Textos na Categoria 'Pensamentos no Twitter'

Meus Pensamentos No Twitter 19/11/18

Dr Michael Laitman TwitterDia Internacional dos Homens!
Hoje estou feliz em desejar a todos os homens um feliz Dia Internacional do Homem!
Desejo que cada um de vocês encontre a si mesmo, seu lugar na vida e, mais importante, o propósito de sua vida e seu papel!
#DiaInternationalDoHomem

Do Twitter, 19/11/18

Meus Pensamentos No Twitter 18/11/18

Dr Michael Laitman TwitterNós vivemos na razão egoísta para decidir que não podemos viver dessa maneira.
Devemos sair dela, elevar-nos acima dela, começar a agir de acordo com a razão do Superior, Bina, em vez de Malchut, a razão da doação em vez da recepção.

As leis que operam lá são contrárias à razão egoísta – “e eu vi um mundo inverso”.

Resultado da influência da luz: eu recebo sentimento e razão visando meu benefício egoísta. De repente, começo a pensar no grupo e no Criador. Eles se tornam tão importantes para mim que não quero pensar em mim e na minha família.
Eu quero me importar não para meu próprio benefício, mas para o benefício do Criador.

O óleo é o nosso desejo por prazeres. O fogo é a luz superior. Nosso trabalho é conectá-los com um pavio. Tudo foi providenciado: devemos nos unir à concordância para transformar pensamentos e ações inadequados em nossa unidade com o Criador.

Eles nos afastam da doação e transformamos a lacuna em conexão.
#espiritualidade #Cabalá

O pavio é um transmissor, nossa alma. Acima, há a força de doação, Bina. Abaixo, há a força de recepção, Malchut. Nossa vida está no meio. Ela se afirma nos opostos, pulsa na superação, surge da intenção.

Se queima no pavio da lâmpada até eu usar todos os pensamentos estranhos.

Nós somos limitados pelo #egoismo. Ele não nos permite fugir de nossos próprios desejos e restringe nossa percepção. Nós percebemos tudo através do prisma do benefício próprio. Minha imagem do mundo, canalizada através do egoísmo, é distorcida e se transforma em mentira.

Em vez de ver a verdade, eu vejo um fragmento deformado pelo amor-próprio.

Pensamentos estrangeiros, todos os tipos de distúrbios são necessários. Sem eles, não podemos nos apegar à fé acima da razão. Não teríamos necessidade disso, sem apoio ou progresso. É o mesmo que como o óleo não pode queimar sem um pavio que o conecte ao fogo, à luz.

Toda vez que surgem pensamentos impróprios, devemos estar prontos e gratos por eles. Devemos usá-los como um pavio, acima da inadequação, conectando-nos à Fonte que os enviou ainda mais para fortalecer a luz, a conexão com o Criador.

O Ocidente deve ver os #migrantes como invasores que estão pacificamente provocando a assimilação dos europeus, impondo despesas, sua religião e cultura.
Milhões de migrantes se instalaram na #Europa. A consequência é uma conquista pacífica do continente.

Livro do Zohar: no final dos dias, os árabes terão o domínio sobre a Europa.

Nós, BB [Bnei Baruch], não somos contra a observância dos Mandamentos. Mas, para enfatizar que o mandamento principal está na unidade: “Ame seu próximo como a si mesmo”, o restante dos mandamentos não está sendo mencionado por enquanto. Eles se manifestam na medida em que estudamos sua fonte espiritual conforme necessário, procedendo da estrutura da alma.

As massas serão capazes de se adaptar à verdadeira Torá e aos Mandamentos apenas na medida em que compreenderem a conexão entre a palavra superior, o sistema de governo e o nosso mundo, nós.

Quando vemos as conexões entre raízes e ramos, a necessidade de observar os mandamentos como as leis da natureza é óbvia. Este é o verdadeiro “Hazara be Tshuva“.

A pessoa que começar a estudar Cabalá desenvolve o egoísmo numa extensão intolerável, então ela fugirá dele, do Faraó. O apoio do grupo é crítico neste período.
Sem ela, em vez de avançar em direção à luz, Torá, a pessoa regride, reduzindo seu egoísmo, impedindo-se de estimular o egoísmo, o Faraó.

Aqueles que começam a estudar a Cabalá se deparam com a necessidade de lutar contra o egoísmo, unindo-se no grupo contra si mesmo – um egoísta. Se eles não entenderem ou não puderem se organizar dessa maneira, eles deixam a Cabalá prática e se tornam seus inimigos, pensando que não são eles que falham, mas a organização, o grupo BB.

A tolerância é boa se não permite a anarquia, se é equilibrada e protegida contra a total permissividade!
Cabalá: tudo requer uma combinação de si e do oposto – em equilíbrio, a linha média. Nós devemos criar tal sociedade, ganhar este sentido espiritual de percepção.

Do Twitter, 18/11/18

Meus Pensamentos No Twitter 15/11/18

Dr Michael Laitman TwitterA principal proteção contra desastres é o amor e a união. Quando o amor, a unidade e a amizade residem na nação de Israel, todos os infortúnios, sofrimentos e misérias passarão por eles… (Maor vaShemesh)
Com sua pressão, eles nos forçarão a ensinar a unidade mundial.

Nós temos que liderar o mundo para a união.
Livro do Zohar: “A nação de Israel entre as nações do mundo é como o coração para o resto dos órgãos. Assim como os órgãos do corpo não podem existir sem o coração, as nações não podem existir sem a nação de Israel”.
“Quando há amor, união e amizade dentro de Israel, nenhuma calamidade pode vir sobre eles”. (Maor vaShemesh)

Em todo o país, as pessoas estão prontas para receber os que estão sob fogo.
Mas se além de abrir suas casas, soubessem abrir seus corações e uni-los em um só coração …
Cabalá: “A principal defesa contra a calamidade é o amor e a unidade” …
A nação é obrigada a levar a cabo a unidade e transmiti-la a todas as nações.

Livro do Zohar: “A nação de Israel entre as nações do mundo é como o coração circundado pelo resto dos órgãos. Assim como os órgãos do corpo não podem existir sem o coração nem por um momento, todas as nações não podem existir sem a nação de Israel ”.

Uma pessoa que tem uma centelha ardente deseja preencher o vazio com mandamentos como uma romã.
Na medida em que ela pede para sentir a grandeza do Criador, para ir com isto acima da razão,
A pessoa não deseja a revelação do Criador, mas quer a Sua grandeza para realizar os desejos do Criador sem condições – isto é o que ela pede. Isso é chamado de preencher o vazio com um mandamento.

Por que aqueles que têm a sabedoria da Cabalá não são capazes de consertar as coisas no mundo?
A correção do mundo depende da participação de todos nesse processo. Hoje, o processo de correção das massas está apenas começando no mundo, na medida em que as pessoas estão…
… Se familiarizado com a Cabalá.
A correção é voluntária – é o trabalho que se faz consigo mesmo, pessoalmente!
Agora temos que nos conscientizar disso, senão seremos punidos!

Toda a nação é responsável pelas transgressões, já que todos se afogam quando uma pessoa faz um buraco no barco. De cima há apenas punição ou recompensa coletiva. Não há nada pessoal na espiritualidade – há um sistema. É assim que somos vistos de cima.
A Cabalá diz: precisamos de educação e desejo de boas conexões.

As pessoas na América decidiram falar atirando. Armas podem protegê-lo, mas não vão consertar o desejo de resolver tudo, atirando! Duas forças opostas operam em tudo na natureza. Seu equilíbrio cria a paz. Precisamos de armas do bem e do mal.
No entanto, não por causa da nossa segurança física, mas por uma questão de unir a nós e a Ele em uma só alma!

Nós alcançamos os limites da fraqueza: suprindo o inimigo com tudo e cessando fogo em sua ordem.
Livro do Zohar: não temos outra esperança senão o Criador. Ele organiza tudo, então nos voltamos para ele em desespero.

Não nos importamos com as qualidades de cada pessoa. Corrigimos as CONEXÕES entre nós. O que importa é a atitude de alguém em relação ao grupo, ao passo que as qualidades naturais não podem ser mudadas – elas podem ser transformadas em Tzimtzum Aleph, uma tela, Ohr Hozer, para construir o Kli da alma em que o Criador será revelado. No interior, cada pessoa permanecerá como o Criador a fez (Lech Le Uman …)

O pedido correto ao Criador é o pedido de autocorreção. Entretanto, não para o bem de si mesmo, mas para poder sentir os outros e saber como pedir ao Criador pelos outros, pedir apenas pelo seu benefício, ser AHP pelo bem de todo o GE das almas.

Não depende da nossa força ou estratégia, mas apenas da unidade, da garantia mútua, de alcançar a unidade adequada na nação e mostrar ao mundo um exemplo disso! #Israel

A #Guerra não pode corrigir nada. Por uma série de desastres, isso nos leva a entender que a solução depende inteiramente de nós e não de nossos inimigos.
Em vez de sentir nossa limitada existência no mundo, alcançaremos o nível do Criador.

A quebra não é acidental, não devemos anular o resultado. É para o nosso bem. Se nos unimos acima da separação, revelamos uma conexão 620 vezes maior que a anterior, antes da queda do pecado, quebra.

A atitude das nações do mundo para com Israel está mudando para melhor? Assim como no passado, quando ninguém se sentiu mal com o extermínio dos judeus pelos nazistas, hoje os meios de comunicação europeus não mencionam o fato de que o Hamas disparou 500 foguetes contra Israel!

Por enquanto, não temos controle sobre nosso coração, mas estamos nos movendo em direção à realização do mal e ao pedido de correção.

A profissão mais requisitada do mundo em breve será especialista em trabalho espiritual – “o trabalho do Criador”. Estamos nos preparando para isso. Daí nosso trabalho está na criação da conexão entre nós.

A bondade cresce precisamente em virtude do crescimento do ego!

Nosso egoísmo não desaparece. Tem que permanecer e nós construímos uma conexão acima dela. Naturalmente, o desejo de erradicar o ego emerge. Mas essa é a abordagem errada. É por isso que não podemos fazer isso. O egoísmo permanecerá, mas cobriremos todo o mal no mundo com bondade.

Um leigo cuida de si mesmo, enquanto um Cabalista se preocupa com a conexão entre nós, já que toda a correção está lá.

A verdadeira Torá, a Torá-Emet difere da Torá das massas por uma interpretação diferente de falhas, punição e recompensa, como está escrito: “A opinião da Torá é oposta à opinião dos leigos”.

Se o mal foi revelado, devemos prestar atenção não nele, mas ao nosso pedido para corrigir o mal com maior conexão entre nós.

Ninguém é culpado de suas ações: todas as transgressões são reveladas de cima. Somos culpados não pela revelação do mal, mas por não pedirmos ao Criador que corrija o mal.

Todas as orações foram compostas pelos sábios antes da destruição do Templo. Elas são recitadas não para si mesmo – EU, mas para todos, NÓS. Isso porque ninguém é culpado sozinho: ele foi criado dessa maneira e todos são responsáveis ​​por todos.

Por isso, não importa quem fez a ação: de cima, somos considerados como estando em uma garantia circular, ARVUT.

Quanto mais opostos podemos unir dentro de nós, maior é o nosso grau espiritual.
É a maneira como qualquer informação pode ser processada em um computador por conexões de 0 e 1. A espiritualidade é construída sobre a quantidade de conexões, o que produz qualidade.
Por isso, o mais importante é percorrer o número necessário de estados!

Como podemos vencer guerras?
Basicamente, todas as nossas guerras são internas. Nós devemos lutar contra o nosso próprio egoísmo, que nos separa, já que de acordo com o plano da criação devemos ser “como um homem com um coração”. Nós devemos lutar contra o ego em prol da unidade e com isso devemos dar um exemplo ao mundo.

Do Twitter, 15/11/18

Meus Pensamentos No Twitter 14/11/18

Dr Michael Laitman TwitterNa rede material somos nós que somos importantes. A humanidade pensa que, construindo uma rede dessas, avançamos. Mas toda vez que alcançamos a unidade, revelamos a quebra interior da unidade egoísta – inaugurando a guerra e a miséria. A unidade egoísta é necessária para reconhecer seu dano.

Se a pessoa se lembra da “condição para o apelo correto ao Criador”, que ela não pode pedir para si mesma, já que é egoísta e não para o grupo, ela evoca a resposta “atrasada” do Criador, prejudicando a si mesma. Mas o lado de trás do Criador também ensina gradualmente o apelo correto.

Portanto, cuidado com o apelo ao Criador antes de organizar seu relacionamento com o grupo, busque a si mesmo na unidade, veja todos como um todo. Somente imaginando que você conecta todos os corações, você pode se voltar ao Criador a partir daquele único coração. Essa será a oração certa.

Não pense que a condição “ama o próximo como a si mesmo” é realizada pela luz superior apenas no fim da correção. Todo o nosso trabalho começa com este esforço, e as ações e os apelos apropriados ao Criador são construídos somente sobre ele, através de todos os 125 graus – e Ele o corrige!

Construindo relações de garantia mútua em um 10, começamos a sentir a rede nos conectando, que se transforma em 10 Sefirot, um Parztuf espiritual.
É assim que cumprimos a condição de revelar a Luz superior, a manifestação do Criador na criação, na dezena como em um único todo.

Embora não defendamos a garantia mútua, de cima somos tratados como se a defendêssemos e transgredíssemos, como um só corpo (Partzuf de Adão). Se uma pessoa transgride, todos são responsabilizados, pois todos estão em um barco. Por isso, é preciso sempre pedir por todos e não para si mesmo.

Nosso tempo é caracterizado pela agressão por minorias étnicas, sexuais e étnicas, perseguidas anteriormente, em relação aos seus antigos perseguidores. Isso leva à violência.
A Cabalá aconselha: “O amor cobrirá todos os pecados” – devemos desenvolver apenas o amor. Caso contrário, a ilegalidade e a violência prevalecerão!

Vários países da UE (e Trump!) recusaram-se a assinar o tratado da ONU sobre a migração “ordenada”, uma vez que leva a um influxo de ilegais e mina a sua soberania. Uma coligação formou-se na UE contra a obsessão globalista da Alemanha e da França. Uma guerra de pró e antiglobalistas está chegando.

Antes de Trump, a política dos EUA estava à altura da elite financeira mundial, no controle da economia mundial. Desde 2008, está claro que não podemos continuar vivendo de acordo com as leis dos financiadores. A alternativa: progresso capitalista, produção nacional, deveres.
O que vem pela frente: a vitória de Trump ou a fragmentação da América?

Se não houvesse escuridão, não sentiríamos a luz. Portanto, a escuridão e a luz devem existir simultaneamente, como dois lados opostos de um fenômeno. Caso contrário, não discerniríamos a realidade ou sentiríamos que existimos. Nossa existência é baseada no contraste da luz e da escuridão.

Todos os estados “ruins” durante o dia vêm apenas para nos dar uma chance de discernir a luz em seus antecedentes. A luz é a qualidade de doação, uma boa atitude para com o amigo em prol do objetivo comum e não do lucro próprio. A escuridão para mim é o pano de fundo para discernir luz, unidade, Criador.
Caso contrário, não corresponderemos à rede espiritual e isso nos pressionará e nos levará à união.

A conexão certa sempre vai para/a partir do Criador através do grupo: não diretamente de mim para o amigo, mas para construir o Partzuf da alma dentre dez ou tantos quantos o Criador trouxer ao grupo.
… o lugar da revelação do Criador. Não EM nós, mas ENTRE nós.

Cada um deve pensar apenas na rede comum, no bem-estar do grupo, na responsabilidade pessoal pela conexão de todos. Não há outro trabalho espiritual além do desejo incessante de unir a todos. Essas conexões entre nós se tornarão um Kli
É melhor não pedir nada do que pedir por mim.

Antes de se voltar ao Criador, a pessoa deve resolver suas relações com os amigos no caminho do progresso espiritual.
Se eu me volto ao Criador para mim, um egoísta, eu destruo em vez de construir
Meu apelo causa bem ou mal no mundo.

Nós agradecemos pela escuridão, assim como a luz, já que é uma condição necessária para revelar o Criador às criaturas. Se não superarmos a nossa relutância em nos mover, a decepção, os pensamentos de amor próprio, isto é, a sensação da escuridão como o começo da construção de um Kli, nunca nos tornaremos humanos.

A observância da Torá e dos mandamentos só é possível na medida da unidade; sem unidade, a observância da Torá é impossível. Isso porque a observância da Torá está no desejo e somente na extensão da garantia mútua (Arvut).

Aprecie a escuridão, que leva ao objetivo da criação. Veja a luz no fundo da escuridão.
Escuridão é o que foi criado para discernir a luz. Daí que estados escuros são mais valiosos do que os iluminados. O ego não quer a escuridão e, portanto, devemos ser mais felizes com isso do que com a luz. Não valorize os estados pelo quão agradáveis ​​eles são.

A experiência nos permite, depois de passar pela escuridão, antecipar a próxima revelação da luz.

Podemos reconhecer, discernir e revelar a qualidade da luz do Criador apenas na medida em que alcançamos qualidades opostas da escuridão.
Devemos, portanto, passar por todos os estados de escuridão, opostos à luz.

De forma prática: eu devo discernir a necessidade de uma conexão-doação-amor-Criador.

Toda a sabedoria da Cabalá é sobre como e o que pedir ao Criador.
Eu peço a Ele (oro) por mudanças em mim – este é o trabalho do homem.
O Criador cumpre meus pedidos – este é o trabalho do Criador (Avodat HaShem).

Do Twitter, 14/11/18

Meus Pensamentos No Twitter 11/12/18

Dr Michael Laitman TwitterA princípio, parece que a mente mostrará o caminho certo para o trabalho espiritual. Mas o caminho da razão é o ego errante nos desejos (a matéria (Homer), como um burro (Hamor), vagueia num campo). A razão serve aos desejos, ajudando a alcançar o que eles querem. Portanto, a Cabalá mostra o caminho acima da razão.

No caminho espiritual, a pessoa se encontra perdida no campo de trabalho. Onde ela está? O que é exigido dela?
Se ela revela que o caminho para o objetivo é maior união com os amigos do grupo, ela está no caminho certo se ela se voltar ao Criador por ajuda através da conexão com os amigos.

O nacionalismo não é racismo. Pode consolidar uma sociedade ou nação, e não necessariamente contra outra pessoa. O declínio do nacionalismo faz com que uma nação seja dividida de outras maneiras. Assim, a “democracia” é obcecada por valorizar e dividir pela cor e origem, enfatizando o “pluralismo…”

… E nisso você encontrará o caminho para Mim”. O campo de nossa conexão é a alma. Seu preenchimento é o Criador.

A pessoa sente que se desviou do caminho, vendo desejos quebrados impedindo a conexão com amigos, e ela clama ao Criador. Procurando no campo, ela encontra o Criador, que lhe diz: “Peça ajuda aos amigos para encontrar o fio de conexão com eles….

O impulso para uma vida longa e ativa é a nova religião.
Apagar todas as coisas irracionais da vida e garantir uma vida útil mais longa é agora o propósito da vida.
A saúde é mais importante, em vez de realização por propósito além dos limites da existência corporal.
Desligue nossos cérebros e exercite-se!

As chamadas nações “democráticas” (poder pelo povo) dão liberdade às pessoas, mas ao permitir a livre circulação de capitais, tornam os ricos mais ricos e os pobres mais pobres. O egoísmo e o poder da classe alta estão mais uma vez levando ao desaparecimento dos países!

Do Twitter, 12/11/18

Meus Pensamentos No Twitter 11/11/18

Dr Michael Laitman TwitterO trabalho certo é quando eu desperto o Criador para conexão (embora por baixo Ele seja sempre o primeiro). Se eu revelar o caminho da luz, isso mudará o mundo.
Se eu não desperto o Criador, Ele me desperta: a luz que teria brilhado e me preenchido, agora age como a escuridão, o lado oposto.

A garantia mútua é a minha apólice de seguro, garantindo que eu continue o caminho espiritual se me importo com os outros, me esquecendo de mim mesmo. Somente a condição de se preocupar constantemente em levar o grupo e o mundo até o Criador, em vez de mim mesmo (Arvut), garante progresso espiritual.

Aqueles que não fazem o trabalho espiritual sofrem da revelação do ego, do mal. Eles querem ignorá-lo, cobrir os olhos com as mãos como crianças. Mas os Cabalistas, como adultos, entendem que o Criador fez o mal para que o homem O revele acima dele. Não há nada de estranho na criação!

Um sinal do trabalho adequado é a alegria dos pecadores sendo revelados em mim. Estou feliz com o mal sendo revelado em mim, já que é resultado do meu trabalho. Eu não anulo isso, mas subo acima dele. Essa é a diferença entre um Cabalista que trabalha para o Criador e aquele que não trabalha para Ele

Não podemos nos elevar ao grau de amor e doação até que o ódio, a rejeição, seja revelado. Acima deles, construímos a linha direita: unidade, amor, proximidade, compreensão mútua, como está escrito: “O amor cobrirá todos os pecados”. Se não houver pecados, não há amor – eles devem crescer um após o outro.

Construir novos sentidos de percepção para revelar o mundo espiritual significa construir conexões entre nós, nas quais podemos revelar o Criador e, assim, dar-Lhe alegria. Essa nova percepção é chamada de “fé acima da razão”, o grau de Bina, doação, uma intenção altruísta.

O grau superior é chamado fé e é baseado na doação. O grau inferior é chamado de razão, baseado na recepção egoísta. Eu devo sentir sua contradição, recebendo ambos do Criador. Eu estou entre eles. Através deles quero me agarrar mais a Ele, que “criou o céu e a terra”.

Do Twitter, 11/11/18

Meus Pensamentos No Twitter 08/11/18

Dr Michael Laitman TwitterA humanidade se desenvolve rumo à conexão integral através de ciclos de convergência-separação. Depois da Segunda Guerra Mundial, as pessoas são mais uma vez atraídas ao isolamento, ao nacionalismo. Somente forjando uma conexão entre pessoas acima de seu egoísmo poderemos implementar a integração sem guerra, em um grau mais elevado.

Os países capitalistas mudaram seus sistemas de tributação para que a riqueza seja agora distribuída dos pobres para os mais ricos. O paradoxo das sociedades democráticas é: as pessoas recebem direitos, mas é criada uma desigualdade salarial sem precedentes. A livre circulação de capital escravizou a economia.

O mundo está em desespero …
Ele só pode adquirir razão e forças
Através da união …
#California

Durante séculos, a religião reivindicou a espiritualidade. Mas o ego superou a religião, agora substituída pela adoração de um estilo de vida saudável, sem espaço para a existência corpórea passada da vida. O estilo de vida saudável é agora a religião e o homem é avaliado pelos parâmetros de saúde. É o fim do progresso!

O estresse é contagioso. Todos nós nos afetamos e nos infectamos com o estresse?
A Cabalá explica as leis da rede, nossa interconexão total.
Quando entendemos esse sistema, podemos gerenciá-lo e influenciá-lo para promovê-lo a um bom estado.
#DiadeConscienciadoEstresse

Do Twitter, 08/11/18

Meus Pensamentos No Twitter 06/11/18

Dr Michael Laitman TwitterO Criador é uma Força revelada na conexão (garantia mútua) das partes quebradas da criação. Em todos os níveis da natureza espiritual, nós revelamos o grau de garantia mútua ou sua falta. Nós vivemos e nos sentimos dentro disto. As partes quebradas devem apenas implementar a garantia mútua entre elas.

A Torá é fundada no princípio da garantia mútua, explicando como as partes devem se interconectar para alcançar o equilíbrio com a força geral da natureza chamada “Criador” – a força da conexão universal de todas as partes do universo em harmonia e equilíbrio mútuo.

Eu atravesso subidas e descidas.
Se eu não tiver forças do grupo, quero me conectar melhor a ele – então eu me volto ao Criador para pedir ajuda com garantia mútua.
Se eu visar ao Criador, eu me volto aos amigos, recebo forças deles e percebo Sua importância – e me volto a Ele.

Por favor, veja meu artigo sobre a tragédia de #Pittsburgh>>

A nação de Israel pode mudar não apenas seu próprio destino, mas o destino de todo o mundo. Ao mudar nossos relacionamentos do ódio para o amor fraternal, alcançaremos a ascensão espiritual da qual a Cabalá fala. Com isso, evocaremos mudanças positivas no mundo.

Aquele que vai pela fé acima da razão, acima dele, torna-se mais sábio já que sua percepção se expande.
Aquele que vai abaixo da razão, sem analisar sua percepção, permanece só com as memórias.
Devemos dar a cada amigo a sensação de garantia mútua, na qual todas as preocupações se extinguem.

Criador (Boreh) significa venha e veja (Bo-Reh). Eu posso vê-Lo em meu novo sentimento e razão, que eu formei de acordo com as qualidades de doação que são opostas a mim. É assim que a fé acima da razão – as qualidades do Criador – é construída acima do meu ego.

Do Twitter , 06/11/18

Meus Pensamentos No Twitter 05/11/18

Dr Michael Laitman TwitterAo contrário da corporeidade, na espiritualidade não temos chance de considerar nossa opinião e sentimento. Devemos nos alegrar por poder avançar acima da razão e da sensação. Se avançamos na razão e sentimento, concordando com eles – é uma abordagem materialista. Nada espiritual brotará disso.
É um grande obstáculo trabalhar sem energia, razão, compreensão espiritual e sensação. Mas devemos fazer isso apesar de nossa incapacidade de realizá-lo.
E não precisamos executar isso – devemos tentar. Quando virmos que não podemos, vamos unir nossos desejos e pedir energia, compreensão e sensação

Na espiritualidade, é preciso começar o trabalho antes mesmo de ter energia para isso. Não podemos nos unir – mas devemos nos esforçar. Somos incapazes de entender alguma coisa – mas devemos agir como se entendêssemos. É assim que avançamos.

Do Twitter, 05/11/18

Meus Pensamentos No Twitter 03/11/18

Dr Michael Laitman TwitterA diferença entre fé e conhecimento na Cabalá e na vida regular é: a Cabalá revela a natureza além do tempo, espaço e movimento. Portanto, a lógica terrena não funciona nela e, portanto, não podemos entender o que é “fé acima da razão”. Para isso, devemos nos elevar à natureza do Criador.

Do Twitter, 03/11/18