Textos na Categoria 'Facebook'

Minha Página No Facebook: “Trump Alinhado Com O Eleitorado, Não Com A Política Como De Costume”

Da Minha Página no Facebook Michael Laitman 17/01/18

O fato de que a maioria dos especialistas, políticos e líderes de opinião está constantemente falando contra Trump mostra algo sobre o fenômeno Trump que o público, o governo e a mídia não conseguem reconhecer ou não podem aceitar. Na minha opinião, esse algo tem a ver com uma mudança fundamental que eu espero que aconteça muito em breve em como executamos tudo no planeta. O futuro não será mais do que já sabemos. E Trump, estando ciente disso ou não, é o precursor dessa mudança.

Leia meu artigo completo no Newsmax

Minha Página Do Facebook: “Pais: A Controvérisa De Logan Paul Deve Se Tornar Seu Despertador”

Da Minha Página do Facebook Michael Laitman 11/01/18

Basicamente, nós permitimos que a geração de Logan retomasse seus exemplos, modelos e valores de uma cultura de mídia que está extremamente saturada de violência, e agora estamos deixando os modelos para os filhos de hoje.

Leia meu artigo completo no Newsmax (em inglês)

Minha Página Do Facebook: “Os Pais Devem Ensinar Os Filhos A Resgatar Os Valores Das Mídias Sociais”

                            Da Minha Página do Facebook Michael Laitman 24/12/17

Pais do século 21, a controvérsia de Logan Paul deve tornar-se seu despertador. De onde ele tirou a ideia de que a filmagem de um cadáver é apropriada? Logan Paul é um jovem de 22 anos que cresceu em uma cultura que o cercou com representações visuais de sangue e violência. Como os típicos americanos de sua idade, Logan assistiu mais de 200 mil atos de violência que incluem mais de 16 mil assassinatos quando tinha 18 anos. Ele também assistiu à programação infantil que mostra até 20 atos violentos por hora.

Nós, basicamente, permitimos que a geração de Logan retomasse seus exemplos, modelos e valores de uma cultura de mídia que está extremamente saturada de violência, e agora estamos deixando os modelos para os filhos de hoje.

Portanto, pais, se vocês já tiveram o suficiente e querem recuperar o controle sobre a educação de seus filhos, sugiro que deem às mãos e exijam do YouTube e outras plataformas de redes sociais que endureçam seus regulamentos, para que os usuários não possam fazer o upload de conteúdo impróprio.

Mas regulamentos, sanções e precauções realmente não resolverão a raiz do problema. Mais cedo ou mais tarde, não haverá escapatória a não ser passar nosso sistema educacional e seus métodos por uma reforma completa.

Pais, entendam o mundo dos seus filhos. Eles passam 8 a 11 horas por dia colados em suas telas, principalmente em mídias sociais. Eles se aborrecem facilmente e rapidamente vão para a próxima atração com o deslize do dedo.

Nós passamos pelo palco onde a educação era sobre informação e conhecimento. Nossa educação agora deve se concentrar na construção do ser humano. E isso significa construir um sistema de valores dentro da pessoa e um ambiente social em torno dela que equilibre o ego humano e o dirija para uma realização positiva.

Meu artigo completo no Newsmax

Minha Página Do Facebook: “Opinião Sobre Notícias De Última Hora De Israel”

Da minha página do Facebook Michael Laitman 04/01/18

Em vez de tentar dizer aos que se ressentem de Israel de que estão errados, primeiro devemos nos explicar de onde esses sentimentos realmente vêm. Seria muito benéfico para Israel, os judeus em todo o mundo e até mesmo a sociedade humana em geral, que Israel investisse em uma estratégia de relações públicas que revele o verdadeiro fundamento do povo judeu. O povo judeu foi fundado no princípio da unidade acima das diferenças. Em consequência, eles devem exemplificar essa unidade para a humanidade seguir. Ao fazer isso, eles se tornariam um canal vital que tem o poder de substituir a divisão, os conflitos e o sofrimento da humanidade pela unidade, paz e felicidade. Como o Rav Kook escreve: “Em Israel reside o segredo da unidade do mundo.

Leia meu artigo completo em Breaking Israel News (inglês)

Minha Página Do Facebook: “Sobre A Neutralidade Da Rede”

Da Minha Página Do Facebook Michael Laitman 28/12/17

Quando o dinheiro se tornou um fator no campo de jogo da Internet, ele perdeu completamente sua neutralidade. O comportamento de pagar vários influenciadores da rede para anunciar o que quer que os anunciantes desejam anula o próprio princípio da neutralidade.

Os fundadores da web deram a Internet como um presente. Eles esperavam que ela servisse de forma positiva ao desenvolvimento da sociedade humana. Hoje, infelizmente, a Internet parece mais um mercado lotado. No entanto, há um aspecto positivo para a forma que a Internet evoluiu: aumenta a consciência pública do mal real que cresce dentro de nós. O ego irrestrito assume as infraestruturas supostamente feitas para nos beneficiar, como os sites de busca e as redes sociais, e os sujeita à exploração em função do público.

Se considerássemos uma sociedade humana harmoniosa, onde um princípio como a neutralidade não é adulterado pelas atuações constantes e tortuosas do ego, então, exigiríamos uma rede alternativa da Internet. Essa rede deixaria o ego fora. Portanto, quando um certo segmento despertado da sociedade aceita para si mesmo a tarefa de construir uma rede onde todos os seus membros trabalham com entusiasmo para ser uma fonte de inspiração positiva para toda a rede, nós testemunhamos o núcleo da próxima Internet, a base para uma nova realidade que manterá sua palavra de defender valores pró-sociais, a neutralidade entre eles.

Minha Página Do Facebook: “Corte De Impostos De Trump: Será Que Vai Fluir?”

Da Minha Página Do Facebook Michael Laitman 23/12/17

O que você acha que aconteceria se lançássemos uma campanha similar em intensidade à campanha “Eu Também”, mas denunciando aqueles que sistematicamente acumulam riquezas extremas e evitam contribuir com a sociedade?

Leia o meu artigo sobre a mais recente reforma fiscal dos EUA

www.kabbalah.info (em inglês)

Minha Página Do Facebook: “Assembleia Geral Da ONU”

Da Minha Página Do Facebook Michael Laitman 22/12/17

Se a Assembleia Geral da ONU se reunisse hoje para discutir o estabelecimento do Estado de Israel, é provável que seus membros votassem contra ele, e possivelmente alguns se abstivessem.

Chegou a hora de reconhecer que o Estado judeu não tem muitos amigos entre os 193 países que compõem a Assembleia Geral. O apoio generalizado para a condenação do reconhecimento de Jerusalém como a capital de Israel é uma prova disso.

Em momentos como este, onde claramente vemos que quase todo o mundo está contra nós, devemos parar e tentar entender por que somos tão rejeitados, odiados e indignos aos olhos do mundo. Existe uma causa mais profunda para essa aversão?

De acordo com a sabedoria da Cabalá, o anti-Israelismo não é um fenômeno político passageiro, mas sim uma expressão de leis naturais que governam a sociedade humana.

Cerca de 4.000 anos atrás, o povo de Israel foi fundado como o primeiro modelo de unidade social da humanidade acima das diferenças.

Desde então, eles possuem a chave para a unidade social em toda a sociedade humana. Quando o povo de Israel se une acima dos conflitos e das disputas, eles espalham a unidade em todo o mundo, mas quando estão separados e distantes uns dos outros, evocam as forças de separação do mundo, que repetidamente aparecem em surtos de ressentimento e ódio contra o povo judeu.

O ódio irracional que se fortalece a cada dia nos lembra a maneira difícil de se ter um papel. E mesmo que fiquemos felizes em nos esquivar deste papel, é impossível. O povo judeu carrega dentro de si o ideal social do amor pela humanidade acima de todas as diferenças, e somente o retorno à realização deste princípio pode erradicar o ódio do mundo em relação a nós.

Os Cabalistas explicam que nós, os judeus, determinamos o destino do mundo. “Assim como os órgãos do corpo não podem existir por um momento sem o coração”, afirma o Livro de Zohar, “todas as nações não podem existir no mundo sem Israel”.

A unidade entre o povo judeu permite a unidade em todo o mundo, e a separação entre eles também separa as outras nações, basicamente “selando” os oleodutos da abundância natural que vem da unidade. Assim, ela provoca guerras e ódio na humanidade. Essa dinâmica é que está empurrando as nações do mundo a atacar a raiz espiritual chamada “Israel” e tentar destruí-la, porque ela é inerentemente sentida como a “fonte de todo o mal” no mundo.

Nas palavras de Yehuda Ashlag, o maior Cabalista do século XX: “A nação israelense foi estabelecida como um ‘trânsito’, que na mesma proporção que Israel em si está unido, eles transferem seu poder ao resto das nações”.

A decisão tomada ontem em uma audiência de emergência, uma resolução que condena a decisão de Trump de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel e apelando à anulação, deve servir de lembrança ao papel judeu: unir e ser “uma luz para as nações”.