Textos na Categoria 'Facebook'

Por Que Começar De Novo Em Marte?

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página No Facebook Michael Laitman 20/08/18

O que nos impedirá de tratar Marte da mesma forma que tratamos o planeta Terra?

Por Que A Moda Está Saindo De Moda

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página no Facebook Michael Laitman 13/06/18

As pessoas estão cansadas de se relacionar umas com as outras com base na aparência. Então, o que virá a seguir?

Dia Dos Pais

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página No Facebook Michael Laitman 17/06/18

O papel do pai é apontar o objetivo da vida e direcionar seus filhos a um caminho que leva a ele. O papel da mãe é embalar as crianças com calor e apoiá-las ao longo do caminho. O pai fornece autoridade e confiança. A mãe fornece abundância e nutrição.

Sua complementaridade mútua é necessária para o desenvolvimento natural e saudável de cada pessoa em nosso mundo.

No mundo espiritual também, existem duas forças chamadas “pai” e “mãe”, que desenvolvem a alma. Duas forças através das quais o Criador se apresenta ao ser criado e desenvolve o ser criado.

O dia dos pais é uma grande oportunidade para aprender mais sobre o papel do pai dentro da unidade familiar >>>>>

Documentário

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página no Facebook Michael Laitman 15/06/18

O filme A Rede Social do Terceiro Reich, produzido por meus alunos, ganhou um prêmio na categoria de “Melhor Documentário” no festival “Não longe de Nazaré”.

Você pode assistir o filme aqui (ligar legendas em inglês) >>>>>>

Sobre o filme: Em junho de 1940, cerca de um ano antes do ataque alemão à União Soviética, um jornal extraordinário chamado The Nation foi publicado em Tel Aviv. O editor não era menos que o Cabalista Yehuda Ashlag (“Baal HaSulam”). Em seus artigos pungentes, ele instou o povo judeu vivendo dentro das fronteiras de Israel naquele momento a se unir: a fim de evitar a terrível catástrofe que se aproximava. O jornal foi sua última tentativa de promover a importância de unir a nação.

Russo com legendas em inglês.

Filmado em Israel e na Alemanha.

Gênero: Documentário – Dezembro de 2017

Diretor: Michael Rosenstein

Atores: Sasha (Israel) Demidov, Henry David, Yigal Reznik

Quer saber mais sobre a razão do ódio aos judeus e como podemos resolver isso?

Copa Do Mundo FIFA

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página no Facebook Michael Laitman 14/06/18

A Copa do Mundo FIFA 2018 começa hoje com um jogo entre a Rússia e a Arábia Saudita, começando um mês de vitórias e derrotas, terminando com uma única equipe de um único país declarada campeã mundial de futebol.

Sem dúvida, é um mês de pura alegria e emoção para muitos milhões em todo o mundo, sentados em frente a suas TVs de plasma com uma cerveja na mão. Eu me lembro quando passeava perto do estádio de futebol em Ramat Gan com meu professor, o Rabash; ele costumava dizer que é um lugar respeitável, já que dá às pessoas uma sensação de alegria e gratidão na vida.

Assim, durante um mês, a copa do mundo acrescenta uma atmosfera globalmente consciente à humanidade, ajudando todas as pessoas em todo o mundo a sentirem-se um pouco conectadas, enquanto todas estão coladas às suas telas como uma só.

Mas fora do estádio e mais longe das câmeras, o lado obscuro deste evento é desenfreado. Drogas, jogos de azar e máfia, todos desempenham um papel nos bastidores. Hostilidade, racismo e extrema violência entre hooligans também estão acontecendo. E não se esqueça dos bilhões de dólares envolvidos, junto com anunciantes, agentes, políticos e muita corrupção.

Portanto, assim como a copa do mundo une a humanidade, ela também reflete todas as maldições da humanidade.

Se realmente quisermos que esse evento faça o bem para a humanidade, a primeira coisa a fazer é tirar o lucro dele. Por exemplo, direcionando o produto para causas sociais, como ajudar os necessitados, a medicina ou a educação.

Mas também há hostilidade embutida na competição em si. Eles dizem que começou na Grécia antiga com o objetivo de conexão entre países, mas não vejo que esse seja o objetivo que serve hoje.

Idealmente, nossos esportes devem empregar uma competição positiva para promover um maior senso de unidade tanto nos jogadores quanto nos espectadores, demonstrando conexão e praticando a colaboração. Deve ser uma experiência altamente educacional.

Por exemplo, e se as equipes recebessem uma bola e seu objetivo fosse mantê-la no ar, passando-a dinamicamente entre todos os jogadores? E se a multidão estivesse torcendo por um sucesso coletivo global, em vez do triunfo de sua nação sobre as outras?

Se seguíssemos e desenvolvêssemos esse novo tipo de esporte, também marcaríamos alguns pontos importantes para a unidade global.

Acordo De Paz De Trump?

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página no Facebook Michael Laitman 14/06/18

“Trump será capaz de estender suas habilidades de negociação para o conflito israelense-palestino e iniciar uma mudança radical na região? Infelizmente, não vejo isso acontecendo. E mais uma vez, a razão tem a ver com a própria natureza.

Há 3.800 anos na antiga Babilônia, um “acordo” especial foi feito no berço da civilização humana. Representantes dos vários grupos, tribos e clãs decidiram se unir e coexistir sob o princípio da unidade acima de todas as suas diferenças.

Era a maneira natural de plantar a semente da unidade para toda a raça humana. Em outras palavras, a natureza fez um acordo com eles: transformá-los em um mini-modelo de unidade global, que em última análise tem que dar um exemplo ao mundo”.

Leia meu artigo completo >>

Cúpula

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página no Facebook Michael Laitman 13/06/18

A cúpula Trump-Kim gerou um senso renovado de esperança junto com questões sobre o futuro. Será que vamos testemunhar uma nova e pacífica Coreia do Norte? As habilidades de Trump para fazer negócios terão um papel decisivo na promoção da paz mundial? E especificamente entre os analistas de Israel: Trump será capaz de fazer um acordo para resolver o conflito israelense-palestino?

Em primeiro lugar, quando grandes mudanças acontecem na política internacional, isso não se deve a personagens e personalidades específicas. É o acúmulo de várias circunstâncias que levam a uma urgência por mudança. Faz parte de como a natureza funciona.

Como o Cabalista Yehuda Ashlag escreve, “a duração de cada fase política é justamente o tempo que leva para desvendar suas falhas e maldades. Ao descobrir suas falhas, abre caminho para uma nova fase, livre dessas falhas. Assim, essas deficiências que aparecem em uma situação e a destroem são as próprias forças da evolução humana, pois elevam a humanidade a um estado mais corrigido” (A Nação).

A recém-aprimorada relação entre os EUA e a Coreia do Norte é um passo positivo, e envia uma mensagem para outros países de que vale a pena aliviar a tensão nuclear. No entanto, não considero isso algo que possa mudar drasticamente o mundo. Embora a Coreia do Norte tenha feito muito barulho, é um regime autoritário isolado cuja influência global é muito limitada.

Em relação às implicações em Israel, acredito que veremos algumas mudanças graduais acontecendo. À medida que o relacionamento Trump-Kim avança, também podemos esperar que a Coreia do Norte pare o fornecimento de armas para países como o Irã e a Síria.

Então, Trump será capaz de estender suas habilidades de negociação para o conflito israelense-palestino e iniciar uma mudança radical na região? Infelizmente, não vejo isso acontecendo. E mais uma vez, a razão tem a ver com a própria natureza.

Há 3.800 anos na antiga Babilônia, um “acordo” especial foi feito no berço da civilização humana. Representantes dos vários grupos, tribos e clãs decidiram se unir e coexistir sob o princípio da unidade acima de todas as suas diferenças.

Foi a maneira da natureza de plantar a semente da unidade para toda a raça humana. Em outras palavras, a natureza fez um acordo com eles: transformá-los em um mini-modelo de unidade global, que em última análise tem que dar o exemplo para o mundo.

Esse grupo de representantes mais tarde se tornou o que agora chamamos de “o povo de Israel”. O acordo é que eles são como uma junção central dentro da vasta rede da humanidade, através da qual a influência da unidade pode se espalhar para todas as nações, incluindo os vizinhos de Israel, cujas ações dependem mais dessa influência.

Portanto, resolver o conflito israelense-palestino é algo totalmente diferente. A única maneira de passar da hostilidade atual para um estado de amizade e coexistência é quando Israel gerar a força de cura da unidade, primeiro dentro de si e depois no mundo.

E como acontece com todos os processos naturais, o acúmulo de circunstâncias acabará nos levando à urgência da mudança.

Indústria Da Moda/Varejo

Dr. Michael LaitmanDa minha página no Facebook Michael Laitman 05/06/18

Comprar roupas costumava ser um ritual. Você vai ao shopping com os amigos, passa a maior parte do tempo vendo vitrines, experimenta alguma coisa e discute se é a certa, para para tomar uma xícara de café e talvez compre algumas roupas também.

Muito mais do que combinar uma peça de roupa ao físico, era sobre o ritual social e a satisfação de uma necessidade emocional.

No entanto, os gigantes da tecnologia, como a Amazon e o Alibaba, enviaram seus longos tentáculos virtuais para revolucionar a compra de roupas como a conhecemos, transformando-a em outra experiência interessante. Hoje, basta estalar os dedos e as roupas de sua escolha, no tamanho e na cor corretos, já estão chegando à sua casa.

Até o final do ano passado, mais de 1.875 lojas de moda nos EUA anunciaram o fechamento, e cerca de 10.000 novas lojas estão previstas para fechar este ano: 53% a mais do que o número de fechamentos durante a crise financeira de 2008.

No entanto, a evolução das compras é apenas uma camada superficial do que está acontecendo. Nós, como seres humanos, estamos evoluindo também.

No centro de nossa evolução está o motor do desejo humano, que impulsiona todas as nossas escolhas e preferências, incluindo as roupas que vestimos. Em geral, podemos dividir todos os nossos desejos em dois grupos: desejos corporais como comida, sexo e abrigo, e desejos sociais, como status, honra e poder.

Então qual é a natureza do nosso desejo por roupas e moda e como ela está evoluindo?

Por um lado, a roupa pertence aos nossos desejos corporais: precisamos de roupas para manter nossos corpos aquecidos e confortáveis, para os quais nossos pijamas realmente prestam um ótimo serviço. Mas, ao mesmo tempo, nossas roupas também são nosso cartão de visita social: antigamente, apenas reis podiam ter roupas personalizadas, ocasiões em que os netos herdavam as roupas de seus avós e não se esqueciam de códigos de vestimenta profissionais que permaneceram conosco até hoje.

A moda se transforma e se adapta de acordo com a evolução do desejo humano e, portanto, reflete os desejos da sociedade como um todo. E onde está o nosso desejo nos dias de hoje? Está procurando por uma realização mais interna.

É por isso que está se tornando cada vez mais desafiador para os anunciantes nos vender a ilusão da beleza inatingível. Eles investem bilhões tentando comercializar a ideia de que você é um membro da classe B da sociedade, se você ainda não comprou a marca mais cobiçada. Mas isso está começando a não funcionar, pois eles estão perdendo o controle sobre o nosso desejo.

Muitos millennials, por exemplo, não estão mais entrando nesse jogo. Eles preferem usar algo simples e confortável, rejeitar rótulos e marcas, e principalmente querem que seu vestuário seja acessível. Da mesma forma, a aspiração de usar roupas caras de marcas de prestígio está desaparecendo em todo o mundo.

Nosso desejo está se desenvolvendo em um nível qualitativamente novo. A satisfação que procuramos é menos aparente e mais interna, menos material e mais espiritual. A geração mais jovem pode não saber exatamente o que está procurando, mas está começando a perceber que não está em sua aparência externa.

Impulsionados pelo desenvolvimento qualitativo do desejo humano, novas normas e valores sociais estão se formando gradualmente. O que costumava ser respeitado e prestigiado ontem está perdendo seu valor hoje. Assim, a moda como a conhecemos hoje acabará por desaparecer. Não nos esforçaremos mais para usar roupas que priorizem a aceitação social em vez da conveniência. Descobriremos gradualmente que nossos corações são o centro das atenções, e essa se tornará a nova moda global.

Com O Grupo De Amsterdã

Dr. Michael Laitman

Da minha página no Facebook Michael Laitman 23/05/18

Agora em Amsterdã: uma reunião espontânea com o grupo holandês – eles estão se preparando para uma conferência na Europa a ser realizada no final de junho. Fico feliz em ter a oportunidade de me encontrar fisicamente com meus queridos alunos. Até amanhã à noite em Israel!

Feliz Shavuot Desde Israel

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página no Facebook Michael Laitman 17/05/18

A recepção da Torá é a recepção da Luz que conecta nossos corações como um só.