Textos na Categoria 'Filosofia'

A Sabedoria Da Cabalá E A Filosofia: Quem Tem A Última Palavra?

Dr. Michael LaitmanVamos primeiro esclarecer a relação entre a sabedoria da Cabalá e a filosofia.

Em geral, a filosofia estuda o que é a vida, qual o seu significado e propósito, e qual é a atitude do homem para com a vida e a natureza.

Em uma palavra, a filosofia parece abarcar tudo. Ao mesmo tempo ela não é chamada de ciência, porque estuda o homem e o nível humano da realidade; em outras palavras, a esfera que não podemos medir. Não há opiniões claras e precisas aqui que possam ser aceitas como fatos.

Nos métodos científicos, devemos estudar a natureza inanimada, vegetal e animal, que são os níveis mais baixos para os quais o homem olha de cima a partir da altura do próximo nível evolutivo. Nós podemos descer a eles, percebê-los, investigar e compreendê-los. Isto também se aplica ao nosso corpo que pertence ao nível animal da natureza.

Mas não é possível estudar o “humano” em nós com precisão. Nós tentamos classificar cientificamente os diferentes fenômenos, respostas, percepções, pensamentos e desejos internos, mas não conseguimos. Por quê? Porque é o nosso próprio nível, o mesmo nível e eu só posso estudar o que está abaixo de mim.

Este é todo o problema. É de conhecimento comum, embora a ciência realmente tenha começado da abordagem do homem em relação si mesmo e à vida. Não é por acaso que os graus em todos os campos são chamados de “Doutor em Filosofia” (PhD), embora eles não tenham nada a ver com filosofia. A abordagem geral em relação a si mesmo e à realidade é simplesmente chamada de “filosofia”.

Este termo é realmente derivado da sabedoria da Cabalá. Eis o que diz o linguista e humanista alemão Johann Reuchlin, um dos maiores especialistas em línguas antigas do século XVI, conselheiro pessoal do Imperador Maximiliano I, e que manteve contato com a Academia Platônica:

“Meu professor Pitágoras, pai da filosofia, provavelmente recebeu sua sabedoria dos judeus e não dos gregos, e ele é o primeiro que traduziu a palavra “Cabalá”, que não era familiar às pessoas em seu tempo, para a palavra grega “filosofia”. A filosofia de Pitágoras vinha do mar infinito da Cabalá… a sabedoria da Cabalá não nos deixa passar a via a toa, mas eleva nossa mente ao cume do conhecimento”.

Filósofos gostariam de mostrar que seu campo engloba todos os aspectos da vida. A propósito, até recentemente, a fim de estudar a Cabalá numa universidade, a pessoa tinha que ser aceita na faculdade de filosofia. As pessoas ainda supõem que a Cabalá faz parte da filosofia, embora os verdadeiros filósofos admitam que não.

De qualquer forma, esta é uma questão diferente. O mundo moderno desrespeita a filosofia e a razão, já que muitos estudam filosofia hoje apenas para obter um grau. Mas quando falamos de filosofia, nos referimos a uma visão de mundo, a uma percepção de vida, a um paradigma de algum tipo. Cada um de nós é um filósofo internamente. Nesse sentido, nós temos que entender para que servem essas abordagens e para que não.

A perspectiva de uma pessoa, sua atitude para com a vida e para consigo mesma, está em constante mutação e, no final, sobre esta esfera se eleva a sabedoria da Cabalá, a inauguração da filosofia, assim como foi descoberta por outras religiões, após um longo período de ocultação. Esta sabedoria esperou que a humanidade crescesse e se desenvolvesse. No início da história ela gerou ciências e filosofia, e hoje em tempos de crise global, ela é revelada novamente, após as religiões e a filosofia, por ser a única abordagem que uma pessoa tem para a vida. A sabedoria da Cabalá inclui todas as percepções e, por fim, as substitui.

Da 4ª parte da Lição Diária de Cabalá 04/12/12, “A Cabala e a Filosofia”

Cabala e os Ensinamentos Ocultos

Pergunta: Será que a Cabala luriânica rejeita as ciências ocultas herméticas? Pode uma pessoa materialista orientada considerar as ciências herméticas reais? Será que elas realmente existem, ou não?

Resposta: Todas as ciências herméticas não são reais, pois elas não têm base alguma para si, elas são apenas um produto da imaginação de alguém, uma  fantasia. Ter o meu doutorado em Filosofia (o tema de minha tese é “Filosofia, Religião e Cabala”) me dá o direito de afirmar com confiança que a Cabala é uma ciência pura.

Porque filosofia e de qualquer outra das nossas tentativas de entender a realidade não são baseadas em pesquisa, mas unicamente na razão, que é realmente baseado no que não é conhecido, via de regra, elas são baseados no nosso egoísmo, mas nós não percebemos isso.

Como resultado, a filosofia morreu há muito tempo. Todos os ensinamentos chamados “espirituais” estão gradualmente desaparecendo, já que as pessoas se elevam acima deles e nota eles são inválidos. Não há evidências ou verificações sobre a veracidade de vários ensinamentos espirituais. Eles estão baseados exclusivamente nas nossas sensações, mas como todos sabemos, os sentimentos podem ser muito diversos, é por isso atualmente existem cerca de 2.800 religiões e sistemas de crenças, e estamos vendo eles desaparecer gradualmente.

A Cabala não é a favor ou contra.  Ela fica de lado delas, que explora a natureza como a física ou a qualquer outra ciência normal faz. O princípio maior da Cabala é investigar a natureza, tornar-se semelhante a ela, e vencer. Cabala é uma ciência muito concreta, que não fala sobre a alma da forma que outras religiões fazem.

Uma alma na Cabala significa uma realização extremamente grave e profunda e compreensão do mundo em que vivemos atualmente. O objetivo deste tipo de realização é ficar à tona e proteger-nos de uma enorme tempestade que se aproxima de nós em resposta à nossa ignorância e falta de vontade de seguir as leis da natureza.

[92241] A
A partir da Convenção Geórgia,5/11/12,Lição 1

Dê o poder à Ciência

Se olharmos para livros de história de uma forma diferente, vamos ver como suas descrições são diferentes. Parece que a humanidade passou por uma mesma história, incluindo todos os seus problemas, guerras, e sucessos, mas todas as nações as descrevem do seu ponto de vista. Como resultado, os livros didáticos que devem refletir a verdade final se contradizem um do outro.

Às vezes eu falo com líderes de diferentes movimentos em outros países. Cada um deles é absolutamente certo de que seu movimento tem que liderar o mundo todo. Isso inclui movimentos religiosos e seculares, as organizações ligadas à ecologia, a proteção da vida selvagem, e muitos outros. Enquanto estou no meio deles, como eu sou diferente deles?

Sem tentar responder a essa pergunta, nós trazemos a mensagem cabalística para as pessoas de uma forma diferente. Nós não tentamos provar quem está certo e quem está errado, e nós não dissecamos opiniões diferentes. Nós não tentamos examinar as coisas do ponto de vista da história ou uma direção religiosa porque, em cada uma dessas áreas, cada pessoa pode apresentar a sua própria razão para justificar a sua opinião. [Leia mais →]

Práticas “Espirituais”: A Revisão Final

Dr. Michael LaitmanPergunta: O egoísmo, com sagacidade e inventividade, descreve vários quadros diante de mim. Como eu posso discriminar a mentira neles, que parece amor pelos outros? Afinal, todos os tipos de religiões e métodos também falam de amor.

Resposta: No nosso mundo, o “amor ao próximo” é um jogo simples e primitivo de pequenos egoístas. Será que você realmente consegue encontrar o verdadeiro e sublime amor ao próximo em qualquer lugar, que seja realmente praticado de forma contínua?

Na verdade, as pessoas criam diversos assentamentos para viver em amor umas com as outras: existe uma vila assim na Itália, uma na Índia, e uma cidade inteira na Ásia. Mas, se você olhar um pouco mais de perto, você verá que elas ainda são as mesmas egoístas, que só decidiram introduzir costumes sociais mais confortáveis. Isso é mais confortável e prazeroso para elas, e assim elas se uniram para tornar suas vidas mais agradáveis.

Anteriormente, os Kibbutzim (plural de Kibbutz) floresceram em Israel – assentamentos agrícolas de propriedade coletiva, semelhante a uma fazenda coletiva. As pessoas decidiram que era compensador para elas viver juntas, porque isso lhes trazia mais benefício. “Vamos abrir mão de certo egoísmo e, então, nos sentiremos bem”. Tudo está claro sobre isso, mas será que isso é realmente altruísmo?

A humanidade supõe que dar ao próximo torna a pessoa uma altruísta. Porém, as pessoas que são um pouco mais informadas sobre a natureza humana, ou que estudam a ciência da Cabalá, sabem que qualquer doação tem que vir com um lucro. Não importa ao que a pessoa esteja renunciando, você consegue descobrir o que ela está ganhando com isso. Mesmo que o lucro esteja oculto, ele está definitivamente presente.

Por exemplo: eu quero viver em um Kibutz porque isso remove minhas preocupações sobre como organizar a minha vida. Isso não é um benefício? Eu não tenho preocupações. Eu simplesmente faço o que me dizem para fazer. Mas, o desenvolvimento segue seu curso e com o tempo os Kibbutzim se tornaram superados. Como um todo, esses tipos de comunidades não têm futuro.

Nós já percebemos que todas as formas de interconexão entre as pessoas devem mudar, devido ao egoísmo que cresce nelas. Mudanças continuam acontecendo, e essa dinâmica interna tem que acontecer de alguma forma ou então haverá uma explosão.

Isso aconteceu durante o curso da história com várias religiões, crenças e métodos. Hoje, eles estão passando por uma explosão mundial porque o homem começou a buscar novamente. Ele está conduzindo a revisão final: será que esses métodos podem oferecer algo real?

Depois dessa análise essas práticas cairão pela última vez. Afinal, hoje nós as verificamos em relação ao mecanismo integral que a natureza coloca diante de nós. Nós nunca tivemos esse critério. As pessoas estão mais uma vez virando a página de toda sorte de práticas, confissões, e ensinamentos místicos, tentando entender: será que eles podem nos ajudar no novo mundo integral?

Esse processo vai levar pouco tempo e chegará rapidamente ao final com todas as expectativas se estraçalhando. Todos verão que não tem sentido esperar ajuda deles. Qualquer assunto que for checado irá persistir por alguns anos no máximo, quando então irá revelar sua inadequação.

Afinal, se você não muda a natureza do homem, para que ela se integre nele como a própria natureza, então nenhuma receita irá ajudá-lo. O único método que torna o homem global, integral e unido com os outros é o método de atrair a Luz que corrige, a ciência da Cabalá. Cada pessoa só precisa receber a oportunidade de perceber seu mal. Então, todos os meios e suas combinações se tornarão impotentes, e todo esse negócio de truques “espirituais” acabarão não existindo.

O homem não será capaz de se acalmar, porque o mundo mudou e o problema não é mais como se acalmar, mas um ”conflito de interesses”. Ninguém será capaz de sobreviver no sistema integral sem se tornar adequado a ele.

Da 5a parte da Lição Diária de Cabalá 07/07/11, Matan Torah

A Ciência Para Além Dos Limites

Dr. Michael LaitmanA filosofia recusa-se a confiar somente em experimentos científicos, e às vezes tira conclusões apenas com base na imaginação humana. Mesmo uma teoria totalmente abstrata, quando se considera que suas conclusões intelectuais estão acima dos fatos reais, é também considerada filosofia.

Enquanto você trabalhar como uma máquina, como um cientista, com base em factos rigorosos, você não vai cometer erros. No entanto, assim que você se separa deles e começa a “filosofar”, suas conclusões não valem nada. Isso é o que afirma a Cabalá.

Por um lado, a Cabalá parece diminuir a pessoa, transformando-o em uma “máquina” que opera de acordo com um sistema simples. Mas, por outro lado, ela está pronto para presenteá-la com novas possibilidades, novos instrumentos de percepção. No entanto, ela adverte que não devemos subir acima da nossa racionalidade, porque vamos cometer erros. Ela nos oferece novas ferramentas de investigação, a fim de revelarmos o mundo ainda mais.

A mente humana alcança “os céus”, mas a pessoa não pode subir acima deste limite; este é o seu limite. As ciências externas vão até este limite, mas não vão além porque vão começar a filosofar. Em vez disso, a pessoa tem a possibilidade de continuar a prosseguir seu experimento científico com a ajuda da Cabalá.

A razão para a eterna luta entre a Cabalá e a filosofia é porque a filosofia se intromete na área onde age a Cabalá. As ciências externas não vão lá. Elas trabalham estritamente dentro do seu campo: a investigação nos instrumentos egoístas do conhecimento.

No entanto, hoje, estamos alcançando um estado especial em que a ciência está chegando ao “céu “, seu  limite. A Cabalá quer continuar as experiencias científicas com o homem para além deste limite, usando o mesmo princípio estrito, mas baseando-se em fatos óbvios, sobre “o que os olhos podem ver”.

É por isso que ela precisa expulsar filosofia dessa área e mostrar que não há lugar para ela lá. Afinal, a filosofia vai lá com fantasias e a Cabalá vem com instrumentos reais de pesquisa (qualidade da doação).

Embora seja verdade que, para investigar esta área da realidade,  a pessoa precisa ter novos órgãos de percepção e uma nova abordagem baseada na força de doação, em vez da recepção. É por isso que a Cabalá é chamada de ciência superior. Mas ela não deixa de ser uma ciência!

 Da 4a parte da Lição Diária de Cabalá 28/12/10, “A Sabedoria da Cabalá e a Filosofia”