Textos na Categoria 'Nações do Mundo'

À Fusão Da Jerusalém Superior Com A Inferior

417Pergunta: Por que especificamente em Jerusalém hoje observamos uma divisão tão grande entre as pessoas?

Resposta: O fato é que Jerusalém está no ponto mais próximo do espiritual. Mas como hoje somos o oposto do espiritual, essa proximidade nos prejudica.

Anteriormente, quando as pessoas que viviam em Jerusalém eram à semelhança do Criador, este centro floresceu. Estava perto da força espiritual que o sustentava e eles coexistiam juntos.

E quando a Jerusalém terrena (o centro inferior) e a Jerusalém espiritual são opostas uma à outra, essa oposição se manifesta de uma forma repugnante e ruim. Portanto, Baal HaSulam escreve que Jerusalém, que já foi o centro da santidade, tornou-se o centro de toda impureza. Isso é o que estamos vendo atualmente.

Precisamos entender que estamos exilados do espiritual e devemos retornar ao nosso estado real. O exílio físico já terminou, mas o exílio espiritual depende apenas de nós.

Nós mesmos devemos subir ao nível espiritual, e nos encontraremos perfeitos, unidos uns com os outros e com o mundo inteiro. Então a Jerusalém superior se fundirá com a Jerusalém inferior, e todos os poderes superiores se manifestarão no nível de nosso mundo, nossa Terra.

De KabTV, “Close-Up. Retorno”, 19/02/10

Por Que A Demarcação Dos Judeus Está Ocorrendo?

559Pergunta: Jerusalém sempre foi considerada o coração de Israel e de todo o mundo em geral. Como aconteceu que Jerusalém hoje se tornou o centro do ódio entre o povo israelense? Os eventos mais negativos explodem ali: ódio entre religiosos e seculares, ódio aos movimentos religiosos entre si. Qual é a razão?

Resposta: Como os judeus são o grupo de pessoas que deixaram a antiga Babilônia com Abraão, que preferiam o desenvolvimento espiritual ao desenvolvimento material, ao longo de centenas de anos eles se desenvolveram espiritualmente, alcançaram a unidade com o Criador e estavam no nível do Templo. É quando uma pessoa se torna una com o Criador em seu coração e começa a sentir que existe eternamente.

Portanto, ao deixar o Egito (egoísmo), eles perceberam o chamado “para se tornar um homem com um coração”, ou seja, unir-se de forma a superar completamente todos os tipos de diferenças egoístas e repulsas mútuas.

Então eles alcançaram não apenas reaproximação mútua, mas também amor mútuo. Portanto, o Rabi Akiva, embora não tenha nascido judeu, foi o maior sábio na época da destruição do Segundo Templo, e exortou: “Não se esqueça de que amar o próximo como a si mesmo é nosso mandamento mais importante”.

No entanto, um ódio infundado irrompeu entre seus vinte e quatro mil discípulos. Eles caíram do nível espiritual e deixaram de sentir sua comunidade. E o mundo espiritual, o Criador, é sentido apenas em comunidade, em um único desejo integral. Portanto, depois de cair em um nível fragmentado egoísta, eles perderam o sentimento do Criador, o sentimento do mundo superior.

Desde então, o ódio mútuo, a repulsa mútua entre os judeus é muito maior do que entre o resto das nações do mundo. No entanto, do lado de fora, é percebido como assistência mútua dos judeus uns aos outros, mas apenas porque há um ódio mútuo de todas as nações em relação aos judeus, que os mantém juntos.

A ajuda mútua entre judeus se manifesta quando há um problema externo comum. Mas assim que desaparece, imediatamente há ódio mútuo e rejeição mútua. Isso é o que vemos em todos os lugares, e especialmente aqui em Israel.

Isso não é particularmente sentido no exterior porque não há nada para os judeus compartilharem; não há o bolo do estado, não há grandes pontos de contato uns com os outros. Os judeus vivem entre outras nações e, portanto, tudo se dilui. Eles precisam sentir que há alguém que possa ajudá-los, simpatizar, que espera por você e você conta com ele. Funciona lá.

Em Israel, onde não há tal motivo, surge um ódio terrível e mútuo, especialmente na parte religiosa, tanto que leva a manifestações muito desagradáveis.

A este respeito, uma pessoa religiosa hoje não difere de uma pessoa secular porque não persegue o objetivo de melhorar a si mesma. Uma pessoa não é criada sabendo que tem que amar outro indivíduo, ajudá-lo, cuidar dele, fundir-se com os outros em um todo e fundir-se com o mundo inteiro.

Religião não é Cabalá, não é correção humana. As pessoas construíram sua vida normal a partir disso. Ela as ensina o cumprimento mecânico dos mandamentos pelos quais supostamente receberão uma recompensa no próximo mundo. Ou seja, dirige-se puramente ao egoísmo humano.

Os crentes continuarão a se demonstrar como todos os outros, eles apenas o têm em uma sociedade fechada, velada. Portanto, quando de repente algo acontece, aparecem casos especiais que não podem ser escondidos. De fato, existem absolutamente os mesmos vícios que existem na parte não religiosa da sociedade.

Espero que tudo isso nos leve a lembrar do nosso principal mandamento “amar o próximo como a si mesmo”, que devemos ser uma luz para todas as nações do mundo.

Fomos favorecidos por Deus para dar o exemplo de união uns com os outros, como no Monte Sinai, e atrair o mundo inteiro para isso. Nesse caso, nos tornaremos verdadeiramente o elemento do mundo que devemos ser.

De KabTV, “Close-Up. Retorno”, 19/02/10

A Luz Superior É O Remédio Para Todos

570Hoje estamos no último momento de nosso exílio do espiritual quando todo o mal que só pode existir na humanidade se manifesta. Como é dito nos Profetas, eventos terríveis ainda são possíveis. Vamos tentar que eles não aconteçam. Vamos começar a nos corrigir antes que eles nos obriguem a ir para a correção com grande sofrimento.

Ao mesmo tempo, não há necessidade de culpar ninguém. Só precisamos dizer às pessoas qual é a nossa missão e não fazer um cálculo especial de quem está aqui ou quem é o culpado. Estamos todos em um estado de isolamento do espiritual. Somos todos egoístas, todos não corrigidos, todos terrivelmente doentes de egoísmo. Somos um tumor canceroso porque estamos completamente desconectados uns dos outros.

Portanto, devemos chegar à conexão, ao amor mútuo no nível das almas, e invocar a luz superior para nos corrigir. Isso é chamado de Torá.

Dizem: “Eu criei a inclinação ao mal, criei a Torá como um tempero”. Você precisa ver que você é um egoísta. E a educação religiosa esconde isso de uma pessoa, encoraja-a a se considerar perfeita, justa. Somente revelando o egoísmo a pessoa entenderá que é obrigada a corrigi-lo e atrair a luz superior, porque a luz corrige. É quando ela sentirá a correção.

Eu espero que a Cabalá seja revelada a todo o povo de Israel e ao mundo inteiro. Nós nos ajudaremos mutuamente na correção geral e chegaremos a um estado perfeito. E não adianta começar a descobrir quem é melhor, quem é pior. Estamos todos doentes e precisamos do mesmo remédio: a luz superior.

De KabTV, “Close-Up. Voltando”, 22/03/10

De Acordo Com A Projeção Das Forças Espirituais

746.01Todo o globo geograficamente consiste em partes que são uma projeção de forças espirituais. Forças espirituais externas agem sobre a matéria e formam suas consequências em nosso mundo: continentes, mares, oceanos e tudo mais. Como essas forças são diversas, sua influência em nosso mundo é diferente.

Portanto, existem mares, oceanos, terras, desertos, florestas, terras férteis e áreas onde uma pessoa pode viver e onde não pode viver.

Além disso, existem lugares mais favoráveis ​​do ponto de vista espiritual, onde se desenvolvem estados espirituais. Existem lugares opostos à espiritualidade onde se desenvolvem estados espirituais egoístas, como o confronto entre Roma e Jerusalém.

Roma representava explicitamente um poder egoísta de subjugar, então toda a Europa adotou essa ideologia e se desenvolveu em egoísmo. Mas, à medida que nos aproximamos da fase de correção do mundo, a Europa irá cair gradualmente mais e mais.

Na Cabalá, particularmente no Estudo das Dez Sefirot, quais forças que atuam em cada pedaço de terra são descritas: primeiro em Jerusalém, depois na terra de Israel, no Líbano, Jordânia, Síria, no resto das partes até a Babilônia, e depois no resto do mundo.

Toda a terra de Israel é, por assim dizer, dividida em dez Sefirot. De Hermon através do Golan até o Lago Kinneret é como a parte superior de Malchut, Bina. O Jordão é Zeir Anpin. Jerusalém está no meio, como a Sefira Tiferet, que desce para a parte inferior de Malchut – no Mar Morto.

Todo este quadro geográfico é claramente construído de acordo com a projeção de forças espirituais. Portanto, é muito importante onde a pessoa mora. Se ela sentir a influência de várias forças espirituais, movendo-se de um lugar para outro, ela sentirá como tudo muda. Não é à toa que se diz que, ao mudar de lugar, você muda a sorte, ou seja, o destino.

De KabTV, “Close-Up — Returno”, 19/02/10

Genética E Predisposição Espiritual

560Pergunta:  Os judeus genéticos têm uma predisposição espiritual?

Resposta: Não, é apenas um grupo biológico de pessoas que existiu por muito tempo, criou famílias e se reproduziu. Portanto, existem alguns processos biológicos naturais nele.

Seus vários cruzamentos internos são de interesse para biólogos e geneticistas. Minha filha, doutora em biologia, está pesquisando esses processos. Esta é uma informação interessante que ajuda os cientistas a aprender mais sobre o desenvolvimento animal de nossos organismos e nada mais.

Não tem nada a ver com a alma, uma vez que não podemos investigar a alma por nenhum meio ou aparelho biológico.

De KabTV, “Close-Up — Returno”, 19/02/10

O Principal Resultado Do Ano Passado

962.3Pergunta: É hora de resumir os resultados do ano passado. O que aconteceu? O Reino Unido concluiu a saída da União Europeia, Joe Biden assumiu o cargo de Presidente dos Estados Unidos, Naftali Bennett tornou-se primeiro-ministro em Israel, o uso de talheres descartáveis ​​não degradáveis ​​e plástico foi proibido na Europa, graves inundações ocorreram na Europa Ocidental e Central, ocorreram numerosas erupções vulcânicas e terremotos na Indonésia, Haiti e assim por diante, incêndios arderam em toda a Europa, Rússia e Austrália e muitos tornados causaram danos nos Estados Unidos.

Os Jogos Olímpicos de verão foram realizados em Tóquio, Cabul caiu e o controle foi transferido para o Talibã, o casamento do mesmo sexo foi legalizado na Suíça, Angela Merkel renunciou a suas funções, o coronavírus continuou e continua, e resultou em quase 270 milhões de pessoas adoecendo e na morte de 5,3 milhões de pessoas.

Como você resumiria os resultados do ano passado?

Resposta: Foi um ano de exacerbações. É assim que eu chamaria.

E as escaladas mais importantes são entre Israel e os Estados Unidos. É muito sério, a tal ponto que em breve estaremos em conflito um com o outro. Já estamos em oposição um ao outro. Acho que até há quem discorde da nossa existência.

A única coisa que ainda espero é que os judeus na América lentamente recuperem o bom senso e não sejam tão solidários com o Partido Democrata, com os movimentos de esquerda. Eles ainda precisam perceber que, embora o governo seja chamado de “esquerda” e “democrático”, ele não é democrático, não é para a democracia, não é para o povo.

Mas com relação a Israel, devemos dizer que será pior, muito pior. Não havia nada melhor para Israel do que o governo Trump. E nós não gostamos disso, não importa o quanto eu escrevesse, falasse e gritasse sobre isso. Não foi registrado. Os judeus o traíram. Nós o afastamos. E dói muito, e a gente ainda vai sofrer muito pelo fato de ter ocorrido dessa forma.

Os judeus levarão muito tempo para aprender com isso, mas as lições serão muito sérias, demoradas e, infelizmente, sangrentas.

Pergunta: Este é o principal resultado do ano passado para você?

Resposta: Não há outro resultado porque está vinculado aos objetivos de desenvolvimento do mundo.

Pergunta: Resumindo o ano passado, no que você estava pensando: em você, em Israel ou em nós?

Resposta: Não. Eu estava pensando na realização do programa da criação em nossa época, sobre como ele será realizado. E, infelizmente, estamos transformando todo esse caminho de um caminho amável e breve para um sangrento, que no final será trágico, longo e doloroso. Principalmente para nós, mas, em princípio, e por consequência, para todo o mundo.

Pergunta: Você disse “o caminho”. Então explique, por favor, por que esses dois países, ou um, ficam como se estivessem no centro do mundo?

Resposta: Israel está no centro do mundo. Não porque estou nele, mas porque é assim por razões objetivas. Vimos isso ao longo da história. E, em princípio, a maioria das pessoas concorda com isso, aqueles que veem a situação e toda a história através das lentes do tempo e dos eventos. Está tudo amarrado desta forma.

Estamos no centro dos eventos e nossa tarefa é conduzir o mundo à unidade e conexão, dando o exemplo e arrastando outros atrás de nós.

E nós não fazemos isso. Portanto, é claro, é nossa culpa que o mundo esteja no estado em que está agora. Teremos que consertar isso e continuar consertando, talvez de maneiras muito, muito desagradáveis. Isso é chamado de “caminho do sofrimento”.

Portanto, não haverá conexão, haverá longas separações, haverá problemas de longo prazo, escaramuças, guerras e mal-entendidos, mas no final resolvemos tudo isso. E quando nós, ou seja, os judeus, seguimos pelo caminho errado, não pelo caminho da conexão, então, é claro, é ruim.

Pergunta: Essa fórmula funciona: ruim para nós, ruim para o mundo?

Resposta: O mundo não ficará melhor. O mundo será igual a nós, mas de uma forma diferente. Se eles nos deportarem, nos destruírem, nos forçarem a abandonar nossos territórios e assim por diante, o mundo acabará também coberto de feridas sangrando. Será apenas como um animal caçado.

Bem, o que você vai fazer? Nós somos os culpados por isso. Já escrevi sobre isso, falei sobre isso e, no final, estamos chegando a esse ponto agora.

Pergunta: O que é mais importante para você, que os judeus ouçam você mais ou todas as nações do mundo?

Resposta: As nações do mundo são boas, é claro, mas o principal são os judeus, já que tudo depende deles, afinal. A qualquer momento, se eles mudarem e entenderem que são o ponto central e que o estado do mundo inteiro depende de sua condição, se eles se unirem, o mundo começará a se unir e será possível evitar a guerra.

Ninguém vai nos ajudar. Os americanos já estão declarando abertamente que não estamos participando de seus planos. Eles nem querem nos fornecer aviões-tanque. O que significa que não seremos capazes de atacar. Não podemos atacar o Irã, suas instalações nucleares, que dizem abertamente serem destinadas a nós. Eles não escondem isso.

E os americanos também não escondem que estão deixando de nos ajudar. E não há mais nada para nós fazermos. Vamos sentar aqui e esperar que as bombas atômicas caiam? E isso é bastante provável.

Isso é o que causamos por nós mesmos, tanto física quanto espiritualmente. Não buscamos conexão. Não buscamos solidariedade. Não buscamos solidariedade entre nós. Somos um exemplo dessa rejeição mútua que não existe em nenhuma outra nação.

Nenhuma nação do mundo pode dar um exemplo de tal separação e divisão como nós. Estamos praticamente repetindo todas as mesmas guerras judaicas que foram travadas ao longo da história dentro dos judeus uns com os outros.

Comentário: Quando os Templos ruíram.

Minha Resposta: É a mesma coisa agora.

Pergunta: Qual é a sua conclusão de tudo isso?

Resposta: Conclusão: cuidado, judeus! Essa é a conclusão. Só isso. E é por isso que sou muito pessimista em relação ao futuro! Todos no mundo estão cada vez mais convencidos de que Israel e os judeus são apenas um problema, um tumor maligno no corpo do mundo.

Comentário: Mas neste caso você não está se oferecendo para remover o tumor, você está oferecendo para curá-lo.

Minha Resposta: Não sei como curar. Acho que as pessoas, as nações do mundo, os países, terão o mesmo pensamento novamente: “Por que criamos este Israel? E para que ele existe? É como uma monstruosidade para nós”.

Comentário: Digamos que este pensamento surja. A ação não é sobre destruição, espero.

Minha Resposta: Haverá tais ações que seremos banidos de todos os clubes e organizações internacionais.

Comentário: Julgado em todos os tribunais internacionais.

Minha Resposta: Isso já está acontecendo. E vamos supostamente nos reassegurar de que não é assim, que é tudo temporário e assim por diante. Exatamente como os judeus fizeram na Alemanha nazista antes de serem levados para campos de concentração.

Comentário: Mas você disse que é impossível destruir esta nação.

Minha Resposta: Bem, haverá algumas pessoas restantes. Estou falando sério!

Se um grande número de pessoas só pode estar em tal discórdia entre si, então, para trazê-los a algumas relações mais ou menos lógicas e corretas, nada restará senão reduzir seu número. Deixe-os sentir como são dependentes um do outro.

Pergunta: Digamos que eu ouça. Aqui estou eu, um judeu, ou sou um representante de outras nações, digamos. Quais são minhas ações? Você não está falando apenas por falar.

Resposta: Suas ações serão ditadas pelo que acontecerá a essas nações.

Pergunta: Se sou judeu, quais são minhas ações?

Resposta: Jogar tudo fora e se envolver apenas em conexão: reunir todos os judeus tanto quanto possível em um único sentimento, uma consciência de que eles são um único todo e devem se conectar entre si, superar o ódio mútuo e atingir um estado quase como amor.

Tudo isso é feito para que, depois de nos conectarmos, possamos fazer nosso verdadeiro trabalho, não apenas em nossa própria conexão, mas na conexão de todo o mundo. Então, devemos ser uma luz para as nações do mundo. E teremos que espalhar os métodos de conectar e unir todas as pessoas no mundo umas com as outras.

E eles vão amadurecer nesta altura porque haverá tantos mais cataclismos, tantos problemas, que dificilmente teríamos tempo para explicar a eles que isso só pode ser interrompido por nossas amáveis ​​relações mútuas se vierem dos judeus.

Comentário: Você não está falando da vantagem dos judeus. Você está falando do trabalho muito difícil que eles têm que fazer.

Minha Resposta: Sobre seu dever para com toda a humanidade.

E eles não sentem isso. A humanidade sente isso em suas reivindicações ao povo judeu, e o próprio povo judeu não sente isso. Esse é o problema. Como essas pessoas obstinadas, tão teimosas, podem ser abaladas para acordar. Acontece que por dentro elas estão apenas congeladas, imóveis, preservadas por muitos, muitos séculos.

Eu não sei como fazer isso. Portanto, às vésperas do próximo ano, estou em um estado de expectativa ansiosa. E não vejo o que pode acontecer de bom no próximo ano. Não há pré-requisitos para isso.

Comentário: E se eu, um representante de qualquer outra nação, ouvir isso, até me irrita.

Minha Resposta: Se você não pertence aos judeus, então peço que coloque pressão sobre o povo judeu, explique a todos o que eu expliquei a você. E tente fazer com que eles, os judeus, entendam sua necessidade, seu real papel neste mundo, especialmente em nosso tempo, e imediatamente comecem a implementá-lo, a se conectar entre si, a mostrar um exemplo para todas as nações do mundo de como se unir. Então o mundo se acalmará e retornará ao seu estado correto.

Isso deve ser explicado a todos.

Comentário: Mesmo assim, espanta não só a mim, mas a todos que você coloca isso na vanguarda, na vanguarda de tudo o que está acontecendo no mundo! No mundo!

Tanta coisa está acontecendo no mundo e você coloca isso no topo de tudo.

Minha Resposta: Há uma queda livre de toda a humanidade acontecendo no mundo em um fosso moral, tecnológico e ecológico.

Comentário: E você diz que é por nossa causa.

Minha Resposta: Sim. Porque não aumentamos o valor da conexão. Só isso importa!

Pergunta: Conexão em um sentido simples?

Resposta: A conexão das pessoas entre si, porque neste caso elas podem revelar a força superior, trazê-la para mais perto de si mesmas. À medida que nos unimos, trazemos a força superior para mais perto de nós e, assim, revelamos a todos nós a existência de todos nós em um certo mundo novo. Começamos a ver as forças que nos controlam. Isso é muito importante! E então entendemos onde vivemos, para quê, como viver e assim por diante. Portanto, quando começamos a nos unir, começamos a revelar a manifestação da força superior entre nós.

Pergunta: Essa revelação realmente precisa chegar a todas as pessoas? A absolutamente todas?

Resposta: Chegará a todas as pessoas. Mais cedo, mais tarde, dependendo das qualidades internas de cada uma, mas chegará a cada pessoa.

Comentário: Estamos entrando no próximo ano, quais são os seus desejos, por favor.

Minha Resposta: Ser ouvido!

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 13/12/21

Judeu: O Objetivo De Se Corrigir

632.4Pergunta: Os Cabalistas escrevem que a missão do povo de Israel é passar o método de conexão para todo o mundo. Mas para fazer isso, eles devem primeiro se unir dentro da estrutura da nação de Israel.

O que é este termo “escolhido de Deus” e por que o povo de Israel está exposto a impactos externos e internos, divisão e pressão?

Resposta: O fato é que a missão do povo de Israel foi revelada na antiga Babilônia a absolutamente todos os babilônios, ou seja, a todos os terrestres. Mas apenas uma pequena parte deles queria saber o que era isso.

Os demais ainda não estavam desenvolvidos a tal nível moral para compreender que a conexão entre as pessoas é realmente a tarefa da humanidade, a fim de chegar a um estado perfeito.

Portanto, apenas um pequeno grupo de discípulos seguiu o antigo sacerdote babilônico Abraão, do qual uma nação inteira cresceu mais tarde. Na verdade, não é uma nação. Por exemplo, posso tornar-me cidadão italiano, mas, de acordo com a minha origem, não posso tornar-me italiano. Mas qualquer um pode se tornar um judeu, e estará escrito: “Judeu”. Você pode ser de qualquer nacionalidade, e tudo isso é riscado quando você se torna judeu.

Um judeu não é sua origem material (animal), mas seu objetivo na vida, sua filosofia de vida, seu fardo que você assume, para mostrar a si mesmo e aos outros que você está se corrigindo, trazendo um elemento de correção ao mundo e contribuindo para a correção da humanidade. Todas as pessoas devem subir ao nível do Criador, unindo-se umas às outras e tornando-se um único todo.

Ao mesmo tempo, “ame o seu próximo como a si mesmo”, como o principal mandamento do Judaísmo, é a única lei fundamental. Se outros princípios não se baseiam nela, se uma pessoa não é guiada por ela em suas atividades (não importa o que faça na vida), não é considerada judeu. Ela é apenas alguém. Chame-a do que quiser.

O termo “judeu” vem da palavra “ever” (“transição”), a transição do egoísmo para o altruísmo. “Judaísmo” da palavra “Ihud” tem um significado mais profundo, a conexão entre o homem e o Criador.

“Israel” (“Yisra-El“) na tradução significa “direto ao Criador” e é aplicável a uma pessoa que se dirige diretamente ao Criador, à qualidade de doação e amor. É como a imagem de alguém que assume o método de corrigir sua natureza a fim de alcançar uma conexão com todos em prol da equivalência de forma com o Criador.

De KabTV, “Close-Up — Returno”, 19/02/10

O Que Há De Especial Nos Judeus?

629.1Pergunta: Um indivíduo nascido em nosso mundo como judeu é especial?

Resposta: Sim, porque inicialmente ele tem uma conexão especial com sua alma. No estado animado (físico), ele está mais perto de sua alma do que alguém que não nasceu judeu.

Vivemos em nossos corpos e sentimos este mundo, mas nossas almas existem no mundo superior. Esses indivíduos que são chamadas de judeus estão muito mais próximos de suas almas, praticamente, na união de seus níveis animal e espiritual.

Portanto, eles estão mais predispostos a buscas espirituais, descobertas e desenvolvimento, a algo que está no auge das capacidades humanas e acima, mas apenas porque estão mais próximos de sua alma. Se a humanidade começar a se envolver no desenvolvimento da alma, todo o resto das pessoas subirá ao mesmo nível. Não há dúvidas sobre isso.

Pergunta: Esta é uma certa predisposição?

Resposta: O fato é que este grupo de pessoas esteve engajado no desenvolvimento da alma e espiritualidade por muitos milênios. Somente nos últimos dois mil anos houve uma lacuna profunda entre seu desenvolvimento espiritual e físico.

De KabTV, “Close-Up — Returno”, 19/02/10

Como O Estado De Israel Será Aceito No Mundo?

962.6Pergunta: O que Israel deve fazer para ser aceito no mundo?

Resposta: Deve ser um Estado espiritual. Precisamos educar a nação para ser uma nação espiritual, para seguir a regra de “ame o seu amigo como a si mesmo”.

Pergunta: Quem quer fazer isso em primeiro lugar?

Resposta: A questão é quanta pressão será colocada sobre nós até que desejemos.

Pergunta: Existe outra solução?

Resposta: Explicar ao mundo inteiro que precisamos construir aqui um Estado especial que será modelo para toda a humanidade, no momento em que insistirmos nisso, explicarmos e nos construirmos em uma relação correta entre nós como “Eles Ajudaram Seu Amigo”, seremos aceitos aos olhos de todos e seremos capazes de construir uma nação e um Estado.

De KabTV, “Conversa com Jornalistas”, 28/11/21

Características Do Caráter Nacional

414Pergunta: Você acredita que os líderes podem se conter em escala planetária como é feito nos países escandinavos? Por exemplo, na Finlândia, o primeiro-ministro vai para o trabalho sem oficiais de segurança e, às vezes, até de bicicleta.

É simplesmente impossível imaginar tal coisa em certos países do mundo. Ninguém vai perceber essa pessoa como um líder. Você acha que as elites são capazes de se conter para se salvarem?

Resposta: Para se salvar – sim! Mas não sei se esse momento chegou.

O fato de isso estar acontecendo nos países escandinavos se explica pela relação especial entre o povo e a peculiaridade do caráter nacional. Isso é natural para eles. Eu diria que é uma espécie de estado de congelamento, que, em geral, é específico para essas pessoas.

Pergunta: Isso é possível em Israel? O caráter nacional israelense é capaz disso?

Resposta: Não. Isso não é possível em nenhum outro lugar.

Observação: Mas os judeus são mais sensíveis à justiça. Eles devem ser os primeiros a alcançar amor mútuo e igualdade.

Meu Comentário: Ao mesmo tempo, eles são os mais mimados e têm o maior egoísmo, o que não vemos nas nações escandinavas. Lá, as pessoas são muito sensatas. Mas aqui as pessoas não sentem nenhuma limitação. Este é o seu estado interno.

De KabTV, “Conversas”, 01/11/21