O “Efeito Do Centésimo Macaco”

600.01Nas Notícias (Efeito do Centésimo Macaco e a Cascata de Informações): O efeito do centésimo macaco é um fenômeno hipotético no qual um novo comportamento ou ideia se espalha rapidamente por meios inexplicáveis de um grupo para todos os grupos relacionados, uma vez que um número crítico de membros de um grupo exibe o novo comportamento ou reconhece a nova ideia. Esse conceito está intimamente relacionado ao modelo da cascata de informações que aprendemos em sala de aula e demonstra como ele funciona no mundo animal.

“A história do efeito do centésimo macaco foi publicada em … 1975. Alguns cientistas estavam realizando um estudo de macacos na ilha japonesa de Kōjima em 1952. Esses cientistas observaram que alguns desses macacos aprenderam a lavar batatas-doces na água e uma vez alcançado um número crítico desses macacos, ou seja, o centésimo macaco, essa prática aprendida anteriormente se espalhou instantaneamente pela água para outras trupes de macacos em ilhas próximas, sem qualquer contato entre as trupes. Esse fenômeno se correlaciona com o modelo de cascata de informações, pois mostra como as ideias podem se espalhar rapidamente quando atingem um certo nível de aceitação. O certo nível de aceitação combina com o ponto de inflexão na publicidade que discutimos em aula”.

Os pesquisadores também observaram o seguinte padrão que sugere o processo de cascata de informações com base na estrutura da rede:

  1. Os macacos jovens primeiro ensinam seus contemporâneos e familiares imediatos, que se beneficiam do novo comportamento e o ensinam a seus contemporâneos;
  2. Se os pais ou seus contemporâneos (ou seus pais) são muito velhos, eles não adotam o comportamento;
  3. Uma vez que o grupo inicial tenha filhos, a dinâmica muda do ensino das gerações anteriores e atuais, para a próxima geração aprendendo pela observação.

Minha Resposta: Sim, dizem que na ilha vizinha os macacos começaram a fazer o mesmo. Esta é uma transmissão normal de pensamentos à distância.

Em nossa vida diária, muitas vezes encontramos esses fatos. Por exemplo, em um jornal, as histórias são impressas com certas manchetes. Mais de mil e duzentas milhas, ao mesmo tempo, a mesma história sai em outro jornal, embora não houvesse realmente nenhuma conexão. Absolutamente a mesma coisa. Ninguém roubou nada. É só que as pessoas estão no mesmo campo e espalham todos os seus pensamentos nele.

É o mesmo com os macacos e, em geral, com toda a natureza em qualquer nível. Só precisamos levar em conta essa relação e entender que nós, como os macacos, estamos interconectados. Vamos pensar com cuidado, então todos terão bons pensamentos.

Não devo criticar ninguém, mas, antes de tudo, pensar bem em mim mesmo, e realmente verei como o mundo está melhorando. Pensar bem não significa egoísmo, apenas fazer com que todos se sintam bem. O que significa “amar o próximo como a si mesmo”? Imagine que os outros são seus entes queridos. Não há como ir a lugar algum se o mundo é global. Vamos esperar que isso ajude.

Comentário: Como resultado do experimento com macacos, os cientistas chegaram à conclusão de que é necessária uma massa crítica de pessoas que estejam procurando uma resposta para a pergunta feita, e então isso acontecerá.

Minha Resposta: Na Cabalá, isso é chamado de 600.000 almas. Este é um nome condicional. De fato, é necessária uma massa crítica.

De KabTV, “Close-Up. O Experimento Filadélfia”, 24/10/10

Comente