Textos na Categoria 'Antissemitismo'

A Escolha Judaica: Unidade Ou Antissemitismo – A Mesma Babilônia Novamente

Dr Michael LaitmanTudo depende de quanto a mensagem espiritual é mais importante para uma pessoa do que os sentimentos corporais. Eu, como Israel, devo superar meu egoísmo e preferir me aproximar do Criador do que todos os problemas corporais. Para outras nações, isso acontece de maneira diferente. Todos, de acordo com a raiz da alma, têm a obrigação de superar os distúrbios corporais, que não são distúrbios, mas condições para o desenvolvimento da alma, e buscar a conexão, apesar do fato de nos odiarmos. Acredite, o ódio antissemita dos judeus é muito menor que o ódio dos discípulos do rabino Shimon entre si. Ainda temos que descobrir o verdadeiro ódio.

Tudo isso está incluído nas condições: você deseja se elevar espiritualmente, e o Criador e o sentido da vida são mais importantes para você do que suas reivindicações contra os outros, então você se elevará. Caso contrário, permanecerá aqui, em sua existência animalesca.

Todas as nações, toda a Babilônia, devem se elevar acima do egoísmo e realizar o trabalho de correção. Esta é a condição hoje. Aqui estamos agindo como Abraão, que disse: “Quem está com o Criador – está comigo!” É a mesma Babilônia e os mesmos desafios que existiam na época de Abraão, apenas na forma moderna.

Imagine que você está vivendo na Babilônia e, de repente, existe o grupo de Abraão, alegando que você precisa amar os outros como a si mesmo. Você os odeia tanto que está pronto para expulsá-los da Babilônia.

No entanto, eles, sentindo esse ódio, entendem que é necessário deixar a Babilônia. O que você faria então? Você está pronto para se juntar a eles e atravessar o Iraque e a Síria até a terra de Israel, é claro que não em termos corporais, mas como uma ascensão espiritual? A escolha é sua.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 09/01/20, “A Escolha Judaica: Unidade ou Antissemitismo”, Capítulo 6
Minuto 1:59:00

A Escolha Judaica: Unidade Ou Antissemitismo – Assustador Até De Pensar

Dr Michael LaitmanÉ assustador pensar no que pode acontecer ao mundo se não conseguirmos disseminar o método da conexão. Uma nova Guerra Mundial aguarda o mundo, após o que a humanidade levaria vários séculos para se recuperar e começar a se reunir para implementar a correção. No entanto, a correção final deve se manifestar aqui neste mundo na estrutura corporal em que vivemos agora.

Este mundo não existe, mas a forma espiritual, que agora aparece diante de nossos olhos como o mundo corporal, deve ser exatamente assim para que o processo de correção comece e termine nele. Uma vez completada a correção no nível deste mundo, juntamente com o mundo espiritual, este mundo subirá para o nível espiritual.

Podemos evitar a terceira e quarta Guerras Mundiais enquanto isso ainda estiver em nossas mãos. No entanto, o tempo previsto já está chegando ao fim, por isso precisamos nos apressar e realizar nossa missão.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 09/01/20, “A Escolha Judaica: Unidade ou Antissemitismo”, Capítulo 6
Minuto 1:53:10

A Escolha Judaica: Unidade Ou Antissemitismo – Nascimento Em Agonia

Dr Michael LaitmanA solução não está na maior emancipação dos judeus, e nem na maior religiosidade, mas na ascensão espiritual de uma pessoa. As lições da história ensinam uma coisa: não importa o que façamos na estrutura deste mundo, o resultado será sempre desastroso e seremos atingidos por golpes até a destruição. A salvação é apenas elevar-se acima do nível deste mundo.

Não importa para onde nos voltamos no nível deste mundo: para o liberalismo, as religiões, a emancipação – nada ajudará. Não podemos permanecer no nível corporal; não podemos ficar presos nela. Só podemos subir a partir desta plataforma.

As pessoas não foram informadas ou ensinadas sobre isso; portanto, não querem e não conseguem, situação semelhante às dores do parto. A providência superior não leva em consideração a vida corporal de uma pessoa, mas apenas o desenvolvimento do desejo. Os desejos devem se desenvolver até chegarem ao nosso tempo, onde, finalmente, aparecerá um grupo que começará a implementar a solução.

Dentro do vaso geral da alma, os Reshimot estão acumulando todos os sofrimentos sofridos por milhões de pessoas que morreram durante o Holocausto, a Inquisição e as repressões stalinistas. Tudo isso é para o desejo de desfrutar acumular grande dor pelo fato de estar no egoísmo e deixar os genes espirituais (Reshimot) da doação começarem a funcionar.

Do ponto de vista da lógica humana, não há justificativa para isso. Afinal, quem organiza todos esses desastres? O Criador! Você pode levá-Lo a tribunal.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá de 09/01/20, “A Escolha Judaica: Unidade ou Antissemitismo”, Capítulo 6
Minuto 1:31:30

A Escolha Judaica: Unidade Ou Antissemitismo – Missão Especial Das Dez Tribos Perdidas

Dr Michael LaitmanAs dez tribos de Israel foram perdidas para que mais tarde pudéssemos realizar nosso propósito em relação ao mundo. O povo de Israel não existe por si só, mas para transmitir o método de conexão e revelação do Criador a todas as nações. Todas as nações da alma comum de Adam HaRishon, pertencentes ao corpo do Partzuf espiritual, não têm como entrar em contato com o Criador, exceto através do Rosh (cabeça) do Partzuf, ou seja, o povo de Israel, através das duas e meia tribos restantes.

As dez tribos desapareceram, dissolvendo-se nas nações do mundo, a fim de criar a conexão entre a cabeça e o corpo da alma. Mais tarde, elas serão reveladas como um elo de transição entre a cabeça (o povo de Israel) e o corpo (as nações do mundo).

Nos últimos milênios, elas se integraram ao corpo, a toda a humanidade, mas, de acordo com seus Reshimot, raízes e genes espirituais, pertencem à cabeça. Precisamos de uma camada no Partzuf geral que inclua as qualidades da cabeça e as do corpo.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 09/01/20, “A Escolha Judaica: Unidade ou Antissemitismo”, Capítulo 6

3 Minuto 49:07

A Escolha Judaica: Unidade Ou Antissemitismo – Antissemitismo Acima Da Natureza

Dr Michael LaitmanDurante o período do último exílio, o povo de Israel não teve consciência de sua missão espiritual. Não vemos tais sinais nas declarações de filósofos e pensadores judeus. A sabedoria da Cabalá foi grandemente ocultada. Foi um período preparatório: agora com mais luz interior ou circundante, e depois menos e, consequentemente, a humanidade foi atraída para uma direção e depois para a outra.

Era uma época em que tínhamos que descobrir nossa atitude em relação às religiões, verificar a que preço estávamos dispostos a vender o judaísmo comum e corporal e deixar a nossa fé. A alma humana consiste em quatro níveis: inanimado, vegetativo, animado e humano; todos esses níveis também precisam ser examinados.

Portanto, a questão não alcançou a sabedoria da Cabalá e nosso dever para com a humanidade, a revelação de que temos uma missão mais elevada do que o simples cumprimento tradicional dos mandamentos.

Este foi um período de escrutínio que continua hoje. Até recentemente, as pessoas na América pensavam que a moderna emancipação e assimilação dos judeus os ajudariam a se dissolver na sociedade americana. Realmente parecia que era possível fazer isso: quase não havia pressão ou antissemitismo definitivo. Se houve alguma rejeição, foi muito inteligente e oculta.

Muitos judeus na América, como fizeram na Alemanha, pensavam que o antissemitismo poderia ser eliminado por uma assimilação ainda maior na sociedade americana, porque o problema é causado pelo fato de que os judeus não são suficientemente dissolvidos nos americanos. Acontece que 3.500 anos atrás, no tempo de Abraão, a nação de Israel emergiu de todas as nações, da Babilônia Antiga, e hoje, estando na Babilônia moderna, queremos retornar e assimilar entre as nações. Este será o nosso fim.

No entanto, falhamos em entender que a escolha agora está se tornando mais espiritual. Afinal, não há grandes problemas com diferenças corporais: costumes, filosofia do judaísmo e educação. No mundo moderno, tudo está misturado.

Surge a pergunta: por que o antissemitismo moderno está crescendo e aumentando em todos os lugares, em todo o mundo? Isso não se aplica à cultura, educação ou estado; é um fenômeno completamente ilógico, irracional e universal que está acima da natureza.1

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 09/01/20, “A Escolha Judaica: Unidade ou Antissemitismo”, Capítulo 6

1 Minuto 43:00

A Escolha Judaica: Unidade Ou Antissemitismo – Não É Uma Conexão Simples

laitman_962.5A conexão que a Cabalá oferece como solução para todos os problemas não é tão simples quanto pode parecer à primeira vista. Inicialmente, este tópico pode causar confusão e mal-entendidos. Se olharmos para o nosso caminho histórico, sempre foi benéfico para o povo de Israel se conectar? Por um lado, a conexão é boa. Mas é importante em que nível ela ocorre.

Talvez estejamos nos afastando de todos os outros com essa conexão? Ou estamos egoisticamente nos conectando para escapar dos problemas corporais? Ou estamos conectados para cumprir nossa missão espiritual em relação ao mundo inteiro? O povo de Israel pode se conectar de maneiras diferentes e, portanto, sua conexão deve ser avaliada; caso contrário, ficaremos confusos quando for para o bem e quando for prejudicial. Houve muitos períodos na história em que os judeus se conectaram, mas essa conexão apenas demonstrou o quanto não era para o benefício do processo geral de correção.

Por um lado, existimos no mundo corporal, mas, por outro, devemos alcançar nosso propósito espiritual enquanto ainda estamos neste mundo. O que importa é o propósito pelo qual estamos nos aproximando, e também o propósito pelo qual estamos nos afastando. Ambos podem ser benéficos e prejudiciais. É impossível julgar nossa proximidade ou separação sem ambiguidade, mas apenas em relação ao propósito da criação.1

Da 1ª parte da Lição Diária da Cabalá 09/01/20, “A Escolha Judaica: Unidade ou Antiassemitismo”, Capítulo 6

1 Minuto 0:20

“Existe Um Aumento Nos Crimes De Ódio Contra Judeus Em 2019?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora:Existe Um Aumento Nos Crimes De Ódio Contra Judeus Em 2019?

Pelo menos nos Estados Unidos, quase 60% dos crimes motivados por religião no último ano foram cometidos contra judeus, com 1.879 incidentes desse tipo relatados durante esse período. Ataques físicos contra judeus também aumentaram em 105% em todo o país no ano passado. Somente em Nova York, os ataques antissemitas representam mais da metade dos crimes de ódio relatados.

A questão é: como podemos impedir que crimes e ameaças antissemitas se tornem a nova norma?

Enquanto alguns judeus americanos justificadamente temem um futuro desconhecido, a maioria dos judeus dos EUA ainda está cética quanto à possibilidade de um terrível desastre acontecer em sua terra natal. No entanto, a realidade mostra que o senso de imunidade dos judeus americanos foi perdido. O fato de lugares de culto, centros comunitários e lares judaicos se tornarem alvos é uma situação que era inconcebível no passado.

Em meu livro recém-lançado, The Jewish Choice: Unity or Anti-Semitism, eu detalho longamente as semelhanças entre a Alemanha nazista anterior à Segunda Guerra Mundial e a América de hoje e pretendo mostrar como, ao longo da história, sempre que o povo judeu se divide, o antissemitismo aumenta, e muitas vezes acaba em desastre. Por outro lado, como tenho explicado extensivamente por muitos anos, o caminho para a salvação do antissemitismo pelo povo judeu está em sua unidade.

Para prosperar e sobreviver, o povo de Israel deve estar unido “como um homem com um coração”, ou seja, para viver em responsabilidade mútua de acordo com a regra, “ame o seu próximo como a si mesmo”. Isso não é apenas agradável ou palavras vazias. É a ordem do dia.

A unidade do povo judeu visa trazer prosperidade e bem-estar espiritual não apenas aos judeus, mas à humanidade. O papel do povo judeu é ser uma “luz para as nações”, fornecendo a todas as pessoas neste planeta um método para alcançar a unidade e a manifestação de um exemplo positivo e unificador.

Os antissemitas abrigam uma inimizade irracional inexplicável em relação aos judeus. De acordo com a sabedoria da Cabalá, essa sensação negativa é, intrinsicamente, um desejo de unidade entre os judeus, que preencherá todos os espaços cinzentos da vida com luz e vitalidade.

Há uma chance de se unir e, ao fazer isso, parar uma nova escalada do antissemitismo. Mas precisamos agir na direção de nos aproximarmos um do outro e superarmos nossas diferenças antes que seja tarde demais. É como está escrito: “uma vez que a permissão tenha sido concedida ao Destruidor, ele não faz distinção entre justos e ímpios”.

Quando Hitler chegou ao poder em 1933, o primeiro rabino-chefe de Eretz Israel e Cabalista Rav Kook fez um sermão na cidade antiga de Jerusalém, na qual falou sobre o terrível Holocausto, anos antes de começar:

“Os inimigos forçam o povo judeu a ser redimido, tocando as trombetas da guerra, bombardeando-os com ameaças ensurdecedoras de assédio e tormento, não dando trégua à diáspora. O shofar de um animal impuro se torna o shofar do Mashiach. Amaleque, Petilura, Hitler e seus semelhantes nos despertam para a redenção. Aquele que não ouviu o som do primeiro shofar e aqueles cujos ouvidos estão fechados e não querem ouvir o som do segundo shofar comum ouvirá o som do shofar impuro e inválido. Eles ouvirão contra sua vontade” (Berachot 51b).

Hoje, o presidente Trump é pró-israelense, mas, mais cedo ou mais tarde, o governo mudará, e um líder pode assumir o cargo com muito menos simpatia pelos judeus.

Nesse cenário, a mídia limitará sua cobertura de incidentes violentos contra judeus. Menos conscientização das autoridades e do público faria com que o antissemitismo desse uma guinada muito mais feia em relação à sua intensificação atual.

Se a mensagem de nosso futuro melhor, dependendo de nossa unidade, atingir ouvidos atentos, experimentaremos uma mudança para segurança, paz e calma. Desde que tenhamos a oportunidade de disseminar o método da conexão – a sabedoria da Cabalá -, é nosso dever fazer isso pois ele tem o potencial de dissipar todas as ameaças e nos trazer uma nova harmonia.

“O Que Pode Ser Feito Para Impedir O Que Parece Ser Os Crescentes Incidentes De Antissemitismo Nos Estados Unidos?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora:O Que Pode Ser Feito Para Impedir O Que Parece Ser Os Crescentes Incidentes De Antissemitismo Nos Estados Unidos?

A maneira de parar o antissemitismo nos Estados Unidos é a mesma de como parar o antissemitismo em qualquer lugar do mundo: aumentar a conscientização sobre a causa principal do antissemitismo, a fim de inverter o ódio em amor.

Fontes Cabalísticas explicam tanto a causa como a solução para o antissemitismo. Isso ocorre porque os Cabalistas percebem os processos de desenvolvimento que se desenrolam em nosso mundo e podem alertar as pessoas sobre ameaças iminentes, além de oferecer um remédio para impedir que essas ameaças se materializem.

Por exemplo, o Cabalista Rav Yehuda Ashlag (Baal HaSulam), o mais renomado do século XX, tentou convencer os judeus europeus na década de 1930 a deixar a Europa porque previu o desastre que se aproximava. Seguindo seu exemplo, além de prestar atenção ao recente aumento alarmante do antissemitismo em todo o mundo, também sinto a necessidade de comunicar a mensagem sobre a causa principal do antissemitismo e sua solução para judeus e não-judeus, e escrevo e falo extensivamente sobre o assunto, na esperança de que, no mínimo, uma futura tragédia em massa possa ser evitada.

Em relação aos Estados Unidos, dei palestras para comunidades judaicas nos Estados Unidos em vários intervalos nos últimos 20 anos. Durante os anos 2000, riram de mim quando mencionei que o antissemitismo se tornaria um problema crescente na América.

Na década de 2010, após o imenso crescimento exponencial do antissemitismo, tanto na quantidade de crimes e ameaças antissemitas, quanto no sentimento antissemita, expliquei como todos os sinais apontavam para o próximo holocausto emergente na América.

Na virada da década, depois de uma série de ataques antissemitas em Nova York e Nova Jersey em um período relativamente curto, os legisladores judeus começaram a reconhecer como um “pogrom lento” estava acontecendo em Nova York.

Até que um forte aumento repentino de ataques antissemitas em um raio relativamente próximo ocorreu, eu vi pouca resposta a essa mensagem do povo judeu. Está escrito sobre nós que somos um povo teimoso, ou seja, temos uma pele dura que dificulta a penetração dessa percepção em nossa percepção.

De qualquer forma, para impedir um futuro cenário distópico para o povo judeu nos Estados Unidos e em outros lugares, a mensagem é a mesma para todos os judeus: precisamos nos unir, de acordo com o princípio “ame seu amigo como a si mesmo”. A fim de se tornar “uma luz para as nações”, isto é, um canal que passa a força unificadora positiva que habita a natureza para o mundo. Se a mensagem não for aceita por meio de educação, explicação e promoção, surgirão golpes e sofrimentos antissemitas, “suavizando nossos pescoços”, aumentando indesejadamente nossa capacidade de absorver tal mensagem.

Esse é o estado que alcançamos pela primeira vez há 3.800 anos na antiga Babilônia, sob a orientação de Abraão, que nos deu o nome de “povo de Israel” (“Israel” das palavras “Yashar Kel“, que significa “direto a Deus”). [“Deus” é o mesmo que “Natureza” de acordo com a Cabalá, isto é, uma força positiva que conecta todos os elementos da realidade]). Além disso, de acordo com a mesma tendência unificadora, mais tarde fomos nomeados “judeus”, da palavra “unidade” (a palavra hebraica para “judeu” [Yehudi] vem da palavra “unido” [yihudi] [Yaarot Devash, Parte 2, Drush nº 2]).

Hoje, estamos alcançando novas proporções globais de antissemitismo que o mundo nunca viu, já que o mundo de hoje está mais integrado do que nunca antes. Devido ao antissemitismo emergir como um fenômeno natural em não-judeus, em direção a uma expectativa inconsciente de os judeus serem pioneiros em um processo em direção a uma conexão humana mais positiva, podemos esperar um futuro em que todos, exceto alguns judeus, serão antissemitas.

Portanto, nós judeus, em primeiro lugar, precisamos mostrar a todos como a unidade acima das crescentes divisões hostis da sociedade não é apenas uma possibilidade, mas que existe um método de conexão para guiar todos os nossos passos. Ao implementar esse método em nós mesmos, enviamos ondulações unificadoras positivas por toda a consciência da humanidade e atraímos uma atitude oposta ao antissemitismo sobre nós mesmos em troca. Em outras palavras, testemunhando um aumento da conexão positiva e subsequentes aumentos de felicidade, apoio e confiança na sociedade em geral, a atitude geral em relação a um povo judeu unificado se tornaria favorável e encorajadora.

No entanto, se o povo judeu continuar rejeitando, ignorando ou permanecer inconsciente da mensagem da necessidade de se unir, então, em vez de ver a unidade se formar na corrente principal da sociedade, podemos esperar que a unidade se forme cada vez mais nas margens da sociedade, ou seja, como nazistas e unidade fascista. Essa unidade é perigosa, pois se baseia na união em torno do ódio do outro e se torna a infraestrutura que pode levar à manifestação de eventos horríveis, como exemplificado pelo Holocausto.

Portanto, espero que os judeus em geral, e especialmente os americanos, comecem a perceber que a bola está em nossas mãos e que precisamos jogar bem: priorizar nossa unidade para difundir a unidade. Se fizermos isso, experimentaremos um melhor estado geral na América e no mundo. Contudo, se não entendermos o que a sabedoria da Cabalá está dizendo sobre esta questão premente, o estado se tornará muito pior.

“Já Houve Um Holocausto Na América? Você Acha Que Isso Poderia Acontecer Aqui?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora:Já Houve Um Holocausto Na América? Você Acha Que Isso Poderia Acontecer Aqui?

Nunca houve um holocausto na América antes. No entanto, se olharmos para o aumento acelerado de crimes e ameaças de antissemitismo na América nos últimos anos, o Holocausto na América é uma possibilidade definitiva. Além disso, a América de hoje possui muitas semelhanças impressionantes com a Alemanha nazista da década de 1930, que detalho em meu livro recém-lançado, The Jewish Choice: Unity or Anti-Semitism (A Escolha Judaica: Unidade ou Antissemitismo).

Velocidade Sem Precedentes Da Ascensão Do Antissemitismo

O período recente na virada da década para 2020 nos deu alguns exemplos muito agressivos de atos antissemitas em Nova York e Nova Jersey.

Em uma carta datada de 29 de dezembro de 2019, do senador do Estado de Nova York, Simcha Felder, do deputado estadual de Nova York, Simcha Eichenstein, e de dois vereadores da cidade de Nova York, Chaim Deutsch e Kalman Yeger, endereçados ao governador da cidade de Nova York, Andrew Cuomo, eles descreveram como:

“Os crimes de ódio antissemita cresceram para números assustadoramente altos nos últimos meses. Nos últimos dias, em particular, judeus ortodoxos identificáveis ​​nas áreas que representamos e em torno das mesmas foram alvo de uma onda de violência não vista na história moderna. Judeus ortodoxos estão sendo regularmente assaltados, ameaçados, esfaqueados e assassinados em número crescente. Isso foi descrito adequadamente como um “pogrom lento”. Estamos escrevendo para solicitar que você declare um estado de emergência. … Simplesmente, não é mais seguro ser um ortodoxo identificável no Estado de Nova York. Não podemos fazer compras, andar por uma rua, mandar nossos filhos para a escola ou até mesmo adorar em paz”.

Além disso, o ex-deputado estadual democrata de Nova York e apresentador de programa de rádio, Dov Hikind, mencionou que “se você perguntasse aos judeus há 20 anos se um Holocausto poderia acontecer na América, você receberia uma resposta uniforme: ‘é impossível, não na América’. Bem, esse não é mais o caso. O que vai acontecer a seguir?”

Nos anos 2000, eu falei sobre o antissemitismo nos EUA como um problema futuro e fui motivo de riso.

Nos anos 2010, quando o antissemitismo começou sua escalada exponencial nos EUA e em todo o mundo, e começou a ser reconhecido como um problema, conversamos sobre o próximo Holocausto ocorrendo nos EUA.

Hoje, na virada da nova década, podemos ver como a consciência da possibilidade do próximo Holocausto ocorrendo na América está se revelando.

De fato, como Dov Hikind perguntou, o que vem a seguir?

A Fatídica Mudança Da Divisão Para A Unidade

As leis da natureza estão levando a sociedade humana a uma conexão mais estreita, e o povo judeu, consciente ou inconscientemente, hospeda um método para fazer uma mudança fundamental na realização positiva dessa conexão – a capacidade de se unir acima de toda a divisão social impetuosa, como está escrito nas palavras, “o amor cobrirá todas as transgressões”, a fim de transmitir essa capacidade a todas as pessoas do mundo, ou seja, “ser uma luz para as nações”.

A natureza está exigindo que deixemos de ser uma força destrutiva e divisória e comece a se tornar uma força positiva e unificada.

Se não conseguirmos iniciar o começo da correção do povo judeu, começando a implementar a unidade acima de nossas diferenças, sentiremos pressões crescentes. As pressões não apenas estariam nos EUA, mas em todo o mundo, incluindo o Estado de Israel, onde poderíamos esperar mais e mais sanções e restrições. Continuaríamos então fortalecendo nossa segurança até nos sentirmos presos em nossa pequena fortaleza com forças inimigas nos cercando por todos os lados.

E se isso não nos levasse a nos unir, poderíamos esperar eventos como a eliminação do Estado de Israel e desastres em que, como os Cabalistas escreveram, apenas um pequeno grupo permaneceria unido acima de nossas unidades divisórias.

“Se a ruína total que eles estão destinados a trazer ao mundo ainda não é evidente para o mundo, eles podem esperar por uma terceira Guerra Mundial ou uma quarta … e as relíquias que permanecerem após a ruína não terão outra escolha senão assumir esse trabalho, onde indivíduos e nações não trabalharão para si mesmos mais do que o necessário para seu sustento, enquanto tudo o mais que fizerem será para o bem dos outros”- Yehuda Ashlag, “Os Escritos da Última Geração”.

Quanto mais cedo percebermos que nossa unidade causa a unidade da sociedade humana como um todo, e que, ao fazer isso, experimentaremos uma resposta positiva, harmoniosa, pacífica e apreciativa totalmente diferente do mundo, mais cedo poderemos reverter a tendência premonitória de antissemitismo e nos encontrarmos em um mundo harmonioso. Ao nos unirmos, cumprimos nosso papel no mundo e estabelecemos um novo equilíbrio de forças entre a humanidade e a natureza.

O Primeiro Passo Em Direção À Unidade

O primeiro passo em direção à unidade é que compreendemos a necessidade de salvar-nos da destruição, juntamente com a necessidade de adaptação à tendência de conexão da natureza. Se fizermos isso, veremos fenômenos incríveis se desenrolar diante de nossos olhos: uma completa inversão do antissemitismo para o seu oposto – o amor e apreço pelo povo judeu que traz unidade e luz ao mundo. Simplesmente não haveria razão para alguém odiar os judeus, já que as pessoas saberiam se unir, e as pessoas unidas não se odeiam, nem as que ensinam e incentivam sua unidade.

Não precisamos de caminhos longos e dolorosos para alcançar esse estado. Ao começar a pensar e agir na direção da unidade de todo o povo judeu agora, podemos começar a ser pioneiros em uma transformação positiva épica e histórica.

Por Que Os Judeus Podem Trazer Unidade Para O Mundo? – Conversa Com Matt Beat

Quando você menciona “os judeus” em uma conversa, a reação de seu companheiro amável e amigável pode ser imprevisivelmente negativa. Há algo de secreto, ótimo e até misterioso no povo judeu. Por que atraímos emoções tão controversas?

Os judeus são o grupo originado cerca de 3.800 anos atrás por Abraão de 70 nações da antiga Mesopotâmia, o berço da civilização humana. Assim, como uma amostra representativa da população total, o povo judeu passa a ser o minimodelo do mundo.

Portanto, hoje, na situação de uma crise global, se os judeus cultivarem a unidade entre eles, ela se irradiará para todas as outras nações e levará todos a um novo estado positivo, feliz e elevado.

The Jew Function – Canal do YouTube dedicado a esta série