A democracia na forma de um Sinédrio.

Pergunta: Eu ouvi dizer que o correto chefe de Estado deve ser um Cabalista, que conhecendo as leis da natureza, vai gerenciá-lo no interesse de toda a sociedade. Qual será a base da unidade moral de seu comportamento? Será que ele não será infectado pela cobiça; ele não vai querer ficar rico depois que atingir o controle?

Resposta: Há um conceito como o Sinédrio (Grande Assembleia), onde 120 sábios Cabalistas se reúnem, se conectam num círculo, e discutem todos os temas da agenda. A discussão não é baseada em diferenças de opinião, o que é típico do nosso mundo, onde se acredita que a verdade nasce do debate. Não há verdade no debate, porque desde o início ele nos mantém num nível bestial e não podemos subir acima disso. E nós temos que subir acima de nós mesmos, porque o nosso estágio só pode levar a um nível superior. Parece que subimos ao nosso próximo nível, a partir do qual é possível ver como alcançá-lo.

Isso acontece quando as pessoas se unem numa única unidade completa, apesar de todas as diferenças de opinião, e ao aniquilar o seu ego, elas atingem um coração e uma mente comum. Essa é uma tensão interna única e um trabalho prático. A partir de um estado de unidade, e só com isso, elas se complementam; elas começam a chegar a uma opinião comum. Mas esta não está conectada a opiniões pessoais; em vez disso, é sentida através de uma unidade comum. É nessa forma que o sistema de governança para a nação e o povo deve se manifestar.

Como a luta e a discórdia podem ser evitadas?

Pergunta: Hoje muitas nações estão tentando recriar esse modelo de uma forma ou de outra. Tomemos por exemplo a Turquia, onde o governo se tornou progressivamente concentrado nas mãos de uma pessoa, ou a Rússia, que nem sequer esconde que vive e prospera graças a uma pessoa. Há também uma infinidade de outros exemplos em nações menos desenvolvidas. Segue-se que a formação de pirâmides governamentais como essa é o único caminho possível para a humanidade seguir? Portanto, onde é possível tomar pessoas como essas que estão satisfeitas com tal método de governo? E, por fim, em Cingapura, que não era originalmente corrompida, todos os lugares-chave foram ocupados por parentes de Lee Kuan Yew. Em última análise, uma espécie de casta foi criada.

Resposta: Certamente esse modelo não pode existir para sempre num estado ideal, uma vez o suborno, as lutas pelo poder, e assim por diante, começam. Por algum tempo ele pode manter sua posição em algum ideal, mas depois disso, tudo se deteriora ao longo das trilhas egoístas habituais.

Pergunta: Como os Cabalistas evitariam chegar a esta situação no governo da nação?

Resposta: O fato de que eles estão unidos entre si, os 120 maiores sábios do povo evitariam conflitos e diferenças de opinião. Especificamente nesta situação, eles começariam a discutir algum assunto e da sua unidade, eles receberiam uma resposta. Afinal de contas, a unidade entre eles é o seu próximo objetivo, que eles devem alcançar e incluir todas as pessoas com eles.

Pergunta: Será que as discussões em círculos, que seus estudantes organizam, constituem uma pequena versão desta forma de unidade?

Resposta: Sim. As discussões na forma de mesas redondas são organizadas em todo o mundo, não apenas em Israel. Nós criamos ativamente uma reunião, um círculo de discussão de homens e mulheres, que implementam a unidade, desprendendo e subindo acima de si mesmos. Cada um investe em todos os outros e todos anseiam em ser absolutamente iguais, sem maior ou menor, de forma alguma. Nós aspiramos a encontrar um sistema preciso de equilíbrio interno entre nós e procuramos fazê-lo de modo a que todos sejam iguais e integrados com o outro, percam-se na nossa unidade, e do “Eu” chegará o estado de “nós”. Depois, partir do estado de “nós”, chega-se ao estado de “um”, como um homem com um coração.

De KabTV “Conversas com Michael Laitman” 01/04/15

Os EUA Já Perderam O Seu Papel Como Fiador Do Sistema Econômico Global?

Dr. Michael LaitmanOpinião (Lawrence Summer, economista americano, Presidente Emérito, Professor Universitário da Charles W. Eliot – Universidade de Harvard, ex-secretário do Tesouro): “O mês passado pode ser lembrado como o momento em que os Estados Unidos perderam o seu papel como o subscritor do sistema econômico global. Esta falha de estratégia e tática estava para chegar a um tempo, e deve levar a uma revisão global da abordagem dos EUA para a economia global. Com o tamanho econômico da China rivalizando com o dos EUA, e os mercados emergentes representando pelo menos metade da produção mundial, a arquitetura econômica global precisa de um ajuste substancial. As pressões políticas de todos os lados nos EUA tornaram-no cada vez mais disfuncional.

“Com os compromissos norte-americanos não honrados e políticas apoiadas pelos EUA bloqueando os financiamentos que outros países querem fornecer ou receber através das instituições existentes, o caminho estava livre para a China estabelecer a infraestrutura do Banco Asiático de Investimento. Há espaço para discussão sobre a tática que deveria ter sido tomada quando a iniciativa foi apresentada. Mas a questão maior agora é uma das estratégia. Aqui estão três preceitos que os líderes norte-americanos devem manter em mente.

“Em primeiro lugar, a liderança americana deve ter uma base bipartidária em casa, ficar livre da hipocrisia e ser contida na busca do auto-interesse. Enquanto um dos nossos principais partidos se opõe a praticamente todos os acordos comerciais, e o outra é resistente ao financiamento das organizações internacionais, os EUA não vão estar numa posição para moldar o sistema econômico global.

“Outros países ficam legitimamente frustrados quando autoridades dos EUA lhes pedem para ajustar as suas políticas – depois insistem que os reguladores estaduais americanos, agências independentes e ações judiciais de grande alcance estão além de seu controle. Isto é especialmente verdadeiro quando muitas empresas estrangeiras afirmam que as ações dos EUA criam a verdadeira regra de problemas legais.

“A legitimidade da liderança dos EUA depende da nossa resistência à tentação de abusar dela em busca do interesse paroquial, mesmo quando esse interesse parece convincente. Não podemos esperar manter o principal papel do dólar no sistema internacional, se somos muito agressivos em como limitar o seu uso na busca de determinados objetivos de segurança.

“Em segundo lugar, na política global, bem como no mercado interno, a classe média conta mais. Às vezes parece que a agenda global prevalecente combina as preocupações da elite sobre questões como a propriedade intelectual, proteção do investimento e harmonização regulatória, com preocupações morais sobre a pobreza global e a posteridade, oferecendo pouco para aqueles no meio. Abordagens que não servem à classe trabalhadora nos países industrializados (e crescentes populações urbanas naqueles em desenvolvimento) não são susceptíveis de funcionar bem no longo prazo”

Meu Comentário: Eu não quero ser como um observador político teórico, refletindo sobre se isso é bom para os judeus, mas a verdade é que o bom no longo prazo só vai ser o que é consistente com o programa da criação, que é trazer toda a humanidade a um só corpo.

Nos últimos 20 anos, os Estados Unidos têm realizado uma função diferente: dividir para conquistar. Portanto, não só os EUA estão perdendo o papel de líder econômico, mas também o seu papel como exemplo para o mundo.

A Ociosidade Do Parlamento Europeu

Dr, Michael LaitmanEu li no artigo “Rússia Alemanha“, que em 2015 apenas algumas dezenas de leis foram tratadas no Parlamento Europeu, que é composto por 751 representantes.

A manutenção deste criativo exército legislativo custa aos contribuintes 1,7 bilhões de euros por ano. De acordo com as perspectivas deste ano, os representantes aceitarão prontamente essa diminuição em suas atividades e vão continuar com o seu próprio negócio, sem qualquer sentido de haver um problema.

Meu Comentário: Eu acredito que essa é a forma como a composição (da UE) está gradualmente tornando-se obsoleta e irrelevante. No entanto, isso pode ser bastante benéfico, uma vez que muitas pessoas aprenderam com esse projeto, que foi um fracasso desde o início. A única razão para o seu fracasso foi que não foi baseado em qualquer forma de integração, mas em simples cálculos egoístas. Porque tudo isso está ocorrendo numa época de verdadeira integração da natureza; qualquer forma de integração artificial está condenada a desmoronar. No seu conjunto, este projeto acabará por ter que ser completamente encerrado.

A Eleição Acabou, Mas A Chance Continua

Dr. Michael LaitmanPergunta: Quem precisa estar no poder em Israel, a direita ou a esquerda?

Resposta: Nem um nem outro. Gerenciando o processo devem estar pessoas que entendam o que é a unidade. Como se diz em Jeremias 51: 5: Israel não enviuvou. Há pessoas assim no mundo e eu espero que possamos encontra-las e que elas também se organizem e atuem.

Nós esperamos que sejamos bem sucedidos em trazer o povo de Israel a tal estado em que ninguém vai se sentir magoado ou deixado de fora, onde todo mundo vai ter um padrão de vida normal, habitação e tudo o que querem. Afinal de contas, se nos unirmos, podemos organizar a vida da melhor maneira, sem quaisquer obstáculos, e tornar-se um exemplo para os outros.

O mundo de hoje está dividido e separado, e neste estado, graças ao exemplo correto, podemos nos tornar verdadeiramente uma “luz para as nações”. Isto é o que devemos escolher porque também é a verdadeira escolha das pessoas agora. Em qualquer direção que nós vamos, devemos escolher o caminho do acordo e entendimento mútuo, o caminho de ouro que conecta os campos da direita e da esquerda.

O que eu espero hoje para o povo de Israel é que eles façam a verdadeira escolha após a eleição política. Boa sorte!

Da Conversa sobre “Eleições”, 18/03/15

O Precariado – A Base Da Futura Sociedade

Dr. Michael LaitmanNas Notícias (Tolkovatel): “Na sociedade ocidental há um grupo social isolado, o precariado – um grupo desfavorecido não vinculado a qualquer estado ou sociedade. Dezenas de milhões de jovens caracterizam-se por apatia e ignorância.

“Eles viajam ao longo de países em busca de novas experiências e biscates. Nos países desenvolvidos, eles compõem metade da população.

“Não há nenhum meio (centro) na sociedade moderna: existem apenas as camadas superiores e inferiores. Na sociedade ocidental, distinguem-se cinco grupos de acordo com sua ocupação.

1. Elite – um grupo minúsculo dos ricos, influenciando os governos.

2. Assalariados – camada média superior, tem um emprego estável, funcionários de instituições governamentais.

3. Profissionais – empregados em uma base de contrato devido a suas habilidades.

4. O núcleo – a “velha” classe trabalhadora.

5. Precariado – socialmente não estabelecida, não ter nenhuma segurança no trabalho.

“Na Rússia, o precariado é de 40 milhões de indivíduos que são capazes de trabalhar e que estão empregados no mercado de trabalho informal.

“O país retirou-se da resolução dos problemas sociais; a população está se tornando mais selvagem; há uma falta de conhecimento e o desejo de se encaixar no mundo pós-industrial; o infantilismo dificulta o encaixe na sociedade; os jovens estão relutantes em tornar-se envolvidos na investigação científica; profissões científicas não são populares e há uma falta de interesse na ciência (nos EUA, profissões na ciência são uma das mais populares).

“O mundo inteiro se depara com um aumento no número de “pessoas indesejáveis”– o precariado. Este problema em particular, surgirá com a substituição de pessoas por máquinas na indústria e no mundo dos escritórios. Isto levará à destruição da economia do consumidor, que é a base do mundo de hoje, já que a maioria das pessoas não será capaz de continuar a consumir nos volumes atuais.

“A resposta para isso é mudar a formação – ou o início da Nova Idade Média ou o socialismo com um alto grau de igualitarismo”.

Meu Comentário: A repetição do passado é impossível e nunca aconteceu. Essas “pessoas indesejadas”, que são até 90% da população, vão passar pela educação integral e irão formar a base de uma nova sociedade.

Um Novo Império Global

Dr. Michael LaitmanOpinião (Yuval Noah Harari, autor de Sapiens: Uma Breve História da Humanidade e conferencista do Departamento de História, na Universidade Hebraica de Jerusalém): “A partir do século II d.C., a maioria dos povos viveu em impérios. No século XX, o ideal político dominante era o ideal do Estado-nação: soberano, e o povo era a fonte de todo o poder. O dever supremo do Estado era para defender os interesses da coletividade nacional.

“Assim, surgiu a ideia de que deve haver tantos Estados independentes quanto nações no mundo.

“No século XXI, o nacionalismo está perdendo terreno rapidamente. Impérios separados permanecem no passado. No futuro, as pessoas vão viver num único império mundial. Um governo unificado para toda a Terra nos espera no futuro próximo.

“Mais e mais pessoas estão chegando à conclusão de que a única fonte legítima do poder político é a humanidade, em vez de nações separadas, e que o principal objetivo da política deve ser os interesses de toda a raça humana e a defesa dos direitos humanos. Neste caso, a existência de 200 Estados-nação é um obstáculo.

“O mundo ainda está politicamente fragmentado, mas a verdadeira autonomia dos Estados-nação está diminuindo rapidamente. Nenhum país é capaz de conduzir uma política econômica independente, declarar guerra por um capricho, e até mesmo levar a cabo as suas próprias políticas internas.

“Os países são cada vez mais influenciados pelos mercados globais, corporações internacionais e ONGs, e a opinião pública internacional e o sistema judicial comum são cada vez mais influentes.

“Os Estados são obrigados a contar com os padrões internacionais de conduta financeira, política ambiental e justiça. Poderosos fluxos de capital, trabalho e informação estão se espalhando por todo o mundo, transformando-o, e as fronteiras e posições dos Estados-nação individuais têm menos importância.

“O império mundial está sendo criado diante de nossos olhos, e não será governado por um Estado separado ou grupo étnico – este novo mundo seria gerido pela elite multinacional e cultura comum e os interesses comuns juntará tudo isso”.

Meu Comentário: É gratificante ver como o conhecimento mais elevado começa a se assentar gradualmente nas mentes das pessoas de nosso mundo. A perspectiva correta do desenvolvimento está sendo revelada a eles, de acordo com o objetivo da natureza de trazer todas as suas partes a um todo sinérgico. Nosso destino depende de como nós podemos participar de forma sensata e ativa deste processo.