Textos na Categoria 'Israel Hoje'

O Calendário Judaico

laitman_628_2Religiões, ideias, regulamentos sobre feriados, a criação do calendário, etc. Tudo isso vem do povo de Israel que uma vez deixou a Babilônia.

O calendário judaico, que existe há quase 6.000 anos, nunca falha porque se baseia na rotação do sol, da lua e da Terra. Portanto, a data de qualquer feriado pode ser definida com milhares de anos de antecedência.

É um calendário muito complexo porque cada quatro anos é um ano bissexto, cada sétimo ano é um Shmita (ano sabático), a cada 49º ou 50º ano, um Yovel (jubileu), e assim por diante. Seus cálculos estão ligados ao sol e à lua.

O calendário cristão baseia-se unicamente na rotação do sol, e o calendário islâmico na rotação da lua, de modo que suas datas são diferentes. O calendário judaico, no entanto, é baseado na linha do meio, entre a lua e o sol, e, portanto, permanece inalterado.

Há um calendário altamente preciso compilado já no século IV a.C. para os próximos 2.000 anos de exílio. Ele indica os graus angulares, minutos e segundos. Atualmente, ele pode ser encontrado na Internet.

A necessidade desse calendário baseou-se no fato de que os judeus precisavam saber quando abençoar um mês, um sábado e assim por diante. Portanto, eles determinavam de forma infalível qual dia da semana seria, suponha, em 273 anos, quatro meses, e um certo número de dias, a duração do dia e da noite, as horas do nascer e do pôr-do-sol, e assim por diante.

Eles tinham um conhecimento preciso da mecânica de todo o firmamento. É muito interessante. Quando vi pela primeira vez o livro descrevendo esse calendário, fiquei espantado. Ele apresenta uma variedade de gráficos astronômicos compilados há 24 séculos.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 12/10/16

Boas Relações, Por Onde Começar?

laitman_284_02Pergunta do Facebook: Por que você acha que todos os problemas podem ser resolvidos unindo-se? O Knesset (Parlamento) dirige o Estado [Israel]. Nós devemos começar com isso.

Resposta: Não adianta falar com governos e líderes que só pensam em ocupar um assento aquecido, mantê-lo e elevá-lo o mais alto possível, o que é o oposto absoluto do que estamos pedindo, o objetivo para onde uma pessoa deve avançar.

É melhor se nos empenharmos em questões espirituais e deixá-los com seus negócios.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 30/03/17

Bênçãos Pelo Grande Dia Da Vitória!

laitman_539Queridos amigos,

O grande feriado de 9 de maio é uma data especial para nós. Esse é o dia da grande vitória sobre as forças mais perversas da história da humanidade. As mesmas forças que queriam escravizar o mundo tentaram acomodar sua religião às políticas que foram introduzidas por eles. Uma terrível escuridão envolveu a Europa e não permitiu que nenhum dos povos vivesse.

Não devemos esquecer. Devemos celebrar o dia da vitória todos os anos. Não importa se ele é celebrado em diferentes nações em momentos diferentes como a data da liberdade da escravidão para cada nação. O nove de maio é um grande feriado para nós. Esperamos que possamos compreender o que as forças do mal celebram em nosso mundo, como o povo de Israel pode limitar e isolá-las da humanidade e criar um futuro feliz, seguro e seguro. Isso depende apenas de nós. Então, para nós, o 9 de maio não é apenas o dia do fim de uma grande e terrível guerra, mas também um lembrete de que cabe a nós evitar guerras futuras. E isso está em nosso poder, a sabedoria da Cabalá nos possibilita isso. Cabe somente a nós aprender o método e realizá-lo na vida.

Eu desejo a todos vocês um bom ânimo, sucesso e felicidade! Juntamente com isso, não se esqueçam que hoje estamos enfrentando os mesmos problemas que também existiam há muitos anos e cabe a nós resolvê-los rapidamente. Tudo isso começa a partir de amanhã, mas por hoje, eu abençoo todos no grande feriado de 9 de maio!

Nova Vida # 662 – Extremismo Ou Complementação Mútua

Nova Vida # 662 – Extremismo Ou Complementação Mútua
Dr. Michael Laitman na conversação com Oren Levi e Nitzah Mazoz

Resumo

Em vez de argumentos entre a esquerda e a direita, nós precisamos aprender para onde a natureza está nos conduzindo. A solução deve incluir todos. Nós nos conectamos acima de nossas visões pessoais, e quanto mais elas diferem, mais intensa e qualitativa é a conexão entre elas.

De KabTV “Nova Vida # 662 -Extremismo Ou Complementação Mútua”, 17/12/15

Nova Vida # 661 – Estabilidade Versus Revolução

Nova Vida # 661 – Estabilidade Versus Revolução
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Nitzah Mazoz

Resumo

Nós vivemos em um mundo de opostos: liberais versus conservadores, inovação versus estabilidade. Se não soubermos o que fazer, é melhor não fazer nada.

De KabTV “Nova Vida # 661 – Estabilidade Versus Revolução”, 15/12/17

Nova Vida # 659 – Unidade Entre Direita E Esquerda

Vida Nova # 659 – Unidade Entre Direita E Esquerda

Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Yael Leshed-Harel

Resumo

A necessidade de definir a nós mesmos como membros das asas à direita ou à esquerda do mapa político faz parte do nosso desenvolvimento como seres humanos. Há uma luta constante em todo o mundo entre o os partidos de esquerda e direita. Não devemos destruir ambos os lados; temos de encontrar uma maneira de combinar e conectar os dois, sem deixar que qualquer dos lados controle o outro.

[172755]

De KabTV “Nova Vida # 659 – Unidade Entre Direita E Esquerda”, 15/12/15

OBS: Áudio/Vídeo em idioma inglês

icon for podpress Video: Reproduzir Agora | Download icon for podpress Audio: Reproduzir Agora | Download

Nova Vida # 657 – A Separação Entre Direita E Esquerda

Nova Vida # 657 – A Separação Entre Direita E Esquerda
Dr. Michael Laitman na conversação com Oren Levi e Tal Mandelbaum ben Moshe

Resumo

Existem duas forças na natureza: recepção e doação. A sabedoria da Cabalá é o método para o equilíbrio entre essas duas forças. Basicamente, existem duas regras gerais: “E amarás o teu amigo como a ti mesmo” (Levítico 19:18) e “O que é odioso para você, não faça ao seu amigo” (Shabat 31a).

De KabTV “Nova Vida # 657 – A Divisão Entre Direita E Esquerda”, 08/12/15

O Dia Das Boas Ações

laitman_547_04Pergunta: O dia de unidade dos judeus é celebrado em Israel e é chamado de Dia das Boas Ações. Como você vê isso?

Resposta: Se superamos a nós mesmos para se mostrar apenas um dia ao ano, como se estivéssemos fazendo o bem aos outros, isso não levará a nada de bom e pode até piorar as coisas.

Nós devemos entender e perceber quão egoístas somos e até que ponto temos que nos transformar. Essa é a razão pela qual existe um método de correção, de reeducação de nós mesmos. Eu estou pronto para oferecê-lo e mostrar a todos o antigo método que temos desde os dias de Abraão.

Eu realmente espero que os judeus o escutem, que se unam e sejam um modelo para todo o mundo, e assim, o mundo inteiro se tornará pacífico.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 27/03/17

Nunca Mais!

Laitman_130Eu nasci em 1946 e cresci à sombra daquela guerra implacável que levou a vida de milhões de pessoas em uma terrível tragédia chamada Holocausto do povo Judeu. O Holocausto me impactou pessoalmente. Embora meus pais tenham tido a sorte de sobreviver, dois terços dos meus parentes foram mortos nos campos de extermínio.

Por esta razão, o Holocausto não é uma lembrança distante para mim, mas um doloroso lembrete do que também pode acontecer conosco. A pergunta, “Como podemos evitar outro Holocausto?” Não é uma pergunta sem propósito para mim. Eu faço esta pergunta com toda a dor e a responsabilidade que sinto.

Eu sinto como que um oceano de ódio está nos afogando. Os sinais do desastre iminente nunca foram tão evidentes. Todos os relatórios internacionais sobre o crescimento sem precedentes do antissemitismo são claros sinais de alerta.

No Dia Internacional do Holocausto, uma pergunta foi feita na BBC sobre se não é hora de parar de falar sobre o Holocausto. Uma convenção científica será realizada na Inglaterra sobre o direito legítimo de Israel existir, e um acordo foi assinado com o Irã sobre seu plano nuclear, o que é mais uma prova de que não podemos contar com nossos “aliados”.

Tudo isso é motivo de grande preocupação em relação ao nosso futuro.

Ainda podemos evitar outro Holocausto, mas não basta lamentar o passado para fazer isso. As lágrimas devem dar lugar à análise crítica de nossa situação atual e à busca por outros meios para corrigi-la.

Por quê? Porque estamos vivendo em um sistema fechado de forças sem emoção. A lei, segundo a qual este sistema opera, é a homeostase, que significa o equilíbrio harmonioso de todos os elementos do sistema.

Portanto, se agirmos de acordo com esta lei, o que significa que aspiramos a estabelecer relações boas e harmoniosas, nos sentimos bem, mas se estamos divididos, esse sistema nos reequilibra vigorosamente com ele. Às vezes, tal correção envolve um sofrimento terrível.

Eu sei o quão difícil é para os sobreviventes do Holocausto e membros de suas famílias lerem essas linhas, mas a verdade tem que ser contada. O Holocausto aconteceu porque a nação de Israel não agiu de acordo com a lei da união. Por que nós? Porque temos uma responsabilidade especial de cumprir essa lei desde os dias de Abraão.

Abraão, o fundador da nossa nação, descobriu que tudo é gerido pela lei da unidade. Quando o povo da antiga Babilônia foi dividido porque o ego cresceu, Abraão começou a ensinar aos Babilônios o método da unidade.

Os poucos que o seguiram foram chamados de nação de Israel. A implementação dessa lei é a razão pela qual nossa nação existe. A única justificativa para a nossa existência como nação é transmitir essa lei dentro de nós e a todas as outras nações do mundo.

No início do século passado, recebemos a chance de voltar à terra de Israel, não para construir um lar para todos os Judeus nele, mas para readquirir a unidade que perdemos. Infelizmente, não fizemos isso. A maioria dos Judeus da Europa preferiu permanecer em suas comunidades locais ou assimilar.

A reação do sistema superior a isso foi o Holocausto que começou no início da década de 1920. Muito antes do mundo ter sido inundado e sufocado pelo sangue, os Cabalistas sentiram que uma grande tragédia se aproximava e chamaram os Judeus da Europa para retornarem à sua terra e se unirem, mas estes não ouviram os Cabalistas.

Em vez de nos unirmos em uma nação por nosso livre arbítrio, nos aproximamos um do outro devido ao terrível sofrimento durante o Holocausto. Depois disso, recebemos nossa condição de Estado.

O verdadeiro mandato para a existência do nosso país não é a declaração da ONU, mas a nossa missão. De acordo com os Cabalistas, o Estado que recebemos foi dado apenas para cumprir a lei da unidade. E é exatamente isso que o mundo exige de nós.

Inconscientemente, as pessoas do mundo querem que alcancemos a unidade entre nós e lhes transmitamos o método de Abraão. Nós nos recusamos a fazer isso até agora e invocamos o antissemitismo. Na verdade, essa recusa pode ser a causa do próximo Holocausto.

O Dia em Memória do Holocausto e o Dia da Independência de Israel devem se tornar dias de realização da nossa missão, dias de recalcular e reavaliar a existência de nossa nação. Nestes dias, devemos nos reunir em torno de milhares de mesas redondas em todo Israel e no mundo, e entender como devemos alcançar a verdadeira independência, a independência de nosso egoísmo e aprender como podemos ascender do ódio infundado ao amor fraternal.

Esta é a única maneira de podermos garantir o nosso futuro e o futuro dos nossos filhos e dizer com confiança: nunca mais!

Nova Vida # 834 – A Singularidade Do Povo De Israel

Nova Vida # 834 – A Singularidade do Povo de Israel
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Yael Leshed-Harel

Resumo

A singularidade do povo de Israel deriva do seu papel para com a humanidade.

Sua obrigação é ensinar à humanidade como construir uma conexão com base na regra geral: “E amarás teu amigo como a ti mesmo” (Levítico 19:18).

De KabTV “Nova Vida # 834 – A Singularidade Do Povo de Israel”, 07/03/17