“Quando É Ruim No Mundo, É Ruim Para Israel” (Times Of Israel)

Michael Laitman, no The Times of Israel: “Quando É Ruim No Mundo, É Ruim Para Israel

Quando algo ruim acontece no mundo, não importa o que aconteça, os judeus podem se preparar para assumir a culpa por isso. No final, de alguma forma, sempre vem, então não há nada para se surpreender todas as vezes. Apenas alguns dias atrás, o fundador de uma empresa de tecnologia de Utah enviou um e-mail a vários colegas e líderes políticos alegando que a vacina Covid-19 fazia parte de um plano dos “judeus” para o “extermínio sistemático de bilhões de pessoas”.

O CEO da empresa de tecnologia de Utah Entrata, David Bateman, teve que renunciar ao cargo depois que sua teoria da conspiração sobre a pandemia como parte de um plano judaico para “consolidar todos os países do mundo sob uma única bandeira com governo totalitário” desencadeou condenação.

Se examinarmos a história, veremos que os judeus sempre estiveram no epicentro da tempestade quando o mundo estava ocupado se recuperando de um golpe. Embora não seja politicamente correto dizer isso em voz alta, a opinião predominante na humanidade é que os judeus governam o mundo e seus governos com todo o dinheiro que têm. E quando isso os beneficia, os judeus provocam guerras e organizam crises em todo o mundo – tudo em seu próprio interesse, sempre puxando as cordas e obrigando os outros a trabalhar para eles. Às vezes, quando algo parece estar além do controle judaico, é apenas porque eles decidiram dar aos outros a sensação enganosa, a pequena pausa. Mesmo as pessoas que nunca viram judeus sentem que é assim que o mundo funciona.

Nossas próprias fontes explicam a origem dessa percepção: “Nenhuma calamidade vem ao mundo senão para Israel”, nossos sábios observaram há muito tempo. Eles estabeleceram uma conexão direta entre a qualidade das relações entre os judeus e a paz mundial. Como está escrito: “Somos ordenados a cada geração a fortalecer a unidade entre nós para que nossos inimigos não nos dominem”. (O Livro da Consciência)

Nós, judeus, devemos estar unidos, conectando-nos uns com os outros de acordo com a grande regra: “Ame o seu próximo como a si mesmo”. Como isso quase nunca acontece, cria-se um bloqueio que impede o fluxo de poder benéfico para o mundo. Ao mesmo tempo, o poder do mal aumenta constantemente e o egoísmo se espalha. Este saldo negativo é a causa de muitos problemas, e muito sofrimento é infligido à humanidade.

Da parte do grande sistema natural, a força do bem em nosso mundo permanece não revelada, permanece oculta. Somente através da nação israelense ela pode ser revelada, pois somos, por definição, responsáveis ​​pelo desenvolvimento e pela paz do mundo. Como o Midrash Rabbah escreve: “Israel traz luz ao mundo”. (Cântico dos Cânticos)

No tempo de Abraão, quando estávamos devidamente conectados, o bem-estar fluía através de nós para o mundo, mas como o ódio infundado destruiu nossa unidade, esse caminho foi bloqueado. É por isso que o mundo nos percebe como a causa de todo mal. Mesmo que não se entenda como o sistema está estruturado, e mesmo que a conexão entre os judeus e os fenômenos ruins resultantes não seja visível, é instintivamente claro para as pessoas que os judeus são os culpados por todos os problemas, desde a vida do indivíduo até toda a humanidade.

Quando isso vai parar? Nunca, a menos que ajamos e mudemos a qualidade de nossas relações. Esta é uma lei da natureza. A atitude negativa em relação a nós só aumentará até que nos tratemos com amor e nos tornemos como um homem em um coração. Somente neste estado o tubo que estamos obstruindo abrirá sua generosidade, uma força positiva virá ao mundo e equilibrará todo o mal. A humanidade começará a sentir harmonia, tranquilidade e serenidade, e desfrutará de uma boa vida na reciprocidade e na reconciliação.

Comente