Textos na Categoria 'Eventos'

O Criador Está Brincando De Esconde-Esconde Conosco

947“Meus filhos Me derrotaram”, isto é, não uma pessoa, mas precisamente juntos. Qualquer pessoa que queira revelar o Criador deve se unir a outros como ela. E somente quando eles se sentem como um, como filhos do Criador, eles podem vir a Ele, exigir e sobrepujar Sua ocultação.

O Criador está se escondendo de propósito para que possamos procurá-Lo. “Ele não vai brigar para sempre” porque Ele quer se revelar, mas apenas se O procurarmos e precisarmos revelá-Lo.

Portanto, quanto mais de nós O procurarmos, maior será a revelação do Criador, exatamente como se diz: “Meus filhos Me derrotaram”, ou seja, muitos filhos. O Criador está esperando por nossa procura e se alegra quando O derrotamos. Afinal, toda a ocultação criada por Ele tem o objetivo de nos fazer crescer, de nos despertar para buscar e revelar o Criador.

O Criador é sempre revelado a partir da ocultação, e devemos fazer um esforço para nos unir. Na medida em que nos unirmos e eliminarmos todas as forças de separação que operam entre nós, iremos transformá-las de forças de separação em forças de revelação, e na medida de nossos esforços, revelaremos o Criador nelas.

“Meus filhos Me derrotaram” significa que estamos transformando a ocultação em revelação. Claro, não podemos fazer isso sozinhos, mas exigimos que o Criador nos ajude. Portanto, nosso trabalho consiste em duas partes: primeiro, unir-se alcançando um desejo, uma aspiração e, segundo, procurar o Criador e obrigá-Lo a se revelar. Estamos sempre trabalhando mutuamente: “Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu”.

E quando quase conseguimos derrotar a ocultação, o Criador imediatamente Se esconde e nos força a procurá-Lo novamente. E assim, repetidamente, porque somente de ambas as formas, ocultação e revelação, nós clarificamos todas as qualidades do Criador e as transformamos em nossas próprias qualidades. A revelação do Criador só pode ser na equivalência de forma, no reflexo de Suas qualidades em nossas qualidades.

Portanto, o avanço espiritual sempre passa por ocultação e revelação. E se não associamos nossos estados com revelação ou ocultação, não nos relacionamos com a espiritualidade de forma alguma e não somos direcionados ao Criador. Afinal, o caminho para o Criador pode ter apenas duas alternativas: ocultação ou revelação.

Uma pessoa que busca a revelação do mundo superior deve se dirigir corretamente, sempre descobrindo a ocultação e a revelação sobre todas as suas qualidades e ações. E quanto maior a ocultação, maior a revelação vem depois dela – uma oposta a outra.

Para revelar o Criador, é necessário organizar um grupo porque o Criador só se revela como dez Sefirot. Assim, precisamos descobrir os dez desejos que estão devidamente conectados e unidos por uma intenção comum, para nos sentirmos prontos para nos unir e apoiar uns aos outros como as dez Sefirot do Partzuf espiritual. Todos estão incluídos em todos e tornam-se prontos para a revelação de uma força.

Embora todas as dezenas sejam muito diferentes e separadas por seu egoísmo, uma vez que saímos de uma força, ao anular nosso egoísmo, nos tornamos novamente como que um todo e temos a oportunidade de revelar novas formas do Criador, um, um e único.

O Criador está brincando de esconde-esconde conosco: Ele se esconde, nós O procuramos e O encontramos, e Ele se esconde novamente. Assim, corremos atrás dele e, nessa procura, gradualmente O estudamos e formatamos nossos desejos em equivalência com a força superior, preparando-os para a revelação de todas as qualidades da luz superior.

O que é aprendido na dezena já é um ganho espiritual que permanece nos Kelim para sempre. Mas uma pessoa não é capaz de manter pensamentos e sentimentos espirituais dentro de si.

Da Convenção Mundial de Cabalá de 2021, “Descobrindo a Vida na Dezena” 28/02/21, “A Dezena: um Instrumento Musical nas Mãos do Criador”, Lição 9

Vamos Abrir Espaço Dentro De Nós Para O Criador

276.01Toda a realidade está repleta do nosso grande egoísmo. O mundo inteiro, a natureza inanimada, as plantas, os animais e as pessoas, todos são graus de nosso desejo egoísta em que devemos começar a abrir espaço para a força de doação, a força do Criador.

Nós trabalhamos dentro de nós mesmos, dentro de nossa percepção do mundo, nossa conexão e criamos um lugar onde o Criador possa colocar o embrião de Sua qualidade de doação e começar a crescer dentro de nós.

O Criador nos influencia tanto de dentro como de fora. Estamos dentro da luz branca, que se restringiu propositalmente para que possamos existir nela. Assim, nos encontramos dentro de um espaço vazio, livre da presença do Criador, e não O sentimos.

Um raio de luz entrou neste espaço vazio e começou a construir objetos espirituais e mundos dentro deste vazio. Portanto, estamos dentro do Criador, sob Seu controle total. Mas é assim que parece do lado do Criador.

Do lado dos seres criados, nós existimos em um espaço vazio, supostamente livres do controle do Criador, porque não vemos esse controle e não o sentimos. Portanto, pensamos que somos os mestres deste mundo e de nossas vidas.

Mas, na verdade, o Criador nos educa e nos leva à compreensão de que não sabemos onde realmente estamos. Então, começamos a pesquisar do que nossa vida depende e descobrimos que existe a força superior que determina e realiza tudo, e ansiamos por revelá-la.

É assim que aconteceu com todos os Cabalistas das gerações passadas até que eles revelaram o método que nos permite nos conectar com o Criador e nos passaram o método de revelar o Criador aos seres criados neste mundo, que é chamado de sabedoria da Cabalá.

Da Convenção Mundial de Cabalá, “Descobrindo a Vida na Dezena” 27/02/21, “Ibur no Dez”, Lição 5

Não São Fantasias, Mas Uma Correção Real

232.08Se uma pessoa simplesmente anseia intuitivamente pelo Criador e parece que sente a força superior, isso ainda é apenas fantasia e autoengano. Isso não é suficiente para a concepção espiritual.

Para me tornar um embrião espiritual, eu preciso de alguma forma me separar do meu egoísmo. Isso só pode ser feito conectando-se com os amigos. No ponto de minha conexão com os amigos, o próprio lugar de anulação do meu egoísmo é formado, no qual o embrião espiritual começará a crescer.

Não estamos falando de fantasias, mas de desejos reais que existem na natureza, que precisamos corrigir a fim de sentir a força superior neles. Caso contrário, essa força não será revelada para nós.

Da Convenção Mundial de Cabalá, “Descobrindo a Vida na Dezena” 27/02/21, “Ibur na Dezena”, Lição 5

O Germe Da Doação

945A revelação do Criador em nós começa com um estado chamado de “embrião”. Essa é a primeira ação espiritual que deve ser realizada preparando um lugar dentro de nós para o embrião da doação, a sensação da primeira revelação do Criador.

Para isso, é necessário alcançar a inclusão mútua com os amigos para que a nossa união não seja em prol de nós, mas em prol dos outros.

Ainda não podemos agir em prol do Criador e, portanto, por enquanto devemos amar apenas as criaturas a fim de vir a amar o Criador através do amor pelas criaturas. A conexão deve ser tal que ninguém fique com o seu egoísmo, mas queira se juntar aos outros, se perder aí, se afogar nos amigos. Se todos perderem seu “eu”, a força do egoísmo, então um lugar será formado entre nós para a revelação do Criador.

Essa é a preparação para o embrião espiritual:

  1. Anulação por cada um de si mesmo.
  2. Sair de si mesmo e alcançar a inclusão nos outros além de seu egoísmo.
  3. Conectar todas essas inclusões mútuas.

Quando alcançamos essa conexão mínima, um lugar é formado em nós para a revelação do Criador que pode colocar essa autoabolição e unificação e começar a crescer como um embrião dentro de nós, a propriedade de doação, como uma forma dentro de outra.

Cada vez devemos abrir um espaço em nós mesmos para que este embrião da força de doação cresça e se desenvolva mais e mais. Cancelamos nosso egoísmo em todos os tipos de propriedades, desejos, pensamentos, em diferentes níveis, permitindo a cada vez que a força de doação se manifeste em nós em vez da força de recepção. Quanto mais reduzimos a força de recepção, mais a força de doação é revestida em nós, ou seja, o Criador.

A cada passo, o Criador se revela com maior força, amplitude e profundidade interior, até que reine sobre todos os nossos desejos, sobre toda a terra. O Criador e Seu nome se tornarão um, como um desejo e uma luz, todas as pessoas em unidade comum.

E isso começa com o fato de que cada dezena cria condições dentro de si para a revelação do Criador, a fim de começar a crescer dentro de si o embrião da força superior. Nossa Malchut se corrige e pode começar a sentir o Criador nela. Devido ao fato dela fazer uma redução em suas propriedades, não querer usá-las de forma egoísta, elas gradualmente se transformam em propriedades de doação.

Assim, o Criador coloca uma forma dentro da outra, dentro de nossa forma egoísta, uma forma altruísta começa a emergir e se desenvolver.

Tudo isso é revelado de acordo com nossos esforços, conhecimento e compreensão para que nos sintamos parceiros do Criador neste trabalho; nós começamos a senti-Lo, entendê-Lo e dar-Lhe prazer.

Da Convenção Mundial de Cabalá, “Descobrindo a Vida na Dezena” 27/02/21, “Ibur na Dezena”, Lição 5

Bem-Vindos À Convenção!

Caros amigos!
Tenho o prazer de abrir a primeira Convenção Mundial de Cabalá virtual, que antes era realizada anualmente em Tel Aviv em fevereiro.
Esta convenção é uma reunião de todos nos quais o desejo de aprender sobre o sentido de suas vidas, de revelar a força superior e de se mover em direção ao objetivo da criação despertou em seus corações.

Mais de 7.000 pessoas já se inscreveram para o convenção e as inscrições continuam a vir daqueles que desejam participar conosco de aulas e workshops.

Todos nós existimos em um enorme oceano de desejo egoísta criado pelo Criador, e o objetivo dessa convenção é estabelecer uma ilha especial onde uma nova força governará: o desejo de doar. Pedimos ao Criador para colocar esta nova forma dentro da velha forma – o embrião do desejo de doar dentro do desejo de receber prazer.

O Criador pode fazer isso; tudo depende apenas do quanto participamos dessa ação, nos preparamos para ela, pedimos e oramos para que aconteça. Espero que durante a convenção sejamos capazes de sentir praticamente como em nossa conexão uns com os outros, enquanto ainda controlados pelo egoísmo, acima do qual realmente queremos subir, uma área é liberada para a revelação do Criador, o desejo de doar. E, dessa forma, avançaremos em direção ao nosso objetivo único, eterno e mundial.

Esta é a única e mais importante obra confiada ao homem neste mundo: revelar a força superior e a criatura criada por ela. O objetivo da criação só pode ser alcançado por meio de nossa unidade. Todos nós, criados como egoístas, nos unimos no desejo de criar um lugar entre nós para a revelação do Criador, a qualidade de doação e amor, um pelo outro e de nós pelo Criador, como os Cabalistas ensinam: “Do amor do homem, chega-se ao amor do Criador”.

E uma vez que este é o objetivo mais sublime, especial e sagrado que existe na realidade, sentimos grande alegria pela honra que nos foi concedida para trabalhar nele, para revelar o Criador às criaturas neste mundo.

Esperamos ser capazes de revelar a força superior para todas as criaturas e assim cumprir a tarefa da última geração em que vivemos. O Criador será revelado a todos os habitantes deste mundo e as palavras dos profetas passarão a existir: “Ele é Um e Seu Nome Um” para todas as nações.

Portanto, há uma alegria especial causada por nossa unidade e o desejo de torná-la adequada para a revelação do Criador em nossa assembleia. Todos nós, homens e mulheres, somos participantes desta ação, e a força superior é incluída de cima.

Da Convenção Mundial de Cabalá, “Descobrindo a Vida na Dezena” 25/02/21, “A Alegria da Reunião”, Lição 1

Convenção – Movimento Em Direção Ao Criador

938.04Pergunta: Temos uma grande convenção pela frente e atualmente estamos conduzindo atividades mútuas muito intensas nas dezenas. O que depende de cada um de nós? O que cada um de nós pode fazer?

Resposta: Primeiro, precisamos nos preparar para isso e, na própria convenção, precisamos sentir que estamos nos dissolvendo nos outros. Junto com eles, eu quero me tornar o vaso que o Criador enche e recebe prazer de nós. Isso é tudo.

Pergunta: De que depende a preparação?

Resposta: Depende de quanto todos nós queremos que isso aconteça. Eu devo estar conectado com meus amigos de tal forma que meu “eu” não exista, mas apenas “nós”. Então “nós” desaparece e sentimos apenas o Criador.

Pergunta: Isso é possível?

Resposta: Devemos ansiar por isso. Dizem: “O fim de um ato está no pensamento preliminar”.

De KabTV, “Professor – Aluno”, 07/02/19

O Criador Realmente Quer Se Revelar A Nós

939.01A revelação da luz depende apenas do vaso porque a luz está em repouso absoluto. Portanto, todo o nosso trabalho é focado na construção do vaso (Kli) de acordo com o tamanho e a qualidade da qual a grandeza e a qualidade do Criador nos são reveladas.

Portanto, o Criador é chamado de “venha e veja” (Bo-Re). A grandeza do Criador é determinada pelo vaso que criamos para Sua revelação. Se corrigimos todos os desejos de receber criados pelo Criador, alcançamos um infinito, isto é, a revelação ilimitada do Criador às criaturas. Então, após o fim da correção, há novos estágios de realização, os quais ainda não conhecemos.

Por enquanto, precisamos nos reunir e nos conectar para que não haja barreiras entre nós. Quanto mais todos restringem seu egoísmo e se anulam, mais forte se torna a revelação do Criador em nosso Kli. Claro, o Criador só pode se revelar na dezena.

Tudo depende da integração de amigos – de quanto somos capazes de conectar nossos desejos, nossos corações – e não da quantidade de conhecimento

Se juntarmos os fragmentos de um vaso quebrado tão bem que nenhuma fenda permaneça entre eles, poderemos revelar o preenchimento nele, a luz não mais fluirá dele como a água de um copo quebrado. A realização depende da força de nossa unidade e de seu caráter, da profundidade do egoísmo que superamos e de como nos unimos. Tudo isso determina a forma da revelação do Criador para nós.

O Criador é totalmente dependente das criaturas. Ele Se dá a nós, dá às criaturas o direito de determinar Sua revelação.

O Criador realmente quer se revelar a nós e cada vez nos leva secretamente a isso. Mas Ele não pode se revelar a nós; caso contrário, não teríamos o Kli para Sua revelação, livre arbítrio, nosso próprio desejo por Sua qualidade de doação e amor. É por isso que o Criador sempre age de forma oculta, empurrando-nos para nos unirmos com uma mão invisível e tentando nos despertar. Ao mesmo tempo, Ele permanece escondido e sofre muito porque não podemos ter sucesso nisso.

Isso é chamado de sofrimento da Shechina. O Criador lamenta terrivelmente ter dado às pessoas todos os meios necessários e elas não estão usando as oportunidades que receberam. E o Criador não pode nos dar mais do que isso. Se ainda não implementamos o estado anterior, Ele não pode nos levar adiante.

Portanto, precisamos estabelecer relações entre nós que sejam tão semelhantes ao Criador quanto possível. Tornar-se semelhante ao Criador é tarefa do homem, que a partir de então será chamado de Adam, da palavra “semelhante” (Domeh). Nosso relacionamento mútuo determina a revelação da qualidade do Criador “venha e veja”, dando-Lhe prazer e elevando a Shechina do pó acima de nossa cabeça, acima de nossos pensamentos e desejos egoístas.

Portanto, a principal tarefa do Congresso é o avanço mútuo, todos nós juntos em direção a um único objetivo.

Da Convenção Mundial de Cabalá, “Descobrindo a Vida na Dezena” 26/02/21, “A Grandeza do Criador na Dezena”, Lição 2

Revelando O Criador Na Dezena

938.01Eu devo alcançar um estado em que meu objetivo não seja meus amigos, nem o Criador e, claro, nem eu mesmo, mas que eu, meus amigos e o Criador nos conectemos em um todo, e um não existirá sem o outro.

Então eu realmente serei corretamente direcionado para a revelação do Criador na dezena: eu descubro o Criador na dezena.

Da Convenção Mundial de Cabalá, “Descobrindo a Vida na Dezena”, 26/02/21, “A Grandeza do Criador na Dezena”, Lição 2

A Dezena É Nosso Capital Espiritual

939.01Com o passar do tempo, sentimos um distanciamento crescente da meta. Isso não é motivo de decepção, mas sim a revelação de um novo desejo que deve ser sentido para seguir em frente. O avanço sempre vai de menos para mais, depois de um menos ainda maior para um mais ainda maior, e assim por diante.

Portanto, eu preciso de um grupo que esteja sempre perto de mim e funcione como uma bateria, um capacitor. Tudo o que recebi nas descidas e subidas é investido no grupo. Eu subo e desço, passo de um estado para outro, mas todo o meu trabalho se acumula na minha dezena. E é o mesmo com cada um dos amigos e, graças a isso, nós alcançamos a meta.

A dezena é o lugar onde acumulamos todos os nossos esforços, sucessos e todas as perguntas e respostas. Eu caio e esqueço de tudo, não entendo nada, é ainda pior do que antes, e isso porque eu passei do antigo estado, investi na dezena, e comecei um novo grau de uma lousa limpa, com um Kli vazio.

Da Convenção Mundial de Cabalá, “Descobrindo a Vida na Dezena”, 26/02/21, “A Grandezenaa do Criador na Dezena”, Lição 2

O Criador É Revelado Na Alegria

941Está escrito no Livro do Zohar que só podemos servir ao Criador com alegria. A Shechina, o Criador, constrói o lugar para Sua revelação somente quando o homem está trabalhando neste lugar com a expectativa alegre de que isso acontecerá.

Se uma pessoa está triste e sofre quando luta com seu desejo de receber, isso significa que ela ainda depende dele e ainda não se elevou acima do egoísmo. Elevar-se acima do egoísmo traz à pessoa uma sensação de alegria, o que significa que ela está se aproximando da revelação do Criador.

Portanto, quanto mais alegria e entusiasmo sentimos pelo fato de querermos revelar a conexão entre nós em prol da doação uns aos outros e ao Criador, mais perto estamos da qualidade do Criador, para descobrir o lugar entre nós onde o Criador será revelado.

O Criador é revelado em alegria! Esta é uma condição muito importante e necessária. Não pode haver tal coisa que uma pessoa está avançando na espiritualidade enquanto está chorando amargamente. Se ela está chorando, significa que ainda não saiu de seu egoísmo.

Devemos estar felizes por termos recebido a oportunidade de participar desta Convenção. É um presente especial que o Criador nos permite de reunir um número tão grande de pessoas no atual mundo pandêmico, queimando e perdendo a perspectiva, caindo no abismo. Todas as conquistas anteriores e metas elevadas são desvalorizadas, as pessoas perdem a esperança para o futuro e não sabem o que vai acontecer amanhã. É claro para todos que isso não pode continuar.

E precisamente agora, quando as pessoas se sentem desesperadas, desamparadas, sem esperança, sem saber como sair desta pandemia, devemos seguir em frente com alegria. Nós sabemos para quê e porque tudo acontece, e quem faz isso. Desta forma, o Criador deseja fazer avançar toda a humanidade em direção à conexão.

Tudo o que acontece com a humanidade nos leva a nos conectar da maneira mais ideal, rápida e conveniente. Na espiritualidade, há apenas ascensão e nenhuma queda, especialmente em nosso tempo da última geração.

Mesmo que não estejamos nos sentindo muito alegres, devemos sempre brincar, fingindo estar alegres, tentando nos levantar do estado atual. Não importa em que estado eu esteja, pode ser bom, mas quero estar em um estado ainda melhor. Essa aspiração deve estar sempre presente! Lembre-se disso e nunca se esqueça.

Da Convenção Mundial de Cabalá, “Descobrindo a Vida na Dezena” 25/02/21, “A Alegria na Reunião”, Lição 1