Quando O Egoísmo Supera A Estrutura Externa

962.2Comentário: Quando certos desvios físicos ou morais são revelados em um ambiente secular, isso não causa muito choque, desde que essas pessoas não se distingam das outras, não finjam ser escolhidas por Deus e não ditem aos outros como se comportar.

Quando tal fenômeno é revelado nos círculos ortodoxos, é chocante.

Minha Resposta: O fato de as pessoas religiosas quererem mostrar que são especiais não é importante. Biologicamente elas são iguais aos outros, não têm nenhuma atitude especial e desejo interno de serem diferentes. Mas, mesmo assim, neste ambiente há muito boas relações, comunicação, fundos de ajuda mútua e uma certa quantidade de apoio.

Sua sociedade é construída de tal forma, puramente egoísta, que possui sistemas de assistência mútua. Este é o judaísmo comum, terreno, que ajuda as pessoas de muitas maneiras e lhes dá certa proteção moral e física, embora ao mesmo tempo preserve nosso desenvolvimento.

A religião não visa corrigir o homem. A religião é como a construção de casas, uma prática convencional. Assim como um hábito que uma pessoa tem da casa do pai, da comida da mãe, daquele modo de vida, a religião lhe dá um certo ambiente, uma casca para a existência: faça tais ações, organize sua vida de tal forma, isso o ajudará na vida.

E quando o egoísmo começa a se desenvolver, ele supera essa estrutura, e apenas a observância de rituais externos permanece de toda a religião enquanto não restam atitudes morais internamente.

De KabTV, “Close-Up. Retorno”, 19/02/10

Comente