Textos na Categoria 'Dezenas'

O Que É Reencarnação?

laitman_938_07Pergunta: O que é reencarnação ou o ciclo das almas?

Resposta: Nós podemos compreender isso com o seguinte exemplo: digamos que nós alcançamos um pouco de nós mesmos enquanto trabalhamos na dezena (grupo de dez), uma seção de nossa alma, e daí juntamos mais dez a nós mesmos e começamos a alcançar mais; a transição de um pequeno estado pleno ao próximo estado pleno é chamada de reencarnação ou ciclo da alma.

WhatHappensWithTheSoulDuringSleep

É assim que a alma parece se envolver com vestimentas cada vez maiores, com conexões com outras partes da alma geral, até atingir a forma geral comum que é eterna e perfeita.

É exatamente para onde os ciclos e a reencarnação da alma estão nos levando. Não tem nada a ver com períodos de vida corpórea ou morte física do corpo, ou qualquer uma de suas condições e desenvolvimento.

Da Lição de Cabalá em Russo 16/11/16

Como O Mundo Superior É Alcançado?

laitman_942Pergunta: Como o mundo superior é alcançado?

Resposta: Quando dez pessoas se anulam entre si e fazem isso em conjunto com relação ao Criador, querendo atraí-Lo como Ohr Makif (Luz Circundante) para corrigi-las, elas criam a característica do Criador entre si.

Através dessa ação elas criam um Kli, que é um dispositivo sensorial para atingir o próximo nível. Nesse único desejo elas sentem o Criador. Depois, unindo-se cada vez mais profundamente, elas descobrem cada vez mais o Criador.

Uma Educação Em Comum

Dr. Michael LaitmanPergunta: A educação dos membros em um grupo que estuda Cabalá é adequada? Ela tem um lugar e em que circunstâncias exatamente?

Resposta: Nós temos uma educação em comum: eu com ele, ele comigo, nós, todos nós estamos juntos! Nós realmente não educamos uns aos outros. Isso é chamado apenas de “um método educacional”. É realmente um método educacional para a correção de um grupo de Dez de modo que formamos uma conexão apropriada entre nós!

Depois de criar um grupo de Dez, o resto vem automaticamente. Nós descobrimos a força positiva na natureza, ela equilibra a força negativa, cria o sistema correto de conexão mútua entre nós, e começamos a sentir uma conexão com o sistema do mundo que até agora estava oculto. Ele é chamado de mundo superior ou oculto.

Nós sentimos isso em nossos desejos por meio dos quais tecemos conexões entre os dez membros. É assim que atingimos a nossa alma, o nosso estado eterno e perfeito! A partir desse momento, o que acontece em nossa vida terrena, em nosso corpo temporário, já não importa porque já revelamos o próximo estado, o próximo nível.

Da Lição de Cabalá em Russo 03/07/16

Reunir As Partes Da Alma Coletiva

Dr. Michael LaitmanPergunta: Como é que quando eu trabalho em um círculo, em um workshop, em um grupo de dez, começo a sentir uma conexão com toda a alma do mundo, com pessoas que não conheço?

Resposta: O Criador criou um grande desejo e depois o partiu em pedaços.

Em outras palavras, o único desejo criado foi quebrado em bilhões de pedações sob a influência do que é chamado o pecado de Adão, porque Adão introduziu o egoísmo nesse desejo. Como resultado, a conexão entre as partes do desejo geral parou, e cada desejo individual parou de sentir todo o resto. Para ser mais preciso, ele os sentia, mas queria usá-los apenas para si mesmo.

gatherthepartsofthecollectivesoul

O desejo de receber geral é chamado de “Adão” ou “Adam HaRishon” (o primeiro homem), ou a “alma”. Após a Shevira (quebra), a alma coletiva foi dividida em uma multidão de almas individuais.

Depois, as almas individuais caíram ainda mais baixo. Em cada uma delas permaneceu um pequeno ponto chamado “Keter“, que é o início de uma alma futura. Estes pontos ou centelhas que permaneceram intactas, nos atraem à reconexão, a fim de descobrir o Criador.

Quando elas são inflamadas dentro de nós, nós ansiamos em descobrir todo o sistema do Criador. Isto é revelado em nós como o anseio de alcançar o sentido da vida, e nós nos encontramos em algum grupo.

O grupo é determinada parte de todas as almas individuais que agora devem atingir a correção. As pessoas se reúnem em um grupo sem se conhecer, e começam a trabalhar em si mesmas em grupos de dez, para transformar o grupo de dez em uma unidade, um todo comum. No momento em que atingem isso, elas imediatamente começam a sentir o Criador.

Isto é o que devemos fazer. Assim, em cada lugar, seja onde for, você deve encontrar amigos com quem vai aprender a criar entre vocês um todo de acordo com o método da sabedoria da Cabalá. Então você vai sentir o mundo superior, o que significa que irá restaurar a conexão entre vocês chamada 10 Sefirot, um Partzuf ou uma alma.

Através dessa estrutura, você será capaz de sentir o mundo superior de forma clara. ”Alma”, “Mundo Superior” e “Criador” são a mesma coisa; depende de como examinamos essa descoberta.

Da Lição de Cabalá em Russo 08/05/16

Como É Possível Descobrir O Sistema Da Criação?

Laitman_524_01Pergunta: De acordo com que critérios é possível determinar se uma pessoa está indo na direção certa?

Resposta: Se a pessoa realiza o que está escrito na sabedoria da Cabalá, ou seja, que ela trabalha corretamente no grupo, fazendo um esforço para se conectar com seus amigos, a fim de atrair a Luz Superior, isso significa que ela está indo na direção certa.

Com uma boa conexão, criada entre a pessoa e seu amigo, ela descobre o sistema de gestão superior, porque tudo o que existe na criação é descoberto entre dez amigos, apenas em miniatura. A conexão deles é construída como um holograma. Há uma grande imagem dentro da qual é possível tirar alguma parte e ver a imagem completa dentro dela, mas numa escala menor.

Da mesma forma, nós pegamos um grupo composto por dez pessoas (dez pequenas Sefirot), e elas alcançam tudo o que existe na criação dentro dele, mas de uma forma pequena. Certamente, nós não vemos os detalhes e particularidades lá, mas se nos juntarmos a um grupo adicional de dez com este grupo de dez, nosso campo de visão vai crescer, e desta maneira podemos expandir a percepção da nossa realidade. Nossa tarefa é descobrir o sistema da criação.

Pergunta: Você estudou num grupo de dez?

Resposta: Eu aprendi através de um método diferente, um a um com meu professor. Este era um sistema diferente que na sua época permitia preparar a pessoa para continuar o trabalho. Estudar por si só é muito mais difícil e complicado do que estudar num grupo, mas isso era necessário porque isso possibilitou que eu adquirisse o método de treinamento.

Hoje em dia, já não há necessidade desse método. Eu estou certo de que fui o último que recebeu tal conhecimento de seu professor, ao passo que agora o mundo se cristalizou como um sistema integral, de modo que a partir da nossa geração não são necessários Cabalistas solitários.

Da Lição de Cabalá em Russo 11/08/15

Arrependimento Antes De Rosh Hashaná

Dr. Michael LaitmanA fim de pedir perdão, devemos saber o que é o amor para pessoas como você, e o que significa fazer essas perguntas, “o que eu não fiz em nome desse amor?” Se é necessário sentir que eu tenho amor pelos outros, que é a principal Mitzvah (mandamento) da Torá, será que eu sinto ou não sinto isso?” Muitas pessoas pensam que basta apenas realizar as Mitzvot físicas.

Os Cabalistas nos aconselham a nos unir em grupos de dez, para que juntos possamos verificar se estamos verdadeiramente tratando bem uns aos outros. Será que todo mundo está tentando se distanciar do seu ego e se conectar com outros, integrar-se com seus desejos e sentir o amor entre nós? Se nós entendemos que tudo isso não existe, nós sentimos que somos os culpados, então pedimos perdão. O perdão é por não realizar a condição principal, “Ama ao próximo como a ti mesmo”.

Hoje, esta condição tornou-se imperativa para todo o mundo a fim de sair da crise global. Mas o povo de Israel deve ser o primeiro a perceber isso, e não estamos fazendo isso. Então nós pedimos o poder para nos ajudar a atingir este amor. Podemos ver claramente que não estamos preparados para realizar esta condição por nós mesmos, mas podemos pedir ajuda. E concluímos os Selichot (perdão) solicitando o poder de realizar a principal Mitzvah e aproximar as pessoas. E através do aproximar-se também chegamos mais perto da força superior, o Criador.

A pessoa não pode perceber isso sozinha, então nós trabalhamos em um grupo, que é como podemos verificar se alcançamos a conexão e doação mútua ou não. Se não, nós precisamos pedir pelo poder para nos ajudar a conectar e alcançar a unidade. Este pedido comum é chamado de oração, e é derivado de nossa conexão, do centro de nosso círculo, como um pilar que se eleva. Quando examinamos a nossa união, chegarmos aos Selichot.

Daqui, vemos que sem estudar a sabedoria da Cabalá, é impossível descobrir o que pedir, para o quê ser atraído, o propósito da criação, e como a Torá está conectada às Mitzvot do amor dos outros e o amor do Criador através de toda a ordem de correção. A sabedoria da Cabalá nos ensina a perceber a nós mesmos de acordo com o que está escrito na Torá. A única Mitzvah é subir acima de nosso ego e alcançar a conexão e unidade entre todos. Isso inclui todo o resto dentro das Mitzvot, que são correções individuais do nosso ego. O desejo egoísta é composto de 613 partes, cada uma das quais nós precisamos corrigir, começando com a mais fácil e avançando para uma mais difícil. Desta forma, é necessário efetuar 613 correções, que são chamadas 613 (Taryag) Mitzvot.

Quando ajudamos uns aos outros, finalmente alcançamos a redenção, ou seja, descobrimos o poder superior, o Criador, dentro de nossa correta conexão mútua de doação e amor. E este é o perdão antes de Rosh Hashaná. Certamente é impossível começar o Novo Ano, o novo começo, o próximo nível, para onde devemos ascender graças à nossa correção sem esclarecer tudo o que passamos. E esta é a essência do arrependimento, pedir a Luz que Reforma para nos corrigir e tornar possível alcançar uma união ainda mais forte com maior vigor.

De Kab TV “Selichot” 17/08/15

Um Bom Exemplo De Educação Para Todos

Dr. Michael LaitmanPergunta: O que há de tão especial no método de educação que você sugere? Afinal, eles também falam sobre o amor a outras pessoas nas escolas e sobre a necessidade de tratar bem os amigos, mas vemos que isso não está funcionando.

Resposta: Falar sobre como se comportar não tem nada a ver com educação, uma vez que a educação é baseada na aprendizagem a partir de exemplos. Apenas exemplos operam e influenciam uma criança. Se quisermos que um adulto seja bem educado, ele também precisa ter os exemplos corretos, assim como uma criança. Nós não temos escolha. Nós precisamos estabelecer sistemas que definam um exemplo das relações corretas entre as pessoas. Mas de onde nós podemos tomar tais exemplos, se todo mundo se odeia? Quem vai dar o exemplo para nós?

Por isso, é necessário organizar workshops especiais em pequenos grupos chamados de dezenas para todos os sectores e classes sociais na população. Nós realizamos esses círculos em todo o país em Israel: em Eilat, no porto de Tel Aviv, em Tiberíades, e em outras cidades. Muitas pessoas já nos conhecem. Se uma pessoa participa de tal círculo, esse círculo se torna um exemplo para ela e ela começa a sentir que algo especial está acontecendo dentro dela.

Estranhos que se encontram sentados lado a lado por acaso começam a se comunicar no círculo de acordo com determinadas regras e sobre um determinado tema, e começam a descobrir sentimentos de conexão, unidade, calor e compreensão. Seus olhos brilham e eles olham um para o outro de uma maneira totalmente diferente do que quando o workshop começou. As pessoas mudam totalmente nestes 15 a 20 minutos. Obviamente, tudo isso desaparece quando elas vão para casa. A pessoa tem que repetir esse processo todos os dias e, assim, depois de uma semana ou um mês, ela vai mudar.

O que eu digo é baseado na grande experiência que tive. Eu tenho muitos alunos em Israel e em todo o mundo que realmente estão mudando e assim são as novas pessoas que sabem do que depende o sucesso do mundo e como podemos subir da crise global geral que se baseia no ódio mútuo entre todos os países, povos e indivíduos.

Nós podemos superá-la em vez de avançar para a destruição terrível. A Torá diz que vamos chegar a um estado em que os “inimigos de uma pessoa estão em sua casa”, o que significa que a pessoa vai ver que todo mundo a rejeita, está distante dela, e se recusam a compreendê-la, dentro de sua própria casa.

É possível viver assim ?! Afinal, nós sabemos que o nosso corpo vive e atua em harmonia entre todas as suas partes, enquanto um corpo morto é destruído. Portanto, vamos escolher o caminho certo!

Do Programa da Rádio Israelense 103FM, 02/08/15

Um Jogo Que Se Torna Nossa Vida

laitman_527Pergunta: Por que uma criança joga com tanta naturalidade e sinceridade enquanto que para um adulto um jogo é uma mentira?

Resposta: É porque nós, adultos, nos acostumamos a viver numa mentira: a nossa vida é uma mentira e o jogo é uma mentira. Não é um crime, mas simplesmente a nossa natureza. Um jogo é sempre uma mentira e nunca a verdade, porque, afinal de contas, não jogo como eu sou, mas alguém que eu gostaria de ser.

Nós não seríamos capazes de avançar sem jogos. As crianças percebem um jogo como a verdade absoluta e, portanto, se desenvolvem e crescem. Se nós participássemos incondicionalmente de um jogo, como crianças, nós não conseguiríamos deixá-lo e ficaríamos nele.

Esta é realmente a ferramenta que a sabedoria da Cabalá usa. Disseram-me: “É preciso amar os outros, e neste amor você começará a sentir o Criador! Aqui, você tem um grupo que é feito de dez pessoas; comecem a estabelecer tais relações entre vocês, fingindo que cada um ama o outro. Vocês têm que criar uma atmosfera entre vocês para que cada um desapareça nele e derreta em seu amor pelos outros”.

Eu represento esse amor uma e outra vez, retornando a ele mil vezes a cada dia até que estou incorporado nele a tal ponto que me derreto nesse amor e conexão. Então eu posso alcançar a revelação do Criador.

Ao ser incorporado no amor, eu sou incorporado no Criador. Isso deixa de ser um jogo e torna-se o jogo da minha vida. Mas primeiro eu o jogo artificialmente: finjo que amo os amigos e me anulo diante deles sem qualquer desejo de fazer isso. Eu me forço e me convenço de que tenho que representar esse amor, embora não o sinta.

Mas, de repente, eu sinto uma sensação calorosa. Os outros me influenciam dando um exemplo para mim com sua alegada atitude amorosa; eu vejo que eles são leais a esse amor e me sinto envergonhado de não poder devolver o mesmo amor a eles. Eu me critico e repreendo uma e outra vez, e mais uma vez me forço a amar os outros.

Mas quando eu me anulo dessa forma, de repente começo a ver como todos os objetos corpóreos ao meu redor começam a desaparecer: a mesa, as cadeiras e as paredes. Todos desaparecem da minha percepção e só uma coisa permanece: o amor que eu sinto. Eu também desapareço. Eu me torno escravo deste sentimento de amor, e não há mais nada, exceto aquela sensação que é externa a mim, já que o meu “eu” desaparece.

O meu “eu” é o meu ego, que desaparece, e eu começo a sentir como a força superior, o Criador, preenche tudo. É porque eu me anulei e agora posso senti-Lo. Eu anulei o meu egoísmo e recebi o atributo da força superior, o atributo de doação, e este é o verdadeiro jogo.

De KabTV “Os Capítulos da Torá com Shmuel Vilozni” 02/02/15

Mini Modelo Do Universo

laitman_934Pergunta: É dito no Livro do Zohar: “Feliz é aquele que esteve entre um dos primeiros dez na casa de reunião, porque graças a eles, uma assembleia formada por não menos do que dez pessoas se torna completa e eles são abençoados pela Shechina (Divindade)”.

“Depois que a assembleia estiver completa, a correção acontece. Está escrito: ‘A grandeza do Rei está na multidão de pessoas’. Portanto, aqueles que seguem os dez primeiros estão associados com a correção corporal, ou seja, com a correção da congregação”.

O que significa, “os primeiros dez seguidos por toda a nação”?

Resposta: Qualquer estrutura espiritual consiste de dez Sefirot, nem mais nem menos. Ao reunir dez propriedades diferentes, nós formamos um mini modelo do universo, incluindo a parte dele que não sabemos ou que não temos nenhuma ideia o que seja.

O fato é que estamos apenas lidando com o nosso pequeno mundo, mas realmente não sabemos muito sobre ele e não podemos compreendê-lo totalmente, sem mencionar o vasto universo, que compreende todos os mundos. Portanto, é absolutamente inimaginável falar sobre os mundos superiores, cada um dos quais é bilhões de vezes maior do que o nosso mundo.

Ao mesmo tempo, se construirmos uma comunidade de dez pessoas que se complementam, essa “grande impossibilidade”, felizmente, torna-se muito fácil de compreender. Assim que elas se conectam entre si, a força geral que abrange todos os mundos começa a influenciá-las. Essa força é chamada de Luz Superior ou Criador.

Ao fazer tentativas de manter conexões harmoniosas, permanecendo em doação, e complementando-se mutuamente, em conformidade com o princípio do “ama o teu próximo como a ti mesmo”, nós imediatamente “obrigamos” o poder supremo a impactar nossos esforços para seguir a lei da equivalência de propriedades. A força superior nos afeta e ajuda a unir conforme os nossos esforços de estarmos conectados.

Quando nós fazemos parte de um sistema, começamos a sentir qualquer comoção que acontece entre nós: um se apega ao outro e, depois, se conecta com outra pessoa, e assim por diante…. Nesse caso, nós sentimos diretamente as interações entre nós. De repente, nós revelamos os poderes e propriedades do vasto universo, incluindo os mundos superiores, sobre os quais não temos nenhuma ideia atualmente.

Nós vemos: “Oh, há cinco mundos entre nós!” De repente, percebemos claramente cinco níveis, cada um dos quais é dividido em subníveis, e assim por diante. A pessoa pode explorar todo o universo através da união de dez pessoas (um Minyan) que estão interconectadas pela doação e amor completo. A sua conexão é suficiente; nada mais é necessário. É assim que nós podemos começar a compreender o universo inteiro.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 21/01/15

Como Adquirir Uma Abordagem Prática Para A Vida

Dr. Michael LaitmanPergunta: Meu irmão mais novo acaba de se formar na universidade e agora ele pondera onde trabalhar e no que se envolver, Sua indecisão o obriga a pesar todas as opções por um longo tempo. O que você aconselharia a ele?

Resposta: Eu o aconselho a estabelecer uma conexão mais forte com o ambiente e talvez até mesmo com diferentes comunidades. Eu gostaria que isso fosse ensinado nas escolas e universidades. Também gostaria de abrir diferentes cursos para que cada um fosse capaz de atendê-los e aprender que tipo de estilo de vida é melhor para si em relação ao que se quer e como alcançá-lo.

Hoje há muitas pessoas desempregadas que não sabem para onde ir. Não há outro caminho, exceto permitir que a pessoa realmente interaja com seu ambiente e escolha o tipo de vida que considera melhor para a sua natureza, seus atributos e seus hábitos.

Pergunta: Será que não existe um risco de eu seguir os conselhos no trabalho de acordo com o meu desejo?

Resposta: Se eu ouvir opiniões diferentes, eu vou aprender a compará-las e, assim, por fim, vou me tornar mais sábio. Porque o computador é inteligente? Ele pode simplesmente realizar muitos cálculos numa velocidade elevada. Se eu tiver muitas opções e muita experiência, também vou me tornar um gênio. Esta é toda a sabedoria.

Pergunta: Portanto, como nós podemos melhorar o nosso “computador”, de modo a nos tornarmos mais inteligentes?

Resposta: Vocês só podem fazer isso ao serem incorporados em sociedades que não sejam muito grandes. Vocês devem começar a trabalhar em workshops de dez pessoas. Eu adquiro uma abordagem sensata em relação à vida através daqueles que me cercam, mesmo que eles estejam enganados ou não sejam altamente qualificados. Por exemplo, eu posso me sentar com um músico, um trabalhador manual, um professor, um sapateiro, um cozinheiro, ou um cientista no grupo de dez.

No momento em que todos nós nos sentamos juntos num círculo e trocamos opiniões, eu construo um vaso de conexões com nove pessoas na minha mente e sentimentos. Quanto mais eu estou incorporado em cada um deles, mais volume eu adquiro até incluir toda a humanidade dentro de mim.

Então, eu divido o meu desejo de receber em muitas células e determino as diferentes conexões entre eles. É como um jogo onde um desejo reflete sua natureza e outro desejo reflete a natureza do seu amigo e assim por diante. Agora, sempre que um desejo de receber num nível diferente aparece em mim, eu implemento a estratégia necessária, que é uma das que adquiri do ambiente. Isso significa que eu adquiri uma abordagem prática para a vida.

De KabTV “Uma Nova Vida” 11/07/13