Textos na Categoria 'Israel Hoje'

Boas Relações, Por Onde Começar?

laitman_284_02Pergunta do Facebook: Por que você acha que todos os problemas podem ser resolvidos unindo-se? O Knesset (Parlamento) dirige o Estado [Israel]. Nós devemos começar com isso.

Resposta: Não adianta falar com governos e líderes que só pensam em ocupar um assento aquecido, mantê-lo e elevá-lo o mais alto possível, o que é o oposto absoluto do que estamos pedindo, o objetivo para onde uma pessoa deve avançar.

É melhor se nos empenharmos em questões espirituais e deixá-los com seus negócios.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 30/03/17

Bênçãos Pelo Grande Dia Da Vitória!

laitman_539Queridos amigos,

O grande feriado de 9 de maio é uma data especial para nós. Esse é o dia da grande vitória sobre as forças mais perversas da história da humanidade. As mesmas forças que queriam escravizar o mundo tentaram acomodar sua religião às políticas que foram introduzidas por eles. Uma terrível escuridão envolveu a Europa e não permitiu que nenhum dos povos vivesse.

Não devemos esquecer. Devemos celebrar o dia da vitória todos os anos. Não importa se ele é celebrado em diferentes nações em momentos diferentes como a data da liberdade da escravidão para cada nação. O nove de maio é um grande feriado para nós. Esperamos que possamos compreender o que as forças do mal celebram em nosso mundo, como o povo de Israel pode limitar e isolá-las da humanidade e criar um futuro feliz, seguro e seguro. Isso depende apenas de nós. Então, para nós, o 9 de maio não é apenas o dia do fim de uma grande e terrível guerra, mas também um lembrete de que cabe a nós evitar guerras futuras. E isso está em nosso poder, a sabedoria da Cabalá nos possibilita isso. Cabe somente a nós aprender o método e realizá-lo na vida.

Eu desejo a todos vocês um bom ânimo, sucesso e felicidade! Juntamente com isso, não se esqueçam que hoje estamos enfrentando os mesmos problemas que também existiam há muitos anos e cabe a nós resolvê-los rapidamente. Tudo isso começa a partir de amanhã, mas por hoje, eu abençoo todos no grande feriado de 9 de maio!

Nova Vida # 662 – Extremismo Ou Complementação Mútua

Nova Vida # 662 – Extremismo Ou Complementação Mútua
Dr. Michael Laitman na conversação com Oren Levi e Nitzah Mazoz

Resumo

Em vez de argumentos entre a esquerda e a direita, nós precisamos aprender para onde a natureza está nos conduzindo. A solução deve incluir todos. Nós nos conectamos acima de nossas visões pessoais, e quanto mais elas diferem, mais intensa e qualitativa é a conexão entre elas.

De KabTV “Nova Vida # 662 -Extremismo Ou Complementação Mútua”, 17/12/15

Nova Vida # 661 – Estabilidade Versus Revolução

Nova Vida # 661 – Estabilidade Versus Revolução
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Nitzah Mazoz

Resumo

Nós vivemos em um mundo de opostos: liberais versus conservadores, inovação versus estabilidade. Se não soubermos o que fazer, é melhor não fazer nada.

De KabTV “Nova Vida # 661 – Estabilidade Versus Revolução”, 15/12/17

Nova Vida # 659 – Unidade Entre Direita E Esquerda

Vida Nova # 659 – Unidade Entre Direita E Esquerda

Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Yael Leshed-Harel

Resumo

A necessidade de definir a nós mesmos como membros das asas à direita ou à esquerda do mapa político faz parte do nosso desenvolvimento como seres humanos. Há uma luta constante em todo o mundo entre o os partidos de esquerda e direita. Não devemos destruir ambos os lados; temos de encontrar uma maneira de combinar e conectar os dois, sem deixar que qualquer dos lados controle o outro.

[172755]

De KabTV “Nova Vida # 659 – Unidade Entre Direita E Esquerda”, 15/12/15

OBS: Áudio/Vídeo em idioma inglês

icon for podpress Video: Reproduzir Agora | Download icon for podpress Audio: Reproduzir Agora | Download

Nova Vida # 657 – A Separação Entre Direita E Esquerda

Nova Vida # 657 – A Separação Entre Direita E Esquerda
Dr. Michael Laitman na conversação com Oren Levi e Tal Mandelbaum ben Moshe

Resumo

Existem duas forças na natureza: recepção e doação. A sabedoria da Cabalá é o método para o equilíbrio entre essas duas forças. Basicamente, existem duas regras gerais: “E amarás o teu amigo como a ti mesmo” (Levítico 19:18) e “O que é odioso para você, não faça ao seu amigo” (Shabat 31a).

De KabTV “Nova Vida # 657 – A Divisão Entre Direita E Esquerda”, 08/12/15

O Dia Das Boas Ações

laitman_547_04Pergunta: O dia de unidade dos judeus é celebrado em Israel e é chamado de Dia das Boas Ações. Como você vê isso?

Resposta: Se superamos a nós mesmos para se mostrar apenas um dia ao ano, como se estivéssemos fazendo o bem aos outros, isso não levará a nada de bom e pode até piorar as coisas.

Nós devemos entender e perceber quão egoístas somos e até que ponto temos que nos transformar. Essa é a razão pela qual existe um método de correção, de reeducação de nós mesmos. Eu estou pronto para oferecê-lo e mostrar a todos o antigo método que temos desde os dias de Abraão.

Eu realmente espero que os judeus o escutem, que se unam e sejam um modelo para todo o mundo, e assim, o mundo inteiro se tornará pacífico.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 27/03/17

Nunca Mais!

Laitman_130Eu nasci em 1946 e cresci à sombra daquela guerra implacável que levou a vida de milhões de pessoas em uma terrível tragédia chamada Holocausto do povo Judeu. O Holocausto me impactou pessoalmente. Embora meus pais tenham tido a sorte de sobreviver, dois terços dos meus parentes foram mortos nos campos de extermínio.

Por esta razão, o Holocausto não é uma lembrança distante para mim, mas um doloroso lembrete do que também pode acontecer conosco. A pergunta, “Como podemos evitar outro Holocausto?” Não é uma pergunta sem propósito para mim. Eu faço esta pergunta com toda a dor e a responsabilidade que sinto.

Eu sinto como que um oceano de ódio está nos afogando. Os sinais do desastre iminente nunca foram tão evidentes. Todos os relatórios internacionais sobre o crescimento sem precedentes do antissemitismo são claros sinais de alerta.

No Dia Internacional do Holocausto, uma pergunta foi feita na BBC sobre se não é hora de parar de falar sobre o Holocausto. Uma convenção científica será realizada na Inglaterra sobre o direito legítimo de Israel existir, e um acordo foi assinado com o Irã sobre seu plano nuclear, o que é mais uma prova de que não podemos contar com nossos “aliados”.

Tudo isso é motivo de grande preocupação em relação ao nosso futuro.

Ainda podemos evitar outro Holocausto, mas não basta lamentar o passado para fazer isso. As lágrimas devem dar lugar à análise crítica de nossa situação atual e à busca por outros meios para corrigi-la.

Por quê? Porque estamos vivendo em um sistema fechado de forças sem emoção. A lei, segundo a qual este sistema opera, é a homeostase, que significa o equilíbrio harmonioso de todos os elementos do sistema.

Portanto, se agirmos de acordo com esta lei, o que significa que aspiramos a estabelecer relações boas e harmoniosas, nos sentimos bem, mas se estamos divididos, esse sistema nos reequilibra vigorosamente com ele. Às vezes, tal correção envolve um sofrimento terrível.

Eu sei o quão difícil é para os sobreviventes do Holocausto e membros de suas famílias lerem essas linhas, mas a verdade tem que ser contada. O Holocausto aconteceu porque a nação de Israel não agiu de acordo com a lei da união. Por que nós? Porque temos uma responsabilidade especial de cumprir essa lei desde os dias de Abraão.

Abraão, o fundador da nossa nação, descobriu que tudo é gerido pela lei da unidade. Quando o povo da antiga Babilônia foi dividido porque o ego cresceu, Abraão começou a ensinar aos Babilônios o método da unidade.

Os poucos que o seguiram foram chamados de nação de Israel. A implementação dessa lei é a razão pela qual nossa nação existe. A única justificativa para a nossa existência como nação é transmitir essa lei dentro de nós e a todas as outras nações do mundo.

No início do século passado, recebemos a chance de voltar à terra de Israel, não para construir um lar para todos os Judeus nele, mas para readquirir a unidade que perdemos. Infelizmente, não fizemos isso. A maioria dos Judeus da Europa preferiu permanecer em suas comunidades locais ou assimilar.

A reação do sistema superior a isso foi o Holocausto que começou no início da década de 1920. Muito antes do mundo ter sido inundado e sufocado pelo sangue, os Cabalistas sentiram que uma grande tragédia se aproximava e chamaram os Judeus da Europa para retornarem à sua terra e se unirem, mas estes não ouviram os Cabalistas.

Em vez de nos unirmos em uma nação por nosso livre arbítrio, nos aproximamos um do outro devido ao terrível sofrimento durante o Holocausto. Depois disso, recebemos nossa condição de Estado.

O verdadeiro mandato para a existência do nosso país não é a declaração da ONU, mas a nossa missão. De acordo com os Cabalistas, o Estado que recebemos foi dado apenas para cumprir a lei da unidade. E é exatamente isso que o mundo exige de nós.

Inconscientemente, as pessoas do mundo querem que alcancemos a unidade entre nós e lhes transmitamos o método de Abraão. Nós nos recusamos a fazer isso até agora e invocamos o antissemitismo. Na verdade, essa recusa pode ser a causa do próximo Holocausto.

O Dia em Memória do Holocausto e o Dia da Independência de Israel devem se tornar dias de realização da nossa missão, dias de recalcular e reavaliar a existência de nossa nação. Nestes dias, devemos nos reunir em torno de milhares de mesas redondas em todo Israel e no mundo, e entender como devemos alcançar a verdadeira independência, a independência de nosso egoísmo e aprender como podemos ascender do ódio infundado ao amor fraternal.

Esta é a única maneira de podermos garantir o nosso futuro e o futuro dos nossos filhos e dizer com confiança: nunca mais!

Nova Vida # 834 – A Singularidade Do Povo De Israel

Nova Vida # 834 – A Singularidade do Povo de Israel
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Yael Leshed-Harel

Resumo

A singularidade do povo de Israel deriva do seu papel para com a humanidade.

Sua obrigação é ensinar à humanidade como construir uma conexão com base na regra geral: “E amarás teu amigo como a ti mesmo” (Levítico 19:18).

De KabTV “Nova Vida # 834 – A Singularidade Do Povo de Israel”, 07/03/17

Mentiras Da CNN Sobre Israel

Laitman_421_01Nas Notícias (The Jerusalem Post): “Após o ataque terrorista de quarta-feira à noite no mercado de Sarona, em Tel Aviv, que deixou quatro pessoas mortas e 16 feridos, a CNN inspirou indignação com sua manchete quando colocou a palavra “terroristas” nas citações da sua página do Facebook.

“Além disso, a agência de notícias não mencionou terrorismo nem uma vez no artigo que relata a provação. …

“A CNN rapidamente removeu o tweet e emitiu um pedido de desculpas via Twitter na noite de quinta-feira, chamando seu uso de aspas em torno da palavra terrorista em sua manchete de notícias ‘um erro’.

“‘Os ataques foram, sem dúvida, ataques terroristas’, disse a agência de notícias em comunicado à imprensa”.

(The Jerusalem Post): “A CNN atualizou um gráfico essa semana listando alguns dos ataques terroristas mais mortais que ocorreram durante o mês do Ramadan para incluir uma referência ao ataque de 08 de julho [sic] em Tel Aviv.

“Um grupo de defesa de Israel, Stand With Us, apontou a atualização em suas mídias sociais, alegando que a ‘crítica’ levou à mudança. …

“Mas o gráfico não inclui a referência a vários outros ataques que ocorreram dentro de Israel e nos territórios palestinos, incluindo o esfaqueamento fatal de uma adolescente em seu quarto e o assassinato de um pai na frente de sua esposa e filhos”.

Comentário: A CNN mente constantemente sobre Israel. Por exemplo, eles construíram um mapa de atividades terroristas ocorridas durante o último jejum do Ramadã e o atualizaram para incluir o ataque de 8 de junho no distrito de Sarona, em Tel Aviv, mas não mencionaram nada sobre o que aconteceu em Yehudah e Shomron, onde uma menina de 13 anos e, mais tarde, um Rabino foram assassinados. A CNN não considerou esses atos de terrorismo.

Os pesquisadores concluem que Israel, durante o período de formação do Estado, estava constantemente explicando seu comportamento moralmente correto ao mundo, e agora deixamos de fazer isso. Eles pensam que é hora de entender que esta é a abordagem errada e que devemos começar a explicar a nossa retidão.

Segundo eles, algo vai mudar como resultado.

Meu Comentário: Sem dúvida, tudo mudaria se o nosso governo entendesse que é imperativo divulgar nossa justiça para educar a humanidade. Eu me relaciono com a publicidade como parte de nosso trabalho educativo que devemos conduzir com a humanidade, para ser uma “Luz para as nações” (Isaías 49: 6). Devemos mostrar isso a eles. Não apenas a CNN terá uma boa opinião sobre nós, mas o mundo saberá por que o povo judeu foi criado e existe no mundo, como a humanidade deve interagir conosco e nós com eles, e como os judeus devem entender sua tarefa e missão.

Pergunta: Isso significa que você não concorda quando eles dizem que se fôssemos explicar a nossa justificativa algo mudaria?

Resposta: Que tipo de justificativa temos? Não temos justificativa. Alguém estava morando aqui quando chegamos há 100 anos no final do século XIX? As pessoas aqui moravam em todo o território. Não podemos afirmar que não os expulsamos. Elas partiram e se mudaram para a Jordânia e outros lugares. Se elas querem voltar ou não, não faz nenhuma diferença. Nós chegamos ao seu lugar.

Desde então, tem havido um problema. É verdade que há aqueles que inflaram o problema artificialmente, mas o problema existia e não foi resolvido até hoje. Como pode ser resolvido? Somente por meio de um trabalho educativo e uma explicação de por que temos o direito de nos instalarmos aqui, por que temos o direito de viver junto com os nossos “primos” – os árabes.

Se houvesse paz e segurança aqui, ficaríamos felizes em viver com eles. Nossas religiões são semelhantes em sua base, suas raízes são próximas, temos um único “pai”. Portanto, devemos levar em conta que eles estavam aqui. A este respeito, eu não pertenço ao acampamento da direita que diz: “Isso é só nosso!”

Nós precisamos convencer a todos que esse é o nosso território. Isso acontecerá quando mostrarmos e provarmos que esse é o programa de desenvolvimento do mundo e que nossa presença aqui é imperativa para toda a humanidade e não para nós pessoalmente, porque é especificamente daqui que podemos mostrar a todos de que maneira devemos criar um mundo novo!

Só então o mundo inteiro, incluindo aqueles que viveram aqui, entenderá tudo e nos ajudará em vez de tentar nos aniquilar.

Essa é a propaganda real quando você traz tudo para uma base muito séria! A principal coisa é que os judeus devem ser autorizados a viver aqui, porque sem eles, o mundo não será capaz de chegar ao seu estado adequado. Os judeus devem viver aqui por causa do mundo, por causa do Criador, para implementar o programa da criação na vida.

Então tudo será mudado. Se provarmos o nosso direito de viver aqui assim, todos concordarão conosco.

E se dissermos apenas que precisamos viver em algum lugar… O que, de repente vamos voltar depois de dois mil anos?! Imagine quantas reivindicações contra cada um se acumularam e o quanto aconteceu no mundo durante esse tempo – que confusão, que grande migração de povos. Tirem os mapas dos arquivos e vejam o que é!

Portanto, o problema de redesenhar o mapa do mundo não irrompe, nós precisamos nos livrar de todas as fronteiras. Mas isso deve ser através da aproximação das pessoas, não como foi feito na comunidade européia pela força com o golpe de uma pena.

Não vejo outra saída, tanto do ponto de vista do desenvolvimento humano quanto da necessidade da humanidade se aproximar. Não há outra saída além da educação! Se removermos os limites internos, as fronteiras externas serão eliminadas por si só. Isso só pode ser alcançado através de uma educação adequada.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 21/07/16