Textos na Categoria 'Oração e Intenção'

Ajude-nos A Nos Tornarmos Novas Pessoas!

239Todos os feriados simbolizam estados especiais na elevação espiritual de uma pessoa. Se trabalharmos como devemos, ano após ano, dia após dia, subiremos a escada espiritual mais e mais até alcançarmos a adesão completa com o Criador.

A ascensão acima do egoísmo é chamada de Pessach, a saída do Egito e a aquisição da força de doação é chamada de feriado de Shavuot.

Então a pessoa se julga e vê que não é capaz de dar, o que se chama 9 de Av. Então ela decide começar toda a sua vida de novo com uma nova relação com o Criador, que é chamada de Ano Novo, Rosh Hashaná.

E o mais importante é fazer um cálculo correto de como entrar nesse novo período, nesse novo tempo. Muitas vezes em sua vida, a pessoa quis mudar sua vida e, como se, começasse tudo de novo. Esse é um sinal do Dia do Juízo, Yom Kippur, um dos dias que a pessoa deve passar para alcançar a equivalência com o Criador.

Yom Kippur vem da palavra “expiação” (Kapara); é quando uma pessoa pede perdão ao Criador. Afinal, ela se testou e viu que muitas vezes teve a oportunidade de se corrigir e alcançar a adesão ao Criador, mas negligenciou isso e não conseguiu superar seu egoísmo.

Um mês antes do Yom Kippur, a pessoa começa a se controlar e vê que tem desejos egoístas de obter prazer para si mesma e não quer usá-los para se corrigir e se aproximar do Criador. E por isso pede perdão, percebe-se que naquele momento não teve força e oportunidade de superar seu orgulho e pedir ajuda. Afinal, toda a nossa correção consiste em pedir ao Criador o poder de correção.

Acontece que todo o nosso crime é que não pedimos ajuda e devemos pedir perdão por isso. “Lamento não ter pedido”, o que significa pedir ao Criador que nos perdoe por não nos voltarmos a Ele com um pedido para nos corrigir.

O Criador criou o egoísmo, mas o homem deve perceber que o egoísmo é o único mal que existe nele. Através do prisma deste mal, olhamos para o mundo inteiro e, portanto, o mundo inteiro parece ruim para nós. E de acordo com isso, nos relacionamos com o Criador porque toda essa imagem estragada do mundo supostamente vem Dele. Acontece que culpamos o Criador por tornar a nós e a este mundo tão maus.

Nesse momento, a pessoa não percebe que o Criador lhe deu o egoísmo e a capacidade de olhar através dele para o mundo inteiro, a fim de pedir ao Criador para corrigir este egoísmo e substituir a natureza má por uma boa.

Esse é o trabalho da pessoa. A única coisa que precisamos fazer é conhecer o mal contido em nós e perceber que o Criador o deu intencionalmente para que nos voltássemos a Ele e pedíssemos a Ele para substituir o egoísmo e a incapacidade de fazer boas ações, para corrigir todo o mal em bem.

Afinal, não existem forças boas em nós e não haverá se não as pedirmos ao Criador, e seremos capazes de sentir e ver o mundo inteiro através de um desejo bom. Então o mundo parecerá um verdadeiro paraíso para nós.

Portanto, todo o nosso trabalho é revelar nosso mal, a razão pela qual vemos o mal ao redor e dentro de nós, e nos voltarmos ao Criador para transformar esse mal em bem. Esse trabalho é feito pelo Criador e, portanto, é chamado de trabalho do Criador (Avodat Hashem). E o pedido para que o Criador faça isso é chamado de dia do arrependimento, Yom Kippur.

Acontece que esse não é um dia de luto, mas um dia de alegria porque julgamos a nós mesmos e vemos que, a fim de corrigir nossa condição, só precisamos pedir ao Criador para transformar o desejo mau com o qual Ele nos criou em um desejo bom.

Portanto, temos alguém a quem recorrer e o que pedir. E tudo depende apenas do nosso pedido. E todo o passado, quando éramos fracos e incapazes de fazer boas ações, éramos escravos confusos e insignificantes de nossa natureza que nos domina em tudo, tudo foi deliberadamente criado pelo Criador para nos mostrar nossa impotência e despertar em nós o desejo de libertar nós mesmos do nosso egoísmo e transformá-lo em doação.

Esse é o principal significado do Dia do Juízo, Yom Kippur, quando pedimos ao Criador que tire nosso desejo mau e egoísta e o transforme em um desejo bom e altruísta, em amor. Então subiremos de um buraco profundo até uma alta montanha.

Portanto, Yom Kippur é o dia mais significativo do ano, quando passamos todas as 24 horas pensando em como pedir perdão por nossas fraquezas, todo o mal que criamos em nosso egoísmo que foi dado pelo Criador. E já que decidimos que esse mal foi criado em nós pelo Criador, temos a oportunidade de nos voltar a Ele e pedir o poder do bem em vez desse mal. Como resultado desse pedido, ganharemos mais e mais forças do bem e nos elevaremos cada vez mais alto até o final da correção.

Acontece que cada um de nós e todos nós juntos devemos fazer esse trabalho não apenas uma vez por ano, em Yom Kippur, de acordo com o calendário, mas todos os dias e tanto quanto possível, devemos nos voltar ao Criador e pedir-Lhe para transformar nossa inclinação ao mal em uma inclinação ao bem. Na medida de nossa capacidade de nos voltarmos ao Criador e exigir essa correção, seremos capazes de nos tornar como Ele e alcançar a adesão e a perfeição com Ele, ou seja, o fim da correção.

É nisso que você precisa pensar e tentar implementar nas próximas vinte e quatro horas.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 15/09/21, “Yom Kippur – O Dia da Expiação”

Dois Lados Da Preguiça

956Pergunta: Existe um fenômeno fisiológico na natureza humana da preguiça, que está por trás de nosso egoísmo, para obter conforto com menos esforço.

As pessoas que seguem esse caminho acumulam riquezas ou algum tipo de conhecimento que não utilizam na vida real. Uma pessoa que luta por conforto, como resultado, deixa de ser fisicamente ativa e passa a ser preguiçosa. O bem, pelo qual a pessoa luta, de não fazer nada e ter tudo, torna-se um dano para si mesma. A natureza imediatamente pune a pessoa por meio do corpo.

Qual é a sua atitude em relação à atividade física em qualquer idade? Você apoia isso?

Resposta: Eu era um corredor quando era adolescente. Agora apoio a atividade física em todas as suas formas, algo que seja conveniente e próximo de cada um de nós. Pelo menos longas caminhadas. Elas são obrigatórias.

A questão é que a preguiça é boa quando nos alerta contra alguns excessos em nosso trabalho para não estragarmos nada no mundo. Afinal, muitas de nossas ações, principalmente na natureza, a prejudicam. Portanto, a preguiça é uma reação defensiva da nossa natureza, que nos ajuda a não prejudicar muito o mundo.

Com relação a nós mesmos, não precisamos nos deixar levar pelos esportes e todos os tipos de assuntos olímpicos, mas devemos fazer tudo apenas por uma questão de saúde, refresco e vida longa.

De KabTV, “Encontros com a Cabalá”, 29/07/21

Sintonize-se Com A Intenção

232.1Pergunta: Durante as aulas, você sempre diz: “Vamos nos sintonizar com a intenção, vamos unir nossos desejos e seguir em frente juntos em uma intenção”. O que é isso?

Resposta: Em conexão uns com os outros, os amigos podem criar tal qualidade que revelará o Criador, e com a ajuda dessa qualidade, eles lutarão contra o egoísmo. É disso que estou falando.

Pergunta: Somos capazes de evocar essa intenção em nós mesmos?

Resposta: Devemos tentar. Em uma pessoa corpórea comum, não há intenção correta nem pode haver. Portanto, nossa tarefa é pedir ao Criador que nos dê, mesmo sem saber o que estamos pedindo.

De KabTV, “Segredos do Livro Eterno“, 02/08/21

Tudo Depende Da Intenção

962.2Pergunta: O que é material em uma pessoa e o que é espiritual? Como você pode distinguir entre vida espiritual e corpórea?

Resposta: Somente por seu propósito, o que exatamente você deseja. Essa é a única diferença.

Eu posso aproveitar a vida, viajar, sentar-me com amigos em uma boa mesa e assim por diante. E se essas ações são corporais ou espirituais depende de como as realizamos, com que intenção, do que falamos durante a refeição e em outras situações.

Tudo é condicionado pelo objetivo que cada um busca estar junto com seus amigos. Se nosso objetivo é se unir, mostrar uns aos outros como queremos estar conectados internamente, essa é uma ação espiritual.

Tudo depende apenas da nossa intenção, do quanto fortalecemos nossa conexão para que o Criador comece a se manifestar entre nós.

De KabTV, “Videoconferência”

Volte-Se Ao Criador!

562.01Pergunta: Como posso amar adequadamente meu próximo como a mim mesmo, se entendo que estou naturalmente sujeito ao Criador?

Resposta: Se você entende que é impossível amar seu próximo de alguma forma porque você ama apenas a si mesmo e o Criador lhe dá tudo, você deve se voltar a Ele. Isso é tudo.

Só o Criador é o culpado pelo que está acontecendo em seu país e em todo o mundo em geral. Ele faz tudo isso para que nos voltemos a Ele e peçamos que mude nossa natureza.

Afinal, com a mudança de nossa natureza pelo Criador, a nosso pedido, há a obtenção do mais alto grau de governança de onde descem todos os sinais. Assim, subimos cada vez mais ao Seu nível de governança. O Criador é uma lei global, uma força global da natureza, que inclui tudo em si, gera e controla absolutamente tudo.

Ao ascendermos a Ele, podemos sentir as camadas inferiores em nós que subimos. É por isso que Ele organizou tudo. É o que se diz: “Eu criei a inclinação ao mal, e você vai descobrir de onde ela veio e quem pode consertá-la”. Qualquer mal, qualquer manifestação má, vem do Criador apenas para que possamos começar a nos voltar a Ele.

É muito simples. Precisamos apenas nos reunir e começar a implementar isso.

Além disso, é muito difícil para uma pessoa fazer isso; ela deve estar em um grupo de pessoas que pensam da mesma forma. Afinal, com o apoio do grupo quando todos empurram e direcionam uns aos outros corretamente para o Criador, se reúnem em dezenas e formam um sistema comum entre vocês, você será capaz de espremer tal apelo ao Criador que o forçará para mudar a atitude Dele em relação a você.

O Criador especificamente nos dá problemas para que Lhe peçamos para nos mudar. E Ele mesmo não pode mudar, Ele é o absoluto. Ele pode nos mudar para que comecemos a entender Sua natureza e atitude para conosco como boas e amáveis.

Na medida em que nossa natureza egoísta muda para altruísta, começamos a ver o mundo, a nós mesmos e a todos ao nosso redor como amáveis, agradáveis ​​e unidos. Mas, antes de tudo, devemos apoiar uns aos outros para nos voltarmos ao Criador, e apenas para que Ele nos corrija.

Normalmente, o Criador é solicitado a mudar a Si mesmo e nos tratar melhor. E a Cabalá nos ensina como nos voltar ao Criador para que Ele nos corrija. Então entenderemos que Ele nos trata bem. À medida que mudarmos, começaremos a sentir isso.

Por exemplo, uma criança não gosta da forma como seus pais a tratam, o tempo todo limitando-a e instruindo-a. Mas quando ela fica mais esperta, entende que isso é para o seu próprio bem e aceita tudo corretamente. Então, vamos tentar ser bons filhos.

De KabTV, “Videoconferência”

A Quem Pedir?

514.02Pergunta: O que devo fazer se sentir uma queda? Preciso pedir por mim mesmo – para que o Criador me levante – ou pedir por meus amigos para que não caiam?

Resposta: Se você pedir por si mesmo, não é bom. Você deve pedir pelo grupo, porque ao cair da dezena, você a priva do seu apoio, da sua participação.

Portanto, você deve se voltar ao Criador: “Eu peço que você me levante, me ajude, me guie, me apoie, porque com isso quero apoiar os outros”. Afinal, o mais importante em nosso trabalho é encontrar a conexão entre nós.

Existimos em um mundo integral onde tudo está completamente interconectado com toda a natureza, exceto a sociedade humana. Precisamos nos unir. Se você pedir força e apoio para se conectar com outras pessoas, terá sucesso em fazer uma oração. Caso contrário, não.

De KabTV, “Videoconferência”

A Única Arma É A Oração

232.1Nossa única arma é a oração. Apenas o apelo ao Criador pode nos ajudar – nada mais funciona. Existe outra força no mundo que determina alguma coisa? E você realmente sabe o que adicionar de si mesmo à ajuda do Criador?

Portanto, a única coisa que existe é o apelo ao Criador na forma mais pura quando eu não peço nada além de receber o poder de doação. Esta é minha única condição. E se eu adicionar algo a essa condição, é como se eu mesmo estivesse decidindo algo, e isso não é bom. Está errado. Afinal, eu não sei o que há nessa propriedade desconhecida de doação.

Portanto, não há nada além de se voltar ao Criador e pedir apenas pela força de doação e apenas de dentro da dezena. Isso é chamado de “Israel, a Torá e o Criador são um”. Israel é a pessoa na dezena. A Torá é o seu desejo de receber o poder de doação que o Criador pode dar. E queremos que todos os três componentes se unam.

Quando eles realmente se unem, significa que alcançamos o fim da correção, ou seja, todos os nossos desejos se uniram com a fonte, com as forças do Criador, em um todo.

Aqui devemos entrar em desespero porque penso em meu egoísmo que controlo tudo e que farei tudo sozinho. Mas, em essência, devo chegar ao estado oposto, quando apenas o Criador determina tudo, e eu tenho que me curvar a Ele.

O Criador é muito ciumento. Ele não pode suportar que você se volte para alguma outra força – como se na realidade houvesse algo mais além Dele. Ele tem ciúmes não apenas do fato de que você está se voltando a outra força, mas porque pensa que há outra pessoa a quem pode se voltar além Dele.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 11/06/21, “Cada Dia Será Como Novo Aos Seus Olhos”.

O Trabalho Do Criador É Feito Pelo Criador

936Precisamos apenas pedir e a luz superior virá de cima, que irá classificar nossas qualidades, nos dividir em dez Sefirot, organizar tudo e nos conectar. A luz fará tudo, deixe-a agir. Devemos revelar que precisamos de sua ajuda.

Estamos engajados no trabalho que é chamado de “o trabalho do Criador”, isto é, ele é realizado pelo Criador. Portanto, deixe-O trabalhar, não tente trabalhar no lugar Dele! Afinal, não podemos saber como as dezenas são divididas em dez Sefirot a fim de conectá-las corretamente. Pelo contrário, o Criador só quer que peçamos a Ele, e Ele realizará tudo com Sua força superior.

Ele está apenas esperando nosso pedido para fazer tudo, e a maneira mais simples e confiável é quando não sabemos ou entendemos nada, exceto que Ele é nosso Criador e pedimos a Ele para nos ajudar.

Da Convenção Mundial de Cabalá, “De Dez para Um”, 06/06/21, “Conectando-se em Um Única Dezena”, Lição 6

Para Qual Criador Estamos Orando?

239Pergunta: Se você quer algo, começa a vê-lo em todos os lugares. Eu mesmo sei disso. Por exemplo, quando você quer comprar um carro, você constantemente vê essa marca particular de carro em todos os lugares, e antes disso, você não prestava atenção. Existem muitos desses estudos psicológicos: de repente, você começa a ver coisas que antes não valorizava, elas não estavam em seu campo de visão.

Acontece que não vemos o Criador porque não O apreciamos. Ele não é importante para nós.

O Criador é a qualidade de doação. É que a doação não é importante para nós? É apenas a qualidade de recepção que é importante? Só ela é valiosa para nós? É por isso que não O vemos?

Resposta: Se recebêssemos algo do Criador, não prestaríamos atenção a Ele.

Comentário: Mas o mundo inteiro ainda ora ao Criador, e nos lembramos Dele quando nos sentimos mal.

Minha Resposta: Isso é apenas no caso. Não oramos ao Criador, mas ao bezerro de ouro – “pessoas morrem por causa do metal”. Todos oram para aquilo de que recebem prazer egoísta.

Pergunta: A qual criador devo recorrer?

Resposta: Para o verdadeiro, para a propriedade de doação e amor. Se você tem a qualidade de doação e amor pelo seu próximo, você pode recorrer ao Criador. Do contrário, você não vai recorrer ao Criador de forma alguma, Ele estará escondido de você.

Pergunta: Você quer dizer que o Criador criou outras pessoas em vez de Si mesmo e me deu um campo de atividade? Se as trato com amor, é idêntico ao fato de que O trato da mesma maneira?

Resposta: Sim, você gradualmente passará do amor ao próximo para o amor ao Criador.

De KabTV, “Estados Espirituais. O Significado do Espiritual”, 24/05/21

A Intenção – Configuração Do Coração

237Trabalhar com a intenção está no centro de todo o nosso estudo, todos os nossos esforços e todas as nossas ações. A intenção é a sintonia do coração, direcionando o desejo para o Criador. O Criador é a única força operando em toda a realidade. Mas Ele nos criou, as criaturas, desconectadas Dele para que pudéssemos ser atraídos a Ele, para nos dirigirmos a Ele.

Portanto, toda a criação está fora do Criador, fora da espiritualidade, fora do sentimento da força superior, a fim de nos dar a oportunidade de buscar o Criador, de sentir como Ele está faltando em nossas vidas.

O Criador desperta em nós a necessidade de encontrá-Lo. E se percebermos isso corretamente, nos unirmos para buscá-Lo juntos e tentar ser como Ele, vamos ansiar por Ele dia e noite.

Eu quero dirigir cada pensamento e ação a Ele, para chegar mais perto do Criador, para me tornar como Ele e dar-Lhe contentamento. Em troca, receberei ainda mais oportunidades Dele para me aproximar e me conectar com Ele.

Portanto, a intenção não é algo que é lembrado uma vez por dia, mas algo que determina cada ação em minha vida. Se eu quiser me aproximar do Criador, revelá-Lo, senti-Lo, me apegar a Ele, preciso realizar todas as ações que faço na vida com esse pensamento, não importa o que eu faça.

A cada momento, a cada passo, devo anexar o Criador como a única fonte de toda a realidade. E se eu tentar fazer isso, certamente terei ajuda Dele e irei senti-Lo cada vez mais.

Na medida em que ansiar por Ele, sentirei que Ele anseia por mim, como se diz: “Eu sou do meu amado e o meu amado é meu” de forma recíproca. Acontece que a intenção não é alguma adição insignificante que pode ser esquecida, mas uma aspiração das profundezas do coração com a qual estabeleço contato constante entre eu e o Criador.

O Criador nos criou com desejos egoístas, mas nos cercou com tais condições externas que corrigem gradualmente nossas tendências egoístas na intenção de doar. Trabalhando junto com nossos amigos e ajudando uns aos outros, começamos a descobrir a atitude precisa e permanente em relação à força superior, exceto para a qual não há nada, e a ver nela a fonte e o propósito de todas as nossas intenções.

Assim, nós O revelamos com todos os nossos órgãos espirituais de sensação, ou seja, em prol da doação, em anseio mútuo um pelo outro, e entramos no mundo da verdade, a eternidade. Tudo depende apenas de nosso anseio correto.

Esse trabalho não para dia após dia; precisa de renovação constante. Portanto, “eles ajudaram a cada um de seus amigos” apoiando e fortalecendo uns aos outros. Afinal, apenas juntos podemos formar o conceito chamado de Criador entre nós e nos direcionar corretamente para Ele, ou seja, para o lugar certo e na forma certa. E isso só é possível se construirmos essa intenção juntos desde o início.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 18/05/21, “Trabalho com Intenção”