Textos na Categoria 'Israel Hoje'

Jerusalém: A Capital Da Humanidade Unida

Laitman_421.01Jerusalém é o lugar do Templo e, ao mesmo tempo, o local da destruição. Precisamos chegar a um estado em que Jerusalém, que significa “temor/respeito completo” (Ira’a Shlema), habitará em nossos corações, em nosso desejo, e com a aquisição da intenção de doar, nós construiremos lá um vaso espiritual perfeito chamado “o Templo”.

Tanto o primeiro vaso espiritual – recepção em prol da doação – quanto o segundo – doação em prol da doação – pertenciam apenas à cabeça da alma comum. O terceiro vaso incluirá ambas, doação em prol da doação e recepção em prol da doação a todas as nações, como está escrito: “Minha casa será chamada casa de oração para todos os povos” (Profetas, Isaías 56:07). Isto é, para todo o desejo de desfrutar criado no nível humano. Todos receberão igualmente a revelação da força superior em unidade comum. As diferenças entre as pessoas desaparecerão e este mundo desaparecerá no final da correção, como escreve Baal HaSulam. Somente um desejo comum em que todos se unem em perfeita unidade permanecerá, totalmente preenchido com a Luz superior.

Todos estarão em plena realização da força superior, como um só coração, sem diferenças. Pelo contrário, a separação prévia irá trabalhar para fortalecer a unidade, como está escrito: “O amor cobrirá todas as transgressões”.

A Jerusalém restaurada deve ser assim. Mas, por enquanto, como vemos, ela está em estado de destruição total. Não há cidade no mundo que seja mais dividida, dilacerada por toda oposição e contradição possíveis. Tudo deve ser revelado como material para correção.

O Dia de Jerusalém nos lembra de uma correção necessária. Acontece que não é uma celebração em homenagem à cidade em si. É uma celebração em honra da oportunidade que nos foi dada pela libertação.

Nós celebramos o dia em que Jerusalém nos é dada como local de trabalho e local onde ocorrerá a correção no futuro. Então, o povo de Israel e todas as outras nações, assim como a terra de Israel e o mundo inteiro, serão revelados em adesão com um único Criador.

Através disso, Israel cumprirá sua missão de ser uma Luz para as nações. A missão do povo de Israel como cabeça do Partzuf espiritual em relação ao corpo é corrigir toda a humanidade. No entanto, a correção deve se espalhar para todas as nações, e a revelação do Criador em todo o Seu poder acontece precisamente no corpo da alma comum, isto é, nas nações do mundo.

Está escrito que no final da correção a terra de Israel se espalhará para o mundo inteiro. Isto é, o desejo de desfrutar que se relaciona com a realização do Criador se espalhará para todo o universo e todos se unirão e se tornarão uma nação do Criador, como está escrito: “Todos Me conhecerão, do menor deles ao maior deles”.

Jerusalém não se refere apenas à unificação de Israel, mas também à unificação de toda a humanidade. Este ponto particular, esta cidade, existia mesmo antes de nossos antepassados ​​virem à terra de Israel; eles não a criaram do zero.

O fato de que as nações do mundo, por exemplo, os EUA e outros, mudem suas embaixadas para Jerusalém é uma espécie de símbolo. No entanto, isso não realiza a correção em si – a correção deve ser do povo de Israel. Chegou a hora de todos aqueles que estão no grau de Israel (Yashar-Kel), isto é, se esforçando para revelar o Criador, se unirem entre si e com o Criador, e se tornarem a cabeça do Partzuf espiritual. Nossa união, e nada mais, é o mais importante.

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá, 13/05/18, Escritos do Baal HaSulam, “Um Mandamento”

Israel Tem 70 Anos!

Setenta anos – para um país esta é uma idade jovem. No entanto, é hora de dar uma olhada nos resultados. Estou muito feliz por termos algo de que nos orgulhar em nosso 70º aniversário. Israel de hoje é um país avançado. Ciência, alta tecnologia, medicina, tecnologia militar, agricultura…, em muitas áreas somos reconhecidos como líderes mundiais.

No entanto, acima de tudo, estou feliz com outra das conquistas de Israel: o fato de que hoje a sabedoria da Cabalá está sendo revelada cada vez mais. Podemos falar abertamente sobre isso, espalhar seu conhecimento e as pessoas nos ouvem. Elas já entendem que a Cabalá não é nem misticismo nem feitiçaria, mas uma ciência que constrói fortes pontes de amor entre todas as pessoas, independentemente de sua raça e local de residência.

Podemos ver como pessoas de numerosos países vêm a nossas Convenções em Israel. Na última Convenção, havia representantes de 75 países. Eles vêm ao chamado da alma, e vemos quão calorosamente eles falam sobre o nosso país, com tanta gratidão e amor!

E isso vai contra o pano de fundo de atitudes extremamente negativas em relação a nós de muitos países do mundo. Isso não os impede. Eles sentem que “ama ao próximo como a si mesmo”, que é a base da nossa nação, é a única direção verdadeira na vida.

Feliz feriado, queridos amigos!

As Lições Do Holocausto

Laitman_006Nós vivemos em uma época única, uma época em que nos é dada a chance de ter sucesso. Mas não há garantia de que iremos realizá-la. Fomos presenteados desta vez para ganhar força e compreensão de onde estamos e do que precisamos fazer.

Baal HaSulam chama isso de “o tempo das oportunidades abertas para a liberação”.

Essa oportunidade nos foi dada, e todo o nosso trabalho consiste em tentar implementá-la e trazer à vida tudo o que está escrito nos livros Cabalísticos. Ninguém sabe como isso irá resultar no fim. Baal HaSulam escreveu sobre a existência do perigo de que esta chance não seja concretizada e que o Estado de Israel se desfaça. Afinal, existem forças muito poderosas contra nós.

This is because the only condition for the existence of the State of Israel is our unity. Therefore, neither a military power nor America with Trump will help us—no other power, other than the power of our unity.

O Criador organizou esses inimigos para nós, inimigos que possuem paciência, poder, grande quantidade e qualidade. Nós devemos entender que precisamos do poder do Criador para lutar contra eles. Se entendermos isso, vamos vencer. Se não o fizermos, o Estado de Israel não tem futuro.

Isso porque a única condição para a existência do Estado de Israel é a nossa união. Portanto, nem um poder militar nem a América com Trump nos ajudarão – nenhum outro poder além do poder de nossa unidade.

A única questão é saber se a nação de Israel está pronta para ouvir isso e quando ouvirá. Até agora, ela está apenas ficando mais forte em seu orgulho e cada vez mais distante da verdade, cada vez mais distante uns dos outros, e é cada vez mais odiada por todas as outras nações.

Os judeus têm muito orgulho de seu sucesso material, que não tem conexão com sua missão inerente. Os judeus israelenses, europeus e americanos têm seus próprios sintomas particulares da doença, mas todos ainda estão unidos por uma coisa: o ódio das nações que os cercam. Esperemos que este caminho não nos leve a um Holocausto semelhante ao que já ocorreu no passado.

O tempo está se esgotando, desperdiçamos muito dele, e a nação de Israel ainda não mudou internamente para melhor; pelo contrário, tornou-se pior. Não temos ninguém de quem depender a não ser nós mesmos e o Criador. É um problema terrível quando existe a possibilidade de alcançar a correção e completar a nossa missão, mas as pessoas não a ouvem. Apenas 70 anos se passaram desde o Holocausto e suas lições aparentemente já foram esquecidas.

Tivemos a oportunidade de nos unir, de deixar os países onde fomos odiados e de começarmos juntos a descobrir a essência interior da nação de Israel conhecida por todos, tanto religiosos quanto seculares, sobre os quais está escrito: “O amor cobre todas as transgressões”. Mas ninguém quer aceitar esta lei; o oposto: a separação e o conflito interpessoal continuam a se fortalecer. Nós vemos que a história não nos ensina nada.

Somente através da disseminação da sabedoria da Cabalá e da atração da Luz que Reforma as coisas podem serem melhoradas. O mundo inteiro está sofrendo e continuará a sofrer ainda mais.

Estamos todos descendo por um plano inclinado. Esperemos que, com nossa participação na correção, a pressão do mundo sobre nós seja relativamente suave, mas, no entanto, nos obrigue a se unir.

Se não despertarmos nossos próprios egípcios, se não sentirmos que eles estão escondidos dentro de nós, dificultando nossa conexão, talvez o mundo nos ajude nisso e exija o método da conexão.

Houve uma época em que isso não era tão aparente, mas hoje todos entendem que a unidade criada nos últimos 30 a 40 anos está destruindo o mundo. Inicialmente, todos ficaram entusiasmados com o fato da sociedade se tornar global e integrada, pensando que isso nos traria prosperidade. Mas agora, já está claro que não é assim. Hoje as guerras reais já estão começando: China, EUA, etc.

Este é um sinal óbvio de que a união não é possível até que o egoísmo seja corrigido. E até que isso aconteça, a unidade será sempre prejudicial, como está escrito: “A unidade dos pecadores trará danos a eles e ao mundo”. No final, trará tremendas guerras.

Hoje, especialmente para o próximo Dia em Memória do Holocausto, o mundo está precisando muito desse esclarecimento (e do antídoto).

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá 08/04/18, Shamati #190, “Todo Ato Deixa Uma Impressão”

Enquanto Não For Tarde Demais

laitman_293Nós estamos diante de uma tarefa de dupla complexidade. Primeiro, devemos convencer o povo de Israel de que precisamos alcançar a unidade, embora ele se oponha à correção e à unificação.

Além disso, também é necessário que as pessoas entendam que a unificação só é possível através do estudo da sabedoria da Cabalá e da Luz que Reforma que é atraída por este estudo. Isto é, o problema é convencê-las a aceitar o objetivo e os meios.

O objetivo é que “Todos os israelitas sejam amigos”, ou seja, a unificação completa das pessoas dentro da qual o Criador será revelado. Não basta alcançar o amor entre nós, mas também através da sabedoria da Cabalá, e isso é ainda mais repulsivo. No entanto, precisamos entender que nossa unidade é uma necessidade absoluta se quisermos evitar o extermínio.

Observação: Quando a situação se tornar ameaçadora, o povo de Israel se elevará como um só homem e se unirá.

Meu Comentário: Então será tarde demais! Por que os judeus não escaparam dessa maneira na época de Hitler? Hoje, o fogo pode acender instantaneamente, como se fossem galhos secos. Naquela época, os planos de Hitler foram implementados ao longo de vários anos. As leis contra os judeus começaram a surgir cerca de dez anos antes dos campos de concentração aparecerem.

A situação estava piorando gradualmente, mas ninguém se levantava para protestar. O mundo se fez de surdo e insensível para o que estava acontecendo com os judeus. Essa surdez vem da natureza, do lado do Criador, a fim de obrigar os judeus a cumprir sua missão. O Criador não considera os corpos animados e os desejos egoístas; a coisa mais importante para Ele é o desejo de doar chamado alma.

No entanto, nós podemos evitar golpes através da consciência e compreensão para não recebê-los fisicamente. Está escrito que “Tudo será esclarecido no pensamento”. Se estivermos conscientes da nossa missão, isso basta e não precisaremos mais de sofrimento. Uma criança inteligente entende tudo com o olhar de um pai e não há necessidade de gritar com ela e, ainda mais, batê-la.

Portanto, vale a pena mesmo agora pensar de onde vêm os golpes e sua causa. Quem controla esse mundo e nos envia esses sofrimentos? Se as pessoas quiserem resolver essa questão e ouvir a opinião dos Cabalistas que escreveram sobre isso em todos os momentos, elas têm a oportunidade de revelar a verdade.

Todos nós testemunhamos o conflito que entrou em erupção em torno dos detectores de metal instalados pelos serviços de segurança israelenses no Monte do Templo, que por fim teve que ser removido. No entanto, eles não eram nada importantes para os árabes, para eles essa era apenas uma razão para protestar.

Veja como eles se uniram em torno desse motivo insignificante e inflaram uma grande chama disso. No entanto, não temos nada a dizer, afinal, passamos para eles o domínio do controle de todo o universo. Damos aos árabes o direito de controlar o mundo devido à nossa desunião.

Se continuarmos dessa maneira, isso piorará. A ONU, a UNESCO e várias comissões começarão a emitir decretos anti-israelenses um após o outro. Primeiro, elas nos dirão para deixar o Monte do Templo, depois Jerusalém, e depois a terra de Israel. Não teremos para onde ir, ninguém nos aceitará, assim como já ocorreu na Alemanha. Afinal, nós não aprendemos com os erros do passado.

O universo inteiro é um sistema espiritual e o povo de Israel só pode afetar sua cabeça. Não é sem razão que Israel é chamado de “Minha cabeça” (Li-Rosh). Se começarmos a perceber corretamente os assuntos atuais e os influenciarmos sempre que pudermos, poderemos mudar a realidade.

Essa é a única maneira de corrigir a situação. Nós confiamos em nossos mísseis, armas e exército forte, mas isso não ajudará. Pode acontecer que, com todo o nosso poder militar, arsenal de foguetes e bombas atômicas, não tenhamos permissão de dar um único tiro da menor pistola. Portanto, devemos explicar às pessoas que não temos outra maneira de nos salvar dessa situação perigosa, exceto pela unidade.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 28/07/17, Lição sobre o tema: “Sobre o Mérito do Estudo da Cabalá, Israel Sairá do Exílio”

O Mundo Na Encruzilhada, Parte 3

Laitman_421.01Pergunta: Por que os nazistas estão, de repente, se tornando ativos agora?

Resposta: A sociedade humana atingiu tal estado em seu desenvolvimento onde existem dois caminhos a sua frente. Um caminho é a união com base no egoísmo e no ódio, que é expresso no socialismo e no fascismo nacional. Então toda a sociedade é dividida em classes: aqueles que são superiores e aqueles que são inferiores. Dessa forma, o egoísmo classifica toda a humanidade.

E o povo judeu, como portador do método de Abraão, é o polo oposto ao fascismo porque seu método se baseia no caminho da correção e não no caminho natural do egoísmo. É por isso que os judeus odeiam especialmente os fascistas.

O caminho do desenvolvimento natural leva à unificação com base no nazismo até o momento em que todas as suas terríveis consequências são reveladas. Ou também podemos nos unir com a ajuda da Luz acima do egoísmo através do método de Abraão.

O mundo torna-se integral e “redondo”. E a humanidade tem dois caminhos para alcançar essa forma de círculo. Um caminho é dentro do conhecimento, isto é, dentro do egoísmo, e essa forma é chamada de nazismo. O outro caminho está acima do conhecimento, acima do egoísmo, de acordo com o método da Cabalá, que significa “pelo caminho da Luz”.

O fascismo é revelado para que todos compreendam a catástrofe que esse caminho traz e que comecemos a nos unir acima do egoísmo mais cedo ou mais tarde.

A história se repete até que a corrijamos. Hitler e os nazistas na Alemanha tinham grandes esperanças para a América, esperando que o nazismo continuasse a existir em seu solo. Afinal, havia muitos alemães entre os fundadores dos Estados Unidos. Houve até uma discussão sobre qual língua seria a língua oficial nos EUA: alemão ou inglês. No final, eles escolheram o inglês, mas tiveram chances quase iguais.

Pergunta: Como o estado atual das coisas é diferente dos anos 30 e 40 do século passado? Nós nos tornamos mais inteligentes?

Resposta: Não parece que nos tornamos mais inteligentes. A humanidade não aprende com os erros do passado, porque o mesmo egoísmo age dentro de uma pessoa. Mas hoje temos a oportunidade de disseminar a sabedoria da Cabalá e explicá-la, porque muitas pessoas já estão envolvidas na Cabalá em todo o mundo.

Portanto, é possível que possamos explicar que o mundo está diante de uma encruzilhada perigosa e o que podemos fazer para nos salvar da destruição. Caso contrário, o mundo condena a si mesmo a terríveis sofrimentos e uma guerra mundial. E será certamente mundial e não localizada como no século passado.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 21/08/17, Lição sobre o Tema: “Europa Numa Encruzilhada”

Se Não Há Um Método De Correção – Não Há Judeus

Laitman_006Pergunta: De acordo com a ciência da Cabalá, quem detém o Monte do Templo e a Caverna de Machpelah?

Resposta: Eles pertencem ao povo judeu quando eles estão unidos. No entanto, hoje os árabes estão mais unidos do que nós. Que tipo de correção é possível quando as pessoas estão separadas?

A unificação das pessoas só é possível através do método da sabedoria da Cabalá; só ela pode unir a todos. As pessoas inclusive se orgulham por terem tantos movimentos e facções diferentes: Hassidim e “Mitnagdim”, Ashkenazi e Sefarditas, judeus ortodoxos e os “Kippahs tricotadas” de vários tipos, além de mais uma divisão em “alemães”, “marroquinos”, “romenos” e “russos”.

Isso apenas indica que não percebemos todos como irmãos, mas apenas como camaradas em dificuldades durante tempos difíceis. Nós somos como nozes em um saco que são forçadas a estar juntas porque a pressão externa as mantém em um saco.

Portanto, tais comoções acontecem no Monte do Templo. Eu vejo as forças da natureza por trás de todos os personagens atuando lá. Mas a natureza está em nossas mãos e nós criamos todos os eventos atuais com nossas próprias mãos. Portanto, não podemos esperar algo diferente, porque obviamente nada melhorou dentro de nós de ontem para hoje.

Alguém além da nossa organização fala sobre amor e unidade entre o povo de Israel? Todos riem de nós quando tentamos espalhar essa ideia de unidade através do rádio e dos jornais.

Eles concordam em publicar nossos artigos apenas por muito dinheiro porque falamos sobre o amor e quem precisa disso? No entanto, se escrevêssemos sobre o ódio e conflitos entre lados opostos, ficariam felizes em publicar isso de graça.

Não vale a pena esperar por uma boa vida nessa situação. Está escrito que todos os problemas decorrem da destruição de Jerusalém. Devido ao fato de que há cada vez mais destruição entre nós, os árabes estão ganhando força. Um é contra o outro, quando carecemos da unidade, eles se elevam. Eles só se tornam mais fortes devido à nossa separação. O principal não são as ações materiais, mas nossa falta de conexão.

O mais terrível é que o próprio povo de Israel começa a concordar com as nações do mundo de que não temos direito ao Monte do Templo e à terra de Israel. Se continuarmos dessa maneira, no final seremos informados de que não temos o direito de existir na Terra, como disse Hitler. Inicialmente ele queria expulsar os judeus da Alemanha, mas depois decidiu exterminá-los totalmente.

Se não percebemos a nossa missão de corrigir o mundo, verifica-se que não precisamos estar nessa Terra. O povo judeu é o condutor do método de correção. No entanto, se não o utilizarmos, se não houver método de correção no mundo, não há judeus. Este provavelmente é o próximo estágio e o mundo inteiro concordará com isso, como já aconteceu durante os tempos de Hitler.

Ninguém quer falar sobre isso agora, mas na verdade, todos concordaram com suas políticas. Ninguém protestou contra o extermínio dos judeus. Havia apenas alguns indivíduos extraordinários, os justos das nações do mundo, que ajudaram os judeus, arriscando suas próprias vidas. No entanto, havia apenas alguns deles.

É possível que o mesmo aconteça hoje, todos concordarão que os judeus não têm um lugar nesta Terra. Afinal, o povo de Israel existe exatamente para implementar o método de correção, especialmente no momento em que já são capazes e obrigados a fazer isso de acordo com o programa superior.

O Monte Do Templo: Regocije-Se Ou Chore

Laitman_421.01Pergunta: No Monte do Templo, eles desmantelaram todas as medidas de segurança; em outras palavras, a entrada é mais ou menos livre. É possível dizer que Israel se rendeu à pressão do mundo árabe e da Europa? Devemos ficar felizes ou chorar?

Resposta: Esse é um grande fracasso de nossas forças de segurança, que não puderam calcular corretamente o poder dos árabes ou o poder do governo, o qual não levava em conta que a questão da Mesquita Al-Aqsa poderia provocar tal tempestade no mundo.

A cada ano, os judeus simplesmente se tornaram cada vez mais obtusos, aparentemente inconscientes, enquanto os árabes se tornaram cada vez mais sábios. Eles podem ser influentes através de todas as organizações internacionais em que entraram e podem chegar a acordos entre si. Eles já não são as mesmas nações árabes que já foram. Hoje, eles têm conexões internacionais na Internet, tanto na imprensa como na empresa de televisão Al-Jazeera.

Na verdade, não temos amigos e apoiadores, enquanto há apoiadores necessários entre eles porque eles têm o poder. Portanto, nosso futuro é sombrio e vago.

Cabe a nós tirar as seguintes conclusões: não é necessário realizar ações extremas se não soubermos com certeza para onde essas ações vão levar. É preferível sentar-se silenciosamente e entender como é possível conseguir um poder como este que possa convencer corretamente o mundo sobre a nossa justiça.

Pergunta: Nós podemos realmente ganhar?

Resposta: Sim, se conseguirmos convencer a nós mesmos e ao mundo de que estamos certos. Por enquanto, não podemos fazer isso hoje.

Pergunta: Como é possível fazer isso?

Resposta: Só se provarmos ao mundo inteiro que temos a capacidade de dar ao mundo um método para se livrar do mal. Isso é tudo. O mundo não precisa de mais nada.

Pergunta: O que você está chamando de “mal?”

Resposta: O mal é o enorme egoísmo humano. Se pudermos mostrar ao mundo inteiro que temos um método para se livrar dele, e como resultado disso, nos livrarmos de todos os problemas, conflitos, ódio e rejeição, então o mundo começará a concordar conosco.

Porém, precisamos mostrar isso por meio de um exemplo pessoal! Nós somos uma nação “quebrada”, a mais separada e egoísta. Se olharmos para nós mesmos, por exemplo, quão eficaz o nosso método é conosco, dentro de um pequeno grupo da população em uma pequena nação, a natureza organizará coisas de tal forma que o mundo não terá escolha senão prestar atenção, ouvir e concordar conosco. Somente dessa maneira podemos ser salvos de todos os problemas!

Pergunta: Será que o mundo verá que existe um canto do Jardim do Éden [paraíso] onde eles vivem em amizade e amor, e também desejará viver assim?

Resposta: O mundo será obrigado a ver isso porque eles estão nos observando o tempo todo. Só que, por enquanto, eles não estão vendo nada de bom. Se mostrarmos que temos um método para a correção de toda a humanidade, todos verão.

Comentário: E não haverá necessidade de fechar o Monte do Templo.

Resposta: Não haverá necessidade de fechar nada. Tudo ficará bem por si só.

Pergunta: O que é possível fazer para acreditarmos nisso?

Resposta: Não é necessário acreditar. Basta fazer porque não há nada de ruim nisso. Está escrito em nossas fontes. Basta concordar com isso.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 27/07/17

Direitos Ao Monte Do Templo

3Pergunta: Houve uma situação muito tensa na semana passada em Israel, especialmente em Jerusalém em conexão com o Monte do Templo. Você vê esta situação se encaminhando para uma resolução positiva ou ela será encerrada catastroficamente?

Resposta: Naturalmente, no final, todos ficarão bem, mas por qual caminho vamos chegar a esse final feliz: pelo caminho do sofrimento ou sem ele? Tudo depende da nação de Israel. Infelizmente, a julgar pelo comportamento de toda a nação em Israel e no exterior, não há sinais de que o processo esteja indo pela rota positiva.

Nós estamos tentando disseminar amplamente o método de correção, apelando que a nação de Israel use esse recurso para trazer correções ao mundo inteiro. Mas se a nação não despertar para esse chamado, a correção não será pelo caminho da Luz, mas sim pelo caminho do sofrimento. Infelizmente, isso é o que está acontecendo agora. É por isso que vemos a agitação no Monte do Templo e o envolvimento policial.

Dia após dia, uma guerra ideológica muito complexa está sendo travada e o mundo inteiro está pronto para aceitar a infame mentira de que nem o Monte do Templo nem as cavernas com os túmulos de nossos patriarcas em Hebron pertencem ao povo judeu. Se não pertencem, então, a quem pertencem? Mas a verdade não importa para ninguém – o que importa é o que beneficia o egoísmo em qualquer momento.

Parece que a nação de Israel não quer aceitar a verdade e reconhecer a sua responsabilidade de trabalhar na doação e ensiná-la ao mundo inteiro, levando o mundo inteiro à correção. Ela resiste à sua missão, pensando que a verdade está em seguir a Torá e os mandamentos em uma forma material ou talvez não seguir nada. Assim, tudo isso resulta em nossa condição cada vez pior dia após dia.

E vai continuar piorando até que finalmente entendamos que devemos nos corrigir primeiro e, depois, o mundo inteiro, como cabeça e corpo. Porque Israel é chamado “a cabeça é minha” (Li Rosh) e todo o resto das nações do mundo são o corpo da alma coletiva. Portanto, no final, todos se unirão em uma humanidade corrigida, trabalhando para doação em unidade coletiva.

No pior dos casos, um terrível infortúnio nos espera. Baal HaSulam nos advertiu para a possibilidade de sermos exilados novamente desta terra se não pudermos transformá-la na verdadeira “Terra de Israel” (em vez de trazer conosco o mesmo estado de exílio em que existimos entre as nações do mundo). Mesmo agora, nós continuamos a vender sua cultura e sua relação com a vida.

Com base nisso, parece que não temos o direito de existir nesta terra porque não somos diferentes de ninguém. De fato, exatamente o contrário: é como se “profanássemos” esse lugar sagrado com nossa existência.

Não temos o direito de subir ao “Monte do Templo” espiritual, porque isso só pode acontecer quando todos estamos unidos e em adesão ao Criador. É por isso que vemos que as nações do mundo não nos permitem entrar no Monte do Templo material porque o mundo material é uma projeção do mundo espiritual.

Até nos corrigirmos – mesmo em um mínimo grau – para nos assemelharmos ao Monte do Templo e ao Templo, que representam a nossa unidade, continuaremos a ver no mundo material externo todos os tipos de conflitos e problemas.

E o mundo inteiro concordará com os árabes, que nem a Torá, nem o Monte do Templo, nem Jerusalém, nem mesmo Tel Aviv e toda a terra de Israel nos pertencem.

Não é em vão que eles se chamem palestinos e não árabes; eles querem se apresentar como uma nação ostensivamente antiga que esteva sempre nessa terra. E o mundo inteiro vai acreditar neles. E nós não temos ninguém para culpar por isso porque nós mesmos criamos a condição em que os árabes se elevam e nós caímos. Nós criamos essa situação com nossas próprias mãos.

Da 3ª parte da Lição diária de Cabalá 28/07/17Lição sobre o Tema: “No Mérito do Estudo da Cabalá, Israel Sairá do Exílio”

Distância Na Espiritualidade

Pergunta: O que é a distância de acordo com a sabedoria da Cabalá?

Resposta: Distância na espiritualidade é a diferença de atributos entre dois objetos espirituais. Se me comparo aos atributos de alguém e se os meus assemelham-se a este, fico mais perto dele. Mas se o nossos atributos mútuos, de alguma forma mudaram, eu fico mais longe dele. É como se estivéssemos no espaço sideral.

[211437]

Da Lição de Cabalá em russo 19/3/17

Material relacionado:
A Lei Básica Do Mundo Espiritual
Um Laboratório Para A Correção Do Ego Humano

O Calendário Judaico

laitman_628_2Religiões, ideias, regulamentos sobre feriados, a criação do calendário, etc. Tudo isso vem do povo de Israel que uma vez deixou a Babilônia.

O calendário judaico, que existe há quase 6.000 anos, nunca falha porque se baseia na rotação do sol, da lua e da Terra. Portanto, a data de qualquer feriado pode ser definida com milhares de anos de antecedência.

É um calendário muito complexo porque cada quatro anos é um ano bissexto, cada sétimo ano é um Shmita (ano sabático), a cada 49º ou 50º ano, um Yovel (jubileu), e assim por diante. Seus cálculos estão ligados ao sol e à lua.

O calendário cristão baseia-se unicamente na rotação do sol, e o calendário islâmico na rotação da lua, de modo que suas datas são diferentes. O calendário judaico, no entanto, é baseado na linha do meio, entre a lua e o sol, e, portanto, permanece inalterado.

Há um calendário altamente preciso compilado já no século IV a.C. para os próximos 2.000 anos de exílio. Ele indica os graus angulares, minutos e segundos. Atualmente, ele pode ser encontrado na Internet.

A necessidade desse calendário baseou-se no fato de que os judeus precisavam saber quando abençoar um mês, um sábado e assim por diante. Portanto, eles determinavam de forma infalível qual dia da semana seria, suponha, em 273 anos, quatro meses, e um certo número de dias, a duração do dia e da noite, as horas do nascer e do pôr-do-sol, e assim por diante.

Eles tinham um conhecimento preciso da mecânica de todo o firmamento. É muito interessante. Quando vi pela primeira vez o livro descrevendo esse calendário, fiquei espantado. Ele apresenta uma variedade de gráficos astronômicos compilados há 24 séculos.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 12/10/16