“O Estudioso Que Conhecia A Grandeza Do Baal Hasulam” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “O Estudioso Que Conhecia A Grandeza Do Baal Hasulam

De todas as pessoas que não foram seus discípulos, e com poucas outras exceções, ninguém escreveu com maior admiração e apreço sobre o trabalho do Baal HaSulam do que o Prof. Eliezer Schweid, que faleceu na semana passada. Rav Yehuda Ashlag ficou conhecido como Baal HaSulam (autor do Sulam [escada]) por seu comentário Sulam sobre O Livro do Zohar. Schweid, vencedor do Prêmio Israel de Pensamento Judaico, reconheceu a grandeza de espírito por trás da figura despretensiosa e esquelética que dedicou toda a sua vida a tentar salvar o povo judeu e o mundo das catástrofes iminentes que ele previu que trariam sobre si mesmos através do ódio e arrogância.

“Rav Yehuda Ashlag, o Baal HaSulam, estava entre os maiores pensadores judeus de seu tempo. Buscar a verdade — pois é a verdade — era a missão de sua vida, seu objetivo e a maneira de cumprir o objetivo de sua vida. Parece que, por esse motivo, ele era conhecido apenas por poucos.

“Não é a dificuldade de entender suas palavras que o deixou desconhecido. Pelo contrário, Baal HaSulam tinha um raro dom para decifrar segredos e elucidar assuntos profundos. Suas palavras são cristalinas, a ponto de qualquer leitor alcançar através delas a verdade que mostra ao perceber como ela se relaciona com as experiências de sua vida.

“Como um pensador em uma missão, Rav Ashlag se esforçou para se tornar conhecido para trazer salvação ao mundo, mas ele falou sozinho, um homem judeu entre seu povo oprimido e perseguido, sofrendo, atormentando com ele e esperando a salvação com ele. Dirigia-se ao seu povo diretamente, como indivíduos, onde quer que estivessem, além de partidos e sem mediação de um partido, movimento ou escola específica. É por isso que nenhum estabelecimento ou instituto o apoiou. Esse foi o preço que o Baal HaSulam pagou por sua integridade, franqueza, liberdade de pensamento e espírito ousado.

“No entanto, justamente por todos esses méritos, suas palavras não foram escravizadas à miopia de ideologias passageiras e são tão pertinentes e convincentes hoje como eram então, e talvez ainda mais, pois muito do que ele havia previsto se tornou realidade. Suas explicações ainda são válidas como ferramenta para enfrentar os desafios do futuro da humanidade, do povo judeu e do Estado de Israel”.

E posso acrescentar: que possamos merecer a realização dos ensinamentos do Baal HaSulam.

Comente