Textos na Categoria 'Zohar'

Do Topo Do Snir E Hermon

740.03Zohar para Todos, Shemot [Êxodo], Item 16: “Do topo do Snir e Hermon” é o Monte Sinai, do qual eles se aproximaram e se reuniram ao seu pé, como está escrito, “E eles pararam ao pé da montanha”.

“E eles pararam ao pé da montanha” significa que todos os desejos humanos dentro de nós estão ao pé da montanha, se odeiam, odeiam o mundo inteiro e estão prontos para usar tudo e todos apenas para seu próprio benefício.

“Do topo do Monte Sinai” significa que ascendemos ao nível de Bina (a qualidade de doação completa). Na verdade, apenas nosso ponto no coração, nosso anseio pelo Criador chamado Moisés, surge e revela o Criador ali.

Se o Monte Sinai é a montanha de Bina (a qualidade de misericórdia, doação e amor), então Hermon é a montanha de Hochma (a qualidade da sabedoria).

Portanto, o Monte Hermon é branco, coberto de neve, ou seja, a qualidade da sabedoria. Toda a luz desce desta montanha, assim como todos os riachos e rios descem dela e fluem pela terra de Israel.

No final, as duas montanhas se fundem: a luz de Hochma se veste na luz de Bina.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 9

Uma Palavra: Uma Impressão Da Força Superior

151Pergunta: Não existem palavras no mundo espiritual. E ainda assim, a Cabalá as usa para nos puxar para o mundo espiritual. O que é uma palavra? Como devemos usá-la?

Resposta: Uma palavra é um conjunto de forças que se combinam de certas maneiras, passando de letra em letra e de palavra em palavra, formando uma ordem específica de forças que, mudando e se misturando, criam palavras a partir de letras e frases a partir de palavras.

Em geral, essas são as forças do universo, que inclui as naturezas inanimada, vegetativa e animada, e nós – todos juntos. Ou seja, as palavras nos falam sobre o que está acontecendo neste mundo e em todos os mundos.

As palavras são um registro de vetores, um registro de forças superiores. Assim, quando lemos a Torá corretamente, como é explicado pelo Livro do Zohar, estamos falando de todo o programa desde o início da criação até o fim, com toda a sua sequência, como ela passa por toda a matéria do universo, dividindo e criando.

É como se ela esculpisse o universo e o amassasse, como a massa é amassada, a partir das partes inanimadas, vegetativas, animadas e humanas. Nesse caso, todas as partes estão conectadas entre si e cada uma delas se desenvolve. É sobre isso que a Torá fala do início ao fim.
[279724]
Do livro “O Poder do Livro do Zohar ” da KabTV # 8

Uma Corda Para Agarrar

236.02Pergunta: Todos os quatro exílios de Israel são considerados estados bastante severos. Como alguém pode entender alguma coisa e avançar nessas terríveis descidas? O que fazer?

Resposta: Esteja acima de todos os problemas e entenda que todos eles foram criados para que você possa senti-los e ser capaz de superá-los. Nada mais. Afinal, só é possível nos tirar de nossa matéria egoísta quando sentimos o quanto sofremos com isso. Caso contrário, você não será capaz de se elevar acima dela.

Pergunta: Onde está aquela corda que se pode agarrar para subir acima disso?

Resposta: Esta corda aparece quando uma pessoa está em completo desespero de suas habilidades. Não é tão fácil atingir esse estado. Mas O Livro do Zohar acelera esse processo.

O Baal HaSulam escreve que o momento mais feliz na vida de uma pessoa é quando ela começa a sentir até que ponto é incapaz de compreender e realizar qualquer coisa. Ela está completamente perdida, como uma criança pequena que treme e chora, tendo se perdido em uma floresta densa.

Quando ela atinge tal estado de desespero absoluto por sua incapacidade de mudar algo em si mesma ou no mundo ao seu redor, ela se sente desesperada, insignificante, sem sentido, e a luz da redenção vem a ela, o que lhe dá uma sensação de eternidade, perfeição, e a necessidade de se integrar na criação.

Somente em um estado de extrema exaustão de suas próprias forças, quando vê que não pode se ajudar em nada, ela começa a precisar da força superior que se manifestará nela e a levará para cima.

Acreditamos que, por nossas próprias forças, propriedades e mente, somos capazes de tudo: “Como podemos sacrificar nosso próprio eu”? Mas, na verdade, quando uma pessoa desiste de tudo isso, de repente ela se sente totalmente livre. Portanto, nossa tarefa mais importante é romper com nosso egoísmo.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 8

Por Que Não Sentimos Processos Espirituais Em Nós Mesmos?

525Pergunta: Por que uma pessoa não entende que, enquanto lê O Livro do Zohar, ela está se envolvendo com a maior coisa que existe na realidade?

Resposta: Se fosse mostrado a uma pessoa o que estava acontecendo com ela, ela não seria capaz de se relacionar corretamente.

Por exemplo, se uma criança pudesse entender por que está se desenvolvendo assim: correndo de canto a canto, tocando, tentando, quebrando, chorando, ela já estaria acima do nível em que está.

O fato é que o desenvolvimento espiritual não acontece da mesma forma que em nosso mundo, aonde vamos para a universidade e preenchemos nosso vazio de conhecimento enquanto estudamos. Aqui é o desenvolvimento de sentimentos e desejos que não possuímos.

Sob a influência da luz, desenvolvemos propriedades completamente novas em nós mesmos, que inicialmente não temos. Quando alcançamos seu desenvolvimento definido, essas propriedades nascem em nós e começamos a sentir o mundo superior nelas.

Mas, até que se desenvolvam, não podemos vê-las, senti-las ou entendê-las, porque deve haver algum limiar até o qual devemos crescer e adquirir um nível mínimo de sensibilidade.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 8

Matéria Externa

707A Torá é chamada de meio para obter a liberdade: liberdade do anjo da morte. Durante essa vida, devemos passar pelos quatro estágios de correção e uso correto do nosso egoísmo. Ela nos ajuda do outro lado, ao nos prejudicar, nos ajuda a superá-lo.

Ao usar o ego corretamente, a pessoa atinge a eternidade. Ela começa a se sentir em um nível acima do nível egoísta. Se pudéssemos imaginar o que significa atingir esse nível! Nós entramos em um estado que existe sem consumir, sem absorver em nós mesmos, mas apenas doar, como se você estivesse fora da matéria, fora da absorção. Esse estado é determinado em nós e é sentido por nós como eterno.

Isso, em princípio, é o que a Cabalá nos dá. Ela não fala nada sobre este mundo, suas nações e terras, sobre como você se acomoda aqui com seus problemas: banco, trabalho, saúde e família.

A Cabalá apenas fala de como levar o homem a um nível superior onde você não existe mais na matéria e, portanto, é eterno.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 8

A Perspectiva Do Desenvolvimento Da Alma

944Baal HaSulam, “A Profecia”: Eu levantei meus olhos, e eis que o Senhor estava sobre mim e me disse: “Eu sou o Senhor, Deus de seus pais. Levante seus olhos do lugar em que você está diante de Mim e veja toda a realidade que Eu criei a partir da ausência, superior e inferior juntos, desde sua própria criação no desdobramento da realidade através de sua evolução contínua até sua conclusão, como convém a obra das Minhas mãos para ser glorificado.

O Criador mostra a Baal HaSulam a perspectiva do desenvolvimento de todas as almas durante o período em que elas começam a se corrigir a partir de nossa geração em diante, até que toda a humanidade se reúna em um único grupo de amor, em garantia mútua, conexão mútua entre si.

A humanidade representará uma única alma na qual o Criador é revelado. Esse estado é chamado de mundo infinito, uma correção completa que devemos alcançar em um futuro próximo.

Para isso, recebemos O Livro do Zohar com o Comentário Sulam.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar“, 16/02/21 # 5

No Círculo Do Prazer Mútuo

239Comentário: Em nosso mundo, geralmente acredita-se que amor é quando você dá tudo de si para a pessoa que ama. Enquanto no exemplo do hóspede e do anfitrião, algum tipo de relação racional é proposto, muito semelhante às famílias ocidentais que toleram a independência: “Isso é seu e aquilo é meu”.

Minha Resposta: Não, não é assim. O fato é que existe amor absoluto por parte do Criador. Ele nos criou com todos os nossos desejos e quer preenchê-los sem qualquer condição. E é o mesmo do nosso lado. Eu quero usar todos os meus desejos para preenchê-Lo. Eu quero me entregar completamente para Lhe dar contentamento. Isso não é amor? Essa é uma doação completa.

Mesmo que haja um tremendo egoísmo em mim, enormes desejos internos, qualidades terríveis, eu os atualizo precisamente usando-os para doar, eu me elevo acima deles em sua realização na doação.

Acontece que eu me elevo acima de todos esses desejos no amor completo e na entrega, em vez de calcular o amor ocidental, porque o cálculo é feito apenas com o meu ego: Quanto que ele pode ser usado de forma mais ampla para doar ao anfitrião? Enquanto o anfitrião usa meu egoísmo para me “alimentar” tanto quanto possível.

Pergunta: Mas essa habilidade deve ser adquirida porque não é dada tão facilmente desde o nascimento. Como consigo a habilidade de discernir onde usar esse poder ou não e como usá-lo?

Resposta: A luz que reforma, que vem do Criador, revela nosso eu interior para nós de tal forma que eu começo a sentir todas as minhas características, qualidades, forças, pensamentos e desejos. Eu começo a combinar todos os traços dentro de mim para que cada vez que Hesed, Gevura, Tiferet, Netzach, Hod, Yesod e Malchut subam para Keter, Hochma e Bina.

Eu começo a trabalhar dentro de mim, com minhas ferramentas internas, e assim desenvolvo minha alma. Essas são as partes da minha alma. Eu trabalho com elas, literalmente, como uma pinça, uso um pouco mais disso, menos daquilo, e descubro como posso me aplicar de uma maneira diferente para maximizar a doação ao Criador a cada momento.

E gradualmente eu entro em um estado em que me fixo Nele. Ele se torna como meu parceiro, Ele se coloca em minha direção, assim como eu me coloco em relação a Ele.

Começo a traçar estratégias para alcançar a máxima realização mútua neste círculo de interações, quando Ele se manifesta plenamente como fonte de prazer e eu me manifesto plenamente como fonte de recepção desse prazer, a fim de agradá-Lo por desfrutá-lo.

Ou seja, praticamente transmito a Ele apenas o meu pensamento: o motivo pelo qual gosto disso. Fisicamente, recebo toda a satisfação dentro de mim.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 6

O Que Está Por Trás Das Imagens Do Nosso Mundo?

231.02Zohar para Todos, Shemot, Item 81: Está escrito: “Ele pegou aquelas flechas e as baixou até suas narinas. O sangue saiu de suas narinas, sugerindo Dinim na cor vermelha”.

Pergunta: Como devemos entender essas frases: “flechas”, “sangue saiu de suas narinas”?

Resposta: Muitos dos termos no Livro do Zohar soam estranhos para nós porque por trás de todas as imagens do mundo corpóreo estão as forças superiores, e nós as denominamos por nomes do nosso mundo.

Os Cabalistas usaram a linguagem terrena para falar sobre as forças superiores, seus estados, relacionamentos e combinações. Eles não têm outra maneira de descrever o mundo superior porque não há palavras lá. Mas as forças descem daí para o nosso mundo e podemos pegar nomes do nosso mundo para descrever as forças e propriedades do mundo espiritual.

Portanto, é alegoricamente dito “três flechas”, “narinas” e assim por diante. E imediatamente há uma transição para outra linguagem puramente Cabalística: HGT de Zeir Anpin. Assim, O Livro do Zohar nos fala de tudo em uma mistura porque ele quer tirar você deste mundo para que você entre na próxima representação, o mundo espiritual.

É como se ele colocasse diante de você duas telas. Você automaticamente olha para a imagem que mostra algumas imagens do nosso mundo. Através delas, você deve tentar penetrar e ver a combinação de duas forças, a doadora (Israel) e a receptora (Roma), e em que posição elas estão uma com a outra.

Quando uma pessoa as reconhece corretamente, ela se torna a terceira força entre elas.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 8

“Israel” E “Roma” – Duas Forças Que Governam O Mundo

937O Livro do Zohar: Ele disse, “Deve haver três governantes de povos que estão na cidade de Roma na terra, uma vez que eles se estendem de HGT de ZA, e eles estão destinados a declarar maus decretos sobre Israel pelos romanos. Em outras palavras, a falha que Israel maculou em HGT deu aos romanos força para destruir o Templo e declarar decretos ruins.

O Zohar fala alegoricamente das duas forças que governam o mundo. O poder de doação é chamado de “Israel” (Yisrael, Yashar-El) – direto ao Criador. Estas são as pessoas, as forças dirigidas ao Criador, e não importa quem sejam por nacionalidade, porque tudo isso vem da Antiga Babilônia e se aplica totalmente a toda a humanidade.

E as forças que se esforçam para preencher seu próprio egoísmo são chamadas de “Roma”. Em princípio, toda a atual civilização europeia e, em geral, mundial vem de Roma.

Ao longo da história, essas duas forças completamente opostas estiveram em certo contato uma com a outra, mais ou menos em equilíbrio, completando-se. Quanto mais forte é a força de atração pelo Criador, mais fraca é Roma, a força egoísta do mundo. Não apenas o nosso mundo e não apenas a civilização ocidental, mas seu componente egoísta. Quanto menor for esse componente egoísta, quanto mais baixa Roma cai, mais alto Israel se eleva, em termos alegóricos.

Estamos falando apenas do estado interior do homem e de forma alguma do nosso mundo. Nada mudará em nosso mundo porque já estamos em um estado de correção final, que todos devem alcançar.

Deve-se enfatizar que Israel não é o que hoje entendemos por uma certa nação do mundo com seu destino, cultura e tudo o que há nela, que todos conhecem como nenhuma outra pequena nação.

O fato é que esta nação é especial. Ela foi separada de toda a humanidade na antiga Babilônia por sua qualidade espiritual quando Abraão começou a recrutar um grupo Cabalístico dos antigos babilônios e unir em um todo aquelas pessoas que sentiam o desejo de alcançar o Criador. Portanto, ele chamou este grupo de Israel (Yashar-El), direto ao Criador. Ele existe desde então.

Por 1.500 anos, antes da destruição do Segundo Templo, ele existia no nível espiritual conforme foi criado por Abraão. Agora, nos últimos dois milênios, ele foi desconectado de tudo o que é espiritual e não há totalmente nenhum entendimento nele do porquê é chamado assim, pois ele não sente e não conhece seu propósito.

Hoje, se falarmos com os judeus, os descendentes dos antigos Cabalistas do grupo de Abraão, descobriremos que eles não entendem de forma alguma sua missão e não a sabem. Eles apenas vivem, isso é tudo.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 8

O Estranho Processo De Nascimento

559Pergunta: Mesmo que eu não entenda o que está escrito no Livro do Zohar e ainda assim o leia, serei capaz de revelar o grau acima de mim desta forma? Isso parece estranho para uma pessoa moderna.

Resposta: Sim, é estranho. Mas, no entanto, exatamente esta é a condição necessária para a realização.

Tudo é estranho em nosso mundo. E o parto? Não é um processo estranho? Estamos acostumados com ele e pensamos: “É assim que é”. Mas, na verdade, como pode ser isso?

Pegue alguma criatura supostamente de um mundo diferente e mostre a ela o que temos em nosso mundo: muitos fenômenos desconhecidos, incompreensíveis, estranhos que não têm um desenvolvimento claro de causa e efeito. Apenas nos acostumamos com o fato de que uma coisa vem depois da outra porque foi assim que a descobrimos, como a aprendemos. É o mesmo na espiritualidade.

O desenvolvimento sempre acontece de acordo com a lei da negação da negação. Quando nasce um grau superior, nasce como oposto ao anterior, da negação, da queda do grau anterior, apesar disso. Portanto, é sempre estranho: o próprio processo de nascimento em nosso mundo e ainda mais no mundo espiritual.

Por outro lado, não pode ser diferente porque a ascensão ao próximo nível é uma mudança em todo o paradigma da existência, uma mudança em toda a filosofia, metodologia e atitude em relação ao mundo.

Portanto, subir ao próximo nível significa renascer completamente. Isso acontece apenas sob a influência da luz superior.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 7