Textos na Categoria 'Corpo e Alma'

Aceleração Do Desenvolvimento Espiritual

laitman_938.04Pergunta: O neuroendocrinologista americano Robert Sapolsky disse: “Altera um gene entre dezenas de milhares e aproximadamente na metade da vida ocorre uma dramática transformação da personalidade”. Tomando a dezena como exemplo, como o desenvolvimento de uma alma individual influencia o sistema como um todo?

Resposta: Podemos influenciar o desenvolvimento de todas as almas em todo o sistema que representa uma alma e trazê-lo para o estado de Adam, da palavra “Domeh“, que significa “semelhante ao Criador”.

Se conseguirmos isso com nossos próprios esforços, aceleraremos nosso desenvolvimento, mas não sob os golpes convincentes da natureza, como se costuma dizer, “com uma vara”, mas nos movemos em direção à meta.

Em essência, nossa única oportunidade de progredir é uma aceleração de nosso desenvolvimento. Nesse caso, nos livraremos naturalmente dessa vara que nos atinge por trás e progride independentemente como uma criança que quer aprender por conta própria e não por coerção.

Já existimos em nosso estado final, perfeito, simplesmente não o sentimos. Precisamos percorrer todo o caminho e acumular certas condições, então sentiremos esse estado final.

Pergunta: A aceleração depende de nós?

Resposta: Depende de como nos reunimos. Reuniões como Congressos e até estarmos juntos como estamos agora, aceleram significativamente nosso desenvolvimento espiritual. Portanto, vale a pena fazer isso com mais frequência.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 09/02/20

Sinais De Crescimento Da Alma

laitman_939.02Pergunta: Quais são os sinais externos e internos da sua alma crescendo?

Resposta: Quando começamos a conectar, damos à luz a oportunidade de se espalhar dentro de nós. Estamos começando a sentir e perceber isso como gratificante. Na medida em que vemos o sistema de conexão entre nós, em outras palavras, atingimos a estrutura da alma. Esta é a parte mais importante porque, à medida que obtemos uma percepção da estrutura da alma em relação à forma como ela é animada, influenciada pela luz que flui através dela, começamos a sentir o Criador falando conosco: como, em um padrão ondulado, Ele muda os relacionamentos entre nós e como, alterando as conexões entre nós, podemos responder a ele. Este é o nosso contato, a nossa comunicação, com o Criador.

Pergunta: Uma pessoa cuja alma está crescendo sente que está mudando?

Resposta: Muito. Tudo acontece de forma totalmente realística através do contato mútuo entre a pessoa e o Criador.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 09/02/20

O Conhecimento De Reencarnações Anteriores Pode Ser Restaurado?

laitman_202.0Pergunta: Nós aprendemos algo durante as reencarnações anteriores e agora chegamos aqui novamente para aprender algo novo. Mas tudo o que sabíamos e entendíamos foi levado embora. Temos o direito de restaurar esse conhecimento?

Resposta: Se você estudar Cabalá, seu conhecimento anterior retornará rapidamente para você. Você começará a senti-los e percebê-los como verdades que entende.

É como em nossa geração a rapidez com que as crianças modernas internalizam e compreendem todos os tipos de tecnologias e conhecimentos em comparação com as crianças descobrindo o mundo há dez ou vinte séculos.

Não se preocupe, tudo vai voltar. Isso é feito de propósito, para que cada vez você perceba sua alma novamente.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 26/01/20

Como Uma Pessoa Deve Se Relacionar Com A Morte De Entes Queridos?

627.2Pergunta: Como a Cabalá interpreta a morte? Qual é a atitude correta em relação à morte de uma pessoa querida e amada que está perto de você? O que é essa filosofia?

Resposta: Não há filosofia aqui, porque nosso corpo é um organismo animado que morre como um corpo de qualquer animal. Tem uma vida útil determinada, morre, decompõe-se e retorna aos seus elementos primários.

E nossa parte interna, as propriedades internas, permanece. Elas não vão a lugar algum e são chamadas de “alma”. Essas propriedades continuam a existir, não apenas no nível do nosso mundo, porque não têm nada para vestir, mas fora das vestes do mundo físico.

Depois vem a próxima reencarnação e o retorno a novos corpos. A alma não desaparece como o corpo, reencarna em novos corpos o tempo todo. Essa teoria e prática foram testadas ao longo dos séculos e existem há quase 6.000 anos. Além disso, há evidências sérias disso, muita literatura dedicada a ela. A sabedoria da Cabalá examina essa questão no nível físico e matemático. Não há problemas aqui.

O problema é diferente. Nós podemos, sem morrer enquanto existimos em nosso corpo, começar a sentir o mundo das almas. Se o corpo não interfere (na Cabalá, o corpo se refere ao nosso egoísmo, não à carne humana), se o neutralizamos, então começamos a sentir o mundo superior, o mundo das almas. É como se tivéssemos morrido e existíssemos além do nosso corpo físico.

Portanto, o problema é como neutralizar o egoísmo. E a sabedoria da Cabalá nos capacita a fazer isso.

Pergunta: A dor do falecido e a tristeza dos entes queridos permanecem?

Resposta: Não há dor ou tristeza. Aqueles que estudam a sabedoria da Cabalá sentem e compreendem claramente que essa é a reencarnação das almas e que não há espaço para preocupações.

Ao entrar no estado interior e começar a sentir as almas, nos relacionamos com nosso corpo animado de maneira completamente diferente. Não há nada de especial nisso. É-nos dado por um curto período de tempo apenas para que possamos passar à sensação das almas.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 26/01/20

Morte E Eu

Laitman_013.07Pergunta: Nossa mente se recusa a aceitar a inevitabilidade da morte. Quando alguém recebe informações que o associam à morte, algo lhe diz que esses dados não são confiáveis. Às vezes, podemos prever a morte de outras pessoas, mas quase sempre estaremos errados ao prever a nossa.

Os especialistas nos dizem que ignoramos inconscientemente os fatos e nos percebemos como alguém que terá uma existência longa, se não a eternidade. Por que nos sentimos assim?

Resposta: Porque nenhum ser vivo pode ou deve entender que é mortal. Tudo neste mundo deve nos impulsionar para a frente. Devemos criar, executar as coisas e deixar algo depois de nós.

Pergunta: Reconhecer a própria mortalidade, ter medo da morte, tem algum efeito sobre nós?

Resposta: O medo da morte é o medo da inexistência. Como posso imaginar um mundo onde não existo mais? Esta é uma terrível rejeição ao egoísmo.

O que é um mundo? Sou eu que existo, conheço o mundo, o entendo e sinto. Eu estou nele, no centro dele. Mas aqui, de repente eu desapareço.

O que resta no mundo? Só posso percebê-lo através dos meus sentidos. Se não existe um “eu”, esse é o fim de tudo. Nosso ego não pode conceber a noção de que o mundo pode existir sem ele.

A única solução é explicar às pessoas que o mundo é eterno, sem fim e perfeito. É completamente diferente da maneira como o percebemos. Para vê-lo de maneira diferente, temos que subir ao nível da qualidade de amor e doação.

Pergunta: Isso significa que vamos nos libertar e nos elevar acima do nosso egoísmo?

Resposta: Sim. Vamos vê-lo na qualidade oposta ao egoísmo.

O fato de termos sido criados com uma qualidade específica não deve nos limitar. Temos que ver o mundo de maneira diferente, multilateral. Poderemos então ver o mundo e a nós mesmos em algum tipo de conexão.

Pergunta: Você está dizendo que, se eu me elevar acima do meu egoísmo, alcançarei a qualidade de amor e doação e verei o mundo como eterno? Assim, eu me torno eterno também?

Resposta: Sim.

Pergunta: Então, a morte não existe?

Resposta: A morte não existe na qualidade de doação.

Pergunta: As pessoas passarão a se perceber como eternas?

Resposta: Sim, a ciência da Cabalá explica isso para nós. Só podemos fazer isso se tivermos o desejo por isso.

De KabTV, “Notícias com Dr. Michael Laitman”, 24/10/19

Vida E Morte, Parte 10

laitman_600.01Prefira A Vida Em Doação

Baal HaSulam, “Introdução ao Estudo das Dez Sefirot”: 3) “Veja, eu coloquei diante de você hoje a vida e o bem, e a morte e o mal… portanto, escolha a vida…”

Isso significa escolher a qualidade de doação e amor pelos outros. Não é fácil porque a escolha acontece acima do nosso egoísmo. É por isso que vivemos.

Nós precisamos passar por muitas coisas para realmente entender isso: preferir viver em doação, ou seja, servir outras pessoas a fim de conectá-las e, ao fazer isso, deixar que o Criador se revele entre elas. Este é o único objetivo da pessoa na vida. Todo o resto simplesmente desaparece, nada mais existe.

Não podemos imaginar como o universo está organizado fora do nosso atual estado inerentemente falso. Ele é totalmente errado, distorcido pelo nosso egoísmo. Se tivéssemos a oportunidade, como na câmera, de focar no que está acontecendo, veríamos como com uma diminuição ou aumento qualitativo no egoísmo, isto é, ao nos aproximarmos dos outros ou nos afastarmos dos outros, o mundo se tornaria diferente.

Vamos torcer para que isso seja revelado cada vez mais entre nós. No entanto, para fazer isso, é preciso estar em um grupo, na dezena. Somente lá, no grupo daqueles que desejam alcançar o objetivo da vida, podemos montar um modelo que será chamado de “vida após a morte” ou “mundo superior”. Isso pode ser simulado enquanto ainda estamos em nosso mundo, em nossa vida.

Portanto, se alguém tem esse desejo, deve vir para o nosso grupo e participar de aulas práticas de “laboratório”. Então ele verá que tudo isso é muito eficaz e viável. Aguardamos você.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 14/01/19

Vida E Morte, Parte 9

laitman_214O Cabalista Teme A Morte?

Pergunta: Qual é a atitude correta em relação à morte?

Resposta: Eu penso que a melhor atitude é não pensar na morte, mas, antes, acreditar que existimos infinitamente, eternamente. Devemos garantir que alcancemos essa eternidade e infinito, pelo menos parcialmente, nesta vida, em nosso estado corporal.

Afinal, durante a nossa vida, nós existimos para revelar doação e amor como um meio de alcançar a eternidade, perfeição e o Criador, a força superior que controla tudo isso. Nosso avanço deve consistir nisso.

Ao pensar na vida animalesca e na morte, verifique-se: você realmente se importa com isso? Se você se importa, ainda não está aspirando seriamente às qualidades espirituais. Quando você está envolvido com a espiritualidade, não se importa com nada que aconteça com o seu corpo, esteja ele vivo ou não. Você existe e deseja existir na qualidade de doação e amor.

Pergunta: Um Cabalista se importa com seu corpo proteico? Através dele, entra em contato com outras pessoas que ainda não estão na espiritualidade. Se ele não tivesse esse corpo, não seria capaz de se comunicar com seus alunos.

Resposta: Sim, ele cuida do corpo, mas em um sentido mínimo, que é chamado de condição “necessária e suficiente”.

Pergunta: Um Cabalista pensa sobre o que acontecerá com seus alunos e sua família após sua morte?

Resposta: Família é uma preocupação corporal usual. Os alunos, no entanto, são uma coisa completamente diferente. Ele precisa prepará-los para que eles permaneçam com uma boa reserva de conhecimento e metodologia. É necessário organizar um ambiente de laboratório para que eles possam testar a si mesmos e avançar.

Pergunta: Isso significa que um Cabalista tem medo da morte, mas não no sentido egoísta?

Resposta: Não é o medo da morte, mas o desejo de deixar para trás um mundo que seja maximamente direcionado ao objetivo da criação e de nenhuma outra maneira.

O que mais você pode deixar? Não há mais nada. Estamos nos aproximando do estado em que uma pessoa começa a entender que a única maneira de deixar algo para trás é na forma de boas ações. Essas boas ações são registradas em sua conta e são um grande ganho na vida.

Pergunta: Até onde eu entendo, as boas ações são levar outras pessoas à revelação do Criador. Existem outras boas ações que você pode fazer em relação a outra pessoa?

Resposta: Não há mais nada: apenas aproximar os outros do Criador.

De KabTV, “Fundamentos da Cabalá”, 14/01/19

“A Cabalá Apoia A Ideia Da Reencarnação?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: A Cabalá Apoia A Ideia Da Reencarnação?

Uma pessoa nasce com um potencial espiritual específico e pode optar por realizá-lo ou não em nosso mundo.

Quando o corpo de uma pessoa morre, esse potencial espiritual passa para outro corpo que nasce, e é assim que continua até que seja plenamente realizado. Isto é o que a Cabalá considera como reencarnação, isto é, é relevante apenas em relação ao nosso potencial espiritual.

Portanto, de acordo com os interesses de uma pessoa, é possível entender o nível de seu potencial espiritual: se alguém ainda encontra satisfação nos desejos corporais de comida, sexo, família, dinheiro, honra, controle e conhecimento, ou se encontra cada vez menos satisfação com esses desejos e se vê contemplando cada vez mais o significado e o propósito da vida.

Se for o último, é um sinal do despertar do desejo espiritual de uma pessoa, que a Cabalá chama de “o ponto do coração”. A sabedoria da Cabalá é um método para desenvolver esse desejo até que possamos perceber a realidade eterna da alma através dele. Quando alcançamos a plena realização desse potencial espiritual, não precisamos mais reencarnar em nosso mundo.

Vida E Morte, Parte 7

709Tornar-Se Humano

Pergunta: Os Cabalistas dizem que “a tarefa de uma pessoa é uma existência em que não há senso de vida e morte. Se esse sentimento existe, significa que ela ainda não se elevou acima de seu nível animalesco, ainda não se tornou humano. Uma pessoa é alguém que existe para sempre e se sente assim”. O que isso significa?

Resposta: Se uma pessoa não sente esse mundo ao seu redor, isso significa que ela está um grau acima dele. No entanto, ela usa o mundo inteiro para avançar em direção à espiritualidade.

O mundo espiritual é a nossa conexão de um com o outro quando, em nossa unidade, revelamos uma força comum e mútua de doação e amor chamada “o Criador”.

Pergunta: O que é esse grau humano?

Resposta: O humano é Adam, da palavra “Domeh” (em hebraico), que significa “semelhante ao Criador”. Ele é como o Criador na qualidade de doação e amor. Nesta medida, já podemos falar sobre quem entre nós e em que medida alguém é um humano.

Pergunta: Será que eu entendi corretamente que uma pessoa que atingiu um certo nível espiritual morre e depois precisa nascer de novo em um determinado corpo?

Resposta: Isso se refere aos desejos e intenções, mas não ao corpo.

Pergunta: Digamos que um Cabalista morre, depois nasce de novo e passa por alguns estágios. O primeiro estágio, como qualquer outra pessoa, é o desenvolvimento inconsciente. Depois de algumas décadas, ele rapidamente se torna um Cabalista, e já ajuda os outros. Isso está certo?

Resposta: Isso é muito primitivo. Afinal, existe Ibur Neshamot, separação, adesão mútua das almas, seus movimentos e combinações e, portanto, não podemos dizer que tudo acontece dessa maneira. Tudo é muito mais complicado porque é um sistema único.

Assim que deixamos o mundo, somos imediatamente incluídos no mundo superior, onde existem estados muito diferentes. Não há separação entre almas como em nosso mundo onde elas estão como que separadas por corpos. Quando nossos corpos, isto é, nosso egoísmo terrestre, não existem, a relação entre as qualidades de doação e amor é completamente diferente.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 14/01/19

Vida E Morte, Parte 6

laitman_293O Que Resta De Uma Pessoa Após A Morte?

Pergunta: Por que as pessoas não vivem por um número maior de anos ou indefinidamente? Por que mudar de corpo?

Resposta: Se vivêssemos até mil anos, ainda estaríamos com pressa de fazer algo porque a vida seria finita. Por outro lado, se vivêssemos indefinidamente, não sentiríamos que estamos sujeitos a quaisquer forças, aos limites do tempo.

Suponha que existimos como um organismo que apenas vive, sem começo nem fim. Não podemos nem imaginar tal estado, porque tudo é medido: existência – ausência, existência – ausência; isto é, a cada segundo algo nasce e algo morre. A morte é afortunada porque nos leva a entender a vida.

Pergunta: O que resta de uma pessoa que viveu um certo número de anos?

Resposta: A informação sensorial está no coração e na mente. A medida em que uma pessoa avançou em relação aos outros, até que ponto trouxe uma aproximação entre si e os outros, a fim de aproximar todos do Criador. Isso é o que resta de uma pessoa.

Somente isso permanece qualitativamente, porque a conexão é o propósito da criação.

O propósito da criação é conectar a humanidade em um único todo. Não em um pedaço de carne, mas em um único desejo, que consiste em muitos desejos diferentes, mas todos são direcionados para que ajudem a se conectar.

Pergunta: Isto é, todos estão conectados em um desejo de revelar o Criador?

Resposta: Sim.

Pergunta: Então, se uma pessoa faz isso durante sua vida, seus esforços, experiências e sentimentos permanecem e seguem em frente?

Resposta: Tudo isso permanece.

Pergunta: Mesmo se uma pessoa já está fazendo isso, mas não alcançou a meta, por que ela precisa morrer e nascer de novo em um corpo diferente?

Resposta: Não depende da pessoa, mas das condições gerais da humanidade.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá” da KabTV, 14/01/19