A Luz Nos Guia Para A Recuperação

938.03O sentimento de sua insignificância é um sentimento grande e honrado porque uma pessoa inclina a cabeça diante de um poder superior. Claro, é importante para qual propósito e por quais meios ela faz isso.

Por outro lado, está escrito: “E seu coração se elevou nos caminhos do Senhor”. Ou seja, parece que ela deve ter orgulho, aumentar seus desejos, oportunidades e os meios para avançar. Como essas duas direções se encaixam?

Na verdade, ambas nos guiam em direção ao mesmo objetivo. Não há uma única propriedade em uma pessoa que contradiga a realização do objetivo. Afinal, procedemos de um estado perfeito, da fusão com o Criador, onde estávamos no primeiro ponto da criação.

O Criador nos gerou como um ponto negro imerso na luz infinita superior. A partir deste ponto começamos a nos desenvolver devido ao fato de que a luz entrou neste ponto escuro oposto à luz, “criado a partir do nada”.

Todas as propriedades inerentes a nós foram formadas a partir da colisão entre a luz e o desejo egoísta. Portanto, em toda a realidade não há nada além dessa oposição entre egoísmo e doação, luz e escuridão, as propriedades do Criador e as propriedades da criação.

Portanto, só precisamos corrigir nossa atitude em relação a isso e retornar ao estado anterior. Para isso descobrimos nossa fragmentação, o oposto da luz, e nos sentimos distantes e confusos. Mas, ao mesmo tempo, temos todos os dados para coletar isso, como uma brincadeira de criança de montar um conjunto de Lego e colocar cada peça em seu lugar.

Além disso, temos uma força superior que nos influencia e a todos os Cabalistas do passado ao nosso redor que nos ajudam, com o que mais revelaremos. Dentro deste círculo está o nosso grupo mundial Bnei Baruch, e dentro dele estão nossas pequenas dezenas. E tudo isso dentro de um sistema que funciona, se cura e se restaura.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 27/12/21Shamati # 230 “O Senhor é Exaltado e o Inferior Verá – 2”

Comente