Textos na Categoria 'Disseminação'

A Revelação Da Cabalá De Geração À Geração

laitman_933Pergunta: O Livro da Criação (Sefer Yetzira) escrito por Abraão é um trabalho magnífico, poético e rigidamente construído. É um prazer ler, mas apenas pensamentos ocasionais são compreensíveis. Existe uma chave para entende-lo?

Resposta: Para isso a pessoa deve estudar Cabalá. Por exemplo, como a ciência é diferente em cada geração? É pelo fato de que ela se desenvolve cada vez mais e revela o que era anteriormente desconhecido. Portanto, os Cabalistas em cada geração, como na ciência, podem revelar cada vez mais.

O livro de Abraão está escrito de forma mais suave do que o livro de Adão. Abraão, através de suas conquistas, complementou o que Adão escreveu e revelou a Cabalá mais profundamente. E todos os outros o seguiram.

Uma vez que o grupo de Abraão começou o trabalho espiritual, começou a atingir a qualidade de doação na conexão entre eles, a qualidade superior, o Criador. Se as pessoas restaurarem boas conexões de amor mútuo, responsabilidade mútua e compreensão mútua entre si, então, na medida em que essas conexões forem verdadeiras, o Criador é revelado dentro delas. Essa rede de conexões é chamada de um vaso no qual a força superior é revelada.

Abraão descobriu o método de conquista da força superior na conexão entre as pessoas. E Moisés dominou esse método na prática. As pessoas de sua geração sofreram enormes descidas egoístas que são chamadas de “exílio egípcio”.

Elas mergulharam em um grande egoísmo, mas, ao mesmo tempo, conseguiram se elevar acima dele em sua unificação, de modo que na conexão de duas tendências opostas, uma grande rejeição egoísta e simultaneamente uma aspiração comum de conexão, separação e aproximação, elas criaram condições onde o Criador foi revelado. Essa foi a conquista de Moisés que ele descreveu na Torá.

O que Moisés e seu grupo fizeram foi um grande avanço em relação ao que Abraão alcançou. Portanto, a geração de Moisés se elevou completamente acima do nosso mundo, revelou o Criador na conexão entre si e atingiu o estado mais elevado que nunca foi superado até o nosso tempo. Até hoje, Moisés é o maior líder espiritual do povo.

Da Lição de Cabalá em Russo 23/07/17

É Possível Mudar O Curso Da História?

laitman_265Pergunta: Qual é o impacto que a ignorância sobre o programa da criação e a relutância em conhecê-lo têm na história do mundo?

Resposta: A história é o que está escrito em nossos ossos. Portanto, se quisermos ser participantes da história do mundo, devemos entender como interpretar e alterá-la.

Nós somos aqueles que escrevem a história de hoje. Eu tenho a oportunidade de atrair a Luz superior com a ajuda do grupo. Ele pode elevar-me acima do egoísmo, e depois vou começar a sentir o que é chamado o mundo superior. Essa será a minha história.

Só eu posso fazer isso comigo mesmo, e ninguém pode me parar, mas eles podem me ajudar. A “dezena” ou o grupo existe para essa finalidade.

Pergunta: Cabalistas podem interferir na história ou alterá-la?

Responda: Eu posso interferir na história apenas espalhando o método Cabalístico, e se as pessoas se interessarem nele, elas também irão melhorar o nosso estado. Caso contrário, não podemos influenciar nada. Na Cabalá, é impossível manipular as forças da natureza. Existem apenas duas forças na natureza, e você só pode manipulá-las dentro de si mesmo.

Você só pode agir em uma direção: assemelhar-se ao Criador. Dessa forma, a Luz superior vai passar por você até Malchut, onde toda a humanidade está.

Pergunta: Podemos dizer que a história é o plano da criação, seu programa?

Resposta: Sim. É o programa da revelação do plano da criação às criações.

Pergunta: E é tudo determinista, o que significa que nada pode ser mudado, exceto o futuro? Isto é, eu só posso agir no presente em relação ao futuro?

Resposta: Você pode agir no presente para mudá-lo.

Isso é o que os cabalistas dizem. Esse é o único propósito da Cabalá. Ela ensina a passar pelo período do nosso tempo até o fim da correção de toda a criação de forma rápida e agradável.

Da Lição de Cabalá em Russo 16/07/17

Onde Começa A História Da Cabalá?

laitman_250Há 5777 anos, a primeira pessoa a atingir a natureza superior apareceu no mundo; ela era chamada de Adão. A partir dele, nós começamos a contar a história da Cabalá.

Adão se perguntou sobre o sentido da vida; ele começou a procurar de onde tudo vem e revelou que há apenas uma força no mundo que move todo o universo.

Essa força positiva pode ser chamada de Criador, porque realmente cria. Não tem corpo, nem peso, nem volume, nada do que pensamos ter. Afinal, o que temos e vemos em nosso mundo é uma pura ilusão que aparece em nossa mente, em nossas sensações.

Portanto, há 5777 anos, apareceu um homem que revelou essa qualidade ao mundo – Adão, chamado de “primeiro homem – Adam HaRishon” porque foi o primeiro a atingir a essência do mundo. Ele contou sobre isso no livro O Anjo Secreto (Raziel HaMalach). Esse pequeno livro de poucas páginas chegou à nossa época.

O livro seguinte sobre a Cabalá foi escrito por Abraão na antiga Babilônia. Mas entre Adão e Abraão houve 20 gerações de Cabalistas que alcançaram o mundo espiritual por meio do método revelado por Adão que ele entregou a seus discípulos. Ao longo dos séculos, esse conhecimento foi gradualmente complementado. Então, havia o método para alcançar o mundo superior.

Da Lição de Cabalá em russo 23/07/17

Resposta Oficial Da Associação Israelense Sem Fins Lucrativos Bnei Baruch – Kabbalah La’am À “Investigação” Pela Corporação “Kaan”

Queridos Amigos!

Como resultado da tentativa das partes interessadas de manchar o nome da associação Bnei Baruch – Kabbalah La’am e rotulá-la com fatos falsos, consideramos necessário esclarecer que vamos persistir e continuar a disseminação em massa do valor da unificação. Faremos tudo para evitar conflitos desnecessários, mas o principal é continuar a demonstrar abertamente, apesar de toda a difamação e calúnia, que o princípio de unir as pessoas acima de todas as diferenças é a solução para qualquer problema e crise.

Desde o grande Cabalista Baal Shem Tov, passando por Ramchal, Rambam e Rav Kook até Baal HaSulam, durante a vida de todas as gerações, a Cabalá enfrentou resistência e os Cabalistas enfrentaram perseguições. Naturalmente, também aparecem os adversários do Kabbalah La’am, a maior associação sem fins lucrativos do mundo para o estudo da Cabalá.

Ao longo dos últimos 22 anos, nenhum dos milhares, se não milhões, de estudantes em Israel e em todo o mundo, pode afirmar que alguém lhe infligiu dano deliberado ou lhe mostrou desrespeito deliberado. Ao mesmo tempo, é claro que, entre centenas de milhares, há também aqueles cujas expectativas não alcançamos.

Como uma associação pluralista, a Kabbalah La’am está aberta a todos, e todos têm plena liberdade para escolher a estrutura de suas atividades espirituais. Nós defendemos uma vida cheia de significado e alegria, baseada no amor ao próximo. Essa é a essência dos nossos estudos e atividades. Qualquer outra versão que a parte interessada esteja tentando espalhar é errada e falsa. Não iremos fazer o jogo da desunião e desinformação.

Nos últimos dias, as redes sociais estão divulgando uma promoção do programa que em breve será exibido pela empresa de radiodifusão “Kaan”, um vídeo cheio de difamação e calúnia da associação. Nós consideramos necessário compartilhar com vocês a nossa posição oficial e esclarecer os fatos que passaremos para a mídia e todos os concorrentes.

Declaração: A Kabbalah La’am está tentando entrar na política.

Verdade: Os objetivos da associação sem fins lucrativos “Kabbalah La’am” são estudar e divulgar a sabedoria da Cabalá. Nosso objetivo é espalhar o valor da unidade com base no princípio do “amar ao próximo como a si mesmo”, que é o princípio supremo da Cabalá.

A associação Kabbalah La’am nunca participou de ações políticas. Dezenas de milhares de estudantes são empregados profissionalmente em vários campos, e na natureza de suas atividades, muitos deles promovem uma variedade de iniciativas e ideias. Estando em busca constante de maneiras de aumentar os valores positivos da unidade no povo de Israel, alguns de nossos alunos apresentaram uma iniciativa para usar uma plataforma política para uma cobertura mais ampla. Essa iniciativa foi implementada em dois casos:

  • Em 2013, vários estudantes, moradores da cidade de Petah Tikva, criaram uma lista para concorrer à Câmara Municipal e promover a ideia de unificação e garantia mútua na cidade. Para este fim, estabeleceram a associação “Be-yahad le-ma’an Petah-Tikva 2013”. Cerca de 12.000 pessoas votaram nesta lista e tornou-se uma facção com quatro mandatos.
  • Em 2014, vários estudantes ofereceram promover a ideia da unidade do povo, juntando-se ao partido no poder. Eles iniciaram o processo de adesão e atraíram milhares de pessoas para o partido Likud.

Acusação: A Kabbalah La’am usa processos de difamação para suprimir críticas.

Verdade: A liberdade de expressão faz parte dos valores fundamentais na estrutura da associação Kabbalah La’am. Nós respeitamos qualquer crítica criativa, mas rejeitamos resolutamente quaisquer declarações falsas e tendenciosas de natureza maliciosa visando destruir a associação. As declarações malignas e mentirosas estão entre os principais fatores de dissociação e ódio. Promovendo a unidade e o amor, não estamos prontos para permitir que ninguém prejudique as atividades ramificadas e benéficas da Cabalá La’am, desacreditando e difamando seu bom nome. A própria sabedoria da Cabalá nos obriga a responder. O nome “Kabbalah La’am” é uma marca respeitada criada ao longo dos anos pelo trabalho árduo e está desfrutando de grande simpatia na sociedade israelense em geral. É importante enfatizar que, em todos os casos, quando decidimos nos candidatar ao tribunal para proteger nosso bom nome, os acusados foram obrigados a se desculpar publicamente e remover as publicações ofensivas.

Acusação: A Kabbalah La’am controla as ações de seus alunos. Também se alega que, entre outras coisas, ocorrem atos ilegais ou imorais que levam a problemas pessoais, separação da família, discriminação contra as mulheres, uso de pílulas e outras invenções maliciosas, como ignorar um caso de suicídio.

Verdade:

  • Kabbalah La’am é uma organização plural que aceita todos os que querem estudar a sabedoria da Cabalá. É administrada exclusivamente no espírito das fontes Cabalísticas que nos ensinam a construir relacionamentos baseados na compaixão, no cuidado e no amor entre a pessoa e os outros, na família e assim por diante. Ninguém interfere de forma alguma na vida pessoal de milhões de nossos apoiadores e não diz a ninguém como viver e como se comportar na vida. Nossa casa está aberta e agimos com franqueza e transparência. Todas as lições e atividades são filmadas e transmitidas ao público em geral, e todos são convidados a avaliar e decidir que forma de estudo e grau de envolvimento lhe convém.
  • Todas as atividades da associação são controladas pela firma de contabilidade, bem como por departamentos governamentais como o Registrador de associações sem fins lucrativos, autoridades fiscais e outros, que verificaram repetidamente nossa associação e decidiram que suas atividades são conduzidas de acordo com as regras da administração adequada e responsável. É importante notar que o parágrafo 46 foi aprovado para a nossa associação, que é concedida apenas às associações que operam com total transparência sob rigorosa supervisão pelo secretário e pelas autoridades fiscais.
  • Basta visitar uma de nossas reuniões ou um dos eventos para ver o quão importante são as mulheres para nós. As mulheres representam cerca de 60% dos alunos que estudam na Kabbalah La’am e são iguais aos homens em tudo!
  • O Dr. Michael Laitman esteve previamente envolvido em aconselhamento e tratamento com remédios alternativos. No âmbito dessa atividade, pacientes de todo Israel e do mundo o visitaram. Os grânulos que foram utilizados como parte desta terapia são drágeas homeopáticas, amplamente utilizadas no campo da medicina alternativa.
  • Você pode pensar em muitas outras histórias, mas toda pessoa sã entende que, se contiveram pelo menos um grão de verdade, elas estariam há muito na mídia e nos tribunais.

É importante e relevante enfatizar que, após a reportagem enganosa e difamatória, apresentamos uma ação de injúria contra o jornalista Gur Megido e a emissora pública Kaan. Desde então, para sair das dificuldades legais que enfrenta, Gur Megido dedicou a maior parte do tempo à criação de uma “investigação” das atividades da nossa associação, alocando centenas de milhares de shekels de fundos de contribuintes para isso.

O resultado dessa “investigação” de mais de seis meses é um conjunto de ficções e difamações falsas, em parte já contestada em tribunal. Eles são apresentados por “apresentadores” interessados, que durante anos têm feito o melhor para prejudicar a associação e manchá-la publicamente. Alguns dos personagens que aparecem no relatório foram removidos das atividades da associação por causa de seu comportamento inaceitável e não normativo, o que em alguns casos era até mesmo uma infração penal. De acordo com os princípios da Cabalá, consideramos nosso dever apelar no tribunal para tornar a verdade pública. Continuaremos a agir da mesma forma no futuro, incluindo o caso com este relatório.

A Cabalá nos ensina que o caminho para a correção geral inclui dois opostos, o negativo e o positivo. Portanto, nós estamos satisfeitos que o nosso progresso espiritual também se manifeste na resistência à Cabalá, que os melhores Cabalistas encontraram ao longo da história. Esperemos que possamos usar essa resistência para fortalecer a propagação da sabedoria da Cabalá em Israel e no mundo.

Ao mesmo tempo, como uma organização que proclama uma “única família” como seu principal valor, lamentamos sermos obrigados a participar desses conflitos.

Ficaremos felizes em receber comentários de todos os nossos amigos e juntos continuaremos nosso trabalho com abertura e transparência, movendo-nos ao longo do caminho escolhido com um coração aberto e de cabeça erguida.

Kabbalah La’am

A Propagação Da Cabalá

254.02Pergunta do Facebook: Por que a Cabalá é acessível apenas agora? O que há de tão terrível nisso que era proibido fazer antes?

Resposta: Quando eu era criança, nós possuíamos uma grande biblioteca em casa – um quarto inteiro alinhado com prateleiras. Enquanto eu crescia, podia alcançar as prateleiras mais altas, pegar livros e lê-los. Os livros mais inacessíveis para mim eram os livros de ginecologia de minha mãe – eles estavam nas prateleiras mais altas. Claro, eu queria alcançá-los, mas não podia.

Agora você entende que uma pessoa deve atingir apenas o nível que a educará adequadamente. Nós começamos com livros infantis, depois lemos livros juvenis, depois clássicos, e assim por diante.

É um processo semelhante com a sabedoria da Cabalá. Ela é revelada a uma pessoa quando ela está pronta para isso. E nós alcançamos isso apenas no início do século XX.

O autor moderno da sabedoria da Cabalá é o grande Cabalista Baal HaSulam. Nós estudamos principalmente suas obras e baseamos tudo nelas e na implementação de seu método.

A sabedoria da Cabalá não estava esperando a pessoa que a revelasse, mas toda uma geração na qual ela pudesse se revelar. Nós somos essa geração.

Pergunta: Isto é, as “prateleiras menores” podem ser chamadas de história da humanidade?

Resposta: Sim. Nós desenvolvemos a ciência, a arte, a política, a guerra, a tecnologia e principalmente a religião. E agora tudo isso deve passar por uma revisão completa.

Somente os valores reais, espirituais e altruístas podem ser superiores a nós e nos dar a oportunidade, a força e a direção para aspirar a eles.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 07/09/17

Resistência À Sabedoria Da Cabalá, Parte 5

laitman_254.03Pergunta: A resistência à Cabalá começou na época do Baal Shem Tov e foi provocada pelo surgimento de muitos equívocos relacionados: o movimento sabbateano, quando Sabbatai Zevi se declarou Messias, Frankismo, etc.

Eles usaram o método do Ari e fizeram um substituto dele, o que atraiu muitas pessoas para si. Isso causou medos contra o método do Ari e a Cabalá em geral até hoje. Como esses estereótipos históricos podem ser dissipados?

Resposta: Se você está procurando uma desculpa para acusar um movimento que não gosta, você sempre pode encontrar um. É o mesmo que quando os antissemitas acusam os judeus de todos os pecados possíveis e impossíveis. É a mesma aspiração de se opor ao poder de doação.

O método do Ari é culpado pelo fato de Sabbatai Zevi ter tomado várias propostas dele? Existem muitas teorias de ficção supostamente baseadas na Cabalá: práticas médicas, camafeos, símbolos mágicos, notas, bênçãos. Todos usam alguns termos da Cabalá para mostrar que alegadamente têm poder.

Mas nós entendemos que não há poder neles e que, por fim, esse vazio se desdobrará, se não nessa geração, então na próxima. Todas as histórias falsas morrem, exceto a verdadeira Cabalá. Os Cabalistas continuam a praticar o mesmo método em todos os momentos, ajustando-o à sua geração e passando-o adiante.

Baal HaSulam revelou o método do Ari ao ponto em que ele nunca tinha sido revelado antes e, assim, escreveu O Estudo das Dez Sefirot, que é um comentário sobre a “A Árvore da Vida” do Ari e também O Comentário Sulam no Livro do Zohar. É impossível elaborar mais sobre esse método. E o Rabash revelou o trabalho em um grupo para nós, que não tinha sido feito antes. Mesmo o líder do Hassidismo, o Baal Shem Tov, não deixou um único livro sobre seus métodos.

Ao estudar a sabedoria da Cabalá, seguimos os métodos do Baal HaSulam, e usamos o método do Rabash para implementá-lo no trabalho em grupo. Se alguém não concorda com isso, sempre encontrará uma desculpa para acusações. Mas não há outros livros Cabalísticos que descrevam um método Cabalístico claro.

Em última análise, toda resistência à Cabalá é a favor dos Cabalistas e só prejudica os próprios acusadores. A crítica, publicada pelos criminosos, se transforma em outra forma de espalhar a Cabalá. Gradualmente, torna-se claro que os oponentes da Cabalá não têm idéia sobre ela e não estão em realização espiritual e, portanto, todas as suas acusações são exageradas.

Sua atitude não mudará, mas se tornará ainda mais difícil à medida que nos aproximamos do fim da correção. Isso é chamado de “guerra com Amaleque” quando espalhamos a lei do “ama ao próximo como a si mesmo”, que é ensinada pela sabedoria da Cabalá.

A Cabalá apela apenas para a unidade. Nós a implementamos através do trabalho prático em grupos de dez (dezenas), como Moisés fez uma vez. O método de unificação, que obtivemos dos Cabalistas, nos permite revelar a força superior entre nós. O homem existe neste mundo para esse propósito.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 24/09/17, Lição sobre o tema: “A Resistência À Cabalá”

Resistência À Sabedoria Da Cabalá, Parte 4

laitman_249-01Pergunta: Como você pode contestar os oponentes da Cabalá que afirmam que ensinar Cabalá às massas é inaceitável porque há um perigo de materializar seus conceitos ou, por outro lado, estar nas nuvens e fantasiar?

Resposta: Há realmente tal perigo se estudarmos Cabalá de forma errada. Mas o nosso método é muito próximo das pessoas. Na verdade, nós ensinamos unidade e amor ao nosso próximo como a nós mesmos. Quem pode se opor a tal método?

A sabedoria da Cabalá é a verdadeira Torá, pois só fala da verdade, isto é, amar ao próximo, que é o que a Torá deve ensinar a todos. Não há mandamento maior do que amar ao próximo, pois isso leva ao amor ao Criador. Isso é o que ensinamos, e não há misticismo nisso. E até mesmo o espiritual é bastante “material” porque estamos estudando como uma pessoa deve se comportar aqui e agora neste mundo.

Pergunta: Existe alguma afirmação de que a Cabalá contém uma força poderosa, como a energia atômica, e se a ensinarmos a pessoas que ainda não estão prontas, elas podem usar essas forças para prejudicar a si mesmas e aos outros?

Resposta: O cabalista não controla o mundo segundo a sua vontade, como os oponentes da Cabalá afirmam. Ele não controla nada, mas só ensina às pessoas como chegar a uma boa união e até mesmo ao amor. O objetivo da Cabalá é ensinar uma pessoa a amar porque nós corrigimos o mundo por uma boa conexão entre todos.

A sabedoria da Cabalá é um método muito prático. Especialmente o povo de Israel precisa dela por causa do antissemitismo, ódio e pressão. Mas toda a humanidade precisa disso também. O estudo da Cabalá não pode ser prejudicial. Somente aqueles que não conhecem as leis da natureza podem reivindicar o oposto. Isso é como assustar uma criança com um monstro para que ela não saia para a rua. Não há nenhum sentido nessas reivindicações.

Pessoas que não entendem essa sabedoria, disseminam seus métodos, ensinam incorretamente, e causam todos os problemas relacionados à Cabalá. Há muitos quiosques em Tel Aviv vendendo livros que afirmam ser sobre Cabalá.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 24/09/17, Lição sobre o Tema: “A Resistência à Cabalá”

Resistência À Sabedoria Da Cabalá, Parte 3

laitman_234Do livro Coleção de Leis, “Bênçãos para Odores e Bênçãos para a Gratidão”, Lei 4: Agora devemos abordar o verdadeiro homem justo desta geração, para que ele descubra para nós o que a é fé para a época atual, pois a fé deve ser aprendida de novo todos os dias.

Assim, o principal fortalecimento do princípio do mal em cada geração é o de esconder, e esconder exatamente o verdadeiro homem justo de nosso tempo. Como vemos com nossos próprios olhos que o principal desacordo é sobre o homem justo dessa geração e, depois de muito tempo, o reconhecerão e o chamarão de homem justo, mas não concordarão com a justiça da próxima geração.

Em cada geração há disputas sobre o Cabalista que vive e trabalha neste tempo. Eles o odeiam, lutam com ele e não podem concordar com ele. Essa é a natureza.

Na verdade, o mesmo acontece em todos os estados pessoais. Quando subimos os degraus espirituais, podemos concordar com os degraus que já atravessamos, mas somos contra o estado atual e temos muitas objeções.

Somente depois que o estado foi passado por meio de luta, das linhas direita, esquerda e média, por meio de altos e baixos, e esclarecimentos, como resultado de tudo isso, podemos concordar com o passado, que já está incluído na correção.

Portanto, as objeções à Cabalá são bastante compreensíveis. Nós precisamos considerá-las como parte integrante do processo de desenvolvimento que vem da natureza. Ainda sentiremos o confronto face-a-face com as linhas direita e esquerda, o poder de doação e o poder de recepção – as duas forças que atuam na natureza.

Portanto, não se preocupem muito com os adversários da Cabalá. Nós estamos no campo de batalha de duas forças. E, de fato, isso não é uma luta, como parece, mas uma forma de comunicação e correção. Dessa forma, podemos estudar essas duas forças – quando uma se baseia na outra.

Mas em todos os momentos, um Cabalista que vive nesta geração não tem chance de ser reconhecido por seus contemporâneos e entendido pelas pessoas. Como é possível compreendê-lo se ele pertence à mesma geração? Todos estão em um nível tal que são incapazes disso.

Porém, depois de um tempo, há um amolecimento. Gradualmente, alguns começam a entender os Cabalistas da última geração e há alguns que estão envolvidos no trabalho espiritual, mas ainda não conseguem entender seus seguidores.

É por isso que mesmo o Ari não foi aceito imediatamente por todos os Cabalistas de sua geração. A renovação que todo Cabalista traz ao mundo em seu tempo não é necessariamente revelada em outras almas. É por isso que é difícil para elas concordarem com ele.

Cada geração revela uma nova camada de genes informativos (Reshimot), e há almas nesta camada que estão mais desenvolvidas e já estão prontas para correção. Portanto, essas pessoas vão até o fim. E há aquelas que ainda estão na fronteira e podem esperar.

Elas dizem que a Cabalá é o ensino certo, mas não para elas, e talvez nem concordem com ela. Isto é, elas sentem alguma relação com a Cabalá e, ao mesmo tempo, a separação e o ódio aparecem. Elas começam a protestar contra a Cabalá.

As pessoas que começaram a estudar e depois abandonaram também se tornaram oponentes da Cabalá porque precisam se justificar. Suas Reshimot ainda não amadureceram. E se uma pessoa não corrigiu seu desejo de desfrutar, ela deve se justificar sobre por que deixou o processo de correção.

Em todas as épocas, o desejo egoísta quer que sintamos que existimos, isto é, que estamos certos. Portanto, suas críticas à Cabalá são inevitáveis. Houve muitos desses casos em nosso tempo e no passado.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 24/09/17, Lição sobre o Tópico: “A Resistência à Cabalá”

A Única Maneira De Evitar A Guerra

Comentário: nos Escritos da Última Geração, Baal HaSulam escreve que existem três bases para disseminar a Cabalá, uma das quais é: “não há existência para o mundo sem ela, tanto mais nos dias do átomo e da bomba de hidrogênio”.

Resposta: Nós tentamos conquistar as forças mais poderosas da natureza, no entanto, elas existem fora do nosso alcance.

Nós tentamos fazer isso para mudar nosso destino, mas isso não efetiva nenhuma mudança, pois a mudança existe na própria fusão com a força superior, não no poder das bombas atômicas ou de hidrogênio. Portanto, espero que todos esses “brinquedos” não sejam utilizados. [Leia mais →]

Entre No Sistema De Gestão Mais Elevado

laitman_537Baal HaSulam, A Última Geração: Para isso devemos acrescentar a questão da imortalidade da alma, a recompensa no próximo mundo, a glória do indivíduo, a glória da nação.

Primeiro, o problema do relacionamento de uma pessoa com a família, a sociedade e as pessoas é muito forte. Se você não prestar atenção, será forçado a isso. Nós vemos como os movimentos individualistas e nacionalistas começam de repente na chamada Europa unida.

Segundo, com a ajuda da Cabalá, o homem revela um sistema eterno e perfeito que governa tudo. Ele entra neste sistema como se entrasse na cabine de um piloto onde ele começa a controlar e ver onde e por que está voando. E esse voo é eterno.

Por outro lado, uma pessoa não pode sair desse avião. É por isso que é tão importante que ela possa voar e entender para onde ir.

Pergunta: Qual é a conexão entre a imortalidade da alma, a recompensa no futuro mundo e a “glória do indivíduo, a glória da nação”?

Resposta: Tudo isso atrai uma pessoa.

Isto é, eu me coloco na cabeça do meu desenvolvimento e o mundo depende de mim. Ao mesmo tempo, eu pareço um salvador e um líder dentro da minha nação e da humanidade.

“Eu conduzo as pessoas a um futuro melhor”. É assim que uma pessoa que pratica Cabalá se sente porque cada um de nós desempenha essa função individual que ninguém mais pode realizar.

Esse estado está ligado à imortalidade das pessoas, à imortalidade da alma e à imortalidade da nossa existência. Não há morte, mas apenas a morte do corpo animal, que precisamos para alcançar o próximo nível. Nós recebemos um determinado prazo para alcançar esse nível e continuar a existir nele.

De KabTV “A Última Geração” 10/07/17