Textos na Categoria 'Globalização'

O Caminho Do Caos À Harmonia, Parte 4

737.01Pergunta: Quando você olha a natureza, parece que nela todos tentam se devorar, mas, ao mesmo tempo, todo o complexo de forças opostas no final se desenvolve em harmonia completa, que é chamada de “vida”. Como acontece que cada indivíduo causa transtorno na natureza, mas a natureza como um todo é harmoniosa?

Resposta: Se estudarmos as leis pelas quais o sistema geral da natureza opera, veremos que elas se complementam. Embora todo o sistema seja egoísta e guiado por princípios muito simples, primitivos e abruptos, o processo geral de seu desenvolvimento visa o crescimento, a autorrealização e a realização do mal. No final, nós precisamos entender em que tipo de egoísmo terrível nós existimos.

A partir da luta egoísta, as forças crescerão para entender, sentir e perceber o que estamos fazendo e para que. É possível que toda a nossa vida passe em lutas uns com os outros, como gatos que são levados a lutar pelo instinto cego?

Gradualmente, toda a natureza – inanimada, vegetativa, animada e especialmente humana – está se aproximando da realização do mal. Começamos a revelar que nossa natureza é ruim e isso nos mostra tal vida apenas para que possamos entender o que precisamos corrigir em nós mesmos.

Pergunta: O propósito da desordem é nos mostrar como avançar para a ordem?

Resposta: O mundo existe e é governado pela completa harmonia. O transtorno é criado artificialmente em nossa percepção porque “Todos julgam de acordo com suas próprias falhas”. Nós olhamos para o mundo e vemos transtornos. Mas assim que paramos de olhá-lo, ele imediatamente se transforma no Mundo do Infinito.

No momento em que olho para o mundo, eu imediatamente o estrago com minhas propriedades. Acontece que, devido ao desenvolvimento gradual, eu chego à realização do fato de que preciso me corrigir.

Pergunta: Acontece que olhamos para o mundo com óculos quebrados. Portanto, eu o vejo quebrado?

Resposta: Nós não vemos as conexões corretas entre todas as partes da realidade; portanto, nos parece caótico. Na verdade, o mundo é totalmente perfeito.

De KabTV “Nova Vida” 24/10/17

Por Que A Natureza Nos Pune? Parte 3

laitman_763.3Pergunta: Hoje, a “engenharia climática” está se desenvolvendo rapidamente. Isso significa que, em vez de lutar pela preservação do meio ambiente, as pessoas estão tentando intervir em processos naturais e, com a ajuda de tecnologias avançadas, gerenciar o clima, resfriar o globo, mudar a estrutura da atmosfera e o estado dos oceanos, e assim por diante.

As pessoas tentam restaurar o equilíbrio na natureza com a ajuda da tecnologia moderna. Isso é bom para a humanidade, ou, inversamente, é um grande perigo?

Resposta: Nós certamente temos que pagar dessa maneira pela nossa reação errada, construindo casas resistentes ao terremoto e protegendo-nos dos golpes da natureza. No entanto, isso ainda não ajudará porque nós mesmos evocamos esses desastres naturais através do nosso comportamento errado.

Nós devemos entender que os pensamentos e desejos de uma pessoa estão no mais alto nível de todas as forças que existem no universo. Portanto, apenas com nossos pensamentos, desejos e intenções infligimos o principal dano à natureza.

O homem é o portador da força negativa na natureza, já que é guiado apenas pela força de recepção. Portanto, nós precisamos nos equilibrar com a força de doação. De forma natural, toda pessoa age na sociedade tentando receber tudo para si mesma. No entanto, de acordo com isso, devemos desenvolver uma capacidade de entrega em nós mesmos. Então o equilíbrio será estabelecido entre nós, e a partir da humanidade se espalhará para o resto da natureza.

Pergunta: Digamos que nós comecemos a tratar bem uns aos outros e haja amor e doação, completa harmonia entre todas as pessoas e todas as nações. Como isso pode parar uma erupção vulcânica ou um tsunami?

Resposta: Nossos pensamentos e desejos também são forças da natureza. O homem é parte da natureza, a coroa de seu desenvolvimento. Como somos diferentes de todas as outras partes da natureza? Temos ciência, inteligência e sentimentos mais desenvolvidos. Embora esses sentimentos sejam maus, eles são mais desenvolvidos em comparação com os animais, e por isso somos chamados de homem, ser humano.

O único problema é que não usamos nossas forças corretamente. Nós pensamos que podemos viver tão instintivamente quanto os animais, sem alcançar o amor ao próximo e sem explorar a nossa influência no mundo. No entanto, isso não está certo, porque pertencemos ao grau humano. E ser humano é antes de tudo ciência, razão e sentimentos, que nos elevam até o topo da pirâmide.

Acontece que, ao contrário de todos os outros níveis da natureza – inanimado, vegetativo e animado – que são instintivamente incluídos em um sistema chamado “natureza”, o homem se separa dele.

Nós somos obrigados a complementar o sistema da natureza através da nossa participação, juntando-se a ele junto com todos os outros. Ao equilibrarmos nossos sentimentos, nossa mente e a força negativa do nosso egoísmo com a força positiva, alcançaremos uma boa conexão com todas as partes da criação.

De KabTV “Nova Vida” 10/10/17

O Caminho Do Caos À Harmonia, Parte 3

Dr. Michael LaitmanPergunta: É claro que toda a desordem em nossas vidas é causada pelo fato de que todos pensam apenas em si mesmos. Mas como você vê um estado corrigido, permanente e perfeito onde todos estão em harmonia?

Resposta: Tal estado realmente existe na natureza, mas não o vemos. Como está escrito: “Aquele que tem olhos para ver, deixe-o ver, e aquele que tem ouvidos para ouvir, deixe-o ouvir”. Todos julgam conforme a sua própria depravação e percebem que o mundo está disposto de acordo com sua razão e sensação egoísta. Portanto, não podemos ver como a natureza é perfeita e nos consideramos mais inteligentes do que ela.

Acontece que não vemos a verdade e estamos mergulhando em um caos maior o tempo todo. O egoísmo cresce cada vez mais e nossa capacidade de lidar com ele está derretendo diante dos nossos olhos. A situação está se tornando crítica e, em breve, destruiremos finalmente a humanidade nas guerras mundiais nucleares, como advertem os Cabalistas.

A única saída é conhecer o sistema da natureza. Nós descobriremos através do sofrimento que a natureza é perfeita e só nós somos mimados, ou começaremos a entender o sistema da natureza através do estudo da sabedoria da Cabalá.

O poder de doação, conexão e reciprocidade reina na natureza – exatamente o oposto do que uma pessoa vive – ou seja, o poder de recepção, a dominação pessoal, a inveja e o ódio.

Pergunta: Onde você vê assistência mútua e a conexão na natureza?

Resposta: Nós não percebemos isso quando observamos com nossos próprios olhos egoístas. Pelo contrário, parece-nos que, na natureza, existe uma luta feroz pela existência onde o mais forte ganha.

Mas se olharmos mais fundo, surge a questão: de onde vem a vida? Essa mesma vida onde forças opostas completamente diferentes, de repente, de alguma forma milagrosa, se completam e criam todas as variedades possíveis de criaturas: matéria inanimada, plantas, animais e humanos.

Como é possível que forças opostas que desejam se destruir de repente se conectam e até se completam, se sacrificam uma em prol da outra, porque sem essa vida é impossível. De onde vem isso?

Se você olhar mais de perto para a natureza, como, por exemplo, a biocibernética o faz, estudando os sistemas existentes nos organismos vivos, você verá como uma coisa completa a outra. Todos esses sistemas funcionam com base em forças completamente diferentes, e só nos parece na nossa percepção defeituosa que todos querem engolir os outros e estabelecer seu poder à força.

Se assim fosse, a vida nunca poderia existir porque se baseia em doações, concessões, em minha preocupação com alguém que me ajudará, e assim de geração em geração. Isso é completamente diferente do que parece ao nosso olhar superficial.

De KabTV “Nova Vida # 912” 24/10/16

O Caminho Do Caos À Harmonia, Parte 2

Laitman_117Pergunta: A Torá nos diz que, no início, havia trevas e caos a partir dos quais a vida foi posteriormente criada. Como a harmonia pode surgir do caos?

Resposta: Tudo isso é dito apenas em relação ao homem. E mesmo que pareça estar falando dos períodos de evolução que ocorreram aparentemente antes do surgimento do homem, isso é errado. A evolução só faz sentido com a inclusão de uma pessoa que está começando a usar o mundo inteiro e todas as mudanças ocorrem apenas em relação a ela.

Somente após a criação da consciência e com respeito a ela, podemos falar da criação do mundo, do universo, do planeta Terra, de todos os sistemas e da humanidade. Antes do surgimento do homem, parecia não haver nada. E quando estamos falando da escuridão e do caos, eles também existem apenas em relação ao homem porque sua consciência está distorcida, ou seja, contra o sistema ideal em que existimos.

Uma pessoa não entende ou sente esse sistema, isto é, não percebe isso nem em mente nem em coração. Ela vê a realidade projetada por suas qualidades defeituosas no fundo de um mundo imutável e perfeito.

Ela não vê o mundo superior, espiritual ou o sistema ideal, mas se vê com respeito a esse sistema; isto é, ela vê a diferença entre um e outro, entre as qualidades do homem e as qualidades da natureza. Portanto, parece-lhe que o mundo é obscuro e desordenado.

Toda a natureza exibe doação, amor, conexão, completando-se, enquanto as qualidades do homem são exatamente o oposto: recepção, desordem e incapacidade de se conectar com outros e completá-los. Todos atuam guiados por seu próprio benefício em detrimento dos outros e, portanto, veem desordem no mundo.

A desordem é uma qualidade decorrente da natureza do homem, do seu egoísmo.

Afinal, se todos pensam em si mesmos e são guiados por seu próprio benefício, sem levar em conta os outros, eles param todo o sistema, como uma engrenagem defeituosa.

Em vez de se conectar com o resto e se juntar como um relógio de trabalho, todos rodam em sua própria direção, como querem. Como resultado, nós resistimos uns aos outros, quebramos nossas engrenagens, e todo o mecanismo quase não funciona.

Existe outro sistema que pune e corrige, mostrando o quão mal nos sentimos por causa dessa atitude egoísta. Portanto, por falta de desespero, nós começamos pouco a pouco a levar um ao outro em conta. Embora essas considerações mútuas também sejam egoístas, porque o principal para mim é meu próprio bem, eu levo os outros em conta apenas quando necessário. Acontece que, de algum modo, nós conseguimos existir, mas nossas vidas estão cheias de sofrimento e caos. O caos e a desordem em nossas vidas são o resultado de todos estarem controlados pelo poder de seu próprio egoísmo e pensarem apenas em seu próprio bem e não no benefício do sistema comum. Este é o principal motivo da desordem que se manifesta em todas as áreas de nossas vidas.

De KabTV “Nova Vida” 24/10/16

O Caminho Do Caos À Harmonia, Parte 1

laitman_423.03Pergunta: Caos e desordem fazem parte da nossa vida. Normalmente, uma pessoa se esforça para determinar as leis e colocar tudo em ordem, mas a natureza sempre nos deixa fora de equilíbrio e mergulha no caos. Por que a nossa vida está constantemente fora de controle e nosso mundo se move em direção a uma desordem em constante crescimento?

Resposta: A sabedoria da Cabalá afirma que, de fato, nós existimos no Mundo do Infinito, em uma Luz sem fim, em um sistema ideal, organizado de forma ideal. Esse sistema é constante e nunca muda porque é absolutamente perfeito.

O sistema é chamado de Mundo do Infinito porque não tem limites e está em uma ordem ideal e imutável, sem necessidade de corrigir ou alterar qualquer um dos seus elementos. Mas uma pessoa existente neste sistema deve mudar constantemente. Nós temos genes informativos, registros (Reshimot) de impressões, estados, desejos e pensamentos que estão sendo constantemente atualizados.

Uma espiral de tais registros sobre pensamentos (isto é, impressões na mente) e desejos (impressões no coração) está constantemente se desenrolando em uma pessoa e ela está mudando. Portanto, parece-nos que o mundo está mudando, o que, de fato, é imutável. Nós vemos uma Luz constante, linda e infinita diante de nós, mas nossa percepção muda o tempo todo.

Se abordarmos a Luz em todas as nossas propriedades, nos sentimos bem, e se mudarmos na direção oposta, nos sentimos mal de todas as formas. Isso, de fato, determina toda a nossa vida. Portanto, podemos falar de caos ou harmonia apenas em relação a uma pessoa específica e ao mundo que ela sente em seus órgãos de percepção constantemente atualizados. Por isso, parece-nos que o mundo está mudando e estamos mudando, mas todas essas mudanças existem apenas em relação a nós mesmos. E se vemos o caos ao nosso redor, isso significa que esse caos existe exclusivamente dentro de nós.

Isso pode levar ao desespero porque resulta que eu não sei onde realmente estou e o que está acontecendo. Eu não vejo o Mundo do Infinito porque estou preso dentro da minha imaginação distorcida e percebo minhas próprias propriedades e pensamentos mudando constantemente de acordo com o programa que me é desconhecido. Isto é, eu vejo o meu próprio filme, a forma do mundo que meus pensamentos e desejos me projetam.

Pergunta: Mas se meus pensamentos e desejos são revelados de acordo com o programa de desenvolvimento, então há uma ordem neles.

Resposta: A ordem realmente existe, mas não nos é conhecida. E se reagimos de forma inadequada à sua revelação, entramos nessa ordem com propriedades, ações e pensamentos incorretos, e isso altera nosso desenvolvimento. É nisso que a nossa vida consiste e está acontecendo um momento após o outro.

De KabTV “Nova Vida” 24/10/17

Quem Está Controlando O Mundo?

laitman_263Pergunta do Facebook: Como você se sente em relação aos Estados Unidos? Muitos dizem que os Estados Unidos merecem catástrofes, de modo que essas são necessárias, e quanto mais rápido eles forem limpos, melhor para todos.

Resposta: Eu não concordo com isso porque tudo o que há no mundo vem de uma única força: o Criador. Ele controla tudo: Ele eleva e rebaixa diferentes países, povos e partes do mundo, envia furacões e terremotos, explode reatores nucleares, etc.

É assim que o controle superior funciona, querendo nos abalar e nos levar a ordem para que nós despertemos um pouco e deixemos de estar constantemente submersos em nossa própria tolice.

Portanto, ninguém é culpado: nem os Estados Unidos, nem a Rússia, ninguém. Tudo é controlado pelo Criador. Está escrito nas fontes Cabalísticas que os corações daqueles que controlam o mundo estão nas mãos do Criador. É por isso que eu não tenho nenhuma opinião particular, nem crítica ou aprovação, nem em relação a um sistema particular nem a um governo em particular.

Eu acho que todos nós juntos, como crianças pequenas, precisamos sentar e começar a estudar o sistema da gestão superior e só então entenderemos o quanto realmente precisamos fazer isso.

E os primeiros a se sentar e realmente estudar essa ciência devem ser aqueles que são gerentes do mundo porque canalizam as ações do Criador para o resto de nós. Eu espero muito que eles ouçam esse conselho e, em compreensão e conformidade com o controle superior, o mundo possa chegar a um estado de calma.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 02/10/17

É Possível Evitar O Sofrimento?

laitman_567.01Pergunta: Se pudéssemos experimentar o sofrimento que as pessoas experimentam em desastres naturais ou guerras, teríamos a possibilidade de escolher o nosso caminho mais corretamente?

Resposta: Não, neste caso, a pessoa simplesmente obedece e se submete aos golpes; isso não é escolha. A natureza está especificamente interessada na escolha consciente do próximo nível de desenvolvimento; caso contrário, não é uma escolha humana.

A transição do nível inanimado para o nível vegetativo e do nível vegetativo para o animado ocorre sob a influência dos golpes da natureza e uma pessoa em nosso mundo é o resultado desse desenvolvimento.

Atualmente, cabe a nós nos movermos conscientemente ao próximo nível, o nível falante, de uma maneira completamente diferente e, portanto, o método da sabedoria da Cabalá vem até nós sob a forma de um sistema de informação. Porque precisamente após os estados de desenvolvimento de inanimado, vegetativo e animado (onde estamos hoje), há uma tendência consciente de elevar-se acima do eu pessoal.

Nós estamos em um estado intermediário. Por exemplo, entre o nível inanimado e o vegetativo há o estágio intermediário chamado corais, entre o nível vegetativo e o animado há o nível do “cão do campo”, e entre o nível animado e humano (falante), há o nível do macaco. Portanto, entre o nível humano do nosso mundo e o nível humano no mundo superior, há o Cabalista.

Um Cabalista é uma pessoa que, por um lado, inclui dentro de si as propriedades animais deste mundo que são as características de uma pessoa em nosso mundo e, por outro lado, as características dos próximos níveis do mundo superior.

A ascensão de um Cabalista ao mundo superior não acontece sob a influência das forças instintivas da natureza; isso ocorre conscientemente. Portanto, a sabedoria da Cabalá nos ensina sobre a liberdade de escolha, o trabalho em grupo e como criar um estado especial dentro e ao nosso redor para ser alterado.

Aparentemente, por nós mesmos, nós saímos de um estado em que o ego nos maneja e nos elevamos ao próximo nível onde equilibramos o ego através da força boa que é revelada em nós oposta ao ego. Dessa forma, nós existimos com duas forças, uma força egoísta negativa e uma força altruísta positiva.

Na natureza do nosso mundo, a força altruísta não existe, então devemos atraí-la. Assim nós existimos na conexão, no equilíbrio dessas duas forças. Esse será o nosso próximo estado chamado linha média.

Eu espero que, conscientemente, usando o livre arbítrio, nós possamos tomar a decisão certa e chegar a esse estado sem guerras mundiais.

Pergunta: Se fizermos a escolha certa, evitaremos um apocalipse e desastres naturais?

Resposta: Sim, isso é assim, mesmo que uma pequena parte da humanidade entenda que a única maneira de evitar desastres naturais é seguir o método que nos é dado na sabedoria da Cabalá. Nós precisamos reconhecer que não há outra saída.

Pergunta: Qual é a razão para dar pancadas na humanidade se isso não for útil para o desenvolvimento?

Resposta: O acúmulo de sofrimento leva a humanidade a um estado em que ela começa a pensar no que fazer, ou seja, que os sofrimentos equilibram o ego humano.

Por exemplo, se uma criança não quer ir à escola, seus pais começam a limitar seus prazeres: eles tiram sua bola, depois sua bicicleta, e assim por diante, até que não lhe deixam a escolha senão aceitar ir à escola.

Mas mesmo nessa situação, a liberdade de escolha existe, a possibilidade de escolha permanece. Nos encontramos sempre com alguma limitação; a escolha é possível não só quando existe liberdade ilimitada.

Essa é a maneira pela qual a possibilidade de escolher a espiritualidade, entre recompensa e punição, existe em nós. Portanto, é nossa obrigação compreender todas as condições e circunstâncias que nos levam à situação única chamada “liberdade”.

Da Lição de Cabalá em Russo 10/07/16

Por Que A Natureza Nos Pune? Parte 2

laitman_765.1Pergunta: O que há de tão especial na situação ecológica de hoje? Qual é a diferença entre um terremoto ou uma erupção vulcânica que ocorre hoje e os que aconteceram mil ou duzentos anos atrás?

Resposta: O motivo desses cataclismos naturais é diferente. Mil anos atrás, a causa de um terremoto estava no processo natural de evolução que buscava nos avançar e para toda a natureza se equilibrar.

A causa vinha da própria força da natureza, e agora a causa é nossa própria negligência. Em vez de trazer todas as partes da natureza para a conexão, a pessoa causa separação universal.

Até agora, a própria natureza exerceu pressão sobre nós para desenvolver todos os seus graus – inanimado, vegetativo, animado e humano – até certo nível. Atualmente, já alcançamos esse nível predeterminado de desenvolvimento e entramos no estágio da chamada “humanidade integral”.

O mundo se transforma em uma pequena aldeia onde todos estão conectados entre si, e agora nós mesmos somos responsáveis ​​por manter o equilíbrio na natureza. Acontece que cada problema causado pela falta de equilíbrio aponta para o nosso comportamento incorreto.

Se anteriormente furacões e terremotos nos forçaram a avançar no desenvolvimento da tecnologia e economia, hoje, eles simplesmente nos humilham. Não basta reagir aos golpes da natureza pelo desenvolvimento da tecnologia; hoje, as mudanças sociais, e a correção das conexões sociais já são necessárias. Se não reagimos corretamente, agravaremos a situação.

De KabTV “Nova Vida” 10/10/17

Por Que A Natureza Nos Pune? Parte 1

laitman_738Pergunta: A Terra é a nossa casa comum, mas ultimamente o caos tem governado nela. Ao longo do ano passado, ocorreu um número recorde de catástrofes naturais: incêndios, inundações e furacões graves que impactaram países inteiros, bem como indivíduos, e resultaram em enormes danos materiais e emocionais.

A vida tranquila está chegando ao fim. Sabe-se que a Terra atravessou vários períodos geológicos, alguns dos quais foram muito instáveis. Essas catástrofes ecológicas são inevitáveis ​​como resultado do curso natural de desenvolvimento da Terra ou são algo excepcional que pode ser evitado?

Resposta: Todas essas catástrofes poderiam ter sido evitadas, uma vez que a natureza só se torna instável porque as pessoas não conseguem equilibrá-la. A natureza sempre nos empurrou ao desenvolvimento criando condições difíceis para nós, como calor, frio, terremotos e epidemias. Afinal, uma pessoa só começa a se mover quando se sente mal.

Nós somos egoístas e não fazemos o menor movimento se não acharmos que isso produza algum benefício para nós mesmos.

Portanto, a natureza é obrigada a nos enviar sofrimento para nos encorajar a se desenvolver. Depois, começamos a desenvolver a ciência e a economia, e começamos a estudar a nós mesmos e ao ambiente ao nosso redor em busca de uma maneira de organizar vidas mais seguras e mais confortáveis ​​para nós mesmos.

Todo esse desenvolvimento é necessário somente por causa dos problemas que experimentamos. Sabe-se que se quisermos que nossos filhos tenham sucesso, temos que exigir isso e forçá-los a estudar. Essa é a mesma maneira que a natureza nos desenvolveu ao longo dos milhares de anos da história humana. Desde o momento em que os seres humanos desceram das árvores e deixaram as cavernas, estamos nos desenvolvendo continuamente como resultado dos problemas “humanos”, que são um nível acima dos animais.

Isso significa que a natureza não apenas bate em nós como em todos os animais, forçando-nos a procurar comida, arar e cuidar da nossa prole, mas nos carrega com todos os tipos de problemas projetados para desenvolver nossas mentes e sensações. Devido a isso, nós vivemos não apenas pelos instintos animais, mas nos desenvolvemos em uma sociedade mais humana. Nós devemos construir nossas vidas porque nossos filhos precisam de cuidado por dez a vinte anos à medida que crescem.

A natureza nos empurra, não só através dos desejos primitivos como alimentação, sexo e reprodução, mas também nos direciona a desenvolver a ciência, os sistemas econômicos e a educação. Isso nos obriga a descobrir e explorar novos continentes e a explorar a natureza para melhorar nossas vidas.

Isto é, a natureza empurrou os seres humanos a se tornarem mais inteligentes. O desenvolvimento humano está, portanto, em contraste com o desenvolvimento da matéria inanimada, plantas e animais. Além disso, a natureza tem levado os seres humanos a se desenvolverem sensualmente e, assim, nos desenvolvemos nas áreas de cultura, educação e arte: pintura, música e literatura, que são determinadas pelo estado atual da humanidade.

Nós não vivemos como animais que se encontram por um curto período de tempo para produzir descendentes e depois se separam. As pessoas constroem famílias e países e usam a linguagem para se comunicar e transmitir conhecimento de uma geração para outra. Esse é um sistema inteiro que difere qualitativamente do nível animal de desenvolvimento.

No entanto, todo esse desenvolvimento intelectual não é suficiente porque a natureza exige ainda mais de nós. Ela quer que estejamos conectados em um sistema geral, se complementando mutuamente. No entanto, não somos capazes disso porque, por nossa natureza, permanecemos como animais egoístas.

Dentro de cada pessoa, o mesmo egoísta animalista permanece escondido, e todo o conhecimento que ele adquiriu através de milhares de anos de evolução apenas o ajudou a usar seu ambiente com mais habilidade e com o objetivo de obter maior lucro pessoal. Nós criamos sistemas sociais que nos impedem de devorar uns aos outros; no entanto, ainda tentamos lucrar uns com os outros. Isto é, nós implementamos limites que afirmam: o que é meu é meu e o seu é seu.

No entanto, isso também não funciona muito bem porque o egoísmo cresce constantemente e nos queima. Todos querem dobrar o mundo inteiro para satisfazer suas necessidades. Assim, não somos capazes de nos unir em um sistema comum e harmonioso. Esse é todo o problema: a sociedade humana, ao invés de progredir e tornar-se mais inteligente, está começando a descer e se voltar à origem de todo o mal, tornando-se a criatura mais nociva da Terra.

Os seres humanos destroem as formas inanimada, vegetativa e animal da natureza e envenenam o solo e a atmosfera. Existem milhares de toneladas de detritos cósmicos que rodam em torno da Terra, os restos de satélites. Nós não fazemos coisas sábias ou racionais por causa do nosso egoísmo e, portanto, não podemos ser incluídos corretamente no sistema da natureza.

O sistema geral e integral nos pressiona de acordo com o nível do nosso desenvolvimento. Ano após ano, deveríamos nos desenvolver mais e nos conectar corretamente, de forma benéfica, influenciando positivamente a sociedade humana, bem como todos os outros níveis da natureza.

No entanto, em vez disso, revelamos nossa total oposição à natureza e nos tornamos cada vez mais corrompidos. Consequentemente, nossa influência na natureza tornou-se pior e, portanto, não é surpreendente que a natureza nos traga muitos mais golpes do que antes.

De KabTV “Nova Vida ” 10/10/17

Duas Tragédias Americanas E O Paralelo Entre Elas

Dr. Michael LaitmanO ataque terrorista em Manhattan ocorreu não muito longe de onde as torres gêmeas costumavam ficar. Alguns anos após a sua destruição, teorias conspiratórias sobre o envolvimento dos judeus no incidente começaram a se espalhar pelo mundo.

Em todos os males o mundo tenta encontrar o “traço judeu”. Eu não ficaria surpreso se fôssemos responsabilizados por isso também, e talvez até mesmo mais rápido do que no passado. Por quê?

Está escrito no tratado “Yevamot” 63, “nenhuma calamidade vem ao mundo, senão para Israel”. Do ponto de vista do senso comum, soa religioso, místico, e até mesmo absurdo. Mas o fato é que é assim que o mundo “tradicionalmente” percebe o papel do povo judeu. Não importa as nossas contribuições para o mundo, não se vê nada de bom em nós, só prejuízo.

Essa atitude vem através dos meios de comunicação social, política, documentos oficiais, decisões de organizações internacionais, mesmo em buscas no Google. Continuam nos culpando por coisas que não têm a menor relação conosco. E isso se torna ainda mais urgente depois de acontecimentos trágicos.

A verdadeira causa por trás de tudo isso somos realmente nós. Mas não no sentido que parece para o mundo confuso. É justo que o povo judeu seja o portador da metodologia para a unidade, o potencial de coexistência pacífica e entendimento mútuo que todos precisam hoje.

Mas nós ignoramos esse tesouro; fingimos que nem existe. Então as calamidades vêm para nos lembrar, e lembra ao mundo, que a nação de Israel é que tem a capacidade de dar um exemplo de conexões sociais saudáveis, um exemplo de subir acima do ódio até a unidade.

Claro que os judeus não planejaram os ataques terroristas. Mas também não os prevenimos, embora pudéssemos. Essa é a nossa responsabilidade. É por isso que somos odiados agora e seremos amados quando as pessoas perceberem um bom progresso da nossa parte.