Textos na Categoria 'Facebook'

Infográfico De Pessach

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 18/4/19

Desejo a todos Feliz Pessach!

Por favor, compartilhe o infográfico e veja uma explicação mais detalhada do significado de Pessach aqui: >>>>>>>>>>>>>>

Oito Dicas Para Educar Os Filhos

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 18/4/19

‘Nós amamos você como você é”, “Olhe para os outros e veja como eles são bem-sucedidos”, “Você não tem nada a temer, vá em frente”- qual conselho é certo e qual é prejudicial? Oito frases que usamos e a posição correta da sabedoria da Cabalá em relação a eles.

O Que É O Faraó Na Cabalá?

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 4/17/19

O que eu desejo ao povo de Israel nesta Páscoa?
Conexão. Isso é tudo que precisamos.

Coração 3D Impresso Em Israel

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 17/04/19

Mais uma vez a Nação Startup entrega o avanço, desta vez na forma do coração humano. Pesquisadores da Universidade de Tel Aviv demonstraram como pegar tecidos humanos e usá-los para imprimir um coração vivo e pulsante em 3D. Dentro de uma década, eles estimam, vamos começar a dizer adeus aos transplantes de órgãos.

Lembro-me do primeiro transplante de coração do mundo que ocorreu em 1967 na África do Sul e fez ondas em todo o mundo. As pessoas ficaram chocadas e perplexas com a ideia de que seu coração poderia ser substituído por outro. E levantou todos os tipos de perguntas, como se um transplante de coração muda os sentimentos e traços de personalidade de uma pessoa.

Isso foi em meados do século XX, o que serve para mostrar como somos ignorantes e primitivos em nosso pensamento, quando se trata de entender a diferença entre o corpo e a essência superior do ser humano.

É difícil para nós deixarmos de pensar que a nossa essência está de alguma forma ligada ao nosso corpo. No entanto, nossa tecnologia está nos levando a um mundo onde todos os nossos órgãos podem ser impressos, clonados e substituídos, e o mundo médico será amplamente dominado por robôs e inteligência artificial em vez de médicos humanos.

Essa revolução no mundo médico nos ajudará a ver que somos mais do que nossos corpos são. A partir desse ponto, será mais fácil reconhecermos que a verdadeira essência do ser humano não reside no corpo.

A sabedoria da Cabalá explica que a essência mais profunda do ser humano é uma centelha espiritual que existe em uma realidade além do tempo e do espaço, e a nossa próxima fase de desenvolvimento é sobre encontrá-la. Assim, perceber que ela não está em nosso corpo é um avanço para a humanidade.

Quando nos perguntamos sobre o nosso propósito mais elevado, devemos primeiro perceber que o nosso progresso tecnológico só pode estender nosso conjunto de ferramentas e melhorar nossas vidas no nível físico da existência.

Os Cabalistas ao longo dos séculos trabalharam continuamente para desenvolver a tecnologia espiritual que podemos aproveitar para alcançar um nível verdadeiramente superior de existência, onde estamos todos conectados acima de nossos corpos e realizamos nosso potencial espiritual único. É aqui que descobrimos o propósito da nossa vida e como ela está conectada à força que guia toda a realidade. Se você quiser, a Cabalá pode nos ensinar como operar a impressora espiritual que pode imprimir a alma humana.

Universidade de Tel Aviv

Beresheet, Pessach E O Espaço Entre Nós

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 15/4/19

“Começamos algo e precisamos terminá-lo. Vamos colocar nossa bandeira na Lua”, disse o presidente do SpaceIL, Morris Kahn, em uma entrevista após a sonda israelense Beresheet não ter conseguido pousar na Lua e se tornar o quarto país do mundo a alcançar este objetivo. Mas não precisamos esperar que uma conquista astronômica transcenda como nação. Este Pessach pode ser uma oportunidade para sair do nosso mundo divisivo e entrar em uma dimensão superior de unidade e harmonia, cortando o espaço abismal entre nós.

O povo judeu e o mundo inteiro observaram com expectativa e excitação quando Israel tentou fazer história. Mesmo que o pouso tenha falhado, a missão espacial nos aproximou por um momento. Este é exatamente o significado mais profundo de Pessach. O feriado simboliza nosso êxodo do Egito – nosso egoísmo autodestrutivo que trava tudo ao nosso redor – para a construção de um povo com um só coração, um estado de solidariedade mútua onde todos encontram paz e realização.

Alcançar esse objetivo final não ocorre em um piscar de olhos. É o resultado de um processo interno em que um período de intensificação da divisão leva a uma decisão de união, seguida da descoberta de um estado mais unificado. De fato, Pessach significa uma transição do sentimento de nosso mundo – um estado terrestre e limitado inerente a cada pessoa neste planeta – ao sentimento do mundo superior, um estado eterno e equilibrado.

Durante este feriado, um novo espaço se abre em nós. Nossos corações são um vasto espaço e devemos preencher esse espaço com conexão e amor. Portanto, antes de nos conectarmos em torno de uma missão espacial, contribuiremos melhor para a humanidade conectando nossos corações. Ao fazer isso, espalharíamos essa conexão positiva para círculos mais amplos da humanidade.

De acordo com a sabedoria da Cabalá, a nação judaica deve estabelecer um exemplo para todas as nações, para reuni-las em virtude de nossa conexão. Por enquanto, estamos atrasados ​​em relação à maturidade de sermos uma nação unida que temos que demonstrar. Quantas pessoas realmente ajudam umas às outras incondicionalmente? Quem sente o “ama o próximo como a si mesmo” mais do que um slogan?

Sem trabalhar firmemente na unidade entre nós, o ego humano pisoteará todas as partes da criação. A divisão que ela despertará nos encorajará a governar sobre o outro com grande orgulho, criando ainda mais separação.

Portanto, o reconhecimento de que é necessário sair de nosso egoísmo e a percepção de que não podemos fazer isso sozinhos produzem um clamor interno à força superior de amor e doação para nos unir acima de nossas divisões. Tal momento de desespero é quando a salvação do egoísmo chega e somos capazes de sair do Egito.

Precisamos ativar a força que nos permite unir. A conexão entre nós evoca uma tremenda força positiva. A própria natureza trabalha em unidade, em integralidade, em mútua consideração, e se aprendêssemos a adquirir essas qualidades, mesmo que ligeiramente, descobriríamos que poderíamos ir muito além da Lua: descobriríamos todo um novo universo harmonioso que se abriria para nós através da unidade comum do povo judaico e a humanidade.

Os Escritos do Rabash – Pacote Completo – 8 Volumes

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 15/04/19

Tenho o prazer de anunciar que depois de muitos anos de trabalho temos todos os artigos do meu professor (RABASH, Rav Baruch Shalom HaLevi Ashlag) publicados em um conjunto de livros em inglês.

Estes livros revelam o profundo conhecimento da natureza humana que o RABASH possui e nos leva a uma jornada de exploração de nossas almas. À medida que absorvemos os textos, descobrimos que a Cabalá não é um ocultismo enigmático, mas um método testado pelo tempo para nos entendermos e melhorar nossas vidas e o mundo ao nosso redor.

Os Escritos do RABASH >>>>>>>>>>

EUA: Nazismo E Antissemitismo Emergentes

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 11/04/19

“Se eu vejo que o crescente antissemitismo nos EUA está corrigindo os judeus da América, que eles começam a se mover do lado democrata para o lado republicano, então nós realmente temos esperança de passar por todos esses estados de uma maneira relativamente positiva. E eu realmente espero que isso aconteça – que eles percebam que estão em um estado muito negativo e ameaçador.

Se eles não conseguirem isso e permanecerem no lado democrata – eu não vejo um bom futuro. Eu acho que eles vão sofrer muito, pois partidos nazistas maciços surgirão nos EUA e eles chegarão a lugares de poder, junto com fundamentalistas islâmicos, e virarão os EUA contra Israel, e não haverá mais nenhum país no mundo que nos apoiará”.

Surto De Sarampo E Antissemitismo

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 05/04/19

O surto de sarampo fornece outra justificativa para o ódio inerente aos judeus; uma maneira de racionalizar sentimentos antissemitas.

Mesmo na Idade Média, os judeus eram culpados pela propagação de doenças, mas a alegação era oposta: como os banhos regulares não eram comuns, os judeus, que se banhavam pelo menos uma vez por semana por motivos religiosos, eram mais protegidos de doenças. Sua limpeza semanal desinfectava seus corpos. Mas o público na época ignorou isso e fabricou falsas teorias de que os próprios judeus estavam espalhando a doença para prejudicar o resto do público. Como então, agora, um sentimento inexplicável e irracional está constantemente buscando razões lógicas para culpar e odiar os judeus.

O ódio dos judeus nunca desaparece; só assume diferentes formas e nuances ao longo da história. Os judeus foram considerados responsáveis ​​pela morte de Jesus, mas também por inventar o Cristianismo. Eles foram rotulados de belicistas, assim como covardes. Os comunistas os acusaram de criar o capitalismo, os capitalistas os acusaram de criar o comunismo. Eles eram odiados por serem arrogantes, mas também tratados como uma raça inferior. Eles são culpados por serem racistas que se isolam da sociedade e, por outro lado, são considerados cosmopolitas desenraizados que pressionam por uma agenda globalista.

As justificativas mudam, mas a mesma emoção permanece. Como o Cabalista Baal HaSulam escreve: “O fato é que Israel é odiado por todas as nações, seja por religião, raça, capitalismo, comunismo, cosmopolitismo, etc. O ódio precede todas as razões, e cada um apenas resolve seu ódio de acordo com sua própria psicologia”.

No coração do mundo, há uma demanda por uma explicação, uma sensação de que os judeus estão segurando alguma chave secreta, alguma cura para todas as doenças e, por alguma razão, não a estão compartilhando.

Além disso, olhando para a história, descobrimos que os judeus contribuíram significativamente para a medicina – como Haffkine, que desenvolveu vacinas contra cólera e fez muito para melhorar as condições de saúde no mundo. Mas isso nunca satisfará as nações do mundo. Elas estão sedentas pelo verdadeiro remédio nas mãos do povo judeu: o poder de unir a humanidade, a luz para todas as nações.

Departamento De Estado E Antissemitismo

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 31/03/19

Dois milhões de dólares é o montante alocado pelo Departamento de Estado dos EUA para dois projetos para combater o crescente antissemitismo na Europa e na Ásia Central.

Esta proposta em si destaca o problema com a abordagem do antissemitismo. A premissa está errada. Estamos tentando combater o antissemitismo em vez de entender as razões para isso. Estamos procurando maneiras de silenciar o ódio, em vez de entender de onde ele emana e, assim, aliviar o problema.

Os incidentes antissemitas são como um mensageiro que carrega uma mensagem: os sentimentos negativos implacáveis ​​em relação ao povo judeu exigem uma explicação profunda e satisfatória. Sem isso, o ódio continuará a borbulhar sob a superfície e explodir na sua cara.

Em vez de “matar o mensageiro”, devemos convidá-lo para uma discussão sobre a fonte do ódio e a solução para ele. Em vez de tentar desfocar o fenômeno, devemos concordar que ele está lá e precisa ser entendido.

A antiga sabedoria da Cabalá, que está sendo revelada atualmente, fornece uma explicação sistemática e abrangente para o fenômeno do antissemitismo. Uma explicação que liga o desenvolvimento da humanidade desde os primórdios da civilização, a natureza humana e a psicologia que a opera, o nascimento do povo judeu e a natureza de sua relação com o resto das nações. Simplesmente conhecer a explicação causará um alívio imediato do antissemitismo, já que “uma doença conhecida é meio curada”.

E aqui está a explicação, em resumo: De acordo com a Cabalá, a humanidade alcançou um ponto de virada único há cerca de 3.800 anos na antiga Mesopotâmia, à medida que a natureza humana evoluiu para um novo nível. Depois de milhares de anos em que os seres humanos tinham uma conexão instintiva entre si e com a natureza, os humanos começaram a desenvolver seu senso de identidade. Na Cabalá, isso é referido como “a evolução do ego humano”.

Como resultado do crescimento do ego, os seres humanos tornaram-se mais individualistas e egocêntricos, a sociedade tornou-se mais complexa e a existência humana exigiu a formação de conexões mais profundas e mais fortes entre as pessoas.

Abraão, que é conhecido até hoje como o ancestral comum das três principais religiões, descobriu a dinâmica da evolução humana: a natureza aumenta continuamente o ego humano, permitindo assim que os humanos formem uma conexão mais consciente, acima do ego crescente. É assim que a natureza avança a espécie humana para se tornar uma forma de vida mais consciente, inteligente e avançada. Em outras palavras, a natureza aumenta o ego – e os seres humanos são levados a aumentar sua conexão.

Abraão reuniu em torno dele representantes dos vários grupos e clãs que viviam na antiga Babilônia, e os construiu em um grupo capaz de melhorar a conexão humana com o ego crescente. O grupo abandona o reino babilônico, cresce até a escala de uma nação e adquire o nome de “Am Yisrael“. A partir desse ponto, o povo judeu e as outras nações se separam e continuam a evoluir em dois eixos paralelos.

Por cerca de 1.500 anos, o povo judeu viveu de acordo com os princípios abraâmicos, até que o egoísmo humano cresceu para um novo nível na humanidade como um todo. Nesse estágio, o povo judeu perde o vínculo especial que os une e começa a se dispersar e vagar pelo mundo. Em outras palavras, os judeus perdem contato com o sistema de conexão que os acompanha desde que foram fundados como povo.

Nos últimos dois milênios, a humanidade evoluiu através de várias formas de regimes sociais, negócios e comércio, ciência, educação e cultura, ao mesmo tempo em que se tornaram interdependentes em todo o mundo. E no século passado, o ego humano atingiu seu pico final e agora está levando a sociedade humana a uma crise global sem precedentes: a unidade familiar está se desintegrando, o púbico perde a confiança em todas as formas de governo, a desigualdade econômica atinge novos níveis o desemprego está próximo, as ameaças nucleares e climáticas estão aumentando, as taxas de dependência de drogas e depressão estão aumentando, e a lista continua.

Todos os itens acima estão levando a humanidade a se reorganizar ao redor do planeta, o que de fato requer um novo nível de conexão humana. E a maneira de fazer isso é a mesma que aconteceu na antiga Babilônia. O método para aumentar a conexão humana está dentro do povo judeu que está espalhado por todo o mundo, e é por isso que os judeus evocam um sentimento único e negativo ao longo de milhares de anos de sua existência.

Tanto os judeus como os antissemitas não reconhecem a dinâmica natural que os ativa. É por isso que essa explicação é tão vital. Somente a compreensão e a consciência dessas fundações naturais podem servir de base para resolver o problema do antissemitismo. Tão logo a explicação permeie o discurso público, as chamas antissemitas diminuirão.

Os dois milhões de dólares do Departamento de Estado dos EUA seriam úteis se fossem usados ​​para disseminar a explicação para a causa raiz do antissemitismo, tanto para judeus como para não-judeus.

Cabalá É O Código-Fonte Aberto Para Reiniciar A Sociedade

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 28/03/19

Os animais nunca cometem erros, porque a natureza os opera perfeitamente. No entanto, as pessoas erram o tempo todo.

No século XXI, chegamos a um estado absurdo onde nossa existência neste planeta pode chegar ao fim com o apertar de um botão. E mesmo no nível individual, muitos vivem como escravos modernos, gastando horas no final trabalhando, viajando e estando ocupados e tensos o tempo todo. É natural que as prescrições de antidepressivos estejam aumentando rapidamente.

Ao contrário da sociedade humana, onde o caos parece prevalecer, quanto mais mergulhamos na natureza, mais revelamos uma sabedoria maravilhosa. Todos os elementos e todos os seres parecem estar harmoniosamente conectados uns aos outros. Nada existe isoladamente. Toda forma de vida contribui para o resto do sistema.

Então, por que a natureza parece falhar quando se trata de nós, humanos? Somos algum tipo de bug no sistema operacional da natureza?

A resposta é não. Em vez disso, a Cabalá explica que nos falta a capacidade de ver o quadro maior. Todos os nossos problemas, nossos desafios e nossos sofrimentos são continuamente orquestrados para nos desenvolver como seres humanos. O caos que vemos à nossa volta é projetado para finalmente perguntarmos: o que está acontecendo? Para onde estamos indo? Qual é o nosso objetivo aqui?

Para obter respostas, no entanto, teremos que subir para um nível mais elevado de experiência humana, para o próximo nível da evolução humana.

Veja o que conseguimos até agora. Desenvolvemos uma rede virtual sofisticada que nos conecta em todo o mundo, através de nossos computadores e smartphones. Tudo está conectado na aldeia global de hoje, exceto nossos corações. Ainda precisamos construir o próximo nível de conexão humana. A humanidade está pronta para uma atualização do sistema.

Nosso tempo demonstra um choque crescente entre a natureza conectada do mundo e a natureza autocentrada do homem. Simplificando, somos equivocados por nossos egos individuais, nos incentivando a explorar uns aos outros e a tudo o mais para obter ganhos pessoais.

É como se a humanidade estivesse presa a um sistema operacional antigo. Nossa sociedade egoísta recompensa a exploração mútua, encorajando todos a estarem lá fora por si mesmos, sozinhos contra o mundo. Ironicamente, nossos sofisticados meios de comunicação apenas destacam como nos tornamos emocionalmente separados uns dos outros.

Assim, como podemos atualizar nossa consciência para se adequar ao sistema operacional da natureza? Para ter sucesso, precisamos de um guia de atualização, escrito por desenvolvedores de alto nível, bem versado no código da natureza. É precisamente isso que a sabedoria autêntica da Cabalá provê.

Por milênios, a Cabalá foi praticada por um pequeno grupo. No entanto, ela pretendia revelar-se a todos num momento em que a necessidade de melhorar a natureza humana se apresentasse. E essa hora é agora.

Uma vez que passamos pela atualização, todo um novo nível de vida nos aguarda, onde cada um de nós está inerentemente conectado a toda a humanidade; onde todos querem beneficiar todos os outros; onde descobrimos o verdadeiro significado por trás do conceito de “amar ao próximo como a ti mesmo”.

Amar ao próximo como a si mesmo não se refere à ética, a maneirismos ou até atos de bondade. Estes são apenas efeitos colaterais potenciais. “Amar ao próximo” significa a expansão da emoção e percepção humana que nos coloca em contato com a força amorosa da própria natureza. A força subjacente que orienta o sistema operacional da natureza. Essa revelação nos enche de prazeres divinos de um nível mais elevado de consciência, e descobrimos que tudo foi projetado para nós desde o princípio.

Faça um curso gratuito para aprender o código por si mesmo >>>>>>>>>>>>>>>