Textos na Categoria 'Educação Integral'

Um Aparelho Para Resolver Os Problemas Da Vida

Dr. Michael LaitmanPergunta: Suponha que as pessoas se reúnam em torno de uma mesa redonda para discutir problemas de negócio e nós sugerimos que elas também falem sobre outros assuntos: sobre as relações entre casais, saúde e educação dos filhos. É correto aumentar o leque de questões?

Resposta: É aconselhável começar com algo distante; talvez não negócios, porque pode haver conflito de interesses. Eu passaria a conversa para outro assunto mais geral, civil, simples, coletivamente humano, e com isso, mostraria às pessoas como é possível ter uma discussão e chegar a um denominador comum.

Por exemplo, é possível levar o tema das relações entre casais, a educação dos filhos, o relacionamento com os pais, um assunto que afeta todas as pessoas.

Pergunta: Em grupos como estes uma dinâmica interessante é vista. A princípio as pessoas discutem alguma questão, como por exemplo um tema de negócios, e quando o resolvem, todas relaxam e começam a gostar de estar juntas. Mas esse prazer não dura. Se não introduzirmos algum tipo de mecanismo especial, as pessoas arrefecem rapidamente. O que mais poderia estimular o processo?

Resposta: Nós devemos acrescentar mais “lenha na fogueira”, novos temas, de modo que elas vão ver que a mesa redonda é um dispositivo para resolver os problemas da vida.

Se as pessoas se conectam de acordo com os princípios que estabelecemos, onde cada uma ao redor do círculo completa a outra sem se opor às demais de forma alguma, entendendo que as demais também têm o direito a uma opinião pessoal e que se complementam entre si, então é simplesmente necessário mostrar-lhes que, num círculo como este, problemas humanos básicos podem ser resolvidos.

De KabTV “Através do Tempo” 15/09/13

Um Breve Resumo Do Curso De Educação Integral: Economia Do Consumo Responsável

É do conhecimento comum que valiosas matérias-primas não são renováveis ​​e, por fim, vão acabar. Se os recursos do petróleo estão esgotados ou os preços do petróleo sobem ainda mais, isto irá disparar um colapso imediato e completo, porque a maioria dos produtos que usamos é feita de derivados de petróleo.

Mesmo os alimentos que consumimos são compostos de óleo, 90% contêm produtos petrolíferos. Máquinas, fabricação, entrega de mercadorias, etc., funcionam com óleo. Em outras palavras, uma deficiência de petróleo nos levará à fome e à miséria.

É por isso que temos de transitar para um modelo de consumo responsável e parar de produzir e de consumir apenas para gerar vendas de produtos para uso de curta duração, rapidamente jogá-los fora e comprar coisas novas. Este tipo de consumo contamina oceanos, polui a terra, e esgota a Terra de seus recursos finitos. No final, chegaremos à devastação completa.

Nós não temos outra escolha a não ser recorrer a um modelo econômico muito rigoroso de consumo responsável. Na verdade, precisamos de muito menos do que temos neste momento. Nós não temos nenhuma necessidade de construir grandes edifícios, produzir excesso de comida, possuir roupas extras, e assim por diante. Nem precisamos de vôos intermináveis ​​de avião.

Devemos começar a agir racionalmente. Caso contrário, vamos privar nossos filhos e netos da esperança de uma vida normal. Nós simplesmente vamos ficar sem fontes de energia. É nosso dever reestruturar a nossa economia moderna. Mudanças só podem ser alcançadas através da educação integral correta.

[80599]

De uma “Palestra sobre educação integral” 22/5/12

A Democracia Da Concessão Mútua

Pergunta: Eu não acredito que é possível conectar-se, porque todo mundo só se preocupa consigo mesmo. Por exemplo, meu carro avariou e agora eu não posso ir trabalhar e ganhar a vida. Se apelam pela unidade, porque não juntam o dinheiro que eu preciso para consertar carro? Porque isso não acontece?

Resposta: Isso indica que é impossível realizar a conexão no nosso mundo por certas ações individuais. Se eu estou num estado quebrado, eu não posso descobrir todas as peças corrigidas lá. Isso é claro, o que mais quererás? Não irás encontrar quaisquer sinais de conexão para o benefício dos outros neste mundo.

Não é apenas uma conexão que é boa para o meu ego, quando eu me conecto com alguém para lucrar às suas custas. Trata-se de uma conexão totalmente diferente que não existe neste mundo. Assim, as tuas queixas são inválidas. É verdade que o nosso mundo é oposto à unidade e que tudo o que nele existe é de acordo com as leis de dar e receber, de acordo com os princípios capitalistas. A democracia moderna significa que todos têm permissão para cuidar de seu próprio bem-estar.

Democracia foi limitada na Rússia socialista, havia limites para sobre quanto uma pessoa podia pensar sobre si mesma, porque ela estava de outra forma obrigada a pensar sobre a sociedade. A democracia capitalista oferece à pessoa a liberdade de fazer o que ela deseja e lucrar da forma que ela se sentir melhor. Se não estás a prejudicar diretamente a sociedade, então tudo bem, isso é democracia.

O primeiro passo para a correção do mundo é através da educação das pessoas. A educação deve preceder tudo, caso contrário, não seremos capazes de corrigir o sistema. A educação deve corrigir as pessoas de maneira a que elas próprias queiram mudar as prioridades sociais para assim conduzir ao equilíbrio social, a um padrão de vida mais ou menos igual e organizar gradualmente tudo. As mudanças devem ser de acordo com o desejo e desenvolvimento da maioria, e devem obter a concordância geral, isto é chamado de uma verdadeira democracia.

Sem mudanças sociais, tu não consegues mudar as pessoas e a sociedade. Afinal de contas, na sociedade corrupta de hoje, se tu não tiveres um carro que precisas a fim de ganhares a vida, tu vais morrer de fome. Este é o mundo em que estás vivendo, se quiseres começar a mudar isso, por favor, começa a estudar educação integral. Eu estou oferecendo-te um processo de correção, não podes vir queixar-te sobre os defeitos do mundo e exigir que seja eu a corrigi-los por ti.

Além disso, tu ainda nem sequer queres corrigi-los – tu queres continuar a viver com esses defeitos – apenas roubar para ti da sociedade unida que eu te estou oferecendo, tirando para o teu mundo na tua sociedade despedaçada. Isto, obviamente, não levará a nada. Este é precisamente o caso quando a impureza (Klipa) quer aderir à Santidade e explorá-la.

Da 3 ª parte da Lição Diária de Cabala 27/09/13, O Estudo das Dez Sefirot

Educação Integral Em Universidades Americanas

Uma série de lições de educação integral, com base em dois cursos do Programa de Inglês Intensivo do Instituto da Língua Inglesa, foi concluída na Universidade Comunitária de Westchester, em Nova Iorque. Ambas as classes experimentais, com o comparecimento de cerca de quarenta estudantes, permitiam-lhes construir uma imagem de um bom ambiente.

2013-08-07_kurs-integr-vosp_usa_discussion 2013-08-07_kurs-integr-vosp_usa_final2 2013-08-07_kurs-integr-vosp_usa_final_postdiscuss 2013-08-07_kurs-integr-vosp_usa_final_preptowatchcrossroads 2013-08-07_kurs-integr-vosp_usa_final_watched_crossroads

2013-08-07_kurs-integr-vosp_usa_finalclass1 2013-08-07_kurs-integr-vosp_usa_game 2013-08-07_kurs-integr-vosp_usa_game1 2013-08-07_kurs-integr-vosp_usa_game2 2013-08-07_kurs-integr-vosp_usa_game3

2013-08-07_kurs-integr-vosp_usa_game4 2013-08-07_kurs-integr-vosp_usa_groupwork 2013-08-07_kurs-integr-vosp_usa_rounddiscussion 2013-08-07_kurs-integr-vosp_usa_studentspresentbalancewithnature1 2013-08-07_kurs-integr-vosp_usa_workshop

Estes cursos informais, sem créditos, baseiam-se no ensino intensivo da língua falada pelos estudantes que vieram para os EUA para estudar negócios, engenharia e pesquisas médicas, etc. Entre eles havia vários futuros sacerdotes católicos, um instrutor de mergulho, tutores e babás, bem como jovens, preparando-se para uma variedade de ocupações nos Estados Unidos.

A idade média do grupo foi de 25 anos; o nível de educação anterior variou entre ensino médio e pós-graduação. A demografia geográfica incluiu: 30% – Ásia (China, Coreia, Japão), 40% – América Latina e do Sul, 5% – Oriente Médio (Síria, Irã, Emirados Árabes), 2% – Africano, 3% – Haitiana 20% – Europeus, Norte Americanos e Russos.

O nível avançado da linguagem e da educação dos alunos permitiu a construção de um programa baseado no treinamento em educação integral e nas entrevistas do programa “Nova Vida” com Dr. Michael Laitman sobre a vida no mundo futuro. Os alunos se reuniram com o professor e entre si numa aula de três horas por dia, cinco dias por semana durante três meses, o que permitiu ao professor usar a linguagem mais livremente como uma ferramenta de apresentação do nosso material, dando aos alunos um sentido de interrelação, o desejo de estar integrado e uma compreensão do novo mundo e seu papel e o potencial para alcançar a felicidade e o bom futuro juntos.

Os estudantes receberam os materiais de treinamento na disseminação da educação integral, artigos e vídeos para discussão. Os alunos se divertiram jogando jogos, constantemente trabalhando em grupos e criaram cinco projetos de equipe com apresentações visuais para demonstrar sua compreensão e a percepção do que tinham aprendido e para compartilhar seus sentimentos e impressões com relação à aula.

O curso continha mais de dez tópicos, incluindo: a diferença entre liderança e autoridade, o melhor caminho para o sucesso, se a concorrência é benéfica para as crianças, como encontrar o equilíbrio entre nós e a natureza, o que é uma pessoa adulta, e outros. Quanto mais eles trabalharam juntos, mais próximos se tornaram uns dos outros e mais profundamente sentiram como são semelhantes, apesar das diferenças de etnia, e quais são suas esperanças comuns para o futuro.

Há duas semanas, o diretor do programa veio ver o trabalho na sala de aula por uma hora e meia, e aconteceu dele assistir a uma apresentação da equipe sobre o tema do sucesso. Os alunos estudaram o sucesso de várias pessoas famosas e acharam que seu sucesso dependia da contribuição global de pessoas ligadas a um objetivo, uma visão e a lealdade à causa como uma família.

O que surpreendeu o diretor, bem como o professor, foi que alguns dos participantes concluiram sua parte da apresentação dizendo que as escolas ensinam-lhes muitas coisas, mas ninguém os ensina a viver e amar, e isso é o que eles gostariam de continuar estudando. Mais tarde, o diretor do programa disse que ficou impressionado com o fato de que os alunos aprenderam a trabalhar bem juntos, harmoniosamente em problemas complexos.

A sessão terminaou com a projeção do filme Crossroads com discussões em grupo em círculos, compartilhando experiências e usando jogos. O filme Crossroads foi usado como material visual, acadêmico, e os alunos adoraram o filme. Após o café, assistindo um filme e as atividades, os alunos foram convidados a partilhar suas conclusões sobre o que precisam para sobreviver no mundo e construir um futuro melhor.

Quase todo mundo respondeu “mudar a si mesmo e começar a estar integrado com outras pessoas”. Embora durante todo o período eles estivessem imersos no tema da educação integral, depois de ver o filme, eles encontraram fórmulas mais exatas de como mudar o mundo através de si mesmos – começando com pequenas ações no seu ambiente imediato, na sala de aula, em casa, com amigos, no trabalho e em seus países, para onde eles poderiam regressar em breve.

Esperava-se que alguns meses de treinamento em educação integral e um bom ambiente dessem a esses jovens, mas não a tais representantes ingênuos do povo do mundo, informações úteis sobre a vida e sentimentos que os ajudarão a determinar o que eles querem do seu futuro e o que precisa ser feito para parar de temê-lo.

Atualmente, alguns professores da universidade trabalham em conjunto para estruturar um curso de educação integral oficial, possivelmente com crédito no futuro próximo, para incluir o curso na universidade e depois fazer uma proposta para o Departamento de Educação do Estado de Nova Iorque e outros estados dos EUA a fim de ajudar a lançar uma reforma do sistema educacional.

O show de fotos: uma apresentação da equipe “Como chegar ao equilíbrio entre homem e natureza”, a projeção do filme Crossroads e eventos relacionados.

O Grande Estilhaçar Interior

Baal HaSulam, “Paz no Mundo”: A contradição entre recepção para si próprio e doação aos outros não é nada mais que uma questão psicológica.

Pergunta: Então, o que é uma barreira psicológica?

Resposta: É multi-facetada e decorre do princípio de que nós não entendemos que temos que desistir de tudo para receber tudo. É esta concessão compreensiva, que me vai permitir abrir todas as portas amplamente. No entanto, é impossível revelar um pouco, a fim de receber o poder de conceder, uma vez que já seria uma concessão egoísta (a fim de receber).

Há aqui um estilhaço interior que requer concessão incondicional. Eu não tenho nada e não terei nada, faz o que quiseres comigo, eu já não pertenço a mim mesmo, eu saio e escapo de mim mesmo.

É muito difícil. É preciso bastante tempo e a pessoa tem que passar por muitos estados. É difícil sair da nossa natureza e penetrar na natureza do outro, do Criador.

Esta é a barreira psicológica. É psicológico uma vez que mais tarde há prazer. Na verdade, eu desisto de algo que é inútil: este mundo e sua existência temporária, os problemas diários onde apenas ocasionalmente os raios de consolação rompem. Na verdade não há nenhuma maneira de nós podermos desfrutar, mas podemos sofrer menos.

Isto não é a vida e não é o prazer. Eu tenho que calcular constantemente onde vou sofrer menos e nada mais que isso. Além disso, os meus cálculos se tornam mais e mais confusos cada dia.

Esta é uma vida miserável cheia de dor que nos pressiona, que nos foi dada de propósito, como ajuda de Cima para que possamos preferir uma outra maneira de nos desenvolver. Enquanto ainda não podemos …

Mas hoje nós disseminamos o método de ensino integral, que significa que a oportunidade de receber prazer por conexão. Esperamos que as pessoas possam descobrir esta oportunidade. Não há nenhuma crise psicológica aqui, uma vez que elas não têm de deixar este mundo. Vamos apenas tentar nos conectar, vamos tentar os workshops, nós não temos que deixar coisa alguma ou desistir de tudo, a não ser dos nossos preconceitos sobre a conexão.

Afinal, nós sofremos o suficiente para concordar em tentar isto, mas isto também é difícil. Mesmo sob a ameaça de terríveis aflições nós não seremos capazes de concordar em fazer uma pequena tentativa inocente, de nos sentarmos com um grupo de pessoas, em uma atmosfera agradável e ter uma conversa enquanto apreciamos uma xícara de café. A crise é tão grave que as pessoas não estão sequer dispostas a ouvir acerca disso.

No entanto, eu acho que a tendência geral é positiva. Nossos grupos ao redor do mundo conseguem chegar a grandes resultados na disseminação do método integral e o processo está avançando gradualmente.

No conjunto, temos de olhar para qualquer oportunidade de falar com as pessoas sobre conexão. Deve ser a qualquer nível, mesmo ao nível mais simples, desde que não se crie nenhum obstáculo. De acordo com esta abordagem, podemos escolher a forma de apresentá-lo a pessoas diferentes. Os workshops são bons para algumas e as mesas redondas para as outras, outras ainda preferem os jogos no parque ou uma série de TV ou jogos de computador, etc

No geral, é o mesmo assunto – a conexão, mas a conexão está numa área diferente. Pode ser a medicina, a educação, as relações na família, no trabalho, etc. Nós projetamos/delineamos a atitude certa que se adapte a um determinado área, justificada como problemática.

Nosso bairro pode ter um monte de lixo e pode haver uma escassez de lugares de estacionamento, de modo que este é exatamente o que falamos no workshop. A principal coisa é evocar a menor resistência possível, para que as pessoas verifiquem que há uma real oportunidade aqui de melhorar as suas vidas.

De nossa parte, nós usamos isto para mostrar-lhes que conexão eventualmente as leva a algo muito maior. Além disso, quando elas encontram uma solução, estimulamos a Luz que Reforma e esta fá-las subir para um outro nível, onde vêem algo que é maior e mais sublime.

Da 4ª parte da Lição Diária da Cabala 31/07/13,Escritos de Baal Hasulam

Avançando Como Seres Racionais

Pergunta: A próxima fase no desenvolvimento da humanidade é a transição para um novo nível de consciência completa. Mas ela não tem lógica, até que um grande número de líderes e empresários estejam envolvidos em questões como estas. O que significa para eles esta transição?

Resposta: Eu acho que se as pessoas ouvissem as leis da natureza, aqueles que estudam a natureza, então eles iriam lucrar com isso. O fato é que eles são como crianças pequenas que tentam fechar os olhos e brincar com os seus brinquedos o que, certamente, não traz nenhum benefício para eles, nem para o mundo, porque a acumulação gradual de potencial negativo ocorre.

Precisamos tentar explicar e disseminar este conhecimento, não há outra escolha. No final, eles ainda serão ouvidos. Só mais uma surra, e depois outra, e no final, em algum lugar ao longo do meio, movendo-se entre o sofrimento e a consciência, que, em qualquer caso, vai decidir se é suficiente e quanto desejamos avançar como seres racionais.

Mas ao fechar completamente os olhos e não prestarmos atenção a ela, estamos indo numa direção completamente oposta à natureza, e pode haver consequências graves para isso.

A chave para a atividade de cooperação mútua entre as pessoas é a sua relação, onde precisamos criar um sistema paralelo à natureza. Assim, para um empresário que gere uma empresa e tem influência sobre atividade mútua das pessoas, gostaria de sugerir a criação de um curso de educação integral de pelo menos duas horas por semana em seu local de trabalho.

Precisamos explicar aos funcionários sobre o sistema integral, dependência mútua, sobre o apoio mútuo, e como ele fornece a uma pessoa um estado de segurança interna, de tranquilidade. Seu gerente vai ver até que ponto as pessoas vão começar a cooperar uns com os outros de uma forma muito mais eficaz. Eles vão deixar de “encravar a engrenagem”. Eles terão motivação e começar a concordar rapidamente uns com os outros e a chegar a soluções comuns. Nós todos sabemos que a falta de confiança e desejo inibe o processo produtivo.

A motivação está relacionada com o fato de que ensinamos as pessoas a se relacionar entre si corretamente. Elas subitamente descobrirão dentro de si grandes forças, bondade, cooperação correta, compreensão mútua na resolução de todos os tipos de problemas. O absentismo será reduzido em relação aos problemas da família, a doenças, e as pessoas vão ser mais ativas, mais saudáveis e mais amigáveis. Vamos começar hoje e ver o que acontece dentro de um mês ou dois.

Do programa da KabTV “Através dos Tempos” 17/3/13

O Futuro Da Empresa Moderna

Pergunta: No negócio de hoje, linhas de produtos ou serviços são fabricadas para os quais, na verdade, ninguém tem qualquer necessidade deles. Esta é a base do negócio moderno. O que vai acontecer na sociedade integral a uma empresa que, por exemplo, produz uma marca muita cara de gravatas e assim, vive e cresce?

Resposta: Seus clientes irão desaparecer.

Quando você dá às pessoas a educação certa, eles próprios vão escolher o que fazer. Muitos deles vão investir apenas em aprendizagem e disseminação, ou seja, no estudo, pois este não é apenas aprender. Eles estão aprendendo a desenvolver um sistema de cooperação mútua integral que todos na Terra precisam aprender.

O futuro da humanidade é automação, impressoras 3D, etc., para que as pessoas não trabalhem em fábricas. Certamente isso não vai acontecer de um dia para o outro, mas apenas dêem-lhes uma chance e amanhã vai aparecer e ninguém vai precisar de gravatas especiais.

Pergunta: O problema é este: hoje, as empresas existem graças à fabricação de gravatas. Criam postos de trabalho lá.

Resposta: Estamos a chegar muito rapidamente um tempo em que as pessoas operam através de sistemas totalmente diferentes e vão se sentir muito mais felizes. Quem precisa deste tipo de negócio? As pessoas precisam ser felizes.

Ou seja, um empresário vai se sentir feliz, não de vender oito mil gravatas caras, mas de algo completamente diferente. Ele vai continuar a organizar redes de educação integral e vai reunir pessoas dentro das redes, organizará universidades e afins. É nisto que ele se vai encontrar em vez de vender gravatas. Enfim, este negócio não tem lugar no futuro. De uma forma ou outra, irá à falência.

O que nós exigimos é apenas o que é imperativo para a existência num certo nível normal e mínimo: uma casa, alimento, roupa, carros e similares. Tudo isto deve existir, mas de uma forma normal. Uma pessoa não necessitará mais que isto.

Assim, descrever isso para si mesmo: pessoas com educação integral estariam ansiosas de quê? Só do que é imperativo para a vida e nada mais. Todos os negócios desnecessários irão desaparecer.

Pergunta: Experiência prática prova que um empresário vai sentir-se seguro até ao último dia e não estará pronto para ouvir nossos conselhos. Uma condição irrealista é formada. Temos de esperar até que tudo se desmorone para ele, mas depois já não vai haver ninguém para ensinar. Os coletivos são liberados, e não existem recursos.

Resposta: Então, vamos a uma fábrica como esta oferecer-lhes um curso de educação integral para a fábrica inteira.

O empresário gradualmente começará sua fábrica novamente e vai sair da crise com isso. Assim, através da transformação gradual das fábricas que são essenciais para manter a existência normal da humanidade, nós formaremos uma rede totalmente nova. Deixará de existir tudo que seja supérfluo, e todas as pessoas “supérfluas” começarão a ser ocupadas ao longo de sua jornada de trabalho inteiro com a formação de uma rede integral entre eles, à semelhança da igualdade com a natureza.

De “Meio tempo” da KabTV 17/03/13

Redefinição Interna

Pergunta: O senhor diz que hoje o número de ações humanas em um determinado período de tempo está acelerando-se. Aparentemente, isso é devido à quantidade de informação em que nos encontramos?

Resposta: Depende da redefinição interna da pessoa, sobre se ela será capaz de aceitar e transformar-se de acordo com um paradigma completamente novo, uma nova atitude em relação a si mesma e a sociedade, o meio ambiente e o mundo. Se, ao invés de tentar absorver tudo em si mesma, por si mesma, uma pessoa reajusta-se na direção oposta, então ela vai ser capaz de encontrar-se “fora de si”, no que a rodeia.

Ela vai sentir o eu presente apenas como uma transmissão, um animal fiel que só existe até que ela entre na próxima dimensão, “fora de si mesma.” E então, esse animal (o nosso corpo físico) desaparece das nossas sensações. Estamos indo para essa direção.

[108772]

Da KabTV – “Através do Tempo” 18/3/13

Material Relacionado:
Tempo = Movimento = Lugar

Eu Vivo Num Mundo Que Vive Em Mim

Baal HaSulam, “A Arvut (Garantia Mútua)”, item 25: … sobre a razão pela qual a Torá não foi dada aos nossos pais, porque a Mitzva, “Ama teu próximo como a ti mesmo”, o eixo de toda a Torá e em torno do qual giram todas as Mitzvot, de modo a esclarecer e interpretá-la, não pode ser observada por um indivíduo, mas apenas através do consentimento de uma nação inteira.

E é por isso que demorou até que eles saíram do Egito, quando se tornaram dignos de observá-la. E então eles foram convidados primeiro, se cada uma das nações concordou em assumir essa Mitzva sobre si mesmo. E uma vez que eles concordaram com isso, eles receberam a Torá.

Eu não posso chegar a qualquer coisa em um grupo de dez, se todos os outros amigos não me apoiam e não cooperam comigo. Na verdade, devemos ser “como um homem em um só coração.” Meus esforços pessoais serão ineficazes se os outros não participam nos esforços.

Isto pode parecer um grande obstáculo, mas, na verdade, não é um obstáculo. Se eu não posso incorporar em um quadro chamado “grupo de dez corrigido”, isso significa que eu não tenha alcançado a minha correção pessoal e ainda não me tornei aquele que doa, aderido ao Criador, pelo menos até certo ponto.

A percepção da realidade espiritual já opera aqui. Eu não preciso ver nada do lado de fora como um fator externo. O padrão dos dez está dentro de mim como uma réplica do meu mundo interior, que é destinado apenas para que eu possa trabalhar com meus atributos que parecem ser do lado de fora, nos amigos. Isto ajuda a aproximar-me à correcção de uma forma mais prática.

O Criador não é revelado para ser criado individual, mas apenas num grupo de dez. Isso corresponde à estrutura da nação e do mundo inteiro. Portanto, eu preciso trabalhar em toda a ampla dimensão da realidade.

É porque tudo isso sou realmente eu. Eu vejo meus atributos internos do lado de fora, como uma radiografia, na natureza inanimada, vegetativa e animal e nos seres humanos. É como se tudo o que é, é transmitido para fora. De mim.

Então, eu preciso ver como todos os outros estão avançando para correção e até que ponto eu posso ajudar a avançar cada parte que é externa a mim. Num lugar, eu introduzo a educação integral, e em outro lugar, eu apresento material introdutório para a educação integral. No entanto, de uma forma ou de outra, ela se origina apenas de mim, da mesma fonte, e destina-se apenas numa direção, para a educação integral e na direção aos círculos mais internos, o que significa os desejos que estão mais perto do meu ponto no coração. Aqui, eu posso participar na sabedoria da Cabala e trabalhar em um grupo de dez, o que significa num ambiente que está mais próximo da centelha espiritual no meu ponto no coração.

Esta é a forma como eu deveria ver o quadro geral. Através dessa percepção, eu entendo que se eu restrinjo a minha percepção e não me preocupo com o mundo inteiro, isto vai levar a nada.

No entanto, uma pessoa avança ao longo deste caminho pela luz que reforma que, gradualmente, o ajuda a perceber as coisas corretamente. Então, devemos fazer apenas o que somos obrigados a fazer, e eventualmente vamos mudar. A luz virá iluminar, e depois vou ver e entender que a minha abordagem e minha percepção deve ser geral. A Luz vai me deixar sentir e entender o que o atributo de doação é, e eu vou aceitá-lo e continuar.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabala 5/23/13, “A Garantia Mútua”

Desejo e Mudança

Pergunta: Como pode uma pessoa comum conectar-se ao sistema integral? Em virtude do quê começa ela a pensar integralmente?

Resposta: Uma pessoa comum está incluída no sistema integral geral assim como nós estamos. Na verdade, ela já se encontra no seu interior, mas só precisa querer ser incluída através dos seus pensamentos, intenções e esforço. Uma vez que ela existe dentro da nossa sociedade, isto significa que ela também tem o seu lugar, o seu “nicho”, no seio da sociedade integral, e sem ela, este não seria também completo.

Portanto, o que é exigido dela é um acordo interior, uma consciência da necessidade de ser incorporada dentro do sistema integral. Nós trazemo-la gradualmente através da aprendizagem e da educação integral. Ela, então, aceita a influência deste sobre ela, o qual, em seguida, começa a mudá-la.

Da “Sabedoria das Multidões” 14/05/13 de KabTV