Textos na Categoria 'Israel'

Dispersão Dos Judeus Entre Outras Nações

Laitman_419Pergunta: Qual é o significado espiritual da dispersão dos judeus entre outras nações após a destruição do Segundo Templo pelos romanos?

Resposta: O significado espiritual da dispersão dos judeus é para eles se dissolverem nas outras nações, conforme está escrito no Livro do Zohar. Isso se refere à penetração espiritual e mental, e não à física – refere-se à cultura e a abordagem da pessoa a tudo.

Os judeus não são uma nação, mas partes de todas as nações vivendo na Antiga Babilônia. Aqueles que Abraão reuniu compreendiam apenas 5% do povo da Babilônia. Os outros 95% dos residentes da antiga Babilônia se dispersaram em todo o mundo.

Agora, depois que os judeus passaram por um grande sofrimento na escravidão egípcia e babilônica, a destruição do Primeiro e Segundo Templos e 2.000 anos de exílio, sua mistura com as nações do mundo está completa. No processo, suas Reshimot (dados de informação espiritual) se dissolveram completamente nas outras nações. É por isso que a sabedoria da Cabalá já está sendo revelada como o método de correção de toda a humanidade.

Ela está aberta a qualquer pessoa que faça a pergunta sobre o sentido da vida. E não há diferença entre os povos de diferentes nacionalidades.

Da Lição de Cabalá em Russo em 16/07/17

Sacudir Os Judeus

Laitman_510.01Pergunta do Facebook: Por que você coloca os judeus constantemente acima das outras nações?

Resposta: Não me refiro aos judeus por nacionalidade. Um judeu é alguém que passa do nosso mundo para o mundo superior. A palavra “judeu – Yehudi” em hebraico vem de “Yihud – unidade”. É uma pessoa que aspira à unidade. Israel (Yashar El) é alguém que é dirigido ao Criador.

Nós não falamos de etnia. Os judeus não têm nacionalidade. Eles são pessoas especiais e únicas e não se originam geneticamente de seus pais como outras nações.

Os judeus são representantes de várias nacionalidades antigas que habitaram a antiga Babilônia, a Mesopotâmia há 3.500 anos. Abraão os reuniu em um grupo e começou a ensinar-lhes Cabalá. Foi assim que o povo que ele chamou de “Israel”, que significa “direto ao Criador”, apareceu. Eram pessoas que queriam alcançar o Criador.

Pergunta: Então, você só tem uma demanda para esse grupo, que não quer voltar ao seu estado original, chamado “o grupo que seguiu Abraão”?

Resposta: Claro. Eu não enalteço esse grupo, mas pelo contrário, eu gostaria de sacudi-los para que eles recobrassem seus sentidos e entendessem que enfrentam uma tarefa enorme. Eu também não quero que eles sejam autossatisfeitos e pensem que já cumpriram os mandamentos e o programa da criação que lhes foi atribuído.

Eles devem dar o exemplo da verdadeira unidade para toda a humanidade e tornar-se uma “Luz para os outros”. Então as pessoas do mundo deixarão de tratá-los com desdém e ódio. Elas entenderão que esse grupo de pessoas, chamado de povo judeu, aproximará o mundo inteiro de suas melhores condições, desempenhando sua função.

Observação: De fato, a frase “povo escolhido de Deus” irrita a todos.

Meu Comentário: Mas a escolha de Deus é que devemos cumprir uma determinada tarefa! E nada mais.

E se hoje um francês, espanhol, alemão, russo, tártaro, inglês, etc., quer se tornar um judeu, então, ele pode se tornar um. Para fazer isso, ele deve apenas reconhecer que está se esforçando rumo ao Criador. Isso é tudo. Então, tente pensar: você precisa disso?

Aspirar ao Criador significa que alguém quer ser como Ele, isto é, obter uma qualidade cada vez maior de doação e amor ao próximo.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 02/10/17

Enquanto Não For Tarde Demais

laitman_293Nós estamos diante de uma tarefa de dupla complexidade. Primeiro, devemos convencer o povo de Israel de que precisamos alcançar a unidade, embora ele se oponha à correção e à unificação.

Além disso, também é necessário que as pessoas entendam que a unificação só é possível através do estudo da sabedoria da Cabalá e da Luz que Reforma que é atraída por este estudo. Isto é, o problema é convencê-las a aceitar o objetivo e os meios.

O objetivo é que “Todos os israelitas sejam amigos”, ou seja, a unificação completa das pessoas dentro da qual o Criador será revelado. Não basta alcançar o amor entre nós, mas também através da sabedoria da Cabalá, e isso é ainda mais repulsivo. No entanto, precisamos entender que nossa unidade é uma necessidade absoluta se quisermos evitar o extermínio.

Observação: Quando a situação se tornar ameaçadora, o povo de Israel se elevará como um só homem e se unirá.

Meu Comentário: Então será tarde demais! Por que os judeus não escaparam dessa maneira na época de Hitler? Hoje, o fogo pode acender instantaneamente, como se fossem galhos secos. Naquela época, os planos de Hitler foram implementados ao longo de vários anos. As leis contra os judeus começaram a surgir cerca de dez anos antes dos campos de concentração aparecerem.

A situação estava piorando gradualmente, mas ninguém se levantava para protestar. O mundo se fez de surdo e insensível para o que estava acontecendo com os judeus. Essa surdez vem da natureza, do lado do Criador, a fim de obrigar os judeus a cumprir sua missão. O Criador não considera os corpos animados e os desejos egoístas; a coisa mais importante para Ele é o desejo de doar chamado alma.

No entanto, nós podemos evitar golpes através da consciência e compreensão para não recebê-los fisicamente. Está escrito que “Tudo será esclarecido no pensamento”. Se estivermos conscientes da nossa missão, isso basta e não precisaremos mais de sofrimento. Uma criança inteligente entende tudo com o olhar de um pai e não há necessidade de gritar com ela e, ainda mais, batê-la.

Portanto, vale a pena mesmo agora pensar de onde vêm os golpes e sua causa. Quem controla esse mundo e nos envia esses sofrimentos? Se as pessoas quiserem resolver essa questão e ouvir a opinião dos Cabalistas que escreveram sobre isso em todos os momentos, elas têm a oportunidade de revelar a verdade.

Todos nós testemunhamos o conflito que entrou em erupção em torno dos detectores de metal instalados pelos serviços de segurança israelenses no Monte do Templo, que por fim teve que ser removido. No entanto, eles não eram nada importantes para os árabes, para eles essa era apenas uma razão para protestar.

Veja como eles se uniram em torno desse motivo insignificante e inflaram uma grande chama disso. No entanto, não temos nada a dizer, afinal, passamos para eles o domínio do controle de todo o universo. Damos aos árabes o direito de controlar o mundo devido à nossa desunião.

Se continuarmos dessa maneira, isso piorará. A ONU, a UNESCO e várias comissões começarão a emitir decretos anti-israelenses um após o outro. Primeiro, elas nos dirão para deixar o Monte do Templo, depois Jerusalém, e depois a terra de Israel. Não teremos para onde ir, ninguém nos aceitará, assim como já ocorreu na Alemanha. Afinal, nós não aprendemos com os erros do passado.

O universo inteiro é um sistema espiritual e o povo de Israel só pode afetar sua cabeça. Não é sem razão que Israel é chamado de “Minha cabeça” (Li-Rosh). Se começarmos a perceber corretamente os assuntos atuais e os influenciarmos sempre que pudermos, poderemos mudar a realidade.

Essa é a única maneira de corrigir a situação. Nós confiamos em nossos mísseis, armas e exército forte, mas isso não ajudará. Pode acontecer que, com todo o nosso poder militar, arsenal de foguetes e bombas atômicas, não tenhamos permissão de dar um único tiro da menor pistola. Portanto, devemos explicar às pessoas que não temos outra maneira de nos salvar dessa situação perigosa, exceto pela unidade.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 28/07/17, Lição sobre o tema: “Sobre o Mérito do Estudo da Cabalá, Israel Sairá do Exílio”

Duas Tragédias Americanas E O Paralelo Entre Elas

Dr. Michael LaitmanO ataque terrorista em Manhattan ocorreu não muito longe de onde as torres gêmeas costumavam ficar. Alguns anos após a sua destruição, teorias conspiratórias sobre o envolvimento dos judeus no incidente começaram a se espalhar pelo mundo.

Em todos os males o mundo tenta encontrar o “traço judeu”. Eu não ficaria surpreso se fôssemos responsabilizados por isso também, e talvez até mesmo mais rápido do que no passado. Por quê?

Está escrito no tratado “Yevamot” 63, “nenhuma calamidade vem ao mundo, senão para Israel”. Do ponto de vista do senso comum, soa religioso, místico, e até mesmo absurdo. Mas o fato é que é assim que o mundo “tradicionalmente” percebe o papel do povo judeu. Não importa as nossas contribuições para o mundo, não se vê nada de bom em nós, só prejuízo.

Essa atitude vem através dos meios de comunicação social, política, documentos oficiais, decisões de organizações internacionais, mesmo em buscas no Google. Continuam nos culpando por coisas que não têm a menor relação conosco. E isso se torna ainda mais urgente depois de acontecimentos trágicos.

A verdadeira causa por trás de tudo isso somos realmente nós. Mas não no sentido que parece para o mundo confuso. É justo que o povo judeu seja o portador da metodologia para a unidade, o potencial de coexistência pacífica e entendimento mútuo que todos precisam hoje.

Mas nós ignoramos esse tesouro; fingimos que nem existe. Então as calamidades vêm para nos lembrar, e lembra ao mundo, que a nação de Israel é que tem a capacidade de dar um exemplo de conexões sociais saudáveis, um exemplo de subir acima do ódio até a unidade.

Claro que os judeus não planejaram os ataques terroristas. Mas também não os prevenimos, embora pudéssemos. Essa é a nossa responsabilidade. É por isso que somos odiados agora e seremos amados quando as pessoas perceberem um bom progresso da nossa parte.

O Mundo Numa Encruzilhada, Parte 8

Laitman_049.02Assim que um país se move do liberalismo para o nazismo (que ocorre naturalmente) e começa a se unir dentro dele com base no egoísmo, ele imediatamente se volta contra os judeus.

Isso ocorre porque os judeus, pela sua natureza interior, pertencem ao caminho da correção que transcende o egoísmo. Uma vez que o nazismo une as pessoas em uma base natural e egoísta, imediatamente sente que algo nos judeus não é aceitável para um ser humano.

Mesmo que um judeu se una a eles e se torne um nacional-socialista, ele não será aceito, porque dentro dele há uma semente, uma base interna que é oposta à unidade egoísta. Os nazistas o sentem de imediato e instantaneamente tornam-se antissemitas.

Não há antissemitismo sob uma democracia porque ela não age para a unidade pública, mas, pelo contrário, promove a separação. O sistema democrático e liberal permite que todos façam o que quiserem. Isso é a “Democracia”!

No entanto, quando a democracia acaba e a unidade começa, o antissemitismo surge imediatamente. Portanto, o pluralismo nos EUA terminou, e haverá um regime nazista rígido, muito pior do que era na Alemanha, ou uma correção.

Pergunta: Por que os judeus não sentem que devem trazer o método de correção ao mundo e os nazistas estão se desenvolvendo rapidamente?

Resposta: Porque os nazistas estão se desenvolvendo inerentemente, pela natureza, de acordo com o programa geral da criação. A natureza não promove o caminho da correção; nós mesmos devemos pavimentá-lo.

A natureza se desenvolve naturalmente, pela via do sofrimento: o egoísmo cresce o tempo todo e assume diferentes formas ao longo do caminho. Portanto, houve escravidão, depois feudalismo, capitalismo, democracia, socialismo e nazismo. Essa é a maneira usual de desenvolvimento do egoísmo.

A Cabalá é o método de união da sociedade humana em certo estágio quando ela atinge o fim do seu desenvolvimento egoísta. A sociedade já deve se conectar, mas o egoísmo não permite. Assim, a sabedoria da Cabalá, que fornece o método para se unir acima do egoísmo, é revelada. Portanto, houve um período em que essa sabedoria estava escondia, e agora é permitido estudá-la.

O método da Cabalá é implementado em um círculo. Quando nos conectamos em um círculo onde todos são iguais, nós, como se construíssemos um dispositivo especial de nossos desejos que captura a força oculta da natureza comum. Afinal, a natureza é global e é um sistema. Portanto, ao criar um círculo, nós, como uma bobina magnética, atraímos a força especial da natureza que nos une.

Se começarmos a trabalhar corretamente nos círculos, começaremos a gerar a força de unidade positiva e amável dentro deles e desejaremos corrigir nossa sociedade de acordo.

O método do círculo ensina que o centro do grupo é mais importante do que cada um de nós individualmente. Portanto, nós nos anulamos para entrar no centro do círculo e nos dissolver nos outros. Se uma pessoa recebe tal educação e sentimento, ela quer construir sua sociedade de acordo com esses princípios para si e para seus filhos. Nós corrigimos o caroço dentro da fruta e, portanto, a própria fruta também muda desde fora.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 21/08/17, Lição sobre o tema: “Europa numa Encruzilhada”

Deus Não Existe

laitman_546.02Pergunta no Facebook: Se Deus existe, por que Ele permitiu que seis milhões de pessoas da sua nação escolhida perecessem na Segunda Guerra Mundial? Por que ele permite que outros ataquem também o seu povo escolhido? Eu sei que você não responderá a essa pergunta, mas estou perguntando de qualquer maneira.

Resposta: Vou lhe dar uma resposta. Mas talvez você não veja isso como uma resposta.

Tudo o que acontece no mundo, incluindo o extermínio dos judeus na Segunda Guerra Mundial, foi e é realizado por Deus, que na verdade não existe.

Existem duas forças no mundo: a negativa e a positiva. Inicialmente, elas estão mutuamente equilibradas. Nós estamos entre elas para apoiar constantemente seu desenvolvimento contínuo. Essas duas forças se desenvolvem de tal forma que a força negativa cresce constantemente – esse é o crescimento do egoísmo dentro do homem e da humanidade. Por outro lado, a força positiva deve ser trazida ao mundo por meio de interações positivas entre nós.

Essas interações positivas entre nós só podem ser geradas no meio do povo judeu e depois se espalham dele para todas as outras nações do mundo. Isso é chamado de “ser uma Luz para as nações”.

Pergunta: Portanto, apenas o povo judeu é capaz de gerar essa força positiva?

Resposta: Exato! E se não fizermos isso, todas as nações do mundo se unem contra nós porque nos veem como a fonte do mal. Nós não lhes entregamos a bondade que deve vir de nós a elas e isso equivale a causar danos.

É por isso que elas pensam que os judeus são a fonte do maior dano no mundo e que as coisas melhorariam nos exterminando. Existem muitas teorias sobre esse tema, que vêm de uma pessoa que experimenta o sofrimento causado pelo povo judeu.

Portanto, não há lugar para nos escondermos. Nós constantemente temos que equilibrar as forças positivas e negativas e com isso nós – e através de nós todas as nações do mundo – alcançaremos a correção completa, o que significa a conexão adequada entre forças positivas e negativas. Então, as pessoas vão nos adorar, respeitar e apreciar. Essa é a nossa missão.

Até que possamos fazer isso, seremos realmente o povo mais terrível da Terra. Todos desejarão nos exterminar, instintivamente pensando que é possível nos destruir, e que isso trará bondade ao mundo. Mas não vai.

Isto é, todas as punições e tentativas de exterminar o povo judeu visam apenas nos forçar, o povo teimoso ou obstinado, a cumprir nossa missão e conduzir o mundo inteiro a um futuro maravilhoso.

Pergunta: Supondo que o povo judeu queira se unir e que comece esse processo, outros povos serão bem-vindos?

Resposta: Claro. Serão os povos mais bem-vindos e respeitados de todos. Todos venerarão os judeus.

Pergunta: Então, Deus existe?

Resposta: A linha do meio, que equilibra as linhas direita e esquerda, é chamada de Deus.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 07/09/17

Jerusalém, Construída A Partir De Nossos Corações

laitman_947Jerusalém é um indicador do estado espiritual do povo. É por isso que não há lugar com maior desunião e ódio entre todas as correntes de povos do que em Jerusalém.

Ela é uma cidade muito rígida porque manifesta o verdadeiro estado no coração de todos para a unificação. Jerusalém pode ser o centro da separação para o povo de Israel ou o centro da sua unidade.

Nos tempos do Segundo Templo, o povo praticava a Torá e os mandamentos e se envolvia em atos de caridade. Então, por que o Templo foi destruído? Porque havia ódio infundado (Talmude Babilônico, Tratado “Yoma” ).

Naqueles tempos, os mandamentos eram meticulosamente seguidos, a Torá era estudada, a filantropia se espalhava; havia apenas um problema que as pessoas não se davam bem. É como hoje: há muitas pessoas religiosas que seguem escrupulosamente tudo; no entanto, há desunião entre elas, distância, antagonismo e ódio.

É por isso que tudo colapsa, como está escrito: “O dia em que o Templo não é reconstruído, é como se fosse destruído de novo”. Até nos unirmos acima de nossas diferenças, não poderemos alcançar o estado corrigido.

É por isso que a correção não está condicionada à observância da Torá, aos mandamentos ou ao envolvimento em caridade, mas apenas na conexão dos corações. Nós precisamos, pelo menos, voltar-nos ao amar ao próximo, e então Jerusalém será reconstruída, e tudo nele.

Pergunta: A caridade não significa doação mútua?

Resposta: Caridade é quando uma pessoa está realmente pronta para ajudar outra, dar tudo o que tem – exceto seu coração. Ela não está pronta para se conectar em seu coração. Qual é a intenção dela de dar a caridade? Para a vida de seus filhos, recompensa neste mundo e no mundo futuro.

Sem estudar a ciência da Cabalá, é impossível alcançar o estado de doação, a qualidade de Lishma, porque uma pessoa não atrai a Luz que reforma, a qual é chamada de Torá. Ela não está tentando mudar seu desejo egoísta. Portanto, sua caridade é puramente para seu próprio benefício.

É por isso que o Templo foi destruído, apesar do povo que seguia a Torá e os mandamentos e se envolvia em caridade, porque tudo era por sua própria causa. O povo foi dividido e isso levou à destruição do Templo.

Nós somos incapazes de nos conectar para estar em um desejo, em um só coração, que se chama “estar sob um cobertor”, uma única tela anti-egoísta.

O amor de todos deve ser o propósito de nossa existência. Sem isso, não haverá nação de Israel, nenhum país de Israel, nenhuma terra de Israel. É por isso que ele deve se tornar um programa nacional. Todos os esforços devem ser feitos para educar as pessoas no espírito do amor fraternal e, naturalmente, o judaísmo deve liderar o caminho de ser um exemplo desse amor para toda a nação.

Como é dito no livro Sefer ha-Middot (O Livro dos Traços de Caráter) no capítulo “Importância da Fé”: “Jerusalém não será reconstruída até que a paz reine entre os povos de Israel”. Alcançar a paz dentro do povo de Israel e relações comprometidas e amigáveis ​​é o que significa reconstruir Jerusalém: não de pedras, mas de nossos corações.

Antissemitas Canadenses

420.06Nas Notícias (JTA): “O maior sindicato do setor privado do Canadá adotou uma moção de apoio ao movimento de Boicote, Alienação e Sanções (BDS) contra Israel”.

Pergunta: A questão é: o que os sindicatos canadenses têm a ver com isso?

Resposta: Em primeiro lugar, no Canadá, uma grande parte da população é antissemita. Eles são antigos imigrantes da Ucrânia e França. Uma parte antissemita particularmente forte vem de Quebec, o Canadá Francês. Por muitos anos ele tem sido antissemita, antiamericano, e anticanadense, contra o Canadá de fala Inglesa.

Agora eles estão ativamente abrindo suas portas para os imigrantes árabes. Por isso estão criando um futuro muito desagradável para si: o Canadá gradualmente se transformará em uma região árabe.

O vasto território do Canadá é o lar de apenas 30 milhões pessoas, de modo que os imigrantes de países árabes, do Magrebe, etc., vão se estabelecer lá com muita alegria. Ainda mais, os imigrantes da África serão atraídos para lá.

Portanto, um futuro pouco invejável aguarda o Canadá. Antigamente era um país muito atraente, decente, especialmente para os judeus. Mas está tudo acabado agora.

Isso, é claro, estava destinado a acabar; tudo termina para os judeus, porque eles têm que cumprir a sua missão histórica, e não estão cumprindo. Portanto, eles não terão uma boa vida em nenhum país, incluindo os Estados Unidos, Canadá e outros países. Eles sentirão gradualmente pressões e problemas muito sérios até que parem de odiar a Cabalá e percebam que ela é sua salvação.

Pergunta: Você acha que todas as saídas para os judeus vão praticamente se fechar?

Resposta: Absolutamente todas elas. O ódio por Israel por parte de todos os países do mundo será enorme. Vamos tentar manter Israel para que ele não desmorone e não deixe de existir, embora isso também seja possível.

Se não representarmos Israel como a fonte da correção da humanidade, não haverá nenhum significado para sua existência, e ele cessará. E será naturalmente preenchido com os povos vizinhos. Não é um problema.

Pergunta: Você não acha que os judeus ainda vão entender a sua missão e começar a se mover em direção a ela?

Resposta: Eu ainda não vejo isso. Ainda falta algum tempo; continuamos trabalhando nisso, mas é possível que tudo se transforme de uma forma diferente.

Não vou me cansar de falar sobre isso porque não há outra saída. Sou obrigado a espalhar a ciência da correção entre as massas em todo o mundo através dos judeus. Na medida do possível, vou levar isso até o ponto em que vou ser autorizado a alcançar. Mas, em princípio, a nossa situação está a se deteriorar dia a dia porque o povo judeu ainda está resistindo à realização da sua missão histórica.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 11/09/17

Resistência À Sabedoria Da Cabalá, Parte 2

Laitman_060.01A sabedoria da Cabalá e os Cabalistas tiveram um desenvolvimento especial ao longo da história porque o desejo de desfrutar precisa crescer e, assim, mostrar que o progresso material é inútil.

E toda vez, a sabedoria da Cabalá deve se ajustar para coincidir com aquelas pessoas em quem é revelada, isto é, com o povo de Israel, o grupo fundado por Abraão.

Nós vemos que a sabedoria da Cabalá estava disponível para o uso de todos os povos apenas por um tempo limitado quando foi revelada dentro do povo de Israel no tempo de Moisés. E isso foi acompanhado de inúmeros argumentos, esclarecimentos e guerras dentro do povo.

Assim, depois de entrar na terra de Israel – quando Moisés deixou o povo e a sua pressão desapareceu – o povo de Israel começou a descer da altura espiritual. Naquela época, emergiu a religião e as regras de comportamento no mundo material, que copiaram as leis Cabalísticas espirituais na matéria. O povo começou a criar “ídolos” e “coisas sagradas” para si.

O povo entrou cada vez mais nas tradições materiais e, à medida que avançou, a sabedoria da Cabalá surgiu e desapareceu. Após a destruição do Segundo Templo quando o povo caiu do amor fraternal ao ódio infundado, a Cabalá se escondeu completamente.

É preciso entender que ninguém ensina o amor ao próximo, exceto a sabedoria da Cabalá. Embora o princípio “Ama o próximo como a ti mesmo” seja a principal regra da Torá, a própria Torá – que é a sabedoria da Cabalá e a sabedoria da Luz – não existe mais no povo de Israel. Descobriu-se que o povo está no exílio do método de amor e unidade. O entendimento do que é a força superior – o povo de Israel e sua missão e objetivo de desenvolvimento – desapareceu.

Hoje, já estamos no fim dos dias do exílio genuíno e à beira da libertação. Em cada geração, foram revelados Cabalistas que eram adequados para esse período ou para a próxima geração. Precisamos entender que as ações dos Cabalistas e a resistência contra eles são uma consequência do desenvolvimento.

Forças cruéis se levantaram contra a sabedoria da Cabalá. Mas, havia uma divisão entre pessoas religiosas. Por um lado, havia os Hasidim e, por outro, seus oponentes, os Mitnagdim, e muitos outros ramos e movimentos. Os Cabalistas também estavam divididos entre aqueles que estavam mais preocupados com a linha direita ou a linha esquerda, de acordo com a natureza do homem.

Antes do tempo do Ari, os Cabalistas seguiam a escola do Ramak. Depois, o método de Ari foi popularizado. O próximo estágio importante no desenvolvimento da Cabalá começou com Baal HaSulam porque há uma grande diferença entre o que havia antes e depois dele. Depois, o Rabash (Rav Baruch Ashlag) desenvolveu ainda mais a Cabalá. Baal HaSulam e Rabash prepararam o método da Cabalá para a nossa geração.

Cada vez o método da Cabalá foi aperfeiçoado e, consequentemente, seus adversários aumentaram, rebelando-se contra o novo método, a “nova Torá” e a “nova religião”. Afinal, as pessoas não entendem no que se baseiam as ações dos Cabalistas. É muito importante aprender quais são as reivindicações levantadas contra a Cabalá para entender o que se deve resistir e como transformar essas forças supostamente malignas em boas e úteis. Tudo isso deve nos ajudar a perceber o processo geral pelo qual o Criador leva as criaturas a trazer seu desejo à correção completa.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 24/09/17, Lição sobre o Tema: “A Resistência À Cabalá”

A Razão Para O Crescimento Do Antissemitismo

400Pergunta: Discursos, declarações e ações antissemitas estão se espalhando na América. Os cemitérios judeus são vandalizados na Filadélfia e Saint Louis. Há um aumento do antissemitismo entre estudantes universitários. Por que há muita pressão sobre os judeus?

Resposta: Os judeus são portadores do método que irá corrigir o mundo e levar a humanidade a uma única entidade: uma pequena aldeia integral e global. E essa forma exterior de humanidade exige uma coesão interna de tudo em um único todo, em um único sistema.

Um sistema não pode trabalhar com um egoísmo tão grande que se desenvolveu na humanidade. Nós alcançamos seu ponto crítico e chegamos a uma crise onde uma pessoa não pode se dar bem, não só com os filhos, a família e todos os outros, mas inclusive com ela mesma. Claro, isso não se aplica a todas as pessoas porque todos estão em um nível diferente, mas, em geral, isso é assim.

Quando nós pensamos em como avançar, começamos a nos conectar criando mercados comuns e várias alianças entre países.

Isso torna as coisas ainda pior para nós porque revelamos o quanto não podemos nos conectar. Quando assinamos um acordo, ele já não é válido no segundo dia porque vemos que ainda estamos separados em direções diferentes. Um homem se casa, mas não por um longo tempo. Ele cria uma família, mas também por um curto período de tempo. Os filhos não conseguem se comunicar entre si ou com seus pais.

O egoísmo nos levou a um estado em que estamos distantes uns dos outros; todo mundo quer se colocar em um “casulo”, se comunicar com outras pessoas pelo telefone ou pela Internet. Nós queremos nos afundar ainda mais, isolados uns dos outros. E aqui surge o problema: como nos tornamos uma única entidade, porque a natureza está nos empurrando para ela?

Existe um antagonismo entre a natureza humana interna, que nos separa, e a natureza exterior (inanimada, vegetal, animal e humana) que tem que nos unir gradualmente em uma única comunidade para que nós nos complementemos harmoniosamente e não nos destruamos, como acontece hoje.

Esse estado deve ser permitido. Isso só pode ser feito pelo homem como o mais alto da cadeia biológica.

Como podemos resolver tudo? Existe um programa na humanidade que pode ajudar a evocar o poder supremo de conexão, amor e unidade. Ele pode realizar tal operação em nós e levar todos a unidade. Nós somos até incapazes de entender como isso pode ser feito.

E o poder superior é capaz de fazer isso. Essa força é chamada de força superior porque está acima de nossa natureza egoísta e compreende toda a natureza em si mesma.

O método de atrair a força superior tem estado nas mãos dos judeus há milhares de anos. No entanto, com exceção dos Cabalistas, eles não sabem disso. Embora haja um pequeno número de Cabalistas entre eles, eles são os portadores desse conhecimento e estão prontos para compartilhá-lo com todos porque isso é o que determina nosso futuro.

De qualquer forma, nós teremos que cumprir nossa missão. Não há outra maneira, temos que nos unir. É por isso que agora temos uma pergunta a nossa frente: será que podemos fazer isso?

Há certo sentimento de que os judeus são os culpados pelo que está acontecendo no mundo: eles têm toda a riqueza, são pioneiros da “alta tecnologia” e outras coisas, eles roubam a humanidade e, além disso, sabem como prejudicar a todos. Esse sentimento subjacente, inconsciente, até mesmo a certeza, existe entre todas as nações em maior ou menor grau. Elas compõem lendas e especulações sobre esse tema. Do ponto de vista da Cabalá, puramente um conhecimento judaico, eles estão absolutamente certos, porque percebem instintivamente dessa maneira.

Pergunta: Isso significa que a terrível difamação sanguinária são seus sentimentos?

Resposta: Sim, eles expressam seus sentimentos dessa maneira. Mas há motivos para isso. Claro, não há conspiração, porque os próprios judeus não sabem o que está acontecendo com eles, mas, em geral, a base dos sentimentos das outras nações é puramente espiritual.

Portanto, o ódio das nações do mundo é justificado. E pode haver apenas uma saída para os judeus, que é reconhecer a tarefa diante deles e começar a implementá-la.

Pergunta: Agora você descreveu o caminho da força superior, que é forçar os judeus a cumprir sua tarefa através dos antissemitas. Mas, provavelmente, também há um caminho direto, reto para os judeus, sem antissemitas?

Resposta: A força superior oferece esse caminho por meio dos Cabalistas. Os Cabalistas fazem tudo o que estão ao seu alcance para explicá-lo. Mas ninguém os ouve.

Pergunta: Portanto, existem duas opções: através dos Cabalistas ou através dos antissemitas?

Resposta: Ou da maneira comum. Eu espero pelo caminho do meio: os antissemitas pressionarão os judeus para que eles fiquem muito assustados e desejem ouvir o que os Cabalistas lhes dizem. Esperemos essa opção.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 01/03/17