Textos na Categoria 'Eventos'

Por Que O Criador Se Esconde De Nós?

249.01Está escrito: “Vocês Me fizeram”. No entanto, como pode ser isso se o Criador é a única força que existe no universo? Essa força contém tudo, e fora dela não há nada, nada se estende além de suas fronteiras. Tudo ganha vida dentro do Criador, incluindo nós.

Como podemos criar o Criador? Não foi o Criador que nos criou, porque não há mais ninguém? O Criador enfrentou uma tarefa difícil: criar uma criação e desenvolvê-la para que se tornasse independente. É o que fazemos quando queremos promover a independência de nossos filhos. O Criador, porém, teve uma tarefa mais difícil porque não há outra força além Dele.

Digamos que crescemos e descobrimos que não há mais ninguém além do Criador e que estamos dentro desta força que nos influencia. Então o que podemos fazer por nós mesmos?

Portanto, por um lado, o Criador preenche todo o universo e controla tudo, mas por outro lado, não vemos isso porque Ele está oculto. É o que às vezes fazemos com nossos filhos, não queremos ajudá-los, então nos escondemos para que eles possam trabalhar por conta própria e aprender a construir algo. Aparentemente, o Criador está oculto porque Ele queria nos tornar independentes.

Por outro lado, precisamos aprender a viver no mundo como se o Criador estivesse presente. E se Ele fosse revelado, faríamos exatamente o que estamos fazendo agora quando Ele está oculto. Este estado é chamado de fé completa. Em primeiro lugar, devemos alcançá-lo: fé acima da razão, doação acima da força de recepção, acima da força do nosso egoísmo.

É possível superar o egoísmo apenas se houver algo maior que ele, a força de doação. Somos feitos do desejo de receber prazer, e ele não se impressiona com palavras, mas se curva ao poder. Se meu egoísmo sentir a grandeza do Criador, ele fará tudo o que o Criador ordenar. No entanto, se meu egoísmo sente sua própria grandeza, ele segue todas as ordens do egoísmo. É óbvio que uma ou outra força governa: ou a força do nosso egoísmo ou a força de doação do Criador.

Nós nos comportamos de acordo com aquele que nos influencia. Se o egoísmo estivesse abertamente ativo em nós, nós o obedeceríamos em tudo e seríamos chamados de egoístas completos e perversos. Na verdade, é isso que está acontecendo agora.

E se o Criador fosse revelado e nos permitisse ver que Ele preenche o mundo, se a força e superioridade do desejo de doar fossem reveladas, nós imediatamente nos curvaríamos perante ela e obedeceríamos às suas ordens em tudo. Às vezes até acontece; de repente, a grandeza do Criador é revelada um pouco, e estamos prontos para dar e amar por um tempo até que esse milagre desapareça.

Esses impulsos vêm e vão para nos mostrar que isso é possível, mas apenas se ficarmos mais impressionados com a grandeza do Criador do que com a grandeza do nosso egoísmo. Em outras palavras, a questão é quem governará: o desejo de receber ou o desejo de doar? Existem apenas essas duas forças na natureza.

No entanto, se nos comportássemos dessa maneira, seríamos criminosos que seguem apenas nosso desejo de receber ou anjos que agem de acordo com o desejo de doar. Uma ou outra força nos governaria totalmente e continuaríamos animais, predadores ou santos, agindo de acordo com o instinto interior. Nesta forma, não somos semelhantes ao Criador, não somos humanos, Adam, porque não escolhemos ser egoístas ou santos.

Então, como nos tornar livres para que possamos escolher se recebemos ou doamos, se somos opostos ao Criador ou como Ele? O Criador foi confrontado com a tarefa de tornar o homem livre para que ele escolha o que prefere: ou ser um egoísta como a criação ou um altruísta como o Criador e se tornar Seu filho, parceiro e semelhante ao Criador.

O Criador pensou e encontrou uma solução: coloque um intermediário entre o desejo de receber e o desejo de doar, entre as duas forças opostas, de modo que a criação possa consistir no desejo de receber, mas seja capaz de mudar para a intenção em prol da doação. O Criador criou uma situação onde a criação pode ser impressionada com a grandeza do Criador, a grandeza da doação, mas não diretamente da força superior, de modo a não se curvar diante dela, mas para estudar este estado conforme o seu desejo.

Se uma pessoa realmente deseja reconhecer a grandeza do Criador, mas não como Seu escravo, é necessário construir um estado especial para ela chamado de grupo. No grupo, ela tem a oportunidade de decidir o quanto se render aos seus amigos e, nessa medida, ficar impressionada com a grandeza do Criador.

O Criador está sempre presente no grupo, mas de forma oculta. Na medida em que uma pessoa deseja sentir a grandeza do Criador através do grupo, ela pode senti-Lo. No entanto, ela sentirá o Criador e Sua grandeza, não diretamente, mas por meio de seus amigos, por meio de sua subjugação diante deles. Desta forma, ela adquire a força de doação e gradualmente se torna homem, Adam, semelhante ao Criador, uma pessoa independente e não um anjo.

Ao se conectar com seus amigos, com a dezena, a pessoa mostra seu desejo de ser incluída na qualidade de doação e opera com essa qualidade recebida do Criador por meio da dezena, crescendo gradualmente em espiritualidade. Ela usa a qualidade de doação criativamente, não sob coerção, e se constrói como um indivíduo independente semelhante ao Criador.

Isso amor e doação verdadeiros, não forçados como em um escravo por medo ou sob pressão, mas como uma pessoa livre.

Da 3ª lição do  Congresso Virtual 12/12/20, “Vocês Me Fizeram, Construindo a Grandeza do Criador”.

“Reformadores Do Mundo” Destruirão O Mundo

546.02Observação: Quando o mal surge, e agora há muito mal no mundo em todas as suas cores, de repente aparecem aqueles que querem corrigi-lo. Eles são chamados de pessoas honradas, recebem prêmios Nobel, etc. Eles vêm para corrigir esse mal. Eles doam dinheiro para isso e investem suas forças nele.

O grande Cabalista Baal HaSulam, cujas obras estudamos, escreve no artigo “Paz no Mundo” sobre “A Fraqueza dos ‘Reformadores do Mundo’”: “Esta é a chave para compreender a fraqueza dos reformadores do mundo através das gerações. Eles consideravam o homem como uma máquina que não está funcionando corretamente e precisa de consertos, ou seja, remover suas peças quebradas e substituí-las por outras que estão funcionando”.

Em princípio, parece bastante lógico. Ou seja, eles desejam operar a máquina adequadamente para que ela funcione sem problemas de acordo com o seu entendimento.

“Esta é a tendência de todos os reformadores do mundo – erradicar qualquer dano e mal na espécie humana … e é verdade que se o Criador não se opusesse a eles, eles certamente teriam agora purificado o homem inteiramente, deixando nele apenas o que é bom e útil”.

Resposta: E isso traria o fim do mundo.

Observação: Mas está escrito aqui que eles deixariam “apenas o que é bom e útil”. Isso seria bom para o mundo.

Meu Comentário: Bem, é claro! Tente sugerir isso e você verá que todos concordarão com você! Exceto o Criador.

Observação: E o Criador diz: “Não, Eu não preciso do que se chama de bom e benéfico. Eu não preciso que seja a única coisa que resta no mundo”.

Mais adiante, o Baal HaSulam continua: “Mas como o Criador zela meticulosamente por todos os elementos de Sua criação, não permitindo que ninguém destrua uma única coisa em Seu domínio, mas apenas reformule-a e torne-a útil e boa, todos os reformadores do tipo mencionado acima desaparecerão da Terra e as más qualidades não desaparecerão. Eles existem e contam os graus de desenvolvimento que ainda devem percorrer até que completem seu amadurecimento”.

É como se o Criador estivesse dizendo: “Não gosto desses reformadores do mundo. Não gosto de quem gosta de fazer o bem”. Eles querem que esse mal desapareça, substituir as peças danificadas do carro por outras boas e fazer o carro andar bem. Eu não quero isso”.

Meu Comentário: Isso está correto. Quem são os parceiros do Criador? Vilões. Eles revelam o mal no mundo, como disse o Criador: “Eu criei a inclinação ao mal…” Ou seja, eles são Seus cúmplices que O ajudam e revelam o mal.

Eles nos mostram: “Veja o que o Criador criou!” E a única coisa que falta aqui é o outro lado, onde precisamos pegar as forças da natureza e construir um sistema oposto que compensaria esse mal. Então, através da criação de nosso próprio sistema de bem que compensa o mal, iremos nos elevar por ambas as forças, em ambos os níveis.

Pergunta: Isso significa que as pessoas más são as mais próximas do Criador?

Resposta: Sim. É por meio delas que o Criador cria o mundo.

Pergunta: Ele cria o mundo e nos mostra que o mundo foi criado a partir do mal. Vemos isso, ficamos horrorizados e começamos a lutar contra esse mal. Você está dizendo: “É errado lutar contra o mal?”

Resposta: Devemos aprender a compensar isso corretamente, a usá-lo como o menos e o mais na eletrônica e em outras áreas.

Pergunta: Então, o mal existe e não eu devo tocá-lo. Pelo contrário, devo criar uma montanha do bem. Aqui está uma montanha do mal e uma montanha do bem. Esta montanha do mal cresce? E a montanha do bem também cresce? O principal é não apagar essa segunda montanha?

Resposta: Você não pode apagá-las, apenas mutilará toda a natureza.

Pergunta: Como faço para construir a montanha do bem?

Resposta: Com base no mal.

Pergunta: Vendo todo esse mal, digo: “Este não é o caminho certo, devo escolher outro caminho”?

Resposta: Claro. Caso contrário, você será como os que destruíram pardais, moscas e assim por diante.

Pergunta: Então, eu construo uma montanha do bem olhando para essa montanha do mal?

Resposta: De acordo com ela.

Pergunta: Onde obtenho forças para construir esta montanha do bem?

Resposta: Aqui você tem que perguntar ao próprio Criador.

Pergunta: Não há outra maneira?

Resposta: Não. Então você verá porque o Criador criou o mal. É para que você se volte a Ele e receba a força do bem.

Observação: Então, apenas com recursos materiais, com minhas habilidades…

Resposta: Isso não levará a lugar nenhum. Você não vai realizar nada. Só existe o mal em nosso mundo. Mesmo o bem que você vê também é mal.

Pergunta: E quando dizem: “Este líder forte, carismático, corajoso e determinado será capaz de nos levar ao bem, à felicidade” e todos começam a votar nele, é tudo mentira?

Resposta: Claro. Hoje, mais e mais pessoas começam a perceber isso.

Pergunta: Nossa tarefa é construir este bem contra o mal, e tudo o que precisamos fazer é pedir força à natureza, ao Criador?

Resposta: Pedir ao Criador a força do bem para equilibrar o mal e ascender sobre essas duas forças como se estivesse sobre duas pernas.

Pergunta: O mundo chegará a isso?

Resposta: Muito em breve! Eu acredito que, talvez, eu também consiga ver isso. Mas devemos lançar o alicerce.

Observação: Este é definitivamente um ponto de virada para uma pessoa.

Resposta: Precisamos educar as pessoas! Conceitos básicos que só precisamos apresentar diante delas.

Pergunta: Estamos falando de uma pessoa comum. Diga-me, quando alguém enfrenta o mal, qual deve ser sua primeira reação?

Resposta: Equilibrar o mal. Se eu quiser destruí-lo, tenho que equilibrá-lo! Dessa forma, eu não apenas o erradico como se o estivesse reduzindo a zero, mas o emprego e uso para o bem.

Como duas forças na eletricidade: o negativo e o positivo. Qualquer força que se revela neste mundo consiste em si mesma e em seu oposto, seu paralelo. Não há mais nada, apenas isso. Portanto, em relação ao mal, devemos encontrar a expressão do bem e colocá-los uns contra os outros, colocando-se no meio. E você verá como subir nestes dois riachos da fonte. É assim que você vai subir usando os dois.

Pergunta: Então, você está dizendo que para que alguém se eleve ao bem, ele deve estar entre o bem e o mal?

Resposta: Eles devem empurrá-lo por baixo como os jatos de uma fonte.

Pergunta: Quando eu construo o bem contra o sentimento do mal, é chamado de que estou no meio? Eu vejo o bem e o mal.

Resposta: Sim. Precisamos ensinar as pessoas como usar ambas as forças corretamente. Para elas, esta é a revelação do novo mundo e de possibilidades infinitas.

Pergunta: Isso significa que precisamos trabalhar na primeira reação de uma pessoa para destruir o mal? Para que a primeira reação seja: “Oh!”

Resposta: Depende do apoio da sociedade, do ambiente.

Pergunta: Então, de uma forma ou de outra, a pessoa deveria estar procurando, ou deveria ser colocada no ambiente que pensa assim, certo?

Resposta: Sim. O ambiente a apoiará nos bastidores. E ela sentirá que precisa realizar certas ações. Ela receberá pensamentos do ambiente. O mundo está chegando a esse ponto, não há outra maneira. É assim que o mundo está organizado. O principal é seguir em frente!

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 10/08/20

Abra Espaço Para O Criador

232.06Lição 3 do Congresso Virtual “Novo Mundo”

O mais difícil é imaginar um amor sempre baseado no ódio, e ambos se apoiam, se fortalecem e só existem graças a isso.

É assim que o mundo espiritual difere do mundo material, onde um cancela o outro. Estamos acostumados com nosso mundo onde só podemos amar quando nos esquecemos do ódio. Então o ódio explode novamente, e nos esquecemos do amor e estamos prontos para matar um ao outro.

Isso não acontece no mundo espiritual; existe ódio e amor ao mesmo tempo. Ambos vêm do Criador, e é através do ódio, que é a base deste mundo, que podemos nos elevar ao amor, à natureza do mundo superior. Existimos neste sanduíche, tanto no ódio quanto no amor, e essas duas linhas, direita e esquerda, existem em termos iguais. Um não pode ser maior do que o outro.

Então sentiremos a linha do meio revelada. Ela ainda não pode ser revelada porque, caso contrário, cancelaremos uma das duas linhas. Somente se houver duas linhas e entendermos que uma não pode existir sem a outra, pelo desejo de preservar as duas, criamos uma linha do meio.

Faça este exercício: onde vejo meu egoísmo em relação aos meus amigos, tento removê-lo, desenraizá-lo. Eu corto como se fosse com uma faca e guardo o espaço que sobrou e quero preenchê-lo com o Criador. Eu quero que o Criador seja revelado nele, caso contrário, Ele não será revelado. Se eu quiser revelar o Criador, isso é possível apenas nos lugares e qualidades onde criei espaço para Ele.

De KabTV, Um Novo Mundo – Convenção Virtual 15/08/20, “O Amor Cobre Todos Os Crimes”, Lição 3

Primeiro Congresso Da Nova Era


laitman_600.04Vamos a um congresso virtual dentro de duas semanas. Essa não é uma conexão fácil, porque começamos a nos preparar para ela desde o início da criação, bilhões de anos atrás. E isso é apenas em nosso mundo material, antes disso havia muitas ações nos mundos espirituais.

Finalmente, chegamos ao ponto em que começamos a sentir a quebra, a forma inversa de conexão, a fim de alcançá-la.

Podemos dizer que neste momento estamos no ponto de partida mais baixo a partir do qual uma ascensão contínua começa em direção ao programa da criação, seu objetivo, onde todos nos unimos juntos e com o Criador. O universo inteiro, todos os mundos, todas as estrelas e galáxias, estão conectados no ponto de unidade que devemos alcançar.

A primeira estação a caminho desse objetivo é o congresso virtual, que realizaremos em duas semanas. Pode parecer que isso não seja tão importante, mas devemos perceber que valorizamos a importância de acordo com nossos desejos egoístas não corrigidos, mas, de fato, o desejo de nos unir neste momento especial entre os milhares de pessoas que participam do congresso é muito importante.

Este é o primeiro congresso realizado durante o período do coronavírus. Em fevereiro, conseguimos realizar uma grande convenção logo antes do início das quarentenas. Foi como se tivéssemos pulado para o último vagão: realizamos uma convenção, e a porta se fechou bem atrás de nós.

E agora estamos começando a organizar nosso sistema durante o período do coronavírus. Já passamos pela primeira onda e podemos entender do que se trata. A humanidade ainda não entende o que está acontecendo. A epidemia não recua; seguirá em frente como um rolo compressor de desenvolvimento e esculpirá uma nova forma da humanidade.

Este enorme rolo compressor de asfalto vai passar sobre nós e nos pressionará no chão, se apenas dessa forma formos capazes de nos conectar. Não vamos esperar pelo ringue de desenvolvimento, mas façamos isso por conta do nosso próprio trabalho. Não devemos ser crianças malcriadas, cuja mãe é forçada a punir, a fim de fazê-las se comportar bem. E a criança não tem saída, ela tem que obedecer, como nós agora, por desesperança, fazendo o que o coronavírus e outros vírus que estão na fila para nós querem de nós.

Precisamos nos elevar a um estado em que entendamos porque a mãe, isto é, a natureza, o Criador, nos exige, e queiramos cumprir seus requisitos por nosso consentimento e boa vontade.

Queremos trazer este primeiro congresso de uma nova era para um novo estado: não como antes, quando nos sentávamos juntos, conversávamos e nos abraçávamos. Não devemos nos arrepender de não estarmos sentados na mesma sala; não devemos nos arrepender do passado. Já passou. Tudo o que é novo deve ser considerado como certo com entendimento e aprovação.

Novos estados exigem ainda mais conexão da nossa parte. E se percebermos que mudanças materiais ocorreram, elas devem apenas nos despertar para uma conexão interna ainda maior, para que a forma externa não nos confunda, não dê a ilusão de que já estamos conectados pelo fato de vários milhares de pessoas estarem sentadas em uma sala.

Agora não existe tal coisa; não estamos na mesma sala e nem nos esforçamos para ficar juntos fisicamente. Queremos estar juntos espiritualmente como uma pessoa com um coração! Portanto, este é um congresso completamente novo, em uma nova era. Não há nada dos congressos anteriores nele: é um novo nível, uma nova abordagem, uma nova atitude. E olhamos para ele como um nível espiritual ao qual devemos subir.

Eu quero estar conectado a todos, mas onde e como? Ao ascender ao nível espiritual, ao lugar espiritual onde nosso congresso é realizado – ao espaço dentro do Criador. Todos entraremos neste espaço e queremos existir lá, para nos unirmos uns aos outros dentro Dele. O Criador é chamado de “lugar”, e é neste lugar que realizamos nosso congresso, nosso encontro de todos juntos, a fim de apoiar uns aos outros junto com o Criador neste primeiro passo espiritual que nos espera.

Não posso transmitir a vocês os sentimentos que estão em meu coração. Mas esperemos que juntos possamos descobrir esse estado e sentir a conexão entre nós, dentro do Criador, em nosso primeiro congresso de uma nova era.

De uma Lição de Cabalá, 01/08/20

Rumo A Uma Conexão Altruísta

laitman_938.02Pergunta: Quando estudei no MAK online, [Centro de Educação do Bnei Baruch na Rússia], decidi por mim mesmo que deveria ficar longe de todos os problemas materiais de um amigo, porque isso poderia prejudicar meu progresso espiritual.

Mas no Congresso algum tipo de conexão foi despertada entre nós, um envolvimento maior um com o outro. Por exemplo: fiquei com dor de cabeça e um amigo já estava mexendo no bolso e me dando uma pílula. Mas, na reunião seguinte, fiquei com vergonha de olhar na direção dele; desajeitado, me senti obrigado a ele.

Qual é o papel de tais expressões de carinho e preocupação entre amigos no avanço espiritual?

Resposta: Vocês devem atingir um estado em que não se sintam desconfortáveis um com o outro. Pelo contrário, ele os reunirá de forma completamente desinteressada, sem nenhum cálculo. Eu dei a um amigo a oportunidade de me ajudar e estou muito feliz com isso. Fico feliz por ter esses amigos que imediatamente acharam que eu precisava da ajuda deles.

Não há doador e receptor aqui. Todo mundo dá e todo mundo recebe. É assim que se deve procurar considerar esses estados.

Na rede geral de relações entre nós, não há estados quando eu dou a você, mas você não me dá, ou eu recebo, mas você não, porque tanto a doação quanto a recepção são absolutamente equivalentes, a mesma coisa. Quando eu dou, com isso recebo. Um amigo me dá a oportunidade de dar a ele. Talvez você lhe dê uma pílula ou algo mais, mas na verdade você recebe dele. Isso é parcialmente o que você sentiu em seu relacionamento no Congresso.

Não existe: eu recebo ou dou. Todas essas são ações para a conexão mútua entre nós. Em uma conexão integral, as próprias ações não têm significado. O que importa é apenas a construção dessa rede absoluta, quando todas as cadeias de comunicação, e há um número infinito delas, se alinham e são transformadas. E nesse nível reina a qualidade do Criador.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 01/03/20

Centavo A Centavo

laitman_944Rabash, “Toda a Torá é um Nome Santo”: Isto é, qualquer superação na obra é chamada “caminhando na obra do Criador”, uma vez que cada centavo se une em uma grande quantidade”. Isto é, todas as vezes que superamos acumulamos até uma certa medida necessária para se tornar um Kli para a recepção da abundância.

Superar significa participar de um vaso de recepção e adicioná-lo aos vasos de doação.

Pergunta: Isso pode estar relacionado aos estados que todos experimentamos juntos após o Congresso?

Resposta: Certamente. Afinal, estamos conectados um ao outro e formamos um vaso, uma panela, do qual eu, você, todos os nossos amigos, homens e mulheres, fazemos parte. Não importa em que nível todos estejam, porque todos queremos entrar neste vaso comum.

Nele, nós começamos a nos conectar uns com os outros e com todas as almas dos Cabalistas anteriores que preenchem todo o volume do vaso. E nós, subindo lá, somos incluídos nele.

Portanto, todos nós que participamos do Congresso alcançamos um estado em que nos juntamos à alma comum de Adam.

Pergunta: Podemos dizer que a superação está se acumulando como centavo a centavo em uma grande quantidade e atingindo um certo grau chamado Adam?

Resposta: Sim. Adam é o que todos os Cabalistas fizeram antes de nós. E nós, quando entramos neste estado, nos conectamos a eles.

Pergunta: Nós entramos nesse estado no Congresso e agora todos estamos de volta ao nosso pequeno mundo. O que todos deveriam fazer?

Resposta: Sim, entramos no estado geral, mas após o Congresso, todos não voltaram ao seu mundinho. Por fim, esse estado geral ainda existe. É somente que ele desaparece constantemente para nós, de modo que tenhamos que despertá-lo repetidamente e, como de centavo em centavo, colocássemos tudo em um grande Kli (vaso).

Pergunta: Portanto, o que o Rabash chamou de superação é, na verdade, uma adição: meu dever de sentir o estado geral de conexão?

Resposta: Certamente.

Pergunta: O que exatamente estamos conectando e como estamos conectando?

Resposta: Estamos nos conectando, por aspirações, para estarmos acima de nossos desejos egoístas em uma unidade comum, na chamada dezena. A dezena é um estado sem limites. Você pode reunir um milhão de pessoas e dizer que é uma dezena, ou pode pegar duas ou três pessoas e isso também será uma dezena. A conexão das pessoas acima de seu ego é chamada de dezena.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 01/03/20

Reunião Mundial De Amigos

Uma reunião mundial de amigos de Bnei Baruch aconteceu na sexta-feira.  570 amigos conectados através do Zoom e milhares de pessoas de todo o mundo participaram da reunião via YouTube.

O Coronavírus Está Mudando A Realidade, Parte 7

arava-convention_931.01As Pessoas Que Acompanham O Plano Da Natureza Podem Contrair O Coronavírus?

Pergunta: Milhares de pessoas unidas na recente convenção da Cabalá em Israel. Imediatamente depois, o surto global começou. Nós nos conectamos e olhamos o que aconteceu. Nós causamos isso?

Resposta: Não, não causamos isso. Primeiro de tudo, o surto começou antes da Convenção; simplesmente não era tão óbvio.

Estávamos certos de que nada aconteceria aos participantes da Convenção. Como dezenas de milhares de pessoas em todo o mundo estavam se conectando física e virtualmente através de bons esforços, não havia perigo aqui.

Estou certo de que nenhum de nossos amigos, onde quer que estivessem, onde quer que fossem participar do Congresso espelho, adoeceu. Não houve problemas com ninguém.

E como poderia haver se estávamos reunidos para nos conectar com conexões ainda melhores entre nós. Nos movemos juntos com o plano da natureza; portanto, não podemos ser afetados pelo vírus que afeta as conexões egoístas entre pessoas, sociedades e países.

Pergunta: É possível deduzir a seguinte fórmula: as pessoas que aprenderão a se conectar corretamente não serão afetadas por esse vírus?

Resposta: Sim. Eu posso te dar minha palavra disso. Só precisamos entender que isso não é 100%, porque há casos individuais que podemos analisar e ver por que isso aconteceu em nossas fileiras. No entanto, não creio que ouviremos sobre um grande número de Cabalistas sendo afetados pelo vírus. É impossível. Vamos apenas esperar e ver.

De KabTV, “O Coronavírus Está Mudando a Realidade”, Parte 7, 12/03/20

Feriados Espirituais, Parte 8

laitman_294.4O Que Os Personagens De Purim Representam?

Pergunta: O que os personagens do feriado de Purim representam: o rei, a rainha Ester, Mordecai (Mardoqueu) e Hamã?

Resposta: Hamã é o nosso grande egoísmo sem o qual não poderíamos alcançar a correção completa. Ester, da palavra “ocultação”, representa Malchut, que age em ocultação e em torno da qual tudo gira.

Mordecai (Mor-Dror) é uma qualidade de Bina, o homem justo que não precisa de nada. Ele está apenas esperando pelo estado em que realmente pode servir.

The people represent all our desires. This whole group of actors acts out Purim.

Assuero é o rei, acima de quem está o Criador.

O povo representa todos os nossos desejos. Todo esse grupo de atores interpreta Purim.

Pergunta: Na verdade, percebemos Purim como um feriado infantil, quando todo mundo usa fantasias e coloca máscaras. Por que existe esse costume?

Resposta: As pessoas usam máscaras porque não conhecemos completamente a essência desse feriado: quem realmente está agindo, quem está se escondendo atrás do quê e por que tudo isso é necessário.

Se tentarmos encenar essa história corretamente dentro de nós mesmos, na alma, na conexão entre nós, então, no final, alcançaremos um estado chamado “Purim”.

Pur, Goral – o elenco é lançado de tal maneira que não está absolutamente claro o porquê. No final, tudo deveria estar do lado do vilão Haman, que queria destruir o povo, mas aconteceu da maneira oposta: ele foi enforcado na mesma forca que preparou para Mordecai.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 29/01/19

“Nós Nos Reunimos Aqui”

laitman_942A espiritualidade é alcançada apenas através da conexão. Estamos no mundo espiritual, mas não o sentimos; sentimos apenas nós mesmos.

Portanto, precisamos dar um salto em nossa percepção, transferindo-a do pessoal, no qual todos se sentem neste mundo, para sentir a existência dentro da força superior de doação e amor, unindo todos nós juntos em um único vaso, um desejo.

Todas as almas vêm da alma de Adam HaRishon porque após o pecado da Árvore do Conhecimento, essa alma foi dividida em 600.000 almas. E a única luz que preencheu esse vaso, um grande desejo, foi dividida em várias partes, corpos e desejos individuais.

É por isso que vemos este mundo formado de bilhões de pessoas com desejos conflitantes e fragmentados. Se quisermos revelar o mundo espiritual, o mundo da verdade, devemos nos conectar.

É por isso que a primeira lição da Convenção Mundial de Cabalá de 2020 é chamada “Nós Nos Reunimos Aqui”; realmente não há mais nada a fazer. Se nos reunirmos e nos unirmos em uma alma, como era antes da destruição de Adam HaRishon, antes do pecado da Árvore do Conhecimento, retornaremos ao mundo superior, em um estado espiritual, tornando-nos novamente Adam.

Portanto, uma pessoa não tem nada a fazer neste mundo, além de procurar maneiras de se conectar com outras pessoas. Claro, isso é contra a nossa natureza, não há nada mais repulsivo e oposto a ela; portanto, não queremos ouvir sobre isso.

Mas o Criador, a luz superior, com infinita paciência, age sobre nós repetidamente para nos ensinar que nada mudará para melhor até que decidamos nos conectar de uma boa maneira.

É assim que a humanidade está aprendendo. As pessoas ainda não entendem o que está acontecendo conosco, mas as impressões da crise global e dos problemas crescentes penetram em nossos sentidos, em nossa memória e, gostemos ou não, nos fazem ficar mais sábios e ganhar experiência. Algum dia, ficaremos tão sábios que concordaremos que não há saída senão se conectar.

No enyanto, se estudarmos a sabedoria da Cabalá, ficará claro para nós o que fazer. Afinal, revelamos não apenas a doença e sua causa que emanam do egoísmo humano, mas também um remédio que nos permite esconder do egoísmo. Se sofro muito por causa dele, preciso me libertar dele.

A sabedoria da Cabalá nos ajuda nisso, precisamos apenas organizar um pequeno grupo de pessoas afins e atrair a luz que reforma. A Cabalá nos ensina como nossos desejos podem se conectar e trabalhar juntos, realizando ações denominadas “restrição”, “tela”, “luz refletida”, “Zivug de Hakaa” e “recepção pelo bem da doação”.

Ao estudar o que acontece em nossos desejos, gradualmente nos corrigimos. Quando aprendemos e conversamos sobre isso, a luz que brilha sobre nós muda-nos gradualmente.

Como está escrito, “centavo por centavo acumula uma grande soma”. Temos um sistema que pode nos incluir dentro de si, nos conectar e atrair a luz que reforma que nos afetará. Mesmo que não desejemos realmente isso agora, no final, exigiremos que as forças de doação, relações altruístas no topo de nosso egoísmo, sejam reveladas entre nós.

Todas as almas vêm da alma única de Adam criada pelo Criador. Mas depois que Adam pecou com a Árvore do Conhecimento, isto é, a quebra desse desejo único, que deixou de ser como o Criador, ele perdeu a intenção altruísta e tornou-se egoísta; foi dividido em 600.000 almas individuais.

Uma luz encheu Adam HaRishon no “Jardim do Éden”, isto é, o estado em que ele estava unido em uma alma e retinha a força de doação, Bina, dentro de si mesmo, desapareceu após a quebra, e apenas uma pequena centelha permaneceu em cada parte.

Agora que nos encontramos em corpos adicionados aos fragmentos da alma, sentimos o desejo de reunir todas as centelhas espirituais. Portanto, nos reunimos e trabalhamos em nossa conexão, retornando assim a luz superior que brilhará dentro de nós.

Quando a luz retorna, se torna 620 vezes mais forte do que antes, porque estamos agindo contra a distância que surgiu entre nós e, portanto, alcançamos a integração com a força superior, o Criador.

Um desejo comum estava no grau de Bina, que é chamado de alma, e quando se despedaçou, caiu no grau de Malchut. Precisamos juntar todas as partículas que caíram em Malchut e elevá-las a Bina, ao Jardim do Éden. Malchut é chamada de “este mundo” e Bina é chamada de “o próximo mundo”.

Portanto, através da nossa conexão, devemos nos elevar deste mundo, no qual agora sentimos a nós mesmos, para o “mundo futuro”, até o nível de Bina, onde sentimos nossa existência como eterna, perfeita, sem dificuldades e problemas, tudo juntos, imbuídos do poder de doação e amor um pelo outro.

A luz superior fortalece seu brilho o tempo todo, e quando sentimos essa iluminação do poder espiritual de doação e amor, nos sentimos cada vez mais opostos a ela. Acontece que todos os dias nos sentimos cada vez piores, o mundo se torna cada vez mais corrupto. Não resta mais que corrigir-se e tornar-se semelhante à força de doação que brilha sobre nós de cima.

É por isso que nós vemos este mundo em crise, desamparado e sem entender o que está acontecendo. Talvez todos os vulcões da Terra despertem amanhã e comecem a lançar bilhões de toneladas de cinzas na atmosfera, para que não vejamos mais o sol. O mundo congelaria e mergulharia na escuridão.

Mas nós mesmos ativamos essas forças porque vivemos em um sistema integrado e precisamos saber como equilibrar as forças da natureza. Se nos tornarmos gentis um com o outro, a natureza se tornará gentil conosco.

Não há outra maneira de influenciar a matéria inanimada, plantas e animais, essas forças da natureza, exceto através dos seres humanos. Além disso, a pessoa é um pensamento, uma intenção. O corpo físico é apenas um animal, mas através de nossos relacionamentos um com o outro, podemos nos elevar um passo mais alto: do nível animado para o humano. O ser humano – “Adam” significa “semelhante ao Criador”.

Portanto, devemos entender que todos os infortúnios e problemas do mundo são enviados especificamente para nos obrigar a nos mover e começar a colocar o mundo em ordem, a fim de estabelecer um equilíbrio nele. Para fazer isso, só precisamos nos aproximar e trabalhar em nosso egoísmo.

Então, do nível humano, do nível mais alto da natureza, obrigaremos todas as outras forças da natureza, que estão abaixo de nós nos níveis animado, vegetativo e inanimado, a entrar em equilíbrio, e o mundo inteiro encontrará paz e felicidade.

O estado do nosso grupo mundial Bnei Baruch é excepcional, porque dentre todos os bilhões de almas individuais, fomos escolhidos para estar no sistema de Israel, isto é, direcionado “direto ao Criador”, que leva a humanidade à correção.

Da Convenção Mundial de Cabalá 2020, “Conectando-se à Raiz da Vida” , 25/02/20 , “Nós Nos Reunimos Aqui”, Lição 1