Textos na Categoria 'Lição Diária de Cabalá'

Aquele Que Não Precisa De Nada É Feliz?

Laitman_036Pergunta: Vários métodos afirmam: “Feliz é aquele que não precisa de nada”. É assim?

Resposta: Em geral, sim. No nível corpóreo, se eu não preciso de nada, se todos os meus desejos estão acima do nível material, voltados para o amor e a doação, fora de mim, então isso é certamente felicidade.

Pergunta: Alguns métodos nivelam nossos desejos. Se uma pessoa fizer isso, ela seria feliz?

Resposta: Uma pessoa nivelando seus desejos reduz-se ao nível da criação inanimada.

Se ela não resiste, não critica, não culpa ninguém nem nada, ela é feliz, mas essa felicidade é sem emoção, como uma rocha. Desta forma ela se protege do sofrimento o máximo possível. No entanto, sendo parte do resto da humanidade, ela não será capaz de evitar problemas. Eles ainda vão continuar. Além disso, ela sentirá constantemente a necessidade de se tornar algo mais.

Pergunta: O grande cabalista Baal HaSulam escreve que se uma pessoa fizesse um cálculo, olhasse para a sua vida e visse a quantidade de dor que sentiu em relação ao prazer que experimentou, imediatamente terminaria sua vida. Em outras palavras, a quantidade de sofrimento é muito maior que o prazer. Por que esse cálculo é escondido de uma pessoa? Somos todos egoístas. Estamos constantemente calculando.

Resposta: Isso é necessário para o processo cumulativo interno, para que possamos acumular múltiplos males, amargura, problemas, depressão e chegar a tal desilusão na vida que desejaríamos nos elevar acima disso, não para acabar com nossas vidas, mas para realmente subir, encontrar a resposta para a razão de sofrermos – para que?!

Da Lição de Cabalá em Russo 17/12/17

Onde Seus Pensamentos Estão…

Laitman_001.01Observação: É dito que uma pessoa está onde seus pensamentos estão.

Resposta: É bastante natural porque um lugar é o pensamento de uma pessoa – sua mente, seu desejo.

Na Cabalá, não há lugar físico no qual, como nos parece, existimos hoje. Isto é uma ilusão absoluta!

Pergunta: Então o que é “eu”?

Resposta: Também é uma ilusão. É uma coleção de ondas curtas que formam a ilusão do seu corpo, sua mente. Não é nada mais do que isso.

Hoje, os Cabalistas não são os únicos que discutem isso. Os cientistas também discutem. No passado, os Cabalistas podiam ser culpados por heresia e ignorância, e é por isso que viviam em ocultação.

Se abrirmos fontes Cabalísticas escritas entre 2.000 e 3.000 anos atrás, descobriremos escritos declarando que nosso mundo é uma ilusão absoluta. Não há nada em nosso mundo, nem mesmo partículas elementares, apenas ondas, e tudo o que vemos ao nosso redor é representado para nós em nossas sensações interiores. Nós estudamos isso no tópico da percepção da realidade.

Uma pessoa que revela o mundo espiritual começa a perceber que tudo isso está dentro dela, dentro de sua consciência, porque não há nada além da consciência. Todas as imagens supostamente existentes em torno de nós, na realidade, nos são desenhadas nós em nossas mentes.

Da Lição de Cabalá em Russo 26/11/17

Cumprindo As Leis Espirituais

laitman_284.03As definições da sabedoria da Cabalá não são exatamente como as definições que usamos na linguagem falada comum. As “nações do mundo” são o desejo de desfrutar para si mesmo. “Judeus”, o povo de Israel, são desejos com o objetivo de doar.

Portanto, cada pessoa pode ser dividida em nações do mundo e Israel: em desejos que buscam apenas satisfazer a si mesmos e desejos visando o amor ao próximo e, daí, ao amor ao Criador. Com base nisso, todos podem determinar a que parte do desejo geral, isto é, a que criação pertence.

Religião (Daat) é o método da Cabalá que ajuda a pessoa a alcançar a linha média (Sefirot Daat-Tifferet-Yesod), e, dessa forma, aponta seu desejo de desfrutar da doação. Se, ao lermos fontes Cabalísticas, as percebermos através dessas definições, não nos confundiremos e atribuiremos tudo ao desejo de desfrutar, o material da criação e suas várias propriedades. Então poderemos identificá-los corretamente e entender onde estamos: em um estado corrigido ou corrompido. 1

Os desejos de Israel, dirigidos diretamente ao Criador (Yashar-El), não sentem satisfação até alcançarem a correção. Tal pessoa sente inquietação interna. Se ela é atraída para a revelação do Criador, para a correção, ela não pode estar satisfeita com a vida civil comum, mas deve alcançar a revelação do Criador. Somente nisso ela encontrará conforto, tranquilidade e satisfação. 2

Se nos é dado o desejo de alcançar o Criador e não o desenvolvermos, não o promovermos em direção à revelação, nós infligimos grandes problemas a nós mesmos porque estamos rebaixando os céus até a terra. Por isso, causamos a queda das gerações que foram chamadas para corrigir seus desejos. Afinal de contas, em vez de ascender à Luz superior e ser preenchidos com ela, eles querem receber abundância abaixo sem qualquer correção, e por isso causam escuridão e todos os desastres no mundo.

Pessoas que tinham a capacidade de fazer uma correção e ascender, tornando-se um canal para o mundo superior para todos os outros, mas falharam em fazer isso e não perceberam o desejo que lhes foi dado de revelar o Criador, sofreram com isso, e também condenaram outras que não podem fazer nada sozinhas e dependem delas. Portanto, as nações do mundo sofrem com o fato de que Israel falha em cumprir sua missão, de corrigir a si mesmo. Esta é a razão da existência do antissemitismo. 3

Em vez de subir os graus de doação e amor ao próximo e conduzir a Luz às nações do mundo, o que já era possível do Primeiro Templo, o povo de Israel absorveu os desejos corpóreos das nações do mundo e adotou seus costumes. Em cada geração apenas alguns poucos Cabalistas permaneceram. 4

Existem leis da natureza que atuam nos níveis inanimado, vegetativo e animado. Se uma pessoa não os segue, recebe punição porque são leis da natureza física. Existem também leis da natureza espiritual que se relacionam com a equivalência de uma pessoa com o Criador. Essas leis atuam seletivamente, de acordo com o degrau de uma pessoa, como o sistema de justiça que não pune uma criança, dá apenas uma punição parcial pela mesma ofensa a um adolescente, mas pune integralmente uma pessoa adulta.

A escada espiritual é criada na atitude da Luz superior para com o desejo de desfrutar, a matéria da criação. De acordo com isso, uma lei espiritual age em cada nível. A lei é uma proporção entre a Luz superior de certo degrau e o desejo de desfrutar correspondente a ele, quando eles são iguais e podem se conectar.

Portanto, se em certo degrau não vemos e não sabemos nada, isso significa que é para nosso benefício, porque a escada de degraus é construída de tal maneira de cima para baixo. Não podemos reclamar que isso é injusto. 5

Tudo o que sentimos neste mundo é uma influência das forças que nos guiam com amor e cuidado máximo na direção certa. Onde quer que eu falhe em ver isso, eu preciso me corrigir para concordar com essa governança. 6

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá 17/4/18, Baal HaSulam, “Exílio e Redenção”

1 minuto 0:40
2 minuto 3:05
3 minuto 6:45
4 minuto 12:00
5 minuto às 23:00
6 minuto 26:10

A Implementação Ocorre Na Dezena

laitman_290O cascateamento dos mundos de cima para baixo foi a preparação para a correção, e o processo oposto de baixo para cima é sua implementação. Durante o cascateamento de cima para baixo, todas as condições foram estabelecidas para disparidade de forma, de modo que alcançássemos a equivalência com o Criador a partir dessa disparidade. O fim da correção é a equivalência completa entre o ser criado e o Criador.

Toda essa implementação ocorre na dezena. A primeira dezena, o primeiro HaVaYaH, foi dividida, destruída de todas as maneiras possíveis e desceu para completar a disparidade de forma com o Criador, para completar a falta de conexão. Nós então começamos a corrigir essa quebra conectando-se nas dezenas. Ao trabalhar em conexão em nossa dezena, sem saber reunimos muitas dezenas diferentes, até que começamos a ver como elas formam uma dezena cada vez mais avançada. 

Da 1ª parte da Lição sobre o tema “Descobrindo a Força do Criador na Dezena” (Preparação para a Convenção “Todos Como Um” em Nova Jersey 2018)

1 Minuto 37:35

A Revelação Do Criador Está Nas Sensações

laitman_276.03Baal HaSulam, Os Escritos da Última Geração: Isso porque, na verdade, não há nada mais natural do que entrar em contato com o seu criador, pois Ele criou a natureza. De fato, toda criatura tem contato com seu criador, como está escrito: “Toda a terra está cheia da Sua glória”, exceto que não o conhecemos ou sentimos.

Tal contato existe o tempo todo. Ele vem do Criador e não da criação, e nossa tarefa é começar a sentir isso. Essa é a sabedoria da Cabalá.

Por definição, a sabedoria da Cabalá é a revelação do Criador ao homem neste mundo. A revelação é apenas nas sensações.

Pergunta: Então, “toda a terra está cheia da Sua glória” vem do Criador, e “nós (a criação) não o conhecemos ou sentimos” – de nossa parte?

Resposta: É claro, todo inseto e folha – tudo é diretamente gerenciado por essa força, esse campo chamado Criador.

Mas isso não nos é dado em nossas sensações. A natureza é uma realidade objetiva dada a nós em sensações. Portanto, o que eu sinto é o que existe e o que não sinto não existe para mim. Eu posso adquirir sentidos adicionais e tudo o que posso sentir neles também será parte da natureza que se manifesta em relação a mim.

Pergunta: O Cabalista tem a capacidade de controlar constantemente sua percepção da realidade?

Resposta: Não há pessoas vivendo na Terra que não possam fazer isso porque estamos todos nos movendo em direção a uma correção cada vez maior. E quando nos tornamos incluídos no Criador, tudo se tornará mais simples.

De KabTV “A Última Geração” 09/10/17

Força Na Conexão

laitman_260.01No trabalho da dezena, não basta simplesmente se aproximar para unir. Precisamos nos conectar de tal forma que nenhum diferença seja sentida entre a pessoa e o grupo, e você não sinta a si mesmo de forma alguma, mas apenas a unidade da dezena como um todo. Este é o significado de se dissolver na dezena.

É claro que esta ação só pode acontecer através da ação da Luz que Reforma. Mas a Luz age apenas em resposta a nossa demanda. Nada acontece por si só porque não há coerção na espiritualidade: nem na relação de um indivíduo para com os outros, nem do superior para com o inferior. Só se pode despertar, o que só é possível de maneira indireta.

Ninguém é coagido a alcançar a qualidade de doação. Mesmo que isso já seja o que queremos – sermos forçados e ensinados contra a nossa vontade rapidamente – isso não acontecerá. A força superior não se comporta dessa maneira porque ela não pode nos privar de nosso livre-arbítrio, sem o qual é impossível alcançar a realização completa. Tudo é organizado para nos levar à unidade verdadeira e completa.

É por isso que recebemos apenas dicas que apontam para a conexão, e mesmo essas são indiretas. Devemos tentar notá-las. 1

Como resultado da conexão, cada um recebe força de todos os outros. Isso é apenas no primeiro nível, onde cada um recebe força da dezena. No segundo nível, com essa força, ele se conecta novamente com todos e recebe dez vezes mais; no terceiro nível, novamente dez vezes mais, etc. Cada vez que multiplicamos tudo, multiplicamos nossas forças, mas tudo isso depende apenas de nossa disposição de nos anularmos perante o grupo. 2

Em nosso mundo, um indivíduo cai facilmente sob a influência da sociedade. Quer queira ou não, ele aceita as opiniões da sociedade através da mídia e da publicidade. Quanto mais ele segue as opiniões da sociedade, mais confiante se sente, porque pensa como todo mundo.

No entanto, no trabalho espiritual, tudo é o inverso: um indivíduo não tem desejo de se conectar ao grupo. Ele não acha que isso lhe dará confiança, não acha que o egoísmo obterá algo disso. Ele sempre tem que trabalhar para se superar, até mesmo para se conectar com os amigos um pouquinho. Ele não vê nenhum benefício egoísta em substituir as opiniões deste mundo pelas opiniões de um pequeno grupo Cabalístico. 3

Um exercício Cabalístico é se desprender de todos os seus desejos: comida, sexo, família, dinheiro, honra, conhecimento e trazê-los todos para o Criador. Visto que, obviamente, é Dele que vem a Luz que desperta em mim o desejo por todas essas realizações. E é como se eu rejeitasse essa influência, refletindo a Luz que desencadeia tais motivações em mim, tais desejos. Eu fico com um desejo geral de realização, sem características ou aspirações concretas. Eu rejeito todas as formas concretas de satisfação, como se removesse minha camada externa de mim mesmo e a devolvesse ao Criador. 4

Nós precisamos descobrir e passar a desprezar as qualidades que impedem nossa conquista da unidade, que nos distanciam dela. Se eu as desprezar seriamente, de maneira concentrada, correta e conscientemente, esse ódio me distanciará dessas qualidades e até mesmo as impedirá de ajudar a unidade.

O ódio deve servir à correção, isto é, deve ser pensado, ponderado e direcionado a qualidades específicas. O ódio, o desgosto e a repulsa devem me ajudar a transformar a rejeição em conexão; em outras palavras: “o amor cobre todas as transgressões”. 5

A vergonha surge quando me comparo com os amigos, com o Criador, e descubro uma enorme diferença entre nossos estados, nossos níveis. A vergonha é consequência do meu atraso, da minha fraqueza, que sou possivelmente capaz de evitar. Para um recém-nascido, nada é vergonhoso. Se há algo que eu não entendo, então não tenho vergonha: “Vá ao artesão que me criou”.

A vergonha surge apenas quando está claro para mim que eu poderia ter me conectado com os amigos, poderia ter feito algo para trazer benefícios para o grupo, mas eu não fiz. A vergonha é revelada no lugar onde eu não fiz esforço suficiente. Mas se é um resultado das qualidades dadas a mim pelo Criador, então eu não sinto vergonha. A vergonha só é sentida como resultado do meu dano, e é o meu esforço insuficiente. 6

Nós sempre temos a oportunidade de nos voltar ao Criador e pedir. Mas a reação pode parecer completamente inexistente, ou pode ser negativa ou positiva. Mas se eu quiser avançar mais, devo expressar gratidão por tudo que recebo. Mesmo tendo sentido uma reação negativa ou nada, devo agir como se tivesse recebido a resposta desejada.

Afinal, o pedido constrói um vaso espiritual (Kli) em nós. O Criador não precisa do meu pedido. Eu preciso dele! O pedido desenvolve meu desejo, minha necessidade, e é por isso que “uma oração” significa “julgar a si mesmo”.

Há sempre uma reação, só que não a sentimos, não a valorizamos, porque ela não vem onde esperamos, mas em um lugar diferente. A reação ocorre sem falhas porque trabalhamos contra um sistema, não contra uma força material, e o sistema não pode ter pena de nós ou simplesmente nos ignorar.

A resposta sempre vem, só que não a percebemos porque ela está em um lugar diferente, em qualidades diferentes, em um tempo diferente e porque não é imediata. Mas não duvide que a cada momento nós exercemos uma influência na realidade. E se fizermos isso conscientemente, a influenciamos muito mais poderosamente. 7

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 15/04/18, Lição sobre o tema “Dissolver-se na Dezena” (Preparação para a Convenção “Todos Como Um” em Nova Jersey 2018)
1 minuto 0:30
2 minuto 4:00
3 minuto 7:10
4 minuto 16:40
5 minuto 1:26:11
6 minuto 1:28:20
7 minuto 1:30:42

Tudo Começa Com Garantia Mútua

laitman_221.0Toda a correção está em reconectar o  sistema único da alma comum que foi quebrado de propósito pelo pecado de Adão com a árvore do conhecimento. A quebra foi uma preparação para o nosso trabalho. Nós precisamos juntar todas as partes quebradas e conectá-las corretamente.

A dificuldade deste trabalho é que toda vez que fazemos algo na prática, acrescentando alguma parte, talvez nem mesmo conscientemente, então, à medida que nos movemos para a próxima parte, a anterior desaparece. Afinal, há novas qualidades, novas sensações e novas condições.

Mesmo quando lemos algum artigo que já tínhamos lido dezenas de vezes, parece que sempre o ouvimos pela primeira vez. Tudo que foi feito no passado desaparece como água na areia e nada resta. Este é realmente um bom sinal de que estamos mudando de uma qualidade para outra, e cada vez somos renovados.

No entanto, isso nos leva ao desespero, porque não é o que se aceita em nosso mundo: se eu estudo, devo ao menos lembrar de algo, sentir algo, manter algo em meu coração e mente e ganhar experiência. Aqui não há experiência, como se todo dia você começasse tudo do zero e não sentisse se fez alguma coisa antes ou não.

Mas isso é apenas um sinal de que cada vez estamos recebendo novas qualidades para o trabalho, novos desejos quebrados que não tínhamos antes.

Outra dificuldade do trabalho é que nos foi dada uma tarefa para montar todo o “quebra-cabeça” da alma comum quebrada, mas somos incapazes de fazer isso! Afinal, para montar esse quebra-cabeça, precisamos descrever a imagem completa que nos será revelada somente no fim da correção. Então, como vamos montá-lo?

Está escrito sobre isso: “O Senhor terminará a obra” (“O Senhor cumprirá aquilo que me preocupa” – Tehilim, Salmos 138). Isto é, só precisamos colocar meio shekel para investir certo esforço tentando sempre fazer esse trabalho, como uma criancinha que tenta e sua, mas nada acontece. Então pedimos ajuda à força superior, oramos e ela faz tudo por nós. Isto é, a força superior faz todo o trabalho; nós só precisamos descobrir a deficiência disso.

Portanto, o trabalho parece incompreensível, incessante e incompleto para nós. Afinal, o trabalho correto no final deve levar a um choro, um pedido. De acordo com as tradições deste mundo, o choro e o pedido de ajuda atestam nosso fracasso porque estamos desistindo e admitindo nossa incapacidade de fazer o trabalho. No entanto, no trabalho espiritual, pelo contrário, é preciso ver grande sucesso em alcançar uma oração, um pedido, lágrimas e um coração partido.

Isso é chamado de revelação da verdade, e nada mais é necessário – todo o resto o Criador terminará para nós. Acontece que esse trabalho é muito diferente do que estamos acostumados em nosso mundo. Precisamos nos lembrar disso e nos apoiar mutuamente, tentando mudar nossa atitude para com o trabalho, seus resultados e nosso papel. O trabalho egoísta neste mundo não pode ser um exemplo para o nosso trabalho no mundo espiritual.

A conclusão é muito simples: “Não é para você terminar o trabalho, nem está livre para se afastar dele” (Avot, Capítulo 2:21). Nossa tarefa é realizar a nossa parte, fornecer nosso meio shekel, e o Criador adicionará a segunda metade para nós. Precisamos apenas revelar a deficiência para isso: descobrir que não podemos fazer isso sozinhos e ao mesmo tempo estar contentes por ficarmos desamparados, porque então temos uma razão para pedir ajuda e sabemos para quem nos voltamos. Isto é, nos sentimos dependentes da força superior e nos alegramos de que nós mesmos não temos nenhuma força além da centelha espiritual que nos impulsiona para a frente.

Nosso progresso sempre vai para o negativo, para revelar a falta, a fraqueza, o desamparo, o vazio e a impotência, que somente o Criador pode corrigir. Isso requer mudar sua atitude em relação ao trabalho, entendendo que “A opinião da Torá é oposta à opinião dos proprietários de terras”. “Proprietários” são aqueles que sabem aprender e fazer tudo sem envolver a ajuda de cima. E quem estuda Cabalá, pelo contrário, se sente fraco e incapaz de qualquer coisa. Isso significa que ele foi recompensado com a revelação da verdade.

O Criador nos deu esse trabalho para que pudéssemos revelar que a força superior faz todo o trabalho. Portanto, nosso trabalho é chamado “A obra do Senhor”: nós revelamos que Ele é a fonte de toda a corrupção e a fonte de todas as correções, Ele dá a obra e a aceita, e o objetivo é uma adesão com Ele.

Nós precisamos de um pacto e garantia mútua para realizar o trabalho do Criador em nós. Sem este pedido, a força superior que organiza tudo e nos reúne em um Kli não virá. 1

Não há estado pior do que não pensar no Criador, desconectar-se Dele. Afinal, é como se o Criador não existisse, nós O apagamos do mundo. Nós O agradamos pelo fato de nos apegarmos a Ele, como criancinhas que precisam da ajuda de seu pai. Mais importante ainda, o pedido deve ser direcionado para a correção. Não há prazer maior para o Criador do que nossa percepção de que Ele é a fonte de toda a criação e a única força agindo nela, além da qual não há mais nada.

O ser criado é aquele capaz de revelar isso e, assim, trazer contentamento ao Criador. Isso acontece quando descobrimos que não podemos fazer o trabalho sozinhos e precisamos da ajuda do Criador. Nós trazemos contentamento a Ele exatamente pelo fato de que O chamamos para o trabalho. Na espiritualidade, não é como na corporeidade, porque o trabalho em si é a recompensa. 2

Antes de mais nada, é necessário alcançar a garantia mútua (Arvut) entre nós, e através dela poderemos observar todos os “mandamentos”, isto é, conectar os desejos quebrados. Faremos isso com a ajuda da Luz que reforma, que é chamada “a Torá”, revelaremos o Criador dentro de nossa conexão e vamos nos aderir a Ele, que é o propósito da criação. Portanto, tudo começa com a garantia mútua: sem ela, não podemos observar os mandamentos (isto é, unir as partes da alma) e a Torá (isto é, extrair a Luz da correção), nem revelar o Criador, uma vez que Ele é revelado apenas em nossa conexão. 3

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 23/04/18, Lição sobre o tema “Assinatura do Arvut na Dezena” (Preparação para a Convenção “Todos como Um” em Nova Jersey 2018)
1 minuto 0:20
2 minuto 23:25
3 minuto 62:18

Um Sonho Ou Não

laitman_220Pergunta do Facebook: Então, nós não existimos e tudo é apenas um sonho? Isso inclui campos de concentração também?

Resposta: De fato, quando vemos a verdadeira imagem do mundo eterno permeado de perfeição e amor, entendemos que, como está escrito nos Salmos, “Estávamos como num sonho”. Em outras palavras, isoladamente, em desconexão da realidade.

Tudo o que percebemos antes desse estado – nossa vida inteira hoje, tudo pelo que passamos e tudo pelo que ainda vamos passar – é atraído por nossas propriedades corrompidas. E se não as corrigirmos, muitos problemas difíceis, sejam guerras ou outros desastres, estarão à nossa frente.

Mas, por outro lado, podemos corrigir o que está dentro de nós e passar pelos próximos estágios de maneira positiva.

Em geral, nós “preparamos” nosso futuro para nós mesmos – por meio de nossas propriedades não corrigidas ou já corrigidas. Elas devem se manifestar contra o pano de fundo da luz branca – amor e doação absolutos. Se não nos aproximamos voluntariamente, somos levados por um caminho circular de sofrimento.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman”, 13/02/18

Os Canalhas Internos

laitman_290Pergunta do Facebook: De onde você tirou a noção de que uma pessoa vê nos outros apenas suas próprias falhas? Nos assassinos também?

Resposta: Sim. Em tudo nós vemos a nós mesmos, nosso reflexo. Por quê? Porque percebemos tudo no espelho do nosso egoísmo. É assim que nossa percepção está estruturada: não podemos ver o que não está em nós. A imagem do mundo é desenhada internamente.

De fato, diante de mim há a Luz branca – a propriedade perfeita de doação e amor. E neste contexto, eu “desenho” minhas próprias propriedades. Portanto, tudo o que é projetado na tela da minha consciência, tudo vem de dentro. O mal externo que vejo é minha natureza não corrigida.

No final, tendo corrigido todas as falhas em mim mesmo, revelarei a mesma Luz branca, o amor original. Deste modo, o Criador nos conduz a Si mesmo – através de uma realização gradual da natureza ilusória do mundo externo como nos parece hoje. Esta é a psicologia Cabalística.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman”, 13/02/18

Compreender A Verdade

laitman_251Devemos entender que, por enquanto, ainda estamos agindo a partir do desejo de receber. Pode ser desagradável, mas esta é a verdade; entendendo isso, eu avanço, atraindo a Luz que reforma. A Luz é atraída sendo eu oposto a ela. Reconhecer que estou dentro do meu ego me ajuda a estabelecer uma conexão com a Luz superior; portanto, está escrito que “a Torá foi dada aos pecadores”.

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá 25/03/18, Escritos do Rabash, vol. 2, Artigo 38: O Que Significa, “O Copo de Bênção Deve Estar Cheio”, no Trabalho?