Onde Está A Felicidade?

572.02Pergunta: Lyudmila pergunta: “A felicidade está em nós ou fora de nós? Como posso explicar a mim mesmo e a outras pessoas o que é a felicidade?”

Resposta: Em primeiro lugar, tudo o que se sente está em nós. Nós sentimos, eu sinto, e mais ninguém. Se alguém sente algo e me diz, mas eu não consigo sentir adequadamente, pelo menos de alguma forma, eu não entendo do que ela está falando.

Pergunta: Se não está em mim, então existe tal coisa?

Resposta: Então não existe tal coisa.

Pergunta: Então, sua resposta é que a felicidade está em nós, certo?

Resposta: Claro, em nós.

Felicidade é quando algo que você realmente queria, sofreu, lutou, criou grandes aspirações em si mesmo e, de repente, isso começa a ser preenchido e você se afasta, como se estivesse com dor. Esse sentimento pode ser chamado de felicidade.

Mas existem níveis e gradações do que uma pessoa sofre e, portanto, o que pode fazê-la feliz. Acontece que a maior felicidade de uma pessoa é quando ela se sente se aproximando do Criador e aderindo ao Criador como uma criança à sua mãe. Então ela sente felicidade. Além disso, este é um desejo muito forte que constantemente a atormentava.

A pessoa queria tanto que acontecesse e já estava desesperada. De repente, o Criador aparece e diz: “Onde você está? Eu estou olhando para você!” A pessoa quer dizer: “Sou eu que estou procurando por Você! Onde Você esteve? Eu não?!” Assim, eles correm um para o outro, sem palavras e sem se conter. Isso é felicidade.

Além disso, não se trata de uma fusão, como em nosso mundo, quando os corpos se juntam, mas cada corpo permanece com sua própria forma e sensação.

Mas aqui é como sensações que se penetram mutuamente, mas não há corpos. Existe tal estado. Eu não sei como dizer isso…

Pergunta: O meu “eu” desaparece? Afinal, eu queria isso.

Resposta: Eu quero que ele desapareça! Eu não preciso dele de jeito nenhum! Mas se o meu eu desaparecer, a sensação do outro também desaparecerá. Portanto, está disposto para que o eu não desapareça.

A Cabalá explica que o Aviut (a espessura do egoísmo) não desaparece. Devido ao fato de que o Aviut se torna cada vez maior, temos a oportunidade de alinhá-lo com a qualidade de doação. Acontece que quando o egoísmo e o ódio são maiores, o amor é maior, quanto maior o ódio, maior o amor.

Não entendemos como isso pode ser. Em nosso mundo, é isso ou aquilo. Mas na espiritualidade é assim.

Pergunta: Até que ponto tudo isso vai crescer: ódio e amor por isso, mais ódio e amor por isso?

Resposta: Até o estado de infinito. Para a sensação de que não há limite para isso.

Pergunta: Isso pode ser chamado de felicidade infinita?

Resposta: Sim, mas você precisa sentir isso. É um caminho muito longo para alcançar este sentimento.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 28/04/22

Comente