Textos na Categoria 'Sofrimento'

Uma Deficiência Digna Do Nosso Esforço

Dr. Michael LaitmanNós temos que tentar dar o nosso melhor ao máximo, a fim de avançar à meta da criação. Afinal de contas, esta estrada é muito mais do que o nosso desenvolvimento natural.

Uma Noz Dura

A natureza nos empurra para frente e desenvolve diferentes desejos e deficiências em nós; e nós, é claro, corremos atrás e buscamos o que nos falta. O que nos falta são prazeres que estão associados à comida, sexo, família, dinheiro, honra e conhecimento.

Esta é também a forma como os macacos constantemente cuidam de suas necessidades, e de sua lista de necessidades semelhantes às nossas. Na verdade, nós temos um estilo de vida comum: estabelecemos a mesma hierarquia social na sociedade humana; amamos o poder, e, além disso, amamos dinheiro. A natureza nos obriga a fazer isso e é assim que avançamos.

Mas nós não temos avançado de forma significativa nesta forma natural e não mudamos a sociedade humana de forma significativa nos últimos 5 a 50000 anos.

Se falamos da meta da criação, no entanto, trata-se de se tornar equivalente ao Criador, aderir-se a Ele. O Criador é uma força oposta à nossa natureza. Nós temos uma ligeira inclinação a ela que está envolta numa variedade de “vestes” muito sutis, cobertas por uma casca como uma noz.

Para alcançar a meta da criação, nós temos que estar equipados com uma nova deficiência não prevista pela natureza. Esta deficiência, o anseio pela meta da criação, não vai crescer em nós por si só; nós precisamos desenvolvê-la dentro de nós por nossos próprios esforços, certamente com a ajuda dos meios que nos foram dados: a sociedade, o método (a Torá), e o professor.

O problema é que muito poucas pessoas querem isso, menos ainda tendem a verdadeira busca, e menos ainda alcançam o que é desejado.

Saindo da Selva

A verdade é que hoje as coisas estão mudando, pois estamos diante de golpes globais que ameaçam toda a humanidade. Esses golpes nos obrigaram a pensar numa nova sociedade que não está organizada de acordo com uma hierarquia ou classes sociais que sempre elevam aqueles que são mais ricos e poderosos.

As coisas estão igualmente dispostas no mundo animal. De um modo geral, esta é a estrutura natural de um grupo, uma nação, uma sociedade, a humanidade: o maior babuíno bate no peito e exige submissão e obediência dos outros. Nós somos iguais: vivemos numa selva geral divididos em bandos.

Mas a nova natureza, a meta da criação, exige uma nova organização e reforma de nós; ela exige que nos tornemos um círculo, conectados, uma sociedade. Ela exige novos valores que não são baseados sequer no desejo de conhecimento, o que também dá um pouco de força, mas no amor e doação, no cuidado mútuo geral.

Ela exige que todos possam estar em pé de igualdade com os outros em vez de tentar dominar o outro. Em contraste com o velho paradigma, quanto mais uma pessoa sai de si mesma em direção ao cuidado do outro, ela pode se tornar mais adaptada à verdadeira meta da nossa evolução, que é o que devemos alcançar.

É hora de ser equipado com uma nova deficiência que se torna um círculo, uma conexão fora de mim, onde eu não tenho interesses próprios.

O Nascimento do Homem

Mas para eu florescer, algo chamado Adão (homem) precisa ser revelado; há a necessidade de um ambiente diferente que me forneça os exemplos corretos dos novos valores. Onde eu posso obter a necessidade disso? A natureza não me equipa com ela porque senão eu permaneceria um babuíno ainda que de outro tipo.

No entanto, um ser humano não é apenas uma estrutura social diferente, nem apenas a igualdade com os outros. Não, é uma atitude, uma inclinação; essa relação, conexão mútua, deve ser consciente de minha parte, para que eu queira a doação por causa de seu valor especial. Além disso, eu não tenho nenhuma inclinação por ela, nenhum poder que me desperte e me obrigue a desejá-la.

Aqui nós devemos de alguma forma estar equipados com um desejo, com uma nova direção, para a qual não temos nenhum desejo. A fim de fazer isso, há a força superior, a natureza, o plano da criação, que prepara uma ajuda para mim de uma maneira oposta, de modo que durante o processo de reconhecimento do mal, eu ainda seja capaz de compreender quem e o que eu sou. Gradualmente, por fases muito difíceis na ordem de causa e efeito, eu vou entender que deficiência eu tenho que desenvolver dentro de mim, a fim de continuar o meu avanço acima dela.

Quando eu entendo o problema que estou enfrentando na construção de um ser humano a partir do estado de um babuíno, eu considero esta nova deficiência como uma coisa muito valiosa. Se ela é revelada em mim, pelo menos até certo ponto, eu estou muito feliz porque é assim que um ser humano nasce, que está pronto para ascender acima da criação.

Exatamente o Oposto

Nós temos que nos relacionar com a deficiência que aparece em nós através da inclinação ao mal que o Criador criou. Ela é chamada por diferentes nomes: Faraó, Bilam, Balak, e Amaleque. Há 70 nomes para a inclinação para o mal, e em todos os níveis e em todos os estados, eles servem como ajuda contra, oposta à meta, e me permite avançar em direção a ela.

Esta ajuda invoca uma inclinação, um desejo em mim, que está focado justamente na meta. Isso me ajuda de forma qualitativa para que eu possa gradualmente entender como é diferente esta nova meta de meus sentimentos e mente atuais. Portanto, nós temos que nos relacionar com todas as perturbações que são invocadas em nós com grande sensibilidade.

Dias Vermelhos no Calendário

A mesma coisa se refere a todos os feriados judaicos e os dias vermelho no calendário. Rosh Hashana, Yom Kipur, Sucot, Simchat Torá, Tu Bishvat, Purim, Pessach, Lag Ba’omer, Shavuot e o dia 9 de Av são todos estados ao longo do caminho em que uma nova deficiência é revelada, uma revelação do novo mal que nos permite usá-lo corretamente, de forma intencional e consciente.

Isso é revelado dentro de nós desta maneira para que possamos ser livres em nosso avanço rumo à meta de uma forma consciente, como seres humanos e não como babuínos que a natureza empurra e que correm à frente apenas pela força do ego. Nós descobrimos diversas forças e equilíbrio entre elas.

A principal coisa que podemos aprender com estes feriados é que deficiências especiais nós precisamos descobrir a fim de ascender a todos os níveis que os feriados e dias especiais representam. Eles exigem uma deficiência que está focada em atingir a meta.

Essa deficiência decorre do nível humano que é externo a nós. Se olharmos corretamente para os problemas que surgem, vamos discernir a ajuda contra a força criativa dentro deles.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 02/03/15, Escritos do Rabash

Como Evitar Uma Situação Desesperadora

Dr. Michael LaitmanA Torá, “Levítico”, 22:26-22:28: Disse ainda o Senhor a Moisés: Quando nascer um bezerro, um cordeiro ou um cabrito, este ficará sete dias com sua mãe. Do oitavo dia em diante será aceito como oferta ao Senhor preparada no fogo. Não matem uma vaca ou uma ovelha ou uma cabra e sua cria no mesmo dia.

Isso se refere à parte corporal do desejo de uma pessoa e como ele pode ser elevado e corrigido em relação ao nível anterior.

Em primeiro lugar, há o desenvolvimento “in útero” e depois o período de aleitamento. Uma semana é o suficiente para um animal receber e se adaptar a um nível de HGT NHYM, uma vez que um animal passa por apenas sete níveis de desenvolvimento e não dez como o homem.

Durante os sete dias (sete níveis) o animal recebe e se adapta a tudo desde o nível superior e se desprende dele. Ele vive de acordo com leis instintivas, e, por conseguinte, um ser humano que está no nível animal age instintivamente.

Quando você olha para o mundo, você vê que todo mundo aprende com os outros como viver e repete o que vê. Os animais não têm as três Sefirot superiores que simbolizam a cabeça e, portanto, sua cabeça está no mesmo nível que o seu corpo, e não acima dele.

A mesma coisa acontece hoje com o mundo que está atualmente no nível animal de desenvolvimento. Sua cabeça desapareceu algumas eras atrás, quando as verdadeiras grandes mentes desapareceram.

A humanidade evolui de uma forma totalmente automática, apesar do que os cientistas, filósofos, governos, banqueiros ou as massas dizem. Eles só acumulam suas parcas mudanças em cada nível da natureza, mas não mudam a percepção de sua evolução.

O momento crítico foi quando o homem começou a produzir e a ganhar mais do que o necessário. Daquele ponto em diante, o capitalismo começou a se desenvolver, mas até aquele momento tudo era simples e natural. O homem viveu provendo suas necessidades básicas, não porque quisesse, mas porque não havia novas tecnologias para ajudá-lo.

Mas quando o homem inventou o arado que lhe permitiu lavrar profundamente a terra, ele começou a se envolver em fazer cerâmica e trabalho em metal, que eram oportunidades para ter mais lucro do que o necessário.

O valor agregado inspirou o ego, e o ego começou a impulsionar o valor agregado. Em vez do desenvolvimento interno, moral, ético do homem, o mundo virou na direção do desenvolvimento tecnológico e este foi o ponto da virada que determinou a direção que a humanidade viria a seguir.

Mas hoje nós estamos no final deste caminho, onde o nosso desenvolvimento tecnológico está em colapso e nós estamos diante de uma situação desesperadora. Nós temos que entender que devemos diminuir os nossos desejos para um nível que seja adequado para uma vida decente. É como em matemática: uma condição necessária e suficiente. Isso significa que o consumo deve ser sensível, enquanto toda a nossa energia e opções devem ser focadas em atingir a meta superior, tornando-nos seres humanos juntamente com toda a humanidade.

Comentário: Acontece que não há escolha, assim como na lenda de Pushkin do Pescador e o Peixe Dourado. Ele deveria ter parado quando tinha palácios de luxo, mas a velha senhora não pôde e, por fim, acabou sem nada. Nós estamos no mesmo ponto agora.

Resposta: Mas nós temos a opção de um pouso suave. Ao usar a sabedoria da Cabalá, nós podemos mostrar a humanidade, de uma maneira boa e sensata, o que pode acontecer se não aceitarmos esse método. Caso contrário, vamos continuar a cumprir o objetivo da criação, mas de uma maneira mais difícil, através de revoluções, guerras e problemas.

Nós vemos como os conflitos de repente surgem num lugar aparentemente vazio. Você só precisa acender um fósforo. Há grande ódio no mundo na medida em que todo mundo odeia a todo mundo e, portanto, a centelha mais ínfima pode começar um incêndio.

Nós temos que dar o nosso melhor para fazer com que o mundo entenda que a Torá fala sobre o aprimoramento e as modificações do homem ao longo de um bom, seguro, saudável e suave caminho da evolução harmoniosa. Será que nós já não sofremos o suficiente para que não queiramos isso? Será que temos que sofrer muito mais para mudar o nosso caminho para a evolução positiva? É aí que reside o nosso problema.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 28/05/14

Venham Depressa Para A Terra Prometida

Dr. Michael LaitmanPergunta: Onde nós estamos hoje? O povo de Israel deixou o Egito, recebeu a Torá no Monte Sinai, entendeu que tinha algum tipo de tarefa, uma missão, e depois? Que tipo de tarefa foi colocada diante de nós hoje?

Resposta: Nossa verdadeira tarefa hoje é desenvolver o povo de Israel na terra de Israel, de modo que eles saibam o que devem fazer para se sustentar e continuar a existir.

Quando o nosso povo garantir a sua existência, eles deverão explicar por que existem, por qual propósito superior. Só se realizarmos este propósito superior e ansiarmos em levar toda a humanidade à adesão com o Criador é que merecemos estar conectados com Ele.

Este conhecimento deve chegar ao povo, e nós vamos atrair a Luz que deve nos iluminar quando vamos nos depararmos com isso através do nosso desejo de se conectar e servir de exemplo ao mundo inteiro. No entanto, se não nos conectarmos, essa mesma Luz vai nos iluminar por sua parte de trás.

Se não estamos prontos para abordar esta Luz, ela vai ser revelada em nós de uma maneira oposta, e, como resultado, vamos experimentar desgraças, como guerras, desastres e outro holocausto como o que passamos há 70 anos.

Nós vemos no dia a dia como a situação do mundo está se desenvolvendo e se tornando pior. Todo mundo está começando a falar sobre o antissemitismo como se fosse um fenômeno normal. Ninguém tem mais vergonha, e ninguém o considera ruim. Inglaterra, Escandinávia e Espanha, basicamente todos eles, são reconhecidos como sendo abertamente antissemitas, como se isso fosse autoevidente.

Na verdade, eles estão certos, afinal de contas, nós não temos transmitido o método de correção ao mundo. Nós não temos realizado a nossa obrigação.

Comentário: O problema é que nem todo mundo acredita que esta é realmente a nossa obrigação, a nossa função.

Resposta: É necessário ouvir o que os sábios, os Cabalistas, dizem. Não temos outra escolha. Nós nunca iremos alcançar a verdade, enquanto não tivermos corrigido a nós mesmos e não alcançarmos a revelação. Portanto, não podemos sentar e esperar até que a verdade se torne conhecida de nós. Ela nunca será conhecida de nós, se não avançarmos em direção a ela.

Nós acolhemos todos neste mundo à conexão e unidade simples. Nós não somos obrigados a esperar até os céus se abrirem e vermos o mundo espiritual. Sente-se num círculo com outros e em 20 a 30 minutos você vai ver como você começa a sentir este poder superior. No centro deste círculo, no centro da nossa conexão, nós sentimos a origem de uma força única.

Isso é possível e deve ser feito de forma rápida entre todos os filhos de Israel! O problema é que não é à toa que esse povo é chamado de “dura cerviz”. Apesar de tudo isso, você não deve se desespere, pois o povo de Israel em relação a todo o mundo é como os Cohanim e levitas entre o povo de Israel.

Embora ainda não estejamos prontos para ser Cohanim e levitas, o povo de Israel que almeja ser Yashar El (direto ao Criador), seremos obrigados a isso, visto que o mundo vai exigir isso de nós.

No momento em que começarmos a perceber seriamente essa tarefa em conjunto, e no momento em que começarmos a realizar essa unificação do povo de Israel, o mundo inteiro vai sossegar. Todo mundo vai olhar para nós e dizer: “Veja o que eles estão fazendo! Vamos esperar. Eles iniciaram algo especial”.

As nações do mundo vão sentir isso, porque dentro delas estão as raízes da quebra devido ao pecado de Adão HaRishon com a árvore do conhecimento, e se Israel começar a corrigir esse pecado, as nações do mundo vão sentir isso, “Oh! Eles estão fazendo essa correção! Nós nem sabíamos que era possível corrigir isso e chegar mais perto, enquanto que os judeus estão fazendo isso!”

As nações do mundo irão imediatamente mudar a sua atitude em relação a nós. Nós começaremos a correção e ela será imediatamente conhecida pelo mundo inteiro. Nós nem sequer precisamos anunciar isso. Não muito tempo atrás, eu publiquei um grande artigo no maior jornal americano, The New York Times, e depois disso, no jornal inglês The Telegraph e no jornal italiano Corriere Della Sera. No entanto, no futuro, não haverá necessidade de anunciar nada. As próprias nações do mundo vão escrever sobre isso, porque elas mesmas vão sentir isso.

No entanto, se não as levarmos a tal correção e não realizarmos a nossa missão, o antissemitismo, que estamos testemunhando agora, vai continuar a crescer. Então, venham. Vamos atravessar o deserto rapidamente e chegar à terra de Israel.

De KabTV “Os Capítulos da Torá com Shmuel Vilozni” 02/02/15

Um Porão Para O Filho Amado

Dr. Michael LaitmanO que é necessário para se descobrir o bem? Por que alguém que nasce com grande abundância não a aprecia? Você diz aos filhos: “Veja o quanto vocês têm! Quanto eu tenho dado a vocês! Quando eu era criança, não tinha isso”. No entanto, eles rejeitam você e não querem ouvir isso.

Eles não podem apreciar a sua bondade, uma vez que não têm nada com que compará-la. Então, eles não entendem que tipo de gratidão você precisa deles. Eles querem ir ao cinema, podem ir; eles querem um computador, ganham; um novo telefone celular para sair de férias, o que quiserem. Eles têm tudo, e, portanto, também não têm nenhum desejo por nada.

Você lhes diz que quando tinha sua idade, você construía um carro para si mesmo de uma caixa de sapatos e brincava com este carro por dois anos, e eles riem de você. Eles estão certos, porque tudo é medido de acordo com o desejo.

Eles se sentem num determinado nível de saciedade e não se moverão dele em nenhuma direção. Em primeiro lugar a pessoa deve descer para o “menos infinito” para ser capaz de sentir o “mais infinito” posteriormente.

Sobre isso foi dito em “Levítico” 26:26: Quando eu lhes cortar o suprimento de pão, dez mulheres assarão o pão num único forno e repartirão o pão a peso. Vocês comerão, mas não ficarão satisfeitos, ou seja, que nada no mundo muda, exceto a nossa consciência. Mesmo agora, você se encontra em Olam Ein Sof (o Mundo do Infinito), mas, em vez disso, você sente este mundo, porque não tem os Kelim para perceber Ein Sof.

De um lado, há um saco de moedas de ouro, e, do outro lado, há uma montanha de diamantes. Na frente de você está uma mesa posta com várias iguarias, ainda que você esteja morrendo de fome e sofra com o mau cheiro.

Tudo depende do seu Kli de percepção. Você está em Olam Ein Sof, que nunca muda. Tudo depende apenas do desejo, e o desejo é construído acima de um abismo que é constantemente revelado num grau maior.

Por isso, é difícil para os nossos filhos sentirem uma razão para viver, especificamente, porque eles têm tudo. Baal HaSulam conta uma parábola sobre um rei que colocou seu filho num porão por 20 anos e causou-lhe angústia mental mostrando-lhe como todos os outros eram bem sucedidos. Os outros estão sentados num bar ou assistindo a Copa do Mundo, enquanto você está sentado num porão escuro cheio de ratos, amaldiçoando o seu pai.

Isto continuou até que o filho descobriu que seu pai estava agindo com bondade em seu coração e grande amor. Seu pai estava sofrendo porque tinha dado tristeza a seu filho. Enquanto que, se você dá aos seus filhos tudo o que eles querem pela bondade de seu coração, isso significa que você os odeia.

Pergunta: Segue-se que eu devo machucar intencionalmente uma criança, a fim de educá-la?

Resposta: Você a limita porque quer que as coisas sejam boas para ela, e você está disposto a sofrer por fazer isso. Você faz isso por amor a ela, para que ela se beneficie no futuro. Não vai ser bom para ela agora, como seu ego deseja, mas irá beneficiá-la ao longo de sua vida.

Ou você quer se sentir bem com o pensamento do quanto você tem lhe dado. Você pensa consigo mesmo: “Eu não podia pagar nada disso na minha infância, por isso o meu filho deve apreciá-lo”. É isso que você chama de amor?

Amanhã você vai ter que dar-lhe muitas vezes mais porque senão ela não vai sentir que está viva. Você deve construir um “porão” com grande sabedoria e colocar o seu amado filho lá, e você vai sofrer muitas vezes mais do que ele quer. Desta forma, você estará preparando-o para uma vida boa.

Portanto, nós temos um método através do qual é possível avançar no sentido da satisfação, do bem, não por se sentir mal, mas por estar ciente disso. Esta é uma patente muito especial. É necessário apenas entender o princípio e isso é suficiente. Então, não haverá mais necessidade de sofrer. Nós não estamos prontos para percorrer o caminho do sofrimento difícil.

O Criador fez um sistema especial em que é suficiente para nós estarmos cientes do mal que existe em contraste com o bem, a fim de aceitá-lo como uma ferramenta e sentir satisfação com ele. Afinal, não estamos prontos para descer a “menos infinito”.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 12/06/14, Escritos do Baal HaSulam

Não Devemos Perder A Oportunidade

Dr. Michael LaitmanBaal HaSulam, “A Nação”: É claro, salvar confiando em milagres. Que a nossa existência como indivíduos ou como nação está suspensa entre a vida e a morte. E a salvação é, se pudermos encontrar o empreendimento necessário, esse grande esquema cujo caminho é apenas para ser encontrado perto do perigo, e que pode inclinar a balança a nosso favor, para nos dar um abrigo seguro aqui por toda a diáspora dos nossos irmãos, que todo mundo diz que é, atualmente, o único lugar de salvação.

Assim, a estrada da vida estará aberta para nós, para continuarmos de alguma forma a nossa existência, apesar das dificuldades. E se perdemos a oportunidade e não subimos como um, com os grandes esforços necessários num momento de perigo, para garantir a nossa permanência na terra, então os fatos diante de nós são muito ameaçadores para nós, uma vez que as coisas estão evoluindo favoravelmente para os nossos inimigos, que estão pedindo para nos destruir da face da Terra.

Isto foi escrito no início da Segunda Guerra Mundial, quando as pessoas ainda não tinham visto o perigo real e o Holocausto para a qual estavam sendo conduzidas.

Mas Baal HaSulam diz que, embora tenhamos chegado a um estado tão terrível que o destruidor recebeu permissão de nos destruir, ainda podemos mudar a relação entre as forças do bem e do mal, se quisermos melhorar a nossa situação. Tudo está em nossas mãos.

Embora o tempo opere contra nós, nós podemos realmente ter sucesso durante este tempo e trazer grandes e rápidas mudanças.

Em vez de esperar por aflições, dificuldades e perigos, o que significa por efeitos negativos que nos empurrem para frente, nós precisamos avançar por nós mesmos e virar o caminho da nossa evolução natural (em seu tempo) para o caminho do “eu vou apressá-lo”. Então seremos capazes de avançar sem quaisquer golpes. Tudo depende se vamos despertar como resultado dos golpes ou se vamos despertar como resultado do nosso trabalho.

Despertar pelos golpes não é muito útil, uma vez que apenas mudamos e nos estimulamos. Nós precisamos mudar muita coisa, a fim de se recuperar e avançar depois de tais golpes. Então não seria melhor se nós avançássemos ao longo de um caminho suave? Este seria realmente o nosso despertar para o objetivo da criação e para uma fuga rápida dos golpes.

Da 5ª parte da Lição Diária de Cabalá 19/06/14, Escritos do Baal HaSulam

Manipulação Das Massas Pela Mídia

Dr. Michael laitmanOpinião (Noam Chomsky, linguista americano, filósofo, cientista cognitivo, lógico, comentarista político e militante anarco-sindicalista):

“Com base no trabalho do linguista americano Noam Chomsky, aqui está uma lista das “10 estratégias de manipulação” pelos meios de comunicação:

1. ESTRATÉGIA DE DISTRAÇÃO.

O elemento-chave do controle social é a estratégia da distração que consiste em desviar a atenção pública de questões e mudanças importantes decididas pelas elites políticas e econômicas, mediante a técnica do dilúvio ou inundando contínuas distrações e informações insignificantes. ‘Mantenha a atenção do público distraída, longe dos reais problemas sociais e cativada por temas sem importância. Mantenha o público ocupado, ocupado, ocupado, sem tempo para pensar, de volta à fazenda com os outros animais (citação do texto “armas silenciosas para guerras tranquilas”)’.

2 – CRIAR PROBLEMAS DEPOIS DE OFERECER SOLUÇÕES.

Este método também é chamado de ‘problema-reação-solução’. Isso cria um problema, uma ‘situação’ para causar alguma reação no público, de modo que seja a principal medida que eles vão querer aceitar. Por exemplo: vamos desenvolver ou intensificar a violência urbana, ou organizar atentados sangrentos, a fim de que o público esteja focado nos princípios de segurança, leis e políticas em detrimento da liberdade. Ou também criar uma crise econômica para aceitar o mal necessário da recessão, da perda de direitos sociais e o desmantelamento dos serviços públicos.

3 – ESTRATÉGIA DE GRADAÇÃO.

Para fazê-lo aceitar algo inaceitável, simplesmente aplique-o gradualmente, em conta-gotas, por anos consecutivos. É assim que condições socioeconômicas radicalmente novas (neoliberalismo) foram impostas durante os anos 1980 e 1990: o estado mínimo, privatizações, precariedade, flexibilidade, desemprego em massa, incapacidade de pagar salários decentes, e muitas mudanças que causam uma revolução não teriam que ser implementados todo de uma só vez.

4 – A ESTRATÉGIA DE PROTELAR.

Outra maneira de tornar aceitável uma decisão impopular é apresentá-la como “dolorosa e necessária” ao obter a aceitação imediata do público para uma aplicação futura. É mais fácil aceitar um sacrifício futuro do que um sacrifício imediato.

5 – ABORDAR O PÚBLICO COMO CRIANÇAS PEQUENAS.

A maioria da publicidade dirigida ao grande público utiliza discurso, argumentos, personagens e entonação particularmente infantis, muitas vezes próximo de seus pontos fracos, como se o espectador fosse uma criança muito nova ou com deficiência mental. Quanto mais você enganar o espectador, mais a publicidade tende a adotar um tom infantil.

6 – UTILIZAR O ASPECTO EMOCIONAL MUITO MAIS DO QUE A REFLEXÃO.

Fazer uso do aspecto emocional é uma técnica clássica para causar um curto circuito na análise racional, e, finalmente, no sentido crítico dos indivíduos. Além disso, o uso do registro emocional permite abrir a porta para o inconsciente para implantar enxertos ou ideias, desejos, medos e temores, compulsões ou induzir comportamentos…

7 – MANTER O PÚBLICO NA IGNORÂNCIA E NA MEDIOCRIDADE.

Torne o público incapaz de compreender as tecnologias e os métodos a fim de mantê-los controlados e em cativeiro. ‘A qualidade da educação dada às classes sociais mais baixas deve ser a mais pobre e medíocre possível, de modo que o fosso da ignorância que existe entre as classes mais baixas e as classes sociais mais altas seja e permaneça fora do alcance das classes mais baixas’.

8 – ESTIMULE O PÚBLICO A SER COMPLACENTE NA MEDIOCRIDADE.

Promovendo o público a pensar que a moda é o ato de ser estúpido, vulgar e inculto.

9 – FORTALECER A REVOLTA PELA AUTO-CULPA.

Fazer o indivíduo acreditar que só ele é o culpado pela sua própria desgraça, devido à insuficiência de sua inteligência, de suas capacidades ou de seus esforços. Assim, em vez de se rebelar contra o sistema econômico, os próprios indivíduos são impotentes e culpam a si mesmos, o que leva a um estado depressivo com seus efeitos sendo a inibição de sua ação.

Meu Comentário: Pode-se ver como é grande o papel da Internet na manipulação das pessoas. Mas isso só acelera a saída do poder do Faraó ou egoísmo, porque os nossos desejos e pensamentos não se desenvolvem pela mídia, mas pela lei do desenvolvimento, o qual leva necessariamente à finalidade da criação.

Como Alguém Proteger A Nação Da Dissolução?

Pergunta: Será que eu entendi corretamente, que no mundo físico e no mundo espiritual a inveja opera de forma diferente? Se no mundo físico eu quero aniquilar o objeto da minha inveja, no trabalho espiritual funciona ao contrário. Eu não sei o que a espiritualidade é, mas quero sentir isso, então anseio em obter isso através do objeto da minha inveja.

Resposta: Na verdade, quanto mais invejoso você é com relação ao desejo espiritual do seu amigo, mais você se beneficia.

Pergunta: Eu fui um filho da União Soviética. Constatou-se que um desejo foi despertado em nós por essas coisas, que, em princípio, estavam mais perto da prosperidade espiritual do que da prosperidade física. Portanto, era essa a direção certa?

Resposta: Na União Soviética, o entendimento correto era a educação com base nos nossos desejos e aspirações físicas para nos tornarmos a nação mais forte, para governar o mundo, controlá-lo, e mostrar a todos o chicote. Se a liderança do país tivesse agido corretamente, ela teria se ocupado com a educação das pessoas e não teria aspirado apenas a controlar melhor as pessoas.

O problema está nisso. De acordo com o que Baal HaSulam escreveu, tudo aqui foi organizado em prol de um sublime objetivo egoísta e não em prol de um objetivo altruísta voltado ao Criador. Isto porque o Criador é, em princípio, todos nós unidos num todo único geral. Esta é toda a criação, toda a humanidade e toda a natureza em plena doação mútua. A característica chamada Criador é especificamente descoberta aqui. Fora de nós, o Criador não existe.

Se a União Soviética tivesse existido para isso, teria instruído o povo corretamente e não de forma a ser o mais forte, a fim de oprimir os outros, instilar o medo, e exigir respeito. Se não tivesse havido um imenso ego que está na liderança dos políticos beligerantes, então, certamente, tudo teria sido de outra forma. Porém, visto que tudo isso foi em prol de grandes egos, não pelas pessoas, mas para a liderança do próprio povo, tudo desmoronou.

E está certamente desmoronando agora com um barulho ainda maior já que a arrogância tem aumentado: “Nós! Nós! Nós!” “Vamos mostrar a todos”. “Vamos do nosso próprio jeito”. “Nós somos os mais inteligentes, os mais fortes”, e assim por diante. Tudo isso vai rapidamente entrar em colapso. Uma nação não pode existir assim e ele chegará ao nazismo. A queda da Ucrânia é um sinal do que pode acontecer com a Rússia. E tudo isso é porque eles colocam um grande e poderoso ego na liderança.

De modo algum eu desejo algo de ruim para esta nação. Eu a considero minha terra natal, até certo ponto, mas que tomou uma direção completamente errada. Nem o Congresso nem o enorme ego nacional podem evitar a desintegração do país.

Isto é totalmente contra qualquer perspectiva, todo o fluxo da natureza e todas as linhas de desenvolvimento. Assim, ele vai desaparecer muito rapidamente como se nunca tivesse existido. O regime soviético existiu por 70 anos, e tudo vai passar muito rapidamente agora.

Do Acampamento Internacional de Verão Na Bulgária 11/07/14, Lição # 2

Material Relacionado:
A Força Da Inveja Não É Limitada Pelo Tempo E Espaço
A Rússia Enfrenta Um Fenômeno Inexplicável

Uma Casa Aberta A Todos Os Povos

Dr. Michael LaitmanO povo de Israel tem uma tarefa, uma missão única de se tornar uma casa aberta a todos os povos que queiram descobrir o Criador. Por isso, nós temos que construir essa sociedade a partir do nosso povo e nos tornar como um maravilhoso e imenso copo que está pronto e é capaz de conter todos. Nós temos que abrir as nossas mãos de modo que todos aqueles que desejam isso, possam vir e ser incluídos em nosso abraço e se juntar a nós.

Isso ocorre porque o povo de Israel não é como os outros que se tornaram um povo graças a um espaço comum e uma história comum. Em contraste com isso, o povo judeu foi estabelecido de acordo com o seu papel, a sua missão, e de acordo com o seu objetivo futuro.

Portanto, nós temos que preparar um lugar para toda a humanidade, de modo que será possível para eles vir e aprender a entender por que existimos, por que estamos vivos, e por isso sofremos.

Isto é particularmente importante em nossos tempos, em que a humanidade está deslizando de forma enérgica e rápida para o abismo. É especificamente por causa disto que o papel do povo de Israel é tão importante.

Se não nos apressamos para realizar nossa missão e nos atrasamos em nosso desenvolvimento, nós atraímos golpes sobre nós mesmos. Essas mesmas forças que poderíamos desenvolver dentro de nós mesmos, mas não queremos, estão nos pressionando negativamente.

É como uma criança que não quer aprender e com isso obriga os pais a pressioná-la, e ela acha que eles são ruins. Eles, na verdade, não são ruins, mas simplesmente querem que ela tenha sucesso. É assim que as forças da natureza têm agido em cada momento da nossa história.

A história é um programa muito preciso e claro e, se não cumprirmos as obrigações com relação a nós mesmos e à humanidade em cada momento, a missão que não é levada a cabo começa a nos pressionar e nos força a avançar.

Esta força negativa pode ser revelada na forma de problemas, guerras, expulsão do país [Israel], aniquilação e o Holocausto. Tudo depende de quanto nós nos atrasamos na execução da nossa missão em relação ao cronograma que é determinado pelo programa da criação.

De KabTV “Uma Nova Vida” 28/12/14

Onde Está Se Escondendo A Felicidade?

Dr. Michael LaitmanPergunta: Será que a sabedoria da Cabalá permite que uma pessoa seja feliz? Como isso acontece?

Resposta: A pessoa faz perguntas sobre o sentido da vida desde a infância, até que começa a se desenvolver hormonalmente. Em seguida, ela se esquece dessas questões. Mas se elas surgem novamente mais tarde na vida, ela procura respostas para estas perguntas.

Hoje existem muito pouco dessas pessoas. Nós podemos ver isso de acordo com o número de pessoas que estão deprimidas ou que suprimem essas questões preocupantes e atormentadoras usando drogas. Hoje, essas pessoas constituem metade da população mundial e, pelo menos, uma percentagem elevada toma medicação antidepressiva.

Portanto, chegou a hora dessas pessoas saberem que a sabedoria da Cabalá fornece as respostas a todas suas perguntas. Além disso, estas são as respostas exatas que elas descobrem por conta própria e percebem como sua realização do mundo, como a realização da natureza. Ao mesmo tempo, as respostas que elas encontram não se conectam de forma simples e abstrata às suas perguntas, mas elas veem como isso funciona em seus sentimentos, na revelação do mundo.

Assim, nós devemos permitir que as pessoas não só alcancem o mundo, mas também o transformem, mudem a si mesmas, e levem a si mesmas e o mundo à conexão correta que resulta em felicidade, conforto, harmonia e equilíbrio entre o homem e o mundo ao seu redor.

Aqui a sabedoria vem em nosso auxílio, dizendo-nos como a natureza é organizada e o que pode ser mudado no homem, a fim de alcançar a harmonia com a natureza e existir em nosso mundo num estado de equilíbrio perfeito. Equilíbrio é a felicidade.

De KabTV “O Ano Novo” 25/12/14

O Progresso É Sem Sentido E Impiedoso

Dr. Michael LaitmanNas Notícias (Expert): “Até a década de 1960, a sociedade ocidental tinha alcançado um alto nível de consumo, e as pessoas entendiam que o dinheiro não era a principal medida de felicidade.

“Assim, o conceito de qualidade de vida multidimensional nasceu, que, além da renda, é determinado pela segurança, o acesso ao conhecimento, o desenvolvimento da medicina, a expectativa de vida, as condições ambientais, etc.

“Mas como estes diferentes números poderiam ser reunidos? Os cientistas propuseram passar de indicadores objetivos para subjetivos, medidos por pesquisas de opinião pública. Mas eles dependem da medição do estado da pessoa em relação ao estado do seu vizinho, e verifica-se que aqueles que não vivem perto dos ricos são mais felizes.

“Do ponto de vista subjetivo, a qualidade de vida das pessoas no último milênio não tem crescido, mas caiu por causa da diferenciação da população de acordo com o nível de consumo no antigo Egito ou na França medieval, que foi menor do que é agora.

“Isto é, do ponto de vista subjetivo, não há progresso. Além disso, a disseminação de inovações causa desigualdade em termos de consumo, insatisfação e conflito.

“O progresso, ao invés de melhorar a qualidade de vida, a reduz devido à desigualdade crescente e à estagnação e, ao contrário, estabiliza a sociedade. O desenvolvimento é um processo sem sentido, semelhante a um cachorro correndo atrás do próprio rabo, que nada produz além de inveja e sofrimento”.

Meu Comentário: Não podemos parar o progresso. O seu papel é nos conduzir à reflexão sobre a falta de sentido da nossa existência, de modo que, tendo perguntas sobre o sentido da vida, nós avançamos para revelar o Criador.