Textos na Categoria 'Globalização'

Terra: Os Últimos Anos De Vida

laitman_746.01Observação: Cientistas americanos e britânicos enviaram um relatório oficial à Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos de que a Terra se tornará imprópria para a vida até 2200-2400, independentemente do declínio estimado no crescimento populacional por volta de 2100.

Especialistas apontam para o perigo da mudança climática, inevitável devido ao aumento do consumo de energia, que continuará mesmo com a redução das emissões de gases de efeito estufa na atmosfera. Além disso, existem outros riscos globais. (Kathmandu Tribune)

Seguindo na mesma direção, Stephen Hawking sugeriu recentemente encontrar um novo lar para a humanidade no espaço. (NBC News)

Meu Comentário: O problema é que tais projetos não são realistas. As pessoas estão inextricavelmente ligadas a este planeta por um “cordão umbilical” invisível. Somos um só todo, estamos entrelaçados com um número infinito de fios e não podemos funcionar sem ele.

Mas digamos, por exemplo, que nos mudemos para Marte. O que acontece depois? Vamos poluir ou espremer todos os seus recursos, assim como fizemos com a Terra. Além disso, enfrentaremos problemas pessoais e sociais porque, tendo mudado o local de residência, não teríamos mudado nossa natureza. Então o que vamos fazer? Vamos vagar de planeta em planeta fugindo de nós mesmos? Não vai ajudar.

Nós trazemos a morte ao nosso redor porque essa é a nossa natureza. “Morte” é o egoísmo que quer devorar tudo. Ele desfruta que destrói tudo ao redor. Nós não vamos sobreviver em nenhum planeta. Afinal, não sabemos como levar em conta a natureza global e suas leis básicas.

Nós levamos em conta apenas o que é benéfico e conveniente para nós. Essa mesma atitude já é destrutiva para a Terra porque envenena o sistema planetário comum.

A carga negativa do egoísmo é o que realmente sacode a noosfera. Desequilíbrios crescentes na sociedade, entre pessoas, minam o equilíbrio em tudo. O que o futuro está preparando para nós? Na pior das hipóteses, depois de passar pelo sofrimento mais difícil – até o inverno nuclear e outras “delícias” antiutópicas -, finalmente perceberemos a necessidade de nos livrarmos do egoísmo.

Então as pessoas finalmente se elevarão acima de sua natureza egoísta e corrigirão esta Terra, deixando de poluí-la e arruiná-la de todas as maneiras. Afinal, a Terra tem um grande potencial regenerativo. Ela pode se recuperar se as pessoas pararem de prejudicá-la e aceitarem as leis da natureza que estabelecem interação, harmonia e homeostase.

Em outras palavras, tendo subido acima do egoísmo, estaremos como se estivéssemos em outro planeta, que cura as feridas e se relaciona conosco benevolentemente. Então não teremos que ir a lugar nenhum. Descobriremos que, se desistirmos do amor próprio, tudo irá servir à nossa prosperidade. E só resta uma pergunta: por que não fazer isso agora?

De KabTV “Notícias com Michael Laitman”, 23/01/18

O Exílio Egípcio Do Século XXI

laitman_749.01Por que foi benéfico para o Faraó criar Moisés em sua casa? Basta pensar, quanto o mundo ganhou com os judeus? O mundo deve todo o seu desenvolvimento aos judeus porque a Luz superior é conduzida através deles, através da qualidade de Bina à Malchut, trazendo-lhe tudo: o início de todas as religiões, crenças e conhecimentos.

Mesmo os desejos corpóreos por comida, sexo e família se desenvolvem porque a Luz brilha sobre eles de cima, além do nível animal. E isso é tudo porque há uma intenção de doar, representada por Israel. Portanto, mais Luz continua chegando e desenvolve os desejos. E o desejo em si não se desenvolve, está morto como poeira.

A única razão pela qual um desejo se desenvolve é para alcançar o próximo grau. E se todos os quatro estágios já foram alcançados: inanimado, vegetativo, animado e humano, o desenvolvimento posterior só pode vir de cima, através de Israel.

Isso pode ser visto pelo deslocamento do povo judeu experimentado na Europa quando foram exilados de um país para outro. Se não fosse por este pequeno grupo em nosso mundo, que de alguma forma está ligado à Luz superior, o mundo não teria se desenvolvido. Por que isso? Todo o desenvolvimento é feito em prol da obtenção da doação, adesão e fim da correção.

E se não houver tal grupo e nenhuma conexão entre a Luz superior e Malchut, Malchut não se desenvolve. Portanto, o mundo culpa os judeus por todos os seus problemas. Foram os judeus que causaram o desenvolvimento do mundo que chegou agora ao fim. O mundo está contra um muro, a crise global está se desdobrando, e os judeus obviamente serão culpados por isso.

Os judeus ficam impressionados com essas acusações porque deram ao mundo tanto bem, tantas novas invenções. Mas este é um mal-entendido do nosso papel, porque estamos destinados a algo completamente diferente.

É semelhante à história do exílio no Egito. No início, os judeus trouxeram muitos benefícios para o Egito, e depois a vida ficou ruim. Estas partes de Bina devem começar a subir a partir de Malchut e elevá-la ao próximo nível de desenvolvimento. É como uma mulher que está pronta para dar à luz, mas não consegue. Você pode imaginar o que aconteceria com essa criança?

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 11/03/18, Lição sobre o Tópico: “Preparação para Pessach”, Parte 1

A Vaca De Bill Gates

laitman_543.02Nas Notícias (Business Insider): “Bill Gates financiou a pesquisa genética de como criar a vaca perfeita – uma que vai produzir mais leite e ser capaz de resistir a temperaturas além do que é capaz a vaca comum”.

Meu Comentário: Eu acho que o problema não está em quanto leite é produzido, mas como é distribuído e comercializado. Por exemplo, Israel é o primeiro no mundo na produção de leite, mas o leite aqui não é de nenhum modo barato, porque o mercado está completamente regulamentado.

Há muitos obstáculos na comercialização do leite, que inclui o dumping, costumes, deveres, monopólios, e assim por diante. Eles minam quaisquer esforços dos “benfeitores”. Por causa das relações mutuamente corruptas, a humanidade é incapaz de cuidar de qualquer coisa útil e realmente eficaz para aqueles em necessidade.

Tentativas têm sido feitas, mas o interesse pessoal estraga tudo e se apega a tudo. É por isso que, mesmo se em algum momento, supervacas produzirem quatro vezes mais leite, isso não vai fazê-lo chegar aos seus destinatários africanos e asiáticos. Como último recurso, ele será despejado de forma a não derrubar os preços do mercado.

Antes de investir nesse tipo de projeto, precisamos investir na conexão da humanidade. Sem ela, as nossas boas intenções são impotentes.

Não é necessário inventar algo novo se as condições adequadas para isso não forem criadas primeiro. Apenas salvando o excesso de produção, que vai para os lixões, poderíamos prover a um grande número de pessoas que estão morrendo de fome. No entanto, com as nossas atuais relações económicas e sociais, isso não é realista.

Portanto, o problema não está na produção, mas nas pessoas. Mais especificamente, na sua dissociação e desrespeito para com o outro. Ao unirmo-nos, veremos como utilizar os recursos de forma adequada, que agora realmente temos em abundância. Se a humanidade se tornar uma família, encontrará maneiras reais para distribuir produtos e, em seguida, será possível pensar em produção. Até então, o leite, como tudo o mais, desaparecerá no poço sem fundo do nosso egoísmo.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman,” 30/01/18

Ecologia Das Relações Humanas

Laitman_707Há seis meses, no México, houve um terremoto devastador e outro recentemente. Em tempos de tais catástrofes, as pessoas tornam-se muito sensíveis e buscam a unidade. Uma boa conexão entre as pessoas pode criar uma atmosfera melhor na sociedade e assim afetar a natureza.

A natureza em geral consiste em quatro níveis: inanimado, vegetativo, animado e humano, que estão no topo desta pirâmide. Se as pessoas conseguem mesmo uma pequena quantidade de conexão positiva, esta tem um efeito muito poderoso em todas as camadas inferiores da natureza, especialmente no nível inanimado onde ocorre terremotos, erupções vulcânicas, tsunamis e tufões.

Nós precisamos apenas nos corrigir um pouco: nossa atitude uns com os outros para trazer paz e harmonia para a sociedade humana, e isso terá um enorme impacto na natureza inanimada, no ambiente e na Terra em que vivemos. Nós podemos aliviar todas as camadas inferiores da natureza abaixo da humanidade.

A sociedade humana tem uma influência muito forte sobre a natureza em geral. Atualmente, nós falamos muito sobre o fato de que destruímos tanto a ecologia que as mudanças são irreversíveis e que a vida na Terra se tornará quase impossível. Na verdade, não poderemos viver na Terra e isso nos forçará a mudar as relações entre nós. Então, a natureza retornará ao estado corrigido.

Nada desaparece sem deixar rasto; é possível recuperar a natureza quase do zero: espécies desaparecidas de animais e plantas, geleiras derretidas. A natureza em sua totalidade retornará ao equilíbrio logo que equilibremos nossos relacionamentos.

Da Lição de Cabalá “Perguntas e Respostas”, 18/02/18

O Mundo Está Melhorando

laitman_202.0Pesquisadores do projeto “Our World In Data” (“Nosso Mundo Em Dados”), apoiados por números em suas mãos, verificaram que houve melhoras significativas no mundo nos últimos duzentos anos. Por exemplo, no início do século XIX mais de 94% da população do mundo eram indigentes, enquanto hoje este número é de 9,6% (OurWorldinData.org).

Uma em cada dez pessoas com mais de 15 anos podia ler, enquanto hoje 85% das pessoas são alfabetizadas. Há duzentos anos, 43% dos recém-nascidos chegavam ao seu quinto aniversário, hoje a taxa de mortalidade infantil mundial é de até 4%.

Na verdade, nós aprendemos a cuidar dos nossos corpos e conseguimos um grande sucesso ao fazer isso. Mas o que está acontecendo com o corpo não é exatamente o que está acontecendo com a pessoa.

Antes as pessoas costumavam lutar pela sobrevivência diária e raramente questionavam seu significado. Hoje, quando os países desenvolvidos garantem praticamente todas as suas necessidades básicas, surge a questão: “Qual o sentido da minha vida?”

Não há resposta.

Com o tempo, algumas pessoas ficam realmente incomodadas com essa questão. Não importa o quanto tentamos escapar ou ocultar, o vazio permanece. Atrás dela não há apenas uma simples obscuridade, mas um problema para toda a humanidade: a ausência do sentido de seu próprio fundamento.

É por isso que, embora a vida se torne mais fácil, ela também se torna mais difícil. Inconscientemente, nós carregamos esse fardo de verdade tácita dentro de nós, um erro na base da nossa consciência.

Nós podemos nos orgulhar de nossos indicadores estatísticos, mas, na realidade, estamos nos tornando mais solitários; mesmo em nossas famílias, interagimos cada vez menos. Há um vácuo em torno de cada um. Em vez de felicidade e prosperidade comuns, estamos vagando no escuro entre as sombras. À medida que prosperamos materialmente, nos tornamos espiritualmente indigentes.

É por isso que as pessoas deixaram de acreditar em um futuro melhor, apesar do aumento do padrão de vida. Não é de se admirar que a porcentagem de otimistas tenha caído abaixo de dez por cento em alguns lugares.

Infelizmente, nem todos percebem que o motivo disso é a falta de sentido. Mas, em certo ponto, esta questão se tornará primordial para todos: “O que é isso tudo? Para que existe?” Então as pessoas vão ouvir o que a ciência da Cabalá, que estuda o nível superior do sistema de governança, diz. Não há outra resposta, tudo o mais é apenas uma corrida e adiamento.

Assim, a questão da falta de sentido na vida e da falta de seu objetivo nos leva à verdadeira revelação e ascensão. Quando penetrarmos na visão do sistema superior e começarmos a interagir conscientemente com ele, nossas vidas se tornarão verdadeiramente produtivas. Nós participaremos ativamente do nosso próprio desenvolvimento, e de pessoas infelizes, solitárias e pequenas, nos tornaremos criaturas grandes, eternas e perfeitas.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 30/01/18

Congresso De Hackers

laitman_959Nas Notícias (Deutsche Welle): “O Chaos Computer Club (CCC) é uma das principais reuniões de white-hat hackers (hackers bem-intencionados) e feiras de fabricantes, e sua reunião geral anual em Leipzig nesta semana foi uma celebração de artes digitais e acrobacias tecnológicas.

“O que os white-hat hackers hackers de computadores e os freaks de tecnologia fazem quando se juntam em uma grande horda? O lugar para descobrir é Leipzig, e a hora é agora. Isso ocorre porque a CCC está realizando sua 34ª reunião anual lá, de 27 a 30 de dezembro, sob a rubrica ‘Faça Algo’.

“Espera-se que cerca de 15 mil pessoas participem do evento esgotado, cerca de 3.000 a mais do que no ano passado. Para os hackers e os nerds de computadores da Alemanha, é o maior e melhor festival do ano. …

“A CCC está preocupada com a liberdade de informação, privacidade, tecnologias digitais, experimentação e artes digitais, cultura e política, entre outras coisas.”

Pergunta: É prejudicial para a sociedade ter acesso a dados gerais sobre qualquer indivíduo? Quem pode ser autorizado a ter esse acesso?

Resposta: Isso é um problema. Se a sociedade fosse corrigida, todas as informações estariam acessíveis e abertas e tudo seria corretamente aceito, compreendido e digerido, como em um moedor de carne, e teríamos uma “linda costela”.

No entanto, quando as organizações federais reguladoras da sociedade e dos vários países, seus advogados, tribunais e outros, estão apenas esperando moer e moldar tudo para seu próprio favor, eu não acho que esse tipo de acesso seja digno de revelar. Eu acho que, nesse caso, a Internet se transformará em um esgoto.

Se abrirmos a Internet e despejarmos tudo, será como o que ocorre nos nossos oceanos; enquanto você voa, você vê as montanhas de lixo no meio do oceano. A Internet também é um oceano. Ela realmente pode conter qualquer coisa, mas, em última instância, mesmo que seja infinito e sem limites, as montanhas de lixo começarão a se acumular, o que terá o efeito de diminuir o fluxo de informações, criar spam e assim por diante.

É por isso que não sou a favor da liberdade absoluta, mas de uma liberdade razoável. Temos que lidar com o indivíduo como com uma criança – permitindo apenas o que é benéfico para o seu desenvolvimento. Se permitimos que uma criança faça absolutamente tudo, podemos causar-lhe danos. É o que acontece aqui.

A humanidade é como crianças irracionais, exigindo educação. Ao mesmo tempo, podemos permitir qualquer coisa na Internet de acordo com a educação que a humanidade recebe. No entanto, apenas com base no nível de educação – de modo que o indivíduo retire da Internet apenas o que é realmente benéfico para ele e para a sociedade.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman”, 07/01/18

Os Ricos Ficam Mais Ricos, Mas Eles Não São O Problema

A estratificação social está aumentando no mundo. Os ricos continuam a ficar rapidamente mais ricos e os pobres mais pobres.

De acordo com dados recentes, no ano passado, um por cento da população mundial acumulou cerca de um terço da riqueza do mundo. Isto é ruim? No âmbito do egoísmo humano, isso é normal e natural. Não se trata de bilionários. Como todos nós, eles também não podem sacrificar sua natureza (The Guardian).

O nosso egoísmo é sem fundo e nada é suficiente para ele. É bom que hoje nós ainda consigamos mantê-lo sob controle e repassemos alguns fundos para os outros. No entanto, a tendência geral leva a um beco sem saída.

Afinal, uma pessoa rica estima seu sucesso não em bilhões, mas em sentimento. Ela não sente que é rica, porque os outros são mais ricos do que ela ou porque ela ainda não é dona de tudo e de todos.

Paradoxalmente, com cinquenta bilhões, ela sente-se mais pobre do que antes. Não há limite. Ela dá enormes somas para causas de caridade exatamente porque o dinheiro em si não a satisfaz. A propósito, seríamos exatamente os mesmos em seu lugar.

Por outro lado, mesmo infusões maciças no Terceiro Mundo não ajudaram a mudar radicalmente a situação. Centenas de milhões de pessoas ainda passam fome e a maioria das pessoas está longe de satisfazer suas necessidades básicas.

O que deveria ser feito?

Para começar, precisamos entender a essência do problema, sua raiz. O mal não está na concentração de riqueza do mundo, mas no próprio sistema, onde as pessoas são incapazes de mudar, porque não querem ouvir que precisam mudar a si mesmas.

Nós somos confrontados com o desafio da história: a necessidade de renovar radicalmente a natureza humana e nutrir uma nova qualidade de doação aos nossos companheiros seres humanos. Só isso nos fará mais iguais, verdadeiros, honestos, confiáveis e sem derramamento de sangue. Esta não é uma solução “padronizada para todos”. Em vez disso, ela permite que todos se realizem ao beneficiar os outros.

Somente assim encontraremos nossa vocação e felicidade.

Verdade E Mentira, Parte 5

laitman_547_01Pergunta: Todo o nosso mundo é baseado em mentiras que, inicialmente, provêm da natureza humana. Nós atravessamos isso como se fosse em uma selva escura cheia de decepções, sem saber se vamos sair. Nós sempre vamos viver em um mundo de decepção ou o mundo mudará no futuro?

Resposta: O desenvolvimento nos leva a um ponto em que não podemos mais viver em mentiras. Só podemos mentir até um certo limite, e então começamos a nos machucar tanto que não podemos tolerar isso. Nós simplesmente não podemos continuar a existir porque não há uma gota de verdade restante em nossas relações.

Não podemos mais nos comunicar nem realizar qualquer tipo de negócio. Em um mundo construído na enganação completa, não há conexões entre as pessoas e, portanto, desmorona. Isso é exatamente o que está acontecendo com ele hoje.

Pergunta: Como o mundo poderá avançar?

Resposta: O mundo alcançará o reconhecimento do mal, isto é, entenderá que vivemos em mentiras e que devemos alcançar a verdade. A verdade está nas conexões corretas e gentis entre nós: autênticas, não falsas.

Vamos parar de nos enganar; nós aprenderemos a dizer a verdade e educaremos nossos filhos no espírito da verdade. Queremos ser sinceros uns com os outros e, nessas qualidades, descobriremos a força superior que é a verdade absoluta.

É com este objetivo em mente que estamos no engano, inicialmente nos encontrando na quebra, no pecado da Árvore do conhecimento, sob o controle da serpente e em mentiras completas. Não há uma gota de verdadeiro prazer em nossa vida – é tudo apenas para escapar do sofrimento. Mesmo descansar é apenas a recuperação da fadiga anterior.

É assim com tudo. Nós experimentamos um prazer falso, porque queremos simplesmente nos livrar do sofrimento que experimentamos anteriormente. Portanto, não há bem sem o mal primeiro. No mundo do amanhã, onde não haverá mentiras, um bem é substituído por outro bem maior, e tudo fica cada vez melhor.

Já lhe parece que o bem anterior não era tão bom; afinal, há um melhor. Hoje nós escolhemos o menor de dois males, e no mundo corrigido, substituiremos um bem menor por um maior.

De KabTV “Nova Vida” 16/11/17

Queixe-se De Quem Nos Criou

laitman_272O mundo está começando a sentir que atingiu um beco sem saída. Acontece que não há democracia, nem liberalismo. A que ponto chegamos ao permitir que os meios de comunicação e os oligarcas funcionem livremente e desenfreados?

Depois de uma década, eles se reunirão novamente em Davos e proclamarão: “Agora, 99% do capital total é de propriedade de 1% da população, e logo todos os 100% estrarão em nossas mãos. Todo o resto pode morrer de fome. Nós, é claro, sentimos pena deles, mas não podemos fazer nada sobre isso. Este é um caminho egoísta de desenvolvimento. Se você não gosta disso, reclame ao Criador “.

Os próprios ricos dirão: “Você quer mudar, mas isso não está em nossas mãos. Não temos culpa; somos os mesmos egoístas como todos os outros. Você teria feito o mesmo em nosso lugar. Todo o dinheiro acumulou conosco porque o desejo de desfrutar obrigou-nos a agir desta maneira. Queixe-se de quem nos criou. “Talvez, as pessoas infelizes que não têm uma única migalha entendam que precisam se voltar ao Criador.

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá 25/01/18, Escritos do Baal HaSulam, “Introdução ao Livro do Zohar“, Item 60

Como Neutralizar A Negatividade Do Facebook

Zuckerberg e sua equipe estão gradualmente se tornando conscientes do impacto que sua criação tem sobre as pessoas. O Facebook não nega que isso possa fazer com que as pessoas dependam e espalhem notícias falsas (Ziff Davis, LLC).

Agora ele também admitiu que as redes sociais podem influenciar diretamente a democracia e não da melhor maneira (NPR).

Nada pode ser feito aqui. O meio mais poderoso de influenciar o mundo é muito lucrativo. Na verdade, uma rede social pode “instalar um novo software” em qualquer pessoa com ou sem a sua consciência.

Uma pessoa é um ser social; ela tem “botões” e “molas” que agem inconscientemente, mas muito eficazmente. Portanto, não importa o que a rede social diga, que pecados ela confessa, ela nos domina e decide por nós como olhamos para o mundo.

Na verdade, uma rede social não é apenas uma plataforma da Internet, mas a ponta do iceberg. Graças a ela, a “pesada” propaganda ideológica é substituída por um tratamento psicológico discreto e muito mais poderoso. Ele penetra profundamente no inconsciente e implanta uma atitude em relação à vida. Todo o resto é derivado disso.

Como resultado, uma pessoa aceita tudo o que o sistema está lhe alimentando e continua sendo um consumidor eterno em sua estrutura.

É hora de reconhecer o mal que os arquitetos das relações “corretas” de voz meiga nos oferecem. Nossa interligação deve crescer a partir do calor do coração, e não de uma instituição de caridade exemplar. Os anúncios apelativos e belos gestos ajudam a “domar” o nosso egoísmo, mas não fazem nada para corrigi-lo.

A única maneira de escapar dessa influência é escolher conscientemente outro “programa”, outros critérios de interação e assistência mútua. Com a ajuda do método da Cabalá, podemos criar uma rede social de corações, não de usuários. Podemos realmente melhorar a sociedade em que vivemos e, certamente, sem danos à democracia.