Textos na Categoria 'Nações do Mundo'

Antissemitas Canadenses

420.06Nas Notícias (JTA): “O maior sindicato do setor privado do Canadá adotou uma moção de apoio ao movimento de Boicote, Alienação e Sanções (BDS) contra Israel”.

Pergunta: A questão é: o que os sindicatos canadenses têm a ver com isso?

Resposta: Em primeiro lugar, no Canadá, uma grande parte da população é antissemita. Eles são antigos imigrantes da Ucrânia e França. Uma parte antissemita particularmente forte vem de Quebec, o Canadá Francês. Por muitos anos ele tem sido antissemita, antiamericano, e anticanadense, contra o Canadá de fala Inglesa.

Agora eles estão ativamente abrindo suas portas para os imigrantes árabes. Por isso estão criando um futuro muito desagradável para si: o Canadá gradualmente se transformará em uma região árabe.

O vasto território do Canadá é o lar de apenas 30 milhões pessoas, de modo que os imigrantes de países árabes, do Magrebe, etc., vão se estabelecer lá com muita alegria. Ainda mais, os imigrantes da África serão atraídos para lá.

Portanto, um futuro pouco invejável aguarda o Canadá. Antigamente era um país muito atraente, decente, especialmente para os judeus. Mas está tudo acabado agora.

Isso, é claro, estava destinado a acabar; tudo termina para os judeus, porque eles têm que cumprir a sua missão histórica, e não estão cumprindo. Portanto, eles não terão uma boa vida em nenhum país, incluindo os Estados Unidos, Canadá e outros países. Eles sentirão gradualmente pressões e problemas muito sérios até que parem de odiar a Cabalá e percebam que ela é sua salvação.

Pergunta: Você acha que todas as saídas para os judeus vão praticamente se fechar?

Resposta: Absolutamente todas elas. O ódio por Israel por parte de todos os países do mundo será enorme. Vamos tentar manter Israel para que ele não desmorone e não deixe de existir, embora isso também seja possível.

Se não representarmos Israel como a fonte da correção da humanidade, não haverá nenhum significado para sua existência, e ele cessará. E será naturalmente preenchido com os povos vizinhos. Não é um problema.

Pergunta: Você não acha que os judeus ainda vão entender a sua missão e começar a se mover em direção a ela?

Resposta: Eu ainda não vejo isso. Ainda falta algum tempo; continuamos trabalhando nisso, mas é possível que tudo se transforme de uma forma diferente.

Não vou me cansar de falar sobre isso porque não há outra saída. Sou obrigado a espalhar a ciência da correção entre as massas em todo o mundo através dos judeus. Na medida do possível, vou levar isso até o ponto em que vou ser autorizado a alcançar. Mas, em princípio, a nossa situação está a se deteriorar dia a dia porque o povo judeu ainda está resistindo à realização da sua missão histórica.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 11/09/17

Resistência À Sabedoria Da Cabalá, Parte 2

Laitman_060.01A sabedoria da Cabalá e os Cabalistas tiveram um desenvolvimento especial ao longo da história porque o desejo de desfrutar precisa crescer e, assim, mostrar que o progresso material é inútil.

E toda vez, a sabedoria da Cabalá deve se ajustar para coincidir com aquelas pessoas em quem é revelada, isto é, com o povo de Israel, o grupo fundado por Abraão.

Nós vemos que a sabedoria da Cabalá estava disponível para o uso de todos os povos apenas por um tempo limitado quando foi revelada dentro do povo de Israel no tempo de Moisés. E isso foi acompanhado de inúmeros argumentos, esclarecimentos e guerras dentro do povo.

Assim, depois de entrar na terra de Israel – quando Moisés deixou o povo e a sua pressão desapareceu – o povo de Israel começou a descer da altura espiritual. Naquela época, emergiu a religião e as regras de comportamento no mundo material, que copiaram as leis Cabalísticas espirituais na matéria. O povo começou a criar “ídolos” e “coisas sagradas” para si.

O povo entrou cada vez mais nas tradições materiais e, à medida que avançou, a sabedoria da Cabalá surgiu e desapareceu. Após a destruição do Segundo Templo quando o povo caiu do amor fraternal ao ódio infundado, a Cabalá se escondeu completamente.

É preciso entender que ninguém ensina o amor ao próximo, exceto a sabedoria da Cabalá. Embora o princípio “Ama o próximo como a ti mesmo” seja a principal regra da Torá, a própria Torá – que é a sabedoria da Cabalá e a sabedoria da Luz – não existe mais no povo de Israel. Descobriu-se que o povo está no exílio do método de amor e unidade. O entendimento do que é a força superior – o povo de Israel e sua missão e objetivo de desenvolvimento – desapareceu.

Hoje, já estamos no fim dos dias do exílio genuíno e à beira da libertação. Em cada geração, foram revelados Cabalistas que eram adequados para esse período ou para a próxima geração. Precisamos entender que as ações dos Cabalistas e a resistência contra eles são uma consequência do desenvolvimento.

Forças cruéis se levantaram contra a sabedoria da Cabalá. Mas, havia uma divisão entre pessoas religiosas. Por um lado, havia os Hasidim e, por outro, seus oponentes, os Mitnagdim, e muitos outros ramos e movimentos. Os Cabalistas também estavam divididos entre aqueles que estavam mais preocupados com a linha direita ou a linha esquerda, de acordo com a natureza do homem.

Antes do tempo do Ari, os Cabalistas seguiam a escola do Ramak. Depois, o método de Ari foi popularizado. O próximo estágio importante no desenvolvimento da Cabalá começou com Baal HaSulam porque há uma grande diferença entre o que havia antes e depois dele. Depois, o Rabash (Rav Baruch Ashlag) desenvolveu ainda mais a Cabalá. Baal HaSulam e Rabash prepararam o método da Cabalá para a nossa geração.

Cada vez o método da Cabalá foi aperfeiçoado e, consequentemente, seus adversários aumentaram, rebelando-se contra o novo método, a “nova Torá” e a “nova religião”. Afinal, as pessoas não entendem no que se baseiam as ações dos Cabalistas. É muito importante aprender quais são as reivindicações levantadas contra a Cabalá para entender o que se deve resistir e como transformar essas forças supostamente malignas em boas e úteis. Tudo isso deve nos ajudar a perceber o processo geral pelo qual o Criador leva as criaturas a trazer seu desejo à correção completa.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 24/09/17, Lição sobre o Tema: “A Resistência À Cabalá”

A Razão Para O Crescimento Do Antissemitismo

400Pergunta: Discursos, declarações e ações antissemitas estão se espalhando na América. Os cemitérios judeus são vandalizados na Filadélfia e Saint Louis. Há um aumento do antissemitismo entre estudantes universitários. Por que há muita pressão sobre os judeus?

Resposta: Os judeus são portadores do método que irá corrigir o mundo e levar a humanidade a uma única entidade: uma pequena aldeia integral e global. E essa forma exterior de humanidade exige uma coesão interna de tudo em um único todo, em um único sistema.

Um sistema não pode trabalhar com um egoísmo tão grande que se desenvolveu na humanidade. Nós alcançamos seu ponto crítico e chegamos a uma crise onde uma pessoa não pode se dar bem, não só com os filhos, a família e todos os outros, mas inclusive com ela mesma. Claro, isso não se aplica a todas as pessoas porque todos estão em um nível diferente, mas, em geral, isso é assim.

Quando nós pensamos em como avançar, começamos a nos conectar criando mercados comuns e várias alianças entre países.

Isso torna as coisas ainda pior para nós porque revelamos o quanto não podemos nos conectar. Quando assinamos um acordo, ele já não é válido no segundo dia porque vemos que ainda estamos separados em direções diferentes. Um homem se casa, mas não por um longo tempo. Ele cria uma família, mas também por um curto período de tempo. Os filhos não conseguem se comunicar entre si ou com seus pais.

O egoísmo nos levou a um estado em que estamos distantes uns dos outros; todo mundo quer se colocar em um “casulo”, se comunicar com outras pessoas pelo telefone ou pela Internet. Nós queremos nos afundar ainda mais, isolados uns dos outros. E aqui surge o problema: como nos tornamos uma única entidade, porque a natureza está nos empurrando para ela?

Existe um antagonismo entre a natureza humana interna, que nos separa, e a natureza exterior (inanimada, vegetal, animal e humana) que tem que nos unir gradualmente em uma única comunidade para que nós nos complementemos harmoniosamente e não nos destruamos, como acontece hoje.

Esse estado deve ser permitido. Isso só pode ser feito pelo homem como o mais alto da cadeia biológica.

Como podemos resolver tudo? Existe um programa na humanidade que pode ajudar a evocar o poder supremo de conexão, amor e unidade. Ele pode realizar tal operação em nós e levar todos a unidade. Nós somos até incapazes de entender como isso pode ser feito.

E o poder superior é capaz de fazer isso. Essa força é chamada de força superior porque está acima de nossa natureza egoísta e compreende toda a natureza em si mesma.

O método de atrair a força superior tem estado nas mãos dos judeus há milhares de anos. No entanto, com exceção dos Cabalistas, eles não sabem disso. Embora haja um pequeno número de Cabalistas entre eles, eles são os portadores desse conhecimento e estão prontos para compartilhá-lo com todos porque isso é o que determina nosso futuro.

De qualquer forma, nós teremos que cumprir nossa missão. Não há outra maneira, temos que nos unir. É por isso que agora temos uma pergunta a nossa frente: será que podemos fazer isso?

Há certo sentimento de que os judeus são os culpados pelo que está acontecendo no mundo: eles têm toda a riqueza, são pioneiros da “alta tecnologia” e outras coisas, eles roubam a humanidade e, além disso, sabem como prejudicar a todos. Esse sentimento subjacente, inconsciente, até mesmo a certeza, existe entre todas as nações em maior ou menor grau. Elas compõem lendas e especulações sobre esse tema. Do ponto de vista da Cabalá, puramente um conhecimento judaico, eles estão absolutamente certos, porque percebem instintivamente dessa maneira.

Pergunta: Isso significa que a terrível difamação sanguinária são seus sentimentos?

Resposta: Sim, eles expressam seus sentimentos dessa maneira. Mas há motivos para isso. Claro, não há conspiração, porque os próprios judeus não sabem o que está acontecendo com eles, mas, em geral, a base dos sentimentos das outras nações é puramente espiritual.

Portanto, o ódio das nações do mundo é justificado. E pode haver apenas uma saída para os judeus, que é reconhecer a tarefa diante deles e começar a implementá-la.

Pergunta: Agora você descreveu o caminho da força superior, que é forçar os judeus a cumprir sua tarefa através dos antissemitas. Mas, provavelmente, também há um caminho direto, reto para os judeus, sem antissemitas?

Resposta: A força superior oferece esse caminho por meio dos Cabalistas. Os Cabalistas fazem tudo o que estão ao seu alcance para explicá-lo. Mas ninguém os ouve.

Pergunta: Portanto, existem duas opções: através dos Cabalistas ou através dos antissemitas?

Resposta: Ou da maneira comum. Eu espero pelo caminho do meio: os antissemitas pressionarão os judeus para que eles fiquem muito assustados e desejem ouvir o que os Cabalistas lhes dizem. Esperemos essa opção.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 01/03/17

A Descoberta De Abraão

laitman_740.01O Criador é a qualidade de doação e amor. Ele é absoluto. Somente assim Ele se manifesta para nós. Para ser revelado às Suas criaturas e torná-las semelhantes a Ele, Ele as criou opostas à Sua natureza, como está escrito: “Eu criei a inclinação ao mal”.

No entanto, embora Ele tenha nos criado como criaturas malignas que se tornam cada vez mais egoístas todos os dias, ao mesmo tempo nos deu um instrumento para a correção. O único problema é que tudo isso acontece gradualmente de acordo com as leis da natureza.

A natureza se desenvolve de acordo com as leis dos organismos inanimados, vegetativos, animados e humanos. De acordo com a sabedoria da Cabalá, uma pessoa difere de um animal não por andar em duas pernas com a cabeça elevada (afinal, um avestruz também caminha em duas pernas) e não pela capacidade de pensar. Ela tem a aspiração para o propósito da vida que a distingue dos animais.

Esse é o claro desejo de conhecer o propósito da vida, a questão sobre o seu sentido: “Por que e para que eu vivo? O que é definido na natureza como o propósito da minha criação e existência?” Essas questões realmente preocupam algumas pessoas. No entanto, enquanto fazem essas perguntas, elas não sabem como respondê-las.

A primeira pessoa que tentou responder a essa pergunta 5777 anos atrás foi um homem chamado Adão, que através de seus pensamentos, sentimentos, aspirações internas e profundo escrutínio penetrou os segredos do universo e escreveu um pequeno livro sobre isso chamado O Anjo Secreto, que sobreviveu até a nossa época.

Graças a essa descoberta e trabalho em si mesmo, ele começou a usar corretamente as forças da natureza para seu desenvolvimento e foi chamado de Adão. ”Adão” da palavra “Dome” (como) o Criador.

Muitas pessoas em diferentes gerações depois de Adão usaram seu método. Ele passou por 20 gerações de seus discípulos e chegou a Abraão, que morava na antiga Babilônia e, em princípio, era um pregador da abordagem não tão correta da natureza. Ele acreditava que a espiritualidade é dividida em muitos deuses que devem ser adorados.

No entanto, mais tarde, ele descobriu que todas essas muitas forças opostas da natureza que atuam de forma independente e até mesmo algumas interações positivas e negativas entre elas, como vários deuses gregos antigos, de fato, vêm de uma única mente e força.

Nós devemos explorar, revelar e abordar essa mente, e assim a pessoa saberá e entenderá qual é o sentido da vida. Abraão acreditava que, de outra forma, todos os séculos que se passaram desde Adão eram inúteis e indignos de nota.

Em princípio, nós exploramos as diferentes forças que realmente existem. No entanto, elas têm uma base comum (fonte) e é necessário revelá-la. Foi o que Abraão fez.

Ele descobriu a força unificada da natureza acima de suas outras forças díspares, que naquele tempo todas as pessoas adoravam, incluindo ele mesmo até descobrir essa única força.

Quando a explorou, ele descobriu que ela é totalmente boa e unificada. Isto é exatamente o que Abraão começou a explicar aos babilônios.

Parece-nos que não existe diferença entre politeísmo e monoteísmo. No entanto, monoteísmo significa não adorar uma força, mas se tornar semelhante a ela. O fato é que, quando uma pessoa, no cumprimento de seu destino, se esforça para se tornar como ela, ao mesmo tempo, muda a si mesma, seu comportamento, sua visão da vida e constrói as relações sociais de acordo.

Ao mudar a si mesma, ela muda o mundo, a sociedade e sua família. Ela cria tudo de acordo com um único padrão que recebe de cima, alcançando, explicando, abraçando e explorando a força superior.

Em princípio, isso é o que Abraão fez. Ele tentou explicar tudo a seus alunos e eles seguiram seu caminho. Assim, um grupo de pessoas foi organizado chamado povo de Israel, da palavra “Isra-El” (Isra: direto, El: o Criador), que estava direcionado ao Criador. Em outras palavras, esse é um grupo que é direcionado à exploração da força boa e unificada, o Criador.

Da Lição de Cabalá em Russo 04/06/17

O Mundo Na Encruzilhada, Parte 3

Laitman_421.01Pergunta: Por que os nazistas estão, de repente, se tornando ativos agora?

Resposta: A sociedade humana atingiu tal estado em seu desenvolvimento onde existem dois caminhos a sua frente. Um caminho é a união com base no egoísmo e no ódio, que é expresso no socialismo e no fascismo nacional. Então toda a sociedade é dividida em classes: aqueles que são superiores e aqueles que são inferiores. Dessa forma, o egoísmo classifica toda a humanidade.

E o povo judeu, como portador do método de Abraão, é o polo oposto ao fascismo porque seu método se baseia no caminho da correção e não no caminho natural do egoísmo. É por isso que os judeus odeiam especialmente os fascistas.

O caminho do desenvolvimento natural leva à unificação com base no nazismo até o momento em que todas as suas terríveis consequências são reveladas. Ou também podemos nos unir com a ajuda da Luz acima do egoísmo através do método de Abraão.

O mundo torna-se integral e “redondo”. E a humanidade tem dois caminhos para alcançar essa forma de círculo. Um caminho é dentro do conhecimento, isto é, dentro do egoísmo, e essa forma é chamada de nazismo. O outro caminho está acima do conhecimento, acima do egoísmo, de acordo com o método da Cabalá, que significa “pelo caminho da Luz”.

O fascismo é revelado para que todos compreendam a catástrofe que esse caminho traz e que comecemos a nos unir acima do egoísmo mais cedo ou mais tarde.

A história se repete até que a corrijamos. Hitler e os nazistas na Alemanha tinham grandes esperanças para a América, esperando que o nazismo continuasse a existir em seu solo. Afinal, havia muitos alemães entre os fundadores dos Estados Unidos. Houve até uma discussão sobre qual língua seria a língua oficial nos EUA: alemão ou inglês. No final, eles escolheram o inglês, mas tiveram chances quase iguais.

Pergunta: Como o estado atual das coisas é diferente dos anos 30 e 40 do século passado? Nós nos tornamos mais inteligentes?

Resposta: Não parece que nos tornamos mais inteligentes. A humanidade não aprende com os erros do passado, porque o mesmo egoísmo age dentro de uma pessoa. Mas hoje temos a oportunidade de disseminar a sabedoria da Cabalá e explicá-la, porque muitas pessoas já estão envolvidas na Cabalá em todo o mundo.

Portanto, é possível que possamos explicar que o mundo está diante de uma encruzilhada perigosa e o que podemos fazer para nos salvar da destruição. Caso contrário, o mundo condena a si mesmo a terríveis sofrimentos e uma guerra mundial. E será certamente mundial e não localizada como no século passado.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 21/08/17, Lição sobre o Tema: “Europa Numa Encruzilhada”

O Mundo Na Encruzilhada, Parte 2

115.06Começando com a primeira quebra – o chamado pecado de Adão, “o primeiro homem”, que foi planejado antecipadamente – a humanidade gradualmente começou a perceber que o motivo de todos os seus problemas era a separação causada pelo egoísmo humano.

Embora o egoísmo fosse relativamente pequeno ali, demorou muito tempo antes da chegada de Abraão para eles começarem a se unir a fim de superar a crise que entrou em erupção na antiga Babilônia.

O ego quebrado que dividia as pessoas mostrava-lhes como era destrutiva a separação e que não havia outra solução senão se unir.

Depois que Abraão revelou que a unificação é o caminho da correção e começou a explicá-la aos outros, aqueles que o entenderem formaram um grupo, que mais tarde foi chamado de povo de Israel, que significa direto ao Criador, ou Yashar El. Esse grupo manteve a unidade como o único meio de alcançar a salvação para toda a raça humana e, em geral, para toda a criação.

Demorou muito tempo – desde o primeiro homem (Adão) até Abraão – antes que a humanidade estivesse pronta para aprender que a unidade é a salvação. Primeiro, a conexão era natural e todas as pessoas viviam juntas como um. Mas, de repente, a separação começou a se desenvolver e elas sentiram o quanto isso era destrutivo.

Elas foram capazes de comparar o quanto melhor tinha sido viver com a conexão natural que existia entre elas enquanto o egoísmo ainda era relativamente pequeno e o grande estado de egoísmo que levava a muitos problemas como separação e argumentos. Tudo acabou em ruína. Portanto, elas concordaram em trabalhar pela unidade de modo que “o amor cobrisse todos os crimes”.

No entanto, precisa ficar claro que os crimes cometidos eram pequenos e o egoísmo também era pequeno, por isso não era tão difícil para elas se unirem como é hoje. Mas naquela época, elas já entendiam que há dois caminhos para a unificação final, que a humanidade deve finalmente alcançar.

Afinal, esse é o propósito da criação, pré-programado no projeto original. Mas você pode chegar a ele por dois caminhos: pela Luz ou pelo sofrimento. Elas conseguiram entender isso naquela época e começaram a implementar o método de Abraão.

É claro para todos que o egoísmo estraga nossas vidas e que precisamos fazer algo a respeito. Toda nação tem seu próprio caminho. Existem métodos para reduzir o egoísmo através da educação especial, bem como todo tipo de práticas orientais, como o confucionismo e as tradições baseadas na moral. As religiões também exortam o homem a ser humilde e calmo e tentam domar o egoísmo prometendo-lhe o céu ou o inferno.

Todos esses métodos funcionaram por um tempo, mas, no final, as pessoas estão deixando a religião. O egoísmo cresce tão rápido que a moral e a religião não são mais capazes de restringi-lo. E o método de Abraão é o método geral da correção do egoísmo, dirigido não à sua destruição, mas ao seu uso correto. Esse método pertence a todos, como Abraão disse: “Quem for pelo Criador, venha até mim!”

Isto é, nós precisamos nos unir e, nessa conexão, vamos revelar a força superior que nos apoiará e nos levará a frente, levando-nos de volta ao propósito da criação e seus fundamentos. Esse é um método muito especial que só é realizado se as pessoas estiverem prontas para isso. E, no final do nosso desenvolvimento, todos estarão prontos para ele.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 21/08/17, Lição sobre o Tema: “Europa na Encruzilhada”

Yom Kippur (Dia Do Julgamento)

laitman_288.2Yom Kippur é o dia do julgamento. Quem julga? Quem está sendo julgado? O que a pessoa precisa fazer neste dia? O que acontecerá se a pessoa fizer tudo corretamente?

No Dia do Julgamento, a pessoa julga a si mesma, subindo acima do egoísmo pessoal e revelando o mundo como um sistema unificado. Não é por acaso que o povo judeu sempre foi criticado pelo cosmopolitismo – embora todos os limites sejam arbitrários, nosso núcleo interno e inato sempre nos fez estranhos entre eles.

Hoje, quando o mundo precisa desesperadamente da unidade, a nação judaica é destruída. No entanto, outras nações não podem mentir para nós – instintivamente, mesmo sem a sua própria consciência, elas exigem que assumamos a responsabilidade pela missão de unificação, que derretamos todos os corações em um só coração.

Nisso se encontra a essência do nosso Dia do Julgamento.

“E O Senhor Te Fará Voltar Ao Egito Em Navios”

Laitman_161Torá, Deuteronômio 28:68: E o Senhor te fará voltar ao Egito em navios, pelo caminho de que te tenho dito; nunca jamais o verás; e ali sereis vendidos como escravos e escravas aos vossos inimigos; mas não haverá quem vos compre.

Nenhuma das nações quer que você viva dentro de suas fronteiras. O fato é que os desejos que estão sujeitos a correção, nos quais surge o ponto no coração, não podem existir dentro dos desejos egoístas.

Eles serão empurrados pela lei da equivalência da forma, e, portanto, os judeus serão completamente isolados dos outros. E onde eles estarão? Falando do ponto de vista geográfico, simplesmente não está claro onde e como eles viverão porque o único lugar para eles é a terra de Israel.

Por outro lado, para escolher o caminho da correção, uma pessoa deve ter livre arbítrio. Isso é um problema. Pessoalmente, eu espero que haja outra rodada, como a dos dias da Rússia czarista, quando nasceram as primeiras sociedades judaicas que retornaram à Palestina.

Comentário: Mas os judeus fugiram dos pogroms.

Minha Resposta: Talvez surjam novamente tais circunstâncias quando eles serão forçados a deixar os países de exílio. Mas desta vez haverá uma base preparada para eles, uma razão para voltar para cá. Nós estamos preparando essa base.

Pergunta: Está escrito: “E o Senhor te fará voltar ao Egito em navios”. O que isso significa?

Resposta: Voltar ao Egito significa voltar ao seu egoísmo. Se você estiver fugindo para algum lugar, considera-se que você está fugindo por mar. Não há outra saída para fora de Israel, só por mar. Tudo isso é explicado na Torá.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 28/12/16

Se Não Há Um Método De Correção – Não Há Judeus

Laitman_006Pergunta: De acordo com a ciência da Cabalá, quem detém o Monte do Templo e a Caverna de Machpelah?

Resposta: Eles pertencem ao povo judeu quando eles estão unidos. No entanto, hoje os árabes estão mais unidos do que nós. Que tipo de correção é possível quando as pessoas estão separadas?

A unificação das pessoas só é possível através do método da sabedoria da Cabalá; só ela pode unir a todos. As pessoas inclusive se orgulham por terem tantos movimentos e facções diferentes: Hassidim e “Mitnagdim”, Ashkenazi e Sefarditas, judeus ortodoxos e os “Kippahs tricotadas” de vários tipos, além de mais uma divisão em “alemães”, “marroquinos”, “romenos” e “russos”.

Isso apenas indica que não percebemos todos como irmãos, mas apenas como camaradas em dificuldades durante tempos difíceis. Nós somos como nozes em um saco que são forçadas a estar juntas porque a pressão externa as mantém em um saco.

Portanto, tais comoções acontecem no Monte do Templo. Eu vejo as forças da natureza por trás de todos os personagens atuando lá. Mas a natureza está em nossas mãos e nós criamos todos os eventos atuais com nossas próprias mãos. Portanto, não podemos esperar algo diferente, porque obviamente nada melhorou dentro de nós de ontem para hoje.

Alguém além da nossa organização fala sobre amor e unidade entre o povo de Israel? Todos riem de nós quando tentamos espalhar essa ideia de unidade através do rádio e dos jornais.

Eles concordam em publicar nossos artigos apenas por muito dinheiro porque falamos sobre o amor e quem precisa disso? No entanto, se escrevêssemos sobre o ódio e conflitos entre lados opostos, ficariam felizes em publicar isso de graça.

Não vale a pena esperar por uma boa vida nessa situação. Está escrito que todos os problemas decorrem da destruição de Jerusalém. Devido ao fato de que há cada vez mais destruição entre nós, os árabes estão ganhando força. Um é contra o outro, quando carecemos da unidade, eles se elevam. Eles só se tornam mais fortes devido à nossa separação. O principal não são as ações materiais, mas nossa falta de conexão.

O mais terrível é que o próprio povo de Israel começa a concordar com as nações do mundo de que não temos direito ao Monte do Templo e à terra de Israel. Se continuarmos dessa maneira, no final seremos informados de que não temos o direito de existir na Terra, como disse Hitler. Inicialmente ele queria expulsar os judeus da Alemanha, mas depois decidiu exterminá-los totalmente.

Se não percebemos a nossa missão de corrigir o mundo, verifica-se que não precisamos estar nessa Terra. O povo judeu é o condutor do método de correção. No entanto, se não o utilizarmos, se não houver método de correção no mundo, não há judeus. Este provavelmente é o próximo estágio e o mundo inteiro concordará com isso, como já aconteceu durante os tempos de Hitler.

Ninguém quer falar sobre isso agora, mas na verdade, todos concordaram com suas políticas. Ninguém protestou contra o extermínio dos judeus. Havia apenas alguns indivíduos extraordinários, os justos das nações do mundo, que ajudaram os judeus, arriscando suas próprias vidas. No entanto, havia apenas alguns deles.

É possível que o mesmo aconteça hoje, todos concordarão que os judeus não têm um lugar nesta Terra. Afinal, o povo de Israel existe exatamente para implementar o método de correção, especialmente no momento em que já são capazes e obrigados a fazer isso de acordo com o programa superior.

Hebron Não É Seu

Nas Notícias (US Notícias): “A agência cultural da ONU declarou a velha cidade, na cidade biblica de Hebron, na Cisjordânia, como uma herança mundial palestina local- uma decisão que irritou as autoridades israelenses que dizem que o movimento nega os laços judaicos profundas ao antigo santuário “.

Meu comentário: Então é o que dizem e deixemo-los falar. Não devemos expressar nosso descontentamento ou fazer qualquer coisa sobre isso. Todo mundo sabe que a origem é judaica, mas para eles é importante anular isso. Assim, eles tomam várias decisões e escrevem novos livros em que contam tudo diferente e reescrevem a história.

Pergunta: Você acredita que nossas explicações lógicas e as provas que temos nunca serão suficientes para a ONU, UNESCO, ou o mundo?

Resposta: Nunca! Não devemos mesmo fazer tais esforços. Nós não compreendemos como e por que isso acontece e como prevenir. Temos que mostrar praticamente a todo o mundo quem realmente somos, cumprindo o plano da criação através de nós. Isto é o que temos que fazer. Então, o ódio e todos as más narrativas sobre nós desaparecerão. As pessoas virão e pedirão para nos ajudar a levar o mundo a conexão, amizade, amor, e a revelação do Criador no estado geral da unidade.

O Criador é a maior força física, moral e psicológica da natureza. É uma energia que nos rodeia, opera em nós, e os nos impacta. Mas nós não a revelamos, pelo contrário, nós realmente a escondemos.

Imagine que o mundo está no meio, os judeus estão em torno dele, e o Criador está em um nível mais elevado do que os judeus. E nós não permitimos que o mundo todo caminhe para Ele. O que deve o mundo fazer? Ao operar na direção oposta da direção em que deveríamos, ocultando o Criador do mundo, nós, naturalmente, invocamos tal reação neles.

Esta é a razão pela qual a UNESCO vota da maneira como eles fazem, a forma como eles querem, e todos no mundo concordam com eles e com sua campanha contra nós, aqui em Israel. Se continuarmos a comportar-nos dessa maneira, todo mundo virará as costas para nós.

[209908]

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 28/6/17

Material relacionado:
A Quem Pertence A Terra De Israel?
A Unesco Ignora A Conexão Histórica Do Judaísmo Com O Monte Do Templo
UNESCO Contra Israel