Textos na Categoria 'Israel'

Epílogo Ao Dia Em Memória Do Holocausto, Parte 6

laitman_220Baal-HaSulam, “A Última Geração”: O mundo erroneamente considera o nazismo apenas um produto da Alemanha, enquanto que ele é uma consequência da democracia e do socialismo que ficaram sem religião, moralidade e justiça mundial.

Se isso é verdade, então todas as nações são iguais nisso, e não há esperança de que com a vitória dos aliados os nazistas se extingam porque amanhã os anglo-saxões, por exemplo, irão assumir o nazismo porque eles vivem no mundo de democratas e nazistas.

A evolução deve levar o desejo egoísta por vários estados e formas e trazê-lo ao estado em que o nazismo naturalmente emergirá em cada nação desenvolvida. Afinal de contas, cada nação desenvolvida começa a sentir que deve agora avançar à espiritualidade.

Suponhamos que uma nação não saiba o que é o mundo espiritual porque não há nenhuma centelha nela que possa explicar o que é a espiritualidade. Mas ela sente como se estivesse sendo sufocada por seu desenvolvimento material e não houvesse saída da crise.

Então essa nação sentirá inconscientemente que está conectada a Israel, aos judeus, e depende deles. Mas esse sentimento se transformará em ódio, porque as nações do mundo não recebem explicações, não são nutridas corretamente e não há direção ou orientação sobre como avançar e superar a crise.

Qualquer nação e país desenvolvido inevitavelmente começa a sentir ódio e ressentimento em relação a Israel, já que hoje em dia todo mundo começará a sentir o desejo de ascender a um novo nível de humanidade. Os judeus não ajudarão se fornecerem todos os tipos de assistência material ao mundo.

Isso não diminuirá o antissemitismo de qualquer maneira, porque a necessidade que se desdobra das profundezas da natureza é totalmente inequívoca: uma pessoa deve subir ao estágio da realização da força superior. Toda a humanidade chegou ao estágio em que deve ascender, e já inclusive tarde fazer isso. Portanto, o Baal HaSulam diz que não temos escolha: precisamos realizar nossa correção o mais rápido possível e mostrar esse método a todas as nações.

Mesmo a ameaça de guerra nuclear e autodestruição não ajuda o mundo a recobrar seus sentidos. Se a pessoa não tem um método claro e compreensível de correção, nenhum exemplo a seguir, ela se assustará com bombas atômicas. Toda a humanidade precisa de um caminho definido, uma direção clara para onde ir, por que meios, e para qual objetivo.

Tudo isso é responsabilidade do povo de Israel para com as nações do mundo; isto é o que se chama “ser luz para as nações”. Caso contrário, o ódio aumentará e a conta conosco será fechada de uma maneira muito radical, cruel e simples.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 24/04/17, Lição sobre o Tópico: “Dia Em Memória Do Holocausto”

Dia De Jerusalém

laitman_961Cinquenta anos se passaram desde a libertação de Jerusalém. Por que a cidade ainda está “algemada”?

Mesmo 50 anos após a libertação de Jerusalém, ela ainda é, como sempre foi, o centro do mundo. Há tensão entre Israel e Turquia desde o apelo de Erdogan aos muçulmanos para visitar a Mesquita Al-Aqsa em massa, a fim de apoiar a luta dos palestinos e não permitir que Jerusalém se torne a capital do Estado judeu.

A sugestão do presidente americano Donald Trump de transferir a embaixada americana de Tel Aviv para Jerusalém pode minar ainda mais a já instável sensação de segurança. A cidade que é sagrada para as três religiões e em cujo coração se localiza o Muro das Lamentações era e ainda é um território disputado.

Há aqueles que consideram a vitória conquistada na Guerra dos Seis Dias como a fase final do retorno da nação de Israel, e há aqueles que a veem como o início da tragédia política do Estado de Israel.

Ainda assim, no momento da verdade, nós estávamos todos profundamente comovidos e nossos olhos se encheram de lágrimas quando todos sentiram um grande alívio quando recebemos provas de que podemos nos proteger, o que sempre foi duvidoso até aquela guerra.

É somente quando sentimos uma ameaça externa que nos tornamos um pouco mais próximos uns dos outros; nós esquecemos todas as nossas diferenças e procuramos um abrigo que possa nos unir, como um rebanho de ovelhas escapando de um lobo. Mas não é assim que uma nação é formada. Não é assim que um sonho é ressuscitado das cinzas, não é assim que o povo escolhido deve se comportar.

Nada é resolvido por uma onda de uma varinha mágica. Nossa experiência prática prova que nenhuma decisão política, nenhuma vida sob pressão constante pode ser o remédio para a nação de Israel.

A situação insuportável em que vivemos hoje, sob pressões intermináveis ​​de dentro e fora das fronteiras do nosso Estado, incluindo o crescente antissemitismo, nos coloca diante do fato de que a solução está em outro lugar. Não se trata de ações externas enquanto a sociedade está profundamente dividida, mas antes de tudo da correção das relações entre nós.

Não seremos capazes de estabelecer um sistema saudável de relações mútuas com nenhuma nação ou Estado a menos que curemos primeiro as conexões mútuas entre nós. Esta é a lei da natureza que opera sobre as nações de Israel; ”Ama teu amigo como a ti mesmo” é a primeira lei. Só depois de cumprida, seremos capazes de alcançar a paz com todos os nossos inimigos externos.

Epílogo Ao Dia Em Memória Do Holocausto, Parte 5

laitman_431_05Pergunta: Por que um evento tão trágico, de escala sem precedentes, que causou a morte de seis milhões de pessoas, aconteceu na Alemanha? Como isso pôde acontecer?

Resposta: Isso aconteceu porque nós tínhamos evoluído para um estado em que tivemos que nos reconstruir a partir da quebra para corrigir a nós mesmos e toda a humanidade. Mas não estávamos fazendo isso, e como resultado, explosões individuais de ódio se concentraram em um golpe global tão severo.

Se um pequeno fusível explodir e eu não o substituir, um grande sistema vai queimar. Se eu não o corrijo, toda a rede queima. E eu me pergunto como isso pode ser? Um pequeno fusível quebrou, e de repente, tudo queimou?

Pergunta: Se o Holocausto fosse o resultado legítimo do desenvolvimento de acordo com as leis da natureza, por que ele terminou, mesmo que o povo de Israel não tenha começado a implementar o método de Baal HaSulam?

Resposta: Nós tínhamos que intervir no trabalho das leis da natureza e compensá-lo com o nosso próprio trabalho. Não o fizemos, então o Holocausto explodiu. Este estágio se realizou nesta forma e expirou.

Não cumprimos a correção que precisava ser cumprida nos anos 30 e 40. Baal HaSulam chamou todos os judeus da Polônia para irem a Israel, mas eles não o ouviram. Eles ficaram onde estavam e todos morreram.

A correção que se supunha ser feita não foi realizada voluntariamente de uma boa maneira e, portanto, foi realizada como o Holocausto pelas Gevurot (julgamento) em vez de Hassadim (misericórdia). Esse foi o fim do palco, e agora estamos em outro estágio, que está em processo de desenvolvimento.

Hoje temos novamente a oportunidade falada por Baal HaSulam; podemos construir a sociedade corrigida e dar um exemplo ao mundo na terra de Israel, no Estado de Israel. Afinal, quem é “Israel”? É o povo que deve servir como exemplo para toda a humanidade, porque o povo de Israel consiste em duas partes: os desejos das nações do mundo e a centelha.

De todos os babilônios antigos, isto é, de toda a humanidade, Abraão escolheu apenas aqueles que tinham centelhas de luz no interior, e os reuniu em um grupo. Portanto, em cada judeu há uma parte que se relaciona com as nações do mundo, e uma centelha. Isso significa que o povo de Israel originalmente consistia de representantes de todas as nações do mundo.

Dentro de Israel há todas as 70 nações. Isto é, agora ele representa uma mini-humanidade, que inclui representantes de todas as nações e uma centelha. Se juntarmos todas essas centelhas, podemos avançar rumo ao Criador. Se desistimos dessas centelhas, elas se escondem dentro das 70 nações do mundo, que estão dentro de Israel, e os judeus se tornam tão egoístas quanto todos os outros e ainda piores.

Afinal, as centelhas despertam ainda mais desejos egoístas dentro de nós do que nas nações do mundo. Isso é exatamente o que está acontecendo agora. Mas temos a oportunidade de usar as centelhas e trazer correção para o mundo.

Da 2ª parte da  Lição Diária de Cabalá 24/04/17, Lição sobre o Tópico: “Dia Em Memória Do Holocausto”

Israel E As Nações Do Mundo

laitman_749_01Torá, Deuteronômio, 23:05: Porquanto não saíram com pão e água, a receber-vos no caminho, quando saías do Egito; e porquanto ele [o povo de Moabe] contrataram Balaão, o filho de Beor, de Petor em Aram Naharaim contra ti, para te amaldiçoar.

Os Amonitas e Moabitas não puderam se juntar à saída do Egito, que é subir acima do ego, porque o povo de Israel é formado por aqueles que estão tentando sair do egoísmo. E aqueles que não podem fazê-lo são chamados de “outras nações”.

Portanto, as sete nações vivem na Terra de Israel somente por si mesmas porque se nutrem de suas raízes com os Israelenses, mas não podem ser corrigidas. Elas não podem sequer se apegar à correção de qualquer forma. Estes são os desejos de uma pessoa que não lhe permitem fazer um esforço para se corrigir de forma alguma, e eles têm que ser mortos.

Se as sete nações não podem seguir o caminho da correção, o que resta para elas? O que resta é a destruição de Israel, sua intenção, seu movimento, e o objetivo da correção de toda a humanidade, e daí vão se sentir bem.

Basicamente, todas as nações do mundo aspiram a isso, porque, de uma maneira ou de outra, pertencem às propriedades que precisam ser corrigidas com a ajuda de um pequeno grupo de pessoas chamado de “o povo de Israel”, que uma vez saiu da Babilônia.

O resto da Babilônia não poderia ir atrás deles, eles não sentem necessidade disso. É por isso que eles só podem ser corrigidos com a ajuda deste pequeno grupo que pode subir acima de si mesmos. Enquanto o povo de Israel passa por um longo caminho de elevação, o resto da Babilônia vive a sua própria vida e se desenvolve.

Mas ainda assim, há uma contradição entre o povo de Israel e o resto do mundo porque as contradições ideológicas no nível do nosso mundo são enormes. Aqueles que sobem têm seu próprio método de conceber o mundo, um sentimento de controle interno do mundo, e conexão com o poder que governa o universo.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 19/10/16

Epílogo Ao Dia Em Memória Do Holocausto, Parte 4

laitman_527_09Baal HaSulam, A Nação: O Holocausto foi o resultado do veneno de ódio que afligiu as nações do mundo, o que levou à morte terrível de milhões de nossos irmãos. Não podemos nos iludir acreditando que estamos falando aqui de algum evento passageiro e transitório.

As nações mais progressistas nos barravam nas portas sem sentir a menor compaixão ou piedade. Sem esperar milagres, torna-se evidente que nossa existência, individualmente e como nação, equilibra-se nas escalas da vida e da morte.

E a ajuda só virá se encontrarmos o instrumento necessário que será capaz de inclinar a balança em nosso favor… Se perdermos a chance e não formos todos como um, os eventos que estamos enfrentando assumirão proporções perigosas, porque eles se desdobrarão de acordo com a vontade de nossos inimigos que planejam nos eliminar da face da terra.

Obviamente esse não era um fenômeno temporário, mas existe dentro de nossa natureza compartilhada. A humanidade deve alcançar a união com o Criador, e a parte que é chamada a demonstrar este método de correção chama-se Israel (Yashar-El, direto ao Criador).

Este grupo de pessoas recebeu o método de correção e atualizou-o entre si durante o tempo do Primeiro Templo. Depois de 2.000 anos de exílio, Israel se espalhou por toda a humanidade e agora deve novamente estabelecer seu estado corrigido e atrair todas as nações do mundo para si.

Não nos enganemos acreditando que o Holocausto foi um erro momentâneo que não pode ser repetido. Ele pode se repetir em uma forma muito pior, não como foi no passado quando estava contido em um determinado país europeu, mesmo que tivesse o apoio de todas as outras nações desenvolvidas, mas com o total apoio de toda a humanidade, sem exceção. Isso pode ser visto inclusive agora, quando há um voto na ONU contra Israel, e 200 nações apoiam unanimemente a resolução.

E mesmo que não seja sem razão que a nação de Israel é chamada de “dura cerviz” que se recusa a entender o que está acontecendo com ela, nós temos evidências hoje de tais atos de antissemitismo que fazem o tempo antes do Holocausto parecer muito mais calmo. E, como de costume, estamos tentando fechar os olhos e não perceber o que está acontecendo até o último momento ou mesmo depois dele.

Se perdemos essa chance, será impossível nos salvarmos do mal, exatamente como aconteceu durante o Holocausto quando não havia para onde fugir. E hoje, depois de toda essa tragédia, ainda estamos repetindo o mesmo erro como se nada tivesse acontecido.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 24/04/17, Lição sobre o Tópico: “Dia Em Memória do Holocausto”

Epílogo Ao Dia Em Memória Do Holocausto, Parte 3

laitman_255Baal HaSulam, artigo “Os Escritos da Última Geração”: É fato que Israel é odiado por todas as nações, seja por razões religiosas, raciais, capitalistas, comunistas ou cosmopolitas, etc. É assim porque o ódio precede todas as razões, mas cada um simplesmente resolve seu ódio de acordo com sua própria psicologia.

Este ódio é natural porque o corpo não está recebendo o que precisa da cabeça. Instintivamente, inconscientemente, ele sente sua dependência da cabeça. Isto é assim porque todos nós existimos dentro da natureza, dentro de um desejo, e sob a influência de forças comuns. E quando a cabeça não fornece ao corpo tudo o que ele exige, o corpo a culpa por todos os seus infortúnios.

Nada pode ser feito sobre isso, apenas a correção é necessária. Se o desejo nasce dentro do corpo, então a cabeça é obrigada a cuidar dele. E não estamos aqui falando da simples realização dos desejos materiais do corpo; isso não vai ajudar. As nações do mundo nunca serão preenchidas desta maneira, e nós vimos isto durante todo o período de nossa história.

A humanidade cria cada vez mais satisfação para si mesma, mas nosso desejo só cresce: aquele que recebeu US$ 100, quer US$ 200, e quando recebe US$ 200, quer US$ 400. É o desejo de receber que deve ser corrigido, não a realização verdadeira.

Quando o desejo for corrigido, ele começará a ser preenchido pela doação. Essa é a única maneira possível dele ser preenchido. Em outras palavras, é dever da cabeça fornecer ao corpo a correção. O corpo carece da força para alcançar a doação porque há somente desejos nele.

Quando o corpo receber da cabeça a força para a doação, ele será capaz de se realizar por meio da doação.

Quando o corpo for preenchido, sua relação negativa com a cabeça cessará; em outras palavras, a atitude das nações do mundo em relação a Israel. Mas isto é somente sob a condição de que Israel cuide das nações do mundo e lhes demonstre a metodologia apropriada para a correção, da qual elas podem participar.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 24/04/17, Lição sobre o Tópico: “Dia Em Memória do Holocausto”

Epílogo Ao Dia Em Memória Do Holocausto, Parte 2

laitman_293Pergunta: À medida que a humanidade se desenvolve, por que o ódio e o antissemitismo crescem cada vez mais?

Resposta: À medida que nos desenvolvemos, a quebra no sistema da alma comum é cada vez mais revelada, aparecem as partes quebradas e elas devem ser corrigidas na ordem da mais fácil para a mais complexa.

A ordem de correção é tal que, devido às correções mais simples, nós podemos avançar para as complexas. Isso é visto ao longo da história do desenvolvimento humano.

Pergunta: E para conseguir a correção, por que era necessário dividir em duas partes: Israel e as nações do mundo?

Resposta: É nesta ordem que os desejos são determinados. Essa é a lei da natureza; os Cabalistas apenas nos explicam isso, como qualquer fenômeno natural. No início da criação, havia apenas um desejo comum cheio de luz.

Mas em certo estágio de desenvolvimento, ocorreu a quebra: primeiro no sistema externo, e depois no primeiro homem, Adão, e isso é chamado de sua queda, quando ele era incapaz de receber a Luz em prol da doação.

Um desejo, criado pelo Criador, quebrou e se dividiu em muitas partes. Mas restaram centelhas de Luz, os fragmentos da tela anti-egoísta que existiam antes. Estas centelhas de Luz Refletida existem em cada desejo individual.

O desejo comum de desfrutar foi dividido em níveis, chamados Sefirot, de acordo com como cada camada se manifestava em relação à Luz, com diferentes forças de adesão e equivalência. E quando a tela quebrou, em outras palavras, quando a força de resistência ao egoísmo quebrou, a Luz superior desapareceu do desejo na medida em que eles deixaram de ser semelhantes em propriedades. Mas em cada desejo, uma centelha permaneceu, uma pequena luz de fundo.

Em deficiências mais sutis, as centelhas se manifestam e começam a ser sentidas em primeiro lugar, e assim houve pessoas que sentiram essas centelhas na antiga Babilônia com a primeira crise da humanidade. Destas, o grupo que Abraão chamou de Israel (Yashar-El, direto ao Criador) foi reunido.

E todos os outros babilônios ainda não sentiam essas centelhas e, portanto, não buscaram correção. Eles não entenderam o método de Abraão, que era o método de tal unificação que o amor cobre todos os crimes. É impossível compreender como é possível combinar crime e amor, dois opostos, quando não há duas forças opostas no homem: o desejo de desfrutar e a centelha da Luz.

Portanto, os babilônios não puderam perceber a técnica de Abraão e permaneceram com suas próprias técnicas. De tudo isso, a Babilônia, a parte que pertence às nações do mundo, foi formada. E aqueles que sentiram uma centelha neles compreenderam o método de Abraão e a meta para a qual ele liderou a humanidade. Ela estava perto deles, então eles o seguiram.

Desde então, o mundo foi dividido em duas partes, e a parte inferior (que se refere ao corpo, as nações do mundo), depende da parte superior (a cabeça, Israel). E essa relação permanece até o final da criação, depois da qual todos se fundem em um todo. Mas, por enquanto, no período de correção, há uma grande diferença entre essas duas partes: uma delas definindo, e a segunda, recebe o que já está pronto.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 24/04/17, Lição sobre Tópico: “Dia em Memória do Holocausto”

Os Judeus São Cosmopolitas Sem Raízes

Two MethodsPergunta: Por que na Rússia eles chamam os judeus de “cosmopolitas sem raízes”?

Resposta: Porque, em princípio, é exatamente assim! Os judeus têm um sentido inconsciente de “desconfiança” neste mundo; não há lugar neste mundo que eles sintam como seu lugar porque seu “lugar” está no mundo espiritual, ou seja, no sentimento de espiritualidade, o sentimento do Criador.

Enquanto não conseguem isso, eles se sentem inseguros na terra, a base habitual para todos os outros povos, a Terra, e ficam suspensos no ar; eles não se sentem conectados à terra. Eles não têm terra. A existência de seu país será aceita somente se os judeus se tornarem um povo. Para isso, eles devem alcançar a unidade, a consciência da interdependência, responsabilidade mútua e amor.

Dia Em Memória Dos Soldados Caídos Nas Guerras De Israel E Das Vítimas Do Terror

Laitman_417Chegamos à terra de Israel depois de 2.000 anos, depois do Holocausto, depois do extermínio e dos pogroms. Voltamos à nossa terra histórica para estabelecer nossa nação, nossa pátria, nosso povo aqui, e devemos fazer todo o possível para que o que passamos nunca seja repetido.

Guerras vêm e vão, não há fim para elas. Assim que uma guerra termina, a preparação para a próxima guerra começa.

Precisamos entender como podemos alcançar a verdadeira paz, uma paz onde todas as nações não sentirão ódio e rejeição em relação a nós e começarão a aceitar a nação que foi estabelecida por nossas mãos, como nação, deixarão de pensar que não temos direito de existir como povo, como qualquer pessoa, como judeus e como nação.

Por que todos pensam que devemos desaparecer da face da Terra? Devemos entender a razão para isso, por aqueles que deram suas vidas pela existência do povo e do estabelecimento da nação. Então entenderemos que não estamos realizando nosso papel especial na Terra, que somos um povo especial.

Devemos ser o povo de Israel. E o povo de Israel é um povo que foi criado com base na responsabilidade mútua, na conexão mútua, na amizade, no amor e na unidade, “como um homem com um só coração”.

Se formos um povo assim, conseguiremos estabelecer uma nação diferente, não como as nações ocidentais. Ela será baseada em fundamentos espirituais. Então, como povo e como nação, podemos também dar um exemplo a todos os outros povos e nações que estão buscando sinceramente caminhos para um futuro melhor, mas não podem encontrá-lo sem nós.

Devemos ser uma “luz para as nações” (Isaías 48: 6), um exemplo para elas. Espero muito que possamos compreender e implementar isso. Então a aversão e o ódio contra nós, a acusação de que existimos apenas para causar danos a todas as nações do mundo, naturalmente desaparecerá.

Pensemos nisso e realizemos nossa missão juntos em prol daqueles que deram suas vidas para que pudéssemos existir hoje.

De KabTV “Conversações com Michael Laitman” 19/04/17

Islã, Espanha E O Mundo Inteiro

laitman_437Nas Notícias (Breitbart): “Centenas de cartazes exibidos em uma parte dominada pelos imigrantes de Barcelona estão exortando os homens muçulmanos a se casarem com mulheres espanholas em uma tentativa de espalhar o Islã e convidar os membros da comunidade para uma ‘reunião de informação’.

“Os cartazes, que são depreciativos sobre os cristãos, mas apelam aos ‘Irmãos’ para se casarem com mulheres da religião para ‘fortalecer’ o Islã, foram espalhados pelo bairro de El Raval. Os dados oficiais recolhidos em 2014 revelaram que 56,7 por cento dos residentes em El Raval nasceram no exterior.

“‘É permitido e encorajado que o homem muçulmano se case com mulheres honestas e castas que pertencem ao Povo do Livro. Mesmo que tenham distorcido e alterado a tradição, elas ainda são adequadas para o casamento.

“‘Irmão, entre em uma relação com uma espanhola, ensine-a que o Islã é a verdadeira religião. …

“A mídia local informa que El Raval é o alvo-chave para os grupos supremacistas muçulmanos que dizem que os seguidores do Islã têm um ‘direito de retorno’ à Espanha”.

Meu Comentário: A Espanha foi conquistada pelos muçulmanos e permaneceu sob seu governo por um longo tempo.

De acordo com o Islã, as terras que outrora foram muçulmanas por algum tempo, em primeiro lugar, são obrigadas a retornar ao Islã, sem mencionar o mundo inteiro.

Pergunta: O que vai acontecer com a Espanha?

Resposta: A mesma coisa que acontecerá com o mundo inteiro: o Islã cobrirá o mundo inteiro. Naturalmente, haverá grandes problemas com o cristianismo, especialmente com a ortodoxia. Mas eles vão resolver isso. Isto é o que a Torá diz.

Pergunta: E nós? Seremos capazes de lidar com isso?

Resposta: Quando vierem contra nós, eles ficarão doentes. Mas primeiro vão conquistar a Europa.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 27/03/17