“A Turbulência Global Da Indústria De Viagens” (Medium)

Medium publicou meu novo artigo: “A Turbulência Global Da Indústria De Viagens

Lembra-se dos dias em que viajar era relaxante, emocionante? Essas memórias foram desafiadas nas últimas semanas pelo caos experimentado nos aeroportos de todo o mundo, particularmente na América do Norte e na Europa. Uma onda de passageiros de verão, ansiosos e esperando para viajar desde o início da pandemia, foi confrontada com uma escassez generalizada de funcionários devido às demissões da Covid-19, que pressionaram aeroportos e companhias aéreas.

Antes considerados redundantes, os trabalhadores da indústria de viagens que foram demitidos agora estão relutantes em retornar aos empregos devido aos baixos salários, insegurança no emprego e más condições de trabalho. Como resultado da falta de recursos humanos em todo o mundo, milhares de passageiros perderam chamadas de embarque e voos enquanto esperavam em filas de pesadelo, e muitas vezes suas bagagens foram atrasadas ou perdidas. E se tudo isso não bastasse, muitos funcionários das companhias aéreas, incluindo pilotos, estão protestando contra o cansaço, o estresse e a falta de pessoal. Devido à falta de mão de obra, as companhias aéreas de todo o mundo cancelaram milhares de voos e mais cancelamentos são esperados durante a temporada de festas.

Quem decidiu iniciar a onda de demissões em massa nos dias da pandemia também deveria ter considerado como recrutar e treinar novos trabalhadores quando eles fossem novamente necessários. Afinal, a expectativa era conhecida com bastante antecedência, já que dezenas de milhares já haviam falado em férias no exterior no dia seguinte ao levantamento das restrições de viagem. Então, por que não se organizaram antecipadamente para atender o público viajante?

O coronavírus nos acostumou a uma nova qualidade de vida – a trabalhar em casa em condições confortáveis, a ver que é possível viver com menos, então agora os baixos salários oferecidos no setor oferecem pouco incentivo para voltar ao trabalho.

No curto prazo, melhores salários para os funcionários estimulariam o recrutamento, mas, no longo prazo, isso não satisfará verdadeiramente os desejos dos funcionários. O próprio fato de este ser um fenômeno mundial sugere que é um problema humano fundamental que pode até ser chamado de “praga da preguiça”.

É proibido desconectar entre causa e efeito. Durante o período de pandemia as pessoas mudaram de dentro para fora. Seus desejos e exigências cresceram, de modo que hoje exigem mais conforto e não estão dispostas a fazer grandes esforços sem serem pagas adequadamente. Esta é a tendência em evolução na sociedade humana, e é uma expressão de desenvolvimento contínuo que requer uma nova realização.

No final das contas, o caos internacional na indústria da aviação revela como somos desorganizados em nível social. Esta é apenas uma amostra da situação que existe em todas as outras indústrias da economia. Estamos desorganizados em todos os aspectos, enquanto a crise ainda não atingiu seu pico. Enquanto não resolvermos os problemas, o sofrimento e a frustração se intensificarão a ponto de não mais contê-los, então certamente uma mudança abrangente nos será imposta.

A falta de conexão entre nós e a falta de consciência de nossa natureza humana, principalmente como resultado da pandemia, revelam o simples fato de que não podemos mais aproveitar nem mesmo as férias curtas que eram garantidas há pouco tempo.

Se não acordarmos, a situação só vai piorar. A natureza humana não congela seu fermento; o desejo de receber prazer forçará as pessoas a exigirem cada vez mais. Ao mesmo tempo, naturalmente nos tornamos mais preguiçosos, egoístas e gananciosos. Da mesma forma que agora não há voos, amanhã não haverá trens, hotéis, restaurantes e tudo mais, então teremos que reconhecer em nossa carne que a mudança é obrigatória.

As grandes empresas da economia precisam implementar um processo contínuo de educação para conscientizar sobre o fato de que vivemos em um único sistema natural interconectado no qual a humanidade é interdependente.

Essa compreensão inicial de nossa educação desenvolverá em nós uma nova atitude em relação à vida, ensinando-nos como direcionar nossa natureza egoísta para se harmonizar com condições de interdependência e garantia mútua. A partir das relações corrigidas e aprimoradas entre nós, seremos capazes de motivar facilmente os trabalhadores e impulsionar todos os sistemas da economia para evitar futuros problemas em nossa sociedade.

Comente