Textos na Categoria 'Crianças'

Geração De Riqueza

566.01Pergunta: A geração atual pode ser chamada de geração “Lady Gaga”. Claro que esta é uma imagem coletiva, embora muitas pessoas saibam que existe de fato uma cantora chocante que é popular entre a geração mais jovem. Os valores que Lady Gaga instila são fama, riqueza, honra, liberdade nesta vida, ser independente e simplesmente não prestar atenção aos outros.

Por que é mais fácil para os pais hoje colocar seus filhos sob a autoridade dessa programação? Eles nem percebem quais programas de TV seus filhos estão assistindo, desde que não estejam no caminho.

Resposta: Os pais preferem deixar seus filhos sob os cuidados de seu ambiente, e o que for, será. Este é o nosso egoísmo. Não queremos nos envolver com outras pessoas.

Nem mesmo sentimos nossos filhos tão próximos quanto deveríamos. A pessoa atingiu tal pico de desenvolvimento egoísta que não se importa; ela vê que a criança está mergulhando em más ações e não faz nada a respeito.

Sabemos perfeitamente o que acontece com as crianças a partir dos 12 aos 14 anos. Começam a usar drogas, participam de todos os tipos de “festas do pijama”, organizam todos os tipos de orgias. Mas tudo isso é em torno do sexo, que em geral é natural, e das drogas, que já se tornaram bastante comuns.

Como resultado, não é mais considerado algo especial. Aqui surgem relacionamentos e objetivos completamente novos. Afinal, para se destacar hoje, você tem que ser alguém especial em sua manifestação animal.

E não podemos fazer nada; não temos ninguém a quem recorrer. Em nosso desenvolvimento humano evolutivo, perdemos a geração de pais.

Portanto, os pais não são mais pais. É impossível esperar que de alguma forma sejam capazes de tratar os filhos corretamente, de criar o ambiente certo ao seu redor, de exigir que o Estado faça isso, uma vez que o cargo de Chefe de Estado é ocupado por pessoas que também foram criadas de maneira incorreta.

Portanto, todo o nosso sistema de educação não se preocupa com a formação, mas apenas com a educação. Uma pessoa vai à escola para adquirir conhecimentos gerais. Ela é avaliada apenas por seu desempenho acadêmico. É verdade que também dão uma avaliação na disciplina, mas isso não é levado em consideração por ninguém.

A principal coisa enfatizada é ter sucesso nas ciências, para se sustentar no futuro. Mas nem as escolas, nem qualquer outra instituição, nem a casa ou o que cerca a criança – o exterior, a televisão, a Internet – formam uma pessoa a partir dela.

Infelizmente, não podemos impor exigências aos filhos ou mesmo aos pais, porque eles não estão em posição de fazer absolutamente nada. Vemos isso até mesmo pelos avós, que, embora se arrependam do que está acontecendo, também são bastante passivos. Esse estado de perda foi observado pelo menos nos últimos cinquenta a sessenta anos.

De KabTV, “Close-Up. Geração”, 24/08/09

Eu Não Quero Ser Um Animal De Manada!

962.6Comentário: Você afirma que o mal-entendido de hoje entre pais e filhos decorre do fato de que os filhos têm almas mais desenvolvidas e seus desejos vêm de um estágio mais desenvolvido.

Minha Resposta: Claro. Os filhos de hoje exigem respostas para perguntas mais sérias do que as que seus pais fizeram. Seus pais estavam satisfeitos com a vida cotidiana e a religião, mas isso não é suficiente para os filhos. Eles estão interessados ​​no sentido da vida.

Eles não podem simplesmente seguir a sociedade; não podem apreciar a sociedade que lhes diz: “É assim que deve ser feito, é este o enquadramento, as relações sociais; é assim que se deve agir; isso é o que é aceitável”. Como diz o ditado: “Morra, mas mantenha as aparências”.

“Mas eu não quero existir para isso! Isso não me dá nenhuma satisfação. O que devo fazer? Viver apenas para ser como os outros, ou não, pior que eles, para se guiar por eles, para dar o exemplo deles?! Para ser um animal de rebanho?! Não posso!” Muitas pessoas se sentem assim hoje.

Como resultado, a nova geração sofre de problemas de depressão e uso de drogas. Portanto, aqueles que são incapazes de se submeter aos valores da sociedade burguesa vêm para a Cabalá. Um novo desejo os puxa precisamente para o desenvolvimento espiritual.

De KabTV, “Close-Up — Mistério da Esfinge”, 05/02/10

“Quando A Violência Não É Um Crime” (Medium)

Medium publicou meu novo artigo: “Quando A Violência Não É Um Crime

Há um fenômeno cada vez mais comum entre os criminosos sexuais: eles gravam a si mesmos cometendo o crime e publicam nas redes sociais. Em 2017, os criminologistas Sveinung Sandberg e Thomas Ugelvik publicaram um artigo na Oxford University Press onde escreveram: “À primeira vista, um criminoso filmando seus crimes parece uma atitude contraintuitiva e contraproducente. Afinal, quando os infratores alcançam suas câmeras, eles podem inadvertidamente contribuir para sua própria captura e condenação. … No entanto, publicamente disponíveis … as decisões dos tribunais superiores sugerem que, apesar da aparente falta de lógica, está se tornando cada vez mais comum”.

Desde então, o fenômeno piorou. Ao tentar entender suas causas, Sandberg e Ugelvik escrevem: “Quando os infratores pegam suas câmeras, é uma escolha incorporada social e culturalmente. Em suma … essas ofensas devem ser entendidas no contexto de (1) a sexualização e pornografia da sociedade, (2) uma nova cultura de humilhação online e (3) uma cultura de tirar fotos instantâneas alimentada [sic] por novas tecnologias”.

Essas razões podem incentivar os infratores a documentar crimes sexuais, mas há uma razão mais profunda e perniciosa para fazer isso: os infratores não consideram esses atos como crimes. Eles não veem nada de errado com o que fazem.

Pior, acredito que mesmo a geração mais velha não considera os crimes sexuais tão terríveis quanto finge pensar. Para a maior parte, a atitude é: “Acontece; eles são crianças, o que você pode fazer?” Claro, ninguém diz isso, mas esta é a tendência.

Por isso, acredito que o problema não seja com os perpetradores, mas conosco. Quando o sistema educacional se concentra inteiramente na memorização de informações e não dedica nenhum tempo à construção de relacionamentos sociais saudáveis, a situação atual é o único resultado possível.

Precisamos repensar a maneira como vemos a educação. Precisamos colocar os relacionamentos humanos – a capacidade de funcionar como elementos construtivos e positivos na sociedade – no topo da escada. Não vimos o pior. Se deixarmos os assuntos sem supervisão, eles se deteriorarão a ponto de não ousarmos colocar os pés fora da porta.

A natureza humana está destruindo cada pedaço de bem que ainda resta neste planeta, e estamos preocupados com tudo e qualquer coisa além de nossa própria natureza. Mesmo que houvesse algum benefício em abordar as questões ambientais, nossos egos não nos permitiriam implementar qualquer solução se isso exigisse a menor mudança desagradável em nosso comportamento narcisista. Isso, na verdade, é exatamente o que está acontecendo hoje.

Não é a poluição do ar que está nos envenenando, não são os opioides que estão nos matando, não é a SARS-COV-2 que está nos deixando doente, e não é a fome que está nos matando de fome. É o que está por trás de todos eles, o que induz todas essas dificuldades. Nosso único inimigo é nossa própria natureza perversa, e a única maneira de consertar nossa natureza é ensinar a nós mesmos a responsabilidade mútua e o cuidado mútuo por cada pessoa no planeta.

Abordamos cada problema, um de cada vez, e nenhum deles foi resolvido, nenhum. Alguns problemas podem ter diminuído um pouco, mas eles voltaram, ou em breve voltarão com vingança.

É hora de lidarmos com a causa principal de todos esses problemas, o nosso próprio ego, e resolvermos o problema de uma vez por todas. Até que admitamos para nós mesmos que somos nossos piores inimigos, que causamos todos os problemas que então tentamos combater, não seremos curados. Se entendermos onde está o problema e concordarmos em trabalhar juntos, teremos uma chance de lutar.

O Que Fazer Quando O Ressentimento Sufoca?

49.01Pergunta: Muitas pessoas nos escrevem dizendo que vivem com ressentimento: “Não posso perdoar meus pais por destruírem nosso casamento”. “Eu estava com problemas e meu amigo mais próximo não ajudou. Eu nunca vou perdoá-lo”. Os professores ficam ressentidos com os alunos ingratos, os pais ficam ressentidos com os filhos que os abandonaram; existem muitas queixas e ofensas.

Como devemos lidar com o ressentimento?

Resposta: Falando francamente, direi que não posso ficar ofendido por ninguém porque conheço a natureza humana. Por mais que conheça a natureza do homem, entendo que não tenho ninguém por quem me ofender. Se você realmente quer se ofender, então, como está escrito: “Vá até o artesão que me fez”.

Essa é a verdade. Como uma pessoa pode ter pensamentos, sentimentos, qualidades e ações? Nada sobre ela é seu. Ela está completamente envolvida no que a natureza faz a ela, ou seja, o Criador.

Pergunta: Este é um estado elevado. Voltemos aos homens nesta terra. Os filhos não ajudam os pais; eles praticamente os abandonaram. Existem alguns que realmente traíram, enganaram um amigo e assim por diante. Existem muitas razões. Como devemos lidar com o ressentimento?

Resposta: Eu acho que você precisa atingir esse grau de desenvolvimento quando perceber que todas as outras pessoas ao seu redor são fantoches controlados pelo Criador para que você se corrija adequadamente em relação a essas pessoas, para justificá-las e desejar o melhor para elas.

Pergunta: É possível?

Resposta: Em geral, sim. Nem sempre e nem imediatamente, mas …

Pergunta: É um trabalho demorado, mas deveria ser nesse sentido?

Resposta: Sim! Caso contrário, você está caluniando o Criador. Este é um assunto completamente diferente. O cálculo é completamente diferente. Como você abraça o universo como se ele existisse por si mesmo ou você o controla? Se tudo vem de cima, não temos outra escolha exceto ser totalmente submissos, concordar e mudar para sermos semelhantes a essa força superior.

Comentário: É lindo. Assumirei cuidadosamente que todo o nosso mundo é um mundo de pecadores. Todos nós estamos em um estado de ódio e ressentimento constante.

Minha Resposta: Como crianças pequenas em uma caixa de areia.

Pergunta: Por que jogamos dessa forma?

Resposta: Para que fiquemos realmente desapontados. Não se trata de porque o Criador nos criou assim, mas do quão estúpidos somos em não adivinhar porque Ele nos fez assim. Há uma resposta na frente de um homem e ele não quer vê-la. Mas tudo isso para acumular, romper e explodir.

Pergunta: Se houver tal direção e nós caminharmos lentamente nessa direção, em que nosso mundo se transformará?

Resposta: Nosso mundo se transformará do hospital psiquiátrico de hoje em um mundo onde as pessoas estão envolvidas em autoexame, autocura e autoconstrução. Nessa medida, o Criador será revelado nelas.

Pergunta: E o que é a “revelação do Criador no homem”?

Resposta: A qualidade de doação e amor que nos eleva a um nível completamente diferente de sentir o mundo.

Pergunta: Tem certeza de que existe apenas um caminho, não existe outro?

Resposta: Não, não pode haver nenhum outro caminho.

Pergunta: Não existem inimigos, apenas o Criador está na minha frente?

Resposta: Claro!

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 29/11/21

Condição De Educação

504Pergunta: O número de crianças e adolescentes com diagnóstico de depressão, transtorno de déficit de atenção e transtorno de hiperatividade, problemas de concentração, memória e sono está crescendo rapidamente. As crianças são cada vez menos felizes.

Os psicólogos acreditam que o problema é que as crianças foram privadas da oportunidade de brincar. Não estamos falando de jogos de computador. Brincar é um espaço de liberdade, onde as próprias crianças ditam as regras, desenvolvem habilidades de independência, coragem, superação de dificuldades e assim por diante.

Hoje, esse espaço está ficando cada vez menor; computadores, escolas e sociedade estão roubando isso das crianças. Os parques infantis estão vazios. Ninguém sabe o que é brincar de esconde-esconde, cabra-cega e assim por diante, os jogos que costumávamos jogar.

O que há de tão importante em um jogo?

Resposta: Comunicação! A comunicação entre crianças, de crianças entre si, é um estado de crescimento necessário, totalmente necessário.

Claro, tem que ser durante o jogo. Tudo na vida é um jogo. Nós também jogamos, mas nossos jogos são diferentes. Quando as crianças ficam em casa e não se comunicam com outras pessoas, mesmo montando Legos ou outro conjunto de construção, ou mesmo algum tipo de supercomputador, elas crescerão infelizes. Elas não têm comunicação normal e natural com sua própria espécie na infância.

Devemos nos desenvolver através dos mesmos estágios em que toda a natureza se desenvolveu: inanimado, vegetativo, animal e humano. Ou seja, devemos dar a uma pessoa todos esses quatro estágios de desenvolvimento em sua infância para que a criança engatinhe, para que se suje, para que arranhe os joelhos, para que explore algo ao seu redor. Não devemos sentá-la no sofá. Deixe-a fazer tudo, tudo o que puder, com pranchas, tijolos, cadeiras. Lembro que montávamos um carro com cadeiras.

É imperativo que ela não faça isso sozinha, mas com outras crianças.

Pergunta: Se tirarmos isso das crianças agora, a que futuro tudo isso nos levará?

Resposta: Para uma pessoa muito feia. São crianças que nascem sem nenhuma habilidade de comunicação, que não têm desenvolvimento natural.

Nós, quando crianças, tínhamos um grande parque infantil, havia um grande pastor alemão chamado Gelz. Eu o cavalgava como um cavalo quando era pequeno. A comunicação com outras crianças era constante, o jogo era constante.

Lembro-me de todas as vezes que era forçado a ir para a escola de música, olhava para as crianças que iam tocar e tinha que ir para a escola de música com uma grande pasta de partituras!

Pergunta: Então sua conclusão é um jogo, mas como apresentá-lo hoje? O que fazer hoje no impasse atual?

Resposta: Não sei. Estamos fazendo de tudo para reconstruir todo o nosso mundo para os computadores.

Isto não está certo. Eu vejo que as crianças não saem de casa.

Comentário: Precisamos reestruturar todo o sistema escolar, educacional e parental?

Minha Resposta: Todos eles devem ser construídos para o desenvolvimento da comunicação! O desenvolvimento da comunicação pode estar no jogo, na dança, nos esportes coletivos.

Todo o resto não é um esporte. É apenas o desenvolvimento do egoísmo.

Pergunta: Alguém pode simplesmente começar a reestruturar tudo isso?

Resposta: Primeiro, precisamos descrevê-lo. Precisamos de pessoas que queiram descrever tudo. Então você já pode colocá-lo em algum lugar, promovê-lo e publicá-lo. Para que as pessoas comecem a ler, a discutir. Mas tudo tem que começar com uma descrição simples de onde viemos.

O egoísmo nos levará a regiões ainda mais profundas.

De KabT, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 18/11/21

Campo De Bondade

600.01Nas Notícias (“O Abraço de Resgate”): “Em 1995, as gêmeas, Brielle e Kyrie Jackson, nasceram prematuras de 12 semanas. Cada uma pesava apenas cerca de 2 libras (900 gramas). Não se esperava que uma delas sobrevivesse.

“Com três semanas de vida, uma das gêmeas entrou em estado crítico. Sua frequência cardíaca estava disparando. Seu nível de oxigênio estava caindo rapidamente e ela estava ficando azul. As enfermeiras tentaram de tudo, mas nada funcionou. Elas estavam prestes a perdê-la.

“Então uma enfermeira, Gale Kasparian, decidiu colocar a gêmea mais forte ao lado de sua irmã na mesma incubadora, um procedimento novo que nunca havia sido feito antes nos Estados Unidos. A prática padrão naquela época era colocar bebês gêmeos em incubadoras separadas para reduzir o risco de infecção.

“Uma vez que as gêmeas estavam juntas, o bebê se aconchegou em Kyrie, a gêmea mais forte. Assim que Kyrie colocou o braço em volta da irmã, os sinais vitais, incluindo respiração e frequência cardíaca da irmã gêmea mais fraca, se estabilizaram instantaneamente. Eles chamam isso de abraço de resgate.

“Sem este abraço de resgate, o bebê gêmeo mais fraco não teria sobrevivido.

“O abraço ajudou a mudar a medicina nos Estados Unidos”.

Comentário: A partir disso alguns cientistas chegaram à conclusão de que se pudéssemos, com intenção tão pura e infantil, abraçar um doente ou tratar outra pessoa assim, não haveria doenças.

Minha Resposta: Em geral, isso é verdade. É necessário criar um campo de bondade no qual toda a humanidade será colocada. Então, é claro, não haverá problemas!

Pergunta: Então, este caso é realmente conclusivo? Tal calor natural puro?

Resposta: Aqui, sim. Existe natureza pura aqui.

Pergunta: Somos todos muito sujos e egoístas neste mundo. Podemos pelo menos nos aproximar desse estado?

Resposta: Não de uma forma fácil e natural. Precisa ser explicado e mostrado, e precisamos trabalhar com isso. Mas a humanidade tem outras ferramentas para perceber o mal de sua natureza egoísta. Em vez de afastar os outros, traga-os para mais perto e abrace-os. Podemos convencer as pessoas de que isso é para sempre, de que é necessário. A natureza nos dá esses exemplos.

Não haveria vida sem isso. Não é simples que uma vida nasça dentro de outra. O embrião deve ficar na mãe por nove meses. Que longo prazo! Quantas semanas? Quantos meses lunares?

Pergunta: O bebê está em tal estado, como esta irmã gêmea abraçando a outra? Ela está crescendo com tanto cuidado e calor?

Resposta: Sim. Além disso, deve haver a mesma relação cósmica, como a Lua e a Terra. Isso tudo vai de acordo com o calendário lunar, de acordo com os meses lunares. Antigamente, as mulheres tinham seu fluxo mensal usual todas juntas, ao mesmo tempo. Esse era o impacto da lua.

Então tudo isso foi obscurecido, o egoísmo foi dividido em muitas outras partes e isso não aconteceu mais.

Antigamente, o corpo feminino funcionava de acordo com a natureza em um único ciclo. E uma quebra egoísta posterior levou ao fato de que o relacionamento entre todos se tornou cada vez pior.

Pergunta: Como pelo menos chegar mais perto de tal estado? Eu realmente quero tratar outra pessoa assim.

Resposta: Precisamos entender que estamos em um único mecanismo, que somos nutridos por uma única força superior, e devemos levar em consideração que somente pelo relacionamento correto com ela chegaremos à correção de nossa própria natureza e do mundo inteiro, e descobrir o estado superior por nós mesmos.

Pergunta: Então podemos ter esse relacionamento um com o outro?

Resposta: Sim, claro. Sentiremos que estamos todos juntos no mesmo útero, que nos abraçamos, e que não há diferença ou distância entre nós.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 11/10/21

Colérico: Um Herói Do Nosso Tempo

552.03Os quatro tipos de temperamento humano correspondem aos quatro estágios de desenvolvimento do egoísmo.

O fleumático é um egoísmo lento, pesado, simples e relativamente primitivo. Uma pessoa pode ser um grande cientista, mas sua manifestação externa, seu ritmo e sua frequência interna são desse tipo. Em seguida, vêm os sanguíneos, os melancólicos e só então os coléricos.

Quando estudamos os quatro estágios de desenvolvimento egoísta, eles são organizados exatamente assim: o primeiro estágio é passivo, o segundo é a busca pelo oposto do estágio passivo, o terceiro estágio é a realização incompleta e sentimento de falta nesta realização, e apenas o último estágio é o desejo real desenvolvido.

No entanto, em princípio, cada um desses estágios também inclui todos os quatro. Portanto, dizemos que existem quatro estágios e, se os dividirmos em mais quatro, então são dezesseis.

O maior desejo é colérico. Mas estamos falando de desejos “líquidos” e em nenhum caso sobre a “cor” desses desejos. Tanto um artista quanto um chaveiro podem ser coléricos.

Comentário: Se o último estágio é colérico, podemos supor que agora estamos em um estágio em que esse tipo de reação prevalece.

Minha Resposta: Sim, realmente prevalece. No entanto, o fato é que o estresse interno vivido por um colérico que não vê onde se pode aplicar o obriga a deitar-se no sofá. Há um enorme desequilíbrio interno dentro dele, ansiedade com apatia externa absoluta. É assim que um colérico se manifesta hoje em dia.

Portanto, se você olhar para ele de fora, pode dizer: “Bem, que tipo de colérico ele é? O colérico corre de esquina em esquina, corre, não sabe o que procura”. Na verdade, ele não tem para onde correr. Ele tem uma turbulência interna porque não vê nenhum propósito externo. Existe um conflito entre seu estado interno e externo.

Essas pessoas são as mais suscetíveis. O colérico é um criador, um portador de um desejo enorme; ele não é um executor, mas um portador. Portanto, pessoas de todos os temperamentos devem ser reunidas em uma equipe para que algo nasça como resultado de sua mistura. Acontece que as pessoas coléricas são necessárias.

De KabTV, “Conversa sobre Educação Integral”, 24/05/12

Como Pegar A Sorte Pela Cauda

259.01Pergunta: Alguns psicólogos responderam à pergunta: “Como evitar fracassos?” Eles disseram que os fracassos não podem e não devem ser evitados porque aprendemos com eles. Eles disseram ainda que a frequência com que fracassamos não é o que importa, mas quantas vezes nos levantamos e como reagimos ao fracasso.

Essa é uma boa resposta, mas, afinal, os fracassos quebram algumas pessoas ou as forçam a abandonar a meta, algumas se tornam passivas ou desamparadas e outras caem em depressão. Os fracassos sempre trazem dor. Qual é a abordagem correta para o fracasso?

Resposta: Tudo o que deveria ser será. O que deveria acontecer, acontecerá. Devemos estar prontos para tudo e entender que a vida é assim, tempos bons, tempos ruins.

Pergunta: Isso significa que os momentos ruins são sempre seguidos por momentos bons?

Resposta: Talvez os momentos bons cheguem um pouco, toquem você, mas eles virão. Então os momentos ruins voltam.

Pergunta: Como vou mudar? Não vou mais sofrer e ficar ferido com isso?

Resposta: Não. Estamos dispostos de tal forma que fugimos dos fracassos. Não podemos analisá-los corretamente, reconhecê-los, corrigir algo e nos preparar para algo. Simplesmente não podemos. Nós apenas trabalhamos para fugir deles. Esta é uma ação e filosofia completamente erradas.

Se ligarmos esses dois estados, fracasso e boa sorte, nos tornaremos aqueles que têm controle sobre eles e não seremos fracos de vontade durante os fracassos ou durante os sucessos.

Pergunta: Isto é, eu meio que conecto preto e branco?

Resposta: Sim.

Pergunta: Não considero isso um fracasso?

Resposta: Você se eleva acima de ambos os estados e, portanto, passa por eles facilmente. Precisamos apenas entender o que significa “superá-los”.

Significa superar suas aspirações de vida, parar de perseguir a sorte. Entenda que hoje, agora, você está dentro da própria sorte, já dentro dela.

É como quando os físicos dizem que existem todos os tipos de buracos negros. Então, na verdade, nós mesmos estamos em um buraco negro, em um buraco negro astronômico.

Pergunta: O que está por trás disso?

Resposta: Nada e não precisamos de nada. Relaxe e entenda que você está dentro da natureza. Deixe-a guiá-lo. O principal é se render à natureza.

Pergunta: Estou deixando os remos? Há uma corrente e eu solto os remos?

Resposta: Sim.

Pergunta: Existe uma corrente?

Resposta: Mesmo isso não importa para mim.

Pergunta: Isso é mesmo possível?

Resposta: Se você acredita em uma natureza sábia, excelente, eterna e onipotente, então, em minha opinião, esta é a solução mais razoável.

Além disso, tudo o que você inventa para ir contra ela por conta própria apenas destaca a insignificância, a limitação, a incompreensão, a ignorância e o desacordo com essa grande natureza dentro da qual existimos.

Não resista a nada. Não invente nada. Apenas tente entender o que a própria natureza significa, concorde com ela, apegue-se a ela e você encontrará o componente ideal de sua existência.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 15/11/21

Como Se Tornar Um Bom Pai?

627.2Não consigo pensar em nenhuma necessidade na infância tão forte quanto a necessidade da proteção do pai (Sigmund Freud).

Pergunta: Você acha que esta afirmação está correta?

Resposta: Está correta. Para uma criança o pai é tudo! Para um menino, sim. É biológico, é natural. É um exemplo!

Pergunta: Como isso pode estar relacionado ao fato de que não sentimos nosso pai? A humanidade não sente o Criador, o governo superior, e é por isso que a humanidade é assim. Posso dizer isso?

Resposta: Claro! Se sentíssemos o Criador como a força superior que nos gera e nos define a cada momento, naturalmente, seríamos diferentes. Mas isso não é possível. Caso contrário, não teríamos livre arbítrio.

Pergunta: Então, se sentíssemos o Criador, sentiríamos todo esse amor e bondade e seríamos oprimidos por eles? É por isso que nos foi dado o livre-arbítrio?

Resposta: Claro.

Pergunta: Os filhos que não tiveram pais ou seus pais foram rudes receberam livre arbítrio?

Resposta: Não, uma criança não pode ser culpada por nada. Ela entra em uma determinada situação e pronto.

Comentário: Ou seja, você segue a linha dura que por exemplo: se houver divórcio e houver filhos, principalmente se forem meninos e o pai deixar a família, então…

Minha Resposta: Isso é ainda pior. É um trauma para toda a vida.

Pergunta: E recebemos perguntas, principalmente de mulheres, que nos escrevem o tempo todo: “O que, é melhor ter um pai tão cruel?”

Resposta: Não se houver tal atrocidade, é claro. Mas um pai normal e exigente, mesmo que vá longe demais, ainda é melhor do que ser órfão.

Pergunta: E como alguém pode se tornar um bom pai?

Resposta: É preciso ser educado.

Pergunta: Os pais?

Resposta: Os pais, desde a infância. É preciso pegar as pessoas, eu diria jovens, e tentar explicar-lhes o que é a paternidade, o que é cuidar dos outros, e fazer deles bons pais.

Pergunta: E explicar a eles que o futuro das crianças depende disso?

Resposta: Explique tudo! Claro! Caso contrário, não funcionará sem definir o objetivo.

Pergunta: Então você acha que é necessário criar essa escola para pais?

Resposta: Sim, é necessário.

Pergunta: Então, podemos corrigir o futuro da humanidade?

Resposta: Claro! Determinaremos toda a geração futura por meio disso.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 07/10/21

O Condenado Por Violência Doméstica Ficará Horrorizado E Reformado

284.03Nas Notícias (rfi.fr): “A França está lançando uma experiência que usa a realidade virtual para impedir que homens condenados por violência doméstica reincidam.

“Já testada na Espanha, a tecnologia oferece uma experiência de ‘imersão total’ por meio de um fone de ouvido que permite ao infrator ver as coisas do ponto de vista de suas vítimas. …

“’É uma espécie de máquina de empatia’ que destaca as emoções das vítimas e ‘faz os homens compreenderem o medo’, explicou Guillaume Clere, fundador da startup Reverto, que colaborou no projeto com o Ministério da Justiça francês. …

“’Estudos têm mostrado a correlação entre baixa empatia cognitiva e violência’, disse Clère à AFP. …

“O fone de ouvido ‘tem a capacidade de enganar o cérebro’, explicou Géraud de la Brosse, que dirige o projeto para a Diretoria de Administração Penitenciária da França.

“’É uma forma de abrir um diálogo com os perpetradores’, disse ele ao site de notícias La Voix du Nord”.

Pergunta: O objetivo é fazer com que os criminosos percebam e sintam que prejudicaram outras pessoas. Enfrente-os com um agressor que é como eles e age como eles. A ideia é que eles se encontrem em uma posição de fragilidade e entendam o que aconteceu. Eles vão entender isso?

Resposta: Esta é, obviamente, uma ideia interessante – colocar-se no lugar da vítima. Isso pode ser ensinado. Acho que isso vai ajudar a consertar.

Pergunta: Para que de repente eles percebam e fiquem horrorizados: “Eu era assim?!”?

Resposta: É claro que eles ficarão horrorizados. Se isso for feito corretamente, terá um impacto muito forte.

Pergunta: Você acha que este é realmente um momento parental?

Resposta: Este é o momento da educação. Depois de tudo isso você explica para a pessoa e mostra quem ela é.

Pergunta: Podemos dizer que esta é a revelação do mal?

Resposta: Claro que esta é a revelação do mal, a mais real. Eu sou a favor. A ideia é boa. Se a técnica funcionar, é muito interessante. Isso leva imediatamente ao arrependimento. Então, como consequência disso, a correção, o remorso e assim por diante.

Pergunta: Podemos dizer que uma pessoa não cometerá mais esse crime se a experiência for aprovada?

Resposta: Não. Não sei o quanto isso afetará uma pessoa moderna que vivencia irritações externas constantes que a confundem o tempo todo, depende do que são e contra quais crimes se usa.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 04/10/21